Categorias
Brasil Destaque Esporte Notícias

Bruno Soares sobra na estreia de duplas do Torneio de Roland Garros

Dá Agência Brasil

O mineiro Bruno Soares avançou à segunda rodada de duplas do Torneio de Tênis de Roland Garros, em Paris (França), na manhã desta quarta-feira (25). Ao lado do escocês Jamie Murray, Soares sobrou na estreia contra a parceria do sul-africano Lloyd Harris com o israelense Jonhathan Erlich, vencendo pelo placar de 2 sets a 0 (parciais de 6/1 e 6/2). Soares e Murray encaram nesta quinta (26) os norte-americanos Tomy Paul e Mackensie McDonald – horário ainda indefinido.

Já a paulista Bia Haddad se despediu da disputa de simples ao ser superada na segunda rodada pela estoniana Kaia Kanep, por 2 sets a 0 (duplo 6/4). O Brasil não tem mais competidores individuais em Roland Garros.Nesta quinta (26), Haddad volta à quadra  de saibro para a estreia nas duplas, ao lado da cazaque Ana Danilina. Elas enfrentarão as japonesas Eri Hozumi e Makoto Ninomiya, em horário ainda a ser definido.

Outras duas duplas com brasileiros jogam a segunda rodada amanhã (26): o mineiro Marcelo Melo e o argentino Maximo Gonzalez terão pela frente o norte-americano Maxime Cressy e o espanhol Feliciano Lopez.; e o gaúcho Rafael Matos, ao lado de Vega Hernandez, encaram a parceria Polônia-França, representada respectivamente por Lukasz Kubot e Edouard Roger-Vasselin.

Categorias
Brasil Destaque Esporte Esportes Notícias

Nilópolis é destaque no Jiu-jitsu

Kellen Arraes é campeã no Campeonato Brasileiro de Jiu-jitsu Crianças

Mais um destaque Life Star Talentos no Campeonato Brasileiro de Jiu-jitsu Crianças realizado no último dia 15 de maio em Barueri, São Paulo. A atleta Kellen Arraes, moradora de Nilópolis, participou de três lutas, com três finalizações e foi campeã na categoria Infantojuvenil 3 -Verde Meio Pesado.

Já fui quatro vezes campeã nessa categoria. Desta vez, não levei nenhum ponto. Feliz por representar bem minha equipe Alliance –  vibra.

Invicta há 3 anos, Kellen tem um treino pesado. São três treinos todos os dias e, além disso, ela não descuida da alimentação. Os desafios para atingir os objetivos são diários, mas ela conta com incentivo e apoio de muitos que acreditam no seu potencial.

Foto: Divulgação

Sou grata a Deus por toda ajuda nessa trajetória. A minha retribuição devolvo através das vitórias, das minhas conquistas. Gratidão sempre – diz.

Essa é a proposta da Life Star Talentos, projeto nascido em Nilópolis, em outubro de 2020. Descobrir atletas e realizar sonhos. Além de Kellen, sua irmã Keke, também atleta, faz parte do time Life Star. O projeto também desenvolve um trabalho no futebol, com treinos de segunda a sexta, manhã e tarde, na Vila Olímpica de Nilópolis, sub-11 a sub-17.

Ficamos felizes quando nossos atletas despontam em campeonatos. Esse é o nosso objetivo: dar a eles visibilidades e grandes oportunidades. Nosso sonho continua – conclui Jacob David, CEO da Life Star Talentos.

Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Notícias do Jornal Rio

 Solenidade de Posse dos Membros do Tribunal de Justiça Desportiva desta Federação

A Federação Estadual Rio de Atletismo (FERAt) presidida pelo Sr. Robson José Maia da Silva, consolidou mais uma conquista para o atletismo Fluminense. A solenidade de posse dos nove membros do Tribunal de Justiça Desportiva da entidade:

Presidente do TJD – Tribunal de Justiça Desportiva
Dr. Fábio Peragene  Vice-presidente
Dra. Erica Roberta Bomfim

E dentre os que tomaram Posse, estavam presentes os medalhista Olímpico Robson Caetano da Silva, professora e técnica de atletismo Marta Santos, o diretor executivo da FERAt Weldon Massi, da Major Vânia Juliano, representando o Pr. David Antunes que é Colunista do Jornal DR1 e apresentador do Programa Debate Contemporâneo e  dentre outros que prestigiaram.

O evento foi realizado no último dia 13, no auditório da Universidade Estácio (Maracanã), e representa um avanço nas relações institucionais da modalidade.

Categorias
Brasil Destaque Esporte Notícias

Bia Ferreira é vice-campeã mundial após derrota para norte-americana

Não foi desta vez. Na decisão do título mundial  na categoria até 60 quilos, a brasileira Beatriz Ferreira foi prata em Istambul (Turquia) nesta sexta-feira (20), após ter sido superada pela norte-americana Rashida Ellis, em decisão dos juízes, por 3 a 2. Bia defendia o bicampeonato, já que vencera a última edição em 2019. A baiana entrou para a história do boxe brasileiro ao se tornar a primeira pugilista com duas medalhas mundiais na carreira. A conquista desta sexta (20) foi a segunda do Brasil no Mundial: na última segunda (16), a pernambucana Caroline Almeida faturou o bronze na categoria 52 kg.

Vice-campeã olímpica em Tóquio, Bia entrou no ringue nesta sexta (22) com um histórico a seu favor, já que vencera quatro de cinco confrontos anteriores contra Rashida Ellis. No entanto, no embate de hoje quem começou melhor no primeiro round foi a norte-americana, que acertou bom golpes, fechando na frente por 4 a1, em decisão da arbitragem. No round seguinte, Bia foi com tudo para cima de Ellis, mas a norte-americana se valeu de clinches (quando o pugilista abraça o adversário) para travar os ataques. Mais uma vez Ellis assegurou 3 a 2 dos juízes. No terceiro e último round, a baiana encaixou golpes e chegou a pressionar a adversária nas corda. No entanto, a arbitragem repetiu nota 3 a 2 para a norte-americana, que conquistou o ouro.

Para chegar à final do Mundial, Bia emplacou quatro vitórias seguidas. Sobrou na estreia ao vencer Badmaarag Ganzorig (Mongólia) por nocaute técnico, após dois rounds. Na sequência, a  baiana derrotou a chilena Valentina Bustamante. Já na quartas, Bia superou a sérvia Natalia Sadrina e na semi bateu a italiana Alessia Messiano. Todos os confrontos de Bia Ferreira no Mundial estão disponíveis canal do Time Brasil no Youtube.

Categorias
Destaque Esporte Notícias Notícias do Jornal

Marcelo Melo vence e vai à final de duplas do ATP de Lyon neste sábado

Dá Agência Brasil

O mineiro Marcelo Melo e o argentino Maximo Gonzales emplacaram a terceira vitória seguida no ATP 250 de Lyon (França) e vão disputar o título de duplas neste sábado (22), em horário ainda a ser definido. Após 1h32m de embate acirrado, Melo e Gonzales levaram a melhor sobre os parceiros Aleksandr Nedovyesov (Cazaquistão) e Aisan-Ul-Haq (Paquistaão): vitórias por 2 sets a 0 (parciais de 7/5 e 6/4).

Na decisão do título de Lyon – torneio preparatório para o tradicional torneio de Roland Garros que começa domingo (22) – Melo estará frente a frente com o croata Ivan Dodig, com quem o brasileiro já formou parceria, inclusive nesta temporada. Dodig e o norte americano Austin Krajiec avançaram à final após vitória tranquila sobre o norte-americano Max Schnur e o neozelandês Artem Sitak por 2 a 0 (6/1 e 6/2).

A final será a 67ª na carreira de Marcelo Melo, que soma 35 conquistas, recorde brasileiro de títulos que divide com o conterrâneo Bruno Soares. Nesta temporada Melo vem somando vitórias ao lado de Dodig (dois ATP 250 de Adelaide, um no Australian Open e um no Masters 1000 de Miami), do alemão Alexander “Sascha” Zverev (duas no Masters 1000 de Monte Carlo) e com o argentino Gonzales (três no ATP de Lyon).

Categorias
Brasil Destaque Esporte Notícias Notícias do Jornal

Boxe: Bia Ferreira atropela italiana e vai à final do Mundial feminino

Dá Agência Brasil

Atual campeã mundial de boxe feminino na categoria até 60 quilos, Beatriz Ferreira vai decidir o título outra vez. Na quarta-feira (18), a baiana se classificou à final da competição, em Istambul (Turquia), ao vencer a italiana Alessia Mesiano por decisão unânime dos cinco árbitros, depois de três rounds.

A brasileira enfrenta na sexta-feira (21) a norte-americana Rashida Ellis, valendo o bicampeonato mundial. As finais começam a partir das 12h (horário de Brasília), com transmissão ao vivo no Canal Olímpico do Brasil.

Bia foi superior a Mesiano desde o início do combate. No segundo round, a baiana encaixou um cruzado de esquerda que fez a arbitragem paralisar a luta e abrir contagem, mas a italiana, campeã mundial em 2016, seguiu de pé. A rival tentou ser mais agressiva nos três minutos finais, mas cedeu espaços para a brasileira contra-atacar e manter o domínio.

O confronto entre Bia e Ellis reedita a semifinal do último Mundial, disputado em 2019, na cidade russa de Ecaterimburgo. Na ocasião, a brasileira venceu com decisão favorável de quatro dos cinco jurados. Elas também duelaram, em abril deste ano, na final do Campeonato Continental das Américas, em Guayaquil (Equador), novamente com triunfo da baiana.

“Naka” assegura 1ª medalha

Na semifinal da categoria até 52 quilos do Mundial, a pernambucana Caroline de Almeida não resistiu à indiana e Nikhat Zaaren e perdeu por decisão unânime dos árbitros. Como não há disputa de terceiro lugar no boxe, a brasileira, conhecida pelo apelido “Naka”, assegurou o bronze, primeira medalha do país na edição de Istambul.

Categorias
Brasil Destaque Esporte Esportes Notícias

Após prata olímpica, Brasil estreia quarta em Mundial de Boxe Feminino

Dá Agência Brasil

A campanha do Brasil no Mundial de Boxe Feminino, evento mais importante da modalidade após a Olimpíada de Tóquio, começa às 8h (horário de Brasília) desta quarta-feira (11). A primeira representante do país no Mundial em Istambul (Turquia) será Jucielen Cerqueira Romeu (categoria até 57 quilos), medalha de prata em 2019 no Pan-Americano de Lima (Peru). A baiana Beatriz “Bia” Ferreira (60kg), atual detentora do título mundial e vice-campeã olímpica ano passado, estreia quinta (12), também às 8h. As lutas com pugilistas brasileiras terão transmissão ao vivo no Canal Olímpico, através do endereço eletrônico: https://www.canalolimpicodobrasil.com.br/ 

Além de Jucielen e Bia, a delegação nacional conta também com Caroline Almeida (52 kg) e Viviane Pereira (75 kg). O Mundial Feminino de Boxe teve início ontem (9), após hiato superior a dois anos em razão da pandemia de covid-19. A competição, com 419 atletas de 93 países, segue até o próximo dia 20 na capital turca.

Primeiros confrontos

Paulista de Rio Claro, Jucielen estreia no ringue  às 8h desta quarta (11) contra a queniana Akoth Ouma. Na sequência, a partir do meio dia, será a vez da pugilista pernambucana Caroline Barbosa Almeida (52 kg) encarar a russa Angelina Lukas, que compete no Mundial pela equipe de refugiados.

Na quinta (12), às 8h, a atual campeã  Bia Ferreira fará a primeira luta contra Badmaarag Ganzorig, da Mongólia. Já a conterrânea Viviane Pereira (75 kg) estreará no Mundial apenas ao meio-dia de sábado (14), contra a vencedora do duelo entre representantes de Turquia e Cazaquistão.

Categorias
Brasil Destaque Esportes Notícias

Governo anuncia diretrizes do Programa Avança Paradesporto

O Ministério da Cidadania divulgou na última segunda-feira (2) as diretrizes do Programa Avança Paradesporto do Brasil. O programa foi criado para promover o crescimento do número de atletas de alto nível, com deficiência, bem como para o aumento das participações e da evolução dos resultados do Brasil em competições paradesportivas internacionais. Portaria do ministério com as diretrizes do programa foi publicada na última segunda-feira (2) no Diário Oficial da União (DO).

Segundo a pasta, o objeto da iniciativa é a democratização e equidade do acesso gratuito, e de qualidade, a estruturas físicas, treinamentos e equipes multidisciplinares de saúde. A portaria prevê que o núcleo do Avança Paradesporto do Brasil pode ser estabelecido em escolas ou em espaços comunitários (públicos ou privados). As atividades serão desenvolvidas em espaços físicos adequados às práticas paradesportivas listadas no projeto técnico.

A Secretaria Nacional de Paradesporto disponibilizará cursos de capacitação nas modalidades online ou presencial, direcionado a todos que trabalham no âmbito do programa para complementar a qualificação dos profissionais no desenvolvimento de suas funções e nas atividades que serão desenvolvidas nos núcleos.

A portaria que estabelece as diretrizes do programa entra em vigor a partir de 1º de junho deste ano.

 

 

Agência Brasil

Categorias
Brasil Destaque Esporte Esportes Notícias

Finais mineiras definem campeões masculino e feminino da Superliga

Dá Agência Brasil

Pela primeira vez na história das Superligas masculina e feminina de vôlei, os dois títulos da temporada serão disputados, simultaneamente, por equipes mineiras. Nesta sexta-feira (22), às 21h (horário de Brasília), Dentil Praia Clube e Minas Tênis Clube fazem o primeiro jogo da final das mulheres no ginásio Nilson Nelson, em Brasília. O Minas também marca presença na decisão dos homens, contra o Sada Cruzeiro, que começa neste sábado (23), às 21h30, no ginásio Divino Braga, em Betim (MG).

As finais serão disputadas em melhor de três jogos. Quem vencer dois, leva a taça. A segunda partida da decisão feminina está marcada para sexta-feira (29), às 21h. Se necessário, o terceiro duelo será na terça-feira da outra semana (3), às 21h30. Todos os confrontos serão em Brasília. Entre os homens, o segundo encontro entre Minas e Cruzeiro será no domingo que vem (1) e o terceiro, se preciso, será sete dias depois, ambos às 10h, em locais a serem definidos.

É apenas a quarta vez na história que as duas finais serão disputadas por clubes de um mesmo estado. Nas ocasiões anteriores (a última em 1997), as decisões reuniram times paulistas.

A final 100% mineira não é novidade no feminino, já que Minas (que, entre as mulheres, atua como Itambé Minas) e Praia chegam à decisão pela terceira vez consecutiva (as minastenistas levaram a melhor nas edições anteriores: 2019 e 2021). Apesar disso, o time de Uberlândia (MG) domina o confronto na temporada, conquistando os títulos dos Campeonatos Mineiro e Sul-Americano e da Supercopa em cima das rivais, e vencendo os dois jogos da primeira fase da Superliga, ambos no tie-break (quinto set).

O duelo opõe as equipes de melhor campanha na competição. Em busca do segundo título da Superliga (o primeiro foi em 2018), o Praia somou 58 pontos na primeira fase, três a mais que o Minas, que pode chegar à quinta taça nacional, igualando-se ao Osasco como o segundo maior campeão (o Rio de Janeiro, que atualmente joga como Sesc-RJ Flamengo), lidera a estatística, com 12 conquistas.

No mata-mata, a equipe do Triângulo Mineiro superou o Pinheiros nas quartas de final com duas vitórias, ambas por três sets a zero, mas sofreu para eliminar o Flamengo, perdendo a partida de ida da semifinal por três a zero e buscando a virada nos dois jogos seguintes. Já as minastenistas liquidaram os confrontos contra Fluminense (quartas) e Sesi Bauru (semifinal) de forma invicta, triunfando nos dois primeiros duelos.

“Esse ano fizemos final de todas as competições que participamos. Apesar de não termos conquistado um título, foi importante estar no topo. A rivalidade entre o Minas e o Praia já tem alguns anos. É muito legal a história que estamos construindo. Temos feito as finais dos últimos campeonatos e isso é muito bacana. Vai ser um jogo muito difícil. Os dois times chegam para a decisão em um bom momento depois de disputarem semifinais duras”, destacou a central Carol Gattaz, capitã do time minastenista, ao site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV).

As finais da Superliga marcarão a despedida das quadras de Walewska. A central de 42 anos, campeã olímpica nos Jogos de Pequim (China), em 2008, é a capitã do Praia e quer encerrar a carreira com o terceiro título dela na competição. Além de liderar o time de Uberlândia na conquista de 2018, ela também venceu a edição de 2000, pelo Rexona, quando a equipe tinha sede em Curitiba.

“Tenho vivido um turbilhão de emoções, revivendo toda a minha história e focada para que, na Superliga, ela termine com a conquista de mais um título. Tenho consciência de que me dediquei todos os dias e de que tudo valeu a pena. Fui abençoada por ter conhecido pessoas que ficarão guardadas para sempre no meu coração”, disse Walewska, também ao site da CBV.

No masculino, a final mineira é inédita, apesar de o confronto reunir os dois maiores campeões do vôlei nacional entre os homens. O Minas, que não levanta a taça desde 2007, busca o décimo título brasileiro, sendo o quinto na Superliga, iniciada em 1994. O Cruzeiro, com seis troféus, ganhou pela última vez em 2018, quando emplacou uma sequência de cinco conquistas seguidas.

É a primeira vez, também, que a decisão masculina reúne clubes de um mesmo estado que não seja São Paulo. Em nove ocasiões, a final dos homens foi 100% paulista, sendo a última delas em 2019, quando o EMS Taubaté Funvic (que atualmente está em Natal) levou a melhor sobre o Sesi São Paulo.

Assim como no feminino, a decisão masculina envolve os dois clubes que mais pontuaram na fase inicial da competição. O Minas (que joga como Fiat Gerdau Minas entre os homens) fez 61 pontos, contra 59 do Cruzeiro. No mata-mata, ambos precisaram apenas dos dois primeiros duelos dos confrontos para se classificarem à final. Os minastenistas passaram por Funvic Natal e Guarulhos, enquanto os cruzeirenses despacharam Farma Conde São José e Sesi São Paulo.

Eliminado nas quartas de final da edição passada, o Sada Cruzeiro se reformulou para recuperar o posto de melhor time do país. Técnico celeste por 12 temporadas, o argentino Marcelo Mendez deu lugar ao recém-aposentado Filipe Ferraz. Dirigida pelo ex-ponteiro, a Raposa conquistou os títulos do Mineiro (em cima do Minas) e da Supercopa, além do tetracampeonato mundial. O Minas, por sua vez, voltou a levantar um troféu em fevereiro, após um hiato de 15 anos, ao vencer a Copa Brasil, em Blumenau (SC). Os minastenistas são os atuais vice-campeões nacionais, superados pelo Taubaté na final de 2021.

Categorias
Brasil Destaque Esporte Esportes Notícias

Brasil conhece rivais na Copa América de Basquete que será no país

A seleção masculina de basquete já sabe quem vai enfrentar na primeira fase da AmeriCup 2022 que ocorrerá no Brasil, de 2 a 11 de setembro. O país caiu no Grupo A, junto com Uruguai, Colômbia e Canadá, após sorteio online realizado pela Federação Internacional de Basquete (Fiba) nesta terça-feira (29).

“Não existe jogo fácil em um torneio como a AmeriCup. É um campeonato de tiro curto, com jogos praticamente dia sim, dia não, e Colômbia e Uruguai nós enfrentamos nas Eliminatórias, vencemos, mas vimos que é preciso entrar sempre alerta para que possamos ser competitivos. E o Canadá tem um basquete de qualidade mundial e será uma grande adversário”, avaliou Gustavo de Conti, técnico da seleção.

O principal torneio de seleções de basquete das Américas volta a ser realizado no país, após um jejum de 38 anos. Brasília e Recife sediarão as partidas da primeira fase. A partir das quartas de final em diante, todos os jogos ocorrerão na capital pernambucana.

O Brasil detém quatro títulos da AmeriCup, o último deles conquistado na edição de 1984, a última em território nacional. O maior vencedor são os Estados Unidos, com sete troféus em 18 edições.

Chaveamento

Grupo A

Brasil
Uruguai
Colômbia
Canadá

Grupo B

Ilhas Virgens
Porto Rico
República Dominicana
Argentina

Grupo C

México
Venezuela
Panamá
Estados Unidos