Categorias
Destaque Rio Saúde

Todo o estado do Rio está em alto risco para a Covid-19

 

A 23ª edição do Mapa de Risco da Covid-19 mostra que a situação da pandemia se encontra em risco alto (vermelho) no Estado do Rio de Janeiro. As regiões Centro Sul, Litorânea e Metropolitana I estão classificadas com risco muito alto (bandeira roxa); as regiões da Baía de Ilha Grande, Médio Paraíba, Metropolitana II, Norte e Noroeste estão com risco alto (bandeira vermelha), e a Região Serrana apresenta risco moderado (bandeira laranja), conforme mapa de risco da Covid-19. A análise compara a semana epidemiológica 10 (de 07 a 13 de março) com a 08 (de 21 a 27 de fevereiro) de 2021.

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo).

Na comparação do período analisado (07 a 13/03 e 21 a 27/02), o Rio de Janeiro apresentou um aumento no número de óbitos (2%) e também de casos de internações por síndrome respiratória aguda grave (24%). As taxas de ocupação de leitos do estado, nesta sexta-feira (26.03), estão em 92% para UTI, e em 78% para enfermaria. Os resultados dos indicadores devem auxiliar na tomada de decisão dos gestores públicos, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada região.

Abertura de leitos – A Secretaria de Estado de Saúde informa que a ação conjunta com o Ministério da Saúde possibilitará a abertura de 557 leitos, sendo 324 de UTI, até a próxima semana.

Na rede estadual, foram abertos 89 leitos de UTI e 10 de enfermaria, esta semana, nos hospitais Zilda Arns, Anchieta, João Batista Caffaro, Carlos Chagas e Adão Pereira Nunes.

Até a próxima quarta-feira, serão inseridos na Central de Regulação Estadual (CER) mais 104 leitos de UTI e 56 de enfermaria. São leitos privados contratados por meio de chamamento público. Até o dia 02.04, outros 27 leitos de UTI da rede estadual serão inseridos na CER. No total, entre esta semana e a próxima, a ampliação chegará a 366 leitos.

Quanto à rede federal, a ação conjunta com a SES já conseguiu inserir na CER 76 leitos de UTI e 136 de enfermaria. Até o dia 02.04, o Ministério da Saúde informou que outros 28 leitos de UTI e 31 de enfermaria serão destinados a pacientes com Covid-19 e inseridos na regulação unificada. Com isso, o número de leitos abertos na rede federal e regulados pelo estado será de 271, sendo 104 de UTI. A força de trabalho e a gestão desses leitos serão federais. O cronograma de abertura de mais leitos na rede federal será informado pelo Ministério da Saúde.

Distribuição de vacinas – A SES recebeu do Ministério da Saúde (MS), até esta sexta-feira (26.03), 3.096.720 doses da vacina contra a Covid-19, sendo 2.642.120 da CoronaVac e 454.600 mil da Oxford/AstraZeneca. Até a última segunda-feira (22.03), foram distribuídas 2.716.120 doses dos imunizantes, sendo 1.971.930 para primeira aplicação e 742.960 para segunda aplicação. Neste sábado (27.03), uma remessa com 363.600 doses será enviada aos 92 municípios do estado.

Balanço vacinação – Até as 9h desta sexta-feira (26.03), 92 municípios registraram 964.246 pessoas imunizadas com a 1ª dose da vacina contra a Covid-19. Destas, 324.590 já receberam a 2ª dose. O balanço é atualizado diariamente e pode ser acompanhado pelo Portal Vacinação Covid-19 (https://vacinacaocovid19.saude.rj.gov.br/vacinometro).

Foto: Abr

Categorias
TV & Famosos

Tom Hanks e a mulher, Rita Wilson, estão com coronavírus

O ator Tom Hanks revelou em postagem no Twitter, na quarta-feira (11) que ele e sua mulher, Rita Wilson, ambos de 63 anos, foram diagnosticados com o novo coronavírus. O casal estava na Austrália para as filmagens de um longa sobre Elvis Presley, em que o ator interpreta Tom Parker, empresário do rei do rock.

“Olá, pessoal. Rita e eu estamos aqui na Austrália. Nos sentimos um pouco cansados, com frio e com dores no corpo. Rita tinha uns calafrios que iam e vinham. Leves febres também. Para fazer tudo certo, como é preciso no mundo agora, fomos testados para o coronavírus, e o resultado foi positivo”, escreveu Hanks.

“Bem, o que fazer a seguir? Os oficiais médicos têm protocolos que devem ser seguidos. Nós, Hanks, vamos ser testados, observados e isolados pelo tempo que a saúde e a segurança pública pedirem. Não há muito mais a fazer além de enfrentar um dia de cada vez, não? Vamos manter o mundo informado. Se cuidem!”

A Warner Bros, estúdio que realiza o filme, confirmou em comunicado que uma pessoa da equipe está com o COVID-19, sem citar nomes.

Foto: Reprodução

Categorias
Destaque Rio

Rio de Janeiro tem primeiros casos de coronavírus com transmissão local

Um homem de 72 anos, morador da cidade do Rio de Janeiro e a mulher dele, de 68 anos  são os primeiros casos de transmissão local de coronavírus no estado. O contágio foi confirmado nesta quinta (12) pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio (SES). Os dois infectados apresentam quadro estável de saúde e estão em isolamento domiciliar. O casal não viajou ao exterior.

Com a nova confirmação, agora são 15 os casos do Covid-19 no estado, sendo 13 no município do Rio, um em Niterói e um em Barra Mansa. Por conta dessa nova configuração, o Plano de Contingência do governo estadual passa do Nível Zero para o 1, que prevê a disponibilidade de 206 leitos exclusivos para tratamento de casos graves de pessoas infectadas pelo coronavírus em hospitais estaduais. A medida inclui unidades municipais e federais, além da rede estadual.

O secretário de Estado de Saúde, Edmar Santos, explicou que isso já era esperado e que não há motivo para pânico. “Estes são os primeiros casos no estado de pacientes que não estiveram em países com transmissão comunitária. Como já havia alertado, estávamos esperando que isso acontecesse em breve. No entanto, ressalto que não há motivo para pânico”, assegurou.

Plano de contingência

O objetivo estratégico do plano de contingência do coronavírus, elaborado no mês passado, é intensificar as medidas de segurança para conter a transmissão entre humanos, incluindo as infecções secundárias entre pessoas próximas das que tiveram a confirmação da doença e profissionais de saúde.

O Nível Zero do plano estava em ação quando havia apenas a confirmação de casos importados da doença. O Nível 1 foi colocado em prática com o início da transmissão local de coronavírus no estado do Rio.

Caso se confirme a transmissão comunitária, o plano passa para o Nível 2, que ativa outros leitos para assistência de casos graves.

O Nível 3 será ativado se as ações do Nível 2 não forem suficientes para controlar a propagação da doença e para a organizar a rede de atenção na resposta. Nesse caso, será criado pela Secretaria de Saúde um hospital de campanha e as Forças Armadas poderão ser acionadas.

Brasil tem 60 casos confirmados

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, durante entrevista coletiva sobre o novo corona vírus (Foto SES)

Na manhã desta quinta-feira (12), o Ministério da Saúde divulgou , em entrevista à imprensa, que há oito novos casos confirmados do coronavírus no Brasil. O número subiu de 52 para 60. Os novos registros são do Paraná (seis casos) e no Rio Gande do Sul (mais dois pacientes).

Atualmente são monitorados 930 casos suspeitos e 947 foram descartados. Do total de casos confirmados, nove (15%) são por transmissão local, quando é possível relacionar o doente a um caso confirmado; e 51 (85%) dos casos são importados, ou seja, de pessoas que viajaram ao exterior.

Os casos confirmados no Brasil estão divididos em nove estados: São Paulo (30), Rio de Janeiro (13), Bahia (dois), Minas Gerais (um), Distrito Federal (dois), Rio Grande do Sul (quatro), Paraná (seis), Alagoas (um), Espírito Santo (um).

Medidas de isolamento, quarentena e tratamento compulsório

O MS publicou portaria que prevê medidas de isolamento e quarentena, além da realização compulsória de exames e tratamentos como forma de combater a pandemia do Covid-19. De acordo com o texto, as autoridades de saúde podem recomendar o isolamento para pessoas que tiveram contato próximo com alguém infectado enquanto a situação de cada uma delas estiver sendo investigada.

Essas medidas já estavam previstas como meios de enfrentamento do novo coronavírus na lei nº 13.979, que entrou em vigor em 6 de fevereiro.

Os níveis

– Nível Zero – Casos importados notificados ou confirmados.

– Nível 1 – Transmissão local de coronavírus no estado do Rio de Janeiro.

– Nível 2 – Transmissão comunitária, que ativará outros leitos para assistência de casos graves.

– Nível 3 – Quando as ações e atividades orientadas para serem realizadas no nível 2 de ativação forem insuficientes como medidas de controle e para a organização da rede de atenção na resposta. Caso o surto chegue a esse nível, além de todas as unidades citadas anteriormente, será criado pela Secretaria de Estado de Saúde um hospital de campanha e as Forças Armadas serão acionadas. Haverá ainda a utilização de leitos em unidades especializadas, com a suspensão de cirurgias eletivas.

Medidas de prevenção

– Proteger nariz e boca ao espirrar ou tossir
– Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres e copos
– Lavar frequentemente as mãos, especialmente após espirrar ou tossir
– Utilizar álcool em gel nas mãos

Saiba mais sobre o Plano
https://www.saude.rj.gov.br/noticias/2020/03/secretaria-de-estado-de-saude-atualiza-plano-de-contingencia-do-novo-coronavirus

Informações ABr. e SES

Foto ABr.