Categorias
Colunas Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

A beleza dos grisalhos

Não faz muito tempo, não pintar o cabelo era considerada uma escolha de mulheres pouco vaidosas e desleixadas, que não se preocupavam com a aparência e que envelheceram antes do tempo.

Mas a pandemia, em razão do isolamento social, provocou a aceleração de uma tendência que já vinha ganhando força entre as mulheres: não pintar o cabelo. Mulheres famosas e anônimas, resolveram aderir à cor natural que os cabelos ganham com o passar dos anos. E isto está virando moda!

Nos últimos dois anos, a pergunta que era tão comum de “Por que você não pinta o cabelo?”, passou a ser substituída cada vez mais por: “Por que você pinta o cabelo?”. Os discursos mudaram tão radicalmente que o cabelo branco deixou de ser um estigma para ser um valor para mulheres de todas as idades. Um país que valoriza a juventude e despreza a velhice, porém, vai demorar a entender que o cabelo branco não é uma aposentadoria da vida sensual e do cuidado com o próprio corpo.

Ainda recente no Brasil, esse novo modelo de belezaainda causa certa estranheza, mulheres ainda são criticadas quando assumem seus cabelos brancos. Isso acontece porque os valores culturais ainda permanecem interiorizados dentro de cada uma de nós.De um lado, somos aplaudidas quando nos libertamos das tinturas. De outro, somos criticadas por mostrar as marcas do envelhecimento.

As mulheres cobram muito mais das outras mulheres porque se sentem mais cobradas. Quanto mais mulheres se sentirem bonitas e plenas com o cabelo grisalho (ou com as cores que elas quiserem e acharem belas), mais rapidamente o olhar da sociedade sobre o que é considerado bonito vai mudar. Cada mulher que se liberta, liberta muitas outras para se sentirem mais plenas e felizes de acordo com as próprias escolhas.

Categorias
Colunas Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

Argila nos Cabelos

Na pele,a argila já é conhecida na rotina de beleza. Mas é possível ir além e aproveitar os benefícios da argiloterapia também nos cuidados com os cabelos. À primeira vista, pode parecer uma maneira improvável de remover a sujeira nos fios, mas acredite: preta, verde ou vermelha, cada uma delas carrega características particulares que ajudam no tratamento do couro cabeludo, área fundamental para a saúde dos fios. A argila consegue absorver as impurezas do couro cabeludo, agindo como uma máscara ou pré-xampu natural. As propriedades da argila funcionam como um ‘peeeling’ capilar, esfoliando a região. Não é à toa que a argila está presente nos processos de detox capilar. Ela é um ingrediente extraído do solo e rico em minerais, como o magnésio, zinco e selênio, que têm ação antioxidante. Como resultado, consegue equilibrar o pH da região, controlar a oleosidade e, consequentemente, tornar os fios mais soltinhos, leves. Para ser usada sem prejuízos, entretanto, é preciso que seja do tipo fitoterápica.A argila verde, por exemplo, é a mais indicada para fios oleosos e mistos pela ação adstringente, mas as outras cores também são válidas, como a preta, que acumula a maior quantidade de minerais e a vermelha, mais suave.Independentemente da tonalidade, a aplicação no couro cabeludo deve ser feita com um pincel, seguida de uma leve massagem com as pontas dos dedos para estimular a circulação sanguínea local. É importante que não seja usada com os fios muito sujos — o “dia seguinte” é um bom momento. Para a mistura, dissolva a argila em água filtrada até obter uma pasta cremosa e homogênea. Depois de passar a mistura em toda extensão do couro cabeludo, aguarde de 15 a 20 minutos e remova a argila com água morna. Siga a lavagem como de costume. O truque para facilitar a retirada é não deixar secar. Vale borrifar água ou água termal para ajudar na umidade. Não há contraindicação no uso, apenas na frequência, que deve ser uma aplicação quinzenal. Na hora de comprar sua argila, verifique se ela é esterilizada. Se for orgânica, melhor ainda, pois a argila que está no meio ambiente pode ter microrganismos nocivos à pele, pode estar contaminada com fungos e bactérias.

Categorias
Beleza Colunas cuidados Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

Laminação Capilar

No mundo dos cabelos existem duas batalhas praticamente constantes: contra o frizz e pelo brilho mais deslumbrante. Neste difícil caminho para alcançar o cabelo tão esperado, saudável e controlado, parece que todos os tratamentos de salão se concentram mais em cabelos finos e frágeis. Mas então, o que acontece quando o que você quer hidratar e cuidar são cabelos mais rebeldes, crespos ou com pontas danificadas? Até hoje, botox capilar e nutrição intensa foram as soluções mais difundidas, sem esquecer da queratina, cujo efeito antifrizz acabou reduzindo o movimento. Agora, a alternativa é fazer uma laminação capilar. Entre os benefícios deste tratamento, está a reconstrução da fibra capilar, evitando assim a quebra das pontas. A chave é que essa laminação consegue fechar a cutícula. Ao contrário de outros tratamentos, esta hidratação intensiva é selada com a ajuda do calor, por isso seria mais correto falar de laminação térmica. Através da aplicação de uma combinação de ceramidas – presentes na estrutura de nosso cabelo – vitaminas E, B3 e provitaminas B5, é possível reconstruir a fibra capilar, reduzindo o frizz, fortalecendo o cabelo e aumentando seu brilho e volume. A combinação de ingredientes é uma importante bomba de tratamento para o cabelo, que, somado aos benefícios anteriores, o torna um tratamento ideal para cabelos muito secos com tendência ao frizz, tingidos ou danificados por superexposição a fontes de calor. O resultado é fantástico, com uma cutícula mais fechada e hidratada. Em um momento em que os cabelos buscam obter cabelos ultrabrilhantes com movimento, a laminação surge como uma alternativa que, ao invés de deixar aquele cabelo liso que pesa na raiz, proporciona volume natural, seguido de brilho, movimento e maciez. Para sua aplicação, o primeiro passo é limpar bem os cabelos, abrindo a cutícula e retirando qualquer vestígio de poluição , retirando metais pesados ​​dos fios e couro cabeludo, como um detox capilar. Quando o cabelo está completamente limpo, o produto é aplicado e se utiliza um secador. O resultado é um cabelo que parece encorpado, com pontas reparadas e brilho consideravelmente melhorado.

Categorias
Colunas Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

Envelhecimento Capilar

Certamente, se alguém falar com você sobre o envelhecimento do cabelo , você pensará em cabelos grisalhos . E sim, de fato, cabelos grisalhos são o primeiro sintoma de cabelos grisalhos. No entanto, existem outros sinais de alerta que talvez você não consiga identificar e que também alertam para o passar dos anos. Assim como a pele envelhece após os 25 anos , causando o aparecimento de rugas , bolsas e olheiras, ou perda de firmeza, o cabelo também muda com a idade . Os sinais de que seu cabelo está envelhecendo são principalmente a perda de densidade capilar , o que não é o mesmo que alopecia. Com o passar dos anos, o cabelo perde espessura e fica mais fino e frágil, além disso, cresce muito mais devagar. Tudo isso se traduz em cabelos secos, quebradiços, sem brilho, com menos volume e a consequência mais visível é que a massa capilar tem uma aparência menos densa, geralmente em todo o couro cabeludo. É um fenômeno que afeta qualquer homem e mulher ao longo dos anos. Pelo contrário, a calvície resulta em áreas completamente nuas do couro cabeludo, geralmente a linha do cabelo recuada ou a coroa da cabeça. Além disso, a alopecia pode ocorrer em uma idade muito jovem, mesmo antes dos 20 anos, e tem origem principalmente hereditária ou genética.

Embora não seja possível, hoje, parar o envelhecimento capilar (assim como o envelhecimento da pele), ele pode ser retardado. A principal causa do envelhecimento capilar é a oxidação do cabelo, por isso, os produtos mais recomendados para o retardar são os que contêm antioxidantes. Para retardar o envelhecimento capilar faça uma automassagem do couro cabeludo com as pontas dos dedos ao aplicar o xampu. Um minuto é suficiente. Um simples gesto para ativar a microcirculação sanguínea, oxigenar as raízes e dar-lhes um pouco mais de volume. Além disso, é importante controlar outro fator que desempenha um papel fundamental na saúde capilar: o estresse. Demonstrou-se que a ansiedade e o estresse contínuo aceleram a queda de cabelo e o envelhecimento. Evitar água muito quente, esfregar o cabelo suavemente ao lavá-lo ou secá-lo sem esfregar excessivamente com a toalha são outros gestos que também podem ajudar a retardar o envelhecimento.

Categorias
Colunas Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar

Fios Quebradiços?

Não importa se seu cabelo é liso ou cacheado, curto ou longo: ele sempre está suscetível ao enfraquecimento. Genética, alimentação e excesso de química podem intensificar o problema, deixando os fios mais fracos, quebradiços e opacos. Alguns cuidados são fundamentais para fugir do enfraquecimento capilar e manter os fios fortalecidos e saudáveis. Higienize seu cabelo. Higienizar devidamente a raiz é fundamental para a saúde capilar. É importante que essa limpeza seja feita com água em temperatura ambiente, quase fria, e utilizando um shampoo específico para o tipo de cabelo. Aposte no tratamento. Quando se trata de um cabelo forte, sem dúvidas o tratamento com uma boa máscara é essencial. O ideal é que seja realizada ao menos uma vez na semana com máscaras específicas. Componentes como vitaminas, Bepantol líquido, óleos de coco e argan estão entre as opções mais comuns nesse tipo de produto, pois potencializam a ação hidratante aos fios. Aposte em produtos fortalecedores. Outra dica é investir em itens que fortaleçam a raiz e nutram o bulbo capilar. Assim, se reforça a fibra por inteiro e ainda garante a saúde dos fios que vão nascer. Evite processos químicos. Progressivas, descolorações e outras químicas fortes são responsáveis pelo enfraquecimento dos fios, levando a sua queda. Sendo assim, é importante deixá-los respirar enquanto se aposta em um cronograma capilar adequado para a necessidade do seu cabelo.

Categorias
Beleza Colunas Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Tendências

Cuidados Capilares – Dicas Rápidas

Para manter uma rotina de cuidados capilares é preciso manter a organização para dar conta de todos os tratamentos periódicos que os fios precisam. Erros comuns podem prejudicar a saúde dos fios, por isso listei algumas dicas rápidas.

Limpe o couro cabeludo adequadamente – Lembre-se sempre que o couro cabeludo também é pele e precisa ser higienizado regularmente
para evitar coceira, caspa e até doenças de pele. Se recomenda fazer a limpeza, no mínimo, três vezes na semana.

Não prenda o cabelo com muita força – Quando o fio é preso sendo
muito tracionado, danificamos sua estrutura, o que favorece a quebra e queda.

Use água fria ou morna – Para evitar que os fios fiquem porosos, embaraçados e quebradiços, é importante não utilizar a água quente.

Produtos na quantidade certa – O excesso de shampoo, que por ter
uma ação detergente, desengordurante, pode retirar água e óleos da parte mais externa do fio, deixando- os mais secos e frágeis, o que pode levar à quebra dos fios, O condicionador, se usado em excesso, pode se acumular no couro cabeludo obstruindo a abertura do folículo, e isso pode piorar quadros de dermatite seborreica e outras alopecias.

Condicionador X Máscara – A máscara de tratamento não substitui o
condicionador, ao contrário do que muitas pessoas pensam. A máscara
pode ser utilizada entre uma e duas vezes na semana, conforme o tipo e dano existente no cabelo. Para uso diário, o condicionador tem maior capacidade de selar as cutículas garantindo brilho, maciez e facilidade na hora de escovar.

Categorias
Destaque Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal Saúde

Óleo vegetal tão eficaz quanto o Minoxidil?

Surpreso(a)? O estudo publicado na revista SKINmed comprova que sim! Estamos falando do óleo de alecrim, já conhecido por aqueles que procuram soluções mais naturais para tratar a queda e promover o crescimento capilar.

O estudo comprovou que a eficiência do óleo de alecrim se equipara ao minoxidil. Mas antes de seguir adiante com as descobertas da pesquisa científica, é importante ressaltar que a substância contém propriedades anti-inflamatórias, cicatrizantes e estimulantes da circulação sanguínea.

O estudo foi realizado em 100 pessoas com alopecia androgenética, doença que provoca a queda dos fios. Os cientistas dividiram os participantes em dois grupos. Enquanto um grupo usou o óleo de alecrim no couro cabeludo durante seis meses, o outro fez tratamento com minoxidil a 2% no mesmo período.

Conforme publicou o site de estilo de vida Shape, os dois tratamentos pareciam funcionar igualmente bem ao longo dos seis meses: “Ambos os grupos mostraram um aumento significativo na contagem de cabelos, e não houve uma diferença significativa na contagem de cabelo entre as duas equipes”. Entretanto, ao comparar outros resultados, o óleo de alecrim saiu na frente. Quem usou a fórmula natural não apresentou efeitos colaterais em relação ao medicamento, como a forte coceira que ocorre após uso constante do minoxidil.

Apesar de ser necessária a execução de mais estudos para entender a fórmula derivada da planta, os cientistas defendem algumas teorias. “Não está totalmente claro qual é o mecanismo, mas acredita-se que o óleo de alecrim bloqueie o DHT, que em níveis elevados podem encolher os folículos capilares e, consequentemente, as fibras param de nascer por completo. Segundo dermatologistas e terapeutas capilares, a fórmula natural do óleo de alecrim ao estimular a circulação sanguínea, aumenta o fornecimento de oxigênio ao couro cabeludo, o que contribui com o aumento de tamanho das madeixas. Quando a região está com inflamação, o problema causa a queda dos fios antes de atingir o fim do ciclo de crescimento.

Categorias
Beleza Destaque Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias Notícias do Jornal

Mega Hair, tendência que se reinventa

Símbolo de feminilidade e identidade feminina, o cabelo longo continua sendo um desejo da maioria das mulheres , e a tendência do uso do mega hair tem se renovado, impulsionando o surgimento de novos estilos.

No início desta tendência, o mega hair ganhou popularidade em uma época em que a prioridade era atender aos padrões estéticos. Longos cabelos lisos eram a chamada para quem queria deixar uma boa impressão na época.

Nas décadas seguintes, os alongamentos passaram a ser uma opção para quem buscava exibir cabelos saudáveis, com volume e muito brilho. Os apliques de cabelo são hoje sinônimo de estilo nesta sociedade moderna que busca constantemente mudança. 

Inobstante a grande procura ainda seja por apliques de cabelo com longo comprimento e de textura lisa, o uso do Mega hair não é somente para quem busca cabelos lisos e longos.

O movimento mundial das crespas e cacheadas, fez o uso do mega hair se reinventar e apliques de diversas texturas foram lançados no mercado, permitindo que estilos diferentes fossem criados e restabelecidos.

Por ser muito versátil e prático, tratando-se de uma mudança de visual, o aplique de cabelo pode ser comparado às famosas braids, tranças que, responsáveis por deixar as mulheres estilosas, tornaram-se febre no último ano.

O uso do mega hair cresceu nos últimos tempos, pois notou-se o grande potencial do acessório para transformar de maneira divertida e prática visuais de diversas maneiras. Essa variedade de características permite que visuais sejam facilmente reformulados, transparecendo e estabelecendo novas identidades. 

Atrizes, cantoras e diversas artistas de grande influência, utilizam bastante do grande potencial dessa técnica para acompanhar a mudança rápida das tendências lançadas.

Categorias
Destaque estética Helainy Araujo | Saúde Capilar

Como o cabelo é formado – parte 2

Conforme tratamos no texto anterior, a parte externa do fio de cabelo é formada por camadas de cutículas, sobrepostas e dispostas do couro cabeludo até as pontas.

Desta forma, esfregar os fios de cabelo com toalha pode trazer consequências catastróficas para a integridade da cutícula comprometendo o cabelo como um todo. Quaisquer contatos com os fios devem ser feitos no sentido da cutícula, inclusive a lavagem dos cabelos e a secagem.

O córtex é a parte mais espessa do fio e situa-se internamente à cutícula, envolvendo a medula. Ele é formado principalmente por cadeias de queratina interligadas por pontes de enxofre, como se fossem escadas em caracol interligadas por cabos de aço, formando uma cadeia maleável, porém resistente.

Há também outras pontes que interligam as cadeias de queratina, além da ponte de enxofre. Existe ainda a ponte de hidrogênio, que não possui maleabilidade, porém, é facilmente quebrada com água (molhando o cabelo) e reconstruída com a saída da água (secando o cabelo). Esta ponte pode ser levemente modificada com calor também. A ponte de hidrogênio pode ser representada por barras de ferro encaixadas nas escadas e interligando-as do mesmo modo que os cabos de aço, sendo desencaixadas pela água e reencaixadas com a secagem.

Também no córtex é onde todas as reações químicas relativas ao cabelo acontecem, como por exemplo, em colorações e alisamentos. Por ser uma estrutura mais frágil, o córtex, quando exposto, devido à laceração da cutícula, é facilmente e rapidamente danificado, o que pode deixar o cabelo praticamente irrecuperável.

Existem produtos no mercado com o objetivo de repor o cimento intercelular artificialmente.

A medula é a parte mais interna do fio e não possui uma função definida, até porque alguns cabelos, geralmente os mais finos, não a possuem.

Categorias
Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

A alimentação e os cabelos

Excesso de selênio, excesso de vitamina A (retinol), falta de vitamina H (biotina), falta de zinco, são alguns exemplos de causas de distúrbio dos cabelos, tais como queda, alopecia, dermatites, seborreia, etc. A alimentação saudável e balanceada é fundamental para o bom desenvolvimento do cabelo e para a manutenção das condições do couro cabeludo.

Alimentos gordurosos, frituras, leite integral e seus derivados, castanhas e outras coisas do gênero podem causar produção excessiva de sebo e acabar por gerar outros problemas decorrentes.

Assim como uma alimentação com pouca proteína, como as dietas vegetarianas, por exemplo, que pode causar o afinamento e o enfraquecimento dos fios, pois falta ao organismo a matéria-prima para a produção dos cabelos, tendo por consequência fios de qualidade (textura, espessura e força) ruim.

Uma dieta de emagrecimento mais rígida pode fazer com que os cabelos caiam, fiquem opacos e finos, pois não se estão ingerindo os nutrientes necessários para o seu bom desenvolvimento.

Os cabelos e as unhas são sempre as primeiras estruturas que sentem uma mudança de hábito na alimentação. Por não serem vitais, aos primeiros sinais de estiagem de nutrientes, o organismo se concentra em alimentar o que é vital: manter o coração batendo, os rins, fígado e todo o sistema digestório funcionando, o pulmão respirando e o cérebro fazendo suas descargas elétricas.

Cabelos e unhas são os primeiros a sofrerem com o racionamento de nutrientes feito naturalmente pelo corpo humano, portanto, ficam finos, sem força e sem vida.

É sempre prudente que se procure um médico ou nutricionista para realizar dietas de emagrecimento. Com a ajuda profissional, pode-se chegar à forma desejada fazendo com que os cabelos sofram menos.

Helainy de Araujo Devos
Técnica em Ciências Capilares
www.SaudeCapilar.Vip
@Saudecapilar.VIP, oi@Saudecapilar.VIP