Categorias
Brasil Destaque Diário do Rio Economia Notícias

Pequenas empresas são responsáveis por 76% dos novos empregos

Uma pesquisa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) mostra que as micro e pequenas empresas seguem como as principais geradoras de novas vagas de emprego. De acordo com levantamento, feito com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o setor foi responsável por 76% das vagas de emprego no país. Os dados correspondem ao mês de novembro de 2021. 

Na avaliação do Sebrae, há 15 meses seguidos os pequenos empresários geram a maioria das vagas de emprego no Brasil. A média mensal do período é superior a 70% de participação na criação de novas vagas.

O comércio foi responsável pela abertura de 116,7 mil postos, seguido pelos setores de serviços (98,7 mil), construção (16,7 mil) e indústria (15,2 mil).

No caso das empresas de médio e grande porte, o maior número de postos de trabalho foi gerado nas firmas do setor de serviços (80,8 mil vagas), seguido pelo comércio (21,3 mil). A agropecuária, indústria e a construção apresentaram saldo negativo de criação de novas oportunidades.

 

Agência Brasil

Foto: Rovena Rosa/ Agência Brasil

Categorias
Brasil Destaque Meu Emprego Notícias Rio

Inscrições para recenseador e agente censitário do IBGE terminam nesta quarta-feira

Da Agência Brasil

O período de inscrições no processo seletivo para trabalhar como recenseador e agente censitário no Censo Demográfico 2022 termina nesta quarta-feira (29). São 206.891 vagas temporárias para todo o país, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que realizará a pesquisa.

Os interessados podem se inscrever até as 16h desta quarta-feira pelo site da FGV Conhecimento. As provas serão no dia 27 de março de 2022.

A maioria das vagas (183.021) é para recenseadores, ou seja, o profissional que aplicará os questionários, presencialmente ou por telefone, aos cidadãos que vivem no país. O salário varia de acordo com a produção do trabalhador. A taxa de inscrição é de R$ 57,50.

Para ter uma ideia da remuneração, basta acessar o simulador do IBGE. A previsão do contrato de trabalho é de três meses.

Também estão sendo oferecidas 18.420 vagas para agente censitário supervisor, que é o responsável por supervisionar o trabalho dos recenseadores, e 5.450 para agente censitário municipal, que é o responsável pelas coletas em cada município.

O salário do agente supervisor é de R$ 1.700 e o do agente municipal é de R$ 2.100, ambos têm jornada de 40 horas semanais (oito horas diárias). A taxa de inscrição é de R$ 60,50.

Outros cargos

O IBGE também está fazendo concurso para selecionar 1.781 agentes censitários de administração e informática, com salário de R$ 1.700, e para 31 coordenadores censitários de área, com remuneração de R$ 3.677,27. As inscrições terminam em 10 de janeiro e podem ser feitas no site do Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação.

Categorias
Brasil Destaque Economia Notícias Notícias do Jornal Política

Investimentos futuros vão garantir mais empregos e crescimento no país

O ministro da Economia, Paulo Guedes, reconheceu que o nível da inflação é um problema para o país, mas ponderou que existe uma onda de investimentos futuros que vão garantir mais empregos e crescimento da economia brasileira. Guedes deu a declaração após leilão da Segunda Rodada de Licitações dos Volumes Excedentes da Cessão Onerosa, no regime de partilha da produção, realizado nesta sexta-feira (17) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), no Windsor Barra Hotel, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. No certame foram oferecidos dois blocos no pré-sal na Bacia de Santos: Sépia e Atapu.

“É verdade que temos dificuldades e a inflação está subindo, que o Banco Central tem que combater a inflação e aumentar os juros. Isso desacelera, mas se um lado temos este retorno de dificuldade, de outro temos esse retorno de uma enorme plataforma de investimentos sendo formada no Brasil. Petróleo, gás natural, mineração conduzidos pelo nosso ministro Bento Albuquerque e isso tudo é garantia de investimento futuro. É garantia de crescimento e mais recursos”, apontou.

Guedes destacou que com os leilões da primeira e segunda rodadas, houve um aumento de transferências voluntárias de recursos para estados e municípios. “A primeira rodada da cessão onerosa, que fizemos ainda em 2019, foi um passo inicial muito importante para nós em Brasília, porque chegamos ainda sem sustentação parlamentar e justamente o uso do recurso do princípio federativo, que é mais recursos para estados e municípios, mais Brasil, que é onde o povo vive, acabou sendo um eixo de colaboração com o Congresso, que também nos ajudou e fizemos naquela época transferências voluntárias para estados e municípios, dividindo e compartilhando esses recursos da cessão onerosa. Foi um passo importante para nós”, completou.

Para o ministro, o saldo final do certame não está apenas nos R$ 11,140 bilhões conseguidos com os bônus de assinatura. “Não está só nos 500 mil empregos diretos e indiretos que vão para a população e nossos trabalhadores. Não está só nos R$ 120 bilhões, que agora são R$ 302 bilhões de participações especiais mais impostos que o governo vai receber no futuro é também nos R$ 200 bilhões de compromisso de investimentos já assumidos”, disse, acrescentando que o governo tem contratos nos últimos três anos, somando o resultado obtido da segunda rodada cerca de R$ 844 bilhões de compromissos de investimentos.

O diretor-geral da ANP, Rodolfo Saboia, afirmou que o leilão teve um resultado extraordinário que superou as expectativas. Só com os valores que serão aplicados pelos vencedores na aquisição dos ativos já existentes e na operação ao longo dos anos, a estimativa é obter R$ 204 bilhões.

“Por si só esses números já representariam o sucesso do leilão, mas a grande notícia é que conseguimos obter competição elevando o percentual de óleo excedente em óleo de 15,02% para 37,43% em Sépia, o que significa um ágio de quase 150% e no caso de Atapu, o ágio foi ainda maior de 438% passando de 5,89% para 31,68%. Com isso, garantimos mais recursos que vão ser destinados a sociedade brasileira também no longo prazo, por meio de uma arrecadação muito maior sobre o lucro da produção de petróleo decorrente do leilão”, contou, destacando que as cinco empresas vencedoras do certame ampliam a diversidade do cenário de exploração e produção de petróleo do pré-sal brasileiro, “trazendo ainda mais dinamismo para o setor”.

 

Agência Brasil

Categorias
Brasil Destaque Diário do Rio Economia Notícias Notícias do Jornal Política Rio

Pequenos negócios geraram quase 80% vagas de emprego

Segundo o levantamento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), com a abertura de 201,7 mil novos postos de trabalho, as micro e pequenas empresas foram as responsáveis por 79,7% das 253 mil vagas criadas no mês de outubro.

No acumulado do ano, 72,7% das vagas criadas entre os meses de janeiro e outubro são dos pequenos negócios. No total, foram gerados, no Brasil, 2,6 milhões de empregos, sendo que as micro e pequenas empresas são responsáveis por 1,9 milhão.

“No mês de outubro, o acumulado de vagas criadas pelas MPE cresceu de cerca 1,8 milhão para 1,9 milhão, enquanto nas médias e grandes, o incremento foi de apenas 3 mil vagas, passando de 587,7 mil para 590,7 mil”, informou o presidente do Sebrae, Carlos Melles .

De acordo com o presidente do Sebrae, Carlos Melles, mesmo com a nova metodologia adotada pelo Caged, as micro e pequenas empresas (MPE) mantiveram o bom desempenho apresentado desde a retomada da geração de empregos no país. “Mesmo com um quantitativo menor do que o observado nos últimos meses, devido à mudança de metodologia, os pequenos negócios são os que mais têm ajudado no aumento da criação dos novos postos de trabalho no país. São eles os grandes responsáveis pelo sustento de milhões de famílias brasileiras”, ressaltou Melles, em nota.

Quando analisada a geração de empregos por setor, no mês de outubro, as micro e pequenas empresas do segmento de serviços foram as que mais criaram vagas (87,5 mil), como vem ocorrendo nos últimos meses. Em segundo lugar ficaram as empresas do comércio, com 61,3 mil novos postos de trabalho, seguidas pelas da indústria de transformação (28,4 mil) e construção civil (22,6 mil). Já os pequenos negócios da agropecuária apresentaram saldo negativo de 1.153 vagas.

Ao analisar as empresas de médio e grande porte, no mesmo período, dos principais setores monitorados, três apresentaram saldo negativo. Construção, com fechamento de 6,7 mil vagas, seguida pela agropecuária (- 2,3 mil) e indústria de transformação (- 81). Nesse segmento, o setor de serviços apresentou incremento de 53,9 mil vagas e o comércio, de 7,1 mil novos postos.

 

Agência Brasil 

Categorias
Brasil Destaque Notícias Política

Comércio terá a melhor contratação de temporários desde 2013

Da Agência Brasil

O comércio varejista terá a melhor contratação de trabalhadores temporários para o Natal desde 2013, de acordo com a previsão divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Segundo o economista sênior da CNC, Fabio Bentes, as contratações no comércio vinham crescendo desde o final de 2016, lentamente, embora sem alcançar o ritmo observado em 2013 (115,5 mil), até que veio a pandemia no ano passado e as contratações despencaram de 91,6 mil trabalhadores, em 2019, para 68,3 mil, em 2020. Esse foi o menor número desde 2015 (67,4 mil).

Para 2021, a expectativa é de mais de 94,2 mil vagas para atender o movimento sazonal de fim de ano. Fabio Bentes disse à Agência Brasil que caso a previsão seja confirmada, essa será a maior contratação de temporários desde 2013. A previsão é de que as vendas deverão crescer 3,8% no Natal.

O economista explicou que apesar do cenário de inflação elevada e juros mais altos, o que está fazendo com que as vendas e, em consequência, as contratações, evoluam, é o aumento da circulação dos consumidores, além do comércio eletrônico que tem registrado aumento de vendas de dois dígitos.

“Desde o final da segunda onda da pandemia, o que se tem observado é um crescimento consistente da circulação de consumidores no comércio. O avanço da vacinação de certa forma afasta o cenário de novas medidas restritivas. E se a circulação vai aumentar nos próximos meses, a tendência é contratar mais. Apesar da inflação e dos juros altos, o aumento da circulação foi o que ditou o ritmo do comércio ao longo da pandemia”, disse Bentes.

O economista explicou que mesmo quando a inflação estava baixa, bem como os juros, as vendas estavam mal porque a circulação estava baixa. Por isso, reiterou que é a circulação dos consumidores que tem ditado o ritmo de crescimento das vendas, não só para o Natal, mas nos últimos meses.

Fabio Bentes argumentou que poderíamos ter um Natal com taxa de crescimento parecida com a de 2013, da ordem de 5%, mas isso não vai acontecer por conta da inflação e dos juros altos. “Mas, de qualquer forma, os 3,8% projetados são um crescimento razoável, na principal data comemorativa do setor”.

Segmentos

Os segmentos que vão concentrar a maior parte das contratações são vestuário (57,91 mil) e hiper e supermercados (18,99 mil), que vão responder, juntos, por mais de 80% das vagas a serem criadas.

Segundo Bentes, o ramo do vestuário é o mais impactado pelas vendas de final de ano, que quase dobram na passagem de novembro para dezembro. É esse ramo que tem também um leque amplo de tíquetes médios, o que acaba favorecendo esse segmento.

De acordo com a CNC, enquanto o faturamento do varejo como um todo cresce em média 34% na passagem de novembro para dezembro, no segmento de vestuário o faturamento costuma subir 90%.

Em relação a hiper e supermercados, o economista destacou que esse ramo responderá por 19 mil vagas, porque é o maior empregador do comércio ao longo do ano e, ainda, o que mais fatura. “Então, qualquer movimento, mesmo que sazonal das vendas, faz com que se produza um número absoluto de vagas ali bastante expressivo”.

O ramo passou a oferecer um leque diversificado de produtos e deve ser o segundo que vai mais contratar para o Natal.

Regiões

A pesquisa da CNC sinaliza que o estado de São Paulo deve concentrar o maior número de contratações temporárias para o fim do ano (25,55 mil). “A expectativa é que as vendas em São Paulo também cresçam acima da média. É o estado que se recupera mais rápido. E ao se recuperar mais rápido, acaba demandando, proporcionalmente, mais postos de trabalho temporários”.

Em seguida, aparecem Minas Gerais (10,67 mil), Rio de Janeiro (7,63 mil) e Paraná (7,19 mil), que concentrarão mais da metade (54%) da oferta de vagas para o Natal deste ano. Nessas quatro regiões, a CNC projeta variações das vendas locais em relação ao Natal passado de 7,2%, 6%, 5,8% e 6,6%, respectivamente.

O salário médio de admissão deverá alcançar R$ 1.608, com crescimento, em termos nominais, de 5,1% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando a remuneração média ficou em R$ 1.531.

A pesquisa da CNC indica que o maior salário de admissão deverá ser pago pelas lojas especializadas na venda de produtos de informática e comunicação (R$ 1.866), seguidas pelo ramo de artigos farmacêuticos, perfumarias e cosméticos (R$ 1.647). Em contrapartida, esses segmentos deverão responder por apenas 0,8% das vagas totais a serem criadas.

A pesquisa sinaliza ainda que além da maior oferta de vagas, a taxa de efetivação dos trabalhadores temporários deverá ser a maior dos últimos cinco anos, com expectativa de contratação definitiva de 12,2% desses trabalhadores.

Categorias
Brasil Fica a Dica

Oportunidade de estágio em todo grande Rio

 

 

O CEINEE – Centro de Integração Nacional de Estágios para Estudantes é uma instituição autônoma, de âmbito nacional, por prazo indeterminado, de caráter filantrópico, apolítica e não discriminatória que objetiva desenvolver e aplicar modalidades de atuação capazes de promover integração entre estudantes, instituições educacionais, públicas, empresariais, comunitárias e sociais.

Atuando desde 2004, em seu papel de Agente de Integração, o CEINEE já colocou mais de 46 mil estudantes em estágio, contribuindo com o processo de formação profissional e com o desenvolvimento sócioeconômico. Constituindo-se em ponto de referência em matéria de estágio supervisionado de estudantes, por força de sua larga folha de bons serviços prestados à comunidade.

O CEINEE – Centro de Integração Nacional de Estágios para Estudantes, atua nos estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo. No Rio de Janeiro, a sede fica em Angra dos Reis. Os escritórios físicos contam com o site ceinee.org.br para atender o maior número de estudantes. Além de estudantes, empresas e instituições também podem fazer cadastramento.

Para fazer parte dos programas, os jovens interessados deverão realizar cadastro no site www.ceinee.org.br e acompanhar as oportunidades. Além deste canal, o polo realiza atendimento pessoal de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 12h00 e das 13h00 às 18h00 pelo fone: (21) 99303-3422.

Categorias
Brasil Destaque Economia Notícias

STF adia decisão sobre demissão em massa sem negociação sindical

Da Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu nesta quinta-feira(20) o julgamento que vai definir se a negociação prévia entre empresas e sindicatos é obrigatória nos casos de demissões em massa. O motivo foi um pedido de vista feito pelo ministro Dias Toffoli. Não há data para retomada da análise da questão.

Até o momento, o placar da votação está em 3 votos a 2 para definir que a dispensa em massa de trabalhadores não necessita de negociação coletiva.

Na sessão de quarta-feira (19), primeiro dia do julgamento, o relator do processo, ministro Marco Aurélio, votou contra a possibilidade de negociação coletiva. Para o ministro, não há proibição ou condição para a dispensa coletiva, pois o ato de demissão é unilateral do empregador e não exige concordância do trabalhador e dos sindicatos.

O entendimento foi acompanhado pelos ministros Nunes Marques e Alexandre de Moraes.

Edson Fachin abriu divergência e entendeu que a negociação coletiva é um direito do trabalhador.

Na sessão de hoje, o ministro Luís Roberto Barroso seguiu o voto de Fachin. Em seguida, Dias Toffoli pediu mais tempo para analisar a questão.

Os ministros julgam o recurso da Embraer contra a decisão do Tribunal Superior do Trabalho que confirmou a obrigatoriedade da negociação coletiva nesses casos. Em 2009, cerca de 4 mil trabalhadores foram demitidos pela empresa.

Na reforma trabalhista de 2017, foi inserido na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) o artigo 477-A, cuja redação definiu que “as dispensas imotivadas individuais, plúrimas ou coletivas equiparam-se para todos os fins, não havendo necessidade de autorização prévia de entidade sindical ou de celebração de convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho para sua efetivação”.

Categorias
Brasil Fica a Dica

Mauricio Benvenutti lança o livro Desobedeça

 

 

Além da versão impressa, a obra será  um marco na inclusão literária porque é a primeira a ser traduzida no mundo e o Brasil é o país que levará esse produto inovador às pessoas com dislexia, déficit de atenção, cegas e surdas.

Questionar o modelo tradicional de se construir carreiras é o ponto chave do livro Desobedeça, do escritor Mauricio Benvenutti, que será lançado no dia 10 junho de 2021 pela editora Gente. A pré-venda teve início no dia 10 de maio nos sites das principais livrarias do país. A obra também será disponibilizada na versão SL Book: Sign Language Book (Livro em Língua de Sinais),  sendo um marco na inclusão literária. Criado pela startup Wise Hands, é o primeiro livro traduzido no mundo e o Brasil será o país que levará esse produto inovador às pessoas com dislexia, déficit de atenção, cegas e surdas. O SL Book é a evolução do livro físico, mas sem perder a elegância das páginas. “Desobedeça” terá seu conteúdo disponibilizado em áudio e vídeo sendo que a tradução é feita por intérpretes humanos. Ele será comercializado e acessado diretamente pelo site www.slbook.shop , que é uma  plataforma segura e funcional.

           

Construção de carreira mudou

O mundo atual impulsionou a redefinição da palavra “carreira” para profissionais e empresas. As estratégias que irão construir as próximas trajetórias de sucesso serão bem diferentes das usadas até aqui. A leitura promove uma reflexão sobre o caminho clássico para se conquistar um lugar de destaque no mercado. Antes, era precisavo frequentar as melhores escolas e, posteriormente, cursar universidades de ponta para conquistar bons empregos e alavancar uma carreira. Hoje, essa continua sendo uma alternativa. Mas existem várias outras maneiras eficazes para se desenvolver uma trajetória profissional bem-sucedida.

O escritor reforça que algumas pessoas constroem o seu valor profissional atrelado à placa da empresa onde trabalham. “Hoje sabemos que isso é um problema. Afinal, empregos vem e vão e profissionais que usam essa estratégia terão o seu valor de mercado reduzido quando precisarem se recolocar, pois não terão mais a marca da antiga empresa em seu sobrenome”. No livro, explico como mudei minha postura para deixar de ser o “Mauricio da XP” e passar a ser o “Mauricio Benvenutti”. Também mostro como as empresas devem apostar numa política de valorização da reputação pessoal dos seus colaboradores e não focar apenas nas experiências profissionais. Tal conduta pode aumentar o reconhecimento, a influência e, até mesmo, as vendas de uma companhia”, explica Benvenutti.

           

Título faz referência a projeto social

O título do livro faz uma referência a um projeto social no qual o autor participou em Indiaroba, em Sergipe. Benvenutti dedicou um capítulo para contar a história de jovens que, a partir das suas habilidades e dedicação, criaram cinco projetos e um deles foi pré-selecionado para o programa de TV Shark Tank Brasil. Esses jovens geraram empregos, tornaram-se empreendedores e movimentaram a economia do município.

 

Guia Prático

A obra traz ainda um guia prático chamado 10 Ps, ou seja, etapas que contemplam três pilares importantes sobre carreiras: satisfação, competências e remuneração. Essa ferramenta faz o leitor refletir se está contente com o seu trabalho, se dispõe de motivação para a execução das atividades diárias e se as realiza com competência. “Esses elementos devem estar em perfeita harmonia para que o profissional ganhe autoridade naquilo que faz”, diz o autor.

 

OBRA:

Desobedeça – Editora Gente

R$ 39,90

 

PERFIL DO AUTOR:

Maurício Benvenutti – é formado em Sistemas de Informação pela PUCRS, possui MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas e pós graduação em Marketing por UC Berkeley. Foi sócio e diretor B2B da XP Investimentos por mais de 8 anos. Desde 2015, é sócio e membro do conselho da StartSe – empresa de educação executiva com sedes no Vale do Silício, China e Brasil. É palestrante do TEDx  e autor dos livros Incansáveis (9ª edição) e Audaz (5ª edição), lançadas pela editora Gente, que entraram na lista dos mais vendidos do Brasil na categoria “negócios”.

Categorias
Destaque Economia Notícias Rio

Rio de Janeiro se destaca no ranking de geração de empregos

O Estado do Rio de Janeiro gerou 13.097 empregos formais em março deste ano e chegou ao 5º lugar no ranking do Novo Cadastro Geral de Empregos e Desempregados (Caged). No comparativo com o mesmo período do ano passado, houve um crescimento de 138% na empregabilidade. Todos os cinco setores de atividade econômica analisados apresentaram saldos positivos, com destaque especial para Serviços, com 7.595 novas vagas. Foram gerados 2.270 empregos no setor de Comércio, 1.869 na Indústria e 1.164 em Construção. A Agropecuária também cresceu e fechou o mês com 1.869 vagas.    

“Os números representam o contínuo crescimento na geração de empregos no Rio de Janeiro. O setor de Comércio manteve uma estabilidade no número de novos empregos, mesmo com a pandemia da Covid-19. Acredito que nos próximos meses essa curva de crescimento continue”, disse o subsecretário de Trabalho e Renda, Julio Saraiva.

Os jovens, entre 18 e 24 anos, se destacaram nas vagas preenchidas. No total, 7.304 profissionais nesta faixa etária entraram ou retornaram ao mercado de trabalho. No recorte por grau de instrução, quase 80% dos postos foram para pessoas que têm o Ensino Médio Completo.

Saldo de 80 mil no acumulado dos últimos seis meses

No acumulado dos últimos seis meses, de outubro de 2020 a março de 2021, o Rio de Janeiro apresentou saldo de 80.555 postos formais. Já nos seis meses anteriores, entre abril de 2020 e setembro de 2020, houve um saldo negativo de 141.459. O último semestre apresentou um crescimento de 156,9% no saldo de empregos em relação ao ano anterior.

Categorias
Economia Rio

ASSERJ promove curso para geração de empregos

Capacitação oferecida pela Associação de Supermercados do Estado do Rio – ASSERJ, em parceria com a UFRJ, não exige formação superior. Com aulas 100% online e ao vivo, curso de extensão é focado na gestão de supermercados com método desenvolvido em Harvard.
Aprender na prática, com aulas dinâmicas e experiências de situações do cotidiano dos supermercados é o objetivo do curso online de extensão Gestão Estratégica de Supermercados que inicia em 02 de fevereiro.

O curso é realizado pela Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ), em parceria com o Instituto Coppead de Administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro, escola de negócios reconhecida globalmente pela sua excelência.

São aplicados métodos ativos de aprendizagem, desenvolvidos em Harvard, e utilizados por business schools de todo o mundo. São discutidos problemas vivenciados por empresas muitas vezes reais, debatendo lentes teóricas, práticas e especificidades relacionadas aos supermercados. Os materiais são disponibilizados antecipadamente, na plataforma digital de acesso exclusivo da turma.

Com aulas 100% online e ao vivo, o curso de extensão é focado na gestão de supermercados e não exige formação superior. Os alunos, de qualquer lugar do mundo, vão ter acesso a um conteúdo inovador, visando a capacitação para uma gestão mais assertiva. São dois encontros por semana, às terças e quintas-feiras, com 3 horas de duração cada encontro.

A capacitação visa atender a demanda de profissionais que enxergam o crescimento do setor que projeta, para 2021, a abertura de pelo menos 30 novas lojas no estado do Rio de Janeiro e o crescimento das vendas em mais de 4,5%. O aumento se deve ao período da quarentena, em que os supermercados, como serviços essenciais, tiveram grande procura pela população.

No último ano, as redes associadas da ASSERJ tiveram um crescimento nas vendas de mais de 3,98% comparado ao ano de 2019. O setor supermercadista foi um dos que mais contratou em 2020, tanto por empregos fixos quanto por temporários, totalizando mais de 3.800 oportunidade de emprego no estado, somente no ano passado.

Para o presidente da ASSERJ, Fábio Queiróz, o consumidor está cada vez mais exigente e os interessados no curso terão a oportunidade de aprender como lidar com esse novo perfil, além de crescer na carreira. “As empresas precisam estar cada vez mais preparadas. O consumidor de hoje quer um atendimento diferenciado. Com o crescimento do setor e a possibilidade de novas vagas é fundamental a capacitação que vai tratar as dores desse segmento tão importante para a população e a economia”, garante Fábio Queiróz.

As inscrições estão abertas para o curso Gestão Estratégica de Supermercados no site:

https://asserj.com.br/ideia/gestao-estrategica-de-supermercados/

GESTÃO ESTRATÉGICA DE SUPERMERCADOS – COPPEAD E ASSERJ

Programa Avançado para Executivos de Supermercados

Início: 02 de Fevereiro de 2021

Carga Horária: 90 horas de curso, com aulas 100% online e ao vivo, duas vezes por semana.

Vagas limitadas! Associado ASSERJ tem 15% de desconto.

Sobre a ASSERJ

Criada em 1969, a Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro tem como objetivo unir, servir e representar o segmento supermercadista nos cenários político, econômico e social, promovendo a interação entre os players e o desenvolvimento da qualidade da gestão. Hoje comandada pelo executivo Fábio Queiróz, eleito presidente em 2015, a ASSERJ representa os interesses de 300 grupos supermercadistas do Estado do Rio de Janeiro e oferece a seus associados diversos benefícios, como cursos de aperfeiçoamento, palestras, consultoria e assessoria na área jurídica. https://asserj.com.br