Categorias
Colunas Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

Estresse X Saúde Capilar

Estudos já provaram o efeito que a saúde mental pode ter em nosso corpo, trazendo reações físicas que servem como sinais de alerta. Mas você já se perguntou a ligação entre estresse e saúde capilar? Queda, caspa e psoríase são alguns problemas que podem ser impulsionados com este estado de humor. Pessoas predispostas, quando submetidos ao estresse, podem entrar em atividade da doença e apresentar vermelhidão, descamação, coceira. Além disso, a própria coceira pode ser uma manifestação do estresse e da ansiedade. Quando estamos diante de alguma situação de estresse, nosso corpo entra em um sistema de alerta e vai economizar energia para o que é essencial. Com isso, ocorre uma alteração do ciclo capilar e vários fios que estavam na fase de crescimento entram precocemente na fase de queda. Nessa situação, teremos uma perda maior de fios do que aquela observada normalmente. Além de medidas para controle do estresse, nesses casos devemos associar shampoos antiseborreicos, loções com propriedades anti-inflamatórias e outros produtos que ajudam no controle da descamação. É sempre importante reforçar que lavar menos os fios não reduz a queda. Muito pelo contrário. É frequente que as pessoas comecem a reduzir a frequência de lavagens nessas situações, pois eles notam que a maioria dos fios caem durante o banho ou ao se pentear. Mas os fios que saem durante o banho ou no pente já estão soltos. Se deixamos de lavar para evitar que isso aconteça, os fios vão se soltar em momento e encontraremos cabelos por toda a casa ou uma grande quantidade acumulada em uma mesma lavagem. Sendo assim, é recomendado sempre manter a frequência de lavagens de acordo com a necessidade de cada um (cabelos oleosos e pessoas que praticam atividades físicas precisam de frequências maiores), mantê-los hidratados e evitar agressões como excesso de calor e química, além de procurar um especialista para resolver ou atenuar o problema.

Categorias
Colunas Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

Os benefícios do silicone nos produtos

O silicone utilizado pela indústria cosmética é um grande aliado para embelezamento dos cabelos. Ele é um mineral, um polímero que é composto por cadeias de oxigênio e silício resistente a altas temperaturas, e está presente nas composições de inúmeros produtos, e por sua capacidade de resistência ao calor, ele é mais comumente utilizado como um protetor dos fios, pois forma uma película protetora capaz de protegê-los dos danos da penteabilidade diária, do calor do secador, da prancha e do babyliss, dos raios UV causados pelo sol e também de agressões externas. Além disso, ele sela as pontas e deixa os fios mais controlados, com menos frizz e mais brilho. Ele disfarça pontas duplas e melhora o aspecto das pontas como um todo. 

Os shampoos deixaram de ser somente um processo de simples limpeza para se tornarem uma parte fundamental do tratamento, entrando em sinergia com os demais produtos de beleza capilar. Os silicones têm grande importância no shampoo, conferindo maleabilidade, maciez e penteabilidade aos fios, mesmo antes do uso do condicionador.

Diversos tipos de silicones nobres estão presentes também nos condicionadores, máscaras de tratamentos, finalizadores em creme, em óleo ou em spray.

O uso de silicones diferenciados, como amodimeticones especiais de formação de filme, proporcionam benefício extra de proteção térmica e de cor para cabelos tingidos, polímeros híbridos de silicone para definição de cachos e redução de frizz, que mantêm aspecto natural e até resinas de silicone, para proteção de e tratamentos com tinturas.

Apesar de trazer tantos benefícios, o silicone não “trata” efetivamente o cabelo, pois ele é protetor e embelezador e não um ativo hidratante ou nutritivo. Por isso ele não pode substituir o tratamento capilar promovido pelas máscaras de tratamento. 

Inobstante os benefícios irrefutáveis do silicone nos produtos capilares, seu uso deve ser combinado com outros ativos de qualidade, que estão presentes nos diversos produtos capilares disponíveis no mercado.

Categorias
Colunas Destaque Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

Por que o meu cabelo não cresce?

Essa é uma pergunta que muitas mulheres se fazem ao longo do tempo, ao observarem o pouco crescimento dos fios. São vários os fatores relacionados tanto ao crescimento quanto à queda dos fios. De forma geral, podemos citar:

Genéticos: já nascemos com a predisposição genética que determina características, como tendência a ter fios mais finos, com maior chance de doenças capilares como a alopecia;

Hormonais: a ação dos hormônios influencia diretamente no bom funcionamento do organismo e qualquer alteração pode refletir nos cabelos;

Nutricionais: deficiências nutricionais, como a falta de nutrientes (zinco, cobre e ferro) pode ser a causa da queda capilar e o afinamento dos fios;E pontuais, como a oleosidade excessivado couro cabeludo, que pode provocar inflamações que levam à queda dos fios.

Os cabelos têm um ciclo de vida definido geneticamente. O ciclo capilar é dividido em 3 fases: Anágena, que é a fase do crescimento e tem duração média de 3 a 5 anos; Catágena, quando os fios se programam automaticamente para parar de crescer e entrar em fase final de crescimento e Telógena, quando os fios começam a se soltar do couro cabeludo, processo que demora em torno de 3 meses. É importante dizer que, toda vez que um cabelo cai, existe um novo nascendo no seu lugar. Esse ciclo mostra que todos os dias alguns cabelos caem, mas voltama crescer por um processo natural. Em relação ao crescimento,o comprimento dos cabelos é uma característica pré-determinada geneticamente. Assim, existem pessoas que têm, naturalmente, maior facilidade para ter cabelos compridos, enquanto alguns indivíduos sentem o crescimento mais lento dos fios.No entanto, é importante dizer que isso não significa que algumas pessoas estão fadadas a ter cabelo curto para sempre. Atualmente, existem inúmeras opções de tratamentos que ajudam a potencializar o crescimento dos fios.A consulta com um especialista é fundamental para orientar quais são os melhores procedimentos em cada caso.

Categorias
Colunas Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

LEDterapia mais acessível

As luzes de LED, muito presentes nos consultórios dermatológicos, trouxe novos aparelhos que utilizam o LED em intensidade certa e segura para tratar em casa problemas como afinamento e queda capilar, acne, rugas e até flacidez. Em formatos de máscara, capacetes ou de ponteiras multifuncionais, os equipamentos de uso doméstico têm papel coadjuvante e potencializador dos procedimentos feitos nas clínicas, pois tratam apenas graus mais leves dos problemas. O Light Emitting Diode (LED) emite partículas de luz com comprimento de onda capaz de penetrar na pele e estimular a produção de energia celular. Na prática, essas emissões provocam uma vasodilatação que ativa a oxigenação. Assim, otimizam tanto a distribuição de nutrientes pela circulação sanguínea quanto a reparação de danos. As luzes mais usadas no Brasil são azul, vermelha e infravermelha. AZUL, age na melhora do processo infeccioso, promovendo uma limpeza eficaz e acelerando a resposta do organismo. O uso diário equilibra a produção das glândulas sebáceas, diminuindo o excesso de oleosidade. VERMELHA, apesar de também ser utilizada em casos de acne, é a opção mais recomendada para queda capilar, seja genética, hormonal ou inflamatória. A luz estimula a produção de colágeno, que, no couro cabeludo, torna o folículo capilar mais resistente. Sua ação bioestimulante e regeneradora favorece, ainda o crescimento saudável dos fios. INFRAVERMELHA não é visível nem tão intensa, mas, como possui maior comprimento de onda, atinge camadas mais profundas. A ação dessa luz aumenta a permeabilidade da pele e do couro cabeludo, potencializando o efeito das outras cores. Pode ser usada também antes da aplicação do hidratante ou antioxidante. O mercado já oferece várias opções com modelos e propostas diversas. O importante é procurar a indicação de um especialista, para fazer uso de equipamentos corretos para a sua necessidade.

Categorias
Colunas Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

A beleza dos grisalhos

Não faz muito tempo, não pintar o cabelo era considerada uma escolha de mulheres pouco vaidosas e desleixadas, que não se preocupavam com a aparência e que envelheceram antes do tempo.

Mas a pandemia, em razão do isolamento social, provocou a aceleração de uma tendência que já vinha ganhando força entre as mulheres: não pintar o cabelo. Mulheres famosas e anônimas, resolveram aderir à cor natural que os cabelos ganham com o passar dos anos. E isto está virando moda!

Nos últimos dois anos, a pergunta que era tão comum de “Por que você não pinta o cabelo?”, passou a ser substituída cada vez mais por: “Por que você pinta o cabelo?”. Os discursos mudaram tão radicalmente que o cabelo branco deixou de ser um estigma para ser um valor para mulheres de todas as idades. Um país que valoriza a juventude e despreza a velhice, porém, vai demorar a entender que o cabelo branco não é uma aposentadoria da vida sensual e do cuidado com o próprio corpo.

Ainda recente no Brasil, esse novo modelo de belezaainda causa certa estranheza, mulheres ainda são criticadas quando assumem seus cabelos brancos. Isso acontece porque os valores culturais ainda permanecem interiorizados dentro de cada uma de nós.De um lado, somos aplaudidas quando nos libertamos das tinturas. De outro, somos criticadas por mostrar as marcas do envelhecimento.

As mulheres cobram muito mais das outras mulheres porque se sentem mais cobradas. Quanto mais mulheres se sentirem bonitas e plenas com o cabelo grisalho (ou com as cores que elas quiserem e acharem belas), mais rapidamente o olhar da sociedade sobre o que é considerado bonito vai mudar. Cada mulher que se liberta, liberta muitas outras para se sentirem mais plenas e felizes de acordo com as próprias escolhas.

Categorias
Colunas Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

Argila nos Cabelos

Na pele,a argila já é conhecida na rotina de beleza. Mas é possível ir além e aproveitar os benefícios da argiloterapia também nos cuidados com os cabelos. À primeira vista, pode parecer uma maneira improvável de remover a sujeira nos fios, mas acredite: preta, verde ou vermelha, cada uma delas carrega características particulares que ajudam no tratamento do couro cabeludo, área fundamental para a saúde dos fios. A argila consegue absorver as impurezas do couro cabeludo, agindo como uma máscara ou pré-xampu natural. As propriedades da argila funcionam como um ‘peeeling’ capilar, esfoliando a região. Não é à toa que a argila está presente nos processos de detox capilar. Ela é um ingrediente extraído do solo e rico em minerais, como o magnésio, zinco e selênio, que têm ação antioxidante. Como resultado, consegue equilibrar o pH da região, controlar a oleosidade e, consequentemente, tornar os fios mais soltinhos, leves. Para ser usada sem prejuízos, entretanto, é preciso que seja do tipo fitoterápica.A argila verde, por exemplo, é a mais indicada para fios oleosos e mistos pela ação adstringente, mas as outras cores também são válidas, como a preta, que acumula a maior quantidade de minerais e a vermelha, mais suave.Independentemente da tonalidade, a aplicação no couro cabeludo deve ser feita com um pincel, seguida de uma leve massagem com as pontas dos dedos para estimular a circulação sanguínea local. É importante que não seja usada com os fios muito sujos — o “dia seguinte” é um bom momento. Para a mistura, dissolva a argila em água filtrada até obter uma pasta cremosa e homogênea. Depois de passar a mistura em toda extensão do couro cabeludo, aguarde de 15 a 20 minutos e remova a argila com água morna. Siga a lavagem como de costume. O truque para facilitar a retirada é não deixar secar. Vale borrifar água ou água termal para ajudar na umidade. Não há contraindicação no uso, apenas na frequência, que deve ser uma aplicação quinzenal. Na hora de comprar sua argila, verifique se ela é esterilizada. Se for orgânica, melhor ainda, pois a argila que está no meio ambiente pode ter microrganismos nocivos à pele, pode estar contaminada com fungos e bactérias.

Categorias
Beleza Colunas cuidados Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

Laminação Capilar

No mundo dos cabelos existem duas batalhas praticamente constantes: contra o frizz e pelo brilho mais deslumbrante. Neste difícil caminho para alcançar o cabelo tão esperado, saudável e controlado, parece que todos os tratamentos de salão se concentram mais em cabelos finos e frágeis. Mas então, o que acontece quando o que você quer hidratar e cuidar são cabelos mais rebeldes, crespos ou com pontas danificadas? Até hoje, botox capilar e nutrição intensa foram as soluções mais difundidas, sem esquecer da queratina, cujo efeito antifrizz acabou reduzindo o movimento. Agora, a alternativa é fazer uma laminação capilar. Entre os benefícios deste tratamento, está a reconstrução da fibra capilar, evitando assim a quebra das pontas. A chave é que essa laminação consegue fechar a cutícula. Ao contrário de outros tratamentos, esta hidratação intensiva é selada com a ajuda do calor, por isso seria mais correto falar de laminação térmica. Através da aplicação de uma combinação de ceramidas – presentes na estrutura de nosso cabelo – vitaminas E, B3 e provitaminas B5, é possível reconstruir a fibra capilar, reduzindo o frizz, fortalecendo o cabelo e aumentando seu brilho e volume. A combinação de ingredientes é uma importante bomba de tratamento para o cabelo, que, somado aos benefícios anteriores, o torna um tratamento ideal para cabelos muito secos com tendência ao frizz, tingidos ou danificados por superexposição a fontes de calor. O resultado é fantástico, com uma cutícula mais fechada e hidratada. Em um momento em que os cabelos buscam obter cabelos ultrabrilhantes com movimento, a laminação surge como uma alternativa que, ao invés de deixar aquele cabelo liso que pesa na raiz, proporciona volume natural, seguido de brilho, movimento e maciez. Para sua aplicação, o primeiro passo é limpar bem os cabelos, abrindo a cutícula e retirando qualquer vestígio de poluição , retirando metais pesados ​​dos fios e couro cabeludo, como um detox capilar. Quando o cabelo está completamente limpo, o produto é aplicado e se utiliza um secador. O resultado é um cabelo que parece encorpado, com pontas reparadas e brilho consideravelmente melhorado.

Categorias
Colunas Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

Envelhecimento Capilar

Certamente, se alguém falar com você sobre o envelhecimento do cabelo , você pensará em cabelos grisalhos . E sim, de fato, cabelos grisalhos são o primeiro sintoma de cabelos grisalhos. No entanto, existem outros sinais de alerta que talvez você não consiga identificar e que também alertam para o passar dos anos. Assim como a pele envelhece após os 25 anos , causando o aparecimento de rugas , bolsas e olheiras, ou perda de firmeza, o cabelo também muda com a idade . Os sinais de que seu cabelo está envelhecendo são principalmente a perda de densidade capilar , o que não é o mesmo que alopecia. Com o passar dos anos, o cabelo perde espessura e fica mais fino e frágil, além disso, cresce muito mais devagar. Tudo isso se traduz em cabelos secos, quebradiços, sem brilho, com menos volume e a consequência mais visível é que a massa capilar tem uma aparência menos densa, geralmente em todo o couro cabeludo. É um fenômeno que afeta qualquer homem e mulher ao longo dos anos. Pelo contrário, a calvície resulta em áreas completamente nuas do couro cabeludo, geralmente a linha do cabelo recuada ou a coroa da cabeça. Além disso, a alopecia pode ocorrer em uma idade muito jovem, mesmo antes dos 20 anos, e tem origem principalmente hereditária ou genética.

Embora não seja possível, hoje, parar o envelhecimento capilar (assim como o envelhecimento da pele), ele pode ser retardado. A principal causa do envelhecimento capilar é a oxidação do cabelo, por isso, os produtos mais recomendados para o retardar são os que contêm antioxidantes. Para retardar o envelhecimento capilar faça uma automassagem do couro cabeludo com as pontas dos dedos ao aplicar o xampu. Um minuto é suficiente. Um simples gesto para ativar a microcirculação sanguínea, oxigenar as raízes e dar-lhes um pouco mais de volume. Além disso, é importante controlar outro fator que desempenha um papel fundamental na saúde capilar: o estresse. Demonstrou-se que a ansiedade e o estresse contínuo aceleram a queda de cabelo e o envelhecimento. Evitar água muito quente, esfregar o cabelo suavemente ao lavá-lo ou secá-lo sem esfregar excessivamente com a toalha são outros gestos que também podem ajudar a retardar o envelhecimento.

Categorias
Colunas Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar

Fios Quebradiços?

Não importa se seu cabelo é liso ou cacheado, curto ou longo: ele sempre está suscetível ao enfraquecimento. Genética, alimentação e excesso de química podem intensificar o problema, deixando os fios mais fracos, quebradiços e opacos. Alguns cuidados são fundamentais para fugir do enfraquecimento capilar e manter os fios fortalecidos e saudáveis. Higienize seu cabelo. Higienizar devidamente a raiz é fundamental para a saúde capilar. É importante que essa limpeza seja feita com água em temperatura ambiente, quase fria, e utilizando um shampoo específico para o tipo de cabelo. Aposte no tratamento. Quando se trata de um cabelo forte, sem dúvidas o tratamento com uma boa máscara é essencial. O ideal é que seja realizada ao menos uma vez na semana com máscaras específicas. Componentes como vitaminas, Bepantol líquido, óleos de coco e argan estão entre as opções mais comuns nesse tipo de produto, pois potencializam a ação hidratante aos fios. Aposte em produtos fortalecedores. Outra dica é investir em itens que fortaleçam a raiz e nutram o bulbo capilar. Assim, se reforça a fibra por inteiro e ainda garante a saúde dos fios que vão nascer. Evite processos químicos. Progressivas, descolorações e outras químicas fortes são responsáveis pelo enfraquecimento dos fios, levando a sua queda. Sendo assim, é importante deixá-los respirar enquanto se aposta em um cronograma capilar adequado para a necessidade do seu cabelo.

Categorias
Beleza Colunas Destaque Diário do Rio Helainy Araujo | Saúde Capilar Tendências

Cuidados Capilares – Dicas Rápidas

Para manter uma rotina de cuidados capilares é preciso manter a organização para dar conta de todos os tratamentos periódicos que os fios precisam. Erros comuns podem prejudicar a saúde dos fios, por isso listei algumas dicas rápidas.

Limpe o couro cabeludo adequadamente – Lembre-se sempre que o couro cabeludo também é pele e precisa ser higienizado regularmente
para evitar coceira, caspa e até doenças de pele. Se recomenda fazer a limpeza, no mínimo, três vezes na semana.

Não prenda o cabelo com muita força – Quando o fio é preso sendo
muito tracionado, danificamos sua estrutura, o que favorece a quebra e queda.

Use água fria ou morna – Para evitar que os fios fiquem porosos, embaraçados e quebradiços, é importante não utilizar a água quente.

Produtos na quantidade certa – O excesso de shampoo, que por ter
uma ação detergente, desengordurante, pode retirar água e óleos da parte mais externa do fio, deixando- os mais secos e frágeis, o que pode levar à quebra dos fios, O condicionador, se usado em excesso, pode se acumular no couro cabeludo obstruindo a abertura do folículo, e isso pode piorar quadros de dermatite seborreica e outras alopecias.

Condicionador X Máscara – A máscara de tratamento não substitui o
condicionador, ao contrário do que muitas pessoas pensam. A máscara
pode ser utilizada entre uma e duas vezes na semana, conforme o tipo e dano existente no cabelo. Para uso diário, o condicionador tem maior capacidade de selar as cutículas garantindo brilho, maciez e facilidade na hora de escovar.