Categorias
Destaque Mundo Notícias

Otan oferece negociações com Rússia para evitar risco de conflito

Da Agência Brasil

A Otan disse nesta quarta-feira (12) que está disposta a conversar com a Rússia sobre controle de armas e implantação de mísseis, mas não permitirá que Moscou vete a ambição da Ucrânia de se juntar à aliança, alertando para um risco real de uma nova guerra na Europa.

A oferta do secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, atendeu apenas a uma fração das amplas demandas apresentadas pela Rússia, que levou o Ocidente à mesa de negociações ao reunir cerca de 100 mil soldados perto da fronteira com a Ucrânia.

Stoltenberg disse após quatro horas de conversas entre embaixadores da aliança e uma delegação russa em Bruxelas que a Otan não deixaria Moscou ditar arranjos de segurança para outros países e criar perigosas esferas de influência.

“Existe um risco real de novos conflitos armados na Europa”, disse Stoltenberg em entrevista coletiva.

“Existem diferenças significativas entre os aliados da Otan e a Rússia”, disse ele. “Nossas diferenças não serão fáceis de superar, mas é um sinal positivo que todos os aliados da Otan e a Rússia se sentaram em torno da mesma mesa e se engajaram em tópicos substantivos.”

O vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Alexander Grushko, disse que Moscou está pronta para falar sobre armas e medidas de verificação, mas não permitirá que suas propostas sejam escolhidas a dedo.

“Vulnerabilidades”

Em uma longa entrevista coletiva, Grushko afirmou que a Rússia não pode levar a sério a afirmação da Otan de ser uma aliança defensiva que não representa ameaça a ela e disse que responderia simetricamente a qualquer tentativa de contê-la ou intimidá-la.

“Se houver uma busca por vulnerabilidades no sistema de defesa russo, também haverá uma busca por vulnerabilidades na Otan”, declarou ele. “Esta não é nossa escolha, mas não haverá outro caminho se não conseguirmos reverter o atual curso muito perigoso dos eventos.”

Grushko disse mais tarde que Moscou usaria meios militares para neutralizar ameaças à segurança se a diplomacia se mostrasse insuficiente.

De acordo com a agência de notícias Interfax, o vice-ministro da Defesa russo, Alexander Fomin, afirmou que o fato de a Otan “ignorar” as propostas de segurança russas criou o risco de “incidentes e conflitos”.

A Rússia nega planejar invadir a Ucrânia, mas diz que precisa de uma série de garantias para sua própria segurança, incluindo a suspensão de qualquer expansão da Otan e a retirada das forças da aliança das nações da Europa Central e Oriental que se juntaram a ela após a Guerra Fria.

A vice-secretária de Estado dos EUA, Wendy Sherman, que liderou a delegação dos EUA nas negociações com a Rússia em Genebra na segunda-feira, disse que era difícil entender por que uma Rússia com armas nucleares se sentiu ameaçada por seu vizinho muito menor e estava realizando exercícios de tiro real perto de sua fronteira.

“Do que se trata? Trata-se de invasão? Trata-se de intimidação? Trata-se de tentar ser subversivo? Não sei, mas não conduz a soluções diplomáticas”, disse ela.

A Rússia não se comprometeu a diminuir a escalada, disse ela, mas também não disse que não o faria.

Stoltenberg disse que qualquer uso da força russa contra a Ucrânia seria um grave erro político pelo qual a Rússia pagaria um alto preço.

Categorias
Brasil Destaque Mundo Notícias

Países europeus aliviam restrições ao enfrentar variante Ômicron

Da Agência Brasil

Os governos europeus estão flexibilizando as regras da Covid-19 para manter hospitais, escolas e serviços de emergência funcionando, conforme a variante Ômicron, muito mais contagiosa porém menos letal, muda a abordagem em relação à pandemia.

Embora um aumento recorde de infecções ainda não tenha atingido o pico na Europa, o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, disse ser o momento certo para começar a avaliar a evolução da doença “com diferentes parâmetros”.

O retorno em massa das crianças às escolas após o feriado de Natal é evidência de que poucos desejam ver uma volta ao aprendizado online que marcou algumas das primeiras ondas de infecção.

Mesmo que a França tenha registrado uma média recorde em sete dias de quase 270.000 casos por dia, aliviou os protocolos de teste para crianças em idade escolar, dizendo que muitas turmas foram fechadas.

Em Uganda, os estudantes retornaram às instituições fechadas há quase dois anos. O fechamento ajudou a controlar a pandemia –com apenas 3.300 mortes registradas–, mas o governo estima que cerca de um terço dos alunos nunca voltará.

“Enfrentamos tentações”, disse Rachael Nalwanga, de 16 anos, voltando alegremente às aulas enquanto muitos de seus ex-colegas de escola trabalhavam em novos empregos ou cuidavam de bebês. “Não foi fácil me manter segura em casa por tanto tempo, mas agradeço a Deus”, afirmou ela à Reuters na cidade de Kayunga.

Os governos da Europa também impuseram lockdowns severos nas primeiras fases da pandemia –com enormes danos às economias–, mas agora querem evitar isso, sabendo que a Ômicron está colocando muito menos pessoas no hospital, até porque muitas ou a maioria estão vacinadas.

Os países também estão sofrendo com a falta imediata de funcionários em serviços essenciais, à medida que a Ômicron impulsiona um aumento nos testes positivos.

Na França, o número de pessoas hospitalizadas com Covid-19 aumentou em 767, o maior salto desde abril de 2021, embora o número total, de 22.749, ainda esteja em torno de dois terços do pico, estabelecido em novembro de 2020.

O Reino Unido começou a usar militares para apoiar o serviço de saúde e alertou sua maior empresa privada de saúde de que poderia ser necessário o repasse de tratamentos, incluindo cirurgias contra o câncer.

A Espanha estava trazendo de volta médicos aposentados. Na Itália, o desafio de quase 13.000 profissionais de saúde ausentes com testes positivos de covid-19 foi agravado por suspensões por não vacinação.

Reino Unido, Suíça, Espanha e Bélgica reduziram os períodos de quarentena e facilitaram as condições para o retorno dos funcionários ao trabalho.

Categorias
Destaque Mundo Notícias

Papa Francisco lamenta vítimas e apela ao diálogo no Cazaquistão

Da Agência Brasil

O papa Francisco manifestou dor pelas vítimas dos tumultos no Cazaquistão e apelou ao “diálogo” e à “justiça” para que a “harmonia social” volte ao país o mais depressa possível.

“Soube, com dor, que houve vítimas nos protestos registrados nos últimos dias no Cazaquistão”, disse o papa durante a oração semanal do Angelus, perante fiéis na Praça de São Pedro.

Em sua mensagem, o chefe da Igreja Católica afirmou que espera que se possa “regressar à paz social o mais depressa possível, por meio da procura pelo diálogo, a justiça social e o bem comum”.

O pontífice disse ainda que confiou “a proteção do povo cazaquistanês à virgem, rainha da paz de Oziornoje”, e que reza pelas vítimas e pelas suas famílias.

Dezenas de pessoas, incluindo 18 policiais, perderam a vida durante a maior onda de protestos no Cazaquistão desde a sua independência.

Os protestos começaram domingo passado (2) nas províncias, após subida do preço do gás, antes de se espalharem pelas grandes cidades, especialmente Almaty, a capital econômica do Cazaquistão, onde as manifestações se transformaram em tumultos contra o regime.

Nas celebrações de hoje, o papa destacou a importância do batismo, sacramento pelo qual se concede “identidade cristã”, que deve ser “protegida todos os dias”.

As palavras do pontífice foram ouvidas durante cerimônia em que batizou 16 crianças na Capela Sistina.

Repleta de ritos, a cerimônia comemora o batismo de Jesus nas águas do Rio Jordão. É uma das poucas que têm lugar na Capela Sistina, onde se realizam os conclaves para eleger o novo papa.

Categorias
Destaque Mundo Notícias Política

Ex-chefe de segurança do Cazaquistão é preso e país enfrenta crise

Da Agência Brasil

O ex-chefe da inteligência do Cazaquistão foi preso sob suspeita de traição, informou neste sábado a agência de segurança estatal, enquanto a ex-república soviética reprime uma onda de agitação e começa a atribuir culpa.

A detenção de Karim Massimov foi anunciada pelo Comitê de Segurança Nacional, chefiado por ele até ser demitido pelo presidente Kassym-Jomart Tokayev na quarta-feira, após protestos violentos que varrem o país da Ásia Central.

De acordo com o gabinete de Tokayev, ele teria dito por telefone ao presidente russo, Vladimir Putin, que a situação estaria se estabilizando.

“Ao mesmo tempo, persistem focos de ataques terroristas. Portanto, a luta contra o terrorismo continuará com total determinação”, disse ele.

O Kremlin disse que Putin apoiou a ideia de Tokayev de convocar uma videochamada de líderes da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (CSTO), sob cujo guarda-chuva a Rússia e quatro outras ex-repúblicas soviéticas enviaram tropas ao Cazaquistão para ajudar a restaurar a ordem. Não estava claro quando isso aconteceria.

Dezenas de pessoas foram mortas, milhares foram detidas e prédios públicos em todo o Cazaquistão foram incendiados na semana passada na pior violência vivida no produtor de petróleo e urânio desde que se tornou independente, no início dos anos 1990, quando a União Soviética entrou em colapso.

Categorias
Destaque Mundo Notícias

Papa Francisco pede às autoridades que facilitem adoção

Dá Agência Brasil

O papa Francisco pediu hoje (5) às autoridades que simplifiquem os procedimentos de adoção e apelou aos casais para que tenham mais filhos, em mensagem na primeira audiência-geral de 2022 no Vaticano.

“Desejo que as instituições estejam sempre dispostas a ajudar, observando com seriedade, mas também simplificando os procedimentos necessários para que se realize o sonho de tantos pequeninos que precisam de uma família e de tantos cônjuges que querem dar amor”, disse.

Diante de dezenas de pessoas reunidas na Sala Paulo VI do Vaticano, durante a audiência-geral que contou com um número surpreendente de circo, o papa refletiu sobre a figura de São José e a paternidade.

Ele acrescentou que “ter um filho é sempre um risco, mas não o ter é ainda mais”, lembrando que a civilização é hoje “um pouco órfã”.

Francisco destacou que a adoção “não é um vínculo secundário” e que essa escolha “está entre as formas mais elevadas de amor e paternidade”.

“Não se deve ter medo de escolher o caminho da adoção, de assumir o `risco` do acolhimento. Espero que as instituições estejam sempre dispostas a ajudar nesse sentido, monitorando seriamente, mas também simplificando o procedimento necessário. Realizar o sonho de tantos pequeninos que precisam de uma família”, disse.

Ao final da audiência, um grupo de integrantes do circo Ronny Roller, que se encontra em Roma, apresentou, diante do pontífice, uma peça que incluiu malabarismos, exercícios de ginástica e música.

Categorias
Destaque Mundo Notícias Saúde

Líder da Coréia do Norte afirma que país passa por crise alimentar em discurso de fim de ano

O líder norte-coreano Kim Jong Un admitiu novamente que há um “problema alimentar” no país, durante discurso que encerrou uma importante reunião de cinco dias de seu Partido dos Trabalhadores Coreano. O discurso realizado no fim de ano, foi resumido pelo meio de comunicação estatal KCNA, fez uma breve referência ao “trabalho de prevenção emergencial de epidemias”.

Kim focou na necessidade de aumentar a produtividade agrícola do país e reconheceu a “terrível situação” de 2021 ao definir os planos para este ano e descreveu os desafios de 2022 como “uma grande luta de vida ou morte”:

“Temos a importante tarefa de fazer um progresso radical na solução do problema da alimentação, vestuário e moradia para as pessoas”, destacou o o norte-coreano.

Ele também elogiou os avanços militares feitos durante seu décimo ano no poder, mas não fez nenhuma menção específica à Coréia do Sul ou aos Estados Unidos, além de uma breve referência às orientações políticas para as relações inter-coreanas e assuntos externos.

Kim, que chegou ao poder há pouco mais de uma década após a morte de seu pai Kim Jong-il, indicou na reunião do partido que combater a pandemia é uma prioridade no próximo ano.

“O trabalho de emergência para prevenção de epidemias deve ser uma prioridade”, disse Kim, citado pela KCNA.

Kim não detalhou o grau de escassez de alimentos, a Organização Mundial de Alimentos alertou sobre a severa falta de comida no país em 2021, incluindo um déficit de centenas de milhares de toneladas de arroz. O problema foi agravado por severas inundações em algumas das regiões produtoras de arroz mais férteis do país.

Por outro lado, a Coreia do Norte manteve-se calada durante a pandemia, isolou-se ainda mais do resto do mundo e não reconheceu um único caso doméstico de Covid-19.

O país segue sem divulgar dados sobre a situação da Covid-19 Em setembro, o governo da Coreia do Norte rejeitou três milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 e sugeriu que elas sejam entregues a países mais necessitados, informou pela Unicef.

Uma das nações mais pobres da Ásia foi o primeiro a impor um rígido bloqueio e fechou suas fronteiras ainda em janeiro de 2020, para evitar a propagação do coronavírus a partir da China, onde o novo coronavírus foi detectado pela primeira vez antes de se espalhar pelo mundo.

 

Categorias
Brasil Destaque Mundo Notícias

Papa Francisco afirma: “Machucar uma mulher é um insulto a Deus”

O papa Francisco disse na missa realizada no primeiro dia de 2022, no sábado (2), durante sua mensagem de Ano-Novo, que machucar uma mulher é um insulto a Deus.

O pontífice celebrou uma missa na Basílica de São Pedro, no Vaticano. No dia 1º de janeiro a Igreja Católica comemora, além do Dia Mundial da Paz, a solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus.

“Quanta violência é dirigida contra a mulher! Chega! Machucar uma mulher é insultar a Deus, que de uma mulher assumiu nossa humanidade -não por meio de um anjo, não diretamente, mas por meio de uma mulher”, disse.

O papa fez ainda um apelo para que seja feito “mais esforço para promover as mães e proteger as mulheres”.

Esta não é a primeira vez que o pontífice faz críticas duras à violência contra a mulher. Durante um programa de TV italiano no mês passado, Francisco disse a uma mulher que havia sido espancada pelo ex-marido que os homens que cometem violência contra as mulheres se envolvem em algo que é “quase satânico”.

Categorias
Destaque Mundo Notícias Saúde

EUA estimam que Ômicron represente 58,6% dos casos de covid-19 no país

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos estimou que a variante Ômicron respondeu por 58,6% das variantes do novo coronavírus em circulação no país na semana encerrada em 25 de dezembro.

A variante de rápida disseminação foi detectada pela primeira vez no sul da África e em Hong Kong no mês de novembro, com o primeiro caso conhecido nos Estados Unidos identificado em 1º de dezembro em uma pessoa totalmente vacinada que havia viajado para a África do Sul.

A agência também revisou para baixo a proporção da Ômicron para a semana encerrada em 18 de dezembro, de 73% para 22%, dizendo que há um amplo intervalo de previsão publicado no gráfico da semana passada, em parte por causa da velocidade com que a Ômicron está se espalhando.

A variante Delta respondeu por 41,1% de todos os casos de covid-19 nos EUA até 25 de dezembro, de acordo com dados da agência de saúde pública divulgados nesta terça-feira (28).

O ex-comissário da Agência de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA) Scott Gottlieb disse no Twitter que, se a nova estimativa do CDC sobre a prevalência da Ômicron for precisa, a leitura sugere que uma boa parte das atuais hospitalizações ainda pode estar sendo causada pelas infecções com a Delta.

A agência disse que os dados incluem projeções modeladas que podem divergir de estimativas ponderadas geradas em datas posteriores.

 

Agência Brasil

Categorias
Brasil Destaque Mundo Notícias

Nobel da Paz, ativista antiapartheid Desmond Tutu morre aos 90 anos

Da Agência Brasil

Vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 1984 por resistir de maneira não violenta ao regime do apartheid (sistema legislativo que segregava pessoas negras na África do Sul), o arcebispo Desmond Tutu morreu aos 90 anos.

O ativista foi diagnosticado com câncer de próstata no final dos anos 1990 e passou por diversas hospitalizações recentes relacionadas ao tratamento. Em redes sociais, o presidente da África do Sul, Cyril Ramphosa afirmou que Tutu era “um patriota sem igual”.

“Rezamos para que a alma do arcebispo Tutu descanse em paz, mas que seu espírito fique de guarda e vigie o futuro de nossa nação”, afirmou o presidente em redes sociais.

Após o fim do apartheid, o arcebispo Desmond Tutu foi nomeado presidente da Comissão da Verdade e Reconciliação da África do Sul, que se propunha a investigar e punir crimes cometidos durante o período de segregação racial.

Tutu e seu amigo de longa data, Nelson Mandela, viveram por muito tempo na mesma rua na cidade sul-africana de Soweto, o que tornou a vizinhança a única no mundo a abrigar dois vencedores do Prêmio Nobel da Paz.

“Sua qualidade mais característica é a prontidão em tomar posições impopulares sem nenhum medo. Tal independência de pensamento é vital para o sucesso da democracia”, afirmou Mandela sobre o amigo.

Categorias
Destaque Mundo Notícias Saúde

Covid-19: cientistas dizem que Ômicron é alerta da ameaça do vírus

Dá Agência Brasil

O surgimento de variantes como a Ômicron é “um alerta da ameaça” que significa o SARS-CoV-2 e da importância das vacinas que, com a terceira dose, podem restaurar a eficácia em mais de 90% em caso da doença grave. A conclusão consta de análise publicada na revista Science.

O microbiólogo da Universidade de Cambridge Ravindra Gupta e o pesquisador do Scripps Research Translational Institute Eric Topol analisaram estudos recentes sobre infecções após a vacinação e sobre a eficácia das doses de reforço na proteção contra variantes, em especial a Delta.

Os autores lembram os elevados níveis de proteção das vacinas de ARN, como a Pfizer e a Moderna, contra a Covid-19 sintomática, mas que diminuem com o tempo, especialmente nas pessoas com mais idade e nas imunodeprimidas.

Os estudos indicam que o tempo é fator-chave na diminuição da eficácia das vacinas e que a perda de proteção provavelmente ocorreu pelo aumento da prevalência da variante Delta, dizem os cientistas.

Os estudos imunológicos da resposta às injeções de reforço, administradas seis meses depois da vacinação completa, mostram “de forma uniforme a indução de quantidades muito elevadas de anticorpos neutralizantes”.

Os autores citam um estudo realizado em Isarel, onde mais de 1,1 milhão de pessoas com mais de 60 anos receberam o reforço de uma vacina de ARNm, que conseguiu restaurar uma eficácia de mais de 90% contra a covid-19 grave.

Apesar de os esforços serem importantes e poder continuar durante algum tempo, as intervenções não farmacêuticas, como o uso de máscaras e o distanciamento social, não só ajudam a reduzir os casos de covid-19, como também limitam a oportunidade de surgirem variantes que podem afetar a imunidade.

As novas variantes podem evoluir a partir da Delta, serem totalmente diferentes e, inclusive, “ser recombinações de variantes devido a infecções mistas dentro de hóspedes individuais”.

O especialistas referem-se também à variante B.1.1.529 (Ômicron), que vai ganhando terreno em todo o mundo e que apresenta múltiplas mutações.

A continuidade da transmissão do coronavírus em populações muito vacinadas “mostra a necessidade de ampliar a vacinação em todos os grupos etários, mantendo ao mesmo tempo as medidas não farmacológicas, como o uso de máscaras”, consideram Gupta e Topol.