Categorias
Destaque estética Helainy Araujo | Saúde Capilar

Como o cabelo é formado – parte 2

Conforme tratamos no texto anterior, a parte externa do fio de cabelo é formada por camadas de cutículas, sobrepostas e dispostas do couro cabeludo até as pontas.

Desta forma, esfregar os fios de cabelo com toalha pode trazer consequências catastróficas para a integridade da cutícula comprometendo o cabelo como um todo. Quaisquer contatos com os fios devem ser feitos no sentido da cutícula, inclusive a lavagem dos cabelos e a secagem.

O córtex é a parte mais espessa do fio e situa-se internamente à cutícula, envolvendo a medula. Ele é formado principalmente por cadeias de queratina interligadas por pontes de enxofre, como se fossem escadas em caracol interligadas por cabos de aço, formando uma cadeia maleável, porém resistente.

Há também outras pontes que interligam as cadeias de queratina, além da ponte de enxofre. Existe ainda a ponte de hidrogênio, que não possui maleabilidade, porém, é facilmente quebrada com água (molhando o cabelo) e reconstruída com a saída da água (secando o cabelo). Esta ponte pode ser levemente modificada com calor também. A ponte de hidrogênio pode ser representada por barras de ferro encaixadas nas escadas e interligando-as do mesmo modo que os cabos de aço, sendo desencaixadas pela água e reencaixadas com a secagem.

Também no córtex é onde todas as reações químicas relativas ao cabelo acontecem, como por exemplo, em colorações e alisamentos. Por ser uma estrutura mais frágil, o córtex, quando exposto, devido à laceração da cutícula, é facilmente e rapidamente danificado, o que pode deixar o cabelo praticamente irrecuperável.

Existem produtos no mercado com o objetivo de repor o cimento intercelular artificialmente.

A medula é a parte mais interna do fio e não possui uma função definida, até porque alguns cabelos, geralmente os mais finos, não a possuem.

Categorias
Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

A alimentação e os cabelos

Excesso de selênio, excesso de vitamina A (retinol), falta de vitamina H (biotina), falta de zinco, são alguns exemplos de causas de distúrbio dos cabelos, tais como queda, alopecia, dermatites, seborreia, etc. A alimentação saudável e balanceada é fundamental para o bom desenvolvimento do cabelo e para a manutenção das condições do couro cabeludo.

Alimentos gordurosos, frituras, leite integral e seus derivados, castanhas e outras coisas do gênero podem causar produção excessiva de sebo e acabar por gerar outros problemas decorrentes.

Assim como uma alimentação com pouca proteína, como as dietas vegetarianas, por exemplo, que pode causar o afinamento e o enfraquecimento dos fios, pois falta ao organismo a matéria-prima para a produção dos cabelos, tendo por consequência fios de qualidade (textura, espessura e força) ruim.

Uma dieta de emagrecimento mais rígida pode fazer com que os cabelos caiam, fiquem opacos e finos, pois não se estão ingerindo os nutrientes necessários para o seu bom desenvolvimento.

Os cabelos e as unhas são sempre as primeiras estruturas que sentem uma mudança de hábito na alimentação. Por não serem vitais, aos primeiros sinais de estiagem de nutrientes, o organismo se concentra em alimentar o que é vital: manter o coração batendo, os rins, fígado e todo o sistema digestório funcionando, o pulmão respirando e o cérebro fazendo suas descargas elétricas.

Cabelos e unhas são os primeiros a sofrerem com o racionamento de nutrientes feito naturalmente pelo corpo humano, portanto, ficam finos, sem força e sem vida.

É sempre prudente que se procure um médico ou nutricionista para realizar dietas de emagrecimento. Com a ajuda profissional, pode-se chegar à forma desejada fazendo com que os cabelos sofram menos.

Helainy de Araujo Devos
Técnica em Ciências Capilares
www.SaudeCapilar.Vip
@Saudecapilar.VIP, oi@Saudecapilar.VIP

Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

Saúde Capilar: Metal no Cabelo

Resíduos metálicos, como o próprio nome já sugere, são resíduos que contêm substâncias metálicas. Os mais comuns são os derivados do cobre, alumínio e ferro.

Já percebeu uma mancha azul ou verde logo abaixo da torneira do seu chuveiro? Pois isso acontece exatamente pela presença desses resíduos.

Eles geralmente estão presentes na água devido aos tratamentos sofridos na empresa de distribuição de água de sua cidade ou durante a limpeza periódica das caixas d’água que utilizam produtos que contêm derivados, principalmente de alumínio, ou pela oxidação de canos de ferro – encontrados em construções mais antigas – e de cobre – encontrados em aquecedores solares.

O resíduo metálico, por possuir um peso molecular muito baixo, penetra nos fios com facilidade. Com o contato deste resíduo com a água e com o oxigênio presente na atmosfera, o metal oxida, literalmente enferrujando dentro da fibra capilar. Essa reação faz com que o resíduo metálico, devido à expansão sofrida, destrua a estrutura do cabelo, danificando-o e tornando-o quebradiço. Pode-se perceber até uma coloração esverdeada em cabelos mais claros que estejam impregnados com este tipo de substância.

A recomendação, neste caso, é evitar o uso de água aquecida em canos de cobre e ferro, lavar os cabelos com xampu de limpeza profunda uma vez por semana e fazer uso de acidulantes, que ajudam a eliminar esses resíduos, além de recobrar o pH e fechar as cutículas dos fios.

Um acidulante facilmente encontrado no mercado é o vinagre, que possui pH suficientemente ácido para eliminar os resíduos metálicos e selar as cutículas dos fios.

Porém, o mais indicado é o uso de acidulantes industrializados próprios para o uso em cabelos. Geralmente vêm em forma de creme ou máscara capilar ou fluído de tratamento e seu pH deve ser de, no máximo, 5.

Helainy de Araujo Devos
Técnica em Ciências Capilares
www.SaudeCapilar.Vip
@Saudecapilar.VIP, oi@Saudecapilar.VIP

Categorias
Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

Saúde Capilar: Pode colocar a mão dentro do pote de máscara?

Quando o assunto é cuidados com o cabelo, uma dúvida permanece: podemos colocar a mão diretamente dentro do pote de creme no momento de retirar o produto?

Muitos argumentam que não se deve nunca colocar a mão no pote da máscara, creme de pentear e demais produtos, pois as bactérias do corpo alteram a fórmula do produto, comprometendo o resultado. Será que é isso é verdade?

Ao contrário do que se possa imaginar, atualmente, devido às inovações e tecnologia da indústria cosmética, essa não é uma preocupação necessária. A maioria dos produtos levam em sua fórmula conservantes dos mais diversos tipos, que ajudam o produto a não “estragar”, ou seja, não perder sua textura, odor e a potência de seus ativos, fazendo com que o produto não perca sua eficácia e seu poder de ação. Além disso, há uma preocupação da moderna indústria cosmética, no sentido de que seus produtos sejam desenvolvidos para que o cliente tenha uma experiência positiva, um sensorial agradável e um resultado esperado, sem precisar se preocupar com a forma que manuseia o pote de creme.

Alguns sites e blogs sobre o assunto, informam que devemos “lavar bem as mãos antes de manusear os produtos de cabelo”, porém não há razão para se preocupar tanto com isso. A higiene sempre será vantajosa, mas os ingredientes dos produtos já são pensados para garantir que você possa usá-los com segurança, pois como foi dito anteriormente, a indústria cosmética dispõe de eficientes conservantes, que fornecem aos produtos a garantia de eficácia durante todo período de validade dos mesmos.

O mercado dispõe de várias modelos e formas de embalagens, sendo algumas preferidas dos consumidores, pela praticidade na manipulação do conteúdo, sem que haja necessidade de colocar a mão diretamente dentro da embalagem.

Um exemplo disto, são as bisnagas e os tubos com pumps, onde o produto é retirado deslizando por uma abertura que evita o contato das mãos dentro da embalagem. Alguns ainda se incomodam em colocar as mãos “dentro do pote”, por isso as bisnagas e embalagens com pumps, são boas opções para evitar o contato direto com o produto ainda não utilizado.

Helainy de Araujo Devos
Técnica em Ciências Capilares
www.SaudeCapilar.Vip
@Saudecapilar.VIP, oi@Saudecapilar.VIP

Categorias
Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias Notícias do Jornal

BioMecânica Capilar: a desconstrução da indústria da cosmética capilar

A cada ano, novos produtos capilares são lançados. Com novas tecnologias, novos ativos e com compromissos de promoverem a beleza, a integridade e a resistência dos fios.

Verdadeiros “sonhos de consumo”, há produtos capilares para todos os “gostos” e “bolsos”. Mas o que a maioria tem em comum? A informação de que seus ativos agem “dentro do fio”, ou seja, no “córtex capilar”, combatendo os danos.

E é justamente neste ponto, que o criador da BioMecânica Capilar, o empresário Célio Zanfranceschi, nos afirma que essa promessa da Indústria é uma grande falácia, pois “TODOS OS DANOS ACONTECEM NAS CUTÍCULAS”, e nenhum tratamento é capaz de penetrar até o córtex.

Polêmico não? Isso desconstrói toda Indústria Cosmética Capilar, que durante décadas, vem nos vendendo produtos cada vez mais Nanotecnológicos, que prometem penetrar cada vez mais profundamente no fio!

Mas Célio não para por aí. São dele as seguintes afirmações: “Cabelo não nasce, não cresce, ele é PRODUZIDO”; “Se os finalizadores são à base de óleo, então o cabelo não existe cabelo hidratado, e sim lubrificado”; “Cabelos danificados estão com as cutículas travadas abertas. DESTRAVE as cutículas e o cabelo para de embaraçar e quebrar”; “Todo dano capilar acontece nas cutículas. Elas travam abertas e provocam o frizz, o ressecamento, o embaraçar e a quebra. Na BioMecânica Capilar tratamos o funcionamento das cutículas, destravando-as, e assim elas são fechadas pelo condicionador, e os fios, lubrificados, ficam macios, sedosos, com brilho, fáceis de desembaraçar e pentear”

Célio vem, ao longo dos anos, pesquisando e aperfeiçoando sua técnica, e para isso formulou o produto que promete revolucionar a forma de tratar e prevenir os danos capilares. Esse produto, denominado “destravador de cutículas”, vem sendo usado e aprovado por inúmeras consumidoras e vem apresentando excelentes resultados, comprovados pelos inúmeros feedbacks que Célio recebe diariamente em suas redes sociais, e sobre este incrível produto, iremos falar na próxima matéria. Aguardem!

Helainy de Araujo Devos
Técnica em Ciências Capilares
www.SaudeCapilar.Vip
@Saudecapilar.VIP, oi@Saudecapilar.VIP

Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

5 mentiras que te contaram sobre cabelos

Quando o assunto é cabelo, sempre tem alguém que conhece alguma verdade inegável” quem vem sendo passado de mãe para filha há gerações! Não é?

Vou te contar 5 mentiras sobre cabelos, que ainda fazem a cabeça de muitas pessoas!

1) “Cortar as pontas faz o cabelo crescer”. Não! O cabelo tem “vida” apenas dentro do couro cabeludo. A parte que emerge já é uma haste sem vida, e cortá-la não irá alterar o crescimento. O que acontece é que, ao cortar as pontas danificadas, que já começaram a partir, o fio segue crescendo inteiro, sem chance de continuar partindo. Entenderam?

2) “É possível reparar pontas que já foram quebradas”. Não! Justamente pelo fato do fio do cabelo ser tecido morto, ele é incapaz de se regenerar.

3) “O cabelo pode voltar à cor natural após uma tintura ou descoloração”. Não é mais possível. Ao usar uma tintura permanente, semipermanente ou uma descoloração, elas têm ativos oxidantes que penetram no fio e removem a melanina (que dá a cor ao cabelo), e introduzem pigmento. Uma química de transformação não é reversível.

4) “A progressiva pode ser removida do cabelo”. Outro mito bastante difundido. A progressiva é uma química de transformação que desfaz ligações estruturais, não sendo possível o retorno do cabelo ao estado natural. Shampoo não retira progressiva. Caso a parte alisada passe a ter a aparência “menos lisa”, ocorre pelo fato da química não ter sido feita da forma mais correta, ou o produto usado ter perdido parte do petrolato existente na fórmula, que sai com as lavagens.

5) “Os cabelos se acostumam com os produtos”. Cabelo, por ser tecido morto, não se habitua ou cansa dos produtos usados de forma frequente. Quando temos essa sensação, é que a necessidade do cabelo mudou. Por exemplo, um cabelo poroso pede produtos mais acidificantes, mas quando já está com aparência mais sedosa, os produtos antes usados não são mais necessários ao cabelo, que passa a precisar de outros ativos.

É certo que existem outros mitos sobre cabelos que muitos repetem como verdades, mas esses são os mais recorrentes.

Helainy de Araujo Devos
Técnica em Ciências Capilares
www.SaudeCapilar.Vip
@Saudecapilar.VIP, oi@Saudecapilar.VIP

Categorias
Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

Cabelos que demoram a secar

Alguns cabelos demoram mais para secar do que outros. Em uma mesma cabeça, alguns fios secam mais rápido que outros, por que será? O processo de secagem natural pode levar até 24 horas, dependendo do comprimento, espessura, textura e saúde dos fios.

É comum que cabelos longos, cheios ou grossos levem mais tempo para secar do que os de comprimento médio e espessura mais fina, justamente pela quantidade e volume dos fios. Já os crespos encontram certa dificuldade por causa do formato em caracol das madeixas, que retém água próximo à raiz, o que deixa o couro cabeludo úmido por mais tempo.

O clima também pode ser um fator que prolonga ou diminui o tempo de secagem, enquanto o ar seco faz com que os fios sequem mais rapidamente, a umidade provoca o efeito contrário.

Mas, se a demora no tempo de secagem dos cabelos não se encaixa em nenhum destes casos, o problema provavelmente está relacionado a saúde dos fios, que podem estar porosos. A porosidade é determinada pela sobreposição das escamas da fibra capilar que regula a capacidade de absorção de hidratação e nutrientes. Quanto mais abertas as escamas, mais poroso o cabelo fica, o que facilita a absorção de líquidos de forma rápida e intensa, e, consequentemente, faz com que a secagem fique mais lenta.

O secador de cabelo claramente acelera o processo de secagem. Porém, esta não é a maneira mais saudável de secar as madeixas. Quem não abre mão do utensílio deve usá-lo com temperatura morna ou fria, com uma distância média de vinte centímetros do fio, sem esquecer de passar o protetor térmico.

Quem prefere deixar os fios secarem naturalmente também pode acelerar o processo usando uma toalha de microfibra absorvente para remover o excesso de água. Aperte os fios delicadamente, sem torcer ou esfregar, para não provocar quebra, seque da raiz para as pontas, sempre em movimentos contínuos para baixo. Não aplique leave-in em cabelos muito molhados, pois eles formam uma camada ao redor do fio, deixando-o selado, o que dificulta a secagem.

Helainy de Araujo Devos
Consultora de produtos capilares
@saudecapilarvip, @helainydearaujodevos

Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

A Nova Revolução na Cosmética Capilar

A nova indústria de cosméticos capilares, revolução de nível mundial, é feita no Brasil. Será que estamos prontos para produtos capilares tão tecnológicos que podem substituir uma geração de produtos consumidos há décadas?

É verdade que as químicas são cada vez mais comuns nos salões, eleva a autoestima, traduz a identidade e revela o quão livre é a mulher do século 21. Sem restrição de idade ou classe, as transformações capilares seduzem e alcançam cada vez mais consumidores, a maioria ainda mulheres.

Colorir, descolorir, alisar e cachear são técnicas usadas em salões de bairros residenciais, grandes shoppings ou endereços mais refinados. E cada vez mais os profissionais sentem necessidade de unir expertise com produtos eficientes, para agradar clientes cada vez mais exigentes.

As mulheres apaixonadas por química transformadora capilar dificilmente abrem mão de utilizá-la, mesmo que implique em danificar, às vezes severamente, o cabelo. Por isso, o grande desafio é entregar um resultado satisfatório no que concerne a dois tópicos: beleza e saúde capilar.

Há alguns anos, num workshop de um profissional referência na área, ouvi a frase: “Minhas clientes querem ser loiras platinadas e entrego isso a elas, mesmo que seja preciso destruir o cabelo”. É isso que queremos? Luciano Rodrigues do Couto, diretor de marketing da London Cosméticos, diz categoricamente que não! Para mudar esse cenário, a empresa, que vem revolucionando a arte de embelezar e tratar o cabelo, traz cosméticos capazes de realizar a verdadeira regeneração do fio. Algo antes nunca visto.

Ao lado dos sócios Mário Lago e Nélio Ramos, Luciano sempre trabalhou para vender “verdades” acerca do mercado cosmético capilar. Isso esbarra em muitos conceitos ultrapassados e difíceis de serem removidos, mas, aos poucos, através da educação que a própria London promove, vem ganhando adeptos entusiasmados por esse processo de alquimia transformadora.

E é sobre esse tema envolvente que iremos tratar nas próximas edições. Algo que irá mudar a forma de cuidar dos cabelos.

Helainy de Araujo Devos
Consultora de produtos capilares
@saudecapilarvip, @helainydearaujodevos

Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

A formação do cabelo (Parte 1)

 

Parte tão importante para a expressão da nossa identidade… Vamos entender como é o cabelo e como ele funciona e, para isso, é necessário entender a sua origem: como ele se forma, nasce, cresce, e assim conseguir saber porque ele é como é e aprender a lidar com isso da melhor forma possível, escolhendo com propriedade a melhor forma de cuidar dos nossos fios.

O cabelo é composto basicamente pela proteína queratina, que está presente numa concentração de aproximadamente 95%, além de água, minerais e outras substâncias. O cabelo é formado a partir dos folículos pilosos, que são invaginações da camada mais externa de nossa pele, a epiderme.

Acoplados ao folículo estão o músculo piloeretor, que têm a função de arrepiar os pelos e cabelos em situações em que a pele necessita de proteção, como em um ambiente frio; glândulas sebáceas, que excretam sebo para proteção e lubrificação da pele e couro cabeludo, e glândulas sudoríparas, que excretam o suor para regular a temperatura corporal. Tudo isso neste minúsculo duto por onde o cabelo nasce e cresce.

Na parte mais profunda do folículo piloso encontra-se a fábrica de cabelos, a matriz. Na matriz, alimentadas por capilares sanguíneos, as células que formarão o cabelo se multiplicam a todo o vapor, dentre elas células que fabricam principalmente queratina, que dará a estrutura do fio. E outras, os melanócitos, que fabricam principalmente a melanina, que dará a coloração natural do cabelo.

Nesta fase, o cabelo ainda tem a consistência de uma geleia até que, em determinado momento, avançando em direção à abertura do couro cabeludo, mas ainda no interior do folículo piloso, as células comprimem-se entre si queratinizando-se, adotando a consistência do cabelo totalmente pronto e assumindo suas características organizacionais e comportamentais

A partir deste ponto, as células antes vivas e em atividade, desidratam-se e morrem e o que permanece são somente suas carcaças recheadas de queratina. Com isso, o fio de cabelo já possui suas principais subdivisões: a cutícula, o córtex e a medula. A cutícula, parte mais externa do fio, é formada por células queratinizadas de alto grau de resistência e dureza, tendo a função de proteger o córtex dos agentes externos como o sol, vento, atrito, calor, etc.. Estas células ficam sobrepostas umas sobre as outras, de forma muito semelhante com escamas de peixe, tendo entre três e oito camadas de células envolvendo cada fio de cabelo. Por estarem dispostas em escamas, as cutículas proporcionam à estrutura do cabelo alta flexibilidade nos movimentos do fio.

O sentido ao qual estão dispostas as escamas parte do couro cabeludo às pontas dos fios, ou seja, a abertura das cutículas está disposta na direção das pontas dos fios. É por isso que não é recomendado fazer qualquer movimento que não seja neste sentido, podendo ter como resultado disso a abertura e danificação desta importante estrutura, expondo o interior do fio deixando-o mais vulnerável.

Foto: Pixabay

Helainy de Araújo Devos

Consultora de produtos capilares

www.saudecapilar.vip

contato@saudecapilar.vip

Categorias
Colunas Helainy Araujo | Saúde Capilar

Como cuidar dos cabelos na menopausa?

A menopausa traz muitas mudanças na vida mulher. Vamos entender como cuidar das madeixas, bem como do seu couro cabeludo. Ambos sofrem muito nesse período.

O seu couro cabeludo está ligado à sua produção de hormônios. Portanto, ele irá sentir a confusão hormonal que está acontecendo em você. Por conta da produção de hormônios estar sendo afetada, os fios capilares param de receber os nutrientes na medida certa. E,  por mais temível que isto possa parecer, os fios brancos aparecem por conta da produção hormonal. A melanina dá cor à pele e aos pelos, e sim, ela é afetada pela menopausa! Portanto, é normal seu cabelo ficar grisalho.

Como as pessoas não são todas iguais, os produtos indicados para diminuir os sintomas da menopausa no seu cabelo e couro cabeludo devem ser específicos “para você”, pois alguns produtos que são bons para alguém podem não funcionar para você, podendo até piorar a situação do seu cabelo.

O correto é ter calma e buscar informações precisas sobre qual produto seria bom para você.

Buscar vitaminas nesta fase é algo muito importante. A “fabricação” de nutrientes do seu corpo está sendo afetada durante a menopausa, o que significa que você precisa de vitaminas e minerais para que ela se estabilize. As vitaminas indicadas são a A, B, C e E, que podem ser consumidas em cápsulas ou, melhor ainda, em alimentos saudáveis!

A vitamina A, conhecida também como retinol, é essencial para a produção de colágeno, para o crescimento e outros fatores. Ela também traz benefícios `a pele, e claro, para o seu cabelo;

As vitaminas do complexo B: B1, B2, B3 etc. são importantes para regular o gasto de energia do corpo, dar proteínas ao corpo e para a produção de anticorpos;

A vitamina C combate o envelhecimento natural da pele. Isso ocorre por conta do colágeno que ela produz;

Por fim, a vitamina E age como um antioxidante e é de grande ajuda na produção hormonal, justamente o ponto que é afetado na menopausa.

Lembre-se: o seu cabelo está “indefeso” nesse período. Você tem que ajudá-lo defendendo-o de determinados ambientes. O cloro da piscina, o sal marinho e até mesmo a exposição à luz solar atingem seus cabelos de forma mais agressiva durante a menopausa. A radiação ultravioleta, ou mesmo o calor, podem interferir em toda a química do seu cabelo.

A verdade é que eventuais danos podem ser amenizados com uso de leave-ins que contenham filtro solar e proteção contra o cloro e água do mar. Tais produtos permitem que você não abra mão de aproveitar o sol, o mar e a piscina, e, ao mesmo tempo, proteja seus fios.

Foto: Pixabay

HELAINY ARAUJO DEVOS

Consultora de produtos capilares

www.saudecapilar.vip

contato@saudecapilar.vip