Categorias
Destaque Diário do Rio Educação Notícias Rio

Matrícula na Rede Ceja pode ser feita de forma on-line a qualquer hora

Seguem abertas, em todo o Estado do Rio de Janeiro, as matrículas para novos alunos que desejam ingressar na Rede Ceja – Centro de Educação de Jovens e Adultos, informou nesta terça (22) o governo estadual.

Os Cejas são escolas da rede estadual de ensino administradas pela Fundação Cecierj e voltadas para quem está fora da idade escolar e deseja concluir os ensinos Fundamental e Médio. O processo continua totalmente on-line e pode ser feito a qualquer momento.

Primeiro, é preciso fazer a pré-matrícula, que deve ser feita no site https://sca.cecierj.edu.br/scc/prealuno/preMatricula/. Depois, é necessário encaminhar um e-mail para a escola onde o aluno deseja estudar anexando os documentos exigidos (a lista completa está disponível em https://www.cecierj.edu.br/rede-ceja/escolas). É nesta segunda etapa também que os interessados devem informar o uso de nome social. A Fundação Cecierj é vinculada à Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Para se tornar aluno do Ensino Fundamental é necessário ter pelo menos 15 anos; e, para o Ensino Médio, mais de 18 anos.

Diferente das escolas tradicionais, onde existem aulas presenciais, o estudante matriculado no Ceja estuda de acordo com sua disponibilidade por meio de plataforma on-line adequada para o ensino semipresencial. O aluno conta sempre com o apoio de professores no estudo das diferentes disciplinas, e o material didático é disponibilizado gratuitamente, em sistema de empréstimo, na escola ou no ambiente virtual de aprendizagem.

Categorias
Destaque Diário do Rio Educação Notícias Rio

Mais 20 escolas municipais do Rio retomam o ensino presencial nesta terça-feira

A partir desta terça-feira (22), mais 20 escolas municipais retomam o ensino presencial, informou a prefeitura do Rio de Janeiro. [Confira a lista abaixo]

A Secretaria Municipal de Educação informa que estas unidades escolares receberam as adequações necessárias para o cumprimento dos protocolos sanitários para o enfrentamento da Covid-19. Com isso, já serão 1.502 unidades municipais e mais de oito mil alunos com aulas aplicadas diretamente pelos professores, para estudantes de toda a rede, desde o berçário até o Ensino de Jovens e Adultos (EJA), incluindo as classes especiais.

Nesta nova etapa da retomada, 97% da rede municipal de ensino estará funcionando com atividades presenciais, diz a prefeitura.

O ensino presencial é opcional, ficando a decisão de comparecer  a cargo de alunos, pais e responsáveis. Quem preferir, pode continuar no modo remoto de estudo em suas diversas possibilidades.

A prefeitura informa que, para garantir as melhores condições de trabalho a toda a comunidade escolar, a Rede Municipal de Ensino segue um rigoroso protocolo sanitário.

É considerada apta ao retorno das aulas presenciais a unidade escolar que estiver adequada aos itens do checklist sobre insumos e instalações, que estabelece pontos diversos como instalações de dispensadores de álcool 70º em gel no prédio ou funcionário aplicando álcool 70º na mão dos alunos, além de bebedouros adaptados com torneira para enchimento de copos e garrafas. Recentemente, as unidades escolares municipais receberam R$ 18,1 milhões em verba para fazer ajustes e pequenos reparos.

No início do ano, a SME recebeu e distribuiu 800 mil máscaras descartáveis. Além disso, em maio foram adquiridas 336 mil máscaras PFF2. Cada profissional da educação, de merendeira a professor, recebeu seis máscaras deste modelo, que é considerado por especialistas como um dos mais eficientes na proteção individual.

Retorno é facultativo

O aluno que optar em não ir à escola seguirá estudando por meio do ensino remoto. Desde o início do ano letivo, no dia 8 de fevreiro, os estudantes da rede municipal podem conferir as videoaulas elaboradas e apresentadas por professores da rede municipal. O Rioeduca na TV vai ao ar pelo sinal aberto da TV Escola (canal 2.3) e também pela TV fechada: NET/Claro (canal 15), Claro TV (canal 8), Oi TV (canal 25), Sky (canal 21) e Vivo (canal 7). As videoaulas do Rioeduca na TV também ficam disponíveis no canal da MultiRio no Youtube. Além disso, no Portal MultiRio, uma área especial reúne informações sobre o Rioeduca na TV, como a programação, e conteúdos relacionados.

Dados de internet para os alunos

A SME disponibiliza ainda o aplicativo Rioeduca em casa, que pode ser baixado nos smartphones dos estudantes e responsáveis, disponível para IOS e Android. O acesso é gratuito, porque a Prefeitura está pagando pelos dados de internet para os alunos. Estudantes que não têm equipamentos para acessar a internet ou morem em áreas sem cobertura, recebem material didático extra impresso e, frequentemente, vão às escolas deixar as atividades didáticas. Em caso de dúvida, ela será esclarecida na próxima vez em que o aluno for à escola.

Confira a lista das 20 escolas que retornam ao ensino presencial

  • EM Epitácio Pessoa – Andaraí
  • CM Winnie Mandela – Morro do Andaraí
  • EM Leonidas Sobrinho Porto – Bangu
  • EM Henrique de Magalhães – Bangu
  • EM Marieta da Cunha da Silva – Bangu
  • CM Nova Aliança – Bangu
  • CM Vila Kennedy – Bangu
  • EDI República Árabe Unida – Bangu
  • EM Maria Montessori – Campo Grande
  • EM Professor Fábio César Pacífico – Campo Grande
  • EM Roma – Copacabana
  • EM Presidente Antônio Carlos – Cosmos
  • EM Jornalista Orlando Dantas – Ilha do Governador
  • EM Sebastião de Lacerda – Irajá
  • EM Senador Corrêa – Laranjeiras
  • EM Benedito Ottoni – Maracanã
  • EDI Barbara Ottoni – Maracanã
  • EDI Sargento Jorge Faleiro Souza – Olaria
  • EM Ministro Afrânio Costa – Penha Circular
  • EM Presidente Roosevelt – Realengo
Categorias
Destaque Diário do Rio Educação Notícias Rio

Ensino híbrido retorna em 43 municípios do RJ nesta segunda-feira

Escolas estaduais de 43 municípios fluminenses terão nesta semana, de 21 a 25 de junho, aulas no modelo de ensino híbrido (presencial e remoto), informou o governo do Rio de Janeiro. Na capital, 259 unidades escolares têm autorização para o retorno.

As demais cidades são: Niterói, São Gonçalo, Duque de Caxias, Araruama, Areal, Armação de Búzios, Arraial do Cabo, Barra Mansa, Belford Roxo, Cabo Frio, Carmo, Comendador Levy Gasparian, Conceição de Macabu, Engenheiro Paulo de Frontin, Guapimirim, Itaboraí, Itaguaí, Japeri, Macaé, Magé, Mangaratiba, Maricá, Mendes, Nilópolis, Nova Friburgo, Nova Iguaçu, Paracambi, Paraíba do Sul, Petrópolis, Pinheiral, Quissamã, Resende, Rio Bonito, Rio das Ostras, Santa Maria Madalena, São João de Meriti, São Sebastião do Alto, Saquarema, Tanguá, Três Rios, Vassouras e Volta Redonda.

Nesses casos, as unidades escolares poderão oferecer atividades pedagógicas presenciais, conforme prevê a Resolução nº 5.930, publicada em Diário Oficial no dia 23 de abril, que estabeleceu protocolos e orientações complementares para o atendimento nas unidades escolares públicas e privadas do sistema estadual de ensino. Caberá aos responsáveis, ou alunos maiores de idade desses municípios, a opção pelo retorno presencial ou a permanência somente no ensino remoto.

As escolas deverão realizar as adequações necessárias ao seu plano de ação em vigor, de acordo com o planejamento alternativo previamente elaborado pelo estabelecimento de ensino. Caberá às direções a organização das atividades presenciais, observando a sua realidade, considerando o projeto pedagógico da unidade escolar, os docentes disponíveis, o distanciamento social e os protocolos sanitários.

As unidades das demais 49 cidades permanecerão com ensino exclusivamente remoto e funcionarão apenas para atividades administrativas, como a retirada de material pedagógico e do kit alimentação, além de entrega de documentos e matrícula de alunos.

De acordo com o documento, em caso de bandeiras vermelha e roxa, as unidades escolares da rede pública estadual funcionarão apenas para atividades administrativas, como a retirada de material pedagógico e do kit alimentação, além de entrega de documentos e matrícula de alunos. As aulas, nesses casos, acontecerão somente de forma remota.

Já a partir das bandeiras de risco laranja, amarela e verde, as escolas estaduais poderão desenvolver atividades pedagógicas com os estudantes que tenham interesse em frequentar aulas presenciais, mediante a capacidade física da unidade, em sistema de rodízio, respeitando as normas de distanciamento. Também deverá ser observado o seguinte percentual diário de funcionamento:

I – Ensino Fundamental:

  1. De até 50% (cinquenta por cento) da capacidade de atendimento da unidade escolar, no caso de bandeira laranja;
  1. De até 75% (setenta e cinco por cento) da capacidade de atendimento da unidade escolar, no caso de bandeira amarela;
  1. De até 100% (cem por cento) da capacidade de atendimento da unidade escolar, no caso de bandeira verde.

II – Ensino Médio:

  1. De até 40% (quarenta por cento) da capacidade de atendimento da unidade escolar, no caso de bandeira laranja;
  1. De até 60% (sessenta por cento) da capacidade de atendimento da unidade escolar, no caso de bandeira amarela;
  1. De até 100% (cem por cento) da capacidade de atendimento da unidade escolar, no caso de bandeira verde.

Rede privada

As escolas particulares, vinculadas ao sistema estadual de Educação, deverão funcionar seguindo as normativas dos municípios em que estão localizadas, em respeito à autonomia federativa dos entes municipais para fins de instituir protocolos que visem evitar a propagação da Covid-19, conforme entendimento do Supremo Tribunal Federal. Caberá às autoridades de saúde e de Vigilância Sanitária municipais fazer o acompanhamento e a fiscalização do cumprimento dos protocolos sanitários.

Categorias
Destaque Educação Notícias Rio

Rio: Educação de jovens e adultos está com matrículas abertas

A Gerência de Educação de Jovens e Adultos (GEJA) da Secretaria Municipal de Educação abriu inscrições para matrícula jovens e adultos nas unidades escolares com a modalidade EJA no município do Rio de Janeiro.

As matrículas estão abertas durante todo o ano e a estrutura da EJA Rio, segundo a prefeitura, é organizada de forma a receber esse estudante sem nenhum prejuízo pedagógico decorrente do ano letivo já iniciado. Em sua estrutura, o tempo de ingresso é considerado no desenvolvimento do trabalho pedagógico.

As matrículas na EJA Rio são destinadas a jovens, a partir dos 15 anos de idade completos, a adultos e idosos, sem limite de idade.

Para se matricular, é necessário procurar uma unidade escolar da rede mais próxima e que atenda à EJA, levando a sua documentação:

· RG (identidade) – cópia
· CPF – cópia
· Certidão de nascimento ou casamento – cópia
· Comprovante de residência – cópia
· 1 Foto 3×4 (atual)
· Histórico escolar – original (caso já tenha estudado e não possua o histórico, a declaração escolar original poderá ser apresentada até que seja providenciado o histórico)

Em caso de dúvidas ou se tiver dificuldade em localizar uma escola, basta entrar em contato com a Gerência de Educação de Jovens e Adultos e obter informações por meio dos telefones (21) 2976-2307 / 2976-2292 / 2273-8941.

A prefeitura informou que o EJA Rio realiza a divulgação da Chamada Pública durante o ano inteiro através de cartazes nos CRAS e CREAS; em estações do MetrôRio, da Supervia, do BRT e VLT (MUB digital), por meio de parcerias; e nas redes sociais da própria GEJA.

Semanalmente, no Instagram (@ejariosme) e Facebook (fb.com/ejariosme) são publicadas relações de escolas dessa rede municipal de ensino, por Coordenadoria Regional de Educação (CRE) e por bairros, que atendem à EJA Rio nos turnos da noite, tarde e manhã, na metodologia presencial (4 horas diárias de aula), ou nas metodologias semipresencial (2 horas diárias de aula) e EaD, nas Escolas Exclusivas de EJA (CREJA, CEJA Maré e CEJA Acari).

Categorias
Brasil Destaque Diário do Rio Educação Notícias Rio

Enem Digital 2021 terá recursos de acessibilidade

Da Agência Brasil

A versão digital do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 terá recursos de acessibilidade inéditos como prova ampliada, superampliada e com contraste, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Ao todo, serão 101.100 vagas para o Enem Digital. Essa versão do exame será exclusiva para quem já concluiu o ensino médio ou que está concluindo a etapa em 2021.

Entre os perfis de participantes que podem solicitar os atendimentos estão: pessoas com baixa visão, cegueira, visão monocular, deficiência física, deficiência auditiva, surdez, deficiência intelectual, surdocegueira, dislexia, deficit de atenção, transtorno do espectro autista, discalculia, gestantes, lactantes, idosos, além de pessoas com outra condição específica.

Segundo o Inep, também será permitido que os inscritos usem materiais próprios que auxiliem na realização da prova no computador, como máquina de escrever em braile, caneta de ponta grossa, óculos especiais, tábuas de apoio, multiplano e plano inclinado.

Tradutor-intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras), tempo adicional e salas acessíveis estão previstos no edital. Cão-guia, medidor de glicose, bomba de insulina, além de aparelhos auditivos ou implantes cocleares também serão permitidos no Enem Digital 2021.

O Inep esclarece que os participantes que precisam de recurso de acessibilidade diferente dos previstos no edital do exame digital terão o atendimento assegurado na versão impressa do exame.

O período de inscrições do Enem 2021, incluindo o prazo para solicitar atendimento especializado, começa no dia 30 de junho e vai até 14 de julho. Os procedimentos deverão ser realizados por meio da Página do Participante. Tanto a versão digital quanto a impressa desta edição serão aplicadas nos dias 21 e 28 de novembro, além de contarem com provas de itens iguais.

Enem Digital foi aplicado pela primeira vez na edição de 2020. O objetivo é que o exame seja completamente digital até 2026. Ao todo, 93 mil candidatos se inscreveram para fazer as provas por computador. Cerca de 30 mil candidatos fizeram o exame.

Categorias
Brasil Destaque Educação Notícias

Cartilha orienta gestores em ações de enfrentamento à exclusão escolar

Da Agência Brasil

Entidades elaboraram a cartilha “Todos na Escola – Ações para promover a (re)inserção e a permanência de crianças e adolescentes no ambiente escolar”, com o objetivo de orientar os gestores públicos no planejamento das estratégias de enfrentamento da exclusão escolar, deixando-as mais estruturadas e resolutivas, além de reforçar a importância da implementação da busca ativa escolar de estudantes em todo o país.

» A cartilha Todos na Escola pode ser encontrada aqui.

» O livreto com versão resumida pode ser acessado aqui.

A cartilha é uma realização do Instituto Rui Barbosa, por meio do seu Comitê Técnico da Educação (CTE-IRB), do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), em parceria com o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e a Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon).

Segundo o presidente do CTE-IRB, Cezar Miola, as diretrizes gerais contidas na publicação podem ser adaptadas de acordo com as especificidades locais dos municípios. “O levantamento sobre a estrutura institucional disponível no território, a definição da atribuição de cada agente da rede de proteção e a interlocução entre os diversos atores intersetoriais são algumas das questões trazidas pela publicação e que são fundamentais para planejar ações nessa área”, disse.

Dividida em 13 capítulos, a cartilha orienta sobre a adesão à estratégia de Busca Ativa Escolar (BAE), a necessidade de ações intersetoriais, o papel de cada profissional no processo de busca dos estudantes e a elaboração de diagnósticos e de planos de ação, entre outros.

A publicação traz os principais objetivos da busca ativa escolar, que incluem identificar crianças e adolescentes fora da escola ou em risco de evasão, possibilidade de encaminhamento adequado para rede de proteção, promover trabalho intersetorial dos agentes públicos no combate à exclusão escolar, além de apresentar estratégias e guias que podem ser utilizados como base de trabalho.

“A pandemia agravou ainda mais as desigualdades. Em novembro de 2020, mais de 5 milhões de crianças e adolescentes não tiveram acesso à educação no Brasil, afetando principalmente aquelas dos anos iniciais do ensino fundamental. Por isso, é essencial continuar com os esforços de busca ativa, indo atrás de cada menino e menina que se encontra fora da escola, para trazê-los de volta e garantir que possam seguir estudando”, avaliou Ítalo Dutra, chefe de Educação do UNICEF no Brasil.

Categorias
Destaque Diário do Rio Educação Notícias Rio

Colégio Pedro II, no Rio, anuncia que pode fechar em setembro por falta de verba

Da Agência Brasil

O Colégio Pedro II (CPII), no Rio de Janeiro, que integra a rede federal de ensino, informou que a instituição terá dificuldades para manter suas atividades a partir de setembro, devido ao bloqueio de mais de R$ 7 milhões no orçamento destinado às despesas de manutenção. Em nota, o colégio disse que o bloqueio impede que a instituição cumpra os compromissos já assumidos e pode afetar o ano letivo.

“O colégio teve uma redução de, aproximadamente, 3,5% em seu orçamento de custeio, que tinha previsão de R$ 40.710.407 e caiu para R$ 39.313.375, com a aprovação da Lei Orçamentária Anual (LOA). Após o corte, o MEC ainda anunciou um bloqueio de 18,13% do orçamento de custeio, que representa R$ 7.128.795 do valor destinado ao pagamento de serviços continuados, como limpeza e vigilância, contas de água, luz, telefone e internet, compra de materiais de consumo e realização de obras de conservação”, afirmou a reitoria.

A instituição disse ainda, por meio de nota, que não recebeu recursos do orçamento previsto para investimentos, em total de R$ 989 mil, para custear melhorias nos campi e para comprar equipamentos, além de valores de emendas parlamentares de 2020. De acordo com o reitor da instituição, Oscar Halac, o CPII está inadimplente, com fornecedores de obras já contratadas em torno de R$ 2 milhões.

De acordo com a reitoria, toda a rede federal também foi impactada com redução orçamentária. No início do mês, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) anunciou que passa pelo mesmo problema.

“A situação orçamentária do CPII e da Rede Federal como um todo é extremamente preocupante. A cada ano dispomos de um orçamento reduzido para arcar com despesas que só aumentam. Afinal, os contratos assinados não deixam de ser reajustados a cada ano. Isso compromete a qualidade dos serviços prestados à nossa comunidade escolar e inviabiliza a possibilidade de ampliarmos a oferta de cursos e de vagas para que mais cidadãos possam se beneficiar da educação de excelência oferecida pelo CPII”, diz a nota.

A instituição destaca ainda que a assistência estudantil – que teve aumento na demanda devido à pandemia de covid-19 e aulas remotas – sofreu um corte de 14,2% em 2021. No ano passado, foram atendidos 4.369 estudantes com auxílios de assistência estudantil (emergencial, inclusão digital, tecnologias assistivas e bolsas), graças ao remanejamento de verbas de merenda escolar, participação estudantil em eventos e pagamento de bolsas de monitoria e de pesquisa.

Ministério da Educação

O Ministério da Educação (MEC) informou que seu próprio orçamento sofreu cortes para 2021 e que o valor foi menor do que o do ano passado. Com isso, as unidades vinculadas à pasta foram impactadas com reduções de verba. A assessoria destacou que “mantém interlocução junto a equipe econômica do governo em busca de melhoria no contexto orçamentário atual para pasta”.

“Para encaminhamento da Proposta de Lei Orçamentária Anual das universidades federais, referente ao exercício financeiro de 2021, houve situação de redução dos recursos discricionários da pasta para 2021, em relação à LOA 2020, e consequente redução orçamentária dos recursos discricionários da Rede Federal de Ensino Superior, de forma linear, na ordem de 16,5%.”

Sobre o Colégio Pedro II, o MEC ressaltou que a Lei Orçamentária Anual 2021 destinou R$ 721 milhões para a instituição, sendo R$ 667,4 milhões para despesa de pessoal, R$ 51,8 milhões para despesas discricionárias e R$ R$ 1,8 milhão em emendas parlamentares.

O Decreto nº 10.686, de 22 de abril de 2021, impôs um bloqueio de R$ 2,7 bilhões no orçamento do MEC, impactando de forma linear em 13,8% os repasses para as universidades e institutos federais sobre as despesas discricionárias. Com isso, o Colégio Pedro II sofreu o bloqueio de R$ 7,1 milhões.

O ministério informou que “não tem medido esforços” para recompor ou mitigar as reduções orçamentárias das instituições federais de ensino.

“O MEC está atento à situação que preocupa suas unidades vinculadas e, na expectativa de uma evolução positiva do cenário fiscal, seguirá envidando esforços para reduzir o máximo que for possível os impactos na LOA 2021”, informou o ministério.

Categorias
Destaque Educação Notícias Rio

Faetec anuncia a última reclassificação do processo seletivo 2021.1; confira

A Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) publica a 4ª reclassificação do processo seletivo 2021.1 para ingresso na Educação Básica, Técnica e Superior. A lista de convocados é a última chamada de acesso à Rede ainda neste primeiro semestre.

O resultado pode ser conferido diretamente no site da organizadora do concurso (www.selecon.org.br) ou por meio da página da Faetec (www.faetec.rj.govr.br).

A matrícula é on-line, a partir desta quarta, dia 2 de junho, até domingo, dia 6. O preenchimento das vagas deve ser feito por e-mail, com o envio da ficha de matrícula e de toda a documentação exigida no edital, em formato pdf, à unidade para a qual concorreu. É necessário que o candidato esteja com a situação “ocupando vaga” na lista de reclassificação do processo seletivo.

“Considerando que não deva ocorrer qualquer exclusão de candidato em função da tecnologia, os aprovados que não possuem acesso à internet deverão fazer a matrícula presencial no dia 7 de junho, das 9h às 17h. Caso não compareça, o selecionado é eliminado porque o processo seletivo se encerra no dia 8 deste mês”, diz João Carrilho, presidente da Faetec.

A lista completa com os e-mails de todas as unidades escolares para o encaminhamento dos documentos pode ser conferida no site da Faetec no link: https://bit.ly/3tuBJnH. É importante ressaltar que, no retorno das atividades presenciais, o aluno ou responsável deverá levar a documentação original para validação da pré-matrícula.

Documentação para matrícula

Documento original e a cópia da certidão de nascimento ou certidão de casamento, identidade, CPF, três fotos coloridas 3×4 recentes, título de eleitor, certificado de reservista (sexo masculino), carteira de vacinação atualizada (candidatos ao Ensino Fundamental e curso de Enfermagem), comprovante de residência e histórico escolar. Vale destacar que a documentação varia a depender do curso escolhido.

Categorias
Brasil Destaque Educação Notícias Rio

Espelho da redação do Enem 2020 será divulgado às 18h desta sexta

Da Agência Brasil

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) disponibilizará o desempenho individual (vistas pedagógicas) na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 a partir das 18h desta sexta-feira (28). As notas dos estudantes que fizeram o Enem para fins de autoavaliação, os “treineiros”, também serão disponibilizadas nesse horário. 

O participante poderá verificar a pontuação alcançada em cada uma das competências avaliadas. Entre elas estão: demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa; compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro de uma estrutura dissertativo-argumentativa em prosa; organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista; e elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Correção

O processo de correção das redações do Enem segue os parâmetros estabelecidos pelo Inep. Os textos podem passar por até quatro correções para o cálculo da média final.

Os profissionais selecionados para a correção atendem a critérios de formação inicial, como graduação em letras e linguística, e continuada, com exigência mínima de mestrado para as funções de supervisores e subcoordenadores. Além disso, é exigida experiência comprovada em coordenação de correção de produção textual em avaliação educacional, exames ou concursos.

Candidatos

Mais de 5,5 milhões de candidatos se inscreveram para o Enem 2020, realizado em janeiro deste ano. A abstenção, entretanto, foi alta, chegando a 55,3% no segundo dia de prova.

Com a nota do Enem, o estudante pode ser selecionado a uma vaga de graduação em universidades federais ou institutos federais de ensino por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) cujas inscrições começam em 6 de agosto.

Categorias
Destaque Educação Notícias Rio

UERJ classifica como “estapafúrdia” proposta de deputado de extinguir instituição

A Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) classificou como “estapafúrdia” a proposta do deputado estadual bolsonarista Anderson Moraes (PSL) de acabar com a instituição. O projeto de lei que pede a extinção da Universidade foi protocolado na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e causou muita polêmica, mas foi descartado pelo presidente da Casa, André Ceciliano (PT), na quarta-feira (26).

Em nota divulgada nesta quinta-feira (27), o reitor da instituição, Ricardo Lodi Ribeiro, disse que é com grande satisfação e alívio que a universidade recebeu a decisão da presidência da Alba de sequer colocar em discussão “a estapafúrdia proposta de extinção da Uerj”

“Além de violar a Constituição do Estado, a proposta ignora a extrema importância da Universidade para a população fluminense, que conta com ensino público e gratuito, inclusivo e de qualidade, assim como uma estrutura de pesquisa de ponta, que nos colocam nas primeiras posições dos rankings nacionais e estrangeiros. E também na extensão: nossa Instituição é, hoje, a principal agência de políticas públicas estaduais, além de referência na saúde e, em especial, no combate à Covid-19, por meio do atendimento a pacientes de alta e média complexidade, testagem e vacinação da população fluminense”, diz trecho de nota.

A universidade ainda afirmou que, “fracassada no nascedouro, a tentativa de extinguir a Uerj revela a existência de setores da sociedade, com representação política, que empreendem uma guerra cultural contra a ciência, baseada no irracionalismo irresponsável, cujos resultados já são sentidos pelo povo brasileiro na sabotagem ao enfrentamento da Covid-19”.

“Atacar a Uerj é uma forma vil de suprimir os direitos do enorme contingente de pessoas que têm suas vidas transformadas pela atuação da Universidade. O saldo do lamentável episódio é a fantástica rede de solidariedade que se formou na defesa de nossa Universidade entre parlamentares, reitores de outras instituições, trabalhadores da educação, estudantes e sociedade em geral. Agradecemos a cada pessoa e entidade que se ergue em solidariedade à Uerj e ao seu exitoso projeto de 70 anos de educação superior pública, gratuita, referenciada socialmente, laica e de excelência. A Uerj é grandiosa e um patrimônio do povo brasileiro. A Uerj não será extinta porque ela muda a vida das pessoas para sempre!”, concluiu a universidade.