Categorias
Carnaval Cultura Destaque Notícias Rio Samba

Sávia David participa de ensaio da Beija-Flor abraçada pela comunidade de Nilópolis

Mesmo não desfilando esse ano na Beija-Flor de Nilópolis, Sávia David, rainha de bateria da Unidos de Vila Maria, de São Paulo, participou do último ensaio na quadra da azul e branco de Nilópolis. Amada pela comunidade, ela caiu nos braços do povo, embalada pelo samba.

Foto: Divulgação

Estar aqui, sentir esta energia é voltar há 14 anos, onde tudo começou, isso muito me emociona. Esse amor que recebo da comunidade recarrega as forças , me alimenta a alma.

Com desfile no mesmo dia e horário, a artista teve que optar pela apresentação no Anhembi na “Vila mais famosa de São Paulo”, onde vai levar com muita garra e samba no pé, a alegria contagiante da “Cadência da Vila”, regida pelo mestre Moleza, a premiadíssima bateria da escola. A diva garante que o coração estará nas duas escolas e a torcida também.

Tinha que estar aqui neste último ensaio e prestigiar essa escola que faz parte da minha história profissional e de vida. Toda minha torcida para os componentes, tenho certeza que será mais um desfile incrível.

Foto: Divulgação

O enredo da escola é “Empretecer o pensamento é ouvir a voz da Beija-Flor”, que exalta a memória e o trabalho intelectual do povo preto. Na quadra, o encontro de Sávia, com Selminha Sorriso e Pinah, dois ícones da escola, foi marcante.

Esse enredo tem muita força, fala de representatividade, de luta por direitos, fala da história do povo preto, de todos nós. É a nossa voz e a nossa vez. Selminha e Pinah são orgulho. Motivos não nos faltam para celebrar.

E tem melhor forma de comemorar do que junto com a galera? Foi o que Sávia fez, com muito abraço, afeto e, claro, samba e folia.

Categorias
Brasil Cultura Destaque Notícias Samba

Zeca Pagodinho e Cadência da Vila fazem show em São Paulo

Evento em prol dos projetos sociais da Unidos de Vila Maria promete muita animação na quadra da escola

Foto: Divulgação

Neste sábado (19/03), às 20h, o cantor Zeca Pagodinho se apresenta na quadra da Unidos de Vila Maria, em São Paulo. O show em prol dos projetos sociais da escola de samba, terá a participação de outros artistas como Canto de Rei, Naninha Cantor, Grupo Quintal da Vila e da bateria da “Vila mais famosa”, Cadência da Vila. A bateria vai abrir o evento, com a rainha Sávia David, agitando a galera.

 

Foto: Divulgação

O show está sendo organizado pela Premium Camarotes e os ingressos estão sendo vendidos online e na sede da escola.

SERVIÇO:

Zeca na Vila

Data: 19/03/2022

Horário: 20h

Local: Quadra da Unidos de Vila Maria

R. Cabo João Monteiro da Rocha, 448 – Jardim Japao, São Paulo

Ingressos no site

E na sede da escola de samba

Categorias
Arte Cultura Dança Destaque Rio Samba

Inscrições abertas para o Congresso Nacional do Samba

 O evento, marcado para acontecer no dia 02 de dezembro, trará quatro eixos temáticos com inscrições abertas para a apresentação de trabalhos.

A quinta edição do Congresso Nacional do Samba vai tratar da “genealogia” desse ritmo de matriz africana encontrado em várias regiões do país. Organizado pelo Laboratório de Preservação e Gestão de Acervos Digitais (LABOGAD) da UNIRIO, através do programa de extensão “Memorável Samba”, e o Centro de Referência e Informação em Artes e Cultura Brasileira (CRIAR), o evento será realizado no dia 02 de dezembro, Dia Nacional do Samba. Os interessados podem inscrever seus trabalhos até o dia 20 de setembro, podendo ser artigos acadêmicos, crônicas e performances em vídeo que estejam afinados com a missão de refletir sobre a genealogia, a cartografia e a cronologia dessa manifestação cultural brasileira.

O objetivo é reunir estudiosos, pesquisadores e praticantes em quatro eixos temáticos: “Batuques, Congadas e Músicas Sacras Afro-Brasileiras”, “Sambas Rurais”, “Sambas Urbanos Tradicionais” e “Sambas Urbanos Contemporâneos”. Cada um desses eixos têm uma infinidade de ritmos que compõem a Árvore Genealógica do Samba. Com transmissão pelo YouTube, o evento vai abrir inscrições no sistema de doação solidária no valor de R$ 30,00, com o objetivo de cobrir os custos mínimos da iniciativa. Embora seja aberto ao público, aqueles que desejarem receber o certificado de participação, precisam estar inscritos no Congresso, marcado para ocorrer das 8h às 20h, e pagar uma taxa simbólica de R$ 10,00, também destinado à parte operacional.

Para inscrever os trabalhos a serem apresentados durante o Congresso, os interessados devem acessar o site para se inscrever. Outras informações podem ser conferidas com o professor Jair Martins de Miranda, do LABOGAD, no e-mail jairmm@unirio.br. No site também é possível participar da enquete Família do Samba, destinada a alimentar a Árvore Genealógica do Samba e, com isso, criar uma memória social do samba, que envolvem os sambistas e suas obras. Por esse motivo, a enquete afetiva circula em torno de uma única pergunta: “Da grande família do samba no Brasil, quais sambas, sambistas e gêneros são mais familiares a você?”.

Retrocedendo na história

A primeira edição do Congresso Nacional do Samba foi organizada por um dos maiores etnólogos brasileiros, Edison Carneiro, em 1962. Criado com o objetivo de preservar as tradições do samba, entre elas, a autenticidade, o estilo e a adaptação, a iniciativa também visava garantir a evolução do gênero no futuro. Desse encontro surgiu a Carta do Samba, que não só garantia a perenidade da memória do ritmo trazido da África para o Brasil, como também valorizava as aspirações de estudiosos, sambistas, intérpretes, folcloristas e amantes desse ritmo.

Passados 50 anos, os professores da UNIRIO, Jair Miranda e Martha Tupinambá decidiram resgatar o importante encontro e nessa segunda edição emblemática, realizada em 2012, comemoraram o centenário de Edison Carneiro e o cinquentenário da Carta do Samba. Debates e homenagens às personalidades do gênero marcaram o encontro, ocorrido em modelo presencial no Palácio Pedro Ernesto e no Museu da República. Intitulado “50 Anos da Carta e do Dia Nacional do Samba” discutiu sobre o samba e o carnaval no contexto da economia criativa e como patrimônio cultural e imaterial do país, promovendo ainda uma revisão da Carta do Samba.

Desse tempo até hoje, já ocorreram mais duas edições: em 2014 e 2020. Essa última, em função da pandemia, foi realizada no formato on-line, enquanto a primeira teve o Museu de Arte Moderna como local do evento. Na terceira edição, a temática foi “Samba & Carnaval: atores, visões e realização” (2014) e “Genealogia do Samba” (2020), quando foram criados os eixos temáticos – Samba (Batuques, Congadas e Músicas Sacras AfroBrasileiras); Sambas Rurais; Sambas Urbanos Tradicionais, e Sambas Urbanos Contemporâneos