Categorias
Marynês Meirelles | Direto ao Ponto Notícias Notícias do Jornal

Direto ao ponto: Mostrar ou Amostrar?

Clarinha sempre foi muito exigente com os seus funcionários. Sua loja de roupas fica em um shopping muito elegante, atendendo uma clientela exigente. Por isso, sempre pede que todos tenham muito cuidado ao oferecerem algum produto.

Fernanda, uma funcionária, recebeu a Sra. Vera, cliente antiga, e disse:

-Chegou um vestido lindo!! É perfeito para a senhora. Venha, vou lhe amostrar!

Clarinha olhou para Fernanda com os olhos arregalados. Tantas vezes pediu para não cometerem erros de português. Tentou consertar:

-Fernanda, deixa que eu vou mostrar o vestido para ela.

Vera percebeu o olhar de Clarinha e entendeu o recado. E disse:

– Não se preocupe, Clarinha. As duas formas estão corretas. Mostrar e amostrar têm o mesmo significado.

Direto ao ponto:

Correto: Eu vou mostrar onde fica a casa dele.

Eu vou amostrar onde fica a casa dele.

As duas palavras estão corretas. Podemos utilizar os verbos sempre que nos referirmos ao ato de apresentar, exibir, indicar, revelar. O verbo mostrar é tido como o mais correto e socialmente aceito, sendo o mais utilizado. O verbo amostrar, embora com um uso mais popular, aparece em dicionários como sendo o mesmo que mostrar.

 

Marynês Meirelles
Pedagoga e professora de Língua Portuguesa. Pós-graduada em Educação Infantil e com MBA em Responsabilidade Social (UFF) e Gestão Ambiental (UGF). Mestra na área de saúde e Meio Ambiente (UNIPLI). È sócia proprietária da Essencial Creche Escola na Barra da Tijuca. Trabalha como produtora cultural do programa Sábado é Show na Rádio Bandeirantes onde tem o quadro “Toque Show”, dando dicas da Língua portuguesa.

Categorias
Diário do Rio Marynês Meirelles | Direto ao Ponto Notícias do Jornal

Direto ao ponto: Eminente ou Iminente?

Certo dia, enquanto aguardava a minha hora na sala de espera do dentista, engatei uma prosa com um rapaz, estudante de engenharia, que está estagiando em uma empresa de contenção de encostas.

Perguntei se não seria interessante haver uma campanha de sensibilização e conscientização em relação ao desmatamento incontrolável nas nossas encostas. Da janela do meu apartamento presencio, diariamente, a invasão da mata do Alto da Boa Vista.

Ele me disse:

– O risco é eminente. As pessoas precisam se conscientizar sobre este perigo! A campanha seria uma ótima ideia!

Não consegui me conter. Disse:

– É… O risco é iminente. Iminente!

No que ele respondeu.:

– Foi o que eu disse!

– É… IMINENTE!!!

Direto ao ponto

Errado: O risco de deslizamento é eminente.

Correto: O risco de deslizamento é iminente.

A palavra EMINENTE é um adjetivo que significa alguém ou alguma coisa excelente, notável, sublime, que se destaca dos outros. A palavra IMINENTE é um adjetivo que significa algo que está prestes a acontecer.

Marynês Meirelles
Pedagoga e professora de Língua Portuguesa. Pós-graduada em Educação Infantil e com MBA em Responsabilidade Social (UFF) e Gestão Ambiental (UGF). Mestra na área de saúde e Meio Ambiente (UNIPLI). È sócia proprietária da Essencial Creche Escola na Barra da Tijuca. Trabalha como produtora cultural do programa Sábado é Show na Rádio Bandeirantes onde tem o quadro “Toque Show”, dando dicas da Língua portuguesa.

Categorias
Marynês Meirelles | Direto ao Ponto Notícias do Jornal

Onde ou Aonde?

Uma dúvida muito frequente está relacionada ao uso das palavras onde e aonde. O questionamento surgiu em uma escola. As professoras estavam discutindo sobre um bilhete enviado por uma mãe que dizia: “Não sei aonde Cátia colocou a agenda. Desculpe”.

A professora Filipa perguntou à Joana, professora de português:

– Está correto dizer aonde? Não seria onde? Sempre me confundo!

Joana respondeu:

– Por que você acha que está errado?

– Porque ela referiu-se a um local físico, argumentou Filipa.

– Mas as duas palavras referem-se a locais físicos, disse Joana.

– Esta é a razão. Não sei quando usar uma ou outra.

– Então vamos tentar acabar com esta dúvida. Uma indica movimento e a outra não. Aonde pede uma preposição, por causa da regência verbal. Dica fácil: tente substituir onde por “em que.” Você não errará mais!

DIRETO AO PONTO

 Errado: Não sei aonde coloquei a agenda.

Correto: Não sei onde (em que lugar) coloquei a agenda.

Dica: você só deve usar “aonde” para referenciar locais físicos e com verbos que pedem a preposição “a” ou verbos que indicam movimento. Também é bom substituir por outra expressão. Exemplos:

“Onde” pode ser substituído por “em que”

“Aonde” pode ser substituído por “a que” ou “ao qual”.

A casa onde ele mora fica na rua do supermercado. “A casa em que ele mora fica na rua do supermercado”.

“O hotel aonde eu fui não tinha internet”. “O hotel ao qual eu fui não tinha internet”.

Marynês Meirelles
Pedagoga e professora de Língua Portuguesa. Pós-graduada  em Educação Infantil  e com MBA em Responsabilidade Social (UFF) e Gestão Ambiental (UGF). Mestra na área de saúde e Meio Ambiente (UNIPLI). È sócia proprietária da Essencial Creche Escola na Barra da Tijuca. Trabalha como produtora cultural do programa Sábado é Show na Rádio Bandeirantes onde tem o quadro “Toque Show”, dando dicas da Língua portuguesa.

Categorias
Diário do Rio Marynês Meirelles | Direto ao Ponto Notícias Notícias do Jornal

Direto ao ponto: entubado ou intubado?

Ana Paula assistia ao jornal na televisão quando leu a legenda: “Após 15 dias de intubação, Sílvia acaba de retornar para a sua casa.”

Veio a dúvida na mesma hora. Intubar ou entubar? A todo momento escutamos e lemos esta notícia várias vezes ao dia e esta dúvida ficou na sua cabeça. Sempre achou que o correto seria entubar.

Perguntou à seu irmão Tobias, que é um craque nestas questões e ele respondeu:

– As duas formas estão corretas, porém intubar, com i, é mais utilizado na medicina.

– Explicado. Valem as duas formas. Mas, qual é a diferença? Quando usar uma ou outra?

Direto ao ponto

O dicionário registra as duas palavras:

  • Entubar = dar forma de tubo.
  • Intubar = introduzir um tubo; introduzir uma cânula na traqueia. É esse o verbo usado na medicina.

No Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, no sentido usado em medicina, intubar significa introduzir um tubo em uma cavidade. Ex: O médico intubou o paciente. O mesmo dicionário reserva entubar para “dar feição de tubo”.

Marynês Meirelles
Pedagoga e professora de Língua Portuguesa. Pós graduada  em Educação Infantil  e com MBA em Responsabilidade Social (UFF) e Gestão Ambiental (UGF). Mestra na área de saúde e Meio Ambiente (UNIPLI). É sócia proprietária da Essencial Creche Escola na Barra da Tijuca. Trabalha como produtora cultural do programa Sábado é Show na Rádio Bandeirantes onde tem o quadro “Toque Show”, dando dicas da Língua Portuguesa.

Categorias
Marynês Meirelles | Direto ao Ponto Notícias do Jornal

DIRETO AO PONTO: eminente x iminente

                    

Mariana e Joaquim acompanhavam o noticiário da televisão quando a repórter leu o depoimento de um político com alto cargo em nosso país.  O político escreveu:

“O início da vacinação em nosso país tornou-se eminente! A cada dia os casos aumentam e os hospitais não conseguem atender a todos os pacientes”.

Mariana comentou com Joaquim:

– Será que este político foi capaz de dizer isto? A vacinação tornou-se eminente??? Será que ele sabe o que quer dizer eminente? A vacinação é ilustre?

Joaquim tentou explicar:

– Certamente ele não escreveu desta forma.  Deve ter havido um erro de digitação! Seria iminente?

– Sim, retrucou Mariana. Apenas uma letrinha muda totalmente o significado da palavra!

 

DIRETO AO PONTO

Errado: O início da vacinação é eminente.

Certo: O início da vacinação é iminente.

 

EMINENTE – O significado está relacionado a algo ou alguém “importante” ou “superior”. A palavra funciona como um adjetivo.

IMINENTE – Significa algo “imediato”, “próximo”. que está prestes a acontecer.. O termo também funciona como um adjetivo que qualifica as situações com risco imediato de se concretizar.

 

MARYNÊS MEIRELLES

Pedagoga e professora de Língua Portuguesa. Pós graduada  em Educação Infantil  e com MBA em Responsabilidade Social (UFF) e Gestão Ambiental (UGF). Mestra na área de saúde e Meio Ambiente (UNIPLI). È sócia proprietária da Essencial Creche Escola na Barra da Tijuca. Trabalha como produtora cultural do programa Sábado é Show na Rádio Bandeirantes onde tem o quadro “Toque Show”, dando dicas da Língua portuguesa.

Categorias
Colunas Marynês Meirelles | Direto ao Ponto

Guardiãos x Guardiões

Felipe dirigia tranquilamente para o trabalho enquanto escutava atentamente as notícias pelo rádio. A última notícia era sobre a abertura dos parques da sua cidade. O repórter entrevistava um profissional do parque “Lírio da Paz”.

-Estou aqui com um dos guardiãos do parque “Lírio da Paz”, Sr. Osvaldo. Sua função é proteger e cuidar do parque agora que está voltando a funcionar. O senhor acha que os guardiãos que trabalham nos parques estão prontos para receber a população?

O guardião respondeu:

– Sim. Todos os guardiões dos parques da cidade foram treinados para atender a todas as famílias dentro dos padõres necessários para este momento. Mas, desculpe a minha humilde pergunta, não seriam guardiões?

O repórter falou:

– Não foi o que eu disse? Sim, guardiões. Obrigada pela entrevista, Sr. Osvaldo.

E deu por terminada a entrevista.

Felipe decidiu que iria ao parque “Lírio da Paz” no próximo fim de semana só para conhecer o Sr. Osvaldo.

 

DIRETO AO PONTO

Errado: .Eles são  guardiãos do parque.

Correto:  Eles são os guardiões do parque.

 

O plural de guardião pode ser guardiões ou guardiães.

A grafia guardiãos está errada e não existe no dicionário de língua portuguesa.

Marynês Meirelles é pedagoga e professora de Língua Portuguesa. Pós graduada  em Educação Infantil  e com MBA em Responsabilidade Social (UFF) e Gestão Ambiental (UGF). Mestra na área de saúde e Meio Ambiente (UNIPLI). È sócia proprietária da Essencial Creche Escola na Barra da Tijuca. Trabalha como produtora cultural do programa Sábado é Show na Rádio Bandeirantes onde tem o quadro “Toque Show”, dando dicas da Língua portuguesa.

Categorias
Marynês Meirelles | Direto ao Ponto

Projeto ‘Em Tempos de Lives…’

Neste projeto ‘Em Tempos de Lives…’ trarei alguns deslizes que têm sido muito comuns neste período. As lives tornaram-se ferramentas muito utilizadas e atingem o público de uma forma muito simples, rápida e prática. São lives que nos trazem novos conhecimentos ou oportunidades de presenciarmos bate-papos agradáveis, conhecermos outras pessoas, enfim, estreitarmos laços.

Mas, por acontecerem “ao vivo”, as pessoas deveriam tomar alguns cuidados em relação ao nosso Português, mais especificamente, à língua portuguesa. E, para piorar, as lives ainda ficam gravadas, sendo acessadas durante um bom tempo.

Nesta manhã, escutei em uma live sobre harmonização de ambientes a seguinte frase:

─ Você concorda que o seu vídeo SEJE divulgado?

Um vídeo que será divulgado para um número enorme de pessoas e o tal “seje” estará lá!

Portanto, segue aqui o correto:

─ Você concorda que o seu vídeo SEJA divulgado?

Observação: baseado em fatos reais.

DIRETO AO PONTO

Errado: Eu torço para que ele seje feliz!
Correto: Eu torço para que ele seja feliz!

De acordo com o vocabulário ortográfico da língua portuguesa, a palavra ‘seje’, terminada com a letra ‘e’, não existe. Seja é um vocábulo gramaticalmente classificado como verbo. Trata-se do verbo ser, conjugado na 3ª pessoa do singular dos modos subjuntivo e imperativo.

Categorias
Marynês Meirelles | Direto ao Ponto

Microondas x micro-ondas

Beatriz Fonseca, nutricionista, neste período de pandemia tem publicado em seu blog muitas receitas práticas e muito gostosas. Receitas que levam poucos ingredientes, rápidas de preparar e que podem contar com a ajuda de crianças. Sua filha Júlia, que está com 12 anos, adora cozinhar e é participante assídua destes momentos de culinária.

Lendo uma das receitas, Julia percebeu que a palavra microondas estava escrita sem hífen. Corrigiu sua mãe:

─ Mãe, microondas não é escrito desta forma. Você precisa corrigir. Muitas pessoas leem o seu blog.

─ Como assim? Sempre escrevi desta forma e ninguém nunca reclamou, disse Beatriz.

─ Mãe, houve algumas alterações na utilização do hífen e esta é uma delas. O correto é micro-ondas. Deixa que eu corrijo.

Direto ao ponto

Errado: colocar no microondas por cinco minutos.
Correto: colocar no micro-ondas por cinco minutos.

Na nova ortografia, usa-se o hífen quando o primeiro elemento (prefixo) termina com a mesma vogal com que começa o segundo elemento: micro-ondas, micro-ônibus, micro-organismo, para-atleta, auto-observação, semi-interno, multi-instrumentista.

Exceção: prefixo ‘co’, geralmente aglutina-se com o segundo elemento iniciado por ‘o’. Exemplos: coobrigação, cooperação, coordenação, etc.

Categorias
Marynês Meirelles | Direto ao Ponto

Chego x chegado

Reunião de início de ano na escola de Joaquim. Os responsáveis sentados na sala de reunião aguardando a chegada de um pai que estava estacionando o automóvel. A diretora aguarda para apresentar a equipe. Esbaforido, entra o responsável na sala:

─ Desculpe!Eu tinha chego antes, mas encontrei um amigo e acabei me atrasando!

Olhares trocados! A diretora respira fundo, disfarça e, antes de iniciar a apresentação, diz:

─ Bom dia! Eu vi que você tinha chegado mais cedo, por isso achei melhor esperar um pouquinho.

O pai dá um sorriso meio sem jeito, senta-se e a diretora inicia a reunião.

Direto ao Ponto

Errado: Eu tinha CHEGO antes do horário da reunião.

Correto: Eu tinha CHEGADO antes do horário da reunião.

O particípio do verbo chegar não aceita duas formas, isto é, chegar não é um verbo abundante. A única forma correta, neste caso, é ‘chegado’.

Categorias
Marynês Meirelles | Direto ao Ponto

Corona vírus x corona-vírus x coronavírus

Em tempos de pandemia, Carlinhos e Antônia acompanham as notícias e assistem aos programas jornalísticos em diversas emissoras, mudando o canal da tevê constantemente. O controle remoto é o objeto mais disputado. Em tempo de covid-19, não há assunto mais comentado na televisão. Os números da pandemia são divulgados a todo instante. E a audiência sobe a cada momento!

Em uma determinada emissora, Carlinhos verificou que a palavra corona-vírus aparecia escrita de forma separada e com hífen. Em outra, percebeu que estava escrita junta, sem acento.

Carlinhos perguntou para Antônia:

─ Como se escreve esta palavra? Qual emissora está utilizando a palavra de forma correta?

Antônia respondeu:

─ Nenhuma das duas. É uma palavra nova para o nosso vocabulário. Mas, de acordo com as nossas regras gramaticais, o correto é coronavírus, tudo junto, com acento. Precisamos avisá-los! Estão enganados…

Direto ao ponto

Errado: Juntos venceremos a batalha contra o corona-vírus! Juntos venceremos a batalha contra o corona vírus!

Correto: Juntos venceremos a batalha contra o coronavírus!

Na palavra ‘coronavírus’, a sílaba mais forte é a penúltima, ‘ví’. É uma palavra paroxítona terminada em ‘u’ (seguida ou não de ‘s’) e, portanto, segundo a regra gramatical, é acentuada. É exatamente esse o caso de coronavírus.

Outros exemplos: bônus, Vênus.