Categorias
Mundo Notícias do Jornal

Nova líder da OMC quer vacinas para os países pobres

 

Por Claudia Mastrange

Nomeada em 15 de fevereiro para chefiar a Organização Mundial do Comércio (OMC ) e primeira mulher a liderar a instituição, a nigeriana Ngozi Okonjo-Iweala, ex-ministra das Finanças do país africano, declarou que a OMC deve retomar o objetivo de melhorar o nível de vida das pessoas e promover o acesso dos países pobres às vacinas contra a Covid-19.

Ngozi afirmou, em entrevista à agência de notícias France Presse (AFP), que a organização é “demasiado importante para estar atrasada, paralisada e moribunda”. Assumindo o cargo em 1º de março, ela já enumerou seus objetivos imediatos: assegurar que as vacinas sejam produzidas e distribuídas em todo o mundo, não só nos países ricos, mas também resistir à tendência para o protecionismo que cresceu com a pandemia, de modo que o comércio livre possa contribuir para a recuperação econômica.

“Creio que a OMC pode contribuir mais para a resolução da pandemia de covid-19, ajudando a melhorar o acesso às vacinas por parte dos países pobres”, afirmou. E, para dar melhores condições de vida à população desses povos, segundo ela, é preciso “criar empregos decentes”, sendo que “o comércio tem certamente um papel a desempenhar na recuperação econômica”.

A escolha da nigeriana para liderar a OMC acontece após a saída do brasileiro Roberto Azerêdo do cargo, em dezembro de 2020, e a retirada, no último dia 5, da candidatura da ministra do Comércio sul-coreana, Yoo Myung-hee, a única que ainda disputava o cargo com Okonjo-Iweala.

 

Brasil : apoio para fortalecer o livre comércio

A nova líder da OMC nasceu em 1954 na Nigéria, mas passou grande parte de sua vida nos Estados Unidos, onde estudou em duas prestigiadas universidades, o Massachusetts Institute of Technology (MIT) e Harvard, após testemunhar uma guerra civil e seu país, na adolescência.

Ngozi Okonjo-Iweala iniciou carreira em 1982 no Banco Mundial, onde trabalhou durante 25 anos. Em 2012, não conseguiu tornar-se presidente da instituição financeira, que escolheu para o cargo o norte-americano de origem sul-coreana Jim Yong Kim. Foi por duas vezes ministra das Finanças da Nigéria e chefiou a diplomacia do país durante dois meses.

O Itamaraty parabenizou Ngozi e informou, em nota, que trabalhará em colaboração com ela “para fortalecer a OMC em sua missão fundamental de promover o livre comércio entre economias de mercado; estimular as reformas necessárias à organização nos seus três pilares – negociações, solução de controvérsias e transparência; e assegurar resultados realistas e ambiciosos na 12ª Conferência Ministerial da OMC em 2021, especialmente em agricultura”, diz a nota.

Com informações das Agências Internacionais

Categorias
Destaque Notícias

Cantor Roberto Carlos é vacinado contra a covid-19 no Rio

O cantor Roberto Carlos, de 79 anos, foi vacinado contra a COVID-19, nesta segunda-feira (1º), no Rio de Janeiro. Ele recebeu a primeira dose dão imunizante em um drive-thru na Zona Sul da cidade.

Roberto Carlos tem 79 anos e chegou ao local de vacinação usando boné, óculos, máscara e luvas. Elé completa 80 no dia 19 de abril.

O artista postou um vídeo nas redes sociais do momento da imunização e destacou a relevância de se proteger contra o vírus. “Todo mundo tem que vacinar, deve vacinar, é importante. Vacina, sim!”, escreveu, na legenda.

Roberto Carlos postou vídeo no Instagram do momento em que foi imunizado. (Foto: Reprodução/Instagram)

Vacinação

Uma nova etapa de vacinação contra a COVID-19 foi iniciada no Rio de Janeiro. Desta segunda (01) até a quarta-feira (03), pessoas com 79 anos são vacinados, além de profissionais de saúde com 60 anos ou mais e os acima de 80 que perderam seu dia de vacinação.

Conforme calendário de imunização, o atendimento nesta segunda ocorreu do meio-dia às 17h. Já na terça-feira (2) e na quarta-feira (3), acontecerá das 8h às 17h.

A imunização acontece em clínicas da família, centros municipais de saúde, além dos postos montados no Planetário da Gávea, no Museu da República (Catete), no Tijuca Tênis Clube e na Igreja Nossa Senhora do Rosário (Leme).

Conforme a prefeitura, o município do Rio encerrou o mês de fevereiro com todas as faixas de idade acima dos 80 anos vacinadas com pelo menos uma dose da CoronaVac ou da Oxford/AstraZeneca.

O prazo para a segunda dose depende de qual das duas vacinas foi utilizada. Para saber quando retornar ao posto de vacinação para tomar a segunda dose, a pessoa precisa conferir a data anotada a lápis em sua caderneta ou comprovante de vacinação. Para os idosos acamados que pediram a aplicação da vacina em casa, as unidades de saúde seguem o cronograma de visitas e, segundo a prefeitura, todos serão atendidos dentro de até 30 dias da solicitação.

 

Categorias
Destaque Notícias Rio

Matriarca da Portela e ícone do carnaval, Tia Surica é vacinada contra a covid-19 no Rio

Iranette Ferreira Barcellos, conhecida como Tia Surica, matriarca integrante da Velha Guarda da Portela e um dos ícones do carnaval carioca, foi vacinada contra a covid-19 neste sábado (27), no Rio.

Ela tem 80 anos e recebeu a primeira dose do imunizante no Parque Madureira.

“Estou emocionada. Temos que nos resguardar, evitar tumulto. Gente, pelo amor de Deus, todo mundo se vacine e se preserve. Essa nova geração tem que se cuidar para não passar (a doença) para os familiares. A coisa está feia. Estou me preservando, porque não quero morrer agora”, disse Tia Surica, vacinada no local exato do braço que carrega uma tatuagem de uma águia, símbolo da Portela.

O prefeito Eduardo Paes acompanhou a vacinação de Tia Surica e, depois, anunciou, por meio das redes sociais, mais uma etapa do calendário de imunização. Da próxima segunda (01) até a quarta-feira (03), idosos com 79 anos serão vacinados, além de profissionais de saúde com 60 anos ou mais e os acima de 80 que perderam seu dia de vacinação.

“A partir da semana que vem a gente já inicia a faixa dos 70, vacinando na segunda, terça e quarta as pessoas com 79 anos, que já podem procurar uma unidade de saúde para se vacinar. A recomendação da secretaria é para as pessoas irem se vacinar no período da tarde, evitar a manhã, que é quando as unidades costumam ficar mais cheias. O tempo médio de espera pela vacinação não excede 15 minutos”, disse  também o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

Este sábado é um dia destinado para idosos com 80 anos, além da repescagem dos acima dessa idade que perderam seu dia de vacinação.

Vacinação

A prefeitura informou que o município do Rio encerra o mês de fevereiro com todas as faixas de idade acima dos 80 anos vacinadas com pelo menos uma dose da CoronaVac ou da Oxford/AstraZeneca. O prazo para a segunda dose depende de qual das duas vacinas foi utilizada.

Para saber quando retornar ao posto de vacinação para tomar a segunda dose, a pessoa precisa conferir a data anotada a lápis em sua caderneta ou comprovante de vacinação.

Para os idosos acamados que pediram a aplicação da vacina em casa, as unidades de saúde seguem o cronograma de visitas e, conforme a prefeitura, todos serão atendidos dentro de até 30 dias da solicitação.

300 mil imunizados

Até a sexta-feira (26), mais de 300 mil pessoas já haviam tomado a primeira dose da vacina contra o coronavírus no Rio. Oitenta mil já receberam também a segunda dose, entre eles profissionais de saúde da linha de frente do atendimento a pacientes com covid-19.

Com as 105 mil doses que chegaram esta semana, a Secretaria Municipal de Saúde retomou o calendário para vacinar idosos entre 82 e 80 anos, terminando fevereiro com todas as faixas de idade acima de 80 anos cobertas.

Categorias
Destaque Rio Saúde

Secretaria de Saúde finaliza hoje distribuição da segunda dose da CoronaVac

 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) conclui, nesta segunda-feira (22.02), a entrega de um lote de vacinas CoronaVac que será destinado a pessoas que já receberam a primeira dose. A partir das 7h, quatro helicópteros decolaram do 12º Batalhão de Polícia Militar, em Niterói, levando o imunizante para 88 municípios. Na última sexta-feira (19.02), Rio de Janeiro, Niterói, Maricá e São Gonçalo retiraram os lotes.

Desta vez, serão distribuídas 173.500 segundas doses do imunizante, além de outras 20 mil para utilização como primeira dose – que estavam armazenadas como reserva técnica. A ação contará com helicópteros do Corpo de Bombeiros e do Governo do Estado e apoio da Polícia Civil.

“Conforme programado, estamos fazendo a entrega das vacinas para a aplicação da segunda dose das remessas enviadas nos dias 3 e 11 de fevereiro. Esta estratégia garante o cumprimento de uma etapa do calendário vacinal. Além disso, mais 20 mil doses serão entregues, possibilitando a vacinação de novas pessoas. Estamos aguardando confirmação de envio de remessas pelo Ministério da Saúde, que serão distribuídas de acordo com o proposto pelo Programa Nacional de Imunizações”, explicou o secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves.

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) reforçou, por meio de ofício enviado aos 92 municípios, a importância de os responsáveis técnicos e gestores municipais organizarem suas ações de vacinação priorizando os grupos elencados no Programa Nacional de Imunização (PNI). A SVS ressalta ainda que a programação deve ser organizada de acordo com o número de doses que serão aplicadas no dia, para que o frasco multidose seja totalmente utilizado. Denúncias de irregularidades na vacinação são encaminhadas imediatamente aos órgãos de controle.

A SVS informa ainda que todo cidadão pode e deve acompanhar o processo de vacinação, verificando qual imunizante está recebendo, o uso de seringas descartáveis, a aspiração do produto e a correta anotação na carteira de vacinação. No caso de pessoas incapacitadas, esse acompanhamento deve ser feito por um responsável.

Público prioritário – A SES esclarece que a definição dos grupos prioritários para a primeira fase da vacinação contra a Covid-19 foi estabelecida pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), por meio de decisões tomadas por comissão tripartite. O Estado segue a recomendação do Ministério da Saúde, repassando as orientações aos municípios. Neste primeiro momento, foi definido um grupo prioritário composto por:

– profissionais da saúde que atuam na linha de frente no combate à Covid-19 e na vacinação;
– pessoas com 60 anos ou mais vivendo em abrigos ou asilos;
– pessoas maiores de 18 anos com deficiência institucionalizadas;
– trabalhadores dessas instituições;
– povos indígenas vivendo em terras indígenas;
– idosos com mais de 90 anos.

Enfrentamento à Covid-19 – A Secretaria de Estado de Saúde (SES) informa que, até o momento, recebeu do Ministério da Saúde (MS) 1.040.320 doses da vacina contra a Covid-19, sendo 855.320 da CorovaVac e 185 mil da Oxford/AstraZeneca. Com a operação realizada nesta segunda-feira (22.02), o total distribuído é 1.036.390 doses. Uma reserva técnica fica armazenada na Coordenação Geral de Armazenamento (CGA) para repor possíveis perdas.

Balanço vacinação – Até as 9h deste domingo (21.02), 92 municípios registraram 427.482 pessoas vacinadas com a primeira dose. Destas, 80.876  já imunizadas com a segunda dose da vacina contra Covid-19 no estado. O balanço foi realizado por meio de busca ativa, a partir da gerência de Imunização da Vigilância Epidemiológica da Subsecretaria de Vigilância em Saúde, junto às coordenações/gerências de imunização dos 92 municípios do estado. O vacinômetro pode ser acessado pelo site: https://vacinacaocovid19.saude.rj.gov.br/

Nova variante – Foram confirmados cinco casos de pessoas no estado do Rio contaminadas com as novas variantes do coronavírus, sendo um com a mutação britânica (VOC 202012/01, linhagem B.1.1.7), e os outros quatro com a variante de Manaus (Variante P.1, linhagem B.1.1.28). Dois pacientes registrados com a cepa brasileira foram a óbito, sendo um morador de Belford Roxo e outro paciente oriundo de Manaus. A SES reforça que, em ambos os casos, não é possível afirmar que houve agravamento dos quadros devido à mutação do vírus.

As outras duas pessoas contaminadas pela variante brasileira são moradoras da capital, já se recuperaram e tiveram sintomas leves. Estudos apontam que a variante brasileira do coronavírus tem maior capacidade de transmissão, mas a letalidade não difere da linhagem inicial. A SES reforça a necessidade de que sejam intensificadas as medidas de prevenção de contágio: uso de máscaras, higienização das mãos e distanciamento social.

Casos em investigação – Até este sábado (20.02), há 13 casos notificados no estado do Rio de Janeiro, em investigação. O critério para notificação de caso suspeito está previsto na Nota Técnica elaborada pela Secretaria de Estado de Saúde: pacientes com sinais e sintomas de Covid-19 que tenham histórico de viagem ou contato com pessoas oriundas de outros estados e/ou países com circulação de novas variantes.

Cabe à Vigilância Epidemiológica dos municípios o preenchimento de um formulário eletrônico para notificação imediata à SVS/SES, que vai orientar e apoiar os municípios na investigação epidemiológica. As amostras coletadas serão encaminhadas e processadas para testagem molecular e selecionadas para sequenciamento viral pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-RJ).

A SVS ressalta que a chegada de variantes da Covid-19 ao estado era prevista, inclusive, uma Nota Técnica sobre o tema já havia sido enviada aos municípios no início do mês, com recomendações.

É importante destacar que o sequenciamento genético não é um método de diagnóstico para Covid-19, tampouco é indicado para ser feito em 100% dos casos positivos, contudo a análise do seu resultado permite quantificar e qualificar a diversidade genética viral circulante no país. Este é o propósito do monitoramento articulado pela SVS com os municípios na Nota Técnica SVS/SES n. 09/2021.

 Foto: Governo do Estado do RJ

Categorias
Destaque Rio Saúde

Começa a distribuição da segunda dose de vacinas contra Covid-19 no Rio

 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) começa, nesta sexta-feira (19.02), a distribuição de uma nova remessa de 173.500 segundas doses da vacina CoronaVac contra a Covid-19 para os 92 municípios do estado. Também serão entregues outras 20 mil doses, sendo 10 mil para primeira aplicação e 10 mil para segunda, que estavam armazenadas na Coordenadoria Geral de Armazenamento (CGA), em Niterói, como reserva técnica para casos de reposição.

Rio de Janeiro, Niterói, São Gonçalo e Maricá serão os primeiros a retirar na CGA os lotes do imunizante, nesta sexta-feira (19.02), com escolta da Polícia Militar.  Para os outros 88 municípios, a entrega será realizada, a partir das 7h da próxima segunda-feira (22/02) por quatro aeronaves. A ação contará com helicópteros do Corpo de Bombeiros e do Governo do Estado e apoio da Polícia Civil.

“Vamos realizar a entrega da segunda dose das vacinas CoronaVac que foram disponibilizadas aos municípios em 03.02 e 11.02. Conforme programamos desde o início, distribuímos a primeira dose e armazenamos a segunda. Desta forma, estamos garantindo que os municípios cumpram o esquema vacinal”,  afirmou o secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves.

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) atualizou o ofício enviado aos 92 municípios, reforçando a importância de os responsáveis técnicos e gestores municipais organizarem suas ações de vacinação priorizando os grupos elencados no Programa Nacional de Imunização (PNI). A SVS ressalta ainda que a programação deve ser organizada de acordo com o número de doses que serão aplicadas no dia, para que o frasco multidoses seja totalmente utilizado. Denúncias de irregularidades na vacinação são encaminhadas imediatamente aos órgãos de controle.

Público prioritário – A SES esclarece que a definição dos grupos prioritários para a primeira fase da vacinação contra a Covid-19 foi estabelecida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), por meio de decisões tomadas por comissão tripartite. O Estado segue a recomendação do Ministério da Saúde, repassando as orientações aos municípios. Neste primeiro momento, foi definido um grupo prioritário composto por:

📌 profissionais da saúde que atuam na linha de frente no combate à Covid-19 e na vacinação;
📌pessoas com 60 anos ou mais vivendo em abrigos ou asilos;
📌pessoas maiores de 18 anos com deficiência institucionalizadas;
📌trabalhadores dessas instituições;
📌povos indígenas vivendo em terras indígenas;
📌 idosos com mais de 90 anos.

Doses recebidas e entregues – A Secretaria já recebeu do Ministério da Saúde (MS) 1.040.320 doses de vacina contra a Covid-19, sendo 855.320 da CorovaVac e 185 mil da Oxford/AstraZeneca.  Até o último dia 11, haviam sido entregues 842.890 doses aos 92 municípios. Dessas, 242.060 eram destinadas à segunda dose da CoronaVac, para atender à população que recebeu o imunizante enviado no primeiro lote, do dia 20 de janeiro.

Balanço vacinação – Até as 9h desta quarta-feira (17.02), 92 municípios registraram 418.419 pessoas imunizadas com a primeira dose e 49.407 com a segunda dose da vacina contra a Covid-19 no estado. O balanço foi realizado por meio de busca ativa, a partir da gerência de Imunização da Vigilância Epidemiológica da Subsecretaria de Vigilância em Saúde, junto às coordenações/gerências de imunização dos 92 municípios do estado. O vacinômetro pode ser acessado pelo site: https://vacinacaocovid19.saude.rj.gov.br/

Foto: Carlos Magno/Governo do Estado do RJ

 

Categorias
Destaque Rio Saúde

Rio inicia vacinação para idosos a partir dos 89 anos

 

Começou nesta segunda-feira, 8 de fevereiro, a semana de vacinação contra a Covid-19 para os idosos de 85 a 89 anos., começando pelas pessoas  de 89, na segunda, e reduzindo a idade por ano a cada dia, conforme foi feito na semana passada. E no sábado, 13, será o dia de vacinar quem não pôde se imunizar durante a semana.

Além das clínicas da família e centros municipais de Saúde da Cidade do Rio, houve neste sábado, dia 06,  vacinação em postos drive-thru na Cidade Universitária, na Ilha do Fundão; no CMS Belizário Penna, em Campo Grande; no CMS Manoel Guilherme da Silveira, em Bangu; no Engenhão, em Engenho de Dentro; no Parque Madureira; no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca; na Policlínica Lincoln de Freitas Filho, em Santa Cruz; no Sambódromo, em Santo Cristo; e na UFRJ, na Praia Vermelha.

Com exceção dos postos da UERJ e do Parque Olímpico, que estão abertos , vacinando, de segunda a sábado, os demais funcionam somente aos sábados, das 8 às 12 horas.

Categorias
Destaque Rio Saúde

Segunda dose da CoronaVac é distribuída aos municípios

 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) iniciou a entrega da segunda dose da vacina CoronaVac contra a Covid-19 para os 92 municípios do Estado. As 244.560 doses do imunizante são reforço da primeira dose disponibilizada para as secretarias municipais de Saúde, no último dia 19 de janeiro, garantindo que o esquema vacinal seja cumprido no intervalo de 21 dias.

Na terça-feira, dia 02, caminhões começaram a deixar a Coordenadoria Geral de Armazenagem (CGA), em Niterói, levando doses da vacina para as cidades do Rio de Janeiro, Niterói, Maricá e São Gonçalo. Para os demais 88 municípios, a entrega será realizada nesta quarta-feira (03/02), por via aérea. A partir das 7h, cinco aeronaves, sendo uma da Secretaria de Polícia Civil, duas do Corpo de Bombeiros e duas do Governo do Estado, iniciam a operação para a distribuição das vacinas. A logística prevê que um helicóptero atenderá mais de um município.

Uma nova remessa, com 42.400 doses de CoronaVac, também será enviada aos municípios para que sejam utilizadas como 1ª dose, ampliando a cobertura do público prioritário, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde e orientação da SES aos municípios. O quantitativo referente à segunda dose para essas pessoas está reservado e será enviado dentro do prazo para aplicação.

Outras 7.350 doses da vacina Oxford/AstraZeneca também serão encaminhadas para unidades de saúde da rede estadual e militar. Os imunizantes vão reforçar a vacinação dos trabalhadores de saúde da linha de frente do atendimento a pacientes com Covid.

Fotos: Maurício Bazílio/ SES-RJ

Categorias
Destaque Rio Saúde

Orlando Drummond, o Seu Peru, é o primeiro vacinado na nova etapa de imunização contra a Covid-19 no Rio

 

O prefeito Eduardo Paes e o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, participaram neste domingo (31/01) da cerimônia que marcou o início da vacinação de idosos com mais de 80 anos no Rio de Janeiro contra a Covid-19. O compositor Nelson Sargento, de 96 anos, o ator Orlando Drummond, de 101, e mais três idosos foram vacinados no Palácio da Cidade, em Botafogo.

O público desta faixa etária começará a ser vacinado de forma segmentada, uma idade a cada dia. Na segunda-feira (01/02), será a vez de quem tem a partir de 99 anos. Dessa forma, o atendimento será mais organizado, e sem aglomerações.

O prefeito Eduardo Paes chamou a atenção para a importância de ser priorizada nesta primeira fase a população mais idosa:

“Hoje é um dia de uma enorme alegria. Estamos começando a vacinação da população em geral, priorizando aqueles que têm que ser priorizados, a população idosa. É emocionante ver o Nelson Sargento, e saber que ele vai poder continuar vivendo e cantando a sua poesia; é emocionante ver o seu Peru (personagem marcante do ator Orlando Drummond), que encheu de alegria nossas vidas na televisão e no rádio; é uma alegria ver pessoas anônimas que, para suas famílias, seus entes queridos, são tão importantes. Hoje é um dia em que a gente parte para o mais importante, que é vacinar priorizando as pessoas mais velhas. Nosso sonho é que ao longo de dois meses – isso vai depender da chegada da vacina – a gente possa vacinar todas as pessoas acima de 60 anos de idade, que é a população mais vulnerável”, destacou.

Após ser vacinado, o compositor Nelson Sargento, tomado de emoção, entoou os primeiros versos da música “Agoniza mas não morre”, de sua autoria, e falou dos planos para a volta à velha rotina em um futuro próximo: “Estava pensando muito nesse momento e graças a Deus estou aqui. Estou sentindo falta da música. Estou aqui para ser vacinado e poder trabalhar”, disse ele, acompanhado da mulher, Evonete Matos, de 71 anos. “Ela quer se vacinar já, mas é uma jovem ainda”, ironizou o compositor.

Prrefeito Eduardo Paes cumprimenta Nelson Sargento

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, destacou que a cidade está abastecida de doses suficientes para esta etapa de vacinação. ‘A gente tem as vacinas aqui no Rio para o início dessa etapa dos idosos. Hoje começa a parte mais importante da campanha. É um momento muito emocionante para toda a sociedade, para quem vai poder vacinar seus avós, seus pais, sua família. Infelizmente, eu não pude. Perdi minha avó por Covid-19”, afirmou Soranz.

Primeiro a ser vacinado no Palácio da Cidade, o ator Orlando Drummond resumiu sua emoção “ Isso é um batismo, e espero que todos tenham a mesma esperança que eu”, disse.

É importante que o idoso que for se vacinar leve seu documento de identidade e, se possível, a caderneta de vacinação. Mais de 130 mil pessoas já foram vacinadas no município e, na medida em que novas doses da vacina forem entregues, o público da campanha será ampliado.

Além das 236 unidades de Atenção Primária, haverá vacinação no sistema drive-thru no dia 6 de fevereiro e nos sábados subsequentes, para atender aos idosos. Esses postos funcionarão das 8h às 12h, nas policlínicas Lincoln de Freitas Filho (Santa Cruz) e Guilherme Manoel da Silveira (Bangu), no CMS Belizário Penna (Campo Grande), no Sambódromo, na Cidade Universitária e no campus da UFRJ, em Botafogo, no Parque Madureira, no Estádio do Engenhão, e no Parque Olímpico. Também haverá drive-thru realizado pela Uerj, de segunda a sexta, das 9h às 15h, com vacinas disponibilizadas pela SMS.

A recomendação para vacinação de idosos restritos ao leito (acamados) é procurar no Onde Ser Atendido (https://www.subpav.org/ondeseratendido/) a unidade de referência e entrar em contato para informar. A equipe fará o cadastro e passará as orientações sobre a vacinação.

OS CINCO IDOSOS VACINADOS NESTE DOMINGO (31/01)

Neiva Gomes Brandão, dona de casa, 95 anos

“ Passei esse tempo todo em casa, fazendo crochê. Sinto falta da praia e de visitar os amigos. Não estava indo a canto nenhum. Estou torcendo para que essa campanha seja um sucesso e que todos possam ser vacinados”.

Nelson Sargento, compositor, 96 anos

“ Estou lendo muito e pintei três quadros na pandemia. Estou com alguns para vender. Mas estou sentindo falta da música. Estou aqui para ser vacinado e poder trabalhar”.

Dulcinéia Gomes Pedrada, dona de casa, 97 anos

“ Eu não estava saindo. Até meus exames eu fiz em casa. Agora a vida vai melhorar”.

Sebastiana Farnezi da Conceição, costureira, 98 anos

“ É um dia especial. Minha filha até enrolou meu cabelo pra eu vir tomar a vacina. Tenho certeza de que não vou pegar a doença. Agora, vou poder ir um bocadinho na rua”.

Orlando Drummond, ator, 101 anos

“ Agora, sim, estou vendo as coisas acontecendo e fico feliz. Isso é um batismo e espero que todos tenham a mesma esperança que eu. Estou com 101 anos. É mole ou quer mais?”.

CONFIRA AS DATAS E PÚBLICOS DESTA ETAPA DA VACINAÇÃO

1 (segunda-feira) – Pessoas a partir de 99 anos

2 (terça-feira) – Pessoas com 98 anos

3 (quarta-feira) – Pessoas com 97 anos

4 (quinta-feira) – Pessoas com 96 anos

5 (sexta-feira) – Pessoas com 95 anos

6 (SÁBADO) – PESSOAS A PARTIR DE 95 ANOS

8 (segunda-feira) – Pessoas com 94 anos

9 (terça-feira) – Pessoas com 93 anos

10 (quarta-feira) – Pessoas com 92 anos

11 (quinta-feira) – Pessoas com 91 anos

12 (sexta-feira) – Pessoas com 90 anos

13 (SÁBADO) – PESSOAS ENTRE 90 E 94 ANOS

15 (segunda-feira) – Pessoas a partir de 89 anos

16 (terça-feira) – Pessoas com 88 anos

17 (quarta-feira) – Pessoas com 87 anos

18 (quinta-feira) – Pessoas com 86 anos

19 (sexta-feira) – Pessoas com 85 anos

20 (SÁBADO) – PESSOAS ENTRE 85 E 89 ANOS

22 (segunda-feira) – Pessoas com 84 anos

23 (terça-feira) – Pessoas com 83 anos

24 (quarta-feira) – Pessoas com 82 anos

25 (quinta-feira) – Pessoas com 81 anos

26 (sexta-feira) – Pessoas com 80 anos

27 (SÁBADO) – PESSOAS ENTRE 80 E 84 ANOS

Fotos: Beth Santos

Categorias
Brasil Destaque Saúde

Votação da Anvisa para o uso emergencial de 4,8 milhões de doses da Coronavac ocorre nesta sexta-feira (22)

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em reunião com a Diretoria Colegiada, avalia, na tarde desta sexta-feira (22/1), a liberação do segundo pedido do uso emergencial da vacina Coronavac feito pelo Instituto Butantan. Se aprovada, a decisão permitirá a distribuição de mais 4,8 milhões de doses do imunizante.

A decisão se deu após a Anvisa analisar um documento enviado pelo instituto que tinha mais de 900 páginas. O encontro é transmitido pelos canais digitais da agência.

Vale ressaltar que no último domingo (17/1) a Anvisa já havia dado o aval para aplicação de 6 milhões de doses do imunizante. Contudo, a vacina em questão era originária do laboratório chinês da Sinovac. Desta vez, a agência avalia as doses produzidas no Brasil. Na ocasião, os diretores da agência reguladora votaram todos a favor dos pedidos de uso emergencial. A escolha ocorre por maioria simples.

A decisão sobre o uso emergencial das vacinas passa a valer a partir do momento em que os laboratórios forem comunicados. A autorização é publicada no portal da Anvisa, no extra de deliberações da Diretoria Colegiada. Não há necessidade de publicação da norma no Diário Oficial da União (DOU).

Categorias
Destaque Rio Saúde

Rio começa a vacinação contra a Covid-19 aos pés do Cristo Redentor

 

Por Claudia Mastrange

O Rio de Janeiro deu início, nesta segunda-feira , 18 de janeiro à campanha de vacinação contra a Covid-19. Uma cerimônia no Cristo Redentor marcou o começo da imunização da população fluminense. Duas mulheres, Terezinha Conceição, de 80 anos e moradora do Abrigo Cristo Redentor; e Dulcinea da Silva Lopes, de 59 anos e profissional de saúde que atua na linha de frente no combate à pandemia, foram as escolhidas para tomar a primeira dose da vacina.

Ducinea foi a primeira. “Fiquei muito emocionada por ser escolhida e pela vacinação ter acontecido no Cristo Redentor, um lugar tão simbólico para o Rio. Não tive reação nenhuma, estou ótima , muito feliz e só recomendo a todos que sigam se prevenindo, se cuidando até que todos possam tomar a vacina”, declarou ela em entrevista, na manhã desta terça-feira (19), um dia após viver o momento histórico.

A técnica de enfermagem, Dulcinea: a emoção de ser a primeira vacinada, no RIo

Vinte caixas – cada uma com 1.200 doses da vacina CoronaVac – chegaram na tarde de ontem e o restante do que foi prometido pelo Ministério da Saúde chegou ao Rio para esta primeira fase de imunização na madrugada desta terça-feira  e já está sendo encaminhado de helicóptero para os 92 municípios de estado do Rio.

“É muito singular começar a vacinação no Cristo Redentor, que representa a paz, o amor e a vida. Hoje cedo fui a São Paulo e me reuni com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e mais 15 governadores para reiterar que o plano de imunização é nacional. Cada brasileiro importa igualmente ao outro. Essa é a primeira etapa, ainda pequena, mas ao final dela o Brasil estará entre os cinco países que mais vacinaram no mundo. Este é o início da virada no Rio de Janeiro”, declarou o governador em exercício Cláudio Castro, durante o evento.

Eduardo Paes: “ A vacina é uma luz no fim do túnel”

Cinco cidades receberão o maior número de vacinas nesta primeira fase – Rio de Janeiro (capital), com 231.840 doses; São Gonçalo, 27.590; Niterói, com 23.240; Nova Iguaçu, 14.930; e São João de Meriti, 14.870. “A vacina é uma luz no fim do túnel para todos nós e, sem dúvida, nos trará grandes resultados. O Governo do Estado coordena a ação de todos os municípios e, ao mesmo tempo, apoia a logística. Se não fosse a preparação do Governo do Estado, nós, por exemplo, não teríamos a quantidade necessária de seringas para a vacinação”, afirmou o prefeito Eduardo Paes.

Nesta primeira fase, serão priorizados os trabalhadores de saúde, as pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência, as pessoas com deficiência que vivem em residências Inclusivas e a população indígena.

Distribuição aos municípios

Logo no início da manhã desta terça-feira (19) começou a distribuição simultânea e proporcional aos 92 municípios do estado. Antes, as vacinas serão catalogadas no Centro de Distribuição da Secretaria de Estado de Saúde, em Niterói. Na sequência, carros, caminhões e vans serão utilizados na logística de distribuição às cidades. A operação terá também o apoio de cinco helicópteros do estado (Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros) para que a vacina chegue até as mais distantes cidades no menor tempo possível.

Pontos de vacinação e insumos

Toda a preparação para a vacinação no Rio de Janeiro está pronta. Foram definidos 1,5 mil postos de saúde e clínicas da família que devem participar da imunização. A Secretaria de Estado de Saúde pode abrir mais 3 mil pontos de apoio, utilizando espaços de escolas, supermercados, shoppings e quartéis do Corpo de Bombeiros.

Durante o fim de semana, o Governo do Estado realizou a distribuição de seringas para os municípios fluminenses. No sábado (16) foram enviadas 3.346.800 seringas com agulha para 30 cidades. Domingo (17), outras 115.500 seringas descartáveis de 3 ml com agulha foram encaminhadas para outros 19 municípios. Ao todo, nesta primeira fase, a SES enviou 5,5 milhões de kits para todo o estado. Uma mega-operação, com apoio da Polícia Militar, foi montada para realizar a distribuição do material para todas as regiões fluminenses.

Fotos: Eliane Carvalho