Categorias
Brasil Destaque Notícias Polícia Rio

Traficante que teria autorizado morte dos meninos em Belford Roxo é morto

A Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que o traficante que teria ordenado a morte dos três meninos desaparecidos em Belford Roxo, Baixada do Rio de Janeiro, foi assassinado como queima de arquivo. Segundo informa as investigações, o chefe do tráfico da comunidade Castelar pediu autorização para matar os meninos para o chefe da facção, mas não disse que se tratava de crianças.

Os meninos Lucas Matheus, Alexandre e Fernando Henrique, que desapareceram em Belford Roxo na Baixada Fluminense, em dezembro do ano passado. Segundo a polícia, a repercussão do crime não agradou outros integrantes da facção criminosa.

As investigações mostraram que, depois da morte dos meninos, Willer da Silva, o Estala, foi executado no Complexo da Penha, na Zona Norte do Rio, como queima de arquivo.

Última imagem dos garotos sumidos (Foto: Reprodução/TV Globo)

“Os traficantes do Castelar mataram essas crianças autorizados pela cúpula da facção criminosa. O que a gente tem é que, quando pediu autorização para as chefias que estavam presas, do tráfico, para punir aquelas crianças, não foi falado que eram crianças”, explicou o secretário de Polícia Civil, Allan Turnowski.

A morte dele foi ordenada por Wilton Quintanilha, o Abelha, outro chefe da mesma facção criminosa que estava preso. A execução aconteceu depois que a polícia começou a avançar nas investigações. Ainda segundo a polícia, a morte das crianças foi por causa do furto de passarinhos. A Polícia Federal afirmou que Abelha saiu pela porta da frente da cadeia, beneficiado pelo esquema de corrupção na Secretaria de Administração Penitenciária.

 

Categorias
Destaque Notícias Polícia Rio

Caso Henry Borel: Justiça vai ouvir testemunhas de acusação

Da Agência Brasil

O juízo da 2ª Vara Criminal do Rio de Janeiro marcou para 6 de outubro a audiência visando ouvir testemunhas de acusação do processo sobre a morte do menino Henry Borel. As testemunhas de defesa devem ser ouvidas em outra data, após o encerramento da prova da acusação.

O ex-vereador Jairo Souza dos Santos Júnior, conhecido como Dr. Jairinho, e a mãe de Henry, a professora Monique Medeiros, foram denunciados e presos pelo crime.

A juíza Elizabeth Machado Louro, da 2ª Vara Criminal, autorizou a presença dos dois acusados na sessão de depoimentos de 6 de outubro, mas eles não serão interrogados neste dia.

Jairinho e Monique foram presos em abril, depois que se tornaram suspeitos de matar a criança, de 4 anos de idade, no apartamento do casal, na Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro.

Categorias
Brasil Destaque Notícias Polícia Rio

PF e Receita fazem nova ação contra fraudes com criptomoedas

Da Agência Brasil

Policiais federais cumpriram nesta sexta-feira (9) dois mandados de prisão preventiva e dois de busca e apreensão contra acusados de praticar fraudes por meio de operações com criptomoedas, no Rio de Janeiro. Esta é a segunda fase da Operação Kryptus, que conta com o apoio da Receita Federal e que investiga a prática ilegal de pirâmide financeira.

Segundo a Receita Federal, a empresa localizada na Região dos Lagos fluminense atua como se fosse um fundo de investimento, em que o investidor adquire uma quantia determinada de cotas e recebe rendimentos fixos.

Como em um mercado volátil como o das criptomoedas (que incluem os bitcoins), não é sustentável prometer uma rentabilidade fixa aos investidores, a empresa recorreria a uma pirâmide financeira.

A pirâmide é um esquema ilegal em que o lucro é gerado pelo aporte de novos clientes e não pela natureza lucrativa das operações. E, para evitar o colapso do sistema, é preciso continuar expandindo a rede de clientes.

O esquema gera enriquecimento dos mentores da pirâmide que, segundo a Receita, não declaram seus lucros ao fisco.

Categorias
Brasil Destaque Notícias Polícia

Quadrilha ataca agências bancárias e faz moradores reféns em Araçatuba (SP)

Da Redação com Agência Brasil

Três agências bancárias foram atacadas por criminosos fortemente armados na região central de Araçatuba (SP), no início da madrugada de segunda-feira (30). Segundo a Secretaria de Segurança Pública do estado (SSP-SP), estão em andamento buscas para localizar os criminosos. Três pessoas foram mortas durante a ação dos bandidos e seis ficaram feridas, quatro em estado grave.

Unidades territoriais da Polícia Militar de Araçatuba, com o apoio de equipes de Bauru, São José do Rio Preto e Presidente Prudente, além do Águia e da Polícia Civil, participam das diligências.

As forças de segurança já conseguiram deter dois suspeitos de participar da ação. Uma equipe do Grupo de Ações Tática Especiais (Gate ) também está em deslocamento para o município.

A Polícia Militar de Araçatuba disse que pelo menos duas agências bancárias tiveram seus caixas danificados por ação de explosivos e que outras agências foram alvos de disparos de arma de fogo.

Durante a fuga, os veículos utilizados na ação foram deixados para trás com farta munição e armas de grosso calibre, entre elas fuzis calibre .50 e 7.62 mm, além de “miguelitos”, que são artefatos de metal utilizados para furar pneus de veículos.

Segundo a PM de Araçatuba, ainda não há um número exato de suspeitos, “mas estima-se que a ação tenha contado com pelo menos 15 deles no centro da cidade”.

Com a intenção de isolar a cidade, os infratores incendiaram veículos nas pontes do Rio Tietê, em Buritama, e Santo Antônio do Aracanguá. Também incendiaram veículos próximo ao trevo de Guararapes e na praça de pedágio em Glicério, bem como dois veículos no centro de Araçatuba.

A identidade das três pessoas mortas durante a ação criminosa ainda está sendo checada. De acordo com a PM, há informações de que algumas pessoas deram entrada no Pronto Socorro Municipal com ferimentos provenientes de arma de fogo.

Polícia Federal investigará ataque

A Polícia Federal (PF) investigará a ocorrência de ataques a bancos na cidade.Cerca de 380 policiais estão na região do município, no noroeste do estado, para localizar os criminosos que atacaram duas agências bancárias no centro da cidade. Com apoio de equipes de Bauru, São José do Rio Preto e Presidente Prudente, policiais militares e civis lotados em Araçatuba participam das diligências.

Uma equipe do Grupo de Ações Tática Especiais continua em operação no município para desarmar 16 explosivos em pontos diferentes. Durante a fuga, os veículos usados na ação foram deixados para trás com munição e armas de grosso calibre, como fuzis calibre .50 e 7.62, além de “miguelitos”, que são artefatos de metal utilizados para furar pneus de veículos.

“Os infratores da lei usaram transeuntes que passavam no local como escudo humano para transitar a pé e com os veículos utilizados na ação criminosa e utilizaram drones para monitorar toda a ação, tanto na chegada ao perímetro urbano quanto na fuga para a zona rural. Foram deixados explosivos em pelo menos 14 pontos da cidade, incluindo um caminhão carregado com emulsão em frente a uma das agências atacadas”, informou a PM em nota divulgada à imprensa.

Categorias
Brasil Destaque Notícias Polícia Política Rio Social

Ministério Público do Rio defende júri popular para Flordelis

Da Agência Brasil

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ)  voltou a defender que a ex-deputada federal Flordelis e outros réus acusados do assassinato do pastor Anderson do Carmo, em 2019, sejam levados a júri popular. A defesa da parlamentar havia entrado com recurso contra a decisão do Tribunal do Júri que determinou que o caso fosse a júri popular. 

O MP-RJ apresentou parecer contrário a esse recurso na última sexta-feira (20), por meio da 4ª Procuradoria de Justiça. O pedido da defesa de Flordelis será julgado pela 2ª Câmara Criminal.

A ex-deputada foi transferida na semana passada para o presídio Talavera Bruce, no Complexo Penitenciário de Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro. Ela está presa preventivamente desde decisão do juízo da 3ª Vara Criminal de Niterói, de 13 de agosto.

Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Polícia Rio

Arrastão provoca correria e pânico no Túnel Prefeito Marcello Alencar

Criminosos fizeram um arrastão e provocaram correria e pânico, na noite desta sexta-feira (20), no Túnel Prefeito Marcello Alencar, também conhecido como Túnel da Via Expressa, que atravessa subterraneamente os bairros do Centro, da Gamboa e da Saúde, na Zona Central do Rio de Janeiro.

Segundo relato de testemunhas, os criminosos aproveitaram o engarrafamento no local para agir e chegaram até a bloquear o túnel. Com medo, muitos motoristas abandonaram os veículos e saíram correndo pela pista. Houve relatos até de atropelamento no local.

A polícia foi acionada e conseguiu liberar o túnel por volta das 20h, também segundo testemunhas, mas o trânsito continuava bastante lento no local e os motoristas precisaram redobrar a atenção por causa de pessoas na pista.

Ainda não há informações se algum criminoso chegou a ser preso.

Categorias
Brasil Destaque Notícias Polícia Política

Polícia Civil cumpre 54 mandados de prisão no sul do estado do Rio

Da Agência Brasil

Nesta quinta-feira (12), 175 policiais federais cumprem 92 ordens judiciais em cidades do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais na Operação Expresso 80, da Polícia Federal. O objetivo é desarticular uma organização criminosa especializada no tráfico internacional de armas e drogas com atuação em diversos estados do Brasil.

Na ação, foram expedidos 23 mandados de prisão preventiva, um de prisão temporária, 32 mandados de busca e apreensão e 29 de sequestro de bens e bloqueio de valores. Há ainda sete mandados de suspensão de atividade comercial e lacração de estabelecimento, todos expedidos pela 1ª Vara da Justiça Federal de Ponta Grossa (PR).

As investigações começaram em maio de 2020, quando foi apreendido, na cidade de Ponta Grossa (PR), um ônibus carregado com 1,7 tonelada de maconha e dois fuzis calibre .556. Após a apreensão, a Polícia Federal em Ponta Grossa seguiu com as investigações por mais de um ano e três meses. Nesse período foram apreendidas novas cargas de drogas, diversas armas de fogo vindas do Paraguai, além de veículos e outros bens.

De acordo com a apuração realizada pela PF, os investigados se utilizavam de empresas de locação de veículos e de transporte rodoviário de passageiros para a movimentação das drogas e armas para vários destinos no Brasil. Os materiais eram armazenados em fundos falsos de ônibus e vans de turismo das empresas que pertenciam ao líder da organização investigada.

O nome da operação remete aos fuzis apreendidos, que eram montados com 80% das peças compradas sem registro com o propósito de dificultar o seu rastreamento. A Operação conta com o apoio da Divisão de Narcóticos da Policia Civil de Cascavel e com o apoio logístico da Delegacia da Polícia Federal em Foz do Iguaçu.

Categorias
Brasil Destaque Notícias Polícia Rio Social

Justiça faz mutirão para julgar processos de violência doméstica no Rio de Janeiro

Da Agência Brasil

Para marcar o mês em que a Lei Maria da Penha completa 15 anos, bem como a campanha Agosto Lilás, de enfrentamento à violência contra a mulher, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) inicia hoje (9) um mutirão para julgar processos que tramitam no VI Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, Regional da Leopoldina.

O juizado recebe cerca de 550 processos, por mês, das regiões do Complexo da Maré, Complexo do Alemão, Jacarezinho, Vigário Geral, Ramos, Penha, Inhaúma, Méier, Irajá, Ilha do Governador, Anchieta e Pavuna, todos na zona norte da capital.

Até o dia 27 deste mês, 12 juízas irão trabalhar para reduzir o número de processos que tramitam no juizado de 11 mil para 4 mil. A meta é fazer 1,5 mil audiências de conciliação. A ação também integra a Semana pela Paz em Casa, uma parceria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) com os Tribunais de todo o país.

Agosto Lilás

Nesse fim de semana, vários monumentos da cidade do Rio de Janeiro foram iluminados de lilás para marcar a campanha de enfrentamento à violência contra a mulher.

Ganharam a cor para lembrar dos 15 anos da Lei Maria da Penha o Cristo Redentor, a Igreja da Penha, o Maracanã, a Igreja Nossa Senhora da Penha, os Arcos da Lapa, a Câmara de Vereadores, o Museu do Amanhã, o Copacabana Palace, o Chafariz da Estrada do Galeão e o prédio da prefeitura.

Sancionada no dia 7 de agosto de 2006, a Lei 11.340, conhecida como Lei Maria da Penha, criou mecanismos para coibir a violência doméstica contra a mulher. O marco legal se tornou referência internacional, mas o Brasil ainda ocupa o 5° lugar no ranking mundial deste tipo de violência.

Segundo dados divulgados pela Câmara dos Deputados, uma em cada quatro mulheres sofreu algum tipo de agressão durante a pandemia, seja ela verbal, sexual ou física. Ao todo, são 17 milhões de mulheres agredidas entre junho de 2020 e maio de 2021.

Categorias
Brasil Destaque Notícias Polícia Política Rio

TRF mantém prisão preventiva de ex-governador Sérgio Cabral

Da Agência Brasil

A Primeira Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) decidiu manter uma das prisões preventivas a que foi condenado o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. Os desembargadores rejeitaram recurso da defesa de Cabral que pedia a suspensão da prisão, decretada em 2017 no processo da Operação Eficiência, que é desdobramento da Lava Jato. O ex-governador tem 20 condenações e juntas as penas ultrapassam os 350 anos de prisão.

Nessa ação, o ex-governador é acusado de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, praticadas em um esquema de propinas para favorecer o empresário Eike Batista. Outras três prisões preventivas estão em vigor contra Cabral, uma pela Operação Calicute, também da Justiça Federal do Rio de Janeiro, uma na Justiça Federal do Paraná e outra do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.

Segundo o TRF2, a defesa do ex-governador alegou no pedido de suspensão da prisão preventiva que ele teria se oferecido para colaborar com as investigações e que, por isso, não haveria motivos para mantê-lo no cárcere. Outros argumentos foram o de que não haveria risco de fuga, já que seu passaporte está retido, e que não oferecia risco à ordem pública por estar fora do governo estadual desde 2014.

Para a relatora do processo, a desembargadora federal Simone Schreiber, a soltura de Cabral poderia, sim, pôr em risco a ordem pública, porque ele ainda poderia exercer influência política mesmo estando afastado de mandatos eletivos.

A magistrada destacou a quantidade e a gravidade das ações delituosas de que Cabral é acusado e reiterou que ele foi denunciado por ocupar posição de liderança de uma “organização criminosa de grande capacidade de organização e atuação”.

Categorias
Destaque Economia Notícias Polícia Rio

Polícia Civil do Rio e PF apreendem 2,7 toneladas de maconha

Da Agência Brasil

Agentes da Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) da Polícia Civil do Rio de Janeiro e policiais federais apreenderam 2,7 toneladas de maconha, que teriam como destino comunidades da capital fluminense. Os entorpecentes estavam escondidos em 45 caixas de papelão no interior de um caminhão, abordado no estado de São Paulo.

De acordo com nota divulgada hoje (8) pela Secretaria de Estado de Polícia Civil, os policiais “obtiveram informações sobre o transporte da droga e os dados foram repassados à Polícia Rodoviária Militar de São Paulo, que efetuou a abordagem no município de Andradina, na divisa com o estado do Mato Grosso do Sul”.

Dois indivíduos que estavam no caminhão foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Federal de Araçatuba, onde foram autuados por tráfico de drogas.