Categorias
Cultura Destaque Notícias

Esquenta para o carnaval 2022 no sambódromo do Anhembi

Escola de Samba Unidos de Vila Maria faz workshop de samba com  Sávia David e Carlinhos do Salgueiro

Com a redução da mortalidade no país para abaixo de 300 por dia, na
média, as pessoas estão animadas com a volta da vida ao normal. E o
Carnaval e os desfiles fazem parte dessa alegria genuinamente
brasileira. E para esquentar os tamborins e preparar aquele samba no pé que só o Brasil tem, a Escola de Samba Unidos de Vila Maria promoveu um workshop para a ala de passistas e malandros, em sua sede social,ministrado pela rainha de bateria da Vila mais famosa de São Paulo, Sávia David e pelo dançarino, coreógrafo, embaixador  do samba internacional, Carlinhos do Salgueiro.

Foto : Divulgação

A escola me convidou para fazer o workshop e como tenho formação em Educação Física quis agregar isso à minha experiência como rainha da bateria.  Ter Carlinhos, que tem formação em ballet, dança afro e contemporânea, foi incrível –  diz Sávia.

Carlinhos já levou o samba, com apresentações e workshops para mais
de 32 países.

Levar toda a minha didática e bagagem que tenho com o Salgueiro

Foto : Divulgação

foi muito importante. Sempre é uma troca. Aprendi, conheci o trabalho deles. Fazer essa mistura de Rio e São Paulo, Vila Maria com o Salgueiro, foi de uma importância incrível e fundamental para mim.

“O mundo precisa de cada um de nós” é o título do enredo da
escola para o próximo Carnaval. O desfile será desenvolvido pelo
carnavalesco Cristiano Bara. O samba-enredo leva a assinatura dos
compositores Dudu Nobre, Zé Paulo Sierra e Diego Nicolau. E, para mostrar samba no pé no sambódromo do Anhembi, é preciso treino, aprendizado e dedicação. Sávia levou toda sua bagagem, também como musa da Beija-Flor, e todo o preparo físico de fisiculturista, para as passistas e os malandros.

Eu amei a quadra, adorei conhecer um pouco da história da escola, e
a boa vontade e o carinho que fui recebido e tratado foi maravilhoso. E já agradeço a todos pela confiança em mim e pelo convite. Espero voltar outras vezes – conclui Carlinhos.

Categorias
Destaque Entrevistas Rio

Musa da Beija-flor faz ensaio fotográfico exaltando empoderamento negro

Musa da Beija-Flor, Sávia David fala sobre enredo da escola para o próximo ano e exalta a sabedoria e empoderamento do povo preto em ensaio fotográfico

Tentativa de silenciar e apagar não foram suficientes. O negro resiste, insiste e, ao longo da história, jamais se deixou calar. Prova disso são personalidades em todas as áreas que sempre foram voz em uma sociedade preconceituosa e discriminatória. Em 2022, o enredo da Beija-Flor fala sobre esse tema. “Empretecer o pensamento é ouvir a voz da Beija-Flor”, um enredo de autoria coletiva, escrito pelas mãos, vozes e memórias de cada componente da comunidade de Nilópolis.
Sávia David, musa da escola, vem representando o empoderamento feminino e a sabedoria. Digital influencer, bacharel em Direito e Educação Física, fisiculturista, esposa e mãe de dois filhos, ela se identificou de imediato com o enredo e com o que vai levar para a avenida.

O preto vem de uma história sofrida, mas cheia de beleza, superação

Foto: Jennifer Castro

e ensinamentos. A mulher preta ainda mais. Pesquisas mostram isso. Mesmo assim, elas não deixaram de mostrar o talento na arte, na literatura, na música e em muitos outros setores. Mulheres que sempre foram poderosas e abriram espaço para todas nós – diz.

Totalmente envolvida com o enredo, Sávia participou de um ensaio fotográfico exaltando o empoderamento e sabedoria da mulher preta.

A sabedoria não está apenas em ter cursado uma faculdade, escrever

Foto: Jennifer Castro

livros ou se tornar artista. Vai muito além. Essas mulheres carregam com elas a sabedoria da superação, da resistência, da leniência e da resiliência. Mulheres que sempre foram empoderadas por essas qualidades. E hoje somando a tudo isso, somos empoderadas porque fomos além e somos capazes de nos libertar dos conceitos estéticos e assumir toda nossa ancestralidade.

O ensaio “Preta Empoderada” foi feito pela fotógrafa Jennifer Castro. Tudo uma referência intelectual ao povo preto.

Chegou a hora de jogar por terra de uma vez por todas a estrutura colonial racista que despreza a riqueza intelectual que produzimos.

Nesta quinta-feira acontece a semifinal da escolha do samba enredo da Beija-Flor na quadra da escola em Nilópolis e Sávia preparou uma veste temática.

Quero exaltar todo o poder que a mulher preta tem e sempre teve –  conclui.

Serviço:

Ensaio: Preta Empoderada
Estúdio: Jeniffer Castro Fotografia
Sávia veste: Acervo pessoal

Categorias
Cultura Destaque Diário do Rio

Prefeitura do Rio lança Caderno de Encargos do Carnaval da Estrada Intendente Magalhães

Por Prefeitura do Rio de Janeiro

A Prefeitura do Rio, por meio da Riotur, lança nesta quinta-feira, dia 19 de agosto, o Caderno de Encargos do Carnaval da Estrada Intendente Magalhães. Empresas interessadas em serem parceiras do evento terão um mês para apresentar suas propostas. Essa é mais uma etapa do processo de planejamento da cidade para o Carnaval de 2022, desde que o cenário epidemiológico da pandemia da Covid-19 e as determinações dos órgãos competentes no combate à doença sejam favoráveis à realização da festa.

O Caderno de Encargos é uma orientação para a empresa organizadora, que será responsável pela operacionalização, produção, confecção, instalação, montagem, locação de materiais e equipamentos, manutenção e remoção de toda a infraestrutura necessária para a realização do Carnaval da Estrada Intendente Magalhães, de acordo com o projeto e cronograma aprovados pela Riotur.

O valor dos custos de infraestrutura previstos, e que deverão ser custeados pelo patrocinador, são estimados em no mínimo R$ 3,5 milhões. A contrapartida será a permissão de uso da marca da empresa parceira na realização do evento, uma das festas mais democráticas e populares da cidade.

O documento publicado hoje no Diário Oficial da Prefeitura do Rio também está disponível no site da Riotur, na aba Editais e Avisos. Os interessados devem apresentar suas propostas até as 16h do dia 17 de setembro para o e-mail riotur.selecaopublica@gmail.com. Ainda em setembro, o vencedor será conhecido.

– A Riotur é a responsável por estruturar todo o planejamento do Carnaval, o que se dá em diversas etapas. Essa é mais uma delas. Estamos tornando públicas as obrigações mínimas, de forma transparente e antecipada, para buscarmos um patrocínio para os desfiles da Intendente Magalhães. Saliento, no entanto, que a realização do Carnaval está condicionada ao cenário epidemiológico da pandemia da Covid-19 e as determinações estabelecidas pelos órgãos competentes no combate à doença – afirma a presidente da Riotur, Daniela Maia.

Categorias
Cultura Destaque Diário do Rio Notícias Rio

Prazo para inscrições nos editais de carnaval do Rio termina nesta terça-feira

Termina às 18h desta terça-feira (25) o prazo para as inscrições nos dois editais de Carnaval da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro (Secec). O registro pode ser feito no sistema Desenvolve Cultura, disponível no site www.cultura.rj.gov.br. Ao todo, serão destinados R$ 4,3 milhões para blocos e escolas de samba.

Para participar é necessário que a agremiação comprove experiência cultural há dois anos e que tenha desfilado no ano de 2020. No caso dos blocos, eles precisam ser filiados a entidades representativas tanto da capital quanto do interior, com no mínimo dois blocos, dependendo da categoria. O objetivo da premiação é atender a uma demanda dos grupos carnavalescos e foliões, prejudicados pelo cancelamento dos desfiles deste ano, medida tomada por conta da pandemia da Covid-19.

A Secec procura, com isso, manter viva essa importante atividade cultural e fomentar a cadeia produtiva do carnaval. Como forma de gerar renda, é necessário que os projetos beneficiados destinem pelo menos 25% da verba para o pagamento dos profissionais.

“O Carnaval é fundamental para o estado do Rio. E toda sua indústria criativa movimenta o turismo e a cultura, além de gerar emprego e renda para as pessoas. Estamos nos últimos dias do prazo de cadastramento das propostas e é fundamental que as escolas e blocos fiquem atentos aos prazos. O Estado tem feito todo esforço para prestar auxílio e apoio aos fazedores de cultura”,  afirmou a secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa, Danielle Barros.

Os projetos precisam também prever pelo menos três ações virtuais, sendo obrigatória uma apresentação musical. Entidades devem se enquadrar nas categorias disponíveis. E, pelas regras de distribuição das vagas do edital, 60% dos prêmios vão para organizações do interior e 40% para a capital.

A Secec informa ainda que entidades que já receberam verba da Secretaria nos últimos 12 meses, incluindo os editais da Lei Aldir Blanc, não poderão concorrer. Outro ponto importante é a necessidade de comprovação de desfile em 2020. Dúvidas podem ser esclarecidas pelos e-mails: “bloconasredesrj@cultura.rj.gov.br” e “naodeixaosambamorrer@cultura.rj.gov.br”.

Categorias
Cultura Destaque Diário do Rio Notícias Rio

Edital vai liberar R$ 3 milhões para a cultura do carnaval de rua

O edital Cultura do Carnaval Carioca vai disponibilizar R$ 3 milhões para 125 grupos representativos da cultura do carnaval de rua da cidade. Podem participar do edital blocos, bandas, bailes, turmas, fanfarras, cordões, cortejos e outros grupos e manifestações que se enquadrem nas exigências estabelecidas. As inscrições começam nesta terça-feira (18/05), às 9h, e podem ser realizadas até 1º de julho, no site rio.rj.gov.br/web/smc.

Além do papel de fomento, o incentivo é uma forma de reparo pelo impacto da pandemia e estimulará a criação de conteúdos inéditos. A inscrição para o edital a ser publicado pela Secretaria Municipal de Cultura pode ser feita por pessoa física (um representante que repasse o valor ao grupo), pessoas jurídicas com e sem fins lucrativos e MEIs.

Serão valorizadas as propostas que se comprometerem em repartir o recurso entre o maior número de pessoas. A Comissão de Avaliação será composta por representantes da sociedade civil e profissionais do carnaval, da cultura popular, dos direitos humanos, da democracia e da diversidade cultural.

Categorias
Cultura Rio

Projeto Plus No Samba RJ: Inclusão social e representatividade no desenvolvimento e autoestima das mulheres plus sizes

 

 

O Carnaval não aconteceu da forma tradicional costumeira, mas, isso não desanimou um grupo de mulheres empoderadas, liderado por Nilma Duarte. A moradora do Lins de Vasconcelos, uma mulher “Grandona”, como gosta de chamar as mulheres plus size, percebeu uma crescente demanda de mulheres gordas, ávidas por atividades pensadas para elas, e desde o ano de 2017, criou o ‘Projeto Plus No Samba RJ’, grupo que reúne mulheres que buscam romper os padrões pré-estabelecidos por estereótipos da ‘sambista padrão’, promovendo diversas atividades.

Tudo começou no samba, mas o projeto desenvolve um importante trabalho de cunho social, levantando a autoestima das mulheres plus sizes, com um trabalho de  empoderamento, para elevar a autoestima e incentivar a qualidade de vida, assim como o bem-estar, com ações que possam enaltecer a valorização da mulher plus size.

Atualmente, Nilma tem representado o movimento das passistas Plus Size, que conta com participantes de todas as classes sociais, mas principalmente, mulheres que se amam e se valorizam. Periodicamente, elas se reúnem pelo samba, por ideais, pela vida. O projeto deu tão certo que no ano do lançamento, a ideia rendeu a Nilma o título de honra ao mérito cultural, concedido pela Confederação Brasileira de Letras e Artes – CONBLA em prol do Projeto Plus No Samba-RJ.

Com diversas atividades como: palestras, workshops, dicas de passarelas e comportamentos, além do queridinho de todas: um ensaio fotográfico, a proposta é sempre transformar e empoderar as mulheres que ainda não conseguem se enxergar de forma positiva. Só podem participar mulheres a partir do manequim 46. E através do samba e atividades que enalteçam a beleza e bem-estar da mulher plus size, a comunidade só tende a crescer.

Foto: Reprodução

E foi na pandemia que uma grande recompensa chegou para Nilma. Neste ano, o projeto foi contemplado com o apoio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa RJ, através da lei Aldir Blanc, o que possibilitará que ela gere novas oportunidades para continuar tocando seu trabalho de inclusão social.

Eu amo incentivar as mulheres a serem felizes como estão, mas, reforço que é sem apologia à obesidade. Ser grandona não significa que a pessoa não é saudável.  É preciso ter desenvoltura e buscar qualidade de vida, pois vida saudável é primordial. E, buscar qualidade de vida faz parte do nosso projeto.

Malhamos, dançamos, sambamos e buscamos nos alimentar corretamente.  O samba pede passagem é um ditado antigo, então não brinco ‘eu digo’. Eu sempre cheguei nos locais empoderada, sempre sambei e me joguei. A mulher ‘grande’ pode frequentar roda de samba, assistir shows e ser o que ela quiser, ressalta Nilma Duarte.

Nilma ainda comenta que uma mulher positiva é capaz de transformar a realidade ao seu redor. “Eu pretendo com esse projeto mostrar que a mulher acima do peso ou demais medidas impostas pela sociedade pode ser feliz ‘grandona’ como está, e saudável também. Quero conquistar mais mulheres grandes para minha tribo, e ajudá-las a se descobrirem através do autoamor e empoderamento”, comenta.

Para quem deseja conhecer melhor e participar do projeto ‘Plus No Samba RJ’ da modelo e plus size, Nilma Duarte basta acessar o Instagram: https://www.instagram.com/plusnosambarj/

Categorias
Fica a Dica Notícias do Jornal

Carnaval bem diferente

 

A quadra da escola de samba Grande Rio, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense,  foi a primeira de seis escolas de samba do grupo especial do Rio, considerado a elite do carnaval carioca, a receber, em pleno feriadão da folia, intervenções artísticas da fotógrafa paulista Flávia Junqueira. Além de fotos, Flávia vai fazer vídeos, que ao fim do projeto serão editados e resultarão em um documentário.

“A ideia de entrar nesses espaços foi justamente por entender que o carnaval é uma festa popular, muito característica de nosso país e, neste momento, com todas as restrições que estamos passando por causa do novo coronavírus, esses espaços estão extremamente vazios, quando a gente sabe que se fosse uma situação normal estariam repletos de pessoas, supercoloridos e com samba. As quadras são lugares de união do público”, disse a fotógrafa em entrevista.

 Foto: Flávia Junqueira

Categorias
Fica a Dica Notícias do Jornal

Botando os blocos na rede!

 

Não está havendo o tradicional carnaval no Rio, em 2021, e nem há blocos nas ruas…  Mas quem disse que eles estão parados? Os blocos “Escravos da Mauá” e “Meu Bem Volto Já” lançam o projeto “Do Leme à Praça Mauá — Histórias e Músicas do Carnaval Carioca”, dia 12 de fevereiro, no canal do Youtube “Histórias e Músicas do Carnaval Carioca” (https://bit.ly/3qmUBUs).

Com roteiro e direção de Pedro Monteiro, a série terá 12 programas de sete a dez minutos que vão contar algumas das curiosidades dos sambas e compositores que fizeram sucesso no Carnaval da cidade dos anos 90 aos dias atuais.

Na estreia, serão exibidos dois episódios consecutivos. O projeto tem patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, da Secretaria Especial de Cultura e do Ministério do Turismo por meio da Lei Aldir Blanc.

Foto: Divulgação

Categorias
Destaque Rio

Governo do Estado investe mais de R$ 6,2 milhões para apoiar eventos carnavalescos

 

O Governo do Estado do Rio de Janeiro está investindo mais de R$ 6,2 milhões para apoiar a indústria do Carnaval e ajudar a minimizar o impacto econômico causado pela pandemia da Covid-19. Na próxima semana, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa lança editais para auxiliar eventos online para a escolha de sambas-enredo de oito escolas do Grupo Especial e apresentações de blocos de rua por meio do Fundo Estadual de Cultura. Cada agremiação receberá R$ 150 mil e os blocos Sebastiana e Amigos do Zé Pereira, R$ 200 mil no total. Além disso, o Estado já aplicou recursos no valor de R$ 5 milhões por meio da Lei Aldir Blanc em 103 projetos carnavalescos.

“Infelizmente, a pandemia da Covid-19 nos impede este ano de realizar o maior Carnaval do mundo, mas temos que pensar na segurança da população. Para reduzir o impacto financeiro no setor, estamos apoiando as escolas de samba e os blocos de rua através do repasse desses recursos, da Lei Aldir Blanc e do Fundo Estadual de Cultura. Já preparando o Carnaval de 2022, quando toda a população fluminense estiver imunizada contra o novo coronavírus”,  afirmou o governador em exercício, Cláudio Castro.

O edital que beneficia as agremiações da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) vai garantir renda para profissionais que atuam na Imperatriz, Mangueira, Salgueiro, São Clemente, Paraíso do Tuiuti, Portela, Unidos da Tijuca e Vila Isabel.

A escolha dos sambas-enredo deve ser realizada em quatro etapas, todas com transmissão pela internet. As apresentações eliminatórias e as finais acontecem na Cidade do Samba, no Santo Cristo, por conta da boa infraestrutura e condições de acessibilidade, com respeito aos protocolos de segurança contra a Covid-19. As outras quatro agremiações da Liesa foram atendidas com recursos da Lei Aldir Blanc e contempladas com o mesmo valor.

“ O cancelamento dos desfiles gera um prejuízo incalculável, mas foi uma medida acertada para o atual momento. Entendemos como merecido esse apoio às escolas diante de tudo que já fizeram pela cultura do estado e pelo que elas contribuem em termos de geração de emprego e renda. É um momento de unirmos força para que essa indústria possa se manter viva e possa fazer um belo espetáculo ano que vem”, afirmou a secretária de Cultura, Danielle Barros.

Já as apresentações dos blocos Sebastiana e Amigos do Zé Pereira, que se juntou ao Bola Preta, devem acontecer em uma casa de espetáculo em data a ser definida. Os shows, transmitidos pela internet, contarão também com público presente restrito, seguindo as regras de prevenção contra a Covid-19.

 Lei Aldir Blanc

 Os R$ 5 milhões em recursos da Lei Aldir Blanc investidos em projetos ligados diretamente ao Carnaval movimentaram uma cadeia criativa e produtiva que envolve milhares de profissionais também de forma indireta. Além de artistas, músicos e sambistas, foram contemplados profissionais que atuam nos bastidores das produções, como aderecistas, cenógrafos, coreógrafos e ritmistas.

Dos 103 projetos aprovados nos diferentes editais culturais, estão incluídos os blocos carnavalescos tradicionais da capital e do interior, quatro agremiações do Grupo Especial e as ligas que compõem os chamados grupos de acesso (LIERJ e LIESB). Também receberam apoio os eventos virtuais que apresentam a história de grandes ícones do Carnaval, como Nelson Sargento, Tia Surica, Beth Carvalho, Noel Rosa e Cartola.

Foto: Prefeitura do Rio

Categorias
Cidade Destaque Notícias Rio

Personalidades do samba são vacinadas contra a covid-19 no Sambódromo

Portelense Monarco foi vacinado no Sambódromo (Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio)

O Sambódromo do Rio de Janeiro, na Cidade Nova, que esse ano não tem os desfiles das escolas de samba por causa da pandemia, foi transformado em palco para vacinação da COVID-19. A imunização no local começou, no sábado (13), simbolicamente por personalidades do samba.

Veja também: Marquês de Sapucaí ganha iluminação em homenagem a vítimas da covid-19

A Prefeitura do Rio realizou no local a repescagem da vacinação de idosos a partir de 85 anos. O compositor Monarco, de 87 anos, baluarte da Velha Guarda da Portela, foi uma das pessoas imunizadas na Marquês de Sapucaí, junto com outros sambistas. Ele ficou emocionado e fez um apelo.

“Que todos os idosos venham se vacinar. Eu quero cantar para o meu povo, quero subir no palco. Estou com saudade dos meus amigos, da Velha Guarda da minha Portela querida”, disse, ao lado da esposa, Olinda Diniz.

Ele também lembrou de companheiros que morreram vítimas da Covid-19, como o compositor Aldir Blanc e o sambista Ubirany, do Cacique de Ramos.

Lizette Prazeres, 85 anos, da velha guarda do Império Serrano também tomou vacina (Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio)

Outros três sambistas se vacinaram na Marquês de Sapucaí: Nedyr Torquato, de 85 anos, um dos fundadores da escola de samba Ilha do Governador; Lizette José dos Prazeres, 85 anos, da Velha Guarda do Império Serrano; e Marsilia Lopes, 85 anos, considerada a Mãe dos Destaques da Portela.

Marsília Lopes Santos Albuquerque, 85, da Portela foi imunizada (Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio)

240 mil vacinados

A prefeitura do Rio informou que, até o sábado (12), já tinham sido aplicadas na cidade 240.577 doses da vacina, em  3,3% da população.

Na segunda (15) e na terça-feira (16), está mantida a imunização de idosos de 84 e 83 anos, respectivamente. Pelo cronograma informado pelo Ministério da Saúde, há previsão de o município receber novas remessas de doses nas duas próximas semanas, com as quais espera manter a programação da vacinação para os próximos grupos prioritários.

A prefeitura informou que as vacinas para a segunda dose de quem tomou a primeira no início da campanha estão garantidas e começarão a ser aplicadas na semana que vem.

As equipes de saúde aproveitarão a terça-feira de Carnaval para retornar às instituições de longa permanência, onde aplicarão a segunda dose em idosos que vivem em asilos e pessoas com deficiência institucionalizadas. População indígena e quilombola, além dos profissionais das unidades de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde) envolvidos na campanha de vacinação também receberão a segunda dose neste dia.

Ainda no dia 16, unidades hospitalares e de pronto atendimento deverão aplicar a segunda dose da vacina nos próprios profissionais que tomaram a primeira dose no local de trabalho em janeiro.