Categorias
Destaque Rio Tecnologia

Prefeitura lança a primeira Coordenadoria de Games e Esports do País

Evento contou com a presença de Gabriel “Bak”, um dos nomes mais conhecidos do cenário brasileiro de Esports

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia (SMCT), lançou nesta terça-feira (21/06), na Nave do Conhecimento Museu Cidade Olímpica e Paralímpica, no Engenho de Dentro, Zona Norte, a Coordenadoria de Games e Esports, primeiro órgão no Brasil voltado para área de games. O evento de lançamento contou com a presença de Gabriel “Bak”, um dos nomes mais conhecidos do cenário brasileiro de Free Fire, que foi homenageado pela SMCT como Embaixador Gamer da cidade do Rio de Janeiro, em razão da sua história de vida e trajetória profissional, com diversos títulos conquistados, que fundamentam sua importância para o setor de games.

Os games possibilitam o desenvolvimento de habilidades como criatividade, atenção, concentração, memória e agilidade. Hoje, os jogos eletrônicos podem ser apontados como uma ferramenta eficaz de aprendizagem, especialmente na inclusão de crianças e jovens devido ao ambiente lúdico proposto – afirmou Willian Coelho, secretário municipal de Ciência e Tecnologia.

Fotos: Divulgação SMCT/Laura Fantti

Segundo revelou a Pesquisa Game Brasil 2021, no seu levantamento anual, em sua 8ª edição, 72% da população do Brasil joga games. Diante desse cenário, o objetivo da Coordenadoria de Games e Esports, será buscar retornos para o Município em diversas áreas como turismo, arrecadação, desenvolvimento social, educação, entretenimento, novas carreiras e oportunidades no mercado de trabalho, bem como estimular toda a indústria de games e seu ecossistema.

Há alguns anos atrás, os esportes eletrônicos apareceram na minha vida e mudaram a minha perspectiva de futuro. Por isso, estar aqui hoje, na cidade onde eu nasci, falando sobre esse mercado e sobre minha evolução, é um grande motivo de orgulho pessoal. Isso é uma prova que os esports estão mudando a vida das pessoas, impactando nos sonhos e abrindo portas para ainda mais jovens – comentou Gabriel “Bak”, que fez uma palestra sobre a importância do cenário de jogos eletrônicos aliado à questão educacional e profissional.

Durante o evento, uma turma de alunos, entre sete e 12 anos, do Curso de Desenvolvimento de Games, oferecido gratuitamente pela Nave do Conhecimento do Engenhão, apresentou um jogo desenvolvido por eles.

Categorias
Destaque Meio Ambiente Notícias Rio Tecnologia

Prainha, na Zona Oeste, terá o primeiro quiosque do Rio com usina solar

A Prainha, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, saiu na frente e terá o primeiro quiosque da orla carioca a contar com uma usina solar para geração de energia elétrica. A iniciativa faz jus a uma das praias mais preservadas e paradisíacas da cidade, que não conta com rede elétrica e permanece praticamente intocada há mais de cinco décadas, desde que a primeira geração de surfistas começou a desbravar suas ondas.

O sistema off grid (fora da rede elétrica), instalado pela SolarOn com equipamentos Renovigi, tem capacidade de 5.4kWp e conta com dez painéis fotovoltaicos e duas baterias para armazenar a energia que será usada quando não há sol. O investimento foi de R$ 77 mil e vai permitir ao quiosque Layback Soul Prainha Rio instalar uma chopeira, geladeira e freezer.

A inauguração da usina será nesta quarta-feira (15/06), quando começa o LayBack Pro, etapa da Liga Mundial de Surf (WSL) que terá programações especiais de jiu-jitsu e skate, além de atividades de educação e preservação ambiental. Esta é a primeira vez que a Prainha, detentora da Bandeira Azul, selo internacional de qualidade ambiental, recebe um campeonato mundial de surf.

Bill Tassinari, um dos sócios do quiosque LayBack, comenta que aproveitou o momento de modernização do espaço para trazer um sistema mais eficiente de geração de energia limpa, e que servisse igualmente de conscientização ambiental, dada a importância conservacionista da área, abrangida pelo Parque Natural Municipal da Prainha. “Inovamos no quiosque, mas sem perder a essência do parque e de toda a cultura de preservação do meio ambiente que temos aqui na região. Esperamos que ações como essas possam servir de exemplo e motivar outros quiosques a adotarem iniciativas similares”, afirmou.

Segundo Gustavo Martins, CEO da Renovigi, sistemas fotovoltaicos off grid são mais utilizados em áreas rurais, mas também podem ser uma alternativa para as cidades, em regiões fora da rede elétrica, como a do quiosque, que passam a ser geradores de sua própria energia, de forma limpa e sustentável. “Com a popularização das baterias, os sistemas de geração off grid vão se tornar cada vez mais acessíveis. Além do aspecto sustentável, tem um enorme ganho de economia, já que não haverá custo de energia para o proprietário após o investimento inicial”, comentou.

De acordo com Pedro Jacques, diretor da SolarOn, a energia solar ganha cada vez mais adeptos no Rio de Janeiro. Por mês, a empresa faz cerca de 60 instalações, 80% delas para pessoas físicas. “Estamos conseguindo mostrar para o consumidor que ele pode deixar de ser um cliente cativo da concessionária. Existem diversas linhas de financiamento para a instalação do sistema, que, após o investimento inicial, vai trazer enorme economia. Além do custo, existe também o aspecto ambiental, importante para muitas empresas e pessoas físicas”, explicou Pedro.

A energia solar não emite gases poluentes, por isso é considerada uma importante aliada no combate ao aquecimento global. Mês a mês, ela bate recordes no Brasil. Na primeira quinzena de maio, a produção das usinas fotovoltaicas conectadas ao Sistema Interligado Nacional (SIN) cresceu 60,1%, atingindo 1.164 megawatts médios (MWmed), ante 727 MWmed no mesmo período de 2021, de acordo com o boletim da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

No mundo, a fonte solar bateu recentemente a marca histórica de 1 terawatt (TW) de potência instalada. O Brasil é líder na América Latina e deve se tornar um dos principais mercados globais nos próximos anos, podendo chegar a 54 gigawatts (GW) de capacidade solar total até 2026, de acordo com o estudo “Global Market Outlook for Solar Power 2022-2026”.

Categorias
Destaque Economia Notícias Notícias do Jornal Rio Tecnologia

Camila Farani será embaixadora do Rio Innovation Week, maior evento de tecnologia e inovação da América Latina

Camila Farani, presidente da G2 Capital, Shark Tank Brasil por seis temporadas e empreendedora, é a mais nova sócia e embaixadora do Rio Innovation Week (RIW), maior evento de inovação e tecnologia da América Latina. Realizado pela primeira vez em janeiro deste ano, o RIW reuniu mais de 1 mil startups no Jockey Club Brasileiro. A próxima edição vai acontecer de 8 a 11 de novembro no Píer Mauá.

Criado para fazer do Rio de Janeiro um futuro polo de tecnologia e inovação da América Latina, o Rio Innovation Week tem, entre seus idealizadores, Fábio Queiróz, presidente da Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ) e presidente do Conselho Organizador do Evento, Jerônimo Vargas, diretor da Base Eventos, e Carlos Júnior, founder e CEO do Sai do Papel, grupo de inovação e empreendedorismo, focado no desenvolvimento de startups para o mundo dos negócios.

De acordo com Fábio Queiróz, a parceria vai engrandecer muito o projeto, principalmente pelo conteúdo que será apresentado no FaraniStage, palco onde Camila irá receber os maiores nomes da tecnologia e da inovação internacionais. Na primeira edição do RIW, a investidora fez uma das palestras de maior sucesso, atraindo um público de cerca de 8 mil pessoas.

“O evento cresce bastante com a entrada da Camila, que é uma inspiração para este ecossistema de tecnologia e inovação. Com isso, aprimoramos ainda mais o conteúdo e ganhamos uma grande parceira, que vai ajudar no desenvolvimento estrutural para que o RIW, que já é o maior evento de inovação e tecnologia da América Latina, se torne uma referência global. Ela entra de cabeça como embaixadora do Rio Innovation Week”, afirmou Fábio.

Para Camila, uma das motivações para se juntar ao time do RIW consiste em posicionar o Rio de Janeiro como um grande celeiro de inovação, empreendedorismo e tecnologia. “Como boa carioca, não poderia ficar de fora. Vamos colocar o Rio no lugar onde ele merece estar: no mapa global da inovação”, comenta Camila.

Idealizadora da Ela Vence, plataforma para o desenvolvimento de lideranças femininas, ela acrescenta que também espera atrair mais as mulheres para o mundo da nova economia, além de estimular uma abordagem simples das temáticas relacionadas à transformação digital. “Quero ajudar as pessoas e se conectarem com os assuntos que circundam o universo da inovação e da tecnologia, inserindo-as verdadeiramente na pauta do futuro e do presente”, destaca a empresária.

Jerônimo Vargas ressaltou a importância da representação das mulheres no projeto, pauta de extrema importância no evento. “A segunda edição do RIW vem com grandes transformações, um novo local, no centro do Rio, e a parceria da Camila, que será fundamental para ampliar os segmentos que o evento abordará”, disse.

Segundo Carlos Júnior, a empresária vai potencializar todas as frentes que eles gostariam de desenvolver, ressaltando o papel da mulher empreendedora e investidora. “Camila vai aportar todo o conhecimento, todo o histórico que ela tem no apoio a novos negócios, startups, inovação e empreendedorismo.”, comentou.

O Rio Innovation Week será realizado no Píer Mauá, de 8 a 11 de novembro. Em janeiro deste ano, em sua primeira edição, o evento contou com mais de 500 palestrantes e 200 expositores, onde se apresentaram nomes de peso, como o fundador do grupo Virgin, Richard Branson, autor de diversos livros, com negócios que vão da música à aviação, e o cofundador da Apple, Steve Wozniak.

A próxima edição, que será ainda maior, irá contar com 22 conferências. O lançamento oficial do projeto acontecerá na primeira quinzena de julho.

Categorias
Aisha Raquel Ali | Tecnologia Rio Tecnologia

Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia cria primeira Coordenadoria do Brasil direcionada aos games

 

A Cidade do Rio de Janeiro irá receber em maio de 2023, no Riocentro, o WEB SUMMIT. Trata-se de um megaevento de Inovação Tecnológica que teve sua origem em 2009 na Irlanda e ganhou fama durante os anos em suas edições em Lisboa, pois passou a reunir alguns dos maiores nomes da Tecnologia Mundial, passando a atrair milhares de pessoas, fazendo com que a Capital Portuguesa se transformasse em um dos maiores polos tecnológicos da Europa.

Este Megafestival Tecnológico está vindo para a América Latina e a nossa Cidade Maravilhosa ganha um reforço na sua visibilidade internacional e irá colher muitos benefícios em razão dos negócios que surgirão através de Empresas importantes no Setor Tecnológico oriundas dos Estados Unidos, Canadá, Europa e Ásia, abrindo possibilidades de parcerias entre Startups brasileiras e de outros países.
Compartilho com o sentimento do Prefeito Eduardo Paes ao afirmar que o Rio está voltando ao seu lugar de destaque no cenário mundial e a escolha da Cidade do Rio de Janeiro vai ao encontro do seu objetivo de torna-la a Capital da Inovação e Tecnologia na América Latina. Foi essa sua visão empreendedora que o motivou a ir a Lisboa para participar da edição de 2021 do WEB SUMMIT e observar a sua grandiosidade de oportunidades.

Na Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia temos nos empenhado muito para oportunizar a população carioca, em especial a nossa juventude, com projetos voltados para a capacitação tecnológica e o incentivo ao empreendedorismo através dos projetos “Nave do Conhecimento”, 09 (nove) naves distribuídas nas regiões da zona oeste, zona norte e zona do subúrbio. Estamos no início de junho lançando o edital para três novos projetos: “Nave On-line”; “Nave Espacial” (02 caminhões itinerantes) e “Nave Satélite”, este último será implantado nos CIEPs.

Outra novidade que nos remete uma expectativa bastante positiva, em razão de estarmos vivendo uma nova cultura estabelecida pelas tecnologias, onde a presença as telas está cada vez mais efetiva em nossa rotina diária, sendo inquestionável que essas novas tecnologias tem possibilitado aos jovens desenvolverem processos de inclusão dentro e fora das salas de aula.

Seja através do teclado, do mouse ou digitando no smartphone, os Games tem possibilitado suprir quaisquer diferenças de gênero, raça e características físicas. Hoje os vídeos games podem ser apontados como uma eficaz ferramenta de aprendizagem, especialmente na inclusão de crianças e jovens com deficiências devido ao ambiente lúdico proposto.

Os jogos propiciam o desenvolvimento de habilidades como atenção, concentração, memória, agilidade e criatividade. Segundo dados da consultoria American Accenture, o setor de Games fatura mais que o de cinema e música juntos. Ele é responsável por mais da metade do valor da indústria de entretenimento atualmente. De acordo com os analistas da plataforma Newzoo, o Brasil é líder de lucratividade no mercado de Games na América Latina e o 13º colocado no Ranking Mundial.

Diante deste cenário pujante, o Rio de Janeiro, através da Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia (SMCT), saiu na frente e criou em sua estrutura o primeiro órgão focado no cenário de games e e-sports.
O novo órgão tem a finalidade de desenvolver e executar políticas públicas envolvendo todo o cenário de games, desde eventos, palestras, competições, organizações e projetos sociais, com foco também na inclusão de pessoas com deficiências para dentro deste universo.

É nosso propósito que a SMCT, através de sua Coordenadoria de Games, buscará retornos para o Município em diversas áreas como turismo, arrecadação, desenvolvimento social, educação, entretenimento, novas carreiras e oportunidades no mercado de trabalho, bem como estimular toda a indústria de games, como estúdios, profissionais da área, publicadoras, plataformas e todos os demais players desse ecossistema.

Importante destacar que a Pesquisa Game Brasil 2021, fez um levantamento anual e revelou em sua 8ª edição que 72% da população do país joga games. O levantamento da PGB também indicou que as mulheres são maioria, representando 51,5% dos jogadores. Já na faixa etária, os adultos entre 20 e 29 anos são maioria com 41,1%, e que os smartphones continuam sendo a plataforma favorita dos jogadores, com 41,6% da preferência.
Temos motivos para estarmos entusiasmados com os resultados, que esperamos e torcemos, que a recém-criada Coordenadoria de Games e e-Sports possa trazer nas ações que irá criar.

Willian Coelho
Secretário Municipal de Ciência e Tecnologia-SMCT

Categorias
Destaque Notícias Rio Tecnologia

Naves do Conhecimento oferecem três mil vagas para cursos gratuitos de tecnologia e empreendedorismo neste mês de maio

A Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia (SMCT), por meio das Naves do Conhecimento, ainda está disponibilizando três mil vagas para inscrições em diversos cursos gratuitos nas áreas de tecnologia, informática e empreendedorismo, até o fim desta segunda quinzena de maio. Os cursos serão realizados no formato presencial e online. As vagas são limitadas e as inscrições presenciais acontecem somente nas naves do Engenhão, Madureira, Triagem e Nova Brasília, na Zona Norte. Para ter acesso ao cronograma completo e fazer a inscrição, basta acessar o site

Entre os temas oferecidos pelas Naves estão: Canva: O design para seu empreendimento, Empreendedorismo na Prática, Conhecendo o NFT, Aprendendo Excel em VBA, Introdução ao Power BI – Business Intelligence, Lógica de Programação, Introdução ao Áudio Visual – Fotografia, Controle Financeiro Pessoal, Internet das Coisas, Como criar um vídeo no PowerPoint, Smartphone: Como utilizar as principais funções do sistema android, Fundamentos do Hardware, Edição de vídeo com Lightworks, entre outros.

Categorias
Ciência Destaque Notícias Rio Tecnologia

Alunos vencedores da Olimpíada Municipal de Ciência e Tecnologia recebem notebooks

A Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia (SMCT) e a Secretaria Municipal de Educação (SME) realizaram nesta quinta-feira (07/04), na Nave do Conhecimento do Engenhão, a entrega de dez notebooks para os alunos das equipes que se destacaram na primeira edição da Olimpíada Municipal Estudantil de Ciência e Tecnologia.

Receberam os computadores doados pela SME, os alunos da Escola Municipal Olímpica Carioca Nelson Prudêncio, da Ilha do Governador, na Zona Norte, vencedores da competição com o Projeto Sonhar. Um aplicativo criado para auxiliar jovens estudantes a opinarem sobre o futuro da educação por meio de um game. Também receberam os notebooks os alunos da E.M. Sobral Pinto (2ª Lugar, Projeto – CLASSLINE) e a equipe da E.M. Rose Klabin (3º Lugar, Projeto – Aplicativo Conectando Suburbanos).

Conseguimos realizar a competição num momento muito difícil, quando atravessávamos uma pandemia. Nossos esforços para implementar essa iniciativa valeram à pena. Com certeza colheremos os frutos através dessa geração de alunos vencedores. Promoveremos outras edições das Olimpíadas a cada ano – afirmou Willian Coelho, secretário municipal de Ciência e Tecnologia.

Foto: Laura Fantti/SMCT

Promovida pela SMCT, com apoio da SME, a disputa aconteceu no formato online, entre os dias 20 e 22 de outubro do ano passado. O objetivo da competição estudantil foi incentivar os alunos do Ensino Fundamental da rede municipal a identificarem problemas reais e desenvolverem soluções baseadas em ciência e tecnologia, através de uma maratona de criatividade, empreendedorismo e inovação, que durou três dias.

É importante ver um projeto assim em uma escola municipal. Estes jovens são protagonistas de suas histórias e queremos incentivá-los a exercer sua cidadania, desenvolver soluções para sociedade e fortalecer habilidades que serão úteis, tanto na vida educacional como na profissional. Estamos indo muito além do muro das escolas e preparando eles para o futuro – explicou o secretário municipal de Educação do Rio de Janeiro, Antoine Lousao.

Um dos propósitos da Olimpíada foi motivar o ecossistema empreendedor voltado para os jovens, estimulando também a criação de startups a partir de desafios expostos nos temas: meio-ambiente, Covid-19 e os impactos na juventude, futuro da educação, direitos humanos, geração de renda e saúde.

Categorias
Destaque Notícias Tecnologia

Naves do Conhecimento oferecem mais de 10 mil vagas em cursos gratuitos

A Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia (SMCT), por meio das Naves do Conhecimento, está com inscrições abertas para mais de 10 mil vagas em diversos cursos gratuitos nas áreas de tecnologia, informática e empreendedorismo. Os cursos serão realizados no formato presencial e online. Palestras e oficinas gratuitas também estão disponíveis na programação oferecida para o mês de abril.

Inscrições presenciais acontecem somente nas naves do Engenhão, Madureira, Triagem, Vila Aliança e Nova Brasília, na Zona Norte. As vagas são limitadas. Para ter acesso ao cronograma e fazer a inscrição, basta acessar o site

Fotos: Divulgação/SMCT

As Naves são espaços essenciais que promovem várias atividades com o objetivo de potencializar a experiência digital, além de contribuir para o ingresso de jovens no mercado de trabalho através dos cursos de capacitação em novas tecnologias – afirmou Willian Coelho, secretário municipal de Ciência e Tecnologia.

Entre os temas oferecidos pelas Naves estão: Desenvolvimento de Games, Edite Imagens com Photoshop, Tecnologia e Trabalho: Gestão de Pessoas, Marketing Digital para Empreendedores, Conhecendo o NFT, Ferramentas Digitais, Manutenção de Computadores, Produção de Storyboard, Capacitação 5S, Aplicativos para Windows 11, Edição de Vídeo com Lightworks, Canva, Introdução ao Design Gráfico: Inkscape, Bancos de Dados: Linguagem SQL, Linux Essentials, Fundamentos de Excel ao VBA, Introdução ao Audiovisual, Redes Sociais para Empreendedores, Office Essencial, Introdução à Impressão 3D, entre outros.

Categorias
Destaque Notícias do Jornal Tecnologia

Para reduzir consumo e emissões, DHL Supply Chain instala painel solar inovador em caminhões refrigerados para indústria da saúde

Inovação e sustentabilidade são dois aspectos centrais da estratégia da DHL Supply Chain, líder global em armazenagem e distribuição, que estão juntos em um projeto na área de transportes. Para reduzir o consumo de combustível e a emissão de gases na movimentação de carga, a companhia instalou placas solares superfinas em 16 caminhões refrigerados da Polar, transportadora pertencente ao grupo especializada em cadeia fria para indústria da saúde.

De fácil instalação e operação, a tecnologia inovadora pode proporcionar uma redução de cerca de 5% no consumo de combustível (que é mais elevado dado ao sistema de refrigeração) e de 4 toneladas de gases por caminhão, ao ano. Com os bons resultados, a companhia estuda levar o sistema para grande parte da frota da Polar, atualmente com cerca de 350 veículos, e, em um segundo momento, uma parte da malha da própria DHL Supply Chain.

“Neste projeto, temos o ‘casamento’ da necessidade de reduzir custos e emissões com uma tecnologia economicamente viável e que se adaptou bem a realidade brasileira. A DHL tem a meta de zerar suas emissões até 2050 e para isso estamos utilizando diversas soluções. Este sistema, especialmente, é muito versátil, pode ser instalado pela nossa própria equipe e demanda pouca manutenção, nos auxiliando a manter nossa eficiência”, afirma Marcos Cerqueira, vice-presidente de Saúde da DHL Supply Chain.

O sistema se conecta diretamente ao motor e à bateria auxiliando na alimentação de ambos. A placa é tão fina (3 mm), que seu peso não influi no conjunto, bastando ser fixada no teto do baú após limpeza. Para o motorista, não há procedimentos adicionais — a manutenção é feita na base –, não afetando a produtividade do motorista e do time de manutenção. O equipamento possui ainda monitoramento inteligente de desempenho, cujas informações podem ser acessadas remotamente via aplicativo móbile ou descarregadas na base. Por enquanto, a DHL Supply Chain tem instalado uma placa por veículo, mas existe a possibilidade da instalação de mais.

A tecnologia utilizada foi desenvolvida pela TRAiLAR, startup que surgiu em um programa da inovação aberta da DHL no Reino Unido. A TRAiLAR foi a grande vencedora do programa, sendo acelerada. Tanto que, atualmente, a startup já vendeu seus sistemas solares para unidades da DHL na América Latina (além do Brasil) e na Europa. Ela também comercializa a solução para outros clientes.

Os veículos com o equipamento transportam, de forma geral, medicamentos, vacinas, testes clínicos e insumos de saúde em todo o Brasil. “É importante ressaltar também que as placas são resistentes a chuva e conseguem captar energia mesmo com o clima nublado e à noite, dado sua grande eficiência energética, até 960 whats por dia, em média”, afirma Miquele Lioi, diretor da Polar.

Além deste projeto, a DHL Supply Chain desenvolve ações sustentáveis como o uso de veículos elétricos (ou movidos a combustíveis alternativos) e bicicletas para entregas urbanas, um centro de distribuição com uma usina solar na cobertura, que gera quase toda a energia que é consumida no local, e a utilização de equipamentos elétricos nos armazéns, como paleteiras e transpaleteiras, além de painéis solares para recargas dos veículos.

Categorias
Ciência Destaque Notícias Tecnologia

Naves do Conhecimento oferecem mais de oito mil vagas em cursos gratuitos na área de tecnologia e empreendedorismo

A Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia (SMCT), por meio das Naves do Conhecimento, está com inscrições abertas para mais de oito mil vagas em diversos cursos gratuitos nas áreas de tecnologia, informática, empreendedorismo e inovação. Os cursos serão realizados no formato presencial e online. Oficinas e palestras gratuitas também fazem parte da programação oferecida pelas Naves neste mês de março.

Foto: Divulgação SMCT

Entre os temas oferecidos estão: Gestão em Comércio eletrônico, Informática Básica, Operador de computador, Edição de Imagens com o Photoscape, Montagem e manutenção de computadores, Scracth Programação para Crianças, Principais funções do Excel, Introdução ao Phyton, Gestão de Infraestrutura de TI, Edição de vídeo com Lightwork, Desenvolvimento de jogos, Normas ABNT e Pacote Office, Fundamentos da Fotografia, entre outros.

As Naves estão oferecendo uma grade repleta de cursos com foco em tecnologia e no mercado de trabalho. É essencial ter no currículo essa qualificação. Ela engrandece suas vantagens na hora de conseguir um emprego. Desenvolver ações de políticas públicas com este intuito é crucial – afirmou Willian Coelho, secretário municipal de Ciência e Tecnologia.

Foto: Divulgação SMCT

As Naves do Conhecimento são espaços que promovem inúmeras atividades que visam potencializar a experiência digital, além de contribuir para o ingresso de jovens e adultos no mercado de trabalho por meio da capacitação em novas tecnologias.

Inscrições presenciais acontecem somente nas naves do Engenhão, Madureira e Nova Brasília, na Zona Norte. As vagas são limitadas. Para ter acesso ao cronograma e fazer a inscrição, basta acessar o site

Categorias
Destaque Notícias do Jornal Tecnologia

Médicos e engenheiros viabilizam o uso autônomo de robôs em cirurgias

Com apoio da engenharia, o mundo da medicina vem avançando na arte de procedimentos assistidos por robôs, entre outras coisas permitindo que cirurgiões trabalhem de forma mais eficiente e segura.

Agora parece que mais um grande passo foi dado: pesquisadores americanos informam que um robô realizou com sucesso cirurgias complexas, tendo o cirurgião robô produzido resultados “significativamente melhores” do que os usualmente produzidos por médicos.

Os pacientes não eram seres humanos: o Smart Tissue Autônomo Robot (STAR), desenvolvido pela Universidade Johns Hopkins, realizou cirurgias laparoscópicas para conectar duas extremidades do intestino de porcos, tipo de cirurgia que exige um alto nível de precisão. Laparoscopias são pouco invasivas quando comparadas com cirurgias convencionais, o que é melhor para os pacientes; ocorre que, para sua realização, frequentemente não há cirurgiões suficientemente especializados para realizá-las.

Axel Krieger, professor da área de engenharia da Universidade Johns Hopkins, disse que foi a primeira vez que um robô realizou uma cirurgia laparoscópica sem ajuda humana, mostrando que será possível automatizar uma das tarefas mais complexas e delicadas da cirurgia: a reconexão de duas extremidades de um intestino.

Este é um procedimento desafiador em cirurgia gastrointestinal, exigindo que um cirurgião aplique pontos — ou suturas — com alta precisão. Mesmo um leve tremor na mão ou um ponto fora do lugar podem resultar em complicações, até fatais.

Krieger ajudou a desenvolver o robô, um sistema projetado especificamente para suturar tecidos moles. O STAR é o aprimoramento de um modelo de 2016 que reparou o intestino de um porco, mas que exigiu uma grande incisão para acessar o intestino do animal e grande participação de médicos.

O novo robô tem recursos que permitem maior precisão na cirurgia, incluindo ferramentas especializadas de sutura e sistemas de imagem que fornecem visualizações mais precisas do campo cirúrgico.

É difícil para robôs realizarem cirurgias de tecidos moles devido à sua imprevisibilidade, o que exige que o robô seja capaz de se adaptar rapidamente de forma a poder superar esses imprevistos, o que um cirurgião pode fazer e o STAR também parece estar conseguindo fazer.

Krieger resumiu dizendo que o que torna o Star especial é que é o primeiro sistema robótico a planejar, adaptar e executar um plano cirúrgico em tecidos moles com intervenção humana mínima. Segundo ele, a anastomose robótica (unir cirurgicamente duas estruturas) é uma maneira de garantir que cirurgias que exigem alta precisão e repetibilidade possam ser realizadas com mais exatidão e precisão em todos os pacientes, independentemente da habilidade do cirurgião, com resultados mais previsíveis.

São boas notícias que esperamos tornem-se rapidamente rotina.