Categorias
Brasil Destaque Notícias Notícias do Jornal Rio Turismo

Prefeitura do Rio vai reconhecer influenciadores digitais que incentivam o turismo

A Prefeitura do Rio, por meio da Riotur, lançou um edital para reconhecer e chancelar influenciadores digitais da cidade. Serão selecionados até 15 perfis que já publiquem em suas redes sociais conteúdos atrativos que incentivem o turismo. Durante um ano, os influenciadores escolhidos serão convidados a participar de ações turísticas e de grandes eventos, como o Carnaval e o Réveillon, além de passeios exclusivos a pontos turísticos e festas. Os escolhidos serão divulgados no dia 27 de setembro, quando é comemorado o Dia Mundial do Turismo.

Para concorrer, os candidatos precisam ter no mínimo 20 mil seguidores em pelo menos uma das redes sociais. Os influenciadores poderão inscrever perfis em diferentes redes no edital, mas apenas um por candidato será selecionado. A prefeitura destaca que não haverá vínculo financeiro nem empregatício com os selecionados.

O documento publicado no Diário Oficial desta sexta-feira também está disponível no site da Riotur, na aba Editais e Avisos. As inscrições estão abertas até o dia 18/09. Os formulários estão disponíveis nos perfis da Riotur no Instagram, Facebook, Twitter,  TikTok, YouTube  e Linkedin. Muitos influencers tem se destacado no Rio.

Organizações concentram esforços para retomar turismo no Rio

Após mais de um ano de pandemia, organizações que atuam na cidade do Rio de Janeiro concentram esforços para atrair grandes eventos de diferentes áreas e, com isso, movimentar a economia local. A intenção é que, com o avanço da vacinação contra a covid-19, o calendário da cidade volte a ser preenchido com congressos presenciais e eventos nacionais e internacionais.

Nas respectivas áreas, as organizações comprometeram-se a mapear os principais eventos e verificar a viabilidade de o Rio sediá-los. O COB e o Comitê Paralímpico Brasileiro, por exemplo, vão selecionar as principais competições esportivas nacionais e internacionais para submeter a candidatura da cidade, aproveitando a infraestrutura e os principais atrativos da cidade. Já a Invest.Rio é responsável pela interlocução com a prefeitura e pela busca de patrocinadores que permitam a realização dos eventos.

Antes da pandemia, em 2019, mais de 300 eventos foram realizados no Rio de Janeiro, atraindo, ao todo, mais de 1 milhão de visitantes à cidade e resultando em uma receita de R$ 1 bilhão. Os eventos confirmados para 2022 ainda estão longe dessa marca. De acordo com o Rio CVB, tais eventos devem gerar faturamento de cerca de R$ 300 milhões.

Categorias
Brasil Destaque Notícias Rio Saúde Turismo

Rodoviária do Rio de Janeiro recebe 40% menos passageiros no feriadão

Da Agência Brasil

Ainda como reflexo da pandemia da covid-19, a Rodoviária do Rio estima queda de 40% no número de passageiros neste feriado prolongado, na comparação com os números do período no ano passado. A estimativa é que passaram “apenas” 137 mil viajantes, entre embarques e desembarques, para um total de 4.440 ônibus. No início da manhã de sábado, o movimento foi mais intenso, mas depois se normalizou.

Os locais mais procurados são as cidades turísticas das regiões dos Lagos, Serrana e Costa Verde e do interior do estado, além de municípios dos estados de São Paulo e Minas Gerais e do Espírito Santo.

Apesar da expectativa de queda, este deverá ser o primeiro feriado de 2021 com possível aumento na procura por viagens. Nos outros feriados deste ano, não houve alteração na movimentação do terminal rodoviário.

As empresas de ônibus que operam no terminal estão seguindo os cuidados sanitários, com a desinfecção de toda a frota, antes e depois de cada viagem. Os veículos têm um sistema de refrigeração capaz de filtrar e renovar 100% do ar em seu interior.

A compra de passagens com mais comodidade pode ser feita por meio do sistema de buscas no site da rodoviária na internet. Os passageiros podem fazer “o embarque direto, apresentando o QRCode ao motorista sem ter que ir à bilheteria para trocar pela passagem) e encontrar descontos, se comprar antecipadamente.

As dúvidas dos passageiros podem ser enviadas pelas redes sociais @rodoviariadorio (Facebook), informou a concessionária Rodoviária do Rio de Janeiro S/A, que administra o terminal sob regime de concessão estadual desde 1990.

Categorias
Brasil Destaque Economia Notícias Turismo

Turismo é um dos setores que mais se digitalizou, diz pesquisa

O Turismo foi um dos setores econômicos que mais se digitalizou durante a pandemia de coronavírus. De acordo com a 11ª Pesquisa de Impacto da Pandemia do Coronavírus nas Micro e Pequenas Empresas, realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), 85% das empresas do setor se digitalizaram nesse período.

A média geral dos demais setores é de 67%. Em segundo lugar ficou o segmento de pet shops, com 79%. O levantamento reflete a importância das plataformas digitais para o setor de viagem, como pontua o presidente do Sebrae, Carlos Melles:

“Com uma queda de faturamento registrada em 91% das empresas do segmento e com apenas 9% dos estabelecimentos funcionando da mesma forma que na pré-pandemia, a digitalização das micro e pequenas empresas do Turismo foi uma das saídas encontradas”.

A ampliação do investimento no universo digital fez com que 48% das empresas do setor tivessem mais da metade de seu faturamento provenientes do comércio eletrônico, dimensiona Melles. “A pandemia fez com que os pequenos negócios se vissem forçados a comercializar seus produtos pela internet e os setores mais atingidos absorveram essa necessidade, como o Turismo e Economia Criativa”.

Crise impede retomada do setor

Os bares e restaurantes do nosso país estão colapsando. Apesar de ser algo duro de admitir, não podemos ignorar o fato de que o setor de Alimentação Fora do Lar enfrenta dificuldades sérias e que precisam ser sanadas o quanto antes. Caso não consigamos reverter esse cenário, o futuro do segmento será assombrado por falências e dívidas a longo prazo.

Desde o ano passado, quando a Covid-19 provocou os primeiros casos da doença no Brasil, houve um acompanhamento intenso dos empresários acerca do assunto para proteger os estabelecimentos de futuros prejuízos. Apesar das iniciativas, não foi possível mitigar o dano.

Segundo a Associação Nacional de Restaurantes (ANR), chegamos a junho deste ano registrando 71% de bares e restaurantes endividados por conta da pandemia. Além disso, logo no começo de 2021, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) indicou que, dentro do turismo, foram eliminados 397,1 mil postos formais de trabalho apenas em 2020. Deste valor, 221,1 mil correspondiam ao serviço de alimentação.

Os dados, apresentados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por meio do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicam que a crise econômica que enfrentamos está longe de acabar.  A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada em julho, corrobora esse fato. Apesar do setor de serviços ter voltado a atingir o volume de receitas das vésperas da pandemia, o turismo ainda mostra sinais fracos de movimentação.

Categorias
Cultura Destaque Economia Notícias Política Rio Turismo

Rio de Janeiro planeja retomada do turismo nas próximas semanas

Da Agência Brasil

O governador Cláudio Castro esteve reunido com os ministros da Saúde, Marcelo Queiroga, e do Turismo, Gilson Machado Neto, para discutir a vacinação contra a Covid-19 e a retomada do turismo no estado do Rio de Janeiro.

Queiroga, ressaltou que o Estado está seguindo à risca o Plano Nacional de Vacinação (PNI). “Felizmente nos encontramos em um cenário mais positivo, mas não podemos deixar de tomar todos os cuidados. Estamos trabalhando para acelerar a nossa campanha de imunização e a ampliação da capacidade de testagem. Além disso, o governador já nos solicitou doses extras de vacina para o estado”, afirmou.

Castro ressaltou que a variante Delta é uma preocupação, “mas estamos trabalhando duro para continuar o processo de vacinação para conter o avanço da covid-19”.

O governador e o ministro da Saúde falaram também da importância de a população completar o ciclo vacinal. “A segunda dose é fundamental para a saúde de todos. Somente com uma dose não estaremos imunes, a ciência já nos mostrou isso. Contamos com todos para o processo de retomada do nosso estado. Vacinem-se”, pediu o governador.

Turismo seguro

Já o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, falou que o estado é uma das portas de entrada da América Latina para o turismo nacional e internacional. “Estamos trabalhando em conjunto para promovermos um turismo seguro para todos que cheguem ao estado do Rio de Janeiro. Hoje, a situação está sob controle e continuamos atuando de forma preventiva para que o cenário fique cada vez melhor”, avaliou o ministro.

Dados da Secretaria de Estado de Turismo mostram que houve um aumento na procura por regiões do interior do estado neste inverno, saltando de 30% em junho para 60,4% em julho.  “O turismo é fundamental para o nosso estado e estamos trabalhando para que a retomada seja feita de forma segura e com responsabilidade, para que todos que venham visitar o Rio de Janeiro sintam-se seguros”, disse Castro.

Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Notícias do Jornal Rio Turismo

Centro Cultural Jerusalém (CCJ) permite percorrer Terra Santa sem sair do Rio

O Centro Cultural Jerusalém (CCJ), na Avenida Dom Hélder Câmara, em Del Castilho, no Rio, é um espaço que promove uma leitura transversal da história da cidade de Jerusalém. Quem vai até o local tem a sensação de estar de fato na Terra Santa sem sequer ter saído do Brasil. O espaço integra a lista de locais que fazem parte do turismo religioso do Rio, ao lado de pontos como o Cristo Redentor, o Santuário de Fátima e o Memorial do Holocausto.

A principal atração do CCJ é a maquete gigante que representa a cidade de Jerusalém do século I d. C, em tamanho 50 vezes menor. Em todo o mundo, só há duas maquetes dessa: a de Del Castilho e a de Jerusalém, no Museu do Livro. O idealizador do projeto, Marcelo Crivella, teve a intenção de propagar a cultura de Israel no Brasil.

Foto: Alan Alves

A maquete demorou cinco anos para ser construída, de 2000 a 2005. Depois, durante mais três anos, foi erguida uma estrutura para abrigar a relíquia de 736 m². A estrutura em torno da maquete tem sistema de iluminação que sugere as fases do dia (amanhecer, dia, entardecer e madrugada). A cobertura é o que difere da maquete que está em Jerusalém, que fica ao ar livre.

“A maquete foi construída com pedras brancas trazidas da Galileia. É uma pedra característica de Jerusalém. Elas vinham de navio e, aqui, eram cortadas e polidas. O chão da maquete a gente também teve que importar. Ao contrário da maquete do Rio, a de Jerusalém ficam ao ar livre porque lá o clima permite”, diz a historiadora do CCJ Eliane Cristina de Oliveira, que acompanha os visitantes durante o tour e dá a eles uma verdadeira aula de história.

Foto: Alan Alves

Na maquete, o público pode verificar, entre outros pontos, a representação do local onde teria havido a última ceia de Cristo e o Monte Calvário, onde, segundo a tradição, Jesus teria sido crucificado. Há também a representação das muralhas e das 90 torres defensivas, de onde soldados fiscalizavam possíveis invasões ou motins internos.

A cidade representada na maquete já não é a mesma, pois acabou destruída durante uma invasão e passou por várias transformações. No mezzanino, no entanto, o público pode conferir uma exposição de fotos mais recentes de Jerusalém depois das várias mudanças ocorridas na terra santa.

O CCJ conta ainda com teatro para 200 pessoas, uma representação do Rio Jordão em forma de batistério, como uma opção de batismo, sala de leitura com um acervo característico e uma cafeteria.

Foto: Alan Alves

Visitação

Por causa da pandemia, o número de visitantes está reduzido, e o CCJ recebe cerca de 100 pessoas por semana. “Antes, eram 600 pessoas por semana. Pelos seus variados espaços, a gente acaba recebendo várias pessoas, algumas delas vêm só para ter lazer mesmo. Aqui, realizamos palestras, caravanas, casamentos. É um espaço bem diversificado”, afirma a administradora do local, Erika Rodrigues.

O público pode agendar a visitação, por meio das redes sociais, site ou telefone do CCJ, e comprar o ingresso online ou presencialmente. O acesso custa R$ 25. Nas quintas-feiras, há promoção e os visitantes pagam meia-entrada. O espaço fica aberto todos os dias das 9h às 18h. “É um espaço voltado não somente para quem é religioso. É um espaço para todas as pessoas, independentemente de crenças. É um espaço de lazer e, sobretudo, de aprendizagem. E todos estão convidados”, diz o bispo Reinaldo Suisso.

Foto: Alan Alves
Categorias
Brasil Destaque Notícias Notícias do Jornal Turismo

Turismo registra crescimento, mas ainda abaixo dos últimos anos

O setor de turismo brasileiro registrou em maio, último mês com dados consolidados, faturamento de R$ 9,6 bilhões, 47,5% superior ao de maio do ano passado. No entanto, em comparação ao mesmo mês de 2019, antes do início da pandemia de covid-19, houve redução de 31,2% no faturamento do setor. Os dados são da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo.

Em maio, o transporte aquaviário foi o único, entre os seis grupos de atividades analisados pela FecomercioSP, que conseguiu superar o patamar pré-pandemia, com alta de 20% no faturamento em relação ao mesmo mês de 2019. O transporte aéreo registra a maior queda em relação a 2019, de 50,5% – variação similar à da redução da demanda de passageiros, na mesma comparação, de 43%.

Os restaurantes e alojamentos faturaram R$ 2,8 bilhões, 33,5% abaixo do obtido no mesmo mês em 2019, com variação muito próxima do grupo atividades culturais, recreativas e esportivas (-33,8%), também afetado pelo isolamento social.

O conjunto de atividades de locação de veículos, agências e operadoras de turismo registrou queda de 13,2% em maio em relação a 2019, e o setor de transporte terrestre, redução de 6,6%.

“A vacinação ainda é a principal variável para os turistas voltarem a viajar com segurança e para os empresários se planejarem de forma mais sólida.Iniciativas como a redução das restrições, a ampliação das ofertas dos serviços turísticos e a aceleração da vacinação em todo o país são fundamentais para uma melhora gradativa e mais consistente do setor”, diz a Fecomércio.

Ainda segundo pesquisa da FBHA, o setor de turismo no Brasil tem boas expectativas para os próximos meses. O setor de turismo no Brasil, um dos mais impactados pela pandemia de Covid-19 e os próximos meses devem ser de crescimento para o setor. Pesquisa realizada pela Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) aponta que quase metade do empresariado (45%) projeta crescimento econômico para o setor, enquanto 29% acredita que os negócios se manterão estáveis. A pesquisa foi realizada com hotéis, pousadas, restaurantes, bares e similares de todo o país.

Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Notícias do Jornal Rio Turismo

Mesmo com pandemia, Rio se mantém no topo dos destinos mais procurados

Principal atividade econômica do setor de Serviços no Estado do Rio, o turismo foi duramente afetado durante a pandemia da Covid-19, como em todos os lugares do mundo, mas começa a reagir e é um importante vetor da recuperação da economia fluminense.

No Brasil, o prejuízo para o turismo desde o início da pandemia já supera os R$ 355,2 bi, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. Para o Rio, o prejuízo é de R$ 43,4 bi, só que, mesmo na pandemia, a cidade maravilhosa não deixa de atrair visitantes.

Após aparecer como destino mais buscado entre abril de 2019 e março de 2021, segundo a agência de turismo ViajaNet, e figurar no topo do ranking nacional de Decolar neste ano, o Rio também está concorrendo ao World Travel Awards 2021, considerado o “Oscar do turismo”, em 14 categorias. É um dos prêmios mais tradicionais do segmento a nível mundial.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A cidade do Rio concorre como melhor destino da América do Sul, melhor destino gastronômico e melhor destino de turismo de aventura. Nos últimos cinco anos, ganhou como melhor destino de turismo esportivo. As indicações são feitas baseadas nas recomendações de profissionais do turismo e viajantes. O resultado deverá ser divulgado em outubro e a votação acontece pelo site: https://www.worldtravelawards.com/vote.

Até maio, a média de ocupação da rede hoteleira na capital fluminense estava em torno de 42%.Na semana do Dia dos Namorados, chegou a 70%, segundo o Sindicato dos Meios de Hospedagem do Rio. A projeção do Sebrae é que a plena recuperação do setor, sobretudo dos empreendedores do ramo, só deve acontecer em 2022, após a imunização da população.

Referência em belezas únicas e cultura

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O Rio é referência em beleza natural e cultura, com opções para todos os gostosa. Na lista dos locais que atraem turistas, há parques, trilhas, passeios culturais e esportivos, locais com vistas incríveis etc. Cartão postal, o Cristo, no alto do Corcovado, é uma das principais atrações, assim como o Bondinho do Pão de Açúcar, primeiro teleférico do Brasil, inaugurado em 1912.

No centro, os Arcos da Lapa também se configuram como cartão postal. Na mesma região, é possível visitar os mais de 250 degraus da Escadaria Selarón ou o Parque das Ruínas, em Santa Teresa, de onde é possível apreciar as vistas do centro e da Baía de Guanabara.

O Maracanã, inaugurado em 1950, é uma parada obrigatória para fãs de futebol. Já a Pedra da Gávea, com seus 844 m de altura, no Parque Nacional da Tijuca, é opção para quem gosta de aventura. O Mirante Dona Marta, por sua vez, com 360m de altura, também está entre os pontos obrigatórios de quem aprecia vistas incríveis.

Foto: Divulgação

Para quem prefere locais mais tranquilos, para evitar aglomerações, alguns pontos indicados são o Jardim Botânico, de 212 anos de vida e que é uma aula viva sobre a diversidade da flora; o Morro dos Dois Irmãos, no Vidigal, acessado por uma trilha com 1,5 km; o Parque Lage, aos pés do Morro do Corcovado, que engloba o Bistrô Lage, no palacete, o pequeno áquario, a gruta e as exposições no subsolo; e o Aterro do Flamengo, complexo de lazer que abriga o Museu de Arte Moderna, a Marina da Glória, o Monumento a Estácio de Sá e o Parque Brigadeiro Eduardo Gomes.

Para quem preferir um passeio pelo mar, uma opção é o passeio marítimo de escuna da Marinha, pela Baía de Guanabara. O embarque acontece na Praça XV e a embarcação passa perto de vários pontos turísticos e históricos, pela orla.

Para os amantes de cultura, tem a Biblioteca Nacional, Museu do Amanhã, Museu de Arte do Rio, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB Rio de Janeiro). Há também o Museu de Arte Contemporânea projetado por Oscar Niemeyer, só que na cidade de Niterói.

E por falar em outras cidades, é importante destacar que, além da capital, outros lugares do estado também são incríveis e vale a pena serem visitados, como Petrópolis, conhecida como Cidade Imperial, Teresópolis, Nova Friburgo, Cabo Frio, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Paraty, Angra dos Reis, Ilha Grande, Conservatória, Paty do Alferes etc, todas também ticas em belezas naturais e culturais.

Cuidados e turismo pós-pandemia

Foto: Divulgação

E o Rio já está pensando no pós-pandemia. O município lançou em junho um plano de incentivo ao turismo religioso, como parte das comemorações dos 90 anos do Cristo. A expectativa do projeto é aumentar o fluxo de visitas ao monumento e gerar um lucro de R$ 300 milhões por ano para a economia do município. Com apoio da Prefeitura do Rio, o plano também tem o objetivo de dar visibilidade a diversos pontos de interesse religioso, como o Santuário de Fátima, o Memorial do Holocausto e o Centro Cultural Jerusalém.

O turismo é um setor crucial para a economia, mas é importante ressaltar que ainda estamos em meio à pandemia, e turistas e cariocas devem continuar mantendo os cuidados para evitar a Covid-19, como evitar aglomerações, usar máscara e fazer a higienização correta das mãos.

Foto: Daniel Brasil/Portal da Copa
Categorias
Brasil Cidade Cultura Destaque Diário do Rio Rio Turismo

Planetário do Rio inaugura exposição “Do Gênese ao Apocalipse” e passa a abrir para o público durante a semana

A Fundação Planetário do Rio inaugura, no próximo sábado, dia 03 de julho, a exposição: “Da Gênese ao Apocalipse”, que apresenta 38 meteoritos no Museu do Universo, que integra o Planetário. O conjunto conta com parte da coleção do Museu Nacional / UFRJ, entre eles o meteorito Santa Luzia, o segundo maior já encontrado no país.

O evento marca também o reinício das atividades do Planetário e Museu do Universo durante a semana, que passam a abrir de *terça a domingo para visitas e sessões de cúpula, com gratuidade para o público em geral todas as terças-feiras. A Fundação Planetário é ligada à Secretaria de Governo e Integridade Pública (SEGOVI) da Prefeitura do Rio de Janeiro.

A exposição será aberta por um evento especial: a primeira edição do “Papo com o Extraterrestre”, ciclo de encontros mensais sobre astronomia e meteorítica, a ser realizado na manhã do primeiro sábado de cada mês. O evento conta com as “Meteoríticas”, time de mulheres cientistas que desenvolve pesquisas e realiza atividades de campo, viajando pelo país caçando esses objetos extraterrestres. Maria Elizabeth Zucolotto, curadora do Museu Nacional e maior autoridade em meteoritos no Brasil, é a líder da equipe, que ainda conta com a química Amanda Tosi e a astrônoma Diana Andrade.

“Da Gênese ao Apocalipse”

Gledson Machado, presidente da Fundação Planetário, ressalta a importância de oferecer o acesso a esse acervo, resgatado do trágico incêndio do Museu Nacional, em 2018. “É a chance de tocar e conhecer objetos extraterrestres mais antigos que a própria Terra. Essa exposição é mais um motivo para o carioca vivenciar a experiência Planetário”, afirma Gledson

Leandro Guedes, diretor da Astronomia da Fundação Planetário, explica o nome da exposição: “A ‘Gênese’ é uma alusão ao fato de os meteoritos carregarem, em sua química, informações primordiais sobre a formação do sistema solar, muito parecida com a que havia na nebulosa que deu origem aos planetas. E o ‘Apocalipse’ lembra a relação entre asteroides e grandes extinções, como a dos dinossauros”.

As Meteoríticas e os meteoritos

Maria Elizabeth Zucolotto, Amanda Araújo Tosi e Diana Paula de Pinho Andrade estão juntas como grupo organizado há quatro anos e, além de conduzirem suas pesquisas e aulas na UFRJ, trabalham na caça, pesquisa e divulgação de meteoritos pelo país.

O trio esteve em missão de campo durante o mês de junho, no Sul do país. No Paraná, investigaram a queda do meteorito de Rio Negro, que tem seus fragmentos preservados no Observatório do Vaticano. Na ilha de São Francisco do Sul, Santa Catarina, usaram mapas centenários para investigar o local do achado do meteorito Santa Catharina, um famoso episódio da astronomia brasileira.

“Ele foi vendido como uma mina de níquel para a Inglaterra no século XIX e virou trilho de trem. Porém, o Museu Nacional/UFRJ ainda possui um fragmento do meteorito metálico Santa Catharina no seu acervo”, relata Elizabeth Zucolloto.

O “Papo com o Extraterrestre” está marcado para as 09h do sábado, dia 03 de julho, no Parque do Planetário (área externa), em volta do meteorito Santa Luzia. O Planetário fica na rua Vice-Governador Rubens Berardo, 100, Gávea.

Categorias
Destaque Economia Notícias Turismo

Espanha começa a liberar entrada de turistas vacinados nesta semana

A partir desta segunda-feira (7), a Espanha vai voltar a liberar a entrada de turistas no país, que já estejam vacinados, independente da procedência. Com isso, turistas brasileiros, inclusive, que já estejam totalmente imunizados poderão entrar no país europeu. A Espanha é um dos primeiros grandes destinos que vai liberar a entrada de brasileiros. Na maioria dos países europeus, passageiros oriundos do Brasil só entram com PCR negativo, além de ter que passar por quarentena, seja no próprio destino ou em outro lugar que tenha entrada autorizada.

O anúncio da reabertura para turistas foi feito pelo primeiro-ministro Pedro Sánchez, na última sexta-feira. Segundo ele, a ideia é voltar a incentivar o turismo no país, que é umas das principais fontes de rendas em grandes cidades, como a capital Madri e Barcelona.

“Todas as pessoas vacinadas e suas famílias também são bem-vindas em nosso país”.

Espanha é o segundo principal destino turístico do mundo e espera atrair cerca de 45 milhões de turistas estrangeiros neste ano (metade do que recebeu em 2019, antes da pandemia). O governo espanhol também retirou restrições às chegadas do Japão. Viajantes de oito países, como Austrália, China e Israel, já estão autorizados a entrar no território para viagens não essenciais.

O chefe do governo espanhol disse também confirmou a liberação de entrada de britânicos “sem restrições e sem exigências sanitárias”. 

Eles representavam o maior número de turistas estrangeiros antes da pandemia (foram 18 milhões em 2019) e atualmente só podem ingressar na Espanha em casos de urgência. Como efeito de comparação, o retorno de britânicos às praias espanholas é importante para a economia do país, pois o turismo representava 14% do PIB pré-pandemia.

Enquanto a Espanha libera, os outros países ainda estudam a melhor forma de liberar a entrada dos brasileiros. Por ora, quem tomou a Coronavac, a vacina do laboratório chines SinoVac, ainda não é regularizada pelos órgãos de saúde da Europa e segue a discussão se quem se vacinou com esse imunizante será aceito. 

Categorias
Destaque Economia Notícias Notícias do Jornal Turismo

Empresas de turismo montam pacotes para brasileiros se vacinarem nos EUA

Algumas empresas de turismo do Brasil estão montando pacotes para brasileiros irem até os Estados Unidos se vacinar. Cidades como Nova Iorque estão vacinando turistas e a ideia veio para ajudar no setor do turismo nacional, que vem sofrendo muito com a pandemia .Contudo, a entrada direta de brasileiros nos EUA ainda não é permitida e para isso é preciso de 15 dias de quarentena em lugares como México, Dubai, República Dominicana ou Ilhas Maldivas.

O aumento do número de brasileiros que viajam aos EUA para serem imunizados foi tanto que a Be Happy, agência de viagens de luxo com sede em Moema, bairro de classe alta em São Paulo, criou destinos personalizados aos seus clientes. Os pacotes custam em torno de R$ 50 mil para realizar a viagem, passar pela quarentena e conseguir se vacinar na América do Norte.

“Tem passageiro que, ao invés de ficar 15 dias em um lugar só, prefere viajar a dois pontos diferentes na costa do México, aproveita para passear. Outros, pedem apartamento até com cozinha porque não querem sair do hotel nem para comer”, comenta Jacque Dallal, fundadora da Be Happy, em entrevista ao G1.

A cidade de Nova Iorque é uma das principais incentivadoras da chegada de turistas. Por isso, o prefeito da cidade, Bill de Blasio, comunicou no início do mês que qualquer turista seria vacinado no centro da cidade. A ideia é trazer ainda mais turistas para o país, que já está se encaminhando muito bem em relação à “vacinação de manada”, que significa quase toda a população totalmente imunizada contra a Covid-19.

Os postos de vacinação para turistas estão localizados em pontos conhecidos da cidade como a Times Square, o Central Park e a Ponte do Brooklyn, entre outros. Estima-se que centenas de brasileiros já passaram por lá.

Para se vacinar é preciso mostrar um documento de identificação com foto e estar dentro da faixa etária permitida. Algumas localidades nos EUA exigem que os interessados em serem vacinados apresentem comprovante de residência.