Categorias
Brasil Cultura Destaque Diário do Rio Notícias Rio TV & Famosos

Espetáculo Myrna Responde acontecerá na plataforma zoom

Na próxima terça-feira (28) às 19h30min, o espetáculo Myrna Responde, acontecerá ao vivo no Zoom.

A ação da peça se desenvolveu em um antigo programa radiofônico de auditório, onde Myrna responderá aos ouvintes a partir das correspondências enviadas pelos consulentes.

O espetáculo Myrna responde, foi criado especialmente para a data 21 de dezembro, realizado pela Cia. Janela Azul e dirigido por Delson Antunes.

Nelson assumiu o nome de uma mulher, Myrna, produzindo crônicas-respostas com um olhar crítico, carregado de humor e sabedoria, além de um senso de observação profundo sobre os conflitos íntimos e sobre as contradições afetivas dos leitores.

Sacha Rodrigues, neto de Nelson Rodrigues contou sobre a importância do espetáculo para o público.

“É um divisor de águas de pandemia para pós pandemia. É uma sensação de vitória, esperança e renovação, reforçando a importância da arte para o país. Quando o espetáculo finalizou, tive a sensação de dever cumprido. Me emocionei muito em vários momentos”, contou.

“Os atores jovens muito talentosos prestaram suas almas e corações ao papel, foi lindo. As mulheres se sentiram muito bem representadas por uma obra rodriguiana e o público respondeu muito bem”, disse.

No espetáculo, os atores interpretaram, de cada jeito, a sua Myrna e suas consulentes, se revezando entre as suas personagens. O público encontrou perguntas e respostas, perguntas das consulentes de Myrna, pessoas como nós, e respostas de Myrna, de Nelson Rodrigues.

Myrna ofereceu conselhos aos seus consulentes, caminhos, atitudes e comportamentos que devem ser seguidos para que os seus interlocutores superem suas dúvidas e contradições amorosas. Assim, Nelson montou um painel de muitos conflitos afetivos da mulher e do homem médio brasileiro.

O diretor Delson Antunes contou sobre o evento e a importância do espetáculo.

“Nós trabalhamos alguns dias on-line e convidamos os atores para estarem aqui nesse final de semana e realizarmos o espetáculo”, disse.

“Infelizmente, estamos em um país que não preserva suas memórias histórica e cultural, então a estátua do Nelson em Copacabana é algo muito forte, sendo Nelson Rodrigues o maior dramaturgo brasileiro. Além de resgatarmos para o espetáculo a leitura do feminino, o aspecto da sua obra. Enfim, é homenagear a cultura, e manter viva em nossos corações”, finalizou o diretor.

Categorias
Brasil Cultura Destaque Notícias Rio

Praça Inhangá em Copacabana sediou o espetáculo Myrna Responde

O espetáculo Myrna Responde, aconteceu nesta terça-feira (21), na Praça Inhangá, em Copacabana. A peça é uma adaptação de onze crônicas do grande dramaturgo Nelson Rodrigues.

A ação da peça se desenvolveu em um antigo programa radiofônico de auditório, onde Myrna responderá aos ouvintes a partir das correspondências enviadas pelos consulentes.

O espetáculo Myrna responde, foi criado especialmente para a data 21 de dezembro, realizado pela Cia. Janela Azul e dirigido por Delson Antunes.

Nelson assumiu o nome de uma mulher, Myrna, produzindo crônicas-respostas com um olhar crítico, carregado de humor e sabedoria, além de um senso de observação profundo sobre os conflitos íntimos e sobre as contradições afetivas dos leitores.

Sacha Rodrigues, neto de Nelson Rodrigues contou sobre a importância do espetáculo para o público.

“É um divisor de águas de pandemia para pós pandemia. É uma sensação de vitória, esperança e  renovação, reforçando a importância da arte para o país. Quando o espetáculo finalizou, tive a sensação de dever cumprido. Me emocionei muito em vários momentos”, contou.

“Os atores jovens muito talentosos prestaram suas almas e corações ao papel, foi lindo. As mulheres se sentiram muito bem representadas por uma obra rodriguiana e o público respondeu muito bem”, disse.

Sacha Rodrigues relatou sobre os projetos para 2022.

“Iremos realizar a leitura dramática da “Valsa de nº 6”, na embaixada do Brasil. Será um monólogo no dia 7 de abril”, finalizou Sacha Rodrigues.

Foram dez atores, que se alternaram entre os personagens das onze crônicas escolhidas da correspondência amorosa de Myrna.

No espetáculo, os atores interpretaram, de cada jeito, a sua Myrna e suas consulentes, se revezando entre as suas personagens. O público encontrou perguntas e respostas, perguntas das consulentes de Myrna, pessoas como nós, e respostas de Myrna, de Nelson Rodrigues.

“Olha eu acho que Nelson está presente, mas no momento atual do Brasil, ele se faz ainda mais necessário, assim como a arte. Talvez, a arte seja uma de poucas coisas que nos faz ter esperança e resistência. Depois de 40 anos após a morte de Nelson, estar atuando no espetáculo dele, é catártico”, afirmou a atriz Beatriz Parisi Pinheiro.

“Pra mim como atriz, estar aqui hoje principalmente interpretando um papel criado por Nelson Rodrigues, e depois de dois anos de pandemia, é muito significativo. É muito importante e sensacional estar de volta ocupando os espaços culturais”, contou a atriz Thayanne Nascimento.

O ator Fábio Caixeta, interpretou o mendigo e contou sobre a importância do papel.

“Hoje, interpretei o mendigo da praça , porque queríamos dar voz a essas pessoas. Hoje, fizemos história para representar. Me senti muito feliz  por está interpretando e abordando o racismo na obra de Nelson, algo que na época não pôde”, contou o ator.

Myrna ofereceu conselhos aos seus consulentes, caminhos, atitudes e comportamentos que devem ser seguidos para que os seus interlocutores superem suas dúvidas e contradições amorosas. Assim, Nelson montou um painel de muitos conflitos afetivos da mulher e do homem médio brasileiro.

“Na época de Nelson, ser Nelson era tenso. Ele foi censurado e criticado, mais era um defensor das mulheres, tanto que é um autor de personagens femininas muito fortes. Era um autor essencialmente de mulheres para as mulheres”, afirmou Sacha Rodrigues.

Há cinco anos, foi instalada na praça uma estátua em tamanho natural de Nelson Rodrigues, e dia 21 de dezembro de 2021 é aniversário de 41 anos da morte de grande dramaturgo. Desde então, Sacha Rodrigues, neto de Nelson, produz, nesta data, um evento comemorativo na praça. Foram apresentadas cenas de peças do autor, esquetes, saraus, projeção de filmes e leituras dramatizadas sobre a obra.

No final do espetáculo, os atores realizaram uma limpeza na estátua.

O diretor Delson Antunes contou sobre o evento e a importância do espetáculo.

“Nós trabalhamos alguns dias on-line e convidamos os atores para estarem aqui nesse final de semana e realizarmos o espetáculo”, disse.

“Infelizmente, estamos em um país que não preserva suas memórias histórica e cultural, então a estátua do Nelson em Copacabana é algo muito forte, sendo Nelson Rodrigues o maior dramaturgo brasileiro. Além de resgatarmos para o espetáculo a leitura do feminino, o aspecto da sua obra. Enfim, é homenagear a cultura, e manter viva em nossos corações”, finalizou o diretor.

Categorias
Cultura Destaque Notícias Notícias do Jornal Rio

Microssérie Éden 20 63 está no YouTube

Agora, a microssérie “Éden 20 63” está na plataforma do YouTube

A ANCEC cultural, conhecida pelas produções de espetáculos teatrais do dramaturgo Nelson Rodrigues, inova em 2021 e realiza a web-série Éden 20 63.

A web-série é produzida em formato de microssérie, com episódios de 1 minuto para veiculação nas plataformas digitais e em parceria com a produtora Pier 66, especialista no formato.

O texto inédito, escrito por Cal Titanero, segue uma inspiração e homenagem ao trabalho de Nelson Rodrigues com uma temática espiritual, algo também presente nas peças psicológicas do grande dramaturgo.

Os episódios estarão disponíveis na plataforma do Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=ytQtcEoeZp0

A direção da web-série fica por conta do premiado Plinio Scambora e o roteiro de Cal Titanero, que também faz parte do elenco, que ainda conta com Sacha Rodrigues, neto do grande dramaturgo Nelson Rodrigues.

O projeto tem apoio de empresas e instituições que, mesmo durante a crise decorrente da pandemia, apoiam e fomentam a cultura de nosso País, e que precisam ser exaltados. Fazem parte desse time: Tebe Concessionaria de Rodovias, Vaitiare, Vale do Sonho Hotel, Vitor Advogados, Grupo Seven, Lameira e Belinassi, UNIFAN, Lua Crescente, Jornal DR1, Assimptur, Lemos Santos, Grupo Camargo e Mello, Leandro Santana Advocacia, Grupo Servidone, Jaques Advocacia e Prefeitura de Guarulhos.

ÉDEN 20 63:
Sinopse:

Enquanto investigava uma serial killer de estupradores a jornalista Mariana (Carla Costa) é transferida de pauta para cobrir a história de Mestre Céu (Pedro Paulo Eva), um guru espiritual da comunidade de Pimentas em Guarulhos, que tem a ajuda de um “espirito amigo”, para colher seguidores em todo o País.

Esse encontro faz com que Mariana reviva o trauma do assassinato de seu filho e bata de frente com o apresentador sensacionalista Júlio Machado (Cal Titanero), que se envolve com a digital influencer Vitória (Ádelin Westphal), filha de sua rival política, a deputada Lucia Almeida (Renata Souza).

FICHA TÉCNICA:

Júlio Machado – Cal Titanero

Mariana – Carla Costa

Mestre Céu – Pedro Paulo Eva

Vitoria – Ádelin Westphal

Edgar – Sacha Rodrigues

Vitalina – Bianca Montanas

Deputada Lucia Almeida – Renata Souza

Rafaela – Gabi Mendes

Ana – Paula Luppi

Assassino do filho de Mariana – Nando Almeida

Luciana – Jaque Rofer

Marcelo – Julio Caio

Natalia – Larissa Martins

Vereador Zé Luiz – Bruno Alcantara

Caio – Eduardo Venosa

Estagiaria – Karen Alves

Moço do bar – Eluizo Felix

Jovem da comunidade – Lucas Nery

Assessora Deputada – Tamara Teixeira

Convidados especiais: Wanderley Pedroso e Gilberto Jaques.

 

Direção: Plinio Scambora

Roteiro: Cal Titanero

Produção e Direção de Arte: Raquel Tejada

Produção de Set: Matheus Sabino

Maquiagem: Indira Castilho

Assistência: João Nascimento

Preparação de Elenco: Vitor Vieira

Fotografia Still: Mácia Prado

Projeto Gráfico: Mauricio Spina

Categorias
Cultura Destaque Diário do Rio Notícias Notícias do Jornal Rio

Praça Inhangá em Copacabana será palco do espetáculo Myrna Responde

O espetáculo Myrna Responde, será realizado na próxima terça-feira (21) às 19h30min, na Praça Inhangá, em Copacabana. A peça é uma adaptação de onze crônicas do grande dramaturgo Nelson Rodrigues.

A ação da peça se desenvolve em um antigo programa radiofônico de auditório, onde Myrna responderá aos ouvintes a partir das correspondências enviadas pelos consulentes.

Myrna responde, é um espetáculo criado especialmente para a data 21 de dezembro, realizado pela Cia. Janela Azul e dirigido por Delson Antunes.

Nelson assumiu o nome de uma mulher, Myrna, produzindo crônicas-respostas com um olhar crítico, carregado de humor e sabedoria, além de um senso de observação profundo sobre os conflitos íntimos e sobre as contradições afetivas dos leitores.

Sacha Rodrigues, neto de Nelson Rodrigues contou sobre a importância do espetáculo para o público.

“Certamente o meu avô estaria muito deprimido com o Brasil de 2021, por isso a importância de mostrarmos esse espetáculo e esses textos. Nelson foi muito censurado porque fez crítica ao racismo, ao incesto e a outros problemas do país. Os grandes autores mostram a realidade nua e crua”, afirmou Sacha Rodrigues.

Serão dez atores, que se alternarão entre os personagens das onze crônicas escolhidas da correspondência amorosa de Myrna.

“No espetáculo, os atores irão interpretar de cada jeito a sua Myrna e suas consulentes, se revezando entre as suas personagens. O público vai encontrar perguntas e respostas, perguntas das consulentes de Myrna, pessoas como nós, e respostas de Myrna, de Nelson Rodrigues”, explicou Sacha Rodrigues, neto do maior dramaturgo do nosso Pais.

Myrna oferece conselhos aos seus consulentes, caminhos, atitudes e comportamentos que devem ser seguidos para que os seus interlocutores superem suas dúvidas e contradições amorosas. Assim, Nelson monta um painel de muitos conflitos afetivos da mulher e do homem médio brasileiro.

“Na época de Nelson, ser Nelson era tenso. Ele foi censurado e criticado, mais era um defensor das mulheres, tanto que é um autor de personagens femininas muito fortes. Era um autor essencialmente de mulheres para as mulheres”, afirmou Sacha Rodrigues.

Há cinco anos, foi instalada na praça uma estátua em tamanho natural de Nelson Rodrigues, e dia 21 de dezembro de 2021 é aniversário de 41 anos da morte de grande dramaturgo. Desde então, Sacha Rodrigues, neto de Nelson, produz, nesta data, um evento comemorativo na praça. Foram apresentadas cenas de peças do autor, esquetes, saraus, projeção de filmes e leituras dramatizadas sobre a obra.

“Há oito anos, sonhei que procurava a estátua do Nelson Rodrigues, e percebi que não tinha na cidade a estátua do pernambucano que adotou a cidade do Rio como sua aos quatros anos de idade. E então, fui até à prefeitura do rio e recebi todo apoio da secretaria de conservação, de Gustavo Nunes, o maior produtor de teatro do Brasil, Diretor da Turbilhão de Ideias Entretenimento. Também tivemos o fundamental apoio do professor Carlos Alberto Serpa, da Fundação Cesgranrio. Então, inauguramos na praça onde Nelson morou assim que chegou da terra natal. Infelizmente, a estátua foi vandalizada e isso é muito triste com um patrimônio cultural da cidade. E no evento, iremos também trocar a placa de Nelson. Certamente, a estátua criada pelo grande artista Edgar Duvivier, aproximando o Nelson do público”, contou o Sacha Rodrigues.

Categorias
Arte Cultura Destaque

Série ÉDEN 20 63 tem temática espiritual e inspiração em Nelson Rodrigues

 

A ANCEC cultural, conhecida pelas produções de espetáculos teatrais do dramaturgo Nelson Rodrigues, inova em 2021 e realiza a web-série Éden 20 63.

A web-série é produzida em formato de micro série, com episódios de 1 minuto para veiculação nas plataformas digitais e em parceria com a produtora Pier 66, especialista no formato.

O texto inédito, escrito por Cal Titanero, segue uma inspiração e homenagem ao trabalho de Nelson Rodrigues com uma temática espiritual, algo também presente nas peças psicológicas do grande dramaturgo.

ÉDEN 20 63 será lançada em evento da ANCEC no dia 8 de Novembro, no Rio de Janeiro e terá encerramento da temporada durante evento na cidade de São Paulo, dia 13 de Dezembro, ficando disponíveis os capítulos nas plataformas digitais.  Em ambos os eventos, a ANCEC realizará a entrega do Troféu Nelson Rodrigues e da Medalha Referência Digital.

Os episódios estarão disponíveis na plataforma do TIK Tok: https://www.tiktok.com/@microseries

As gravações aconteceram na cidade de Guarulhos, na comunidade do Pimentas e no Hotel Vale do Sonho, em Guararema.

A direção da web-série fica por conta do premiado Plinio Scambora e o roteiro de Cal Titanero, que também faz parte do elenco, que ainda conta com Sacha Rodrigues, neto do grande dramaturgo Nelson Rodrigues.

O projeto tem apoio de empresas e instituições que, mesmo durante a crise decorrente da pandemia, apoiam e fomentam a cultura de nosso País, e que precisam ser exaltados. Fazem parte desse time: Tebe Concessionaria de Rodovias, Vaitiare, Vale do Sonho Hotel, Vitor Advogados, Grupo Seven, Lameira e Belinassi, UNIFAN, Lua Crescente, Jornal DR1, Assimptur, Lemos Santos, Grupo Camargo e Mello, Leandro Santana Advocacia, Grupo Servidone, Jaques Advocacia e Prefeitura de Guarulhos.

ÉDEN 20 63:

Sinopse:

Enquanto investigava uma serial killer de estupradores a jornalista Mariana (Carla Costa)  é transferida de pauta para cobrir a história de Mestre Céu (Pedro Paulo Eva), um guru espiritual da comunidade de Pimentas em Guarulhos, que tem a ajuda de um “espirito amigo”, para colher seguidores em todo o País.

Esse encontro faz com que Mariana reviva o trauma do assassinato de seu filho e bata de frente com o apresentador sensacionalista Júlio Machado (Cal Titanero), que se envolve com a digital influencer Vitória (Ádelin Westphal), filha de sua rival política, a deputada Lucia Almeida (Renata Souza).

FICHA TÉCNICA:

Júlio Machado – Cal Titanero

Mariana – Carla Costa

Mestre Céu – Pedro Paulo Eva

Vitoria – Ádelin Westphal

Edgar – Sacha Rodrigues

Vitalina  – Bianca Montanas

Deputada Lucia Almeida – Renata Souza

Rafaela – Gabi Mendes

Ana – Paula Luppi

Assassino do filho de Mariana – Nando Almeida

Luciana – Jaque Rofer

Marcelo – Julio Caio

Natalia – Larissa Martins

Vereador Zé Luiz – Bruno Alcantara

Caio – Eduardo Venosa

Estagiaria – Karen Alves

Moço do bar – Eluizo Felix

Jovem da comunidade – Lucas Nery

Assessora Deputada – Tamara Teixeira

Convidados especiais: Wanderley Pedroso e Gilberto Jaques.

 

Direção: Plinio Scambora

Roteiro: Cal Titanero

Produção e Direção de Arte: Raquel Tejada

Produção de Set: Matheus Sabino

Maquiagem: Indira Castilho

Assistência: João Nascimento

Preparação de Elenco: Vitor Vieira

Fotografia Still: Mácia Prado

Projeto Gráfico: Mauricio Spina