Categorias
Esportes Rio

“Minnie” do Parque de Madureira faz sucesso no skate aos 4 anos de idade

 

 

A menina fã da Rayssa Leal já pensa em ser atleta e disputar olimpíadas

O Brasil tem Rayssa leal, a Fadinha do skate, a atleta brasileira mais jovem a conquistar medalha de prata e o coração de esportistas, jornalistas e torcedores do mundo todo nas Olimpíadas de Tóquio. Assim como no Maranhão, lugar onde mora a skatista, o Rio de Janeiro também tem uma promessa para o esporte.

Aos 4 anos de idade, Elisa de Freitas Messias, a “Minnie” do Parque de Madureira, desliza nas pistas chamando atenção dos frequentadores do local pelo tamanho e desempenho nas manobras. Sempre acompanhada dos pais Leidiane Messias e Gilson Freitas, companheiro e incentivador na vida e no esporte, a pequena brinca e se diverte na pista.

Com apenas 1 ano e 10 meses Elisa ganhou um patinete da tia avó e logo começou a praticar. Ganhou confiança e passou a frequentar a pista Downhill. Foi paixão à primeira vista. O pai percebeu o interesse e a incentivou a andar em seu skate.

Ela adorou e não parou mais. Quando completou 3 anos de idade recebeu o seu primeiro skate. Apesar do incentivo, os pais afirmam que não cobram desempenho e que para ela é apenas diversão. “ Elisa ama andar de skate. É uma diversão, principalmente nos finais de semana” disse Leidiane.

A pequena é fã da Rayssa e tentou acompanhar a competição, mas dormiu no colo do pai antes do resultado. Assim como toda criança, Elisa gosta mesmo de brincar, se divertir e estudar: “Quero ser escritora e skatista. Também gosto de cantar, ler e escrever”, conta a menina.

O pai da Elisa, Gilson Freitas, é professor de educação física, é amigo e o seu companheiro de diversão: “Vamos ao Parque apenas para nos divertir, brincar e fazer novos amigos.

É importantíssimo ela praticar esporte, pois eu acho que a prática da atividade física, seja ela qual for, deveria ser realizada nos 4 cantos do nosso país por qualquer pessoa independente da classe social, idade, cor ou gênero”.

Gilson afirma que independente dela se tornar uma atleta de alto rendimento ou não, a prática do esporte irá prepará-la para a vida. No esporte, temos superação, desafios, dedicação, socialização, inclusão, queda, levante, perda, ganho; em suma, tudo isso ela poderá levar por toda sua vida. Além de fazer bem para o corpo, o esporte faz bem para a alma.

Já a mãe “coruja” entende que é um esporte bem radical para uma criança de 4 anos: “Meu coração fica acelerado, palpitando forte a cada descida de skate, e de patinete também; Mas ao mesmo tempo sinto uma vibração tão forte quando eu vejo a alegria dela e o seu belo sorriso estampado no rosto. Fico feliz quando ela consegue fazer o percurso e as manobras corretas do jeitinho dela”.

Leidiane sente dó em cada queda, cada ralado e machucados:” Mas ainda bem que inventaram, que beijinho de mãe e pai, cura tudo! Dou um monte de beijinhos, jogo água pra lavar o machucado e dou água para ela beber. Aí ela vai se acalmando, para de chorar e eu volto a incentivá-la a andar de skate novamente. A mãe repete a frase que o pai ensinou: “Caiu levanta e anda de novo”.

A conquista da Rayssa trouxe visibilidade para o esporte, mas o Brasil ainda precisa avançar no apoio e investimento para os atletas. “Nós, como pais da Elisa, vamos fazer de tudo para que no futuro ela possa ser uma grande atleta e faremos grandes sacrifícios, porém, quantos tem um talento em casa e não tem a oportunidade de ver os seus filhos praticando um esporte pela falta de investimento e de incentivo?!” Questionam Leidiane e Gilson, pais da menina.

Apesar das dificuldades e falta de infraestrutura, acreditamos e incentivamos o sonho dela, pois a Elisa afirma que quando crescer vai ser uma boa skatista. Com certeza é o nosso sonho também, pois temos fé de ver a nossa pequena “Minnie” um dia nos jogos olímpicos trazendo medalha!

https://instagram.com/elisa.freitask8?utm_medium=copy_link

Categorias
Brasil Destaque Esportes Notícias

Richarlison brilha e Brasil vence Alemanha na estreia da Olimpíada

Da Agência Brasil

Em busca do bicampeonato, a seleção brasileira venceu a Alemanha nesta quinta-feira (22), por 4 a 2, no duelo de estreia na Olimpíada de Tóquio (Japão). Triunfo com direito a hat-trick do atacante Richarlison, que marcou os três primeiros gols na etapa inicial da partida, válida pelo Grupo D, no Estádio de Yokohama, na cidade de mesmo nome, na povíncia de Kanagawa. 

No primeiro tempo, destaque para Richarlison, com atuação impecável. Logo ao seis minutos, ele chutou forte, o goleiro Müller espalmou e, na sequência, o pombo estufou a rede adversária. O segundo dele foi aos 21. Desta vez, o camisa 10 aproveitou o cruzamento do lateral-esquerdo Guilherme Arana, marcando de cabeça. Oito minutos depois, aos 29, Richarlison ampliou em batida cruzada, indefensável para Müller.

O Brasil ainda teve chance de sair com uma vantagem ainda maior. Aos 45 minutos, após cabeçada do atacante Matheus Cunha, a bola bateu no braço de Henrichs, o que foi considerado pênalti para o árbitro Ivan Barton (El Salvador). O próprio atacante bateu, mas não foi feliz, já que o goleiro alemão defendeu.

Após o intervalo, a Alemanha ensaiou reação. Aos 11, o meio-campista Amiri chutou de fora da área e o goleiro Santos não defendeu. O quique da bola antes de chegar em Santos, dificultou a defesa. Porém, a expulsão do volante Arnold, por causa de uma falta em Daniel Alves aos 17, deixou a missão alemã mais complicada.

Mas mesmo com um jogador a menos, aos 38, o atacante Ache, de cabeça, diminuiu o marcador. Os Brasileiros conseguiram eliminar a possibilidade de empate somente nos acréscimos. Aos 48, o atacante Paulinho invadiu a grande área e bateu forte no canto direito, fechando o placar. Final de jogo: Brasil 4, Alemanha 2.

O próximo compromisso da seleção brasileira será no domingo (25) contra a Costa do Marfim. O duelo será realizado no Estádio de Yokohama, às 5h30 (horário de Brasília). A equipe africana também entrou em campo hoje (22) e derrotou a Arábia Saudita por 2 a 1, no Estádio de Yokohama.

Escrete feminino enfrenta Holanda no sábado (24)

Após estreia com goleada (5 a 0) contra a China, a seleção feminina volta a campo no sábado (24) contra a Holanda, no Estádio de Miyagi, a 270 km de Tóquio. A partida, válida , pela segunda rodada do Grupo F,  terá início às 8h (horário de Brasília).  As holandesas são as primeiras na chave, após terem derrotado a Zâmbia por 10 a 3 na manhã de quarta-feira (21).