Categorias
Diário do Rio Marynês Meirelles | Direto ao Ponto Notícias do Jornal

Direto ao Ponto: Opto ou opíto?

Na turma do curso de Pós-graduação, Pablo havia terminado de apresentar o seu trabalho. Teresa perguntou ao professor Leandro:

– Eu posso entregar o trabalho para você ou prefere que eu apresente para a turma?

– Você pode escolher, disse o professor.

– Ah, então eu opíto por apresentar para a turma. Posso começar?

– Teresa, querida aluna, você opta!!!!! Com a sílaba forte no primeiro Ó!! Por favor, repita.

– Eu o quê?  Eu disse que prefiro apresentar!

– Eu entendi. Você pode apresentar. Eu opto por assistir à sua apresentação. Pode começar!

OBS: inspirado em fato real.

DIRETO AO PONTO

Errado: Eu opíto por apresentar o trabalho.

Correto: Eu opto por apresentar o trabalho.

O verbo optar na primeira pessoa do presente do indicativo tem uma tonicidade na primeira vogal “o”, como se disséssemos “ópto”. Não há “i” em nenhuma flexão do verbo optar: eu opto, ele opta, eu optarei, que eu opte, quando eu optar.

Ah, só mais uma observação: O gerúndio é “optando”, o particípio “optado” e o infinitivo “optar”.

Marynês Meirelles
Pedagoga e professora de Língua Portuguesa. Pós graduada  em Educação Infantil  e com MBA em Responsabilidade Social (UFF) e Gestão Ambiental (UGF). Mestra na área de saúde e Meio Ambiente (UNIPLI). È sócia proprietária da Essencial Creche Escola na Barra da Tijuca. Trabalha como produtora cultural do programa Sábado é Show na Rádio Bandeirantes onde tem o quadro “Toque Show”, dando dicas da Língua portuguesa.

Categorias
Diário do Rio Marynês Meirelles | Direto ao Ponto Notícias do Jornal

Direto ao Ponto: Por que ou Porque?

Carmem e Jairo estão participando de uma curso de Desenvolvimento Pessoal. Cada um precisa criar a sua apresentação. Jairo preparou a sua e mostrou para Carmem. O assunto era muito interessante:

“Porque repetimos tanto os nossos comportamentos?”

Carmem sinalizou:

– Jairo, super importante este tema! Mas esta frase não é uma pergunta. Esta é uma afirmação.

– Não, Carmem. Eu estou perguntando mesmo.

– Então, vamos rever, disse Carmem. Você usou o porque junto e, neste caso, é separado. Pode mudar todo o sentido da sua frase. Vamos corrigir?

DIRETO AO PONTO

Errado: Porque você chegou atrasado?

Correto: Por que você chegou atrasado?

  • Por que escrito separado é usado em frases interrogativas e também  na união de “por” com um pronome relativo.

Pode ser substituído por “pelo qual”, “pelos quais” etc.

  • Porque este “porque” é uma conjunção explicativa ou causal.

Pode ser substituído por “pois”, “uma vez que”.

Marynês Meirelles
Pedagoga e professora de Língua Portuguesa. Pós graduada  em Educação Infantil  e com MBA em Responsabilidade Social (UFF) e Gestão Ambiental (UGF). Mestra na área de saúde e Meio Ambiente (UNIPLI). È sócia proprietária da Essencial Creche Escola na Barra da Tijuca. Trabalha como produtora cultural do programa Sábado é Show na Rádio Bandeirantes onde tem o quadro “Toque Show”, dando dicas da Língua portuguesa.

Categorias
Marynês Meirelles | Direto ao Ponto Notícias do Jornal

Direto ao ponto: “Entre eu” ou “Entre mim”?

Um diretor de uma determinada empresa fez um pronunciamento recentemente. Reunidos no pátio, todos estavam atentos às suas palavras.

Em determinado momento, o diretor diz:

– Os colaboradores precisam acreditar nas minhas atitudes até porque entre eu e vocês, não há segredos.

Na mesma hora, a sua secretária engoliu em seco. Escreveu em um cartaz e levantou:

“Entre eu, não, entre mim…”

Mas não adiantou. O diretor voltou a dizer:

– Entre eu e vocês é preciso haver confiança!

A secretária, que havia auxiliado no discurso, olhou para a sua colega, suspirou e disse bem baixinho:

– Eu corrigi esta parte!! Mas acho que ele nem olhou…

Direto ao ponto:

Errado: Entre eu e você é preciso haver confiança!

Correto: Entre mim e você é preciso haver confiança!

O correto é “Entre mim e você”, pois após a preposição usa-se pronome pessoal do caso oblíquo… Da mesma forma será com as demais preposições: para mim e você, para mim e ti, sobre mim e ele, entre mim e ela, contra mim, por mim etc.

Marynês Meirelles
Pedagoga e professora de Língua Portuguesa. Pós-graduada  em Educação Infantil  e com MBA em Responsabilidade Social (UFF) e Gestão Ambiental (UGF). Mestra na área de saúde e Meio Ambiente (UNIPLI). È sócia proprietária da Essencial Creche Escola na Barra da Tijuca. Trabalha como produtora cultural do programa Sábado é Show na Rádio Bandeirantes onde tem o quadro “Toque Show”, dando dicas da Língua portuguesa.

Categorias
Diário do Rio Marynês Meirelles | Direto ao Ponto Notícias do Jornal

Direto ao ponto: Eminente ou Iminente?

Certo dia, enquanto aguardava a minha hora na sala de espera do dentista, engatei uma prosa com um rapaz, estudante de engenharia, que está estagiando em uma empresa de contenção de encostas.

Perguntei se não seria interessante haver uma campanha de sensibilização e conscientização em relação ao desmatamento incontrolável nas nossas encostas. Da janela do meu apartamento presencio, diariamente, a invasão da mata do Alto da Boa Vista.

Ele me disse:

– O risco é eminente. As pessoas precisam se conscientizar sobre este perigo! A campanha seria uma ótima ideia!

Não consegui me conter. Disse:

– É… O risco é iminente. Iminente!

No que ele respondeu.:

– Foi o que eu disse!

– É… IMINENTE!!!

Direto ao ponto

Errado: O risco de deslizamento é eminente.

Correto: O risco de deslizamento é iminente.

A palavra EMINENTE é um adjetivo que significa alguém ou alguma coisa excelente, notável, sublime, que se destaca dos outros. A palavra IMINENTE é um adjetivo que significa algo que está prestes a acontecer.

Marynês Meirelles
Pedagoga e professora de Língua Portuguesa. Pós-graduada em Educação Infantil e com MBA em Responsabilidade Social (UFF) e Gestão Ambiental (UGF). Mestra na área de saúde e Meio Ambiente (UNIPLI). È sócia proprietária da Essencial Creche Escola na Barra da Tijuca. Trabalha como produtora cultural do programa Sábado é Show na Rádio Bandeirantes onde tem o quadro “Toque Show”, dando dicas da Língua portuguesa.

Categorias
Marynês Meirelles | Direto ao Ponto Notícias do Jornal

Onde ou Aonde?

Uma dúvida muito frequente está relacionada ao uso das palavras onde e aonde. O questionamento surgiu em uma escola. As professoras estavam discutindo sobre um bilhete enviado por uma mãe que dizia: “Não sei aonde Cátia colocou a agenda. Desculpe”.

A professora Filipa perguntou à Joana, professora de português:

– Está correto dizer aonde? Não seria onde? Sempre me confundo!

Joana respondeu:

– Por que você acha que está errado?

– Porque ela referiu-se a um local físico, argumentou Filipa.

– Mas as duas palavras referem-se a locais físicos, disse Joana.

– Esta é a razão. Não sei quando usar uma ou outra.

– Então vamos tentar acabar com esta dúvida. Uma indica movimento e a outra não. Aonde pede uma preposição, por causa da regência verbal. Dica fácil: tente substituir onde por “em que.” Você não errará mais!

DIRETO AO PONTO

 Errado: Não sei aonde coloquei a agenda.

Correto: Não sei onde (em que lugar) coloquei a agenda.

Dica: você só deve usar “aonde” para referenciar locais físicos e com verbos que pedem a preposição “a” ou verbos que indicam movimento. Também é bom substituir por outra expressão. Exemplos:

“Onde” pode ser substituído por “em que”

“Aonde” pode ser substituído por “a que” ou “ao qual”.

A casa onde ele mora fica na rua do supermercado. “A casa em que ele mora fica na rua do supermercado”.

“O hotel aonde eu fui não tinha internet”. “O hotel ao qual eu fui não tinha internet”.

Marynês Meirelles
Pedagoga e professora de Língua Portuguesa. Pós-graduada  em Educação Infantil  e com MBA em Responsabilidade Social (UFF) e Gestão Ambiental (UGF). Mestra na área de saúde e Meio Ambiente (UNIPLI). È sócia proprietária da Essencial Creche Escola na Barra da Tijuca. Trabalha como produtora cultural do programa Sábado é Show na Rádio Bandeirantes onde tem o quadro “Toque Show”, dando dicas da Língua portuguesa.

Categorias
Diário do Rio Marynês Meirelles | Direto ao Ponto Notícias Notícias do Jornal

Direto ao ponto: entubado ou intubado?

Ana Paula assistia ao jornal na televisão quando leu a legenda: “Após 15 dias de intubação, Sílvia acaba de retornar para a sua casa.”

Veio a dúvida na mesma hora. Intubar ou entubar? A todo momento escutamos e lemos esta notícia várias vezes ao dia e esta dúvida ficou na sua cabeça. Sempre achou que o correto seria entubar.

Perguntou à seu irmão Tobias, que é um craque nestas questões e ele respondeu:

– As duas formas estão corretas, porém intubar, com i, é mais utilizado na medicina.

– Explicado. Valem as duas formas. Mas, qual é a diferença? Quando usar uma ou outra?

Direto ao ponto

O dicionário registra as duas palavras:

  • Entubar = dar forma de tubo.
  • Intubar = introduzir um tubo; introduzir uma cânula na traqueia. É esse o verbo usado na medicina.

No Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, no sentido usado em medicina, intubar significa introduzir um tubo em uma cavidade. Ex: O médico intubou o paciente. O mesmo dicionário reserva entubar para “dar feição de tubo”.

Marynês Meirelles
Pedagoga e professora de Língua Portuguesa. Pós graduada  em Educação Infantil  e com MBA em Responsabilidade Social (UFF) e Gestão Ambiental (UGF). Mestra na área de saúde e Meio Ambiente (UNIPLI). É sócia proprietária da Essencial Creche Escola na Barra da Tijuca. Trabalha como produtora cultural do programa Sábado é Show na Rádio Bandeirantes onde tem o quadro “Toque Show”, dando dicas da Língua Portuguesa.