Categorias
Fica a Dica Rio

Obra de estreia de Bert Jr., “Fict-Essays e contos mais leves”, escrita em apenas dois meses, aborda situações inusitadas da vida contemporânea

 

 

Inteligente, leve e bem-humorado. Esses são alguns dos adjetivos que ilustram muito bem o conteúdo de “Fict-Essays e contos mais leves”, livro de estreia de Bert Jr., escrito em apenas dois meses, durante a quarentena causada pela pandemia do novo coronavírus. Lançado pela editora Labrador, o livro está disponível nas versões impressa e digital, trazendo sete contos instigantes sobre vários temas contemporâneos.

Os textos abordam situações inusitadas da vida comum, enfrentadas por personagens peculiares que estão às voltas com assuntos tão diferentes quanto a descoberta da sincronicidade como ferramenta para a compreensão da realidade sociopolítica do país, a elaboração de uma peça autoral para um recital de violão erudito e as consequências psicológicas da invenção de uma dieta diferente. Há, ainda, uma narrativa bem-humorada e provocativa em torno da apresentação de quatro teses sobre a personalidade divina.

O livro tem muito de entretenimento, embora também tenha alguma qualidade reflexiva nele. Como o próprio título indica, tem dois tipos básicos de contos: os fict-essays, que considero mais densos, tendo essa característica de se apoiarem bastante na viagem intelectual do personagem principal, e os contos mais leves – ressalta o autor.

Bert Jr. explica uma das curiosidades despertadas pela obra logo no título. Afinal, o que são os fict-essays?

Tirei essa expressão do inglês ‘fictional essay’. Tal como entendo, um ‘fictional essay’, ou ensaio fictício, seria um ensaio sobre um assunto imaginário, ou utilizando argumentos fantasiosos, mas pretensamente científicos. Desdobrando essa ideia, imaginei um tipo de conto que tivesse como eixo o universo intelectual do personagem e sua visão sobre determinado tema. Esse tema poderia ser fictício, ou mesmo real, mas analisado, e compreendido, mediante conceitos imaginários – destaca.

 

Leitor exigente, mas sem preconceitos

A poesia já ocupou bastante espaço na preferência de Bert Jr., como leitor, especialmente em sua juventude. Romances de grandes autores brasileiros e latino-americanos, como Guimarães Rosa, Gabriel García Márquez, Mario Vargas Llosa e Jorge Luís Borges também fizeram parte de sua formação. Hoje, a atenção está mais voltada aos temas de não-ficção. Seja qual for o estilo, entretanto, ele ressalta o que desperta e prende a atenção dos leitores. Uma dica, aliás, para quem está dando os primeiros passos na escrita literária.

Sou um leitor exigente, não é qualquer texto que captura minha atenção. O escritor ter um bom domínio da linguagem é fundamental. E a história tem que ser criativa, ter elementos que inovem em relação ao tema, ou à maneira de narrar, de contar a história, ou ao tipo de personagem. Acho que isso é algo que prende o leitor – indica.

 

Em abril, a editora Chiado Books incluiu o poema “Silogismo Poético”, de Bert Jr., na V Antologia de Poesia Brasileira Contemporânea. A obra reúne 450 poemas em língua portuguesa.

Sobre Bert Jr.

Gaúcho de Porto Alegre, Bert Jr. tem 58 anos, é graduado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e em Diplomacia pelo Instituto Rio Branco.

A arte sempre esteve presente em sua trajetória. Além de escrever poesia, é violonista amador, compositor e letrista. Aos 18 anos, dois de seus poemas foram premiados em um concurso do qual faziam parte do júri Mário Quintana e Lya Luft. Lançar um livro de poesias, aliás, é um dos planos do escritor para o futuro.

Recentemente, a paixão pelas palavras resultou, além do primeiro livro de contos, em um projeto desenvolvido no canal Bert Jr., no Youtube. A série “Fora da Cartilha” apresenta a visão do autor sobre temas relacionados ao universo literário.

Categorias
Destaque Notícias

Ele é só um garoto: denunciando a indignação seletiva dos “cidadãos de bem”

Na esteira dos 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente, onde se debate a diminuição da maioridade penal, criticar os programas policiais e seus apresentadores,o escritor Maxwell dos Santos elaborou o romance Ele é só um garoto, que está disponível para download gratuito, em https://bit.ly/eleesoumgarotopdf, no site do autor www.maxwelldossantos.com.br ,e em breve, nas principais lojas digitais.

Sinopse
Baseado numa história real ocorrida nos Estados Unidos em 2017 com Kristi Kollar, atriz e ativista pró-vida, o e-book conta a estória de Sabrine, uma jovem de 19 anos que estuda Produção Audiovisual na FAVIT com bolsa integral do ProUni e trabalha com o pai numa produtora de vídeo. Ela congrega na Comunidade Apostólica Cartadista, onde é ministra de louvor da sede estadual.

Num retiro de jovens e adolescentes no Ebenézer, espaço de reuniões da Comunidade, Sabrine é estuprada por Renan, seu irmão na congregação e seu colega de curso e turma. Ela fica grávida de gêmeos.

O pai de Renan é Ariel Masotti, apresentador do programa policial sensacionalista Cana Braba, no ar há 12 anos na TV Moxuara e é líder absoluto de audiência no horário. Ariel, além de jornalista formado, é policial civil aposentado por invalidez e advogado. Defende redução da maioridade penal para menores infratores e para todos os crimes. Tem um discurso de ódio extremado contra os ativistas de direitos humanos.

Naquele ano, lança sua candidatura a prefeito de Vitória. Temendo que este escândalo comprometa sua candidatura, Ariel faz articulações para tirar o delegado e a promotora, para atrapalhar as investigações, além de colocar em xeque a credibilidade dos veículos que publicam as acusações contra seu filho.

Como se não bastasse, é impelida pelas lideranças da Comunidade a casar com o estuprador, mas ela não aceita é é expulsa da congregação, além de ter as relações cortadas com os outros irmãos.

<center><iframe width=”560″ height=”315″ src=”https://www.youtube.com/embed/qUy–ncR2k0″ frameborder=”0″ allow=”accelerometer; autoplay; clipboard-write; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture” allowfullscreen></iframe></center>

Categorias
TV & Famosos

Ághata Moreira estreia na Sapucaí e beija muito

A atriz Ághata Moreira esbanjou animação em sua estreia na Sapucaí, desfilando em um carro na Grande Rio, no domingo (23).Com o samba na ponta da língua, ela evoluiu visivelmente emocionada. Boa parte do público comentava que ‘Josiane’ da novela estava linda, numa referência à sua personagem-vilã na novela “A Dona do Pedaço’.

Paixão total com o namorado Rodrigo Simas (Foto: Roberto Teixeira)

E se na Passarela do Samba as energias de Ághata estavam focadas na escola de Caxias, em um dos camarotes mais badalados do Sambódromo a atriz curtiu mesmo foi o chamego do namoradão, o ator Rodrigo Simas. Os dois chegaram juntinhos no maior clima, nesta segunda (24). E beijaram muito!