Categorias
Brasil Destaque Notícias

Durante dois dias, os participantes, definidos por meio de processo seletivo, poderão assistir painéis de conteúdos e palestras com grandes líderes do mercado acerca de temáticas extremamente relevantes

A imagem do Sagitário A* é o buraco negro localizado ao centro da nossa galáxia, na Via Láctea, e pela primeira vez foi visto em uma imagem. O anúncio foi feito pelo Observatório Europeu do Sul (ESO).
É a primeira evidência visual da existência deste objeto compacto e supermassivo, possível graças ao trabalho conjunto de uma equipe internacional de pesquisadores, chamada Colaboração Event Horizon Telescope (EHT).

Para a busca do objeto foram utilizados oito radiotelescópios espalhados por diversos pontos do globo terrestre. A partir das imagens captadas, que simulariam um super telescópio do tamanho da Terra, e da justaposição dos registros, chegou-se à imagem do buraco negro da Via Láctea.

De acordo com comunicado do ESO, embora não seja possível avistar o buraco negro em si, “o gás brilhante que o rodeia revela uma assinatura inconfundível: uma região central escura (chamada sombra) cercada por uma estrutura brilhante em forma de anel. A nova visão captura a luz que se curva sob a poderosa gravidade do buraco negro, que é quatro milhões de vezes mais massivo que o nosso Sol”.

Para a conclusão das fotos divulgadas neste 12 de maio, foram cerca de cinco anos desde a captação das imagens feitas em 2017, com a participação de mais de 300 profissionais de 80 instituições de diversos países, com tecnologia avançada e supercomputadores que analisaram e combinaram dados, além de uma rede mundial de radiotelescópios do Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA) e do Atacama Pathfinder EXperiment (APEX), instalados no deserto do Atacama no Chile, e do Telescópio IRAM de 30 metros na Espanha e do Noema (Northern Extended Millimeter Array), na França.

O anúncio sobre o buraco negro no “coração” da Via Láctea, a cerca de 27 mil anos-luz da Terra, foi realizado na Alemanha, mas mobilizou cientistas e imprensa de todo mundo, assim como em 2019, quando foi anunciada a primeira imagem de um dos objetos mais enigmáticos do Universo.

Também com os esforços da Colaboração Event Horizon Telescope (EHT), foi realizado o primeiro registro, do chamado M87*, localizado na galáxia Messier 87.

Pesquisadores destacam que embora os dois sejam diferentes, já que o Sagitário A* é cerca de mil vezes menor e menos massivo que o M87*, perto das bordas são bem semelhantes e que ambos podem apontar para respostas de pesquisas em andamento.

A astrofísica Thaisa Storchi Bergmann, membro da Academia Brasileira de Ciências (ABC), destaca o empenho das equipes e da tecnologia utilizada. Este anúncio abre portas para avanços nas pesquisas, explicou.

“Temos muito estudo pela frente, é somente a segunda imagem e o resultado bem sucedido desse imageamento pelo EHT mostra que essa técnica é fantástica e está aí pra ficar. Como foi dito (no anúncio do ESO) envolveu mais de 300 pesquisadores de 20 países, oito observatórios. O Alma sozinho tem 66 antenas, além dos supercomputadores para fazer essa foto. Deu muito trabalho, demorou anos para sair essa imagem e acho que tem muito espaço para aperfeiçoar essa tecnologia, tornar isso mais rápido e aplicar para outros buracos negros em centros de galáxias vizinhas’’, explicou.

A cientista que já recebeu, em 2015, o  Prêmio Internacional L’Oréal/Unesco para Mulheres na Ciência com pesquisa envolvendo buracos negros, descreve a emoção de conseguir visualizar o Sagitário A*.

“É muito emocionante viver este momento porque trabalhei com buracos negros toda a minha vida e sempre a presença deles era indireta. Claro que a gente acreditava porque se acredita em Física, e a evidência gravitacional era muito forte, cada vez maior. Mas, ter uma imagem parece que é uma comprovação a mais. Poder enxergar é uma validação, é muito importante. Comprova o que, de certa forma já sabia. [As imagens] comprovam os valores das massas, que ele está rotando, como é a acreção, a natureza da energia. Mas, é a imagem, definitiva”, celebra.

Em uníssono, pesquisadores em anúncio nesta quinta-feira (12), na sede do Observatório Europeu do Sul, na Alemanha, destacaram o quão emblemático é registrar a imagem do que foi previsto há mais de 100 anos, pelo físico Albert Einstein, com a Teoria da Relatividade Geral.

Para Thaisa Storchi é uma reafirmação. “Com relação à Teoria da Relatividade Geral, é incrível a gente dizer mais uma vez que o Einstein estava certo. Então, todos os modelos usam a teoria, e os resultados realimentam que a Relatividade Geral continua valendo. Isso é mais que uma reafirmação de que é uma teoria fantástica”, diz.

Segundo o ESO, os trabalhos de colaboração dos pesquisadores continuam em 2022, com expectativa para imagens mais detalhadas e quem sabe até filmes.

 

 

 

Agência Brasil

Categorias
Brasil Destaque Mundo Notícias Notícias do Jornal

Brasil concede 74 vistos para ucranianos em março

Dá Agência Brasil

O Brasil concedeu 74 vistos e 27 autorizações de residência humanitária a ucranianos entre os dias 3 e 31 de março deste ano. As informações, divulgadas nesta segunda-feira (11), em Brasília, constam do Boletim Migração Ucraniana.

“Receber imigrantes e refugiados ucranianos é um ato humanitário. Os imigrantes fazem parte da história do país e o governo federal está empenhado em auxiliar os que procuram por seus direitos como segurança, moradia e trabalho no Brasil”, afirmou o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres.

O balanço também aponta que, em 2022, foram reconhecidos quatro refugiados, havendo 37 processos de refúgio em andamento. A concessão de vistos e autorizações de residência humanitárias foi possibilitada pela edição da Portaria Interministerial Ministério da Justiça/Ministério das Relações Exteriores nº 28, que atendeu às necessidades de ucranianos afetados pelo conflito armado na Ucrânia.

Visto Humanitário

Em relação aos procedimentos, o visto humanitário pode ser solicitado no exterior e permite a entrada no Brasil pelo prazo de 180 dias. Para conseguir autorização de residência por acolhida humanitária é preciso ir a uma unidade da Polícia Federal em solo brasileiro e pedir a Carteira de Registro Nacional Migratório (CRMN).

O trabalho, que também contou com o apoio da Organização Internacional para as Migrações (OIM) e do Obmigra (Observatório das Migrações Internacionais) contém orientações e canais de acesso a informações para requerer o visto ou a autorização de residência por acolhida humanitária e para a solicitação de refúgio no Brasil.

Histórico

Entre janeiro de 2010 e dezembro de 2021, mais de 3,3 mil ucranianos registraram residência no Brasil. Quase 2,3 mil registros de residência foram realizados na região Sudeste, principal destino dos imigrantes ucranianos. Juntamente com os poloneses, os ucranianos compõem o maior contingente de imigrantes eslavos no Brasil.

Entre os que chegaram ao país nesse período, a maioria é do sexo masculino e possui entre 25 e 39 anos. Os homens somam 83% do contingente de imigrantes ucranianos e 46% do total são do sexo masculino na faixa etária entre 25 e 39 anos.

As mulheres somam 17% e a maioria delas, cerca de 10% do total de imigrantes, têm entre 25 e 39 anos. Entre homens e mulheres, não houve imigrantes acima de 65 anos e apenas 2% tinham menos de 14 anos na data de entrada no país.

Nos 12 anos que se estendem de 2010 a 2021, o principal meio de entrada de ucranianos no Brasil foi a via marítima. Em 2019 registrou-se o maior fluxo migratório: 22.201 ucranianos entraram e 21.189 saíram do país.

Média mensal

No primeiro trimestre de 2022, a média mensal de entradas de imigrantes foi de 1.685 pessoas e a de saídas, de 1.531 pessoas. Dos movimentos de entrada neste ano, mais de 60% referem-se a tripulantes e outros 20% a visitantes, que não precisam de visto para permanecer por até 90 dias no país. O movimento migratório, incluindo visitantes e temporários, é documentado pelo Sistema de Tráfego Internacional.

Os principais amparos indicados pelos imigrantes são trabalho marítimo (67%), reunião familiar (12%), trabalho com transferência de tecnologia (6%) e outros amparos (15%). O termo amparo é utilizado para a classificação do motivo descrito pelo migrante quando solicita sua residência, segundo a legislação nacional.

Em relação aos refugiados, foram 15 reconhecidos entre janeiro de 2010 e dezembro de 2021, de 74 solicitações recebidas no período.

Categorias
Brasil Destaque Diário do Rio Mundo Notícias Notícias do Jornal

Telescópio Webb atinge marco em fase de testes de espelho no espaço

A Agência Espacial Norte-Americana (Nasa), do governo dos Estados Unidos, anunciou na última quarta-feira (16) a conclusão de etapas fundamentais de alinhamento dos espelhos do Telescópio Espacial James Webb, o mais poderoso já construído, com resultados extremamente satisfatórios.

No dia 11 de março, segundo a agência, a equipe Webb concluiu a chamada “fase fina” dos 18 espelhos do equipamento. Neste estágio considerado chave do processo de comissionamento, que é a preparação para a entrada em operação do telescópio, todos os parâmetros ópticos que foram verificados e testados estão funcionando dentro ou acima das expectativas. A Nasa também informou não ter encontrado problemas críticos e nenhuma contaminação ou bloqueios mensuráveis ​​no caminho óptico do Webb. O observatório é capaz de coletar com sucesso a luz de objetos distantes e entregá-la aos seus instrumentos sem problemas.

“Alinhamos totalmente e focamos o telescópio em uma estrela e o desempenho está superando as especificações. Estamos entusiasmados com o que isso significa para a ciência”, disse Ritva Keski-Kuha, vice-gerente de elementos do telescópio óptico. “Agora sabemos que construímos o telescópio certo”.

Embora o objetivo da imagem capturada e exibida pela Nasa, durante esta fase, fosse focar na estrela brilhante no centro para avaliação do alinhamento, os equipamentos do Webb são tão sensíveis que as galáxias e estrelas vistas no fundo aparecem.

Lançado em dezembro do ano passado, o Webb está a uma distância de 1,6 milhão de quilômetros (km) da Terra, cerca de quatro vezes a distância da Lua. Em comparação, o telescópio anterior ao Webb, o famoso Hubble, orbita a Terra a 544 km de distância, completando uma volta ao planeta a cada 90 minutos. A órbita espacial do novo telescópio da Nasa manterá alinhamento constante com o nosso planeta enquanto ambos circulam o Sol em sincronia. O instrumento pesa 6,3 mil quilos e é quase do tamanho de uma quadra de tênis quando fica com os painéis solares completamente abertos.

O equipamento só começará a transmitir observações científicas após o término total do processo de comissionamento, o que está previsto para ocorrer em julho. Durante esse período, além do alinhamento óptico de seus espelhos, o equipamento vem sendo regulado à temperatura prevista de operação: -380 graus Farenheit, ou cerca de -228 graus Celsius – considerada temperatura de criogenia.

Principal observatório de ciência espacial do mundo, o James Webb é considerado o sucessor do telescópio espacial Hubble, lançado em 1990. Ambos foram construídos para se observar o chamado Espaço Profundo. A diferença é que o James Webb é capaz de enxergar fenômenos em diferentes frequências do espectro de luz.

Quando estiver totalmente operacional, o Webb ajudará a resolver mistérios em nosso sistema solar, olhar além para mundos distantes em torno de outras estrelas e investigar as estruturas e origens misteriosas do universo. O telescópio é um programa internacional liderado pela Nasa em parceria com a com a Agência Espacial Europeia (ESA) e a Agência Espacial Canadense.

 

Agência Brasil

Categorias
Destaque Mundo Notícias do Jornal

Guerra Ucrânia – Empresas e entidades se unem para ação humanitária

O avião cargueiro KC-390 Millenium, da Força Aérea Brasileira (FAB), que deverá decolar, na próxima segunda-feira (07), para a missão de repatriação de cidadãos brasileiros que estão deixando a Ucrânia, irá transportar, na ida, doação humanitária do Brasil com 11,6 toneladas de alimentos, medicamentos e purificadores de água. A logística de entrega da expressiva carga de alimentos somente foi possível graças ao esforço conjunto e abnegado, em pleno Carnaval, do Movimento União BR e das empresas Simple Nutri, LATAM Airlines e Luna Express, e à estreita coordenação com o Governo Federal e as Nações Unidas.

A pedido da Agência Brasileira de Cooperação, as Nações Unidas adquiriram 10 toneladas de alimentos desidratados, 100% naturais, de alto teor nutritivo e reconstituição fácil e instantânea. Essa carga essencial foi fornecida pela Simple Nutri, empresa brasileira de alimentos desidratados com alcance global no combate à fome e à desnutrição — que, semanas atrás, no Brasil, distribuiu-os às vítimas das intensas chuvas na Bahia, no Maranhão, em Minas Gerais e em Petrópolis (RJ). Agora, seus risotos e suas sopas irão não apenas saciar a fome dos ucranianos, mas sobretudo alimentá-los, física e psicologicamente.
Para o Itamaraty, a união de todos foi fundamental para viabilizar a operação. Esses alimentos, assim como os demais itens da doção humanitária do Brasil, foram reunidos “para atender às necessidades mais prementes do povo ucraniano”, explica nota da Chancelaria brasileira.
Atuante em todo o Brasil desde o início da pandemia da COVID-19, o Movimento União BR foi o responsável pela articulação logística nacional, aérea e terrestre, que, em um átimo, conseguiu trazer os alimentos da Simple Nutri do interior do Rio Grande do Sul até a Base Aérea de São Paulo, em Guarulhos, para embarque naquela aeronave da FAB. Essa força-tarefa foi possível graças à parceria com a LATAM, por meio do seu programa “Avião Solidário”, que oferece transporte gratuito de pessoas e cargas em emergências de Saúde, Meio Ambiente e Desastres Naturais, e a Luna Express, que cedeu seus caminhões e suas equipes.

Sobre a Simple Nutri

A Simple Nutri é um fornecedor global de alimentos desidratados em larga escala produzidos no Brasil. A companhia atua no empreendedorismo social com o objetivo de combater a fome, conectando diversos setores da sociedade nesta causa. A empresa atuou em catástrofes recentes, como no terremoto ocorrido do Haiti e nas enchentes na Bahia, em Minas Gerais e no Maranhão e nos deslizamentos em Petrópolis (RJ).

Sobre o Movimento União BR

O União BR é um movimento nacional apartidário que reúne voluntários de todo o Brasil e foi fundado no início da pandemia no País, em março de 2020. Presente em 24 estados, já beneficiou mais de 15 milhões de pessoas e arrecadou mais de R$ 280 milhões, usados na doação de equipamentos de proteção individual (EPI), na aquisição e distribuição de toneladas de alimentos, na criação de leitos, equipamentos e insumos hospitalares e na gestão de cursos.

O Movimento União BR liderou doações de usinas e mini usinas de oxigênio para o Estado do Amazonas, na campanha SOS Manaus e auxiliou na geração de renda para os manauaras. Ademais, atuou no SOS Bahia, apoiando a reconstrução do Estado, após as fortes chuvas no sul da região, no final de 2021.

O Movimento União BR foi vencedor do Prêmio Empreendedor Social 2020 e prêmio Escolha do Leitor de 2021; é reconhecido pela ONU como case mundial. Sua missão é realizar o trabalho assistencial, a fim de promover um legado nos lugares em que atua, formando um hub de ajuda emergencial.

 

Sobre a LATAM

LATAM Airlines Group é o principal grupo de companhias aéreas da América Latina, com presença em cinco mercados domésticos da região: Brasil, Chile, Colômbia, Equador e Peru, além de operações internacionais na América Latina e para a Europa, Estados Unidos e Caribe. O Grupo possui uma frota de aeronaves Boeing 767, 777, 787, Airbus A321 A320, A320neo e A319. LATAM Cargo Chile, LATAM Cargo Colômbia e LATAM Cargo Brasil são as afiliadas de carga do grupo LATAM, que além de terem acesso aos porões de aeronaves de passageiros do grupo, contam com uma frota conjunta de 11 aeronaves cargueiras, que será ampliada gradualmente até totalizar 21 aeronaves cargueiras em 2023. Operam na malha aérea do grupo LATAM, bem como em rotas internacionais exclusivas para o transporte de cargas; oferecem uma infraestrutura moderna, uma ampla variedade de serviços e opções de atendimento para atender as necessidades dos seus clientes.

O programa Avião Solidário da LATAM existe há 10 anos e coloca à disposição de diversas comunidades da América do Sul toda a experiência logística e a malha aérea da LATAM para o transporte gratuito de pessoas e cargas em emergências de Saúde, Meio Ambiente e Desastres Naturais. Está diretamente conectado com a Agenda de Sustentabiidade do grupo LATAM, que conta com metas em Gestão Ambiental, Mudança Climática, Economia Circular e Valor Compartilhado.

Categorias
Destaque Mundo Notícias do Jornal

Avião da FAB parte na segunda para resgatar brasileiros na Polônia

Dá Agência Brasil

O governo brasileiro enviará a Polônia, na próxima segunda-feira (7), um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para repatriar brasileiros que deixaram a Ucrânia nos últimos dias, fugindo às consequências da invasão militar russa.

A previsão inicial é que a aeronave multimissão KC-390 Millenniun parta da Base Aérea de Brasília segunda-feira a tarde, com destino a Varsóvia, onde os cidadãos brasileiros embarcarão de acordo com definições do Ministério das Relações Exteriores, que coordena a missão de resgate em conjunto com o Ministério da Defesa.

No voo de ida, serão transportados 11,5 toneladas de material de ajuda humanitária a ser doado pelo Brasil. A previsão é que o KC-390 retorne ao Brasil na próxima quinta-feira (10), pela manhã.

Além desta aeronave, um outro avião da FAB está preparado para, caso necessário, participar da missão de resgate. Os dois aviões são do mesmo modelo já empregado em outras missões humanitárias internacionais, como o transporte de donativos brasileiros para as vítimas da explosão em Beirute, em 2020, e o apoio emergencial ao Haiti após o terremoto ocorrido em

 

Categorias
Brasil Destaque Mundo Notícias Política

Brasil permitirá acesso de ucranianos a passaporte humanitário

Dá Agência Brasil

O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse na última segunda-feira (28) que o Brasil vai fazer uma portaria para garantir o acesso de ucranianos ao passaporte humanitário brasileiro. O anúncio foi feito em entrevista à rádio Jovem Pan e retransmitida nas redes sociais do presidente. “Nós faremos todo o possível para receber o povo ucraniano”, destacou.

Segundo Bolsonaro, a portaria que vai regulamentar a entrada de ucranianos por meio do passaporte humanitário deverá ser publicada nos próximos dias. O presidente disse que o Brasil vai continuar com a postura neutra em relação ao conflito entre Rússia e Ucrânia que teve início na última semana.

Nos últimos dias, o presidente já havia falado sobre o assunto, quando destacou que o Brasil tem sido claro sobre sua posição “em defesa da soberania, da autodeterminação e da integridade territorial dos Estados”.

Sanções

O presidente afirmou que não há previsão de imposição de sanções do Brasil para a Rússia em decorrência do conflito. Conforme Bolsonaro, o Brasil possui uma “dependência enorme” dos fertilizantes da Rússia e, em caso de sanções, o agronegócio seria “seriamente afetado”. “Acredito que essas sanções dificilmente prosperam”, disse.

O presidente Jair Bolsonaro voltou a destacar o apoio do governo russo na preservação da soberania da Amazônia em discussões internacionais e disse que, sem os fertilizantes russos, o agronegócio brasileiro seria prejudicado, o que poderia gerar insegurança alimentar e inflação de alimentos.

Bolsonaro falou ainda sobre as críticas do representante da Ucrânia no Brasil e afirmou que o Brasil tem que ter o equilíbrio na relação entre os países.

Resgate de brasileiros

O Ministério das Relações Exteriores (MRE) informou  que chegaram hoje a Varsóvia, capital da Polônia, oito servidores do Itamaraty para ajudar no processo de resgate dos brasileiros impedidos de retornar ao país por causa do conflito entre Rússia e Ucrânia. “Esta força-tarefa enviará destacamento a Lviv, na Ucrânia, onde será montado escritório de apoio aos brasileiros que estão tentando deixar o país”, diz a publicação, em redes sociais.

Categorias
Destaque Mundo Notícias do Jornal

Reino Unido pode receber mais de 200 mil refugiados ucranianos

Dá Agência Brasil

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, alertou hoje (1º), em Varsóvia, sobre a crescente crise humanitária decorrente da invasão russa da Ucrânia, dizendo que o número de refugiados pode chegar a milhões, e se ofereceu a receber 200 mil deles em seu país.

“Tornaremos mais fácil para os ucranianos que já vivem no Reino Unido trazerem seus parentes para o nosso país. Embora os números sejam difíceis de calcular, eles [refugiados] podem ser mais de 200 mil”, disse Johnson. Os critérios de reunião de familiares para os ucranianos estão sendo ampliados para permitir que as pessoas que vivem no Reino Unido tragam pais, irmãos, filhos e filhas adultos e avós, disse o porta-voz de Johnson.

Menos de uma semana depois que Moscou lançou uma invasão em grande escala da Ucrânia, os líderes ocidentais estão procurando maneiras de ajudar os milhares de ucranianos que deixaram sua terra natal.

Polônia

A Polônia estimou que cerca de 350 mil pessoas cruzaram sua fronteira da Ucrânia desde quinta-feira passada (24), enquanto a União Europeia enfatizou a necessidade de se preparar para milhões de refugiados que entram no bloco.

“Quando falei com o presidente (dos EUA) (Joe) Biden na noite passada, nos concentramos na emergência humanitária que está começando agora. A invasão de Putin já levou centenas de milhares de pessoas a fugir de suas casas, e devemos nos preparar para uma saída ainda maior, talvez na casa dos milhões”, acrescentou Johnson.

Ele também prometeu até 220 milhões de libras (294,7 milhões de dólares) em ajuda humanitária e de emergência para a Ucrânia, e disse que a Grã-Bretanha tem mil soldados de prontidão para ajudar na resposta humanitária nos países vizinhos, incluindo a Polônia.

Categorias
Brasil Destaque Notícias Política

Presidente diz que conversa com Putin foi “profícua”

Dá Agência Brasil

Em declaração conjunta à imprensa, os presidentes Jair Bolsonaro e Vladimir Putin manifestaram hoje (16), em Moscou, a disposição de manter um diálogo ativo, principalmente, nos temas de defesa, tecnologia e energia.

Após uma conversa que durou quase duas horas, Bolsonaro disse que o encontro foi “profícuo e de amplo interesse dos nossos países”. Os dois presidentes fizeram referência ao encontro desta quarta-feira entre os ministros das Relações Exteriores e da Defesa de ambos países.

Bolsonaro está na Rússia a convite de Putin e o encontro aconteceu no palácio do Kremlin, sede do governo russo.

O presidente brasileiro iniciou o seu pronunciamento agradecendo os votos de solidariedade de Putin às famílias atingidas pela tragédia em Petrópolis, no estado do Rio de Janeiro.

Bolsonaro disse, ainda, que “somos solidários a todos os países que querem e se empenham pela paz”.

“Temos uma colaboração intensa nos principais foros internacionais, como Brics [Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul], G-20 e Nações Unidas, onde defendemos a soberania dos estados, o respeito ao direito internacional e à Carta das Nações Unidas”, acrescentou.

Agenda global

Putin, em sua fala, afirmou que, “ao trocar opiniões sobre temas da agenda global e regional, constatamos que, sobre muitos assuntos, as posições dos nossos países são próximas ou coincidentes. Mantemos diálogo ativo entre os nossos ministérios das Relações Exteriores e Defesa. À propósito, os chefes dessas pastas hoje realizaram a primeira reunião no formato 2+2. Os nossos países defendem a formação do mundo multipolar, com base no direito internacional e no papel central coordenador da ONU [Organização das Nações Unidas}”. O presidente russo disse, ainda, que os dois países seguirão com parcerias no Brics.

Bolsonaro destacou que o Brasil é uma potência no agronegócio e que há muito interesse no comércio de fertilizantes com a Rússia.

“No campo da energia, existem amplas oportunidades para ampliarmos negócios nas áreas de extração de gás, petróleo e derivados”, afirmou o presidente, além de manifestar o desejo de estreitar o diálogo em temas como exploração em águas profundas e hidrogênio.

“Atribuímos elevada prioridade à dinamização da aliança tecnológica entre Brasil e Rússia e sugeri trabalharmos juntos em áreas de ponta como nanotecnologia, biotecnologia, inteligência artificial, tecnologia de informação e comunicações, e pesquisa em saúde”, disse Bolsonaro.

Categorias
Destaque Mundo Notícias do Jornal Política

Presidente diz que relação entre Brasil e Rússia pode crescer

Dá Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro, que está na Rússia, está em reunião com o mandatário do país, Vladimir Putin. O encontro acontece hoje (16), no Palácio do Kremlin, sede do governo russo.

Antes da reunião bilateral, os dois fizeram uma declaração à imprensa. Putin afirmou que o Brasil é o principal parceiro russo na América Latina. Bolsonaro disse que o Brasil está disposto a colaborar em várias áreas, como defesa, petróleo, gás e agricultura.

O presidente do Brasil disse acreditar que os dois países podem crescer muito com sua relação bilateral e agradeceu o indulto dado ao brasileiro que estava preso na Rússia até o ano passado.

Soldado Desconhecido

Antes da reunião com Putin, Bolsonaro participou de uma cerimônia de aposição floral no Túmulo do Soldado Desconhecido, ponto histórico da capital russa. O evento ocorreu às 9h da manhã de hoje em Moscou (3h da manhã no horário de Brasília). O presidente do Brasil acompanhou militares russos, que carregavam uma coroa de flores com o desenho da bandeira brasileira, em uma homenagem a soldados e combatentes que prestaram serviços fora de sua terra natal. A solenidade contou com uma marcha da Guarda de Honra russa e um minuto de silêncio em homenagens a soldados mortos em operações militares. A cerimônia faz parte do protocolo de visitas de chefes de Estado a outros países.

Após a colocação da coroa de flores em uma espécie de pedestal, o Hino Nacional brasileiro foi executado, na presença de Bolsonaro. No final do evento, todas as autoridades presentes se posicionaram para uma foto. Os ministros Carlos Alberto França (Relações Exteriores), general Walter Braga Netto (Defesa), general Luiz Eduardo Ramos (Secretária-Geral da Presidência da República)e general Augusto Heleno (Ministro do Gabinete de Segurança Institucional), acompanharam Bolsonaro.

Agenda

Após reunião com o presidente russo, o presidente brasileiro se encontrará, ainda na tarde de hoje, com o presidente da Duma do Estado (parlamento russo), o deputado Vyacheslav Volodin.

Às 17h45 (horário local), Bolsonaro participará do Encontro Empresarial Brasil-Rússia, com presença de empresários dos dois países. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, acompanhará o presidente. Entre os principais assuntos a serem tratados na viagem está a compra de fertilizantes russos por parte do Brasil.

Relações Exteriores

O ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto França, falou sobre a visita. “A importância desse entendimento bilateral é de que devemos ter uma cooperação facilitada em tecnologia de ponta e áreas sensíveis. Tratamos de temas da conjuntura internacional, sobretudo em nossas regiões e também abordamos questões afetas ao Conselho de Segurança das Nações Unidas. A Rússia é para o Brasil uma referência mundial em desenvolvimento tecnológico, sobretudo no âmbito de sua indústria de defesa”, afirmou.

Os dois países estabeleceram relações diplomáticas em 1828 e a Rússia é, atualmente, um dos 15 maiores parceiros comerciais do Brasil.

Categorias
Brasil Destaque Diário do Rio Mundo Notícias Notícias do Jornal

Novo planeta na órbita da estrela mais próxima do Sol é descoberto

Uma equipe de astrônomos encontrou evidências da existência de outro planeta em órbita de Proxima Centauri, que é a estrela mais próxima do nosso Sistema Solar. Proxima Centauri está situada a apenas pouco mais de 4 anos-luz de distância. Este candidato a planeta é o terceiro detectado neste sistema planetário e o mais leve descoberto até agora em órbita desta estrela. Com apenas um quarto da massa da Terra, o planeta também é um dos exoplanetas mais leves já encontrados.

“Esta descoberta nos mostra que a nossa estrela vizinha mais próxima parece ter em sua órbita uma quantidade de planetas interessantes, ao alcance de mais estudos e futuras explorações”, explica João Faria, pesquisador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, em Portugal, e líder do estudo publicado hoje na revista Astronomy & Astrophysics.

A descoberta só foi possível com o auxílio do Very Large Telescope (VLT), do Observatório Europeu do Sul (ESO), localizado no Chile e dedicado justamente à pesquisa de exoplanetas, como são denominados os planetas fora do Sistema Solar.

O planeta recém descoberto foi batizado com o nome Proxima d. Ele orbita a estrela Proxima Centauri a uma distância de cerca de 4 milhões de km, o que é menos de um décimo da distância entre Mercúrio e o Sol. O planeta orbita entre a estrela e a sua zona habitável — a região em torno da estrela onde pode existir água líquida à superfície de um planeta — e demora apenas cinco dias a completar uma órbita em torno de Proxima Centauri.

Além de Proxima d, já se sabia da existência de outros dois planetas na órbita de Proxima Centauri: um é Proxima b, planeta com uma massa comparável à da Terra que orbita a estrela a cada 11 dias e que se encontra na sua zona habitável, e o planeta candidato Proxima c, que executa uma órbita mais longa de cinco anos em torno da estrela. Todos eles têm características rochosas.

Proxima b havia sido descoberto há alguns anos com o auxílio do instrumento HARPS montado no telescópio de 3,6 metros do ESO. Esta descoberta foi confirmada em 2020 quando os cientistas observaram o Sistema Proxima com um novo instrumento de maior precisão montado no VLT do ESO, o ESPRESSO (Echelle SPectrograph for Rocky Exoplanets and Stable Spectroscopic Observations, que em português significa Espectrógrafo Echelle para exoplanetas rochosos e observações espectroscópicas estáveis).

Foi durante essas observações mais recentes do VLT que os astrônomos detectaram os primeiros indícios de um sinal correspondente a um novo objeto com uma órbita de cinco dias. Como o sinal era tão fraco, a equipe teve que realizar observações de acompanhamento com o ESPRESSO para confirmar que era devido a um planeta, e não simplesmente resultado de mudanças na própria estrela.

“Após a obtenção de novas observações, pudemos então confirmar que este sinal correspondia a um novo candidato a planeta”, diz Faria. “Fiquei muito entusiasmado com o desafio de detectar um sinal tão fraco e descobrir um exoplaneta tão perto da Terra”.

Com apenas um quarto da massa da Terra, Proxima d é o exoplaneta mais leve já medido usando a técnica de velocidade radial, ultrapassando um planeta recentemente descoberto no sistema planetário L 98-59. A técnica funciona captando pequenas oscilações no movimento de uma estrela criada pela atração gravitacional de um planeta em órbita. O efeito da gravidade de Proxima d é tão pequeno que só faz com que Proxima Centauri se mova para frente e para trás a cerca de 40 centímetros por segundo (1,44 km/h).

“Este resultado é extremamente importante. Isso mostra que a técnica da velocidade radial tem o potencial de revelar uma população de planetas leves, como o nosso, que devem ser os mais abundantes em nossa galáxia e que podem potencialmente hospedar a vida como a conhecemos”, diz Pedro Figueira, cientista do instrumento ESPRESSO do ESO, Chile, e também pesquisador no Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, em Portugal.

A procura de outros planetas por parte do ESPRESSO será complementada pelo Extremely Large Telescope (ELT) do ESO, atualmente em construção no deserto do Atacama, que será crucial para descobrir e estudar muitos mais planetas em torno de estrelas próximas.

A descoberta foi documentada no artigo A candidate short-period sub-Earth orbiting Proxima Centauri, publicado na revista Astronomy & Astrophysics.

*Com informações do site do Observatório Europeu do Sul (ESO).

 

 

Agência Brasil