Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias

Mais de 700 kg de carne imprópria para consumo são apreendidos em estabelecimento em Duque de Caxias

Mais de 700 quilos de carne (carcaças e cortes) impróprios para o consumo foram apreendidos em um estabelecimento localizado no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

No local foram encontrados alimentos sem etiqueta lacre e data de validade, além de produtos em condições inadequadas ao consumo.

A ação foi realizada por fiscais da Defesa Agropecuária, da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento. Todos os produtos foram inutilizados e o estabelecimento autuado, na segunda-feira (12).

De acordo com André Sampaio, coordenador estadual de Controle de Qualidade de Produtos Agropecuários da Secretaria de Agricultura, esse trabalho da fiscalização é uma rotina com o objetivo de avaliar as condições higiênico-sanitárias dos estabelecimentos e dos produtos de origem animal em produção.

“Os fiscais do Serviço de Inspeção Estadual fazem vistorias periódicas em indústrias de processamento de produtos de origem animal e avaliam vários requisitos a fim de garantir a qualidade dos alimentos que são produzidos. Se verificada alguma irregularidade, os produtos são descartados e os responsáveis autuados. A autuação gera multa e, ainda, a possibilidade de interdição do estabelecimento”, afirmou.

A Defesa Agropecuária alerta que é importante que o consumidor esteja atento e só consuma produtos de origem animal que tenham o símbolo de registro de um dos Serviços de Inspeção Oficiais: SIM, SIE, SIF ou SISBI. Esse registro é a garantia de que esses estabelecimentos são fiscalizados e que cumprem as normas sanitárias vigentes.

Foto: Divulgação.

Categorias
Destaque Notícias

4 clínicas são interditadas e 6 pessoas detidas por exercício ilegal da profissão de médico

Uma operação deflagrada para apurar denúncias de exercício ilegal da profissão de médico em quatro clínicas oftalmológicas acabou com seis pessoas detidas Duque de Caxias. Conforme a investigação, nas clínicas eram realizados exames e consultas por técnicos em optometria. Os quatro locais vistoriados foram interditados e as seis pessoas, conduzidas à delegacia para prestar esclarecimentos.

A ação foi realizada na quarta-feira (17) por Fiscais do Procon Estadual do Rio de Janeiro, em conjunto com a Delegacia do Consumidor da Polícia Civil.

Todos os locais foram interditados pela mesma razão: realização de consultas e exames que só poderiam ser feitos por médico especializado em oftalmologia e não por optometrista – profissional habilitado apenas para confeccionar óculos e lentes, de acordo com a prescrição médica.

Além disso, em uma das clínicas, a técnica em optometria, que atendia pacientes no local, estava com o registro vencido desde 2013.

Em todas elas os agentes encontraram equipamentos como cadeira optométrica, autorrefratores, caixas de prova com as lentes de diversos graus, oftalmoscópio, fichas receituárias, além de equipamentos de conferência do grau dos óculos.

Alguns locais contavam com sala de espera com fila para atendimento e sala de exames, e não possuíam documentação necessária ao funcionamento. Dos seis detidos pela polícia, quatro eram técnicos em optometria, uma era recepcionista e uma pessoa era responsável por captar clientes. Eles não tiveram as identidades divulgadas.

Categorias
Destaque Notícias

Restaurante popular é reinaugurado em Duque de Caxias com almoço a R$ 1

O Restaurante do Povo que fica em Duque de Caxias foi reinaugurado após passar por uma reforma. O espaço, que estava fechado desde 2016 e foi totalmente reformado, passa a servir 2 mil refeições por dia pelo valor de R$ 1 o prato. Já o café da manhã custa R$ 0,50.

O restaurante foi aberto em um espaço que estava fechado desde 2016 e foi totalmente reformado.

Restaurante serve almoço a R$ 1 e café da manhã por R$ 0,50. (Foto: Divulgação)

A inauguração, na quinta-feira (4) foi feita pelo governador em exercício do Rio, Cláudio Castro, ao lado do ao lado do prefeito da cidade, Washington Reis.

“Vivemos um momento muito específico da nossa História e não podemos deixar de apoiar principalmente aquele que passa fome. Essa parceria com a prefeitura vai beneficiar milhares de pessoas. Reinauguramos o antigo Restaurante Popular. O objetivo é inaugurar outros pelo Estado nos próximos meses”, disse Castro.

“Vamos oferecer refeições balanceadas e nutritivas para todos a um preço acessível. Além disso, o lugar está totalmente reformado e pronto para receber a população de maneira segura e confortável”, declarou o prefeito da cidade.

Categorias
Rio

Duque de Caxias tem até o dia 8 para abrir novos leitos de hospital

A Justiça determinou que o estado do Rio de Janeiro e o município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, têm até o dia 8 de junho para abrir 73 novos leitos hospitalares na cidade e até o dia 21 para implantar mais 91. Segundo a decisão do desembargador Wagner Cinelli, da 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ), foi considerada a alta taxa de mortalidade no município por covid-19.

Dados da Secretaria Estadual de Saúde mostram que ontem (2) Duque de Caxias ocupava a quinta posição entre as cidades com mais casos de covid-19 no estado, com 1.584 confirmados, e o segundo lugar em número de mortes, com 254, atrás apenas da capital, que tinha registrado 3.828 óbitos.

A determinação ampliou os prazos da liminar concedida em primeira instância pela juíza Amélia Regina Pinto, da 7ª Vara Cível de Duque de Caxias, que se baseou no número de leitos previstos no Plano Estadual de Emergência para o novo coronavírus.

Segundo a decisão, a secretaria previu, até 30 de abril, um hospital de campanha em Duque de Caxias, com 160 leitos gerais e 40 leitos de CTI. “A hipótese, portanto, é de descumprimento pelo estado do Rio de Janeiro de uma política pública por ele mesmo traçada para o enfrentamento da epidemia na Baixada Fluminense”, diz o texto do desembargador.

A juíza Amélia Regina Pinto determinou também que o município de Duque de Caxias informe, no prazo de dois dias, quantos leitos de CTI e de enfermaria estão disponíveis para ocupação por pacientes com covid-19 e atualize diariamente o cadastro dos pacientes que esperam por um leito hospitalar.

O hospital de campanha de Duque de Caxias é um dos que sofreram atrasos na entrega e teve a gestão assumida pelo governo do estado, em decreto publicado hoje (3).

A prefeitura de Duque de Caxias anunciou ontem que fez uma parceria com o governo do estado para abrir 56 leitos dedicados a pacientes de covid-19 no quarto andar do Hospital Municipal Dr. Moacyr do Carmo. A ala será administrada pela SES.

No início de maio, a prefeitura inaugurou o Hospital Municipal São José, exclusivo para pacientes de covid-19, com 128 leitos.

Com informações da Agência Brasil

Categorias
Rio

Jovem de 17 anos que morreu de Covid-19 foi tratada com cloroquina

A Secretaria Municipal de Saúde de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, informou nesta sexta-feira (17) que a estudante Kamilly Ribeiro, de 17 anos, foi tratada com cloroquina enquanto esteve internada. Kamilly morreu na última terça-feira (14) de complicações decorrentes do Covid-19. Mais jovem pessoa no estado do Rio de Janeiro a falecer após contrair o coronavírus, a estudante passou 20 dias internada na UTI do hospital Moacyr do Carmo, em Duque de Caxias.

Segundo um boletim médico do hospital, a cloroquina foi administrada na dosagem recomendada pelo Ministério da Saúde. A hidroxicloroquina não tem eficácia comprovada para curar o Covid-19 ─ ainda está em fase de testes e sua prescrição é desaconselhada por especialistas da área, inclusive pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A mãe de Kamilly, a dona de casa Germaine Ribeiro dos Santos, de 43 anos, também está internada. Ela e a filha apresentaram sintomas no mesmo dia e foram internadas no dia 22 de março em uma unidade de saúde de Xerém, na Baixada. Dois dias depois, Germaine e Kamylle foram transferidas para Caxias e permaneceram em isolamento.

Hospital Moacyr do Carmo / Foto: Google Maps

Quarentena tardia

O município de Duque de Caxias foi o último a decretar a quarentena para a população e o fechamento de estabelecimentos comerciais, mesmo quando o já registrava cinco mortes pela covid-19, segundo dados do Ministério da Saúde. Até a tarde da última quinta-feira (16), o boletim epidemiológico contabilizava 30 mortes, 405 casos suspeitos notificados, 103 casos descartados e 129 casos confirmados.

O prefeito Washington Reis (MDB) chegou a se negar a decretar o fechamento das igrejas pelo período da quarentena, afirmando em vídeo que “a cura virá de lá”. Dias depois, ele teve resultado de teste positivo para a covid-19 e se internou em um hospital particular da zona sul do Rio.

Baixada vulnerável

Um estudo elaborado pela Fundação Perseu Abramo que combina índices como densidade demográfica, mercado de trabalho, infraestrutura sanitária e serviços de saúde concluiu que São João de Meriti, também na Baixada Fluminense, é a cidade brasileira mais vulnerável ao alastramento do coronavírus.

“Apesar de possuir subíndice de saúde da população e de infraestrutura sanitária acima da média brasileira, seus indicadores de alta densidade demográfica e de precárias condições no mercado de trabalho local a colocaram nesta situação de maior risco”, informa um trecho do documento.

Entre os 10 municípios com maior risco na lista, estão ainda Nilópolis e Belford Roxo, também na região. São Gonçalo e Mesquita aparecem na lista dos 30 municípios mais vulneráveis em todo o Brasil, na 15º e a 21º posição, respectivamente.

Com informações do Brasil de Fato

Categorias
Destaque Rio

Washington Reis, testa positivo para coronavírus

Washington Reis, do MDB, atual prefeito de Duque de Caxias, está internado desde o sábado, numa unidade intensiva em um Hospital particular, na zona sul da capital, onde o teste foi realizado.

A cidade de Duque de Caxias demorou a colocar em prática medidas de isolamento social.  As Regras de fechamento do comércio só foram publicadas em decreto no dia 31 de março, com mais de uma semana de atraso em relação à capital e outras cidades do estado.

Prefeito inicialmente defendeu que as igrejas deveriam ficar abertas, mesmo com o decreto do governo do estado, que proibiu qualquer tipo de evento que gerasse aglomerações de pessoas. Duque de Caxias tem 81 casos do novo coronavírus com 16 mortes.

 

Categorias
Destaque Saúde

Washington Reis, Prefeito de Duque de Caxias é internado

O prefeito da cidade da Baixada Fluminense apresenta sintomas de um forte resfriado desde a última quarta-feira, e já havia testado negativo para covid-19 em dois exames.

“Com a continuidade dos sintomas respiratórios, por recomendação da equipe médica que o acompanha rotineiramente, Washington Reis procurou o hospital para realizar uma série de exames”, diz a nota da prefeitura, segundo a qual o estado de saúde do prefeito é estável.

Duque de Caxias é uma das maiores cidades da Baixada Fluminense e também um dos municípios que mais confirmaram casos de infecção pelo novo coronavírus.

Segundo balanço de ontem da Secretaria Estadual de Saúde, a cidade é a quarta em número de casos, com 62 diagnósticos confirmados. Somente ontem Duque de Caxias registrou sete mortes pela doença e o total de óbitos praticamente dobrou, chegando a 15. Apenas a capital tem um número maior de mortes confirmadas, com 92.