Categorias
Cultura Destaque Diário do Rio Notícias Rio

Governo do RJ publica edital de licitação para retomada de obras do Museu da Imagem e do Som

O Governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria de Infraestrutura e Obras (Seinfra), publicou no Diário Oficial aviso de concorrência pública para contratação de empresa especializada para execução das obras de conclusão dos revestimentos e instalações da sede do Museu da Imagem e do Som (MIS), em Copacabana, na Zona Sul carioca.

Os documentos de habilitação e a proposta de preços deverão ser entregues no dia 21 de outubro na sede da Seinfra, que fica no Campo de São Cristóvão, 138, São Cristóvão, Zona Norte do Rio.

Durante o anúncio da retomada das obras do MIS, em julho, nas comemorações do aniversário de Copacabana, o governador Cláudio Castro já havia destacado ter estabelecido como diretriz concluir primeiro as obras que estão paradas no estado, antes de iniciar novos projetos, em respeito ao dinheiro público.

“Estamos fazendo todo o esforço para agilizar os processos, sempre fazendo tudo com todo o rigor. A retomada das obras do MIS é muito importante por tudo o que representa esse projeto. É um símbolo de novos tempos no estado”, afirmou o governador.

De acordo com o secretário de Infraestrutura e Obras, Max Lemos, a publicação antecipada do edital deverá acelerar o início das obras.

“Antecipamos o prazo de 90 dias dado pelo governador Cláudio Castro e publicamos hoje o edital de licitação do lote principal do Museu da Imagem e do Som. Ao todo, são quase R$ 25 milhões que serão investidos na execução das obras de conclusão dos revestimentos e instalações da sede do MIS. Prevemos que, uma vez iniciada a obra, ela será concluída em até um ano”, anunciou Max Lemos.

Com 70% das obras concluídas, o MIS já recebeu R$ 79 milhões de recursos públicos e R$ 118 milhões captados pela Fundação Roberto Marinho junto à iniciativa privada. As duas primeiras fases incluíram demolição, fundação e execução da estrutura do edifício.

Para o reinício das obras, a previsão é de que sete editais de licitação sejam publicados. A última etapa da obra prevê serviços de revestimentos e instalações (elétricas, hidráulicas, sanitárias, de prevenção contra incêndio e especiais), sistemas de sonorização, iluminação, entre outros. Após essa fase, será feita a implantação da museografia.

O MIS

A nova sede do MIS foi criada para ser um boulevard vertical. A ideia é contar a história da cultura brasileira do ponto de vista carioca. O museu possui 9,8 mil metros quadrados de área construída, divididos em oito pavimentos.

No primeiro subsolo, o público terá acesso a um auditório/teatro, com 280 lugares, e uma boate. No segundo subsolo, ficarão os camarins.

O térreo terá uma cafeteria e uma livraria. O mezanino vai abrigar uma exposição temporária. Do primeiro ao quarto piso, haverá exibições temporárias e permanentes, incluindo acervos sobre Carmem Miranda e Carnaval.

Um restaurante com a visão da Praia de Copacabana ficará no mezanino entre o quarto piso e a cobertura, que contará ainda com um cinema a céu aberto.

Categorias
Destaque Diário do Rio Música Notícias Rio

Banda musical da Guarda Municipal do Rio abre ensaios para participação de jovens talentos

A Banda Sinfônica de Música da Guarda Municipal do Rio (GM-Rio) está abrindo seus ensaios para a população, recebendo jovens talentos da música para tocar com seus integrantes. Os ensaios abertos acontecem sempre às quartas-feiras, a partir das 10h.

Podem participar crianças e jovens que já tenham noção musical e toquem instrumentos de sopro, como flauta, clarineta e saxofone, e de percussão. Os ensaios são abertos também para guardas municipais e parentes que tenham conhecimento musical. No caso do sopro é necessário que as pessoas tragam seus próprios instrumentos.

O agendamento deve ser feito com uma semana de antecedência por meio dos telefones 2976-5967/ 5968. A marcação prévia é necessária para adequação à agenda da banda e também para evitar aglomerações nesse período em que a cidade ainda conta com restrições sanitárias de proteção à vida.

O primeiro ensaio aconteceu na última quarta-feira (15), e contou com a presença do guarda municipal Paulo Cezar Sobrera, da Comissão Desportiva, que tocou berimbau; do jovem saxofonista Gabriel Correia Almeida, de 21 anos, morador da Zona Norte do Rio; e do pequeno baterista Estevão de Souza, de 10 anos, filho do músico da Banda Thiago Correa, que toca trompete.

A banda

A Banda Sinfônica de Música da Guarda Municipal do Rio se tornou Patrimônio Cultural Imaterial do povo carioca, por meio da lei municipal de nº 6.870, de 22 de abril de 2021, por iniciativa dos vereadores Jones Moura e Dr. Carlos Eduardo. Na justificativa, os legisladores destacaram a participação da banda em diversos eventos de promoção da cidade do Rio de Janeiro, incluindo os realizados na Câmara dos Vereadores, e também em outros municípios do Rio.

Criada em dezembro de 1993 com músicos da antiga Banda Civil da Cidade do Rio de Janeiro, a Banda da GM-Rio conta hoje com cerca de 40 integrantes, sendo regida há quatro anos pelo maestro e guarda municipal Ricardo Severino. No período da pandemia, devido às medidas restritivas de proteção à vida para conter a disseminação do coronavírus, as apresentações foram reduzidas.

No ano passado, por exemplo, não foram realizadas as apresentações tradicionais, mas a Banda de Música não deixou de estar presente no dia a dia dos cariocas e levou uma pequena parte dos músicos para tocar na entrada dos condomínios, sendo acompanhado pelos moradores das janelas de seus apartamentos.

Batizado de Abraço Musical, o projeto percorreu toda a cidade tocando em bairros como Méier, Copacabana, Botafogo, Campo Grande e Bangu. Os músicos também fizeram várias lives nas redes sociais da Guarda Municipal .As apresentações ainda não voltaram com força total, mas os músicos seguem a rotina de ensaios, observando as regras sanitárias vigentes, para estarem prontos para o retorno definitivo.

Categorias
Bichos & Cia Destaque Diário do Rio Notícias Rio

Campanha de adoção de animais terá 2ª etapa no sábado em praça de Ipanema

A Prefeitura do Rio promove no sábado (18), em Ipanema, a segunda etapa da campanha Adote um Amigo, conjunto de ações da Secretaria Municipal de Proteção e Defesa dos Animais (SMPDA) e entidades parceiras para enfatizar a importância de dar um lar e proteger animais.

O evento, em parceria com o RJPET, vinculado à Secretaria Estadual de Agricultura, será na Praça Nossa Senhora da Paz, das 13h às 17h. Os cães e gatos da campanha vivem na Fazenda Modelo e em ONGs parceiras. Todos são vacinados, vermifugados e possuem identificação por microchip. Os animais adultos estão esterilizados.

Atualmente, a Fazenda Modelo conta com cerca de 950 animais abrigados, e a maioria deles é vítima de maus tratos, violência, abandono ou foram resgatados em ações da SMPDA.

Adote também pelo WhatsApp

Também é possível contato via Whatsapp, como mais uma opção de atendimento ao cidadão. O número do WhatsApp da Central 1746 é: (21) 3460-1746.

Categorias
Destaque Esportes Futebol Notícias Rio

Com torcida, Flamengo volta a vencer e avança para as semifinais da Copa do Brasil

O Flamengo está nas semifinais da Copa do Brasil. Depois de vencer o primeiro jogo em Porto Alegre, por 4 a 0, o Fla voltou a derrotar o Grêmio, agora por 2 a 0, com dois gols de Pedro, e vai encarar o Athlético-PR na próxima fase. Os jogos acontecem entre os dias 20 e 27 de outubro. A partida ficou marcada pelo retorno de público ao Maracanã, após liberação da Prefeitura.

Cerca de 6 mil torcedores foram ao estádio. A situação segue gerando conflito, já que 17 dos 20 clubes da Série A do Brasileiro são contra o retorno de torcida em apenas alguns estados. A ideia defendida é a isonomia e por isso os rivais se juntaram para impedir que o Fla receba torcida no domingo, novamente diante do Grêmio, mas agora pelo Brasileiro.

FLUMINENSE PERDE PRO ATLÉTICO-MG E SE DESPEDE

No outro jogo, o Fluminense foi eliminado pelo Atlético-MG, em Belo Horizonte. Após perder por 2 a 1 no Rio, o Tricolor perdeu outra vez, agora por 1 a 0. O Galo encara nas semifinais o Fortaleza, que eliminou o São Paulo, após vencer por 3 a 1, no Castelão.

As duas equipes agora voltam a jogar pelo Campeonato Brasileiro. O Flamengo recebe novamente o Grêmio, enquanto o Fluminense vai até Cuiabá enfrentar o time da casa, na segunda-feira (20)

Categorias
Brasil Destaque Notícias

Polícia Civil e Cenipa investigam acidente aéreo em Piracicaba

Da Agência Brasil

Investigadores da polícia civil e do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) apuram as causas do acidente aéreo que matou sete pessoas na terça-feira (14) em Piracicaba, no interior paulista.

De acordo com o Cenipa, integrantes do Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa IV) estiveram no local para identificar indícios, fotografar cenas, coletar partes da aeronave para análise, ouvir relatos de testemunhas e reunir documentos.

“Não existe um tempo previsto para essa atividade ocorrer”, apontou o Cenipa em nota. O órgão informou ainda que o objetivo da investigação é evitar que acidentes semelhantes ocorram.

“A conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os fatores contribuintes”, acrescenta a nota.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que o caso foi apresentado ao 5º Distrito Policial de Piracicaba e que foram solicitados exames periciais ao Instituto de Criminalística e Instituto Médico Legal (IML). A ocorrência foi registrada como sinistro em transporte aéreo.

O acidente

O empresário Celso Silveira Mello Filho, a esposa Maria Luiza Meneghel e os três filhos do casal (Celso, Fernando e Camila) estão entre as vítimas da queda do avião. Também morreram o piloto Celso Elias Carloni e o copiloto Giovani Gulo. As informações foram confirmadas pela empresa Cosan, da qual Mello Filho era acionista.

A aeronave executiva de pequeno porte, modelo King Air 360, caiu em uma área de vegetação em Piracicaba por volta das 8h30 e provocou um incêndio no local.

Além de acionista da Cosan, Mello Filho era irmão do presidente do Conselho de Administração da companhia, Rubens Ometto Silveira Mello. O grupo Cosan atua nos setores de agronegócio, distribuição de combustíveis e de gás natural e de lubrificantes e logística.

Categorias
Destaque Esportes Futebol Notícias Rio Saúde

Clubes entram com recurso para impedir público em jogos do Flamengo

Da Agência Brasil

Dezessete dos 20 clubes da primeira divisão do Campeonato Brasileiro (com exceção de Flamengo, Atlético-MG e Cuiabá) entraram nesta quarta-feira (15) com um “recurso voluntário” no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), tentando derrubar a liminar que autoriza o Rubro-Negro a ter público nas partidas em que for mandante no Campeonato Brasileiro. A equipe carioca pretende ter torcedores no Maracanã neste domingo (19), contra o Grêmio, às 20h30 (horário de Brasília), pela 21ª rodada da competição.

Na última terça-feira (14), o presidente do Tribunal, Otávio Noronha, indeferiu o pedido das 17 equipes para revogar a liminar e encaminhou o processo ao Pleno do STJD, marcado para quinta-feira da próxima semana (23), às 13h. Uma das pautas é justamente a medida inominada do Flamengo para ter autorização de receber torcedores nos jogos como anfitrião. O auditor Felipe Bevilacqua será o relator do caso.

Na quarta-feira passada (8), representantes de 19 dos 20 times do campeonato decidiram por unanimidade, em Conselho Técnico, que a volta dos torcedores aos estádios ocorreria somente quando todas as cidades dos clubes participantes assim autorizassem. Também foi aprovado o retorno do público a partir da 23ª rodada, no início de outubro, desde que 100% das equipes estejam liberadas para tal pelas autoridades locais.

No mesmo encontro, os times concordaram, de forma unânime, em pedir à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a suspensão de “rodadas da competição nas quais clubes sinalizem com a utilização de liminar para contar com público nos estádios”, segundo nota divulgada pela entidade. No comunicado, a CBF informou que avaliaria o caso juridicamente, “uma vez que [ele] interfere na esfera de direito de terceiros adquirentes de propriedades comerciais” do torneio.

A única equipe a não enviar representante à reunião foi o Flamengo. O Rubro-Negro entende que não cabe à CBF ou aos clubes “deliberar acerca da existência ou não de público nos estádios, por não se tratar de matéria de sua competência desportiva”. O Atlético-MG, que participou do encontro, afirmou nesta quarta-feira, em nota, que se o Rubro-Negro prosseguir com a intenção de levar torcedores às próximas partidas como mandante, fará uso da mesma prerrogativa, já que o rival é concorrente direto pelo título nacional. O Galo também possui uma liminar que o autoriza a ter torcida nos confrontos em casa.

O Flamengo obteve liberação da Prefeitura do Rio de Janeiro para mandar três partidas com torcedores nas arquibancadas do Maracanã, que servirão como eventos-teste. A primeira delas será nesta quarta, diante do Grêmio, às 21h30, mas pela Copa do Brasil. Para este duelo, a capacidade autorizada será de 35% do total (cerca de 24,8 mil pessoas). No domingo, será liberado até 40% da ocupação (aproximadamente 28,3 mil). O público presente terá de obedecer distanciamento de um metro por assento no estádio, apresentar comprovante de vacinação contra o novo coronavírus (covid-19) e teste antígeno ou PCR com resultado negativo para o vírus.

Categorias
Destaque Notícias Rio Saúde

Rio de Janeiro mantém obrigatoriedade de vacinação para servidores

Da Agência Brasil

A obrigatoriedade de imunização contra a covid-19 para servidores e prestadores de serviço da prefeitura do Rio está mantida, afirma o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz. Segundo ele, o que ainda está em estudo é o tipo de punição para quem não obedecer à norma.

Na terça-feira (14), uma decisão da Justiça do Rio suspendeu o decreto do prefeito Eduardo Paes, publicado no dia 18 de agosto, que previa, inclusive, a demissão de quem se negasse a tomar a vacina.

A desembargadora Marília de Castro Neves, do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), concedeu liminar em resposta à ação proposta pelo deputado estadual Márcio Gualberto dos Santos.

Na decisão, ela destacou que o poder municipal não pode criar sanções não previstas na lei federal ou estadual.

O secretário de Saúde afirmou que a prefeitura vai recorrer da decisão.

“A prefeitura vai recorrer dessa decisão da Justiça que impede a punição desses servidores. Essa decisão não limita a prefeitura sobre a cobrança da vacinação dos servidores, mas, sim, pede que a gente reveja a punição desses servidores que não se vacinaram. Está mantida a obrigatoriedade da vacinação dos servidores. O que está em discussão é qual o tipo de punição que a prefeitura pode realizar ou não para esses servidores que não se vacinaram”, disse, em entrevista à Agência Brasil.

Na avaliação do secretário, a imunização desses trabalhadores é importante para manutenção dos serviços.

“É um entendimento da prefeitura que para atuar nas escolas, nos hospitais, na prefeitura como um todo, é necessário que a pessoa esteja vacinada para proteger a sua saúde e a saúde dos outros servidores e das pessoas que ela realizará o atendimento.”

Comprovante

O Rio de Janeiro inicia hoje (15) a exigência de comprovação da vacina contra a covid-19 para acessar estabelecimentos como academias de ginástica, piscinas, centros de treinamento, clubes, estádios, vilas olímpicas, cinemas, teatros, circos, salas de concerto, museus, recreação infantil, pontos turísticos e feiras comerciais.

De acordo com Soranz, o decreto do prefeito que determinou a medida já foi referendado pela Justiça. Já a Câmara dos Vereadores decidiu pela aplicação de multa em caso de descumprimento.

“Isso está mantido e começa a vigorar a partir de hoje. Tem apoio de grande parte da sociedade, principalmente, das instituições”, pontuou.

Vacinas

Segundo o secretário, no momento, o município tem doses suficientes para cumprir o calendário estipulado para hoje e amanhã de meninas de 14 anos e para a segunda dose dos demais públicos.

De acordo com ele, a secretaria aguarda a liberação, pelo Ministério da Saúde, de 166 mil doses de CoronaVac, que já estão no estoque do município.

Soranz informou que, com as doses das vacinas AstraZeneca e Pfizer que o município recebeu esta semana, é possível garantir o calendário de segunda dose até sábado (18).

“A gente espera receber mais 30 mil doses da Pfizer ao longo do dia de hoje para vacinar os meninos de 14 anos [a partir de sexta-feira].”

Para a vacinação dos adolescentes na semana que vem, a secretaria aguarda a liberação de 8 milhões de doses que, segundo o secretário, já estão nos estoques do Ministério da Saúde.

A reportagem da Agência Brasil tentou confirmar o estoque disponível no Programa Nacional de Imunização (PNI), mas não recebeu resposta do Ministério da Saúde até o fechamento desta matéria.

Para Soranz, a campanha de vacinação contra a covid-19 conta com um fator agravante: a escassez mundial de imunizantes. “É muito importante que o ministério também tenha o sentimento de urgência. Que ele receba e que distribua o mais rápido possível evitando o acúmulo de vacinas no seu próprio estoque”, apontou.

Reforço

Sobre as doses de reforço em idosos e pacientes com alto grau de imunossupressão com 60 anos ou mais, a secretaria tem vacina garantida para esta semana.

“A gente sempre trabalha com a aplicação das vacinas que recebe na semana. Para a próxima vacina, a gente aguarda a distribuição das vacinas que já estão no estoque do ministério para poder continuar o calendário”, completou.

Nesta quarta-feira, além da dose de reforço para idosos de 93 anos ou mais, o calendário previa a vacinação das pessoas com alto grau de imunossupressão com 60 anos ou mais e a repescagem para adultos a partir de 22 anos, gestantes, puérperas, lactantes e pessoas com deficiência a partir de 12 anos.

Campanha

O secretário destacou a grande da adesão da população da cidade à vacinação contra a covid-19. “O carioca é incrível. Briga para se vacinar. Já tem 98% das pessoas adultas com a primeira dose e 60% das pessoas adultas com a segunda dose. A adesão é muito alta na cidade do Rio de Janeiro”, comemorou.

“Infelizmente, a gente ainda vê algumas pessoas que se recusam a se vacinar, que precisam de uma série de estímulos para a sua vacinação, que não se importam e que não procuram os postos para a vacinação, mas, de maneira geral, o carioca é uma população muito aderente à vacina e dá um exemplo para todo o Brasil e para o mundo”, comentou.

Categorias
Brasil Destaque Notícias Política

Pedido de vista suspende julgamento do marco temporal no Supremo

Da Agência Brasil

Um pedido de vista do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu nesta quarta-feira (15) o julgamento do processo no qual a Corte analisa a tese do marco temporal para demarcações de terras indígenas. Não há prazo para retomada do julgamento.

O placar do julgamento está empatado em 1 a 1. Na sessão desta tarde, o ministro Nunes Marques votou a favor da tese. Na sessão anterior, o relator do caso, ministro Edson Fachin,  manifestou-se contra o marco temporal.

Há três semanas, o STF julga o processo sobre a disputa pela posse da Terra Indígena (TI) Ibirama, em Santa Catarina. A área é habitada pelos povos Xokleng, Kaingang e Guarani e a posse de parte da TI é questionada pela procuradoria do estado.

No caso, os ministros discutem o chamado marco temporal. Pela tese, defendida por proprietários de terras, os indígenas somente teriam direito às terras que estavam em sua posse no dia 5 de outubro de 1988, data da promulgação da Constituição Federal, ou que estavam em disputa judicial nesta época.

No entendimento de Nunes Marques, embora não tenham sido cumpridas, as normas transitórias da Constituição estipularam prazo de cinco anos, a partir da promulgação, para conclusão das demarcações de terras indígenas. Dessa forma, posses posteriores à entrada em vigor da Constituição não podem ser consideradas tradicionais.

“Tal norma transitória é forte indício de que o constituinte teve em mente a fixação de um marco temporal preciso para delimitação dos espaços físicos que ficaram sob o exclusivo usufruto indígena. Se houvesse a possibilidade de que, a qualquer momento, novas posses indígenas pudessem ser estabelecidas para além daqueles vigentes na data da promulgação da Constituição, não faria sentido fixar prazo para a demarcação dessas terras, pois restaria sempre em aberto a possibilidade de configuração de novas posses tradicionais”, argumentou.

O processo tem a chamada repercussão geral. Isso significa que a decisão que for tomada servirá de baliza para casos semelhantes que forem decididos em todo o Judiciário. 

Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Saúde

Fiocruz alerta para falta de dado sobre vacinação em casos de síndrome

Da Agência Brasil

Pesquisadores do Instituto de Comunicação e Informação Científica em Saúde (Icict/Fiocruz) publicaram esta semana uma nota técnica em que alertam para o não preenchimento de dados sobre vacinação nas unidades de saúde, em pacientes com síndrome respiratória aguda grave (SRAG).

Segundo o texto, os registros do Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe) apresentam um número substancial de informações incompletas, “o que compromete seriamente qualquer análise sobre a efetividade das vacinas para impedir a hospitalização e/ou a morte dos pacientes vítimas do [novo] coronavírus”.

A nota técnica avaliou o percentual de casos de SRAG registrados em que a unidade de saúde informou os seguintes dados ao Sivep-Gripe: se o paciente recebeu vacina contra covid-19, quando recebeu cada dose, o lote de cada dose, e se o dado foi digitado manualmente ou recuperado por meio de integração com a Rede Nacional de Dados em Saúde. Foram considerados os casos notificados entre abril e 25 de agosto deste ano.

Fragilidade

O texto destaca, ainda, que a “enorme incompletude de informação” no sistema torna “extremamente frágil qualquer afirmação sobre efetividade dos imunizantes em casos de hospitalização ou óbitos”.

Segundo o estudo, a informação sobre a vacinação foi preenchida como “ignorada” em 35% dos hospitalizados. Em Roraima, Maranhão, Pernambuco, Maranhão, Espírito Santo, Ceará, Bahia e Alagoas, cerca de 60% dos dados de hospitalizados não possuem informação sobre vacinação.

Diante desse cenário, os pesquisadores afirmam que inferências sobre a efetividade das vacinas com base nos dados de hospitalização do Brasil disponibilizados em bancos públicos exigem extrema cautela em sua análise.

Motivos

Um dos responsáveis pelo estudo, Diego Xavier, especialista em Saúde Pública da Fiocruz, aponta alguns dos motivos que causam a falta de dados. “As equipes de Saúde na linha de frente, tanto no Sistema Único de Saúde (SUS) quanto na rede privada, estão sobrecarregadas, operando no limite há muitos meses, e podem estar enfrentando diferentes dificuldades para o lançamento desses dados, desde a ausência de treinamento até a falta de tempo em meio ao atendimento acima do normal”, afirma Xavier, em texto divulgado, no Rio de Janeiro, pela Fiocruz.

Outro obstáculo é o modo de captura dessa informação, que muitas vezes depende de o usuário apresentar o cartão de vacinação na unidade hospitalar. O ideal, aponta a nota técnica, é a integração das bases de dados de vacinação com as bases de dados de hospitalização e notificação de casos, o que tornaria as informações mais confiáveis.

Apesar dos problemas frequentes no preenchimento das informações, a nota técnica indica que algumas unidades de saúde conseguiram implementar um preenchimento de dados mais adequado e podem ser usadas como unidades sentinela no monitoramento da pandemia.

No longo prazo, a Fiocruz recomenda entender como esses bons exemplos se estruturam e quais lições podem auxiliar a criação de protocolos e rotinas que podem ser disseminadas para as demais unidades de saúde de acordo com suas realidades.

Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Rio

Mulher grávida tenta se jogar da janela de prédio para fugir de agressão do marido no Rio

Uma mulher grávida de três tentou se jogar da janela do seu apartamento para tentar fugir das agressões do marido em Duque de Caxias, na Baixada Fluminese. O agresso, o soldador e motorista de aplicativo Vitor Batista, de 32 anos, foi preso em flagrante por causas das agressões.

O caso ocorreu na terça-feira (14), segundo a polícia. Os momentos de desespero vividos pela mulher de 35 anos foram filmados pelos vizinhos.

Na delegacia, a vítima contou que apanhou com frequência ao longo de toda a relação, de quase dois anos. O agressor, por sua vez, disse à polícia que era “apenas uma briga de casal”. A mulher contou ainda no depoimento que o marido é muito ciumento e que não a deixava ir para a rua se não fosse para trabalhar.Também disse que já teve que colocar pinos cirúrgicos no pé após se machucar ao tentar fugir de um espancamento por parte do companheiro.

Segundo a polícia, a ação dos vizinhos em filmar as agressões e a tentativa da mulher de pular do apartamento foi fundamental para a prisão do agressor.

Agressor foi preso em flagrante. (Foto: Reprodução)