Categorias
Pelos Bairros

Maricá: autônomos e trabalhadores informais vão receber ‘mumbucas’ por três meses

Por Sandro Barros

A Prefeitura de Maricá anunciou, em 21 de março, uma série de ações que podem injetar na economia local cerca de R$ 80 milhões. Um das medidas estipuladas por decreto vai atender cerca de seis mil trabalhadores informais e autônomos prejudicados pela pandemia do novo coronavírus e que receberão o pagamento de um salário mínimo (R$ 1.045).

Esse valor será convertido em ‘mumbucas’, a moeda local da cidade que pode ser usada em estabelecimentos comerciais. O valor do Cartão Mumbuca, que atende 42 mil pessoas, passará de 130 para 300 ‘mumbucas’ pelos próximos três meses. Também está prevista a antecipação do abono natalino para os beneficiários do programa Renda Básica de Cidadania, entregas de cestas básicas, pelo período de três meses, para famílias de alunos da rede municipal de ensino em cada domicílio para evitar aglomerações e o adiamento do pagamento do IPTU para idosos acima de 60 anos.

Categorias
Esportes

Hoje não vai ter jogo!

Por Sandro Barros

A pandemia de coronavírus afetou diretamente praticamente todos os principais eventos esportivos do planeta, inclusive os de futebol. O Diário do Rio traz uma relação, com informações levantadas até 20 de março, de quais medidas foram tomadas para diversas competições do esporte de maior audiência do planeta. Confira!

Mundial de Clubes de 2021
A Federação Internacional de Futebol (Fifa) confirmou, em 17 de março, o adiamento do novo Mundial de Clubes, que seria disputado com 24 equipes no ano que vem, na China. O novo formato precisará de nova data, após a entidade anunciar que a Eurocopa e a Copa América não serão mais disputadas neste ano, abarrotando ainda mais o calendário de 2021. O Mundial deste ano, ainda no formato antigo, não sofreu alterações pela Fifa.

Eurocopa e Copa América
A Uefa, federação europeia de futebol, decidiu adiar por um ano a disputa do seu principal campeonato de seleções: a Eurocopa. A disputa, que seria realizada em vários países do continente entre 12 de junho e 12 de julho, agora será disputada entre 11 de junho a 11 de julho de 2021. Pouco depois, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou a mesma medida para a competição com sedes na Argentina e na Colômbia para 2021.

Campeonatos estaduais
A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu interromper as competições nacionais por tempo indeterminado, mas não quis tomar nenhuma decisão sobre os campeonatos estaduais. As federações de cada Estado convocaram reuniões com os clubes e algumas decidiram pela paralisação imediata. O primeiro estadual que parou foi o de Minas Gerais. A Federação Mineira de Futebol suspendeu a primeira e a segunda divisão no dia 15 de março. Um dia depois, uma reunião com os 16 clubes do Campeonato Paulista definiu que a competição também será paralisada. Os representantes dos times e da federação do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro também acertaram o adiamento de suas competições até 30 de abril.

Grandes ligas da Europa e da América do Sul
A Liga Espanhola adiou as próximas duas rodadas depois que o Real Madrid entrou em quarentena. A Itália, país mais atingido pelo Covid-19 do continente, suspendeu todas as competições nacionais, incluindo a Série A, até o dia 4 de abril. A França anunciou portões fechados até o dia 15 de abril nas duas principais divisões. Portugal também anunciou a suspensão do público nos estádios por tempo indeterminado, assim como cinco países sul-americanos: Argentina, Chile, Colômbia, Equador e Paraguai. Um dos últimos países a anunciar medidas foi a Inglaterra, que somente em 13 de março, suspendeu seus jogos. O campeonato alemão foi paralisado.

Liga dos Campeões
A Uefa anunciou no dia 13 de março, a suspensão dos jogos que restam das oitavas de final da Liga dos Campeões e da Liga Europa, que estavam previstos para a semana seguinte. Com isso, as partidas entre Bayern de Munique x Chelsea, Barcelona x Napoli, Manchester City x Real Madrid e Juventus x Lyon ficam suspensas por tempo indeterminado. Os times já classificados para as quartas de final da Champions League são Paris Saint-Germain, RB Leipzig, Atlético de Madri e Atalanta.

Copa Libertadores da América
Com a pandemia se alastrando pelo continente americano, a Conmebol decidiu suspender por tempo indeterminado a disputa da Libertadores a partir da próxima semana.

Eliminatórias da Copa 2022
A Fifa deu sinal positivo à Conmebol para que as eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo do Qatar comecem apenas em setembro. A primeira rodada da competição estava marcada para o fim de março − o Brasil receberia a Bolívia no Recife, dia 27, e depois visitaria o Peru, no dia 31. As partidas foram adiadas, sem data, e inicialmente ficou combinado que se tentaria jogar no início de junho.

Categorias
Edição Impressa

Ano IV, Número 58 – 01 a 15 de abril de 2020

Categorias
Esportes

Mix: Olimpíadas, solidariedade, Ronaldinho Gaúcho e Roland Garros

Por Sandro Barros

Mais perguntas sobre as Olimpíadas

O adiamento dos Jogos Olímpicos era necessário e até demorou a acontecer. Agora, o Comitê Olímpico Internacional (COI) tem outro grande problema para resolver. Com a mudança do evento para 2021, confederações e atletas ficaram com muitas perguntas que precisam ser respondidas e delas depende a preparação até que aconteça a competição. Por exemplo, além da própria data, existirão novos critérios para classificação? Com a palavra, o COI.

Exemplos de solidariedade dos clubes

O Covid-19 trouxe para o futebol brasileiro o resgate da função social de muitos clubes. São Paulo, Athletico-PR e Bahia, por exemplo, abriram suas estruturas a órgãos públicos que necessitem de espaço para atendimento a pacientes. Vasco e Botafogo também abriram seus estádios para receber vítimas. Torcemos para que essa relação solidária perdure quando a epidemia passar, aumentando ainda mais a paixão popular.

Solidariedade também no futebol inglês

Os jogadores e comissão técnica do inglês Leeds United decidiram adiar o recebimento de seus respectivos salários para garantir que os funcionários do clube sejam pagos integralmente durante a paralisação do futebol mundial causada pelo coronavírus. Em comunicado oficial, a equipe esclareceu que a iniciativa partiu do próprio elenco e que foi liderada pelos atletas mais experientes. A nota ainda afirma que clube tem 272 funcionários a serem remunerados.

Ronaldinho Gaúcho fora das manchetes

O caso de Ronaldinho Gaúcho, o presidiário mais famoso do Paraguai, deixou de ocupar as primeiras páginas do país. A pandemia do coronavírus, que deixou a população confinada em suas casas, tomou todas as manchetes dos jornais. Ronaldinho e o seu irmão Assis estão detidos desde 4 de março, depois de terem sido acusados de usar documentos falsos ao entrar no país. A prisão preventiva pode durar até seis meses.

Torneio de Roland Garros é adiado

Em decorrência da pandemia do coronavírus, o torneio de tênis de Roland Garros, o segundo ‘grand slam’ da temporada, foi adiado para o dia 20 de setembro. A decisão da Federação Francesa de Tênis foi tomada em 17 de março. A entidade informou que a mudança de data foi feita pensando no interesse de jogadores, mas alguns reclamaram sobre a falta de informação prévia. A antiga previsão era de iniciar o torneio no dia 18 de maio.

Fotos: Reproduções

Categorias
Esportes

Jogos Olímpicos de Tóquio começarão em 23 de julho de 2021

Os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, que foram adiados devido à crise provocada pela pandemia de coronavírus, começarão em 23 de julho de 2021, anunciou nesta segunda-feira (30/3) o comitê organizador.

“Os Jogos Olímpicos serão disputados entre 23 de julho e 8 de agosto de 2021, enquanto que os Jogos Paralímpicos irão de 24 de agosto a 5 de setembro”, afirmou o presidente do Comitê Organizador Local de Tóquio-2020, Yoshiro Mori, em coletiva de imprensa.

Poucas horas antes do anúncio, Mori havia comentado que uma decisão sobre as novas datas do evento por parte do Comitê Olímpico Internacional (COI) era esperada para esta semana. A decisão foi tomada menos de uma semana depois do anúncio do adiamento histórico por parte do comitê organizador e do COI, após a intensa pressão dos atletas e federações esportivas.

Nesta semana de incertezas, surgiram especulações de que os organizadores japoneses poderiam aproveitar o adiamento para iniciar os Jogos na primavera japonesa (março-junho), evitando assim a canícula do verão de Tóquio, uma das principais preocupações antes do surgimento do novo coronavírus.

Devido ao calor, a maratona havia sido transferida para Sapporo, uma cidade situada 800 km ao norte de Tóquio e onde as temperaturas costumam ser mais amenas no verão.

O adiamento colocou diante dos organizadores um desafio sem precedentes para reagendar o evento. O diretor-geral do Comitê Organizador Local, Toshiro Muto, admitiu que os custos adicionais serão “maciços”.

Categorias
No Barquinho da Paciência

Filas em bancos: o tempo não se compra

Da Redação

A espera na fila de bancos se tornou rotina na vida de muitos brasileiros. Não existe uma legislação nacional sobre o tema. As esferas estaduais e municipais são responsáveis por legislar sobre o tema, de acordo com as particularidades de cada local. Cada município e estado possuem leis que determinam uma tolerância de tempo na espera pelo atendimento.

No Rio de Janeiro, a Lei Municipal nº 5.254, de 25 de março de 2011, determina que as agências realizem o atendimento em tempo razoável: sendo de 15 minutos em dias normais e 30 em dias precedentes ou posteriores a feriados longos; disponibilizar senhas numéricas onde possa ser identificado o banco e a agência com horário de entrada e do atendimento; oferecer bebedouro de água e um banheiro para uso dos clientes; atendimento com senhas preferenciais e, no mínimo 15 assentos para este público, entre outros. Os bancos que descumprirem sofrerão sanções administrativas desde advertência, multas ou o fechamento do local.

Mesmo com estas regras, na prática a maioria das pessoas encara filas todos os dias. Infelizmente, nem tudo conseguimos resolver através de aplicativos ou caixa eletrônico. A ida às agências é necessária e os bancos, querendo economizar, diminuíram ao longo dos anos o número de caixas. Estas mudanças refletem negativamente no tempo do atendimento e fazem as filas aumentarem.

Precisamos denunciar e quando necessário abrir uma ação judicial para fazer valer nossos direitos. Na realidade, não deveríamos perder nosso tempo esperando atendimento, pois o dia é curto para resolvermos tantas pendências. As instituições financeiras não nos pagam pelo tempo perdido. Enquanto isso, as leis não são suficientes para garantir o cumprimento da mesma. Haja paciência!

Categorias
Mundo

Campanha ‘Milão não para’ foi um erro, admite prefeito da cidade

Por Sandro Barros

O prefeito de Milão, Giuseppe Sala, reconheceu que errou ao ter divulgado o vídeo de uma campanha que dizia que a cidade “não para”, lançada no fim de fevereiro desse ano. Depois de quase um mês, a cidade é a terceira mais atingida pela pandemia do novo coronavírus, com quase 35 mil contágios e 4.816 mortes até o dia 26 de março.

“Muitos se referem àquele vídeo que circulava com o título ‘Milão não para’. Era 27 de fevereiro, o vídeo estava explodindo nas redes, e todos o divulgaram, inclusive eu. Certo ou errado? Provavelmente, errado”, disse Sala à emissora Rai, no dia de março.

O vídeo, criado por uma associação de bares e restaurantes da cidade, mostrava pessoas em situações descontraídas em restaurantes, passeando em parques e esperando em estações de trem. A peça exalta os “milagres” feitos “todos os dias” pelos habitantes de Milão e seus “ritmos impensáveis” e “resultados importantes”. “Porque, a cada dia, não temos medo. Milão não para”, diz o vídeo. A última mensagem dizia “Nós não vamos parar”. Dois dias depois, Giuseppe Sala também divulgou no Instagram uma foto na qual aparecia usando uma camiseta com o slogan da campanha.

Virulência do vírus

O vídeo viralizou na web em meio à escalada dos casos na Itália e após o governo ter decidido confinar as 11 cidades do norte do país que haviam registrado os primeiros contágios por transmissão interna. “Ninguém ainda havia entendido a virulência do vírus, e aquele era o espírito. Trabalho sete dias por semana para fazer minha parte, e aceito as críticas”, diz agora o prefeito.

Na época, o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte também, chegou a dizer que a vida devia “continuar”. Em 27 de fevereiro, o país contabilizava 650 casos do novo coronavírus. Agora são mais de 80 mil.

A campanha ‘Milão não para’ tem a mesma linha da lançada no dia 27 de março pelo governo brasileiro, sendo que a daqui diz que o “Brasil não pode parar”. Cada vez mais isolado politicamente, o presidente Jair Bolsonaro passou a defender que a quarentena que diversos governadores impuseram pelo país seja restrita aos grupos de risco (com informações de agências internacionais)

Categorias
Mundo

Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos

Por Franciane Miranda

A atividade humana no planeta ao longo dos anos provocou enormes impactos ao meio ambiente. As nossas ações foram responsáveis por emissões de gases que desencadearam o efeito estufa, causando alterações no clima mundial. Esta dura e preocupante realidade ascende o debate sobre a importância de preservarmos a natureza e frear as mudanças climáticas em nosso planeta. Em 2015, os líderes dos 193 países membros da Organização das Nações Unidas (ONU) se reuniram em Nova York para dialogar sobre os desafios globais e o que os governos poderiam fazer para erradicar ou limitar os impactos causados por nós. Assim, surgiram as 169 metas e os 17 objetivos, chamados de ODS, para transformar nosso mundo em um lugar melhor para todos os seres vivos.

O objetivo 13° para o desenvolvimento sustentável aborda o quanto é relevante planejar políticas nacionais e estratégias sobre a mudança do clima, adotando ações e reforçando a capacidade de cada nação se adaptar às catástrofes naturais decorrentes do clima. Promover estas estruturas com uma gestão eficaz nos países em desenvolvimento com atenção para as pessoas em situação de vulnerabilidade.

A ONU destaca o Fundo Verde para o Clima, uma ação global criada para atender às necessidades de mitigação e adaptação ao aquecimento do globo terrestre. A entidade ressalta o acordo firmado entre os países de primeiro mundo, no âmbito da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), que busca captar e compartilhar fundos para realizar projetos e tecnologias sustentáveis com o objetivo de estabilizar o acúmulo de gases do efeito estufa e, por sua vez, não prejudicar o sistema climático. O objetivo é captar US$ 100 bilhões ao ano para ajudar as nações em desenvolvimento que também sofrem os efeitos negativos.

Os governos possuem um papel fundamental para alcançar esta meta, melhorando através da educação e conscientização. Segundo informações da ONU, por meio de novas formas de comportamento e tecnologias podemos limitar o aumento da temperatura global para 2ºC acima dos níveis pré-industriais. O órgão destaca haver vários caminhos paliativos para conseguir baixar estas emissões, com chances superiores a 66% se todos os governos seguirem as expectativas para mudar esse cenário. É importante refletir que adiar estas medidas aumentará cada vez mais os desafios para diminuir o aquecimento relacionado a níveis pré-industriais.

Temperaturas mais quentes

De acordo com a ONU, nos últimos 800 mil anos o acúmulo de dióxido de carbono, metano e óxido nitroso aumentou drasticamente. O período pré-industrial, os combustíveis fósseis e o desmatamento do solo aumentaram em 40% as concentrações de dióxido de carbono. Pesquisas mostram que 30% do dióxido de carbono produzido pelos humanos deixaram o oceano mais ácido. Desde 1990, as emissões de dióxido de carbono aumentaram cerca 50% a nível global.

Os dados são preocupantes: desde 1979 o gelo do mar do Ártico descongelou 1,07 milhões de km² a cada dez. De 1901 a 2010 o aquecimento global e o derretimento das geleiras aumentaram o nível do mundial do mar 19 centímetros com a expansão dos oceanos. Entre 1901 e 2010, o nível do mar subiu 0,19 (0,17 a 0,21) metros. A partir da metade do século 19, este aumento superou a média dos últimos dois milênios.

A ONU também destaca que no hemisfério Norte, entre 1983 e 2012, as temperaturas foram as mais quentes nos últimos 1.400 anos. Desde 1850, a cada três décadas a última tem sido mais quente na superfície da Terra. As pesquisas revelam que de 1880 a 2012 a temperatura média do planeta subiu 0,85ºC. A previsão é que, se nada for feito até o final do século 21, a temperatura mundial aumente para 3ºC. Os trópicos e subtrópicos serão mais afetados e as populações mais pobres sentirão o reflexo desse aumento. Para conseguirmos alcançar mudanças mais concretas é necessário que todos façam sua parte e o planeta agradece.

Categorias
Nossa Ideia é

Vai passar, mas que a Humanidade aprenda a lição

Editorial

Bastou um microscópico ser vivo, o Covid-19 ─ que se alastra aos milhões pelos quatro cantos ─, para que a humanidade se colocasse de joelhos enquanto aguarda da comunidade médica uma cura para a doença. Cenários econômicos são derrubados um a um, inclusive os das grandes potências comerciais. Incertezas políticas surgem vertiginosamente e disputas mesquinhas perdem espaço. Até mesmo as fronteiras territoriais dos países, essas linhas imaginárias que separam homens e mulheres do planeta, são abolidas nos corações e mentes diante da pandemia. De fato, a dor uniu aquilo que jamais deveria ser apartado: a Humanidade.

O Diário do Rio se soma à esperança que a atual triste página da História vai passar. Acreditamos que conseguiremos, como raça humana, superar esse sofrimento. Mas, quando isso acontecer, vamos precisar de dedicação para reconstruir nossas vidas e, talvez o mais importante, nossa própria concepção sobre o que é viver. A enorme solidariedade que se revela nesse momento tão difícil é algo de valor incalculável, pois revela que conviver em sociedade é ajudarmos uns aos outros, dividindo o que se tem com quem não tem nada ou quase nada.

Vamos aproveitar os bons exemplos de agora, onde saltam aos olhos de muitos a multiplicação de boas ações, de altruísmo e do conforto emocional que isso nos traz. Mais que uma foto legal para ser postada nas redes sociais, essa solidariedade precisa ser uma prática comum no mundo pós-coronavírus.

Foi preciso um microscópico ser vivo para mostrar que desprezar o coletivo é algo por demais perigoso, inclusive para a sobrevivência de todos. Mas isso pode ser revertido, cada um saindo dessa crise como um ser humano melhor. Como já cantou Beto Guedes em ‘Sol de Primavera’, “a lição sabemos de cor, só nos resta aprender”.

Categorias
Política

Senador Flávio Bolsonaro volta a ser investigado pelo MP

A Justiça do Rio de Janeiro decidiu, em 23 de março, que o senador Flávio Bolsonaro continue a ser investigado pelo Ministério Público (MPRJ) pelos crimes de “rachadinhas”, que teria cometido no período em que atuou como deputado estadual. As suspeitas contra ele envolvem os crimes de peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Ele nega as acusações. A decisão é da desembargadora Suimei Cavalieri, da 3ª Câmara Criminal, a mesma que havia suspendido a investigação em 11 de março.

O pedido de suspensão partiu da defesa de Flávio, que alegou que os fatos são relativos ao tempo em que ele trabalhava na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e, por isso, deveriam ser analisados em segunda instância. No entanto, a desembargadora reconsiderou a decisão e citou que a pandemia de coronavírus suspendeu as sessões de julgamento até 31 de março, e então ela voltou atrás. A espera pela análise de outros desembargadores poderia fazer a suspensão do processo se perpetuar sem definição.