Categorias
Educação Rio Tecnologia

FrancoDroid se prepara para novo torneio de Robótica

 

 

Além de conquistas e novas descobertas, a FrancoDroid é movida a desafios. E, no próximo dia 12/06, a equipe de Robótica do Colégio Franco-Brasileiro disputa a Seletiva Nacional do Torneio First Lego League. A vaga nessa competição veio graças à vitória em duas categorias na fase regional, no início de maio.

Tem bem pouco tempo entre o regional e o nacional para se preparar, mas a gente tá se dedicando bastante para conseguir aprimorar nosso robô, projeto e apresentações da melhor forma possível. Tudo isso seguindo o feedback que a gente conseguiu na etapa regional e sempre dando o nosso melhor – conta Daniel Gudin, aluno do terceiro ano do Ensino Médio do Franco.

Praticamente todo dia, Daniel se prepara para disputar a nova competição:

A gente muda nossa estratégia em busca de alcançar mais pontos e mais eficiência e, em função disso, muda os anexos que são usados pelo robô para fazer as missões – explica.

No último dia 9, a FrancoDroid venceu duas categorias (pontuação do robô e o projeto robô) da etapa regional do Torneio FLL.

A disputa foi online, mas nem por isso o tempo e os esforços investidos foram menores, muito pelo contrário. Nesses tempos atípicos, nós tivemos que nos adaptar em relação à forma que treinamos, e é muito gratificante ver toda essa dedicação sendo reconhecida e também saber que vamos continuar representando a escola na próxima etapa, recebendo mais uma chance para nos aprimorar em todos os aspectos. O nacional já está próximo, então não podemos nos acomodar – recorda Gudin.

Fonte: Reprodução

No total, 35 escolas do Estado do Rio estavam na disputa por cinco vagas para o torneio nacional.

Prêmio internacional em 2019

O time de robótica do Franco coleciona troféus, inclusive de FLL. Mas o destaque foi para a vitória no Global Innovation Award, em 2019, na Califórnia, que reuniu 20 equipes com as melhores pesquisas da temporada, avaliando diversos fatores. Na ocasião, os alunos do colégio desenvolveram o CosmoCup para astronautas. Tratava-se de um coletor menstrual especial com uma membrana na parte superior que impede que o sangue se espalhe pela aeronave. O prêmio foi de 20 mil dólares, e a equipe do Franco foi a única do país a deter esta conquista. Por esse feito, ganhou o título de embaixadora de inovação do Brasil.

Categorias
Notícias do Jornal Sérgio Vieira | Entre Colunas Tecnologia

Diferença entre Robótica, Inteligência Artificial e Automação

A Robótica envolve a construção de robôs, a Inteligência Artificial envolve inteligência de programação e a Automação é a execução automática de tarefas sem intervenção humana.

Os robôs virtuais, ou bots, são softwares programados para operar pela internet pequenas tarefas repetitivas. Os chatbots, são programados para interagir em conversas com os humanos, nas empresas são também chamados bots. É um programa de computador que simula um ser humano na conversação com as pessoas. O objetivo é responder as perguntas de forma que as pessoas tenham a impressão de estar conversando com outra pessoa e não com um programa de computador. Após o envio de perguntas, o programa fornece uma resposta plagiando o comportamento humano.

É uma ferramenta para conversar com o cliente por meio de aplicativos de mensagens, sites e outras plataformas digitais. Ele pode responder por diretrizes pré-programadas ou inteligência artificial. Ou seja, os bots são nada mais do que robôs virtuais programados para exercer determinadas funções com mais eficiência, seja por meio de voz ou texto. Basicamente, eles automatizam processos, realizam inúmeras tarefas em um curto período de tempo e até atendem às dúvidas de clientes sem grandes dificuldades.

Os robôs modernos são máquinas que estão em constante desenvolvimento e podem aprender sozinho com seus erros. Ter uma inteligência artificial operando nesses serviços significa respostas imediatas, precisas e uma operação regular 24 horas por dia.

Pode parecer estranho, mas é bem provável que você já tenha conversado com um robô pela internet. Os chamados chatbots, simuladores de atendentes em sites e redes sociais, são bastante populares em uma série de funções. Esses programas são utilizados principalmente como substitutos no atendimento ao consumidor, tirando dúvidas, resolvendo pendências e dando informações gerais sobre um assunto.

Podemos encontrar a inteligência artificial em Assistentes virtuais, Medicina, Segurança, Transporte, Alimentação, Entretenimento, Mercado de trabalho ou em casa inteligente.

O Engenheiro de Robôs desenvolve tecnologias para os mais diversos ramos de indústrias e serviços. O curso de Engenharia de Robôs é uma novidade no Brasil e trata-se de uma opção para os estudantes que desejam ter uma formação mais sólida na área de robótica.

Esse sistema pode variar entre os 5 mil reais a mais de 80 mil reais com uma manutenção mensal de 2 mil a 17 mil reais dependendo daquilo que esse sistema faz.

Apesar da analogia de que tempo é dinheiro, o desenvolvimento da sua solução poderá ser feito via linguagem de programação (códigos), ou no Builder na plataforma Take Blip, você mesmo pode criar um chatbot grátis. Mas cuidado você pode cair numa cilada, veja na próxima edição deste jornal.

Sérgio Vieira
Engenheiro e jornalista
sergio.vieira@jornaldr1.com.br

Categorias
Destaque Entrevistas

Cirurgia Robótica – Especialista explica as vantagens em tempos de pandemia

Por Alessandro Monteiro

A cirurgia robótica na urologia é hoje uma técnica importante que reduz o tempo de permanência do paciente em um centro cirúrgico, é menos invasiva e garante uma recuperação mais rápida. O mercado de cirurgia robótica no país apresenta números importantes. No Brasil, em 2018, foram realizados mais de 8 mil procedimentos em todo o território nacional antes 450 cirurgias realizadas em 2011, aponta o estudo da Intuitive Surgical.

Especialista no assunto, o Dr. Raphael Rocha é um dos pioneiros da técnica no país. Rocha participou da implementação da cirurgia robótica no Hospital Samaritano, estabelecendo o pioneirismo da técnica no Rio de Janeiro. Hoje, acumula experiência de mais de 1.000 procedimentos robóticos realizados com total segurança para os pacientes.

  • Quais as aplicações da Cirurgia Robótica na medicina?

A cirurgia robótica hoje basicamente é utilizada para fazer as principais cirurgias das diversas especialidades médicas, entre elas ginecologia, cirurgia geral, coloproctologia, cirurgia torácica e na minha especialidade, a urologia. Essas cirurgias, as principais feitas por robô, são as cirurgias oncológicas e, na urologia, a principal de tratamento de próstata, que é a remoção feita por robô. Mas é uma tecnologia usada para remoção de outros tipos de câncer, como intestino ou útero e cirurgias reconstrutivas dentro da cavidade abdominal e dentro da cavidade torácica.

  •  Afinal, o Robô opera sozinho?

O robô não opera sozinho. Na verdade, ele é um instrumento tecnológico que reproduz com precisão todos os movimentos da mão do cirurgião na ponta de pinças bastante delicadas, além de prover uma visão tridimensional do campo cirúrgico, onde o cirurgião consegue enxergar dentro da cavidade abdominal ou torácica.

  • A Cirurgia Robótica pode ser utilizada em qualquer cirurgia da Urologia?

A cirurgia robótica pode ser usada em câncer de rins, próstata, bexiga, na cirurgia reconstrutiva. Hoje se consegue por meio da cirurgia robótica quase todas as cirurgias da urologia. As únicas que não são feitas por robô são as cirurgias de cálculo renal, que são feitas por via endoscópica.

  • Quais os principais benefícios do uso da Cirurgia Robótica?

Os principais benefícios da cirurgia robótica são, por exemplo, o de promover melhor efeito cosmético se comparado a uma cirurgia convencional, já que são feitos “furos” de oito milímetros no abdômen para o procedimento. Há, claro, o benefício médico, com menor sangramento e menor tempo de hospitalização, além de uma recuperação mais precoce e um retorno mais precoce às atividades laborais. Outro ponto positivo está no fato de haver menos dor, menos chances de hérnia. Nas cirurgias de retirada de próstata temos também trabalhos demonstrando melhor benefício em relação ao retorno precoce dos resultados funcionais.

  • Quais as limitações na utilização desse tipo de cirurgia?

As limitações para esse tipo de procedimento, do ponto de vista de acesso, seriam mais pelo fato de o paciente não ter um convênio que interne em um hospital que tenha o robô e também a limitação de um cirurgião. Existem cirurgias mais complexas e não são todos os cirurgiões aptos a fazer. No meu caso, faço todas as cirurgias que podem ser feitas por robô.

  • É possível destacar alguma outra tecnologia de ponta vindo por aí?

Em relação a tecnologias que estão vindo, vale dizer que o robô é uma plataforma integrativa e não só uma ferramenta cirúrgica. Há uma grande inteligência artificial vindo, plataformas de realidade aumentada, softwares programados para que o exame do paciente seja integrado dentro do robô, de forma que, durante a cirurgia, você consiga ver em tempo real e em sobreposição de imagens, por exemplo, o tumor do paciente, diminuindo a chance de complicações.