Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Rio Tecnologia

TRE-RJ já aceita pagamento de multa eleitoral por PIX ou cartão

Da Agência Brasil

As multas eleitorais por ausência de comparecimento às urnas já podem ser pagas via Pix ou cartão de crédito. A medida constitui mais uma opção de serviços virtuais do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ). As duas modalidades de pagamento serão realizadas diretamente no site da Justiça Eleitoral, por meio do PagTesouro, plataforma digital de recolhimento de valores à Conta Única do Tesouro Nacional, que funciona como uma Guia de Recolhimento à União (GRU) digital. O TRE-RJ informou, entretanto, que não é possível a emissão de GRU ou o pagamento por meio do PagTesouro da multa decorrente do alistamento eleitoral tardio.

As novas modalidades de quitação eleitoral permitem que eleitores que não tenham conta no Banco do Brasil possam quitar suas multas de forma simples e prática, sem necessidade de deslocamento a uma agência bancária. Continua disponível no site do TRE-RJ a emissão de GRU simples para pagamento de multa no Banco do Brasil.

Com a adoção do PagTesouro, o TRE-RJ amplia sua lista de opções de serviços virtuais ao eleitor, que já inclui o Título Net, para emissão de título e alteração de informações cadastrais, e a emissão de certidões pela internet ou pelo aplicativo e-Título.

Funcionamento

Caso o eleitor tenha débito a ser quitado, ao utilizar o canal de atendimento remoto disponível no site do TRE-RJ, tanto pelo Título Net quanto pela consulta de débitos, o sistema disponibilizará, além da opção “Emitir GRU”, para impressão da GRU simples e pagamento exclusivo no Banco do Brasil, a opção “Pagar”. Quem clicar na última opção, será direcionado para o fluxo de pagamento instantâneo via Pix ou cartão de crédito. Bastará seguir as orientações que aparecem na tela para realizar o pagamento.

O eleitor que optar pagar por Pix poderá escolher entre receber a chave de pagamento por meio de QR Code com validade de 24 horas ou copiar o código disponibilizado e colar no aplicativo bancário. O pagamento por cartão de crédito será intermediado pelos aplicativos PicPay ou Mercado Pago. Quem escolher pagar por essa modalidade deve ficar atento à cobrança da taxa de intermediação, de 2,99%.

O TRE-RJ informou, ainda, que após o pagamento em qualquer das modalidades disponíveis, o eleitor terá a baixa do débito no sistema da Justiça Eleitoral no prazo de até 48 horas a partir do recolhimento.

Categorias
Brasil Destaque Diário do Rio Notícias Tecnologia

Anatel marca reunião para votar leilão do 5G

Da Agência Brasil

A diretoria da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) marcou para a próxima sexta-feira (24) a reunião para concluir a votação da proposta de leilão para a exploração de serviços de acesso móvel usando a tecnologia 5G, que amplia a velocidade da conexão móvel.

A agência havia marcado a votação para a semana passada. Mas a decisão foi adiada por um pedido de vista do conselheiro Moisés Moreira. Os ministros ainda discutem algumas adequações sobre o texto da proposta para concluir a votação.

A Anatel irá finalizar a proposta após ela ter sido analisada pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Apesar de um parecer da área técnica apontando problemas e sugerindo mudanças, a maioria dos ministros votou pela aprovação da proposta da agência.

O leilão vai colocar as faixas de frequência para disputa por operadoras de telecomunicações, mediante pagamentos e determinadas obrigações. A votação irá definir essas condições.

O governo vem repetindo que a intenção não é arrecadar, mas colocar investimentos nessas novas redes. A expectativa do governo federal, manifestada pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria, em entrevistas, é que o leilão ocorra em outubro deste ano.

Categorias
Aisha Raquel Ali | Tecnologia Diário do Rio Notícias do Jornal Tecnologia

Smartphones: O mais caro é sempre o melhor?

Recentemente houve-se o lançamento dos novos modelos da Apple, que é o sonho de consumo de grande parte da população no quesito aparelhos tecnológicos.

Com preços no Brasil variando de R$6.000 a alarmantes $15.000 reais, a nova linha de smartphones segue a anterior, não vindo com carregador de parede e nem fones de ouvido; continuam com o mesmo design, tendo apenas modificações em sua câmera e o abandono da versão de 64g na sua nova linha, fazendo com que todos os modelos da nova geração tenham memória mínima de 128g.

Dias antes de seu lançamento oficial levantou-se os rumores de que os novos celulares viriam sem entrada de carregador a cabo, mas contrariando as fofocas espalhadas, a Apple manteve seus celulares com a entrada de carregadores habitual, deixando os de indução apenas como opcional.

Suas concorrentes seguem seu exemplo, preços exorbitantes a cada nova geração, menos acessórios adquiridos na compra do aparelho e pouquíssimas e insignificantes atualizações, o que não justifica tais valores.

Atrelado a todos os pontos salientados, entra a impossibilidade do consumo a grande maioria da população. A cultura imposta é a seguinte: os tais influencers digitais em massa utilizam hegemonicamente uma marca de telefone que são incrivelmente caros, ditando, implicitamente, a regra de que a marca x é a melhor e que os demais aparelhos são inferiores. Não estou dizendo aqui que a marca x ou y está errada ou que a atitude de influenciadores b ou c está incorreta, o que quero dizer é que, sem perceber, exaltamos algo que poderia ser melhor em diversos fatores e que acabamos contribuindo para que essa cultura de que apenas uma marca serve ou é a melhor de todas, o que é uma inverdade.

Será que o que é mais caro é sempre o melhor? Para cada necessidade há um tipo de aparelho, marca e preços diferentes. É válida a reflexão para que não viremos massa de manobra.

Aisha Raquel Ali
Webdesigner, assessoria em social media e marketing
aisha.raquel@jornaldr1.com.br

Categorias
Brasil Destaque Notícias Tecnologia

WhatsApp testa no Brasil funcionalidade de indicação de negócios

Da Agência Brasil

O aplicativo de mensagens WhatsApp anunciou que a cidade de São Paulo foi escolhida para testar uma nova funcionalidade que permite localizar bares, restaurantes, lanchonetes e outros tipos de empreendimento que usam a plataforma para fazer negócios.

A novidade, que será testada exclusivamente no Brasil, será chamada Guia de Negócios e funcionará como uma espécie de mapa de locais recomendados por usuários.

“No momento, o guia está disponível somente para algumas empresas no centro da cidade de São Paulo que vendem produtos e serviços na região, incluindo alimentação, varejo e educação. Com o tempo, esperamos incluir mais categorias e áreas geográficas, e disponibilizar o guia para mais para empresas que usam o app”, informou a empresa em comunicado.

Para as empresas que tiverem interesse em aderir e estejam localizadas no centro da cidade de São Paulo, o WhatsApp disponibilizou um vídeo explicativo para o processo de cadastro.

Assista ao vídeo:

Para usuários, a opção estará disponível em uma aba exclusiva que aparecerá com a atualização do aplicativo. Como é focada no mercado paulista, indicações de negócios ainda não aparecerão para os públicos de outras localidades.

Segundo pesquisa da empresa especializada em mercados de aplicativos e internet Statista, o WhatsApp conta com um mercado global de 2 bilhões de usuários, dos quais 120 milhões são brasileiros. O país fica atrás apenas da Índia, que tem 400 milhões de linhas móveis cadastradas no WhatsApp.

Categorias
Aisha Raquel Ali | Tecnologia Diário do Rio Notícias do Jornal Tecnologia

Anonymous ressurge

Considerado o grupo de hacktivismo mais famoso do mundo, o Anonymous está desde a primeira década deste século no imaginário popular. Com ações diretas e ataques voltados a políticos, empresários e outras personalidades, o coletivo virou uma das principais facetas da internet mundial.

Com várias células atuantes, inclusive no Brasil, o Anonymous voltou a entrar em evidência nesta semana após “declarar guerra” contra o presidente Jair Bolsonaro. Além de dizer que Bolsonaro “pagaria pelos crimes cometidos”, a divisão do grupo chamada “EterSec” aplicou um golpe de deface no site do Fib Bank, que nada mais é que pichação: a aparência de um site é desfigurada com imagens, vídeos e textos em forma de hacktivismo.

“A guerra está declarada, e faremos você pagar por seus crimes”, “As pessoas que você está matando são as pessoas das quais você depende”, diz o vídeo, que está rodando o Twitter e levou o Anonymous para os assuntos mais comentados na rede social. A revolta teria sido provocada pelos descasos no gerenciamento da pandemia de covid-19 e de comentários considerados antidemocráticos.

A Fib Bank está sendo investigada na CPI da covid por causa de um contrato de R$ 80,7 milhões envolvendo o Ministério da Saúde e a Precisa Medicamentos na compra da vacina Covaxin. Devido às suspeitas de irregularidades na aquisição do imunizante, o contrato foi suspenso.

Essa não é a primeira vez, inclusive, que o chefe do Executivo do Brasil é alvo do grupo. A Anonymous já atacou o Ministério da Defesa em 2018, mais recentemente em junho do ano passado, o Anonymous vazou dados de familiares e ministros do governo Bolsonaro, entre eles Flávio Bolsonaro, Carlos Bolsonaro, Abraham Weintraub e Damares Alves. Lembrando que o grupo também já atacou a JBS/Friboi, a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal e expôs nomes também como o Ex-Presidente Michel Temer e Aécio Neves.

Aisha Raquel Ali
Webdesigner, assessoria em social media e marketing
aisha.raquel@jornaldr1.com.br

Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Rio Tecnologia

Secretaria da Juventude inscreve até esta sexta para workshop gratuito de Whatsapp Business

Estão abertas as inscrições, até esta sexta-feira (03), para o workshop gratuito on-line de Whatsapp Business, oferecido pela Secretaria Especial da Juventude Carioca (JUVRio), em parceria com o Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (Cieds).

Podem participar jovens de 15 a 29 anos. Para se inscrever, basta acessar esse link. A aula acontecerá no próximo sábado (04), das 10h às 12h, e irá abordar o módulo introdutório do curso de Whatsapp Business por meio de uma oficina virtual. Os inscritos terão direito a certificado de participação.

Além da capacitação para um uso mais abrangente das funcionalidades do WhatsApp Business, os participantes também terão acesso a treinamentos exclusivos voltados para o cenário empreendedor. Inovação, criatividade, finanças pessoais e finanças para negócios são temas que fazem parte do treinamento, que tem como foco otimizar o desenvolvimento de pequenos negócios por meio da tecnologia.

A parceria do workshop Whatsapp Business foi articulada pela Fundação João Goulart e envolve, além da JUVRio, as secretarias municipais de Ciência e Tecnologia, de Ação Comunitária e Políticas e Promoção da Mulher.

Categorias
Aisha Raquel Ali | Tecnologia Diário do Rio Notícias do Jornal Tecnologia

Metaverso se aproxima

A divisão de realidade virtual do Facebook anunciou uma versão de testes de um ambiente pensado para simular reuniões presenciais e que pode substituir num futuro próximo as videochamadas.

Ao se conectar com outros usuários, as pessoas podem configurar um avatar e interagir com elementos como lousas, blocos de anotações e tela de apresentação.

Contudo, nada é tão fácil quanto se parece, o espaço que é chamado de Horizon Workrooms, está disponível para quem possui headsets Quest 2, que custam US $ 299 (aproximadamente 1.600 reais pelos preços atuais) e não são comercializados oficialmente no Brasil por enquanto.

Quem não tem um headset pode se conectar por chamada de vídeo convencional e participar por meio de uma “tela” no ambiente.

O equipamento também conta com uma tecnologia chamada “áudio espacial”, capaz de simular a direção de onde o som está vindo. A tentativa é fazer com que a experiência seja o mais parecido a um espaço físico.

Esse é mais um passo para o que Mark Zuckerberg chamou de “metaverso” – um universo digital que, de certa forma, se sobrepõe a realidade física que estamos acostumados.

Em entrevista recente ao site americano “The Verge”, Zuckerberg disse que o “metaverso” pode vir a ser um sucessor da internet como conhecemos e substituir em parte a interação com celulares e outras telas. Essa visão é compartilhada por alguns outros executivos do setor da tecnologia. Vejamos o que virá mais para frente!

Aisha Raquel Ali
Webdesigner, assessoria em social media e marketing
aisha.raquel@jornaldr1.com.br

Categorias
Aisha Raquel Ali | Tecnologia Destaque Diário do Rio Notícias do Jornal Tecnologia

Facebook lança cursos de Tecnologia

O Facebook abriu nessa última segunda-feira (09) inscrições para os cursos gratuitos oferecidos pelo programa “Conectando seu futuro”, destinado para jovens a partir de 15 anos em situação de vulnerabilidade, com parceira com a ONG Recode.

Desde 2019, quando foi lançada, a iniciativa já atendeu mais de 30 mil jovens. A principal novidade da edição deste ano é o curso de desenvolvimento de games, que será oferecido em módulo básico ou intermediário. Na formação, os estudantes poderão acompanhar partes do processo de criação de jogos eletrônicos.

Aos que têm mais afinidade com as mídias sociais, o “Marketing Digital” oferece uma visão mais profissional sobre o tema. Por outro lado, para quem ainda não tem grande conhecimento em tecnologia há conteúdos que apresentam introdução à computação e ao acesso à internet.

No total, são oferecidas 12 formações diferentes, com conteúdos que abordam competências tecnológicas, socioemocionais e digitais para jovens com afinidade com o mundo digital ou que ainda não têm grande conhecimento em tecnologia. Todos os cursos são gratuitos, realizados de forma online e concedem certificado aos concluintes.

Como participar

Para realizar as formações, não é necessário ter conhecimento prévio em tecnologia. Basta ter pelo menos 15 anos, acessar o site da Recode, escolher uma das opções e realizar o cadastro. Todos os cursos são gratuitos, virtuais e podem ser realizados através de computador, tablet, celular ou qualquer dispositivo com acesso à internet.

Aisha Raquel Ali
Webdesigner, assessoria em social media e marketing
aisha.raquel@jornaldr1.com.br

Categorias
Destaque Tecnologia

Empresa cria cardápio digital gratuito para ajudar microempreendedores

 

 

Devido à pandemia de Covid 19, o mercado de delivery obteve um crescimento
considerável em 2020. Dessa forma, microempreendedores, pequenas e médias empresas tiveram que se adaptar e reforçar o seu serviço de entrega. Muitas dessas empresas, de maneira informal, já atendiam o cliente através do WhatsApp, enviando fotos do cardápio.
O processo para solicitar o pedido era dificultoso e oneroso para ambas as partes, cliente e empresa. Foi então, que um grupo pensou em uma solução tecnológica para facilitar o processo neste momento tão crítico da sociedade.

Foi desenvolvido o Cardapin, um complexo cardápio digital grátis para múltiplos lojistas, com o objetivo de facilitar a venda de deliveries. A aplicação é de fácil acesso e qualquer pessoa pode criar seu próprio cardápio digital, além da possibilidade de divulgar nas redes sociais e para clientes, suprindo todas as necessidades e do próprio negócio.

O mais novo método de criar cardápios digitais está se tornando febre entre deliveries, pela facilidade proporcionada ao usuário e excelente custo-benefício. Afinal, imagine ter vários pedidos de clientes direcionados por uma ferramenta que possui o cardápio
digital de sua própria empresa?

Adicione as fotos dos seus produtos, categorias, preços, método de pagamento e entrega, tudo de uma maneira simples e prática de fazer. Gere links com o contato do WhatsApp do seu negócio, crie uma mensagem pré-definida e compartilhe nas redes sociais para seu público. O Cardapin é o melhor link do WhatsApp da Web pela sua
versatilidade e rapidez.

A proposta é conceber o crescimento de negócios locais, automatizar as vendas, ranquear empreendimento para o topo, desenvolvimento rápido e seguro do cardápio, auxiliar pequenas empresas, promover mais lucro, impor autoridade para deliveries e novas oportunidades para negócios.

Atualmente, o Cardapin possui mais de 5 mil usuários cadastrados e já transformou diversos empreendimentos, auxiliando no crescimento exponencial de deliveries locais.

Nosso objetivo agora, é tornar o Cardapin, um cardápio Digital mais que completo, crescer cada vez mais e auxiliar o maior número de empreendedores possíveis que desejam alavancar seu próprio negócio. Queremos o sucesso de nossos usuários, afinal, o progresso deles é o nosso também – diz Felipe Ricardo Barra Ramos, sócio e idealizador.

SAIBA MAIS

Para saber mais acesse: www.cardapin.com

Categorias
Brasil Destaque Notícias Tecnologia

Alunos criam aplicativo para melhorar experiência sensorial de surdos

Da Agência Brasil

Um grupo de alunos da Escola de Inovadores desenvolveu um aplicativo para proporcionar uma experiência sensorial aos portadores de deficiência auditiva. Utilizando uma programação de inteligência artificial o aplicativo Feel the Music (FTN, sinta a música, em tradução livre), capta os sons que estão sendo emitidos e faz o aparelho de telefone celular vibrar no ritmo desses sons, em tempo real.

Segundo os idealizadores do projeto, a ideia nasceu em um hackathon que tinha a proposta de encontrar ideias inovadoras para o mercado da música. O FTM ficou em terceiro lugar na competição que aconteceu em 2020. Em seguida o projeto foi inscrito na edição do primeiro semestre de 2021 da Escola de Inovadores da agência Inova CPS, quando se transformou em startup e foi selecionado para a Vitrine Inova CPS.

O Inova CPS é um curso de extensão online e gratuito do Centro Paula Souza (CPS), que ensina os participantes a transformarem ideias inovadoras em startups. Os idealizadores do FTM, Rafael Zinni Lopes, Ricardo Teruaki Fujikawa e Victor Dias de Oliveira contam que durante o curso entenderam qual seria a capacidade de abrangência da ideia.

“Percebemos que o aplicativo poderia ser usado para levar acessibilidade não só para os aplicativos de música, mas também para transmissões de streaming e canais de vídeos, como Netflix e YouTube. Muitos desses canais mantêm apenas legendas como forma de acessibilidade e temos conhecimento de que muitas pessoas com deficiência auditiva não sabem ler, então, não são devidamente incluídas nesse mercado”, explicou Zinni.

Segundo Zinni, o aplicativo é destinado tanto para pessoas que não sabem libras nem escrita, sabem libras mas não escrevem, sabem libras e sabem escrever. Com o FTM é possível criar um estímulo a mais para que a pessoa com deficiência auditiva sinta a vibração das letras para aprender a escrever.

“O app é importante para pessoas que lutam por acessibilidade no Brasil e nós estamos aqui como um auxílio para eles. Podemos pegar qualquer aplicativo que tenha como base e fazer a tradução para a vibração e assim a pessoa sentir a emoção da música vibrando. Os resultados têm sido positivos entre aqueles que testaram”.

Zinni explicou que a solução está sendo desenvolvida com Interface de Programação de Aplicativos (APIs) em Python, voltado para banco de dados e uma API que traduz o som de maneira diferente do React.JS, também usado para o desenvolvimento do aplicativo. “O React é usado para trabalhar a interface que hoje se assemelha a um Ipod”, disse.

A solução será liberada inicialmente para dispositivos com sistema Android, para que tenha maior abrangência e atinja pessoas que não têm poder aquisitivo alto.

O professor da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) Ribeirão Preto, Adriano Buzoli, um dos orientadores do time, explicou que, além das mentorias e dos conteúdos estudados, o curso ofereceu aos alunos a oportunidade de contato com profissionais especialistas no mercado.

“Criamos um elo com mentores voluntários focados em trabalhos com linguagem de programação, marketing e branding. Assim, os estudantes conseguiram tirar dúvidas, foram aprimorando novas versões do produto e puderam chegar ao modelo atual, que está muito próximo do que será lançado ao mercado. Trabalhamos muito também sobre a viabilidade economia, o posicionamento de marca do FTM e tivemos consultoria para a identidade visual. Esse estágio do projeto é crucial para as próximas etapas, como a Vitrine CPS”.

O projeto foi selecionado pela Vitrine Inova SP, que reúne os 50 melhores projetos da Edição da Escola de Inovadores. Os selecionados são conhecidos e avaliados por mentores, investidores e possíveis parceiros. Os dez mais avaliados da etapa participam do Acelera Inova CPS.