Categorias
Cultura Música Notícias do Jornal

Projota anuncia lançamento do primeiro álbum após BBB

*Por Fabiana Santoro

Projota anunciou em suas redes sociais seu novo trabalho “Amadmol ao Vivo”, que será lançado sexta-feira, dia 16 de abril. Esse é o primeiro projeto do rapper após a eliminação no Big Brother Brasil.

Projota (Foto: reprodução/instagram)

O novo álbum é um registro da segunda turnê do cantor, a “Milenar Arte de Meter o Louco”, que ocorreu em outubro de 2017, em São Paulo.

Categorias
Cultura Eventos Mulher Música Sociedade

Ganhadora do Grammy, H.E.R lança campanha em combate a Pandemia

*Por Fabiana Santoro

Atual ganhadora do Grammy, H.E.R se juntou ao Global Citizen – organização internacional de educação e defesa que trabalha para cessar a pobreza extrema – em uma campanha sem fins lucrativos que visa facilitar o acesso a vacina e tratamento da Covid-19. O projeto World Recovery Plan também arrecada fundos para cuidados com meio ambiente, educação e alimentação mundial.

World Recovery Plan. (Foto: Divulgação)

Em abril de 2020, a cantora disponibilizou seu Instagram e criou uma sessão de live´s semanais, intituladas “Girls With Guitars”. Durante a performance, H.E.R se juntou a sua vasta e renomada coleção de guitarras cantando musicas autorais e atendendo pedidos de covers de seus fãs. A ativista também convidou guitarristas mulheres entre elas, Tori Kelly, Lianne La Havas, Kiana Ledé, Chloe x Halle, para se envolver em debates sobre musica e vida. O objetivo das séries era arrecadar dinheiro para famílias de baixa renda no combate a pandemia, nos Estados Unidos. A cada apresentação um patrocinador diferente fazia doações e sorteios.

Abaixo alguns sorteios e doações que foram feitos durante o GWG:

  • Guitarras da coleção da H.E.R. com a Fender para 5 fãs.
  • Curso gratuito de instrumentos de corda para 1 milhão de pessoas durante 3 meses.
  • 5 Mil máscaras para hospitais dos Estados Unidos.
  • 30 MIL dólares para ajudar no combate à pandemia (mil dólares por visualizações na live do dia).
  • Insumos para os médicos que estavam na linha de frente.
  • Vale compras em algumas lojas e brindes personalizados pela H.E.R.

Durante cada live também era disponibilizado um link onde as pessoas poderiam doar dinheiro para ajudar famílias carentes com alimentos, máscaras e álcool em gel.

H.E.R no Grammy 2021. (Foto: Divulgação)

H.E.R se destacou atualmente sendo a primeira mulher negra em mais de uma década a ganhar a estatueta de “Música do ano” no Grammy, uma das categorias mais importantes da premiação. O título da música ganhadora remete as últimas palavras de George Floyd e Eric Garner, dois homens negros e mortos pela brutalidade policial nos Estados Unidos.

Na época de lançamento, a cantora relatou o quanto foi difícil escrever a música: “Essa letra foi muito difícil de escrever, pois veio de uma conversa sobre o que está acontecendo no momento e sobre a mudança que precisamos ver”. Em seu discurso no Grammy, ela agradeceu por poder utilizar sua voz para provocar transformações, e explicou como a musica é poderosa quando se trata de mudança e cura.

*Com supervisão de Alan Alves

Categorias
No Barquinho da Paciência Notícias do Jornal

Autoridade com respeito aos cidadãos

 

Vivemos tempos extremamente difíceis e desafiadores. Continuamos em meio a uma pandemia que devastou o mundo inteiro e que marcou uma mudança drástica na vida de todos. E para sairmos desta situação o mais rápido possível é preciso que tanto a sociedade quanto os órgãos públicos colaborem.

Nos últimos dias aconteceram cenas lamentáveis de alguns policiais e guardas municipais abordando de forma desnecessária, as pessoas que desrespeitaram as medidas restritivas dos governos e prefeituras de todo o Brasil, chegando até a fazer uso ilegal das algemas. Uma clara evidência de excesso por parte da força policial.

É claro que os cidadãos que desrespeitam as leis e medidas impostas pelas autoridades merecem ser abordados e questionados pelo ato de descumprimento da ordem, mas que seja de uma forma em que haja respeito e sabedoria para lidar com a situação.

Por outro lado, cabe à sociedade, respeitar e cumprir todas as medidas restritivas no combate a Covid-19, para que possamos sair o mais rápido possível desse momento ruim. É cada um fazendo a sua parte. Todos deveriam ter ciência disso. Haja paciência!

Categorias
No Barquinho da Paciência Notícias do Jornal

Educação nos transportes públicos em tempos de pandemia

 

Já se passou mais de um ano da pandemia e aqui no Rio de Janeiro já são mais de 24 mil mortos, contando desde o início. E mesmo assim muitas pessoas continuam descumprindo as regras básicas para combater a Covid-19. E nos transportes públicos, esse desrespeito fica bem claro. Já não basta toda a aglomeração dentro dos veículos, muitos passageiros usam máscaras no queixo, outras abaixo do nariz e há também aqueles que nem usam, indo totalmente contra as medidas da Organização Mundial da Saúde (OMS) e colocando a vida dos outros e até de seus familiares em risco.

Cabe ao Governo e a Prefeitura do Rio de Janeiro, intensificar a fiscalização dentro dos transportes públicos quanto ao uso da máscara e conter a aglomeração. O ideal seria diminuir os intervalos nos coletivos e colocar mais carros para circulação, principalmente nos horários de pico. A OMS recomenda também que as pessoas evitem tocar os olhos, a boca ou o nariz, pois são a porta de entrada para o vírus. Assim como cobrir a boca com a parte de dentro do cotovelo ao tossir e espirrar.

Categorias
No Barquinho da Paciência Notícias do Jornal

Educação no trânsito é fundamental

 

Um dos lugares mais estressantes e que exigem muita paciência sem dúvidas é o trânsito. A falta de respeito vem dos dois lados, tanto dos motoristas quanto dos pedestres. A educação nas ruas e estradas precisa ser lembrada dia a dia. Ter a consciência de que o trânsito é um local onde se precisa tomar alguns cuidados e sempre estar atento ao outro, evita acidentes e tragédias que podem ocasionar em mortes.

Alguns fatores levam ao estresse no trânsito. Um dos principais é o intenso congestionamento na rotina diária dos motoristas , especialmente nas grandes cidades. E os governantes precisam trabalhar para amenizar a falta de infraestrutura, superlotação nas vias e estradas de acesso.

Da parte dos motoristas é preciso evitar mexer no celular enquanto se dirige, controlar a velocidade e usar o cinto de segurança, além de ter a consciência de que o pedestre merece respeito, até porque, todos somos. Já para os pedestres, cabe respeitar a sinalização e atravessar na faixa. Se cada um fizer a sua parte, os acidentes irão diminuir cada vez mais e o trânsito se tornará um local mais seguro para todos.

 

Categorias
No Barquinho da Paciência Notícias do Jornal

A má conservação das calçadas do RJ

 

Os cariocas enfrentam inúmeros problemas no dia a dia. E um deles é a má conservação das calçadas espalhadas pela cidade. Algumas delas estão desniveladas e cheias de buraco, podendo ocasionar uma série de acidentes. Andando pelas ruas do RJ se percebe também, carros estacionados irregularmente, pedaços de madeira ou ferros jogados na calçado, uma grande armadilha para a população carioca.

A responsabilidade das calçadas no Rio é dividida; em uma área pública, como uma praça, quem cuida da conservação é a Prefeitura. Se a calçada estiver em frente a um comércio, empresa ou condomínio, a responsabilidade é do proprietário. No entanto, o dever de fiscalizar é da Prefeitura.

Então, assim como todos os problemas que enfrentamos em nossa rotina diária, devemos fazer a nossa parte. Tanto para que as mulheres não quebrem seus saltos nos calçamentos quebrados e os cadeirantes possam circular, conforme seu direito. Contribuir para uma calçada mais limpa, conservada é o dever de todos. E a Prefeitura deve manter a fiscalização e incentivar a população a conservar o patrimônio público.

Categorias
No Barquinho da Paciência Notícias do Jornal

Faltam lixeiras e sobra lixo nas ruas

 

Muitas pessoas voltaram a trabalhar de forma presencial, empresas e estabelecimentos abriram seus negócios e muitos voltaram a fazer suas atividades. Com isso, um problema bem recorrente volta à tona, que é a falta de lixeiras espalhadas pelas ruas. Andando pelo RJ, percebe-se muito lixo no chão, pouca fiscalização em relação a esse aspecto e muitas lixeiras quebradas.

Para encontrar uma lixeira em determinados pontos é uma dificuldade. E acaba que muitos mal-educados jogam o lixo no chão, alegando a falta de lixeiras pela cidade. A prefeitura precisa agir para amenizar ao máximo esse problema que enfrentamos. Espalhar mais lixeiras por cada canto do Rio de Janeiro, fazer a coleta de lixo constantemente, organizar campanhas para conscientizar a população a não jogar seus lixos na rua, são alguns caminhos para um local mais limpo.

A parte da população é zelar pelo seu próprio patrimônio. Jogando lixo nas ruas, só contribui ainda mais para a poluição e enchentes no Rio de Janeiro. Parece slogan, mas é uma obrigação: “Jogue o lixo no lixo”.

 

Categorias
No Barquinho da Paciência Notícias do Jornal

NO BANQUINHO DA PACIÊNCIA…

 

O passeio e a caminhada de pedestres e ciclistas nas áreas de lazer da orla do Rio de Janeiro são bastante comuns e têm aumentado com a pandemia, se tornando um modo de evitar aglomerações em ônibus e metrôs, além de se exercitar no dia a dia. E um aspecto que precisa ser abordado é o respeito dos ciclistas em relação à velocidade nas ciclovias. Algumas pessoas exageram neste ponto e acabam provocando alguns acidentes que poderiam ser evitados.

Diante desse cenário, os ciclistas precisam colocar em prática uma regra tão importante quanto esquecida: no trânsito, o mais vulnerável sempre tem preferência. Exemplo, os motoristas sempre devem zelar pelos ciclistas e pedestres. Ao se deparar com um pedestre na ciclovia ou ciclofaixa, deve-se diminuir a velocidade e cuidar da sua segurança.

O pedestre também pode colocar em prática algumas ações que facilitarão a boa convivência: andar no sentido contrário, pois assim verá as bicicletas que se aproximam. Dessa forma, ele mesmo poderá abrir caminho com um passo para o lado.

Seria interessante que a prefeitura regulamentasse o passeio de bicicleta, criando normas para que se mantenha o máximo de segurança possível e que tanto ciclistas quanto pedestres possam passear de forma tranquila.

Categorias
No Barquinho da Paciência Notícias do Jornal

IPTU: versão digital não é acessível a todos

 

O Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) está com mudanças para este ano. Visando à redução dos gastos públicos, a Secretaria Municipal de Fazenda emitirá uma única guia com a Notificação de Lançamento do IPTU e/ou TCL, em substituição ao carnê. O contribuinte que optar pelo pagamento em cotas poderá pagar a primeira parcela com o código de barras disponível na guia de cobrança. As demais cotas deverão ser emitidas pela internet, no portal Carioca Digital.

Esta mudança vem gerando dúvidas, entre outros motivos, pela suspeita de golpe ao receber a cobrança, já que a correspondência que chega via Correios não contém o antigo carnê do IPTU, mas apenas uma carta com guia de folha única. Além disso, o código de barras é distinto da versão online. De acordo com a Secretaria Municipal de Fazenda e Planejamento, não há registro de fraude nos documentos.

Mas um  aspecto a ser questionado com esta mudança é migração dos serviços para o ambiente digital. Em um país em que se tem uma desigualdade social como o Brasil, concentrar a maioria dos serviços para o online é ruim. É preciso pensar que nem todo mundo tem fácil acesso à internet e que nem todos possuem um celular moderno.

Então, é dever do governo pensar em alternativas que facilitem o acesso para as pessoas que precisam de um atendimento de forma presencial, como colocar em disponibilidade locais em que a população possa imprimir sua via para pagamento. Tudo, claro, seguindo todas as medidas de prevenção contra o coronavírus.

 

Categorias
No Barquinho da Paciência Notícias do Jornal

Benefício do INSS precisa ganhar agilidade para honrar o nome

 

Quem tem dependido do INSS, principalmente neste momento de pandemia, não aguenta mais tanta demora na hora de receber o benefício, de estar “em análise” o tempo inteiro. Algo que é direito da população brasileira, não pode ser tratado como um favor e ser solucionado ‘a hora que der’. No mês de janeiro, novos valores e datas de pagamentos serão concedidos no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Para quem recebe aposentadorias, BPC e o auxílio doença, as atualizações já estão valendo.

O INSS firmou um acordo com o Ministério Público Federal (MPF), por meio do qual assume o compromisso de reduzir os prazos das análises e das concessões previdenciárias e assistenciais. Os novos prazos deverão entrar em vigor após seis meses da homologação do acordo judicial pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Neste acordo, o INSS deverá se concentrar para concluir os processos administrativos de acordo com a espécie e o grau de complexidade do benefício. Por exemplo, o INSS terá até 45 dias para finalizar a análise dos requerimentos de auxílio-doença, 60 dias para pensão por morte e 30 dias para salário-maternidade.

Conforme informações do presidente do INSS, Leonardo Rolim, o acordo se trata de um avanço notório, que indica que realmente é a melhor solução para o cidadão, à medida em que terá os benefícios garantidos dentro de um prazo consideravelmente razoável. Na oportunidade ele ainda destacou que o acordo provém de um trabalho em conjunto com ambos os órgãos e afirmou que o INSS tem adotado uma série de medidas auxiliares para acelerar o acesso aos benefícios.