Categorias
Brasil Cultura

Talokudo – Humorista do Rio Grande do Norte é sucesso nas redes sociais

Com mais de três milhões de seguidores, o humorista Talokudo, 30 anos, nascido em Mossoró, Rio Grande do Norte, é hoje um fenômeno nas redes sociais, graças aos seus personagens, suas paródias e vídeos com imensa repercussão. Recentemente, o seu vídeo ´Aniversário de Ketley´ ficou em primeiro lugar entre os mais assistidos no YouTube e o que surpreende a todos é que na mesma gravação, ele interpreta vários personagens ao mesmo tempo.

“O meu humor é aquele que o público se identifica com aquela situação que está vendo”, conta ele, que estreou nesse mês de março, em Mossoró, o stand-up “Consultório da comédia”, mas precisou ser paralisado por conta do aumento dos casos de coronavírus. Dentro desse projeto, ele criou o espaço Open Mic, para dar oportunidade a novos humoristas. Durante a pandemia, para alegrar os seus seguidores, diante de tanta tristeza, criou personagens como as hilárias Dona Jacinta, Katia, Jéssica, Ketley, entre outros, que estouraram nas redes sociais, alguns chegando a dez milhões de visualizações.

Crédito – Zenden Silva

Seu talento artístico começou ainda na escola. “Participei de algumas peças teatrais e mesmo sem cunho humorístico, elas viravam uma comédia quando eu começava a falar meus textos e a interpretar. Alguns anos depois, um amigo apareceu com uma câmera tekpix e daí, surgiram os primeiros vídeos imitando cantores, gravando danças, etc… Para deixar registrado, postava em um canal no YouTube”, relembra Talokudo, que, na adolescência, também participou de apresentações musicais em bares de sua cidade, além de integrar parte de um grupo de capoeira.

Em 2006, aos 16 anos, deixou um pouco de lado a diversão, e começou a trabalhar como motoboy em um petshop. Não deixou os vídeos de lado, mas sem a dedicação de antes por conta de trabalhar de nove a dez horas por dia. Neste mesmo ano, recebeu uma proposta de uma empresa do Canadá para associar seu canal ao grupo.  “Eles tinham o intuito de colocar anúncios publicitários em meus vídeos. Não tive dúvidas de que ali era uma forma de trabalhar com o que eu realmente amava fazer: comédia. Larguei a moto e me foquei mais nos vídeos”, enfatizou. Com a mudança e o investimento, Talokudo chegou a atingir mais de 10 milhões de visualizações no Facebook e um milhão no YouTube com a versão cômica do clipe da música “Porque homem não chora”, do cantor Pablo do Arrocha.

O auge veio de 2016 para 2017, período em que suas paródias bombaram na internet, e veio o convite para participar do quadro ‘Canjica Show’, do programa ‘Legendários’, na Record TV, apresentado por Marcos Mion. “Foi um divisor de águas em minha vida. A primeira oportunidade de mostrar o meu trabalho em rede nacional, e também uma superação dos meus limites, força e coragem, pois dias antes de ir até São Paulo, peguei a doença chikungunya, que deixa todas as articulações do nosso corpo doloridas. Eram dores fortes, ao ponto de você não conseguir nem andar direito, sem falar na dor de baixo dos pés, a cada pisada no chão, mas eu não podia me deixar vencer ali, já que a minha apresentação era uma performance musical que exigia dança, voz, e muita condição física. Então, tomei alguns medicamentos e viajei em busca de realizar um dos meus sonhos. Durante a participação, não lembrei das dores, do cansaço, só cantei minha paródia e conquistei todos os jurados, recebendo a aprovação de todos eles!”, conta ele, que ganhou nota máxima na atração, assim como aconteceu, no ano passado, durante a pandemia no ´Gonga la Gonga´, do `Caldeirão do Huck´, na TV Globo,

Um ano depois, quando abriu o show do humorista Lucas Veloso, filho do falecido Shaolin, Talokudo decidiu lançar o seu stand-up. Fez participações em teatros e eventos, alguns shows solos e outros com presenças de renomados humoristas, como Renan da Resenha.

Em 2019, se juntou ao músico Dan Ventura, líder da Banda Bonde do Maluco, e lançaram o hit “Tutorial do quadradinho”, que ensina a como tirar a calcinha da bunda sem usar as mãos. “Aqui no Brasil, todos os anos são escolhidos os hits do carnaval. Então, pensei em criar uma música divertida e dançante para ser uma das favoritas e foi bastante tocada aqui pela nossa região”, comemora.

Além do sucesso nas redes sociais e em suas apresentações, Talokudo planeja lançar um aplicativo para seus fãs. “Esse projeto é para o meu público infantil. O app será com a minha personagem Ketley, feita para as crianças cuidarem dela, dar banho, comidinha, trocar de roupa e brincar com alguns minijogos”, completa.

Redes sociais Talokudo:
Tik Tok – @talokudo
Instagram – @talokudo
YouTube – https://www.youtube.com/channel/UCQ8a1n0D1PjI8fxR1AxHKRQ
Facebook -@talokudo

Categorias
Aisha Raquel Ali | Tecnologia Notícias do Jornal Tecnologia

Políticas de Privacidade do Whatsapp: a saga continua

 

Por: Aisha Raquel

Após toda a polêmica envolvendo as novas políticas de privacidade do Whatsapp surgem novas notícias. Passado o adiamento da implementação da nova política envolvendo compartilhamento de dados dos usuários com o Facebook, o aplicativo volta a informar que entrará em vigor em 15 de maio e explica o que acontecerá com usuários que não aceitarem os termos.

Em seu último comunicado, o WhatsApp afirmou que vai começar a enviar mensagens aos usuários para lembrar da leitura e do aceite dos novos termos de uso para que a plataforma siga funcionando. “Também incluímos mais informações para resolver preocupações que recebemos”, disse a empresa.

De acordo com a própria página do WhatsApp, usuários que não concordem com a mudança devem ter uma “experiência limitada”. Eles ainda poderão receber chamadas e notificações, mas isso acontecerá em um “curto período de tempo”. O uso do mensageiro continuará normal por algumas semanas até que a limitação seja implementada e o app se torne inútil.

O WhatsApp também deixa claro que esses usuários que não aceitaram os termos poderão abrir o aplicativo após o dia 15 de maio para normalizar o uso do mensageiro – a única maneira é aceitando a mudança.

Além disso, o aplicativo não deve excluir nenhuma conta antes que ela complete 120 dias de inatividade. Por fim, o mensageiro afirma que a sua nova política de privacidade não afeta usuários comuns, mas sim empresas.

Em nota, o WhatsApp informou:

”As mensagens compartilhadas entre indivíduos no WhatsApp são criptografadas de ponta a ponta, de modo que apenas seus destinatários podem ver seu conteúdo. A nova política de privacidade diz respeito às mensagens enviadas por empresas, que podem ser armazenadas nos servidores do Facebook e cujos dados podem ser usados ​​para publicidade.”

Vale lembrar que, com a mudança, começa o compartilhamento com empresas parceiras, como o Facebook, transitando informações como o endereço IP do usuário, número de telefone e muito mais.

Categorias
Aisha Raquel Ali | Tecnologia Notícias do Jornal Tecnologia

Vamos falar sobre Lei Geral de Proteção de Dados

 

Você sabe o que é? Sancionada em setembro do ano passado, ela possui como objetivo regulamentar o tratamento de dados pessoais de clientes e usuários por parte de empresas públicas ou privadas, assegurando que tais informações não caiam em mãos erradas.

E como isso se dará em vias de fato? Nosso país já conta com a ANPD (Agência Nacional de Proteção de Dados). Uma de suas atribuições é punir empresas que estiverem desrespeitando as leis. A agência ainda está em fase de maturação e as penalidades só passarão a ser aplicadas em agosto de 2021 – período considerado para que as empresas se adequem às conformidades da nova lei.

A sociedade civil está se organizando para entender melhor sobre o tratamento desses dados, por quanto tempo eles ficam armazenados, como acessar as políticas de privacidade das empresas, quais dados são compartilhados com terceiros etc.

Acompanhando esse movimento, o PROCON de São Paulo lançou recentemente uma cartilha para informar os consumidores a respeito de seus principais direitos sobre a privacidade e a proteção de dados pessoais, o que deve aumentar ainda mais os questionamentos e reclamações por parte do público em geral.

Após o WhatsApp anunciar a atualização de seus termos de privacidade, e informar que passará a compartilhar os dados do seu público com o Facebook — dono do aplicativo de troca de mensagens —, várias pessoas têm perguntado se a LGPD não pode reverter esta situação. E há razões para acreditar que sim, graças ao exemplo da Europa. Como a LGPD brasileira tem como principal inspiração a GDPR, lei de proteção de dados da União Europeia, é possível que nossa lei consiga resultados a favor do público parecidos com os do outro lado do Atlântico.

De qualquer maneira, como a ANPD ainda não está funcionando de fato, devemos esperar para saber como se sucederá os próximos episódios. Uma certeza nesse caso e em muitos outros são os efeitos do atraso na adoção de uma lei que proteja essas informações no Brasil, e quem está sofrendo as consequências mais uma vez são os consumidores.

Aisha Raquel

Webdesigner, Assessoria em SocialMedia e Marketing

aisha.raquel@diariodorio.com.br

 

 

Categorias
Brasil Saúde

Ministra abre o webinário Hanseníase, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos

A titular do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Damares Alves participa, nesta quinta-feira (4), às 15h30, do webinário: Hanseníase, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos. O evento será transmitido pelas redes sociais do MMFDH.

O evento contará também com a presença da secretária nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, do MMFDH, Priscilla Gaspar; da secretária nacional de Proteção Global, do MMFDH, Mariana Neris; do presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade), Marco Castilho; do diretor do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Gerson Mendes Pereira; e do membro do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Arthur Custódio.

O evento será dividido em quatro painéis, com um especialista em cada. Serão apresentados os temas: “Conferência Magna: Invisibilidade e Visibilidade Condenatória: Desafio para superação do estigma às pessoas vítimas da Hanseníase”, “Panorama atual da Hanseníase no Brasil e no Mundo: Números e Visões críticas”, “Comunicação, estigma e preconceito: a Hanseníase na Mídia nacional” e “Estigma e Discriminação sob a Perspectiva das Atuais Diretrizes dos Direitos Humanos”.

Serviço:
Webinário: Hanseníase, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos
Data: 4 de fevereiro
Hora: 15h30
Local: Transmissão pelo Youtube e Facebook do MMFDH

Para dúvidas e mais informações:
imprensa@mdh.gov.br

Categorias
Aisha Raquel Ali | Tecnologia Notícias do Jornal Tecnologia

Mudanças na política de privacidade do WhatsApp: como isso te afetará?

 

O aplicativo de compartilhamento de mensagens WhatsApp começou a notificar seus usuários de que a partir do dia 8 de fevereiro suas mudanças na política de privacidade iriam entrar em vigor e que se você quiser continuar utilizando o serviço de chat será obrigado a aceitar as novas condições. Mas que condições são essas?

O WhatsApp passará a compartilhar com os parceiros do Facebook informações como o endereço IP do usuário; dados pessoais, como o número de telefone; atividades realizadas no serviço, incluindo como interage com outras contas e empresas… Tais dados já eram compartilhados entre o WhatsApp e o Facebook desde a última publicação dos termos de serviços, em julho do ano passado. Porém, naquela ocasião, o usuário poderia escolher não ter as suas informações distribuídas, o que não acontecerá mais.

A nova política será muito mais invasiva do que as demais. O novo texto prevê expressamente a coleta de dados como o nível de carga da bateria, operadora de celular, força do sinal da operadora e identificadores do Facebook, Messenger e Instagram. Outra parte nova é a coleta de dados de localização “mesmo se você não utilizar nossos recursos relacionados à localização”. Nenhum desses itens constava na política anterior.

E qual o motivo para essa mudança? Trata-se de um projeto importante: é a aposta do Facebook para rentabilizar o WhatsApp, que nunca deu lucro desde que foi comprado por quase US$ 20 bilhões, em 2014.

Há a geração de desconfiança em muitos usuários, pois o Facebook e empresas parcerias poderiam utilizar dados pessoais disponíveis para o aplicativo de forma invasiva. O Procon-SP acionou o WhatsApp para pedir mais explicações sobre como isso se dará, preocupando-se com o conflito com a Lei Geral de Proteção de Dados, que está em vigor desde agosto de 2020 e com a possível infração do Código de Defesa do Consumidor.

O WhatsApp deverá apresentar uma base legal para justificar o compartilhamento desses dados e porque o Facebook fez distinção entre usuários brasileiros e europeus, que não possuem a obrigatoriedade de aceitação dos termos. Devido às críticas dos usuários, em 15 de janeiro, o Whatsapp adiou a implementação dos novos termos da privacidade do aplicativo.  A mudança agora passa a valer a partir de 15 de maio.

Agora é esperar as explicações e as próximas medidas que essas grandes empresas irão tomar.

Aisha Raquel

Webdesigner, Assessoria em SocialMedia e Marketing

aisha.raquel@diariodorio.com.br

 

 

Categorias
Destaque Social

CUFA realiza um projeto em parceria com o Facebook

A Central Única das Favelas (CUFA) fechou uma parceria com o Facebook para a criação do programa “Impulsione Facebook”, que é um projeto para empreendedores de favelas, que desejam aprender a usar as redes sociais como: Facebook, Instagram e Whatsapp Business.

O programa será online e totalmente gratuito, enviado diretamente para o Whatsapp do aluno. O projeto também irá contar com histórias de sucesso de empreendedores de favelas e lives de Marketing Digital e Empreendedorismo. As inscrições vão até o dia 26 de outubro, via Whatsapp, pelo número (11) 957750125. As aulas serão no período de 01 de novembro a 10 de dezembro.

Para mais informações, acesse o site: http://www.cufa.org.br/impulsionecomfacebook/