Categorias
Brasil Cultura Destaque Notícias

Jovens da Pavuna participarão do projeto Percursos Formativos do MAR

O Museu de Arte do Rio (MAR) lançou nesta semana, o projeto Percursos Formativos, durante live em seu Instagram (@museudeartedorio). O programa é desenvolvido pela Escola do Olhar, polo educacional do museu, que visa formar e promover jovens da rede pública de ensino e de regiões periféricas do município do Rio de Janeiro na produção da arte e da cultura.

O projeto será desenvolvido no formato presencial com 12 jovens de 16 a 21 anos, moradores do bairro da Pavuna, zona norte da capital. Poderão participar da iniciativa estudantes de escolas e institutos das redes públicas de ensino municipal, estadual ou federal do Rio de Janeiro que estejam matriculados nos turnos da manhã ou da noite ou ainda jovens que tenham concluído o ensino médio, nos últimos dois anos, em escolas das redes públicas de ensino do Rio de Janeiro.

Será necessária a apresentação de histórico escolar oficial no momento do cadastro do participante. As inscrições serão feitas via internet até o dia 17 de julho. O edital também pode ser consultado na internet.

O projeto Percursos Formativos vai acompanhar os jovens selecionados em uma trajetória pelas áreas que estruturam o museu e suas competências: curadoria, museologia, educação, comunicação, produção cultural e administração.

Tal como ocorreu no ano passado, quando o MAR escolheu jovens de Santa Cruz, na zona oeste, por seu impacto territorial e pelo fato de o bairro ser o último ramal da linha ferroviária da Central do Brasil, a Pavuna foi escolhida por ser a estação final do Metrô do Rio.

“A escolha da Pavuna se deu também por a gente estar buscando essa relação extramuros do museu”, explicou a gerente de Educação do MAR, Patrícia Marys, à Agência Brasil. “A gente busca essa relação de imersão do museu, tanto dos jovens, provocando essa relação aqui dentro, no território do museu, como também por a gente estar indo para a Pavuna, como fez no ano passado, com Santa Cruz”.

Este é o quarto ano de realização do projeto Percursos Formativos. Em 2019, em sua primeira edição, foram reunidos jovens de vários territórios. No ano seguinte, em função da pandemia do novo coronavírus, o projeto foi realizado com jovens da zona portuária, em formato híbrido e, em 2021, foram os jovens de Santa Cruz, “pensando justamente na relação de impacto territorial, de a gente ter essa relação de extramuros do museu, de estarmos nos conectando com outros territórios”, destacou a gerente de Educação.

Patricia esclareceu que, após conhecer as áreas do MAR, os jovens constroem um projeto coletivamente, no bairro em que moram. “Este ano, nosso intuito é fazer parcerias com instituições culturais da Pavuna, que partem de um mapeamento diagnóstico aqui do museu, como o Museu do Grafite e a Arena Jovelina Pérola Negra, mas a gente tem o interesse de os próprios jovens estarem nos passando os equipamentos culturais da Pavuna que eles identificam”.

O programa é integrado por aulas, oficinas, palestras, visitas e outras experiências. Os percursos devem ser cursados integralmente pelos participantes ao longo da formação que se estenderá de 3 de agosto a 30 de novembro deste ano, com atividades presenciais e remotas às quartas, quintas e sextas-feiras, das 14h às 18h, salvo em dias de feriado, casos em que a reposição de aula será combinada.

No total, serão 174 horas de atividades presenciais, com indicação de atividades complementares, como a participação em eventos promovidos pela Escola do Olhar nos formatos remoto e presencial. Os jovens selecionados receberão bolsas de estudo no valor de R$ 935 por mês, durante quatro meses.

A pré-seleção dos candidatos a serem entrevistados está prevista para ocorrer nos dias 18 e 19 de julho. O resultado dos pré-selecionados sairá no dia 20, com a entrevista virtual sendo realizada nos dias 21 e 22. O resultado final da seleção será divulgado no dia 23 de julho.

Iniciativa da prefeitura carioca em parceria com a Fundação Roberto Marinho, o Museu de Arte do Rio passou a ser gerido pela Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) em janeiro deste ano, apoiando as programações expositivas e educativas do MAR a partir de um conjunto amplo de atividades para os próximos anos. A OEI é um organismo internacional de cooperação que tem na cultura, na educação e na ciência os seus mandatos institucionais, desde sua fundação, em 1949.

Para a OEI, o Museu de Arte do Rio representa um instrumento de fortalecimento do acesso à cultura, intimamente relacionado com o território, além de contribuir para a formação nas artes. “Temos no Rio de Janeiro, por meio da sua história e suas expressões, a matéria-prima para o nosso trabalho”, destaca Raphael Callou, diretor e chefe da representação da OEI no Brasil.

 

 

 

Agência Brasil

Categorias
Brasil Cultura Destaque Notícias

Cinemateca exibe versão restaurada de Deus e o Diabo na Terra do Sol

Uma versão restaurada do clássico filme brasileiro Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha, é uma das atrações da Mostra Espetáculo Polêmica Cultura, que tem início hoje (30). A mostra, gratuita, é promovida pela Cinemateca Brasileira, em São Paulo, e celebra os 60 anos da Sociedade Amigos da Cinemateca (SAC). O evento fica em cartaz até o dia 10 de julho.

Deus e o diabo na terra do Sol, a obra-prima de Glauber Rocha, foi restaurada em 4k e será exibida em 35mm no dia 6 de julho, às 21h, na área externa da Cinemateca. Nesse mesmo dia, duas horas antes da exibição, a equipe de restauro discute como esse trabalho foi feito.

Além desse filme, a mostra promove uma homenagem a Dante Ancona Lopez, publicitário, distribuidor de filmes e primeiro presidente da SAC. Ao longo do evento, familiares de Lopez vão doar o acervo do empresário à Cinemateca.

A mostra foi dividida em três blocos, que reproduzem a prática de programação da época. O primeiro desses blocos foi chamado de Grandes Estreias Nacionais e vai apresentar clássicos do cinema nacional como Garrincha, alegria do povo, de Joaquim Pedro de Andrade, e A hora e a vez de Augusto Matraga, de Roberto Santos.

Já o segundo bloco se dedica às grandes estreias internacionais, apresentando filmes de diversos países que já foram exibidos pela Cinemateca no passado. Fazem parte desse bloco filmes como A passageira, de Andrzej Munk e Witold Lesiewicz; Os subversivos, dos irmãos Taviani; Um Cão Andaluz e o Anjo Exterminador, de Luis Buñuel; Mickey One, de Arthur Penn; Cinzas e Diamantes, de Andrzej Wajda; e o raro O Crime da Aldeia Velha, de Manuel Guimarães.

No terceiro bloco serão apresentados filmes exibidos em inaugurações de salas de cinema que eram programadas pela SAC. Muitas delas já nem funcionam mais. Da inauguração do Cine Coral será exibido Esses Maridos, de Luigi Comencini. Já do antigo Cine Picolino, será apresentado Os Amantes de Florença, de Carlo Lizzani. Do Cine Scala, será exibido Ópera dos Pobres, de George W. Pabst.

Harakiri, de Masaki Kobayashi, foi o filme de estreia do auditório do Museu de Arte de São Paulo (Masp) e Os russos estão chegando! Os russos estão chegando!, dirigido por Norman Jewison, é o filme que inaugurou o Belas Artes, cinema ainda em funcionamento na cidade de São Paulo. Da Sala Cinemateca será exibida uma versão restaurada de A paixão de Joana D’Arc, de Carl Theodor Dreyer.

Ao todo, a mostra vai exibir 19 longas e um média-metragem, além de promover três mesas de debates. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes do início de cada sessão. A programação pode ser consultada nas redes sociais da Cinemateca Brasileira.

 

Agência Brasil

Categorias
Brasil Cultura Destaque Notícias Rio

Aliansce Sonae apoia “Festa Literária e Cultural” do Instituto Reação

A Aliansce Sonae está engajada no incentivo à leitura como ferramenta de transformação social. Shoppings da companhia no Rio de Janeiro arrecadam livros novos e usados de literatura infantil e infanto-juvenil que serão doados para a “Festa Literária e Cultural” do Instituto Reação, organização não governamental apoiada pela companhia desde 2016.

Até o dia 4 de julho, segunda-feira, o Shopping LeblonBangu ShoppingCaxias ShoppingCarioca ShoppingShopping Grande Rio e Via Parque Shopping recebem as doações que posteriormente serão entregues à ONG. A 9ª edição da “Festa Literária e Cultural” do Instituto Reação acontecerá na sede do projeto, na Rocinha, no dia 8 de julho.

Com o objetivo de incentivar o hábito da leitura, o evento deve receber cerca de 600 crianças e adolescentes atendidas pelo projeto. Todos os visitantes terão a oportunidade de levar ao menos um livro para a casa.

“O incentivo à leitura é um tema muito importante para a Aliansce Sonae. Desenvolvemos ao longo do ano projetos que usam a cultura como um agente capaz de transformar a realidade de crianças em situação de vulnerabilidade. O apoio ao Instituto Reação é uma oportunidade de praticar a solidariedade e convidar o nosso público a fazer o mesmo”, comenta Ana Paula Niemeyer, Diretora de Marketing da Aliansce Sonae.

Categorias
Brasil Cultura Destaque Notícias

Projeto fará inventário das obras de arte sacra da Arquidiocese do Rio

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou na última quinta-feira (23) o investimento de R$ 5,38 milhões para o projeto de preservação do acervo histórico da Arquidiocese do Rio de Janeiro. O valor, destinado por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, corresponde a 88% do investimento total.

O restante, R$ 758,7 mil, será custeado pela mineradora Vale, dentro da iniciativa Resgatando a História, lançada em julho de 2021 para a concessão de apoio financeiro à recuperação do patrimônio histórico e do acervo memorial brasileiro.

O projeto prevê a realização e divulgação do inventário das obras de arte sacra da Arquidiocese do Rio de Janeiro e a promoção do turismo cultural na zona oeste e nos subúrbios da cidade, contemplando as igrejas tombadas pelas esferas municipal, estadual e federal em todas as regiões da capital fluminense, além das edificações com acervo.

Está prevista também a implantação de sistemas de segurança patrimonial, incluindo câmeras e alarmes, em parte dos equipamentos culturais a serem inventariados, de modo a diminuir os riscos de furto de peças do catálogo.

O arcebispo do Rio, dom João Orani Tempesta, destacou que o acervo da Arquidiocese é um dos mais importantes do patrimônio histórico e artístico nacional, com obras feitas por grandes mestres como Valentim da Fonseca e Silva e Inácio Ferreira Pinto, José Leandro de Carvalho, Pedro da Cunha e Francisco Xavier de Brito, dentre outros.

“A ampliação do acesso a esses bens culturais tão valiosos e outros de grande importância afetiva para as comunidades de fiéis e pastorais da Igreja no Rio de Janeiro é, para nós, motivo de alegria, permitirá a valorização das coleções e estimulará o engajamento de presbíteros, leigos e diletantes pela salvaguarda e preservação do nosso patrimônio”, disse.

O projeto prevê a catalogação dos bens móveis e integrados presentes em mais de 450 igrejas e capelas, entre as quais a de Santa Rita, primeiro e maior exemplar do Rococó Religioso da Baviera, estilo artístico que entrou no Brasil via Rio de Janeiro por volta de 1750 e se difundiu pelo país; a de Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé, que foi capela imperial durante os reinados de D. João VI, D. Pedro I e D. Pedro II, e antiga sede dos frades carmelitas, ali estabelecidos no século 17; a de São Francisco de Paula, sede da Ordem Terceira dos Mínimos e monumento símbolo do estilo arquitetônico português do século 18, conhecido como estilo Pombalino; e a de São Francisco Xavier, um dos últimos resquícios dos jesuítas no Rio de Janeiro.

O diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES, Bruno Aranha, informou que será disponibilizada uma plataforma virtual de todo acervo catalogado.

“Vamos contribuir para a disseminação e democratização desse importante patrimônio, que ficará disponível para acesso e pesquisa à população em geral”, disse.

“O projeto contribuirá ainda para o turismo histórico-cultural na zona oeste e subúrbios do Rio de Janeiro, que são regiões pouco conhecidas pelo seu patrimônio histórico, embora tenham muito a oferecer”, completou.

Na avaliação do diretor-presidente do Instituto Cultural Vale, Hugo Barreto, a iniciativa de realizar um inventário de arte sacra da Arquidiocese do Rio vai permitir a “ampliação de visitas dos diversos públicos a bens culturais de valor inestimável e o fomento do turismo cultural”.

O trabalho será realizado pela Associação Cultural da Arquidiocese do Rio de Janeiro (Acarj). Segundo o professor Carlos Alberto Serpa de Oliveira, diretor da entidade, o Inventário da Arquidiocese do Rio consiste em uma ação de “importância ímpar” para a Acarj.

“Nos nossos mais de 30 anos de existência e, enquanto associação que atua como verdadeiro arauto da preservação cultural, estamos testemunhando um dos episódios mais marcantes para salvaguarda dos bens culturais de diversas regiões consideradas periféricas e outros monumentos de vultosa importância histórica e artística”.

Para ele, a instalação de câmeras de segurança em alguns dos edifícios mais vulneráveis da Arquidiocese vai corroborar para a proteção e fruição das coleções.

Após a conclusão do inventário, o acervo passará a ser divulgado por meio da criação de um circuito de visitação que contará com a participação de escolas e agências de viagens.

Estão previstas ainda oficinas de capacitação para agentes culturais e patrimoniais locais; exposição itinerante, com curadoria participativa das comunidades do entorno das igrejas; e publicações impressas e digitais do catálogo do acervo inventariado, bem como de uma revista com material voltado para a educação patrimonial.

 

 

Agência Brasil

Categorias
Brasil Cultura Destaque Notícias

Funarte lança candidatura do circo como patrimônio cultural imaterial

A Fundação Nacional de Artes (Funarte) recebe até quarta-feira (29) inscrições para a Bolsa Funarte de Pesquisa para Reconhecimento do Circo como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas exclusivamente pela internet, por meio do preenchimento de formulário disponível na internet.

Serão concedidas dez bolsas, sendo duas para cada região do país, com o objetivo de montar um dossiê da candidatura do circo como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

“Os projetos vão auxiliar para que todo o material reunido pelos pesquisadores bolsistas sirva para a candidatura”, disse à Agência Brasil o diretor do Centro de Programas Integrados da Funarte, José Alex Botelho de Oliva Jr.

Ele esclareceu que “o Iphan está conosco como parceiro em todas as etapas do edital”. Cada projeto vencedor será contemplado com R$ 20 mil. Com o concurso, a Funarte tem como contribuir para identificar, valorizar e dar visibilidade à produção artístico-cultural do circo, além de promover a ampliação da produção circense, sua difusão e sustentabilidade econômica e social, explicou o diretor.

Serão selecionados projetos de pesquisa de campo, que se baseiem nas famílias circenses, suas iniciativas, ações ou atividades de natureza artística e cultural, troca de saberes entre gerações e produção nas localidades de caráter fixo ou itinerante, em âmbito nacional.

As propostas devem abranger a produção de conhecimento no campo das formas de expressão, os modos de criar, fazer e viver, as criações artísticas, o impacto nas localidades, as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às manifestações circenses.

Segundo o edital, podem se inscrever no processo seletivo pessoas físicas residentes no Brasil e que tenham atuação comprovada nas áreas relacionadas ao circo e às artes cênicas. Outras informações podem ser obtidas pelos interessados pelo e-mail circo.patrimonio@funarte.gov.br. O resultado dos vencedores do edital deverá ser divulgado no final de agosto, no site da Funarte, após análise dos recursos que forem apresentados.

 

 

Agência Brasil

Categorias
Cultura Destaque Notícias Notícias do Jornal Rio

“Eterno Nazareth” resgata a vida e obra do compositor carioca, no Theatro Municipal, quarta-feira, dia 29/6

A trajetória de um dos cariocas mais notáveis da música brasileira, o compositor e pianista Ernesto Nareth, será contada através do encontro inusitado entre a soprano Georgia Szpilman, a pianista Yuka Shimizu e o clarinetista Moises Santos.  Os três subirão ao palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (sala Mário Tavares), na quarta-feira, dia 29 de junho, às 18h, apresentando o espetáculo “Eterno Nazareth”, uma retrospectiva política e social da época, revivendo as histórias da vida de Nazareth através de um bate-papo com a plateia entremeado de suas famosas composições.

Considerado um dos maiores nomes do maxixe, não ficarão de fora também aspectos relevantes de sua vida e carreira, como sua personalidade forte, a grande influência de Frederick Chopin em sua obra e, acima de tudo, sua inegável contribuição para a cultura brasileira dos séculos XIX e XX. No espetáculo, os três músicos passeiam por composições que se tornaram standards da música brasileira do século XIX e início do século XX, como “Brejeiro”, “Apanhei-te cavaquinho”, “Confidências” e  a própria “Odeon”.

“Eterno Nazareth” foi idealizado pela pianista japonesa Yuka Shimizu, fruto de uma longa história de admiração pela música e vida do compositor carioca: “Quando tinha 11 anos, no Japão, minha primeira professora de piano me sugeriu “Odeon” (Ernesto Nazareth) para tocar na apresentação dos alunos. Ela me deu fita cassete de uma gravação para conhecer a música e o álbum de partituras “Viagem pelo Mundo”. Dentro este álbum, a música “Odeon” de Ernesto Nazareth representava o Brasil!”, vibra. A paixão pela música e pelo artista foi fulminante: “nunca tinha estudado algo parecido….eu já tocava Bach, Clementi, Mozart, muitos exercícios Czerny e Hanon… Mas a música de Nazareth era tão diferente de todas, e isso me atraiu bastante, e ficou guardando no meu coração”.

Depois que a pianista ingressou na Faculdade de Música Kunitachi, em Tóquio, teve a oportunidade de fazer uma masterclass com a pianista brasileira Clara Sverner, em 1996, em sua passagem pelo Japão. Após tocar “Odeon” para a brasileira e assistir ao seu recital, Yuka não teve mais dúvidas sobre seus próximos caminhos musicais: “com a ajuda do Maestro Murakata, que fundou Associação Villa-Lobos no Japão, enviei uma carta para Clara pedindo para ser sua aluna no Rio de Janeiro e ela aceitou… me mudei para Rio de Janeiro em  Novembro de 1997, tranquei a faculdade no Japão para poder voltar….mas nunca mais voltei!”, sem esconder o entusiasmo.

Já no Brasil, Yuka se formou no Conservatório Brasileiro de Música e começou a dar recitais no Brasil e no Japão, incluindo “Uma Homenagem aos 150 anos de Ernesto Nazareth”, realizado no Rio de Janeiro, no Centro Cultural Justiça Federal, um dos seus prediletos. Dentre os 4 CDs lançados pela pianista japonesa, o primeiro, de 2007, foi sua homenagem a Nazareth – “Ernesto Nazareth – Embalada pela brisa do Rio” – no qual realização a primeira gravação mundial da música “Capricho”.

REPERTÓRIO

-Você Bem Sabe- Ernesto Nazareth
– O Feitiço Não Mata – Ernesto Nazareth
– Tudo Sobe – Ernesto Nazareth
– Brejeiro – Ernesto Nazareth
– Confidências – Ernesto Nazareth
– Sertaneja – Letra De Catullo Da Paixão Cearense
– A Florista – Letra De Francisco Telles
– Apanhei-te Cavaquinho – Ernesto Nazareth
– Beija Flor – Ernesto Nazareth
– Odeon – Ernesto Nazareth
– Êxtase – Ernesto Nazareth
– Gaúcho – Ernesto Nazareth
– Escorregando – Ernesto Nazareth

SERVIÇO

“ETERNO NAZARETH”

Quarta feira, 29 de junho de 2022 às 18h.
Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Sala Mário Tavares
AV. Almirante Barroso 14/16 Centro – Rio de Janeiro – RJ.
R$30 (inteira) e R$15 (meia)
Classificação Indicativa Livre para todos os públicos
Tempo de Duração:  60 minutos
Vendas também pelo Sympla

https://www.sympla.com.br/eterno-nazareth__1612282 

Categorias
Brasil Cultura Destaque Notícias Rio

Instituto de Pesquisa Histórica e Arqueológica do Rio de Janeiro e o Memorial da Humanidade irá fazer a abertura de seu espaço

O Instituto de Pesquisa Histórica e Arqueológica do Rio de Janeiro e o Memorial da Humanidade tem a honra de anunciar que a partir do mês de julho, o Instituto irá fazer a abertura de seu espaço ao grande público, e promoverá eventos diversos com temas diferentes .

Dentre as atividades teremos as seguintes atividades:

1) Palestras diversas sobre temas ligados ao Patrimônio, Arqueologia , História e temas relacionados as suas missões;

2) Visita guiada a exposição “A Escrita : História, formas e usos”;

3) Visita guiada à exposição ” Os frutos do tear”;

4) Oficinas diversas sobre temas ligados ao Instituto, incluindo Oficinas de Arte Sacra e de Conservação, de Tecelagem, de Mumificação, de Cerâmica e outras.

5) Alguns eventos contarão com a primorosas performances de artistas que darão vida e voz à personagens destacados da História Brasileira e Mundial.

Por medidas de seguranças e controle diante da pandemia da Covid-19, o acesso se dará a partir de reservas antecipadas e seguirá as recomendações sanitárias vigentes.

Informações e reservas pelo email: ipharjeventos@gmail.com ou mensagens de whatsapp pelo numero (21) 989131561 ( somente mensagens).

Categorias
Brasil Cultura Destaque Notícias

Centro Cultural dos Correios em São Paulo recebe evento Diálogos de Corpo e Alma

O Centro Cultural dos Correios em São Paulo realizará uma inauguração amanhã (21), das 15 às 19hs. O evento abordará a Arte, Ciência e a Espiritualidade juntas.

A idealização e criação do projeto é da Lesiane Lazzarotti OGG, a curadoria de Luiz Badia, sendo que terá quatro membros da Academia participando, a Presidente Vera Gonzales, além de Matilde Toledo, Nequitz e Lesiane Lazzarotti . O Projeto é dividido em três partes: Arte, Cura e Afeto(focando trabalho Dra. Nise, Kandinsky, nas terapias com arte e animais e na Música). A segunda parte se chama:Arte, Cura e Ciência(trazendo em arte os estudos do renomado medico neurocientista Dr. Sergio Felipe de Oliveira sobre a glândula pineal ). E a terceira parte: Arte, Cura e Espiritualidade, (contando a história de Benedita Fernandes, a Dama da Caridade).

Além disso haverá uma instalação interativa, arte educação com o público , músicas exclusivas e a apresentação ao vivo de uma performance no piano do Dr Sergio Felipe de Oliveira, juntamente com Décio com o Kalimba(instr. Turco).

Categorias
Brasil Destaque Notícias Rio

Estandarte Mirim será entregue aos sambistas na quadra da Unidos de Vila Isabel

A Aesm-Rio promove no próximo domingo, 26 de junho a partir das 13 horas, a festa para a entrega do Troféu Estandarte Mirim, aos sambistas que se destacaram durante os desfiles das agremiações infantis, no dia 24 de abril, no Sambódromo.

Dentre as inovações para 2022, a mudança do local para a entrega das premiações, que esse ano será na quadra da Unidos de Vila Isabel e a homenagem póstuma a Célia Andrade, que presidiu a Estrelinha da Mocidade sendo grande incentivadora do carnaval da criançada, além da celebração pelos 20 anos de fundação da Associação das escolas de Samba Mirins.

Confira aos agraciados com o Troféu Estandarte Mirim ‘Célia Andrade’:

Ainda Existem Crianças de Vila Kennedy – Conjunto;

– Corações Unidos do Ciep – Samba de Enredo;

– Império do Futuro – Mestre-Sala e Porta-Bandeira (André Paulo e Agghata);

– Pimpolhos da Grande Rio – Bateria;

– Golfinhos do Rio de Janeiro – Alegorias;

– Herdeiros da Vila – Ala de Passistas;

– Aprendizes do Salgueiro – Harmonia;

– Filhos da Águia – Comissão de Frente;

– Infantes do Lins – Rainha de Bateria (Ana Clara);

– Nova Geração do Estácio de Sá – Enredo “Marlene Povão, bate o lindo coração desta Nova Geração”;

– Mangueira do Amanhã – Evolução;

– Estrelinha da Mocidade – Fantasias;

– Petizes da Penha – Alegoria (Abre-alas) “Era uma vez… mais uma vez… outra vez”;

– Miúda da Cabuçu – Intérprete (Ryan).

– LIESA

– RioTur

– Secretaria Estadual de Cultura

– Detran-RJ

– Rádio Arquibancada

– Rádio Roquette Pinto FM

– SRZD Carnaval

– Milton Cunha

– Miro Ribeiro

– Manoel Dionísio – Projeto Mestre-Sala, Porta-Bandeira e Porta-Estandarte

– Estelita Silva e Adilson de Souza Augusto (Mestre Gallo) – Associação Cultural Madureira Toca Canta e Dança

– Bruno Mattos (Presidente da RioTur)

– Daniela Maia

Categorias
Brasil Destaque Notícias Rio

“Tenho Quebrado Copos” estreia no Teatro Poeirinha

De 14 a 29 de junho as paredes do Poeirinha reverberarão a força do texto de uma das maiores poetas brasileiras da atualidade: a mineira Ana Martins Marques. Com direção de Isaac Bernat, música original e voz de Soraya Ravenle e atuação de Paula Furtado, o monólogo “Tenho Quebrado Copos” reúne poesias de três livros da autora. Graduada em Letras, doutora em Literatura comparada pela UFMG, Ana Martins Marques ganhou alguns dos mais prestigiados prêmios de literatura da língua portuguesa. O espetáculo faz parte da retomada das atividades do Teatro Poeira e será apresentado no Foyer do Poeirinha, às terças e quartas-feiras, às 20h.

A ideia da peça é levar ao teatro um texto poético de grande qualidade, capaz de encantar, divertir e fazer pensar. Com duração aproximada de 50 minutos, o espetáculo fala de amor, solidão, devaneios filosóficos, entre outros temas existenciais. São recortes de poemas contidos nos livros “Risque esta Palavra” (2021), “O livro das Semelhanças” (2015, terceiro lugar no prêmio Oceanos) e “Da Arte das Armadilhas” (2011, vencedor do prêmio da Biblioteca Nacional), todos de Ana e editados pela Companhia das Letras.

A ideia do monólogo surgiu do próprio Isaac, que conheceu a obra da poeta por acaso. “Estava ouvindo o podcast Foro de Teresina. No final, eles sempre dão uma dica cultural. Eles falaram tão bem e com tanto entusiasmo dela, que fiquei curioso e comprei o livro. Foi um impacto indescritível”, contou o diretor. “O encontro com o texto de Ana acendeu dentro de mim o desejo de partilhar com o público a sutileza, a beleza e o frescor de sua obra. Aí pensei imediatamente na Paula Furtado, que incorpora essa mesma força visceral”, afirmou o diretor.

Apresentação de teatro e poesia a partir da obra de Ana Martins Marques, revelação da literatura brasileira. Com direção de Isaac Bernat e música e voz de Soraya Ravenle, a atriz Paula Furtado diz poemas da premiada poeta, que escreve sobre a vida, o amor e a solidão, com uma combinação rara de leveza e intensidade. Um espetáculo para encantar, divertir e fazer pensar.