Categorias
Brasil Diário do Rio Economia Ideias e Negócio Notícias Notícias do Jornal

Prevenção de fraudes no e-commerce é principal preocupação de empresas, diz pesquisa

Com informações da Agência Brasil

A prevenção de fraudes é uma das principais preocupações de empresas brasileiras que atuam no e-commerce na atualidade. A Pesquisa Global de Fraude e Identidade, da empresa de consultoria Experian, apontou que 62% dos negócios brasileiros que participaram do levantamento informaram que querem aumentar os investimentos nessa área.

De acordo com o levantamento, esta também é uma preocupação do consumidor brasileiro. O risco de roubo de informações de cartão de crédito foi o item mais citado no país. Nos Estados Unidos, por exemplo, a atenção está mais voltada para a privacidade online e, no Reino Unido, importa-se mais com as chamadas fake news (notícias falsas) ou propaganda falsa. A pesquisa abrange países da América do Norte, América Latina, Europa e Ásia-Pacífico.

No Brasil, as empresas participantes também apontam o desejo de aumentar o pessoal interno de apoio para as operações digitais. Na média global, que envolve dez países, a pesquisa mostra que o foco é investir em advanced analytics e inteligência artificial.

Outra pesquisa sobre segurança digital feita pela TransUnion mostra que o número de fraudes digitais envolvendo serviços financeiros aumentou 457% desde o início da pandemia. Além disso, segundo o levantamento intitulado “Global Consumer Pulse”, 20% dos consumidores foram alvo de fraudes relacionadas à Covid-19 nos últimos três meses.

A empresa de soluções de informação com ações negociadas na bolsa de valores de Nova York (NYSE) analisou bilhões de transações e mais de 40 mil sites e aplicativos para chegar às conclusões sobre o cenário de segurança digital.

Segundo o levantamento, somente no Brasil, o número de tentativas de transações digitais fraudulentas aumentou 10,99% no último ano, em relação ao período anterior. As cidades com maior porcentagem de transações fraudelentas foram Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

Mundo digital na pandemia

O estudo da Experian destaca que a presença de consumidores nos canais online aumentou expressivamente com a pandemia da Covid-19. Um exemplo é o aumento da porcentagem dos clientes com mais de 40 anos que passaram a usar o internet banking. Eles representavam um percentual de 33% antes da pandemia e passaram para 38% em janeiro de 2021. Essa mesma faixa etária passou a pedir mais comida e fazer compras no mercado online, o que representa um crescimento de 10 pontos percentuais no mesmo período.

A pesquisa mostra ainda que as empresas se esforçaram para atender essa demanda crescente. Nove em cada dez negócios analisados disseram ter uma estratégia digital de jornada do cliente, sendo que quase metade delas (47%) implementou esta medida durante a pandemia.

Esse esforço, no entanto, parece não ser suficiente para o consumidor. “É uma continuação de uma tendência que relatamos em 2019, quando 95% das empresas disseram que resolveram o problema de reconhecimento, mas 55% dos clientes relataram que ainda não se sentiam reconhecidos”, aponta o texto do levantamento.