Categorias
Beleza Destaque estética Notícias

Busca por procedimentos estéticos corporais pouco invasivos aumenta 300%

Levantamento conduzido pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) aponta para tendência surgida nos últimos anos; Médico cirurgião plástico e membro da entidade, Victor Cutait explica as diferentes intervenções e quais as vantagens.

Os procedimentos estéticos pouco invasivos têm despertado a atenção das pessoas que desejam mudanças no corpo por meio de técnicas que não causam muitos traumas no corpo. Prova disso é o estudo divulgado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) que mostra que a procura por procedimentos estéticos não-cirúrgicos e pouco invasivos cresceu mais de 300% nos últimos anos.

O médico cirurgião plástico e membro da SBCP, Dr. Victor Cutait, percebeu o aumento da procura em seu consultório por este tipo de cirurgia e analisa as vantagens:

“Os procedimentos pouco invasivos é uma série de técnicas que
proporcionam a execução da cirurgia e a recuperação muito mais
rápidas e simples, já que não demandam tanto ‘trauma’ no corpo
dos pacientes. Além disso, tais técnicas oferecem menor risco de
complicação durante e pós-cirurgia, o que garante maior segurança.
É uma grande vantagem – avalia o profissional.

Procedimentos minimamente invasivos

O médico lista abaixo procedimentos que são pouco invasivos.

Confira:

Lipoaspiração fracionada

De acordo com o cirurgião plástico Victor Cutait, o procedimento é uma lipoaspiração, porém realizada com anestesia local e em uma região corporal por vez, divididas por etapas.

O primeiro benefício da lipofracionada é que, como o paciente está acordado durante a cirurgia, é possível movimentá-lo e ter uma melhor visualização da gordura, obtendo melhores resultados.

Outra grande vantagem é que na lipofracionada é possível retirar toda a gordura localizada. Em cada seção retira-se até 5% do peso, respeitando a normativa do Conselho Federal de Medicina.

Além disso, a operação minimamente invasiva não oferece risco de perfuração e tampouco embolia pulmonar, o que garante mais segurança ao paciente. Por fim, como a intervenção é mínima e espaçada entre semanas, o paciente não precisa parar as atividades cotidianas, como trabalhar.

Microlifting

Já o microlifting é uma série de procedimentos minimamente invasivos na face, nos quais incluem tratar os excessos de pele, rugas, gordura e flacidez. Tal técnica é indicada para pacientes que não possuem recomendação para realizarem o lifting completo da região.

A vantagem é proporcionar o rosto revitalizado sem grandes intervenções e uma recuperação mais rápida e mais simples.

Mini dermolipectomia braço, coxa e abdômen

A retirada de excesso de pele nos braços, coxa e na região do abdômen abaixo do umbigo, chamado dermolipectomia, também pode ser realizada de modo pouco invasivo.

O procedimento elimina o excesso de pele – muito comum após grande perda de peso- e proporciona um contorno mais natural e menos flácido da região – explica o profissional.

Cuidados necessários antes de realizar qualquer procedimento

Após decidir realizar uma cirurgia estética, mesmo que minimamente invasiva, é necessário se atentar às informações como o local, profissional escolhido e até o valor do investimento.

Cutait explica que o primeiro passo é escolher um profissional qualificado para executar procedimentos cirúrgicos estéticos. Tal profissional deve ser cadastrado na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Após a escolha, a relação médico- paciente deve ser a melhor possível já na primeira consulta.

Outro ponto essencial é o local. Procedimentos menos invasivos podem ser realizados em clínicas especializadas ou ambulatoriais. No entanto, o local deve ter alvará para realizar este tipo de procedimento.

Além disso, duvide de preços muito abaixo do valor de mercado. Caso o investimento do procedimento seja muito abaixo comparado com outras clínicas, deve-se desconfiar da qualidade do serviço prestado.

Victor Cutait possui graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Marília (2001) com especialização em cirurgia plástica pelo Instituto Brasileiro de Cirurgia Plástica, em São Paulo. Ele é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), professor de cirurgia plástica da Universidade Nove de Julho (UniNove) e dirige a Clínica Cutait Cirurgia Plástica, especializada em Cirurgia Plástica, Dermatocosmiatria e Fisioterapia Dermatofuncional. O médico cirurgião é pioneiro em lipoaspiração fracionada no Brasil.

Categorias
Destaque estética Helainy Araujo | Saúde Capilar

Como o cabelo é formado – parte 2

Conforme tratamos no texto anterior, a parte externa do fio de cabelo é formada por camadas de cutículas, sobrepostas e dispostas do couro cabeludo até as pontas.

Desta forma, esfregar os fios de cabelo com toalha pode trazer consequências catastróficas para a integridade da cutícula comprometendo o cabelo como um todo. Quaisquer contatos com os fios devem ser feitos no sentido da cutícula, inclusive a lavagem dos cabelos e a secagem.

O córtex é a parte mais espessa do fio e situa-se internamente à cutícula, envolvendo a medula. Ele é formado principalmente por cadeias de queratina interligadas por pontes de enxofre, como se fossem escadas em caracol interligadas por cabos de aço, formando uma cadeia maleável, porém resistente.

Há também outras pontes que interligam as cadeias de queratina, além da ponte de enxofre. Existe ainda a ponte de hidrogênio, que não possui maleabilidade, porém, é facilmente quebrada com água (molhando o cabelo) e reconstruída com a saída da água (secando o cabelo). Esta ponte pode ser levemente modificada com calor também. A ponte de hidrogênio pode ser representada por barras de ferro encaixadas nas escadas e interligando-as do mesmo modo que os cabos de aço, sendo desencaixadas pela água e reencaixadas com a secagem.

Também no córtex é onde todas as reações químicas relativas ao cabelo acontecem, como por exemplo, em colorações e alisamentos. Por ser uma estrutura mais frágil, o córtex, quando exposto, devido à laceração da cutícula, é facilmente e rapidamente danificado, o que pode deixar o cabelo praticamente irrecuperável.

Existem produtos no mercado com o objetivo de repor o cimento intercelular artificialmente.

A medula é a parte mais interna do fio e não possui uma função definida, até porque alguns cabelos, geralmente os mais finos, não a possuem.

Categorias
Beleza cuidados Destaque estética Notícias

Especialista explica cuidados da Lipo HD

O procedimento virou febre entre as celebridades.

A busca pelo corpo perfeito e pela definição da musculatura abdominal faz com que muitos brasileiros recorram a tratamentos estéticos e procedimentos cirúrgicos.

Os números que colocam o Brasil como segundo país na realização de cirurgia plástica são da pesquisa divulgada em dezembro de 2019, pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética. De acordo com o órgão, o Brasil realizou mais de 1 milhão de cirurgias plásticas no último ano, além de 969 mil procedimentos estéticos não cirúrgicos. A técnica que garante maior definição do contorno dos músculos, conhecida como lipoaspiração HD, tem ganhado cada vez mais adeptos.

A médica cirurgiã  plástica, Dra. Valéria Destéfani, especializada nos Estados Unidos, em lipo HD, afirma que todo o cuidado antes, durante e após a cirurgia faz diferença. Valéria inclui há quase 1 ano, a consulta pré-anestésica para todos os pacientes. Segundo Valéria, é um ato que parece bobo, mas que poderia ter evitado uma complicação como o caso da paciente que ficou cega após um procedimento cirúrgico e outros casos que danificam o corpo e a vida do paciente.

A cirurgiã afirma que desde o início do trabalho do médico anestesista, antes do procedimento, já houve 3 casos de pacientes com risco cirúrgico liberado, que foram orientados pelo anestesista (após a consulta pré anestésica), a não realizar a cirurgia naquele momento pelo simples fato de existir um risco aumentado para alguma complicação. Por isso, o anestesista precisa avaliar o paciente como um todo, órgão por órgão, antes de uma cirurgia. Ainda segundo a médica, os pacientes precisam ter outros cuidados como : procurar um bom hospital, com excelente centro cirúrgico, uma boa equipe de enfermagem, entre outras coisas que garantam a segurança e a vida do paciente.

Dra. Valéria ainda explica que o procedimento não é indicado para todos :

Vale ressaltar que a cirurgia não se enquadra para todas as pessoas, mas para aquelas que já perderam peso, praticam exercícios e mantém uma alimentação balanceada. Esse somatório de coisas é que garante um resultado maravilhoso. Corpos definidos, bem marcados para homens e mulheres – ressalta.

Valéria afirma que a exposição de celebridades e influenciadores digitais faz com que pessoas sem indicação para o procedimento queiram realizar por falta de conhecimento e busca por um resultado de qualidade.  A médica diz que o principal é avaliar o corpo e a mente do paciente para sim indicar uma técnica de acordo sua realidade física e mental.

Outro diferencial do atendimento da Dra. Valéria é a realização da consulta pré-anestésica, onde o paciente tem a oportunidade de conhecer o médico anestesista, tirando todas as dúvidas e estabelecendo uma relação de confiança.

Essa consulta faz a diferença porque quantos pacientes só conhecem o anestesista no centro cirúrgico? Esse contato antes é importantíssimo para tirar dúvidas, descobrir possíveis problemas e eliminá-los – explica.

Além disso, a médica realiza procedimentos como rinoplastia, prótese de mama, lifting de face, entre outros.

O sorriso de satisfação de cada paciente me transporta para um nível, que só quem ama o que faz, sabe o que significa.