Categorias
Ana Cristina Campelo | Seus Direitos Notícias do Jornal Social Sociedade

ODS 6: Água limpa e saneamento

Garantir disponibilidade e manejo sustentável da água e saneamento para todos. Esse é o 6º Objetivo para o Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU).

A água está no centro do desenvolvimento sustentável e das suas três dimensões – ambiental, econômica e social. Os recursos hídricos, bem como os serviços a eles associados, sustentam os esforços de erradicação da pobreza, de crescimento econômico e da sustentabilidade ambiental. O acesso à água e ao saneamento importa para todos os aspectos da dignidade humana: da segurança alimentar e energética à saúde humana e ambiental.

A escassez de água afeta mais de 40% da população mundial, número que deverá subir ainda mais como resultado da mudança do clima e da gestão inadequada dos recursos naturais. É possível trilhar um novo caminho que nos leve à realização deste objetivo, por meio da cooperação internacional, proteção às nascentes, rios e bacias e compartilhamento de tecnologias de tratamento de água.

Até 2030 precisamos apoiar e fortalecer a participação das comunidades locais, para melhorar a gestão da água e do saneamento; ampliar a cooperação internacional e o apoio ao desenvolvimento de capacidades para os países em desenvolvimento em atividades e programas relacionados a água e ao saneamento, incluindo a coleta de água, a dessalinização, a eficiência no uso da água, o tratamento de efluentes, a reciclagem e as tecnologias de reuso; proteger e restaurar ecossistemas relacionados com a água, incluindo montanhas, florestas, zonas úmidas, rios, aquíferos e lagos.

Implementar a gestão integrada dos recursos hídricos em todos os níveis, inclusive via cooperação transfronteiriça; aumentar substancialmente a eficiência do uso da água em todos os setores e assegurar retiradas sustentáveis e o abastecimento de água doce para enfrentar a escassez de água, e reduzir substancialmente o número de pessoas que sofrem com a escassez de água; melhorar a qualidade da água, reduzindo a poluição, eliminando despejo e minimizando a liberação de produtos químicos e materiais perigosos, reduzindo à metade a proporçãode águas residuais não tratadas, e aumentando substancialmente a reciclagem e reutilização segura globalmente.

Alcançar o acesso a saneamento e higiene adequados e equitativos para todos, e acabar com a defecação a céu aberto, com especial atenção para as necessidades das mulheres e meninas e daqueles em situação de vulnerabilidade; alcançar o acesso universal e equitativo à água potável, segura e acessível para todos. Podemos e devemos fazer a nossa parte.  É possível!

Ana Cristina Campelo
Advogada e jornalista 
anacristina.campelo@jornaldr1.com.br

Categorias
Rio Social Tecnologia

Prefeitura em parceria com Cisco inicia cursos de tecnologia gratuitos

Programação que começa dia 28 é recomendada para jovens que buscam qualificação para o mercado de trabalho

A Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia (SMCT), em parceria com a Cisco Networking Academy, promove a partir de 28 de junho os cursos gratuitos online de tecnologia: Introdução ao Mundo Digital (Get Connected) e Introdução ao Empreendedorismo. As inscrições estarão abertas a partir de segunda-feira (21/06). As aulas começam dia 28 de junho e são recomendadas para jovens que buscam qualificação para o mercado de trabalho.

Fotos Divulgação: SMCT

Os dois cursos fazem parte da programação de sete módulos que serão oferecidos ao longo deste segundo semestre. Estão programados outros conteúdos: Introdução à Internet das Coisas, NDG linux Unhatched, Introdução a Cibersegurança, Fundamentos em Cibersegurança e Networking Essentials.

A SMCT tem adotado ações permanentes através de parcerias para que as pessoas se adaptem às novas ferramentas tecnológicas que estimulem a criatividade e o processo de aprendizagem – reforçou o secretário municipal de Ciência e Tecnologia, Willian Coelho.

O curso Introdução ao Mundo Digital oferece um primeiro passo aos alunos que desejam se inserir no mundo digital e contribuirá para adquirir qualificação profissional no futuro. Já o curso Introdução ao Empreendedorismo é voltado para os
jovens que desejam transformar suas ideias em um negócio que gere trabalho e renda.

Tive a oportunidade de fazer os cursos gratuitos de tecnologia. Eles deram uma guinada na minha carreira e ajudaram a me recolocar no mercado de trabalho – explicou Eleazar Albino, 34 anos, ex-aluno dos cursos e hoje, Analista de Infraestrutura.

A carga horária é de 30 horas para o módulo Introdução ao Mundo Digital (Get Connected) e de 15 horas para o de Introdução ao Empreendedorismo. Ao final do curso os alunos recebem seu certificado de conclusão. Os interessados podem se inscrever até 27 junho por meio dos links:

https://www.netacad.com/portal/web/self-enroll/m/course-578272
(Introdução ao Mundo Digital), e https://www.netacad.com/portal/web/self-enroll/m/course-513097
(Introdução ao Empreendedorismo)

Categorias
Destaque Notícias Rio Social

Maracanã 71 anos: estádio recebe visita de 71 crianças de projetos sociais

As comemorações começaram cedo nesta quarta-feira (16) no Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã. O mais emblemático templo de futebol mundial completou 71 anos, e, para marcar esta data, recebeu a visita de 71 crianças com idades entre 5 e 17 anos de sete comunidades (Providência, Jacarezinho, Barreira do Vasco, Batan, Camarista, Borel e Vidigal).

Elas, que nunca haviam tido a oportunidade de estar tão perto deste gigante, puderam fazer o tour, que foi guiado pelo secretário de Estado de Esporte, Lazer e Juventude, Leandro Alves, e passear pelas mais importantes áreas internas do estádio, da Calçada da Fama até a Tribuna, onde ficam as equipes de imprensa em dias de jogos.

O passeio foi organizado pela Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude e pela Superintendência de Desportos do Estado (Suderj), em parceria com a Secretaria de Polícia Militar (por meio do Comando de Polícia Pacificadora, que ficou responsável pela seleção das crianças). A ação contou ainda com a parceria da LBV – Legião da Boa Vontade, por meio do Instituto Faixa Preta de Jesus, e M. Dias Branco, que preparou lanches que foram entregues às crianças. Todos os 71 meninos e meninas participam de projetos sociais desenvolvidos por policiais militares nas sete comunidades.

“Essas crianças irão replicar a experiência vivida aqui para colegas, amigos e familiares, com reforço de valores. Quero agradecer às Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) envolvidas nessa iniciativa. No que depender da Secretaria de Esporte, em nome do governador Cláudio Castro, o esporte de inclusão será pauta prioritária para o nosso projeto”, comentou Leandro Alves.

O jiu jitsu representa muita coisa na minha vida. Graças ao esporte, eu pude estar aqui hoje e ir a São Paulo duas vezes competir. Nunca imaginei estar, meus pais nunca teriam condição de me trazer – disse Isabela Marques do Vale, de 14 anos, da comunidade da Providência. Ela, que é tricampeã brasileira e tricampeã mundial de Jiu Jitsu, completará 15 neste sábado e recebeu o tour como um presente de aniversário.

Durante o passeio, as crianças puderam passar pela Calçada da Fama e ver de perto os moldes dos pés de ídolos como Pelé, Garrincha, Zico e Zagallo; visitar os vestiários e as salas de aquecimento dos jogadores; além da salas onde acontecem as coletivas de imprensa. Também foi possível encontrar de pertinho peças cedidas por Neymar, atual camisa 10 da seleção brasileira, que doou recentemente sua chuteira e uma bola autografadas ao acervo do estádio, e acessórios usados por Zico, o maior jogador da História do Flamengo e maior artilheiro da história do Maracanã, com 334 gols, segundo dados de historiadores e do ex-jogador.

“Foi emocionante estar aqui pela primeira vez, passar pelos locais onde os jogadores passam, sentir essa energia – afirmou Felipe Cabral Timóteo, de 16 anos, bicampeão brasileiro de Jiu Jitsu que já conquistou 54 medalhas, “a maioria de ouro”, nas palavras dele. Felipe também mora na comunidade da Providência.

A criançada também teve a oportunidade de chegar pertinho do gramado e da área onde ficam os bancos de reserva. Como o ponto alto do tour, a chegada à área da Tribuna de Imprensa, de onde pode se ter uma vista privilegiada do campo e de cada pedacinho do templo que abriga quase 80 mil torcedores, foi a que gerou mais reações de emoção e deslumbramento entre os pequenos.

Projeto 7 Décadas de Emoção

Durante a visita, o secretário Leandro Alves também anunciou o projeto transmídia “Maracanã: 7 décadas de emoção”, que está em construção. O projeto terá um livro de capa-dura com 71 depoimentos sobre o estádio, um livro com a história do Maracanãzinho e um minidocumentário que vai passar pelos principais momentos do estádio, narrados por quem participou da história. O projeto está sendo desenvolvido em segredo e tem previsão de ser concluído ainda em 2021.

Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Rio Social

“Doe e Aqueça um Coração”: campanha arrecada agasalhos e cobertores para abrigos

A Polícia Militar, por meio do Segurança Presente, está com a  campanha “Doe e Aqueça um Coração” para arrecadar agasalhos e cobertores para abrigos que acolhem pessoas em situação de rua. As doações podem ser feitas em todas as bases da Operação até a próxima segunda-feira (21).

A Coordenadora das Assistentes Sociais da Operação Segurança Presente, Gilvania Coutinho, diz que o número de doações caiu na pandemia e alerta para as dificuldades vividas por inúmeras pessoas que hoje vivem nas ruas.

“Neste período de pandemia, os números de doações sofreram uma queda. Então, é muito importante que as pessoas colaborem separando uma peça de roupa em bom estado, que não estejam usando mais, e façam essa doação. Esse pequeno gesto pode fazer a diferença na vida de muitas pessoas”, destacou

Onde doar

A Operação Segurança Presente tem atualmente 33 bases no estado:

Lapa

Aterro do Flamengo

Méier

Lagoa

Centro

Niterói

Leblon

Copacabana

Tijuca

Ipanema

Nova Iguaçu

Laranjeiras

Bangu

Botafogo

Austin

Duque de Caxias

Barra da Tijuca

Recreio

Grajaú/Vila Isabel

Bonsucesso

São Gonçalo

Madureira

Jacarepaguá

Belford Roxo

Queimados

Irajá

São João de Meriti

Magé/Piabetá

Itaguaí

Cristo Redentor

Miguel Pereira

Paracambi

Japeri

Categorias
Ana Cristina Campelo | Seus Direitos Notícias do Jornal Social Sociedade

ODS 5: Igualdade de Gênero

Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas. Tratar mulheres e homens de forma justa, com oportunidades iguais de crescimento profissional e equiparação de cargos e salários. Respeitar e apoiar os direitos humanos e combater toda e qualquer discriminação à diversidade. Esse é o 5º Objetivo para o Desenvolvimento Sustentável da ONU, que visa:

– Eliminar todas as formas de violência de gênero nas esferas pública e privada, destacando a violência sexual, o tráfico de pessoas e os homicídios, nas suas intersecções com raça, etnia, idade, deficiência, orientação sexual, identidade de gênero, territorialidade, cultura, religião e nacionalidade, em especial para as mulheres do campo, da floresta, das águas e das periferias urbanas.

– Eliminar práticas nocivas, como os casamentos prematuros, forçados e de crianças e mutilações genitais femininas; garantir a participação plena e efetiva das mulheres e a igualdade de oportunidades para a liderança em todos os níveis de tomada de decisão na vida política, econômica e pública;

– Aumentar o uso de tecnologias para promover o empoderamento das mulheres; eliminar todas as formas de discriminação de gênero, nas suas intersecções com raça, etnia, idade, deficiência, orientação sexual, identidade de gênero, territorialidade, cultura, religião e nacionalidade;

– Reconhecer e valorizar o trabalho de assistência e doméstico não remunerado, por meio da disponibilização de serviços públicos, infraestrutura e políticas de proteção social, bem como a promoção da responsabilidade compartilhada dentro do lar e da família, conforme os contextos nacionais.

– Eliminar a desigualdade na divisão sexual do trabalho remunerado e não remunerado, promovendo maior autonomia de todas as mulheres, nas suas intersecções com raça, etnia, idade, deficiência, orientação sexual, identidade de gênero, territorialidade, cultura, religião e nacionalidade, por meio de políticas públicas e da promoção da responsabilidade compartilhada dentro das famílias.

– Assegurar o acesso universal à saúde sexual e reprodutiva e os direitos reprodutivos, como acordado em conformidade com o Programa de Ação da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento e com a Plataforma de Ação de Pequim e os documentos resultantes de suas conferências de revisão.

– Garantir igualdade de direitos, de acesso e de controle dos recursos econômicos, da terra e de outras formas de propriedade, de serviços financeiros, de herança e de recursos naturais de forma sustentável, por meio de políticas de crédito, capacitação, assistência técnica, reforma agrária e habitação, entre outras, em especial para as mulheres do campo, da floresta, das águas e das periferias urbanas. Proporção da população agrícola total com propriedade ou direitos assegurados sobre terras agrícolas, por sexo; e (b) proporção de mulheres entre proprietários e detentores de direitos sobre terras agrícolas, por tipo de posse.

– Adotar e fortalecer as políticas sólidas e legislação aplicável para a promoção da igualdade de gênero e o empoderamento de todas as mulheres e meninas em todos os níveis.

Podemos e devemos fazer a nossa parte. É possível!

Ana Cristina Campelo
Advogada e jornalista 
anacristina.campelo@jornaldr1.com.br

Categorias
Destaque Notícias Rio Social Sociedade

Hemorio lança campanha “Cada Gota Importa” para incentivar doações de sangue

Para reforçar os estoques de sangue na cidade do Rio de Janeiro e lembrar o Junho Vermelho, mês oficial de conscientização do ato de doar sangue, o Hemorio lança, a partir da próxima segunda-feira (14), a campanha Cada Gota Importa. O objetivo é reverter o triste cenário de queda nos estoques em meio à pandemia de Covid-19.

A cantora Pocah será a embaixadora da iniciativa.

“É um prazer dar voz a essa campanha tão importante. É um dever de todos nós mobilizar o maior número de pessoas. Doar sangue é um gesto que salva vidas, ainda mais neste momento de pandemia, onde tantas pessoas precisam de assistência”, afirma.

Também representando a campanha, o Hemorio convidou a aposentada Valéria Esteves, que contabilizou no último mês 208 doações de sangue em 25 anos de participação contínua, se tornando a maior doadora do instituto em atividade até o momento. Valéria, que doa desde 1995, tem 63 anos e já salvou 832 pessoas.

“É uma honra fazer parte dessa família e ter ajudado tanta gente nesses 25 anos de doação. Espero que meu gesto incentive outras pessoas a participarem e entenderem que assim como a campanha, cada gota importa e, aos poucos, fazemos um oceano de solidariedade”, explicou.

Ações

O Hemorio informou que preparou uma série de iniciativas que buscam facilitar a participação popular. A partir de segunda, a 99 vai oferecer até R$ 30 de descontos em duas viagens que tenham como ponto de destino ou de origem o Hemorio. Basta utilizar o código DOESANGUE. O objetivo é simplificar a ida e a volta dos doadores evitando a exposição em ambientes externos ou aglomerações.

A campanha vai até quarta (30). O MetrôRio e o Instituto Invepar também vão apoiar a campanha com a distribuição de 500 cartões unitários que serão entregues no próprio Hemorio por ordem de chegada. A parceria tem como objetivo incentivar a doação, facilitando o transporte dos possíveis doadores de sangue. É a segunda vez que a concessionária participa da campanha.

Pontos de coleta

Ao longo do mês, pontos de coleta serão instalados em diversos locais do Rio de Janeiro. Barra Shopping, Park Shopping, Via Brasil Shopping, Hospital Municipal Lourenço Jorge e Hospital da Criança serão alguns dos espaços que vão contar com equipes do Hemorio. Para quem vier ao próprio instituto, o Hemorio reservou brindes e homenagens pela participação.

Para receber os doadores, o Hemorio informou que estabeleceu um protocolo especial de atendimento, visando a segurança de doadores e colaboradores durante a coleta, com cadeiras de doação espaçadas, disponibilização de antissépticos para as mãos e intensificação na higienização das superfícies e instrumentos.

Estoque baixo

A iniciativa tem como objetivo somar esforços no estímulo à doação de sangue, uma vez que os estoques estão com 30% a menos de sua capacidade. A disponibilidade de bolsas de sangue é uma demanda diária e contínua para pacientes com doenças crônicas e vítimas de acidentes.

“Este é o mês definitivo para a doação de sangue. A importância desse gesto e a necessidade da participação popular são fundamentais para garantir que pessoas internadas nos hospitais do Rio de Janeiro possam ser atendidas. Todas as ações que fazemos buscam facilitar o acesso e a participação dos doadores e esperamos que, com nossa campanha, isso possa ocorrer”, explica o Diretor Geral do Hemorio, Luiz Amorim.

Com a diminuição dos serviços, o fechamento das empresas e a redução no número de pessoas nas ruas, o Hemorio conta mais do que nunca com o apoio da população fluminense.

Em 2020 a queda nas doações chegou a 3 mil bolsas de sangue. Com o avanço da Covid-19 e a determinação de novas restrições, o número de doadores vem regredindo progressivamente, colocando o Hemorio em alerta para o desabastecimento de diversos tipos sanguíneos, principalmente os de Rh positivo (A+, B+, O+).

Em média, para uma situação regular, é necessário que o Hemorio disponha de pelo menos 300 bolsas de sangue diariamente, porém, esse número se encontra em 210 unidades. Além do Hemorio, o Estado conta com postos de coleta em diversos outros municípios que podem ser acessados pelo site http://www.hemorio.rj.gov.br/html/Hemorrede_mapa.htm.

SERVIÇO:

Campanha: Cada Gota Importa

Código 99: DOESANGUE (R$ 30 para ir e R$ 30 para voltar)

MetroRio: 500 bilhetes unitários que poderão ser retirados no próprio Hemorio, por ordem de chegada, ao iniciar os procedimentos para doação de sangue.

Data de início: 14/06

Data de término: 30/06

Local: Rua Frei Caneca 8, Centro (Hemorio)

Quem pode doar na pandemia

• É preciso ter entre 16 e 60 anos e até 69 anos caso já seja doador de sangue

• O doador deve pesar no mínimo 50 kg

• É necessário estar bem de saúde

• Quem quiser doar precisa portar um documento de identidade oficial com foto

• Não é necessário estar em jejum, apenas evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes

• Candidatos à doação que tiveram a Covid-19 ficam inaptos por 30 dias após a cura.

• Candidatos à doação que tiveram a forma grave da Covid-19 ficam inaptos por 1 ano após a cura.

• Candidatos à doação que retornaram de viagem internacional, vindos de qualquer país, ficam inaptos por 30 dias a partir do dia da chegada ao Brasil

• Candidatos à doação que tomaram as vacinas contra Covid-19 da Pfizer e AstraZeneca ficam inaptos por sete dias. Aqueles que receberam o imunizante da CoronaVac ficam inaptos por 48h, mesmo período para aqueles que foram vacinados contra a gripe

• Jovens com 16 e 17 anos só podem doar sangue com autorização dos pais ou responsáveis legais. Devem portar o seu documento e um documento de identidade do responsável que assinou a autorização.

Seguindo o perfil @hemorio é possível contar com mais detalhes e saber como doar. Também é possível receber orientações pelo Disque Sangue de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 7h às 17h, através do número ‪0800 282 0708.

Categorias
Ana Cristina Campelo | Seus Direitos Brasil Destaque Notícias Notícias do Jornal Social Sociedade

ODS 4: Educação de qualidade

Assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade e promover oportunidades de aprendizagem para todos. Esse é o 4º dos 17 Objetivos Para o Desenvolvimento Sustentável da ONU.

De acordo com a organização, a matrícula na educação primária em países em desenvolvimento chegou ao índice de 91%, mas 57 milhões de crianças permanecem fora da escola. No Brasil, segundo dados de 2017 do IBGE, cerca de 50 milhões (25,4% da população) vivem na linha de pobreza.

Isso significa que há um grande trabalho de inclusão por meio da educação para ser realizado. Os Objetivos estabelecem que, até 2030:

– Seja garantido que a todas as meninas e meninos completem o ensino primário e secundário, que conduza a resultados de aprendizagem relevantes e eficazes;

– Que todos tenham acesso a desenvolvimento de qualidade na primeira infância, cuidados e educação pré-escolar;

– Seja assegurada igualdade de acesso para todos à educação técnica, profissional e superior de qualidade, a preços acessíveis;

– Seja aumentado substancialmente o número de jovens e adultos que tenham habilidades relevantes, inclusive competências técnicas e profissionais, para emprego, trabalho decente e empreendedorismo;

– Sejam eliminadas as disparidades de gênero na educação e garantir a igualdade de acesso a todos os níveis de educação e formação profissional para os mais vulneráveis, incluindo as pessoas com deficiência, indígenas e as crianças em situação de vulnerabilidade;

– Seja garantido que todos adquiram conhecimentos e habilidades necessárias para promover o desenvolvimento sustentável, inclusive por meio da educação para o desenvolvimento sustentável e estilos de vida sustentáveis, direitos humanos, igualdade de gênero, promoção de uma cultura de paz e não-violência, cidadania global, e valorização da diversidade cultural e da contribuição da cultura para o desenvolvimento sustentável.

– Seja substancialmente ampliado globalmente o número de bolsas de estudo disponíveis para os países em desenvolvimento, em particular, os países de menor desenvolvimento;

– Seja substancialmente aumentado o contingente de professores qualificados, inclusive por meio da cooperação internacional;

O mundo conquistou a igualdade na educação primária entre meninas e meninos, mas poucos países alcançaram essa meta em todos os níveis de educação. A Educação é o processo constante de criação do conhecimento e de busca da transformação-reinvenção da realidade pela ação-reflexão humana, segundo o educador e filósofo Paulo Freire. Considerado o teórico da educação brasileira mais respeitado em nosso meio acadêmico, ele sugere que a educação pode ocorrer em contextos formais ou informais e qualquer experiência que tenha um efeito formativo na maneira como se pensa, sente ou age pode ser considerada educacional.

De acordo com a Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996, a educação abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais.

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável são um apelo global à ação para acabar com a pobreza, proteger o meio ambiente e o clima e garantir que as pessoas, em todos os lugares, possam desfrutar de paz e de prosperidade. Estes são os objetivos para os quais as Nações Unidas estão contribuindo a fim de que possamos atingir a Agenda 2030 no Brasil. Podemos e devemos fazer a nossa parte. É possível!

Categorias
Brasil Destaque Notícias Social Sociedade

Brasil tem bons indicadores, mas ainda é foco de exploração infantil

Da Agência Brasil

Brincar, estudar, ter direito à saúde e à dignidade são direitos constitucionais garantidos às crianças brasileiras. Apesar de fundamentais, esses direitos esbarram muitas vezes em condições socioeconômicas que encurtam o trajeto de amadurecimento natural das crianças e apressam responsabilidades – o que gera experiências que se refletem em um futuro incerto e, por muitas vezes, traumático e limitador.

Visto atualmente por organismos internacionais como referência no combate ao trabalho infantil, o Brasil tem um histórico considerável de campanhas e ações públicas de combate à exploração de crianças e adolescentes. Mas nem sempre foi assim. Até a década de 90, o país era foco de exploração de suscetíveis na América Latina e apresentava indicadores alarmantes para faixas etárias abaixo de 16 anos.

Considerado um marco na aplicação dos direitos infantis, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) é um dos responsáveis pela mudança nos indicadores brasileiros. Confira o especial sobre os 30 anos do ECA na Agência Brasil.

Hoje (4), é comemorado o Dia Internacional das Crianças Vítimas de Agressão. A data, criada em 1982 pela Organização das Nações Unidas (ONU), foi inicialmente pensada para conscientizar a sociedade sobre as crianças que sofriam no conflito entre Israel e Palestina, mas foi ampliada para lembrar de abusos físicos, psicológicos e emocionais contra pessoas em idade vulnerável em todo o mundo.

O ano de 2021, em especial, faz parte de uma campanha internacional pela extinção de atividades exploratórias de crianças, e foi eleito pela ONU como “Ano Internacional para a Eliminação do Trabalho Infantil”. Outras iniciativas semelhantes acontecem ao longo do mês de junho, como o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, celebrado no dia 12.

“Desde 1990 o Brasil vem se destacando no cenário nacional pelas boas práticas de erradicação do trabalho infantil com a Convenção da ONU sobre os Direitos da Criança e do Estatuto da Criança e do Adolescente. A intolerância a essa violação de direitos gerou que de um lado ajudassem as famílias para que suas crianças não necessitassem adotar essas estratégias de sobrevivência. E, de outro, desestimulassem a todos aqueles que explorassem o trabalho infantil”, disse Benedito Rodrigues Dos Santos, consultor do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) para a Proteção à Criança e ao Adolescente.

Trabalho nocivo

Segundo dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil conta com 1,8 milhão de crianças e adolescentes com idades entre 5 e 17 anos em situação de trabalho infantil. Destes, 45,9% – cerca de 706 mil – enfrentam ocupações consideradas altamente nocivas para o desenvolvimento.

Para tentar reverter o quadro, o Ministério Público do Trabalho (MPT), a Justiça do Trabalho, o Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT) lançaram nesta semana a campanha “Precisamos agir agora para acabar com o trabalho infantil!”, que promove ações de conscientização e visibilidade sobre o tema em redes sociais.

Exploração na pandemia

Segundo estimativa dos órgãos, o contexto da pandemia de covid-19 e o aumento de desigualdades sociais pode resultar em mais 300 mil crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil. Atualmente, América Latina e Caribe somam 10,5 milhões nessa condição.

“Mais do que nunca, crianças e adolescentes devem ser colocados no centro das prioridades de ação, nas agendas políticas de reativação da economia e de atenção à população durante a crise, sempre por meio do diálogo social e com um enfoque de saúde em todas as políticas e ativa participação da sociedade civil”, afirmou Maria Cláudia Falcão, Coordenadora do Programa de Princípios e Direitos Fundamentais no Trabalho, do Escritório da OIT no Brasil.

Para a Unicef, embora não existam estudos nacionais consolidados sobre o impacto da pandemia do covid-19 nas praticas de trabalho infantil, relatos de conselheiros tutelares, fiscais do trabalho, profissionais dos centros de referências da assistência social e colaboradores em geral denotam a percepção empírica de que houve impacto negativo da pandemia sobre os direitos das crianças.

“Dados coletados pelo Unicef em São Paulo apontam para o agravamento da situação de trabalho infantil durante a pandemia em pelo menos duas das consideradas piores formas de trabalho infantil: o trabalho urbano no mercado informal e o trabalho doméstico. A pandemia parece ter afetado, ainda, formas de exploração sexual e a participação de menores no tráfico de drogas”, relata Benedito Rodrigues Dos Santos.

Segundo o levantamento do Unicef, no conjunto dos domicílios em que mora pelo menos uma criança ou um adolescente, a incidência do trabalho infantil era de 17,5 por 1.000 antes da pandemia, e passou a ser 21,2 por 1.000 depois da pandemia, o que representa um aumento de 21%. Os dados da pesquisa são referentes à cidade de São Paulo.

Categorias
Cultura Social

Cantor Dudu Nobre participa de campanha beneficente contra a fome

Legião da Boa Vontade intensifica a campanha de mobilização social para atender o maior número de pessoas e tem adesão do cantor Dudu Nobre. 

            O cantor, sambista e compositor Dudu Nobre, recentemente, fez um vídeo para a LBV. A convite do representante da Legião da Boa Vontade do Rio de Janeiro, Pedro Paulo, o artista emprestou a sua imagem, talento e prestígio, para uma campanha social da instituição, gratuitamente.

Foto: Clilton Paz & Pedro Paulo.

  A LBV, instituição que existe há décadas, em parceria com o MMA Social e o Prêmio Cultural Plumas & Paetês, vêm realizando, diariamente, doações de cestas básicas para famílias ceifadas pela pandemia da COVID-19. Mesmo com as vacinas existentes e as campanhas de vacinação sendo efetuadas, a LBV vem fazendo a sua parte intensificando a campanha de mobilização social DIGA SIM para atender o maior número de pessoas possíveis devido à pandemia do coronavírus.

            Na visão do representante Pedro Paulo, “Infelizmente, milhares de vidas foram ceifadas e a pandemia tem causado grandes impactos nas famílias, principalmente as mais vulneráveis”. Dessa forma, ter o apoio de artistas e celebridades como o cantor Dudu Nobre valoriza o trabalho de pessoas e instituições como a LBV, o MMA Social e o Prêmio Plumas & Paetês Cultural. E a perspectiva é que outros artistas possam aderir a este tipo de movimento, bem como empresas para alavancar as doações e atender mais famílias vulneráveis.

            Ainda, segundo Pedro Paulo, a meta da LBV é entregar, por meio da campanha DIGA SIM, nas cinco regiões do país, cerca de 85 mil cestas básicas, 242 mil litros de leite, 91 mil kits de higiene e limpeza, e ainda 20 mil cobertores. O inverno, que é a estação mais fria do ano, está chegando e com isso uma demanda crescente de famílias a serem atendidas nas 82 unidades socioeducacionais da LBV.

Conheça mais sobre o projeto

  Instagram: @lbvbrasil / @torres.pedropaulo

Categorias
Cidade Notícias Polícia Rio Social

Polícia prende no Rio acusado de estuprar crianças

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Da Agência Brasil

Um homem de 35 anos, acusado de crimes de estupro de menores e de armazenar vídeos de sexo com crianças, foi preso em flagrante por policiais civis da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima do Rio de Janeiro.

As investigações indicaram que o acusado atraía as vítimas, entre oito e dez anos, para o seu refúgio, na comunidade Dona Marta, em Botafogo, na zona sul do Rio. Lá, segundo a polícia, ele filmava os abusos com um celular e divulgava os vídeos.

A prisão ocorreu ontem (25) depois de um trabalho de inteligência e de compartilhamento de informações com a Polícia Federal. O homem, cuja identidade ainda não foi divulgada, confessou os abusos após ser capturado. 

As investigações da polícia apontaram ainda que o preso tinha um mandado de prisão em aberto em São Paulo por tentativa de feminicídio contra a sua ex-companheira. Segundo a Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol), a partir daí ele passou a se esconder na comunidade Dona Marta, onde foi preso.

De acordo com a Sepol, “as vítimas identificadas serão encaminhadas a uma rede de proteção para receber os cuidados médicos e psicológicos”.