Categorias
Brasil Educação

Segunda temporada da série Sementes da Educação estreia dia 6 de junho, no canal Cinebrasil TV

 

 

Uma obra que nos leva a uma viagem pelas cinco regiões do país, através de experiências inovadoras na área da Educação: assim é a série documental “Sementes da Educação”, uma produção original da Oz Produtora, realizada com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual, da Agência Nacional de Cinema (Ancine). A segunda temporada do programa tem estreia marcada para o domingo, dia 6 de junho, às 22h, na programação do canal Cinebrasil TV. A série é composta por 13 episódios de 26 minutos, que buscam valorizar projetos bem sucedidos de Educação, e mostrar a importância da integração das escolas com a comunidade local.

É senso comum afirmar e reproduzir que a educação do país vai de mal a pior e que cabe ao Estado tomar providências. A intenção desta série é mostrar de forma inspiradora, e não romantizada, iniciativas que – muitas vezes com estrutura mínima – conseguiram transformar realidades locais e propiciar educação de qualidade para seus alunos – conta Hygor Amorim, diretor geral e criador da série.

Crédito: Amanda Castro

Gravados antes do início da pandemia de coronavírus, os programas foram realizados por uma equipe que percorreu mais de 18.000 quilômetros em todo o país, registrando – de forma sensível, próxima e envolvente – diversas atividades como aulas, esporte, oficinas e vivências agrícolas e artísticas.

 

Educação além dos muros

Após o sucesso da primeira temporada do programa, esta segunda temporada traz como tema principal “Educação além dos muros”, onde somos convidados a “viajar” e aprender com as experiências de educadores, pedagogos, pais e alunos, todos de forma integrada e compartilhada.

Quando se fala de educação além dos muros, supõe-se que existam muros. Efetivamente nas escolas existem muros, mas os maiores muros são aqueles que separam as pessoas. O maior muro é o muro interior. Então, vamos pensar se do modo como trabalhamos isolados da comunidade, dando aulas, tendo turmas, e toda essa coisa do século XIX, não garantem a educação de todos. Então, vamos trabalhar uns com os outros em comunidade, para que todos tenham direito à educação – afirma José Pacheco, renomado educador, pedagogo e pedagogista português, criador da “Escola da Ponte”, focada na autonomia e protagonismo do aluno.

Pacheco é um dos especialistas convidados a compartilhar seus depoimentos, reflexões e experiências ao longo dos episódios desta segunda temporada. A série tem ainda a participação de Vânia Massabni, professora doutora da Universidade de São Paulo (USP); e de três professoras que integram o corpo docente da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar): Aline Sommerhalder e Ilza Joly, do Programa de PósGraduação em Educação (PPGE); e Jarina Rodrigues Fernandes, do Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas.

Transformar vidas e inspirar pessoas

Na série, vamos conhecer projetos educacionais como a Escola do Campo Prof. Hermínio Pagotto, localizada na Agrovila do Assentamento Bela Vista do Chibarro, na cidade de Araraquara, interior do estado de São Paulo. A escola – retratada no primeiro episódio desta segunda temporada – atende a 200 alunos, e é reconhecida por valorizar os saberes tradicionais e reforçar nas crianças o sentimento de orgulho e pertencimento ao Campo.

Acreditamos no poder transformador do audiovisual, que somado à educação pode transformar vidas e inspirar muitas pessoas. Com esta segunda temporada, esperamos atingir um público ainda maior, levando as ‘sementes’ da verdadeira ressignificação para dentro de nossas escolas. O mundo precisa de pessoas no papel de agente de transformação e é isso que a série desperta em todos nós – complementa Hygor Amorim.

Para saber mais sobre a série, e conhecer os detalhes sobre os temas e os projetos educacionais que farão parte desta temporada, siga no Instagram e Facebook, e acesse o canal no Youtube “Sementes da Educação”.

No site do canal Cinebrasil TV, é possível consultar as operadoras que transmitem o canal. Para isso, basta acessar o site:  https://www.cinebrasil.tv/index.php/localize-o-canal

Sobre a Oz Produtora

Atuando há 18 anos no mercado audiovisual, a Oz Produtora está baseada em São Carlos (SP), e possui mais de 900 projetos em seu portfólio, como vídeos institucionais, publicitários, documentários, séries para TV e projetos culturais.

A empresa produz do roteiro à finalização, comerciais para televisão, vídeos institucionais, de treinamento, documentários, técnicos, videoclipes, animação 3D e 2D tradicional, realidade virtual e aumentada, efeitos visuais, vinhetas e pós-produção, totalizando mais de 300 títulos registrados na Ancine. Para conhecer mais, acesse: https://www.ozprodutora.com.br/ .

Serviço:

Estreia da segunda temporada da série “Sementes da Educação”

no canal Cinebrasil TV

Domingo, dia 6 de junho, à 22h

 

Conheça as 13 escolas que fazem parte desta 2ª temporada

 

Escola do Campo Prof. Herminio Pagotto (Araraquara/SP)

CIEJA Perus I (São Paulo/SP)

NAED Noroeste (Campinas/SP)

Escola Classe Comunidade de Aprendizagem do Paranoá (Paranoá/DF)

Centro Educacional Agrourbano Ipê (Riacho Fundo II/DF)

Escola Familia Agrícola de Orizona – EFAROI (Orizona/GO)

Escola Municipal Anne Frank (Belo Horizonte/MG)

Soledade – Cidade Educadora (Soledade/RS)

Universidade Federal da Integração Latino-Americana – UNILA (Foz do Iguaçu/PR)

SERTA – Serviço de Tecnologia Alternativa (Glória do Goitá/PE)

Escola Nossa Senhora do Carmo (Bananeiras/PA)

Casa do Rio (Careiro-Castanho/AM)

Escola Municipal Prof. Waldir Garcia (Manaus/AM)

 

Ficha técnica

Sementes da Educação – 2ª temporada

Hygor Amorim – Direção Geral

Recy Cazarotto e Amanda Castro – Co-direção de episódios

Diego Doimo – Roteiro

Leticia de Nois – Assistente de Roteiro

Recy Cazarotto – Produção Executiva

Amanda Castro – Direção de Produção

Maria Fernanda Lôbo e Marilia Pimenta – Assistência de Produção

Leandro Lima – Direção de Fotografia

Fausto Kutka – Operador de Câmera

Marco Sartori – Som Direto

Categorias
Educação

Dicas para aproveitar melhor as aulas online

A crise provocada pelo coronavírus criou uma situação antes só imaginada na ficção, em livros e filmes catástrofe. No mundo inteiro, pessoas, empresas e governos tiveram que se adaptar e se reinventar. Isolamento social, hábitos mais severos de higiene, formas completamente novas de viver. Nessa reviravolta, estudantes precisaram reaprender a aprender e professores tiveram que reaprender a ensinar.

Pensando no desafio desse “novo normal”, a gerente pedagógica da rede YES! Idiomas, Bianca Alves, compilou algumas sugestões para facilitar a rotina.

Para os alunos: dicas para aproveitar melhor as aulas online

1) Preparar o ambiente para estudar. Escolher um cantinho de sua casa em que a chance de distrações seja a menor possível.  Um ambiente iluminado e silencioso é o ideal para se concentrar nos estudos.

2) Separar o material necessário.  Deixar ao seu alcance o essencial para o estudo como lápis, borracha, canetas, marcadores, blocos de anotações, caderno e livros, celular, tablet ou notebook, carregadores, suportes, etc. Ter o material próximo evita a necessidade de parar a todo o momento as atividades para buscar algo e diminui a possibilidade de distrações.

3) Fazer um cronograma de estudos e seguir uma rotina. A dica é seguir a rotina que você teria se fosse à escola: acordar cedo, vestir-se adequadamente, tomar o café da manhã no horário normal e focar nas atividades seguindo os conteúdos programáticos que foram disponibilizados pela escola.

Lembre-se de incluir os períodos de pausa no seu cronograma.  Estipular alguns minutos entre as disciplinas ou aulas para se alongar, comer algo ou conversar com a família, por exemplo.

4) Conectar-se com os colegas. Falar com os amigos para trocar informações relevantes e tirar dúvidas uns com os outros.

Para os professores: dicas para preparar boas aulas online

1) Preparar-se com antecedência vai ajudar ao professor a revisar melhor o conteúdo, a analisar se as ideias estão claras e a saber se o tempo será suficiente.
Ter em mente que o ambiente virtual é diferente do presencial, logo, explorar diferentes formatos de materiais, que muitas vezes não são tão utilizados em sala de aula: citar ilustrações, animações, infográficos, podcasts, webinários, livros digitais, dentre outros. O importante é que esses conteúdos sejam objetivos e tragam a quantidade de informação necessária.

2) Ter um cenário adequado. Gravar os vídeos em um espaço com boa iluminação natural ou bem iluminado. Um vídeo muito escuro fica mais difícil de visualizar, dificultando o aprendizado. Apresentar suas aulas em ambientes mais limpos, claros e neutros, com mobiliário adequado (estante ou prateleira de livros), utilizar recursos visuais, como slides, mapas, etc.

3) Oratória.  A primeira dica é falar pausadamente. Reduzir um pouco o ritmo natural da fala colabora para que os estudantes acompanhem todo o conteúdo passado sem que tenham dificuldades de entendimento. O tom de voz também é importante, pois se comunicar de maneira segura transmite autoridade sobre o conteúdo que está sendo passado.

4) Interagir com os alunos.  Manter a proximidade com seus alunos e criar momentos de empatia e interação com eles. Embora a aula seja à distância, os alunos precisam sentir que o professor está presente. O professor pode oferecer diferentes canais de comunicação para que os alunos possam conversar entre eles e tirar dúvidas. Incentivar o diálogo e se colocar à disposição fará com que a adaptação dos alunos para esse novo formato de aulas aconteça com mais naturalidade.