Categorias
Destaque Notícias Rio

Bar do Adão chega ao Carioca Shopping

Um dos mais tradicionais bares do Rio, o Bar do Adão inaugura loja no
Carioca Shopping, empreendimento administrado pela Aliansce Sonae na Zona Norte da cidade. Localizado no 2º piso do shopping, o espaço com 242,70 m² traz a nova identidade e conceito da rede.

De boteco tradicional no Grajaú para o topo da lista dos bares cariocas
de sucesso, o Bar do Adão é conhecido pelos melhores e mais saborosos pastéis do cenário nacional. A casa também traz no cardápio diversos pratos e petiscos deliciosos, além do chopp geladíssimo e de carta de drinks com um toque autoral.

O bar vive, neste ano de 2021, um momento especial de renovação e modernidade. Comemorando seu 30º aniversário, a casa traz um novo
Adão para o público, considerando todas as idades e gostos. A rede
conta com 16 lojas abertas e prevê a abertura de mais duas unidades
ainda este ano, aumentando dia a dia a família Adão.

Foto : Divulgação

É um orgulho e felicidade muito grande abrirmos nossa primeira loja com nova comunicação visual, podendo levar a experiência Bar do Adão completa para o Carioca Shopping. Ainda este ano, abriremos pelo menos mais duas filiais na cidade e seguimos com um plano robusto de expansão via lojas próprias e franquias – diz Mauricio Costa, CEO da rede.

Categorias
Destaque Política

Benedita “abraça” Casa de Parto na Zona Oeste e defende prioridade máxima à saúde da mulher

A candidata da coligação “É a Vez do Povo” à prefeitura do Rio de Janeiro, Benedita da Silva, promoveu nesta quarta-feira (21/10) um abraço simbólico na Casa de Parto David Capistrano, a única em atividade na cidade, em Realengo, na Zona Oeste. Ao lado de sua candidata a vice, a Enfermeira Rejane, ela falou de seus programas para atendimento e acolhimento da maior parcela da população da cidade. As gestantes terão atenção especial no governo Benedita, que planeja abrir mais casas de parto humanizado e criar um programa de educação perinatal para as grávidas.

No governo Crivella, o número de mulheres atendidas pelo programa “Cegonha Carioca” caiu em quase 20 mil, passando de 110.242 atendimentos, em 2016, para 91.044 em 2019. “É por isso que a gente precisa dar prioridade
à reconstrução da rede de apoio à saúde da mulher. No nosso governo, cuidar integralmente da saúde das mulheres será prioridade máxima, especialmente das mais pobres e negras”, disse Benedita.

Foto: Wagner Silva

A candidata garantiu que as unidades de saúde terão médicos ginecologistas e oncologistas à disposição das mulheres. Ela defendeu a compra de mamógrafos em massa para que nenhuma carioca tenha diagnóstico tardio
de câncer de mama. “Muitas famílias são destruídas quando a mulher descobre tarde demais que tem câncer de mama. Poderíamos poupar muitas vidas se a doença fosse diagnosticada mais cedo”, afirmou Rejane, que acompanhou Benedita pela Zona Oeste, assim como vários candidatos e candidatas à Câmara de Vereadores.

No abraço à Casa de Parto, Benedita conheceu Florence Daflon, de 5 anos, que nasceu na David Capistrano. Ela estava acompanhada da mãe, Cristiane, enfermeira que mora em Campo Grande, também na Zona Oeste. “Não há nada melhor para uma mãe que um parto humanizado como foi o meu aqui. Fui muito bem atendida antes, durante e depois do nascimento da Florence”, disse Cristiane. Alegre e saudável, a garotinha é o símbolo da saúde que Benedita quer ver no Rio a partir de primeiro de janeiro de 2021.

Categorias
Esportes

Ferj e clubes cariocas querem imediato retorno dos treinos de futebol

Por Sandro Barros

Os clubes cariocas ─ exceto Botafogo e Fluminense ─ e a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) iniciaram um apelo para convencer as autoridades do estado da possibilidade de que os treinos sejam retomados com segurança a todos os envolvidos. Através de uma nota de esclarecimento, divulgada em 8 de maio, as partes apresentaram argumentos e as iniciativas de higiene e distanciamento que seriam tomadas para viabilizar o retorno das atividades.

O movimento acontece em um momento em que há um aumento no número de casos do novo coronavírus no Rio de Janeiro e no Brasil, de maneira geral, o que pode dificultar a autorização. Além disso, dias antes o Flamengo realizou testes em 293 pessoas do clube, das quais 38 tiveram resultado positivo para a covid-19, incluindo três jogadores do time profissional. Números muito diferentes do que foi apresentado pelos clubes europeus que estão retomando suas atividades.

Os quatro grandes clubes do Rio divergem em relação ao retorno das atividades. Enquanto Flamengo e Vasco são a favor da volta o mais rápido possível, Fluminense e Botafogo entendem que o momento no estado é crítico para pensar em treinos presenciais. O presidente do Alvinegro, Nelson Mufarrej, explicou porque não apoiou a iniciativa. “É questão de coerência o nosso posicionamento público. Estamos próximos ao pico da pandemia com o sistema de saúde perto da asfixia e o que mais se fala é em lockdown”. O Fluminense também justificou a sua posição contrária, utilizando praticamente os mesmos argumentos do Botafogo.

A nota da Ferj menciona que “por inúmeros motivos os clubes desejam retornar as suas atividades o mais breve que lhes for possível e permitido, e estão prontos para reiniciar, em primeira fase, tão somente os treinamentos, de forma responsável, restrita, reduzida, sob vigilância, sem aglomerações ou presença de público e em obediência a um rigoroso protocolo médico de normas e procedimentos imperativos, sempre comprometidos com a preservação da integridade da saúde de todos os envolvidos e também em atenção às medidas de prevenção e combate à disseminação da covid”.

Retomada da Taça Rio

O retorno da Taça Rio ainda pendente de autorização dos governos municipal e estadual. No entanto, a Ferj discute um plano de ação para a retomada dos seus jogos, que inclui a utilização de apenas três estádios ─ Maracanã, Nilton Santos e São Januário ─ para a realização das últimas duas rodadas da competição.

As duas rodadas que faltam comportam 12 jogos ao total. As finais, a princípio, seriam realizadas no Maracanã. Os estádios também passariam por vistorias preliminares para higienização completa para as partidas, que obviamente, seriam realizadas com portões fechados, sem a presença de público.

A Federação também está avaliando o uso de profissionais dos clubes atuando como gandulas e maqueiros. A intenção é reduzir ao máximo o número de pessoas envolvidas nas partidas. Assim, massagistas, preparadores físicos ou fisioterapeutas que não trabalhem em determinada rodada poderiam auxiliar em outro jogo. E todos teriam que usar luvas, máscaras e álcool gel.