Categorias
Cultura Destaque Diário do Rio Notícias Notícias do Jornal

Três editais de quase R$ 1 milhão para artes cênicas e audiovisual são abertos no Rio

O Governo do Estado do Rio de Janeiro informou nesta semana que abriu, por meio da Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio de Janeiro (Funarj), três editais de estímulo à cultura com objetivo de beneficiar as artes cênicas e o audiovisual com recursos de quase R$ 1 milhão. Os interessados deverão fazer inscrições até o 7 de maio. Os cadastros podem ser feitos através do site da Funarj (www.funarj.rj.gov.br/editais/)

Dez obras teatrais nas modalidades adulto e infanto-juvenil de grupos, companhias e artistas independentes serão premiadas, cada uma com R$60 mil. Seis dos vencedores serão, preferencialmente, da Baixada Fluminense, informou o governo.

As montagens serão apresentadas nos teatros Glaucio Gill, em Copacabana; Arthur Azevedo, em Campo Grande; Armando Gonzaga, em Marechal Hermes; e Mário Lago, na Vila Kennedy. Todos são equipamentos culturais ligados à Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio.

Outro edital é voltado para a Produção de Curta-Metragem/Lab Curta e dará apoio financeiro de R$ 25 mil para cada um de 12 curtas de ficção, documentário ou animação. Do total, o governo informou que sete trabalhos serão provenientes da região da Baixada Fluminense.

Os premiados serão exibidos em um festival de cinema, a ser organizado na Casa de Cultura Laura Alvim, espaço da Funarj que fica localizado em Ipanema.

Enquanto isso, o Prêmio Funarj de Música ao Vivo selecionará 12 projetos de música ao vivo, de quaisquer gêneros musicais, feito por grupos, companhias ou artistas independentes de todo o estado do Rio de Janeiro.

O governo informou que cada um receberá R$ 7 mil. Em contrapartida, os projetos premiados deverão ser apresentados duas vezes no Teatro Mário Lago, espaço da Funarj em Vila Kennedy, na Zona Oeste.

Foto: Pixabay

Categorias
Cultura Destaque

Beto Coville, ator e diretor brasileiro vence prêmio de cinema em Los Angeles

O diretor da companhia Teatraço – Teatro Amador de Tabuaço, Beto Coville, venceu o prémio de melhor ator secundário, pelo desempenho no curta-metragem “A Margem”, de Rodrigo Tavares, no Indiex Film Festival, em Los Angeles. Beto que vive na conexão Brasil x Portugal, vem se destacando fortemente no universo do audiovisual.

O Festival tem por objetivo, a difusão e apoio a “projetos independentes, especialmente de baixo ou sem orçamento”, assim como a produções feitas em contexto escolar, “por alunos de cinema”, segundo o seu ‘site’. É organizado numa base bimestral, em Los Angeles, nos Raleigh Studios de Hollywood.

“É sempre gratificante ver o nosso trabalho reconhecido. Vindo de fora é uma sensação diferente, porque ninguém nos conhece e só levam em conta o nosso desempenho. Se nos premeiam é sinal de que gostaram realmente”, reagiu Beto Coville.

 

Foto: Divulgação

 

Sinopse

Mary é uma senhora humilde que abdicou de sua vida pessoal, em favor de seu irmão John, que vive em estado vegetativo após um acidente de infância.

Em meio às dificuldades impostas pela condição de seu irmão, ela se vê em um grande dilema:

Ela está doente e descobre que seu tratamento contra o câncer não foi eficaz. Sozinha e desamparada, Maria precisa decidir como lidar com João, incapaz de viver por conta própria.

O ator sublinhou ainda que “este filme é um trabalho de equipe” e, nesse sentido, partilha “o mérito” com Luísa Ortigoso e Rodrigo Tavares, sem esquecer o diretor de fotografia, Mário Melo Costa, e a estrutura da sua própria companhia, Teatraço.

Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca Colunas

Últimos dias para 4ª Edição do Festival 2ª BLACK

Foto: Caroline Lima

O Rio de Janeiro foi palco de um dos movimentos teatrais mais importantes da história do Brasil: O TEN – Teatro Experimental do Negro, idealizado por Abdias do Nascimento.  Após o surgimento do TEN, o teatro nacional não seria e não é mais o mesmo, pois ele fortaleceu e inspirou a criação de inúmeros movimentos teatrais que buscavam fomentar a arte negra a nível nacional e internacional, como os projetos: “A Cena tá Preta” (Salvador/BA), Segunda Preta (Belo Horizonte/MG) e Segunda Crespa (São Paulo/SP). O Rio de Janeiro também se tornou palco de mais um movimento que visa unir pensadores da arte negra, fomentando a ocupação de espaços como verdadeiros pontos de encontro com a realização da 2ª Black.

Para 2020, daremos continuidade a uma ocupação artística iniciada em 2018 de forma itinerante, que circulou por 03 espaços na cidade do Rio de Janeiro com mais de 100 artistas e um total de 43 performances apresentadas. As apresentações ocorrerão entre 06 e 17 de maio de 2020, em espaço cultural a ser divulgado em data posterior, sendo este sediado na cidade do Rio de Janeiro.

As linguagens artísticas e atividades contempladas neste edital são:

Teatro: Performances e experimentos teatrais, que envolvam um ou mais atores, nas linguagens  dramáticas, líricas ou épicas, podendo incluir elementos na linguagem audiovisual e abarcar os múltiplos gêneros: auto, comédia, drama, fantoche, musical, tragédia e tragicomédia.

Circo: números performáticos que envolvam malabares em geral, equilíbrio, intervenções com palhaços, acrobacias aéreas, clowns, parada de mão, báscula, antipodismo, mastro chinês, contorcionismo, mágicas, e outros que estejam no contexto circense.

Dança: números de dança, entendendo-se o uso do corpo seguindo movimentos previamente estabelecidos (coreografia) ou improvisados (dança livre). Podendo ser dança solo (ex.: coreografia de solista no balé, sapateado, samba); dança em dupla (ex.: tango, salsa, kizomba, valsa, forró etc); dança em grupo (ex.: danças de roda, sapateado, gavota), dança folclórica (ex.: catira, carimbó, reisado etc); dança histórica (ex.: sarabanda, bourré, gavota etc); dança cerimonial (ex.: danças rituais indianas); dança étnica (ex.: danças tradicionais de países ou regiões), dança cênica ou performática (ex.: balé, dança do ventre, sapateado, dança contemporânea); dança social (ex.: dança de salão, axé music, tradicional).

 

SEGUNDA BLACK consiste na realização de mostra NÃO competitiva de performances ou experimentos teatrais nas modalidades de artes cênicas adulto, tendo como objetivos: fomentar as artes cênicas e promover o intercâmbio entre grupos e público, além de destacar e divulgar novos talentos, promover atividades de formação e debates entre artistas e profissionais da área.

LINK DO FORMULÁRIO http://www.segundablack.com.br/