Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Rio

Prefeitura inicia arborização e restauração de vasos na Avenida Presidente Vargas

A Secretaria do Meio Ambiente, por meio da Fundação Parques e Jardins, e a Subprefeitura do Centro informaram que deram início, nesta semana, ao projeto paisagístico de revitalização de 32 grandes vasos ao longo da Avenida Presidente Vargas.

Além de ornamentar e deixar a região ainda mais bonita, a proposta tem objetivo de valorizar a relação do mobiliário com a ambiência urbana do Centro da cidade. A prefeitura disse que todas as peças irão receber serviços de conservação e pintura, jardinagem e plantios de espécies ornamentais e arbustivas.

O processo de revitalização prevê o plantio de 32 arbustivas e a remoção de oito árvores que cresceram e atingiram porte inapropriado para a capacidade dos vasos, apresentando risco de tombamento.

“São vasos históricos que estão há muito tempo sem receber qualquer tipo de manutenção e de cuidados. É um projeto de arborização urbana que vai requalificar essas peças para devolvê-las e integrá-las, de forma organizada, ao paisagismo do centro da cidade”, observa o presidente da Fundação Parques e Jardins, Fabiano Carnevale.

O projeto conta com o apoio da Comlurb, CET-Rio e Guarda Municipal. A prefeitura informou que os trabalhos irão acontecer sempre à noite, das 22h às 4h, para não prejudicar o fluxo de veículos e de pedestres na região.

“Essa parceria entre os órgãos municipais e a Subprefeitura do Centro está trazendo as melhorias que precisamos para a região. É um projeto paisagístico que vai valorizar ainda mais as nossas avenidas. Quem ganha são os moradores, trabalhadores, empresas e instituições do Centro Histórico do Rio”, destaca o subprefeito do Centro, Leonardo Pavão.

Cronograma

As primeiras ações incluem poda, remoção das árvores existentes e a retirada dos vasos para conserto. Os plantios de novas espécies serão realizados a partir do dia 30 de agosto e a previsão é de que o trabalho seja concluído na primeira semana de setembro.

Originariamente instalados em 1965, na Praça Marechal Floriano, 15 vasos em ferro fundido serão reposicionados na região da Candelária, próximos aos edifícios mais antigos e a Avenida Rio Branco. Outras 17 peças em concreto serão distribuídas no canteiro central da Avenida Presidente Vargas, no trecho entre a Rua Uruguaiana e a Biblioteca Parque. Além da requalificação dos vasos, a Fundação Parques e Jardins irá abrir três golas para o plantio de novas mudas de árvores nas imediações do Campo de Santana.

Categorias
Cultura Destaque Diário do Rio Rio

Casa Villarino reabre ao público com novidades

Fechado desde novembro do ano passado, tradicional ponto de encontro da boemia no centro do Rio se transforma, a partir de amanhã, 11.08, no Clube Senac Villarino Bar. Além do atendimento presencial, o bar irá oferecer delivery no happy hour e se tornar palco de lives e cursos de Gastronomia. Iniciativa faz parte de um conjunto de ações do Sistema Fecomércio RJ voltado para a revitalização do Centro do Rio.

Patrimônio cultural do Rio de Janeiro, a Casa Villarino reabre ao público trazendo diversas novidades. A partir de amanhã, o Senac RJ devolve esse tradicional espaço aos cariocas transformado em um importante projeto pedagógico na área de Gastronomia. Batizado de Clube Senac Villarino Bar, o estabelecimento no Centro do Rio voltará a atender o público e, a partir da próxima terça, 17.08, também oferecerá delivery no happy hour. Além disso, sediará lives com harmonização e cursos de gastronomia de curta duração. Também está prevista programação musical com curadoria do Sesc RJ. Um dos berços da Bossa Nova que, neste ano, completa seu 68º aniversário, o Villarino se tornará ainda um ambiente para vivência prática de alunos dos cursos regulares do Senac RJ. A iniciativa é uma das ações do Sistema Fecomércio RJ para a revitalização da região central da cidade.

“Nos sentimos muito honrados de poder contribuir para a reabertura de um espaço tão tradicional como o Villarino. Garantir a preservação desse patrimônio cultural e gastronômico e a longevidade de um estabelecimento que conta parte da nossa história é mais uma das iniciativas do Sistema Fecomércio RJ para o Centro do Rio. Estamos convictos de que, para a revitalizar essa região, é necessário evitar o esvaziamento e o abandono que contribuem para a degradação e a falta de segurança. Por isso, é fundamental contarmos com espaços que atraiam o público também em seus momentos de lazer, ampliando o tempo de permanência das pessoas e diversificando as atividades oferecidas na região. Devolver o Villarino para os cariocas é uma forma de preservar a cultura vibrante que sempre caracterizou o centro do Rio”, afirma o presidente do Sistema Fecomércio RJ, Antonio Florencio de Queiroz Junior.

A Casa Villarino passa a operar de segunda a sexta, das 17h às 20h, com capacidade reduzida para 20 pessoas, seguindo todos os protocolos de higiene e distanciamento social. No cardápio, figuram clássicos do bar como o Picadinho Carioca, o Contra-filé a Oswaldo Aranha, a Picanha a Avenida e o Arroz de Lula, sanduíches como o Carne Louca Espanhola e o Presunto Serrano, além de bolinhos e petiscos variados. Nesta primeira semana, o bar funciona em esquema de soft opening. Já a partir da próxima terça-feira, 17.08, o menu também estará disponível para delivery nas regiões do Centro, Zona Sul e Tijuca pelos aplicativos iFood e Rappi.

Outra iniciativa do Clube Senac Villarino Bar serão as Lives de Boteco, encontros virtuais nos quais profissionais de Gastronomia e Bebidas ensinam a preparar receitas e a fazer harmonizações. O ingresso se dá mediante a compra de um kit do delivery e o público poderá assistir a live ao mesmo tempo em que degusta o prato em casa. A primeira edição, no dia 16 de setembro, terá como tema “A história do Villarino e do Rio nos copos de Tom e Vinicius”. Já em 26 de outubro, o tema será “Cardápio da História”.

O projeto também contempla a realização de cursos de curta duração com temas alusivos ao Villarino. Com lançamento previsto para o mês de setembro, os programas serão híbridos, com aulas online e encontro presencial. Será possível realizar uma assinatura que dará direito a seis aulas, um avental, e um kit de insumos para acompanhar as aulas de casa. Já os cursos regulares de Gastronomia do Senac RJ irão promover vivências aos alunos no ambiente real do bar.​

Fechada desde novembro do ano passado, a Casa Villarino é um tradicional misto de bar e delicatessen fundada em 1953 no centro do Rio de Janeiro.  O estabelecimento, famoso por seus tradicionais petiscos de boteco, é referência da boemia carioca e guarda a gênese do termo Bossa Nova, além de ter sido o local onde Tom Jobim e Vinicius de Moraes se conheceram.

Revitalização da área central

A reabertura do Villarino é parte de um conjunto de ações do Sistema Fecomércio RJ voltado para a valorização do Centro do Rio de Janeiro. A iniciativa também contempla a reforma do edifício onde está localizado o Teatro Sesc Ginástico, na avenida Graça Aranha, que irá se tornar um centro de referência em serviços nas áreas de cultura, educação, saúde, lazer e assistência na região.  A ação integra a campanha Rio de Mãos Dadas, do Sistema Fecomércio RJ (Sesc RJ e Senac RJ), que visa contribuir para a retomada da confiança da população fluminense no contexto da pandemia. Também vai ao encontro do projeto Reviver Centro, da Prefeitura do Rio, que prevê revitalizar a área central.

 

 

Categorias
Notícias do Jornal Social

RJ Alimenta já distribuiu um milhão de refeições

 

Biblioteca Parque Estadual, no Centro, é o novo ponto de entrega

 

O programa RJ Alimenta bateu a marca de um milhão de refeições servidas para a população em situação de vulnerabilidade social. Para celebrar esse momento, a Secretaria de Estado Desenvolvimento Social e Direitos Humanos assinou, em cinco de fevereiro, convênio com a secretária de Cultura e Economia Criativa, Danielle Barros, para tornar a Biblioteca Parque Estadual, no Centro do Rio, o novo ponto de entrega das refeições. O projeto, lançado ano passado por conta da pandemia, foi prorrogado por seis meses.

“A população do nosso Estado necessita urgentemente de comida, diversão e arte, e o convênio com a Secretaria de Cultura vai proporcionar o sonho deles, que é o nosso também”, enfatizou Bruno Dauaire, secretário de Desenvolvimento Social.

Durante a cerimônia realizada no novo espaço de distribuição de alimentos, foi servido um jantar especial, além de apresentações musicais, leitura de poesias e distribuição de livros. Todos os protocolos de segurança para prevenção à Covid-19 foram respeitados. “Essa parceria demonstra a vontade do Governo do Estado de atender todas as pessoas em situação de vulnerabilidade”, destacou a secretária Danielle Barros.

O projeto oferece café da manhã, almoço e jantar, além de promover apresentações culturais e distribuição de livros Foto: Uanderson Fernandes

“Estamos vivendo um cenário muito difícil. O projeto não se limita apenas ao fornecimento de refeições. Temos uma equipe de educadores e assistentes sociais para fazer uma abordagem humanizada”, declarou Luiza Trabuco, superintendente de Segurança Alimentar e Nutricional,

 

Refeições e apoio durante a pandemia

 

O RJ Alimenta, uma parceria entre a Fundação Leão Xlll e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, visa resguardar uma das parcelas da população que mais sofreu com os impactos da pandemia. O projeto oferece, gratuitamente, café da manhã, almoço e jantar de segunda a domingo.

De acordo com pesquisa realizada pela Fundação Leão Xlll, do total de pessoas que buscam pelas refeições do programa RJ Alimenta, 66,3% são homens e 32,5%, mulheres. Do total, 77,3% dos usuários afirmam ter outro local para almoçar, enquanto 22,7% não têm. Outro dado relevante é que 54,2% se apresentam como pessoas em situação de vulnerabilidade, enquanto 45,8% estão em situação de rua.