Categorias
Brasil Destaque Economia Notícias Política Rio Saúde

Paes sanciona Lei de prioridade a pessoas com deficiência para vacinas

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM) sancionou o projeto de lei que inclui pessoas com deficiência (PCD’s) entre os grupos que têm prioridade na hora da vacinação contra a Covid-19. O projeto pedia a alteração do calendário do Município, para que incluísse a classe na hora de vacinar, com prioridade.

Desta forma, a partir do dia 24 de abril, quando inicia-se a fase de pessoas com 60 anos, os PCD’s entrarão com essa prioridade na fila para se imunizar. A projeto foi do vereador Mario RIbeiro, que preside também a Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara Municipal, através da criação da PL 89/2021.

“Sabemos o quanto esse grupo é de risco. Essas pessoas não têm, muitas vezes a condição de se prevenir. Não tem condição de usar máscara, não consegue controlar o uso das mãos, muitas delas com doenças e comorbidades. Se pegar o coronavírus, tem muitas chances de pegar a parte mais severa da doença. Por isso, a necessidade desse projeto”, afirmou Ribeiro.

A Lei foi publicada no Diário Oficial do Município na edição de quinta-feira (8) e agora as partes todas se reúnem para determinar a melhor maneira de alterar o calendário para a entrada de PCD’s com prioridade até a data de 24 de abril

Categorias
Brasil Destaque Notícias Política Saúde Social

Covid-19: governo anuncia distribuição de mais 4,4 milhões de vacinas

Da Agência Brasil

O Ministério da Saúde informou que, a partir de hoje (8), entregará mais um lote de vacinas da covid-19 a todas unidades federativas para reforço da campanha de imunização. Acrescentou que 4,4 milhões de doses serão entregues “de forma proporcional e igualitária”.

Desse total, 2 milhões serão de vacinas da CoronaVac produzidas pelo Instituto Butantan, e 2,4 milhões serão da AstraZeneca/Oxford, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Todas essas doses foram produzidas no Brasil com matéria-prima importada.

“As doses serão destinadas para vacinação de trabalhadores da saúde, idosos entre 65 e 74 anos, forças de segurança e salvamento e Forças Armadas que atuam na linha de frente do combate à pandemia”, informou, por meio de nota, o Ministério da Saúde.

Parte das vacinas será destinada para a primeira dose dos agentes das forças de segurança e salvamento, Forças Armadas e idosos entre 65 e 69 anos.

As demais vacinas têm como destino a segunda dose a ser aplicada em trabalhadores da saúde e idosos entre 70 e 74 anos, de forma a garantir a aplicação conforme o tempo recomendado de cada imunizante (quatro semanas para a vacina do Butantan e 12 semanas para as doses da Fiocruz).

Categorias
Destaque Notícias Saúde

Covid-19: Rio inicia vacinação de idosos a partir de 79 anos

Uma nova etapa de vacinação contra a COVID-19 foi iniciada no Rio de Janeiro. Desta segunda (01) até a quarta-feira (03), idosos com 79 anos serão vacinados, além de profissionais de saúde com 60 anos ou mais e os acima de 80 que perderam seu dia de vacinação.

Conforme calendário de imunização, o atendimento nesta segunda vai do meio-dia às 17h. Já na enquanto que na terça-feira (2) e na quarta-feira (3), acontecerá das 8h às 17h.

A imunização acontece em clínicas da família, centros municipais de saúde, além dos postos montados no Planetário da Gávea, no Museu da República (Catete), no Tijuca Tênis Clube e na Igreja Nossa Senhora do Rosário (Leme).

“A gente já inicia a faixa dos 70, vacinando na segunda, terça e quarta as pessoas com 79 anos, que já podem procurar uma unidade de saúde para se vacinar. A recomendação da secretaria é para as pessoas irem se vacinar no período da tarde, evitar a manhã, que é quando as unidades costumam ficar mais cheias. O tempo médio de espera pela vacinação não excede 15 minutos”,  disse o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

Conforme a prefeitura, o município do Rio encerrou o mês de fevereiro com todas as faixas de idade acima dos 80 anos vacinadas com pelo menos uma dose da CoronaVac ou da Oxford/AstraZeneca.

O prazo para a segunda dose depende de qual das duas vacinas foi utilizada. Para saber quando retornar ao posto de vacinação para tomar a segunda dose, a pessoa precisa conferir a data anotada a lápis em sua caderneta ou comprovante de vacinação. Para os idosos acamados que pediram a aplicação da vacina em casa, as unidades de saúde seguem o cronograma de visitas e, segundo a prefeitura, todos serão atendidos dentro de até 30 dias da solicitação.

 

Categorias
Destaque Notícias Rio Saúde

Zagallo é vacinado contra a Covid-19 aos 89 anos no Rio

O ex-técnico da Seleção Brasileira Mario Jorge Lobo Zagallo, de 89 anos, tomou a vacina contra a covid-19 nesta segunda-feira (8) no Rio de Janeiro. Ele foi imunizado com a primeira dose da Coronavac no drive-thru do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, e deverá tomar a segunda dose em 28 dias.

Em suas redes sociais, Zagallo comemorou a imunização. “Hoje foi dia de ir tomar a vacina do COVID. A primeira dose ja foi!”, postou ele no Instagram, como legenda da foto em que aparece sendo vacinado dentro de um carro.

Um dos ícones do futebol brasileiro, Zagallo tem quatro títulos mundiais pela Seleção: dois como jogador, nas Copas de 1958 e 1962, um como treinador, em 1970, e outro como coordenador técnico, em 1994.

Vacinação de idosos

A vacinação para idosos com idades a partir de 85 anos começou nesta segunda-feira no Rio, de forma escalonada.

A imunização foi iniciada hoje pelas pessoas com 89 anos. Na terça-feira (9), será a vez das pessoas com 88 anos, e assim sucessivamente, reduzindo a idade por ano a cada dia, conforme foi feito na semana passada. No sábado, 13, será o dia de vacinar quem não puder ir durante a semana.

Pontos de vacinação

Segundo a prefeitura, além das 236 clínicas da família e centros municipais de saúde, a vacinação está sendo realizada no sistema drive-thru, durante a semana nos postos da Uerj e Parque Olímpico, das 9h às 15h (o posto também faz vacinação tradicional para pedestres).

Aos sábados, acontece, de 8h ao meio-dia, nas policlínicas Lincoln de Freitas Filho (Santa Cruz) e Guilherme Manoel da Silveira (Bangu); no CMS Belizário Penna (Campo Grande); no Sambódromo, na Cidade Universitária e no campus da UFRJ, em Botafogo; no Parque Madureira; no Estádio do Engenhão; e no Parque Olímpico.

A Uerj é o único posto que só funciona durante semana. É importante que os idosos levem documentos de identidade e, se possível, cadernetas de vacinação.

A recomendação para vacinação de idosos restritos ao leito (acamados) é procurar no serviço “Onde Ser Atendido” a unidade de referência e entrar em contato. É possível ainda solicitar o agendamento pelo e-mail: agendamentovacinacovid@rio.rj.gov.br.

Categorias
Destaque Rio Saúde

Rio inicia vacinação para idosos a partir dos 89 anos

 

Começou nesta segunda-feira, 8 de fevereiro, a semana de vacinação contra a Covid-19 para os idosos de 85 a 89 anos., começando pelas pessoas  de 89, na segunda, e reduzindo a idade por ano a cada dia, conforme foi feito na semana passada. E no sábado, 13, será o dia de vacinar quem não pôde se imunizar durante a semana.

Além das clínicas da família e centros municipais de Saúde da Cidade do Rio, houve neste sábado, dia 06,  vacinação em postos drive-thru na Cidade Universitária, na Ilha do Fundão; no CMS Belizário Penna, em Campo Grande; no CMS Manoel Guilherme da Silveira, em Bangu; no Engenhão, em Engenho de Dentro; no Parque Madureira; no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca; na Policlínica Lincoln de Freitas Filho, em Santa Cruz; no Sambódromo, em Santo Cristo; e na UFRJ, na Praia Vermelha.

Com exceção dos postos da UERJ e do Parque Olímpico, que estão abertos , vacinando, de segunda a sábado, os demais funcionam somente aos sábados, das 8 às 12 horas.

Categorias
Destaque Rio Séries

Rio começa a vacinar idosos em geral a partir da próxima segunda-feira, 1º de fevereiro

 

Chegou a  hora e a vez dos idosos. A partir da próxima segunda-feira,  1º de fevereiro, o do Rio vai vacinar idosos da população em geral, a partir de 99 anos Há uma escala e cada idade será vacinada em um dia. Os que não conseguirem ir no dia determinado poderão se dirigir aos postos de saúde da cidade no sábado, que será  o dia da ‘repescagem’.

Esta semana, a prefeitura segue fazendo a vacinação somente os profissionais da párea de saúde com mais de 60 anos. Portanto, fica a determinação de  o público em geral não procurar os postos até o sábado (30).

O secretário municipal O de Saúde do Rio, Daniel Soranz, anunciou as fases definias e todas as datas que a imunização seguirá.:

Confira o calendário:

Primeira semana

  • Pessoas com 99 anos ou mais: segunda (1);
  • 98 anos: terça (2);
  • 97 anos: quarta (3);
  • 96 anos: quinta (4);
  • 95 anos: sexta (5);
  • Repescagem para quem tem 95 anos ou mais: sábado (6).

Segunda semana

  • 94 anos: dia 8 (segunda);
  • 93 anos: dia 9 (terça);
  • 92 anos: dia 10 (quarta);
  • 91 anos: dia 11 (quinta);
  • 90 anos: dia 10 (sexta);
  • Repescagem para quem tem 90 anos ou mais: dia 11 (sábado).

Terceira semana

  • 89 anos e repescagem para quem tem mais: dia 15 (segunda);
  • 88 anos: dia 16 (terça);
  • 87 anos: dia 17 (quarta);
  • 86 anos: dia 18 (quinta);
  • 85 anos: dia 19 (sexta);
  • Repescagem para quem tem 85 anos ou mais: dia 20 (sábado).

Quarta semana

  • 84 anos: dia 22 (segunda);
  • 83 anos: dia 23 (terça);
  • 82 anos: dia 24 (quarta);
  • 81 anos: dia 25 (quinta);
  • 80 anos: dia 26 (sexta);
  • Repescagem para quem tem 80 anos ou mais: dia 27 (sábado).

Fotos: Reprodução

 

Categorias
Notícias do Jornal TV & Famosos

Jorge Aragão é internado com Covid-19

A assessoria de Jorge Aragão confirmou para a Quem que o sambista está reagindo bem ao tratamento da pneumonia viral, causada pela Covid-19. O cantor está internado desde o dia 13 de outubro em um hospital particular do Rio de Janeiro.

“A assessoria do cantor e compositor Jorge Aragão confirma que ele deu entrada no hospital, no dia 13 de outubro, sendo diagnosticado com pneumonia viral, Covid-19. Ele apresenta um quadro estável, boa resposta ao tratamento clínico e segue consciente, com previsão de alta nos próximos dias. Jorge agradece ao carinho de todos e em breve estará apto para cumprir a agenda de shows”, informou o assessor.

Categorias
Destaque Saúde

Morre aos 28 anos de idade, voluntário brasileiro que participava dos testes da vacina contra Covid-19 em Oxford

O médico brasileiro João Pedro Feitosa voluntário dos testes clínicos da vacina desenvolvida pela Universidade Oxford e pelo laboratório AstraZeneca, morreu por complicações de covid-19 na última quinta-feira (15), segundo informou o jornal O Globo nesta quarta (21).

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) foi informada oficialmente da morte nesta segunda (19). Até o momento, não foi divulgado se o voluntário recebeu uma dose placebo ou uma dose do imunizante desenvolvido pelo laboratório.

O médico voluntário tinha 28 anos e, desde março, participava do atendimento de pacientes infectados pelo novo coronavírus em UTIs e emergências de um hospital privado e em outro da rede municipal no Rio de Janeiro. João Pedro não tinha comorbidades e, segundo o jornal O Globo, tomou uma dose da AstraZeneca/Oxford no fim de julho. Ele ficou doente em setembro, o quadro se agravou e ele morreu no mês de outubro.

Ex-aluno de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde se formou em 2019, ele era muito querido por colegas e professores.

Investigação
A Anvisa informou que o caso está sob investigação. O Comitê Internacional de Avaliação de Segurança sugeriu o prosseguimento dos estudos com a vacina.
Em nota, a Anvisa disse que “com base nos compromissos de confidencialidade ética previstos no protocolo, as agências reguladoras envolvidas recebem dados parciais referentes à investigação realizada por esse comitê, que sugeriu pelo prosseguimento do estudo. Assim, o processo permanece em avaliação.”
Com informações: Correio2hh

Categorias
Destaque Saúde

Nitazoxanida reduz carga viral de pacientes com covid-19, diz pesquisa

O estudo clínico sobre o uso do medicamento nitazoxanida em pacientes na fase precoce da covid-19 demonstrou eficácia no tratamento da doença, reduzindo a carga viral das pessoas infectadas. O anúncio ocorreu durante cerimônia no Palácio do Planalto, com a participação do presidente Jair Bolsonaro.

A pesquisa foi iniciada pelo Laboratório Nacional de Biociências, em Campinas (SP), que integra o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM, )instituto vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). O laboratório ficou responsável pelos estudos in silico (computadores) e in vitro (laboratório com células infectadas). A fase de ensaios clínicos foi responsabilidade de outros centros da Rede Virus, ligada ao MCTI.

O titular da pasta, ministro Marcos Pontes, celebrou o resultado positivo. “O que eu posso dizer é que nós temos agora um medicamento comprovado cientificamente que é capaz de reduzir a carga viral. Com essa redução da carga viral, significa que reduz o contágio nas pessoas que tomam o medicamento nos primeiros dias, reduz a capacidade de contágio e diminui a probabilidade dessa pessoa aumentarem os sintomas, ir para o hospital e falecer”, disse.

O pontapé da pesquisa foi dado com a análise de 2 mil drogas, testadas com inteligência artificial, para verificar se poderiam inibir os efeitos do vírus Sars-Cov-2, causador da covid-19 no organismo humano. Os estudos no Laboratório Nacional de Biociências chegaram a cinco drogas, que foram para uma segunda fase, que era o teste in vitro feito com células humanas infectadas. Neste teste, o fármaco nitazoxanida, que é um vermífugo muito conhecido no país, apresentou 94% de capacidade de inibir o novo coronavírus.

Testes em humanos
Foi só após estas etapas que os testes em humanos foram iniciados, com mais de 1,5 mil pacientes voluntários, que tinham até três dias de sintomas e foram acompanhados em sete diferentes unidades hospitalares do país.

Nesta fase, de acordo com a coordenadora do estudo clínico, Patrícia Rocco, foram feitos testes duplo cego, quando nem o paciente e nem o médico sabem qual a medicação está sendo tomada, e randomizados, quando os pacientes são distribuídos aleatoriamente em dois grupos, um que recebe o medicamento e outro que recebe um placebo. A dose oferecida era de 500 miligramas da nitazoxanida, três vezes ao dia, ou o placebo durante cinco dias.

“Esses pacientes eram acompanhados de forma remota até sete dias após a terapia. Constatamos que a nitazoxanida, em comparação com o placebo, acarretou, ao final da terapia, redução significativa da carga viral e um maior número de pacientes com resultado negativo para o Sars-Cov-2″, disse a médica, que é professora titular e chefe do Laboratório de Investigação Pulmonar do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Segundo Patrícia, esse resultado é de extrema importância, pois a nitozoxanida é um remédio de baixo custo e ampla distribuição, podendo ser usada de forma oral, e que não precisa de internação hospitalar. “Na dose utilizada, não apresentou reações adversas graves. A redução da carga viral implica em menor gravidade, em menor transmissibilidade do vírus”, disse Patrícia. A pesquisadora ressaltou que o estudo foi enviado para publicação em uma revista científica internacional e deverá ser revisado por outros cientistas.

Não é profilático
O ministro Marcos Pontes disse, durante seu discurso, que o medicamento não pode ser usado por quem não apresenta sintomas da doença, mas apenas para pessoas na fase inicial da infecção. “Não é profilático, não é para prevenção. É só depois da detecção do vírus”, disse.

O presidente Jair Bolsonaro também comemorou o resultado da pesquisa e destacou a eficácia da nitazoxanida no tratamento da covid-19.

“Através das observações, através de pessoas que concretamente usaram esse medicamento e foi constatado, na ponta da linha, que a carga viral diminuía. E dessas pessoas que usaram esse medicamento, nenhuma delas sequer foi hospitalizada”, afirmou.

Vacina obrigatória
Ainda durante a cerimônia, o presidente voltou a dizer que a vacina contra a covid-19 não será obrigatória no Brasil. Bolsonaro afirmou que cabe ao Ministério da Saúde definir as normas do Programa Nacional de Imunização.

“Tem uma lei de 1975 que diz que cabe ao Ministério da Saúde o Programa Nacional de Imunização, ali incluídas possíveis vacinas obrigatórias. A vacina contra a Covid, como cabe ao Ministério da Saúde definir esta questão, ela não será obrigatória”, disse. O presidente também afirmou que qualquer vacina contra o vírus terá que ter sua eficácia científica comprovada e ser autorizada previamente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Categorias
Destaque Rio

Rio reinicia hoje aulas para alunos do terceiro ano do ensino médio

As escolas estaduais do Rio de Janeiro reiniciam hoje (19) as aulas presenciais para alunos do terceiro ano do ensino médio e do quarto módulo de educação de jovens e adultos (EJA). A volta será opcional para os estudantes e ocorrerá apenas nos municípios onde a prefeitura não fizer nenhuma oposição a atividades presenciais escolares.

As aulas serão retomadas em 416 escolas localizadas em 16 municípios do estado do Rio e 63 mil alunos são esperados.

As aulas presenciais de todas as redes de ensino foram suspensas em março deste ano por causa da pandemia de covid-19. As escolas particulares já haviam recebido autorização para retomar as atividades presenciais no início de setembro.

Os alunos de ensino fundamental, dos dois primeiros anos do ensino médio e dos primeiros módulos de EJA continuarão com aulas remotas. Já os estudantes de ensino médio e do quarto módulo de EJA poderão optar pelo ensino remoto ou presencial.

A ideia é que esses estudantes possam concluir seus estudos a tempo de participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em janeiro de 2021.