Categorias
Fica a Dica Rio

Obra de estreia de Bert Jr., “Fict-Essays e contos mais leves”, escrita em apenas dois meses, aborda situações inusitadas da vida contemporânea

 

 

Inteligente, leve e bem-humorado. Esses são alguns dos adjetivos que ilustram muito bem o conteúdo de “Fict-Essays e contos mais leves”, livro de estreia de Bert Jr., escrito em apenas dois meses, durante a quarentena causada pela pandemia do novo coronavírus. Lançado pela editora Labrador, o livro está disponível nas versões impressa e digital, trazendo sete contos instigantes sobre vários temas contemporâneos.

Os textos abordam situações inusitadas da vida comum, enfrentadas por personagens peculiares que estão às voltas com assuntos tão diferentes quanto a descoberta da sincronicidade como ferramenta para a compreensão da realidade sociopolítica do país, a elaboração de uma peça autoral para um recital de violão erudito e as consequências psicológicas da invenção de uma dieta diferente. Há, ainda, uma narrativa bem-humorada e provocativa em torno da apresentação de quatro teses sobre a personalidade divina.

O livro tem muito de entretenimento, embora também tenha alguma qualidade reflexiva nele. Como o próprio título indica, tem dois tipos básicos de contos: os fict-essays, que considero mais densos, tendo essa característica de se apoiarem bastante na viagem intelectual do personagem principal, e os contos mais leves – ressalta o autor.

Bert Jr. explica uma das curiosidades despertadas pela obra logo no título. Afinal, o que são os fict-essays?

Tirei essa expressão do inglês ‘fictional essay’. Tal como entendo, um ‘fictional essay’, ou ensaio fictício, seria um ensaio sobre um assunto imaginário, ou utilizando argumentos fantasiosos, mas pretensamente científicos. Desdobrando essa ideia, imaginei um tipo de conto que tivesse como eixo o universo intelectual do personagem e sua visão sobre determinado tema. Esse tema poderia ser fictício, ou mesmo real, mas analisado, e compreendido, mediante conceitos imaginários – destaca.

 

Leitor exigente, mas sem preconceitos

A poesia já ocupou bastante espaço na preferência de Bert Jr., como leitor, especialmente em sua juventude. Romances de grandes autores brasileiros e latino-americanos, como Guimarães Rosa, Gabriel García Márquez, Mario Vargas Llosa e Jorge Luís Borges também fizeram parte de sua formação. Hoje, a atenção está mais voltada aos temas de não-ficção. Seja qual for o estilo, entretanto, ele ressalta o que desperta e prende a atenção dos leitores. Uma dica, aliás, para quem está dando os primeiros passos na escrita literária.

Sou um leitor exigente, não é qualquer texto que captura minha atenção. O escritor ter um bom domínio da linguagem é fundamental. E a história tem que ser criativa, ter elementos que inovem em relação ao tema, ou à maneira de narrar, de contar a história, ou ao tipo de personagem. Acho que isso é algo que prende o leitor – indica.

 

Em abril, a editora Chiado Books incluiu o poema “Silogismo Poético”, de Bert Jr., na V Antologia de Poesia Brasileira Contemporânea. A obra reúne 450 poemas em língua portuguesa.

Sobre Bert Jr.

Gaúcho de Porto Alegre, Bert Jr. tem 58 anos, é graduado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e em Diplomacia pelo Instituto Rio Branco.

A arte sempre esteve presente em sua trajetória. Além de escrever poesia, é violonista amador, compositor e letrista. Aos 18 anos, dois de seus poemas foram premiados em um concurso do qual faziam parte do júri Mário Quintana e Lya Luft. Lançar um livro de poesias, aliás, é um dos planos do escritor para o futuro.

Recentemente, a paixão pelas palavras resultou, além do primeiro livro de contos, em um projeto desenvolvido no canal Bert Jr., no Youtube. A série “Fora da Cartilha” apresenta a visão do autor sobre temas relacionados ao universo literário.

Categorias
Brasil Fica a Dica

Mauricio Benvenutti lança o livro Desobedeça

 

 

Além da versão impressa, a obra será  um marco na inclusão literária porque é a primeira a ser traduzida no mundo e o Brasil é o país que levará esse produto inovador às pessoas com dislexia, déficit de atenção, cegas e surdas.

Questionar o modelo tradicional de se construir carreiras é o ponto chave do livro Desobedeça, do escritor Mauricio Benvenutti, que será lançado no dia 10 junho de 2021 pela editora Gente. A pré-venda teve início no dia 10 de maio nos sites das principais livrarias do país. A obra também será disponibilizada na versão SL Book: Sign Language Book (Livro em Língua de Sinais),  sendo um marco na inclusão literária. Criado pela startup Wise Hands, é o primeiro livro traduzido no mundo e o Brasil será o país que levará esse produto inovador às pessoas com dislexia, déficit de atenção, cegas e surdas. O SL Book é a evolução do livro físico, mas sem perder a elegância das páginas. “Desobedeça” terá seu conteúdo disponibilizado em áudio e vídeo sendo que a tradução é feita por intérpretes humanos. Ele será comercializado e acessado diretamente pelo site www.slbook.shop , que é uma  plataforma segura e funcional.

           

Construção de carreira mudou

O mundo atual impulsionou a redefinição da palavra “carreira” para profissionais e empresas. As estratégias que irão construir as próximas trajetórias de sucesso serão bem diferentes das usadas até aqui. A leitura promove uma reflexão sobre o caminho clássico para se conquistar um lugar de destaque no mercado. Antes, era precisavo frequentar as melhores escolas e, posteriormente, cursar universidades de ponta para conquistar bons empregos e alavancar uma carreira. Hoje, essa continua sendo uma alternativa. Mas existem várias outras maneiras eficazes para se desenvolver uma trajetória profissional bem-sucedida.

O escritor reforça que algumas pessoas constroem o seu valor profissional atrelado à placa da empresa onde trabalham. “Hoje sabemos que isso é um problema. Afinal, empregos vem e vão e profissionais que usam essa estratégia terão o seu valor de mercado reduzido quando precisarem se recolocar, pois não terão mais a marca da antiga empresa em seu sobrenome”. No livro, explico como mudei minha postura para deixar de ser o “Mauricio da XP” e passar a ser o “Mauricio Benvenutti”. Também mostro como as empresas devem apostar numa política de valorização da reputação pessoal dos seus colaboradores e não focar apenas nas experiências profissionais. Tal conduta pode aumentar o reconhecimento, a influência e, até mesmo, as vendas de uma companhia”, explica Benvenutti.

           

Título faz referência a projeto social

O título do livro faz uma referência a um projeto social no qual o autor participou em Indiaroba, em Sergipe. Benvenutti dedicou um capítulo para contar a história de jovens que, a partir das suas habilidades e dedicação, criaram cinco projetos e um deles foi pré-selecionado para o programa de TV Shark Tank Brasil. Esses jovens geraram empregos, tornaram-se empreendedores e movimentaram a economia do município.

 

Guia Prático

A obra traz ainda um guia prático chamado 10 Ps, ou seja, etapas que contemplam três pilares importantes sobre carreiras: satisfação, competências e remuneração. Essa ferramenta faz o leitor refletir se está contente com o seu trabalho, se dispõe de motivação para a execução das atividades diárias e se as realiza com competência. “Esses elementos devem estar em perfeita harmonia para que o profissional ganhe autoridade naquilo que faz”, diz o autor.

 

OBRA:

Desobedeça – Editora Gente

R$ 39,90

 

PERFIL DO AUTOR:

Maurício Benvenutti – é formado em Sistemas de Informação pela PUCRS, possui MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas e pós graduação em Marketing por UC Berkeley. Foi sócio e diretor B2B da XP Investimentos por mais de 8 anos. Desde 2015, é sócio e membro do conselho da StartSe – empresa de educação executiva com sedes no Vale do Silício, China e Brasil. É palestrante do TEDx  e autor dos livros Incansáveis (9ª edição) e Audaz (5ª edição), lançadas pela editora Gente, que entraram na lista dos mais vendidos do Brasil na categoria “negócios”.

Categorias
Cultura Destaque Diário do Rio

Dia Nacional do Livro Infantil: autora Angela Guerra disponibiliza ebook para acesso

Em homenagem ao Dia Nacional do Livro Infantil, comemorado neste domingo, 18 de abril, a autora Angela Guerra disponibilizou na internet o ebook do livro “Confusão na Floresta”.

Todos podem acessar gratuitamente o formato digital do livro infantil por meio do site da autora: angelaguerra.redesemfronteiras.com. O ebook está disponível na versão em português e também em inglês.

O leitor pode visualizar o ebook no próprio navegador de internet (computador, tablet ou smartphone), baixar o arquivo em formato ePUB para ler o livro no Kindle, Kobo, ou fazer o download direto na Amazon.

O Ebook está preparado com link de acessibilidade e inclusão social em formato audiobook e linguagem em texto sem formatação.

Dia Nacional do Livro Infantil

A escolha da data em comemoração ao Dia Nacional do Livro Infantil é uma homenagem ao escritor Monteiro Lobato, um dos mais influentes escritores da Literatura Brasileira do século XX.

Ele nasceu no dia 18 de abril de 1882, motivo pelo qual esse dia é também chamado de Dia de Monteiro Lobato, considerado o pai da literatura infantil brasileira. Dentre suas obras infantis, a mais destacada é o “Sítio do Pica-pau Amarelo”, uma coleção de aproximadamente 25 livros de histórias, escritas entre 1920 e 1947.

A data é dedicado ao fomento da leitura, sobretudo, na escolarização básica infantil e destaca a importância do hábito de ler desde cedo visto que o livro é um importante instrumento de conhecimento e cidadania.

Categorias
Cultura Destaque Diário do Rio Notícias Notícias do Jornal

Museu Nacional lança livro sobre resgate de acervo atingido por fogo

Da Redação com Agência Brasil

O Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) lançou nesta semana o livro “500 dias de Resgate: Memória, Coragem e Imagem”, que fala sobre o trabalho de recuperação dos acervos atingidos pelo incêndio de setembro de 2018.

A obra apresenta um panorama do trabalho realizado pela equipe de resgate ao longo de 500 dias, além de trazer imagens e depoimentos dos pesquisadores envolvidos. Nesse período, foram recuperados cerca de 5 mil lotes, reunindo objetos de grande importância que integravam 14 das 25 coleções que se encontravam no palácio.

O livro é uma parceria do Museu Nacional/UFRJ com o Ministério das Relações Exteriores da Alemanha, o Goethe-Institut e a Fundação Gerda Henkel.

A equipe de resgate, composta por 76 técnicos, professores, estudantes e profissionais terceirizados, passou a trabalhar pela recuperação do maior número possível de peças do acervo do museu logo depois do incêndio.

Em uma área total de 21 mil m², sendo 11.417 m² de área construída, o Paço de São Cristóvão abrigava aproximadamente 5 mil itens nas salas de exposição e 3,5 milhões de itens no acervo da seção de Memória e Arquivo.

Dentre as peças resgatadas estão o crânio de Luzia, esqueleto mais antigo descoberto no Brasil; o escaravelho coração e outros oito amuletos que estavam no interior do sarcófago da múmia Sha-Amun-em-Su; os afrescos de Pompeia, que já haviam sobrevivido à erupção do vulcão Vesúvio; parte da Coleção Werner, a coleção mais antiga do Museu Nacional; o Psaronius brasiliensis, primeiro fóssil de vegetal registrado para o Brasil; além de pterossauros da Coleção de Paleovertebrados e meteoritos como o Bendegó e o Santa Luzia.

Após serem resgatadas, as peças passaram por uma triagem, onde foram fichadas, fotografadas, identificadas e limpas. Atualmente, a equipe integrada por 30 pessoas finaliza o trabalho em três salas e, em seguida, iniciará o inventário dos acervos, pelo qual será possível ter mais informações sobre cada peça resgatada e o estado de conservação após o incêndio.

Foto: Museu Nacional/UFRJ

Categorias
Cultura

Livro Revolução 50+ aborda temas como a diversidade, inclusão e empreendedorismo

Em um momento em que o mundo precisou ressignificar valores e aprender a se transformar devido à pandemia, a Editora Leader inova e apresenta à sociedade a série Revolução 50+. O livro cuja edição destaca “A diversidade, a inclusão e a ampliação do empreendedorismo com propósito” é o primeiro da série que tem como intuito evidenciar o poder dos 50+ e mostrar que todos são capazes de se reinventar e aprender juntos. A obra tem a coordenação da diretora de projetos e CEO da Editora Leader, Andréia Roma, e da sócia-diretora da Sinergia Consultoria em Gestão de Pessoas & Mentoria de Novos Negócios, Betty Dabkiewicz, do Instituto Revolução 50+.

De acordo com Andréia, o objetivo primordial deste livro e dos próximos desta coleção é trazer as experiências de pessoas que fizeram a “virada de chave” após os 50 anos e revelar as numerosas oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional, tanto no mundo corporativo quanto como empreendedores.

“O que torna ainda mais rico o propósito desta série é a diversidade de personagens e de histórias reais que vão servir de exemplo não só para os 50+ como para os mais jovens, muitos já mais conectados com o propósito da diversidade, da inclusão, da equidade no mundo corporativo e na vida social”, aponta Andréia.

 

Já Betty ressalta a força da palavra “revolução” em todas as fases importantes e de mudanças na história da evolução do ser humano e da própria humanidade:

“De acordo com dados e estimativas dos relatórios da ONU, a população com 50 anos de idade e acima está crescendo a uma taxa de 3% ao ano e, até 2030, seremos em torno de 1,4 bilhão nos diferentes continentes do mundo; os planos de ação internacional sobre o envelhecimento populacional sugerem mudanças imediatas de atitudes, políticas e práticas de inclusão digital, acessibilidade, acolhimento e respeito à diversidade étnica e etária, entre outras ações e decisões necessárias, para que os ‘idosos’ deixem de ser invisíveis e possam ser capacitados ao exercício de novas funções e terem novamente a oportunidade de criar atividades, serviços ou produtos para serem produtivos e exercerem sua cidadania, através de seus direitos e deveres, no século XXI.”

 

Em 24 capítulos, o livro aborda temas como celebração, biografia humana e ciclos de desenvolvimento, universo, autoconsciência revolutiva, como navegar com propósito em um mar de incertezas após os 50 anos, mudanças e reinvenções, atemporalidade da idade, entre outros. Os leitores também poderão conferir temas instigantes como protagonismo, ressignificação através do amor e da dor, potencial infinito, humanização das organizações, filantropia e solidariedade aos 50+. O público ainda pode ser impactado com um capítulo que deixa a reflexão: O amor pode mudar vidas e estimular o empreendedorismo depois dos 50?

 

Ficha técnica

Lançamento do Livro: Revolução 50+

Coordenação: Andréia Roma e Betty Dabkiewicz

Data: 09/04/2021, às 19h

Lançamento pelo Youtube: https://www.youtube.com/c/EditoraLeader

Editora: Leader

Site: http://www.editoraleader.com.br

 

Categorias
Entrevistas Notícias do Jornal

Advogados e estresse: sentença perigosa

 

Por: Claudia Mastrange

Roteiros de filmes e de novelas destacam as performances dos advogados nos tribunais. São cenas emocionantes, impactantes e também glamorosas, porém, na vida real, o cotidiano do profissional de advocacia recebe uma sentença pesada: o estresse. É o que mostra o livro “Estresse em Advogados”, editado pela Chiado Brasil e escrito pela professora universitária mestre em Psicologia Social com formação em gerenciamento do estresse pelo International Stress Management Association, Fátima Antunes.

Lançada recentemente, a obra é  resultado do primeiro estudo realizado no Brasil sobre a saúde física e mental dos advogados, que somam cerca de um milhão, de acordo com pesquisa realizada pela Selem, Bertozzi & Consultores Associados, em 2018. Com o apoio da OAB-RJ, foram entrevistados 702 advogados. A pesquisa revelou o alto nível de exaustão dos que se dedicam a defender os direitos do cliente.

“Mas nem todos conseguem assumir que estão adoecendo. A aceitação do problema ocorre somente quando a fragilidade emocional limita as atividades profissionais”, diz em entrevista ao Jornal DR1 Fátima Antunes, casada há 25 anos com um advogado e também à frente do Projeto Viver Direito. Confira a entrevista.

 

JDR1 – Por que escolher o estresse como foco de estudo em sua área de atuação? 

Fátima Antunes – Porque é um fenômeno cada dia mais presente na vida das pessoas.

 

JDR1 – Como decidiu estudar o tema, relacionando ao exercício da profissão de advogado? 

Fátima Antunes –  Convivendo com diversos advogados, percebi que se tratava de um profissão que gera um elevado nível de ansiedade e frustração e que isso muitas vezes adoecia psicologicamente os profissionais. Eles nem sempre se percebem a gravidade dos sintomas e continuam envolvidos em suas atividades profissionais. Negligenciam a vida pessoal e a saúde em função da carreira.

 

JDR1 –  Que sintomas o advogado pode identificar indicativos de estresse e quando já se torna um estágio ‘perigoso’?

Fátima Antunes – Quando o advogado começar a perder a paciência com os clientes, perder audiências e começar a ter dificuldade de memória e concentração deve ligar o sinal de alerta, mas  especialmente quando começar a precisar beber ou tomar remédios para  dormir. Este pode ser um sintoma muito preocupante.

 

JDR1 –  O que você foi identificando durante a pesquisa com 702 indivíduos e o que mais te surpreendeu? 

Fátima Antunes – O que mais me surpreendeu foi o fato de identificar níveis de estresse mais elevados em advogados mais novos e nas mulheres advogadas. Os mais novos tendem a se estressar mais porque não possuem uma vida financeira estabilizada e a as mulheres em função da dupla jornada de casa e trabalho.

 

JDR1 – Em que esse estresse pode influenciar, tanto na vida profissional, quanto na pessoal? 

Fátima Antunes – Na vida pessoal interfere nas relações pessoais, principalmente. Por isso é muito comum você conhecer advogados que tiveram muitos casamentos. Na vida profissional, interfere nas relações com clientes em geral e nos prazos, pois a ansiedade muitas vezes interfere nos pensamentos e na forma como se adapta às condições do trabalho.

 

JDR1 – Explique um pouco mais que, no geral, a  aceitação do problema ocorre somente quando a fragilidade emocional limita as atividades profissionais?

Fátima Antunes – Um profissional da advocacia aprende que só terá sucesso profissional e financeiro se ganhar a causa que esteja sob sua responsabilidade. Por isso, tem dificuldade de aceitar perdas e frustrações. Esta condição acaba por fazer com que eles se sintam fragilizados. Porém eles têm uma enorme dificuldade de assumir suas vulnerabilidades e fragilidades, o que faz com que muitas vezes deixam de cuidar de problemas emocionais, que se transformam em sintomas psicossomáticos e que se agravam cada dia mais pelo não tratamento. Entramos em um ciclo que não termina, pois a cada dia há mais estresse e mais adoecimento.

 

JDR1 ––  No livro você fala sobre armadilhas imposta pelo temperamento desafiador e competitivo do advogado. temperamento alimenta mais o estresse?

Fátima Antunes – Sim, como disse, o advogado é preparado para ganhar, e assim, todas as suas habilidades e comportamentos são reações para se adequar ao melhor resultado profissional. A autocobrança e a necessidade de ganhar sempre para que possa manter a condição financeira e de status profissional, acaba fazendo com que esses profissionais vivam intensamente a profissão. Não raro, ficam 24h por dia pensando ou envolvidos em trabalho.

 

JDR1 –  Em meio a uma pandemia, a situações de estresse se estendem a todas as áreas. Como gerenciar da melhor forma?

Fátima Antunes – A pandemia veio mostrar que as pessoas precisam se reinventar, que ao invés de olhar para os problemas precisam criar soluções. Os fatores estressores são exacerbados pelas características do mindset. Quanto mais uma pessoa é positiva e busca solução, menor será o impacto do estresse na sua vida. A melhor forma de gerenciar o estresse é buscando o autoconhecimento, reconhecer os pontos positivos e negativos e saber como autogerenciá-los no dia a dia. E aprender também a buscar soluções para alguns problemas em que isso é possível.

 

JDR1 –  Conte um pouco mais sobre o projeto Viver Direito.

Fátima Antunes – O projeto viver direito é um trabalho que tem por objetivo melhorar a saúde mental na advocacia. Atendimento psicológico a advogados e outros profissionais da área jurídica, palestras em escritórios de advocacia são ações que pretendem e ajudá-los a entender e conviver com os aspectos da profissão e aprendendo a gerenciar as emoções.

Categorias
Colunas Notícias do Jornal Pascal Coppens | Novo Normal da China

O Novo Normal da China: OVO OU BANANA?

Não, não estou falando de uma dieta rica em vitaminas e minerais, embora eu gostaria de poder transformar cada empresa ocidental em um fisiculturista para enfrentar o poder da nova China. Não, “ovo” é a descrição que os chineses dão aos ocidentais que conhecem a China “de dentro para fora”, que quase se tornaram chineses: em outras palavras, “branco por fora, mas amarelo por dentro”. Claro, uma banana é exatamente o oposto: ‘Amarela por fora e branca por dentro’. Em outras palavras, um chinês que tem um conhecimento íntimo do Ocidente ou que se comporta como um ocidental.

E embora possa parecer racismo para um ocidental chamar um chinês de ‘amarelo’ ou de ‘banana’, na verdade meus amigos chineses não têm problema em me chamar de ‘ovo’, se eles querem me dar uma ‘cara amarela’ na presença de seus amigos e conhecidos chineses. Isso é bem-intencionado da parte deles, mas sempre me deu uma sensação confusa, porque ainda me considero um europeu e um belga. Mas nem sempre é o caso com um número crescente de meus próprios amigos ocidentais na China. Muitos deles agora se gabam de que nunca poderiam viver felizes no Ocidente lento, indeciso e complicado. Para eles, tudo na China é sempre melhor. Essa não é minha opinião. Ao mesmo tempo, tenho a sorte de ter muitos outros amigos “ovo” que continuam a me inspirar, porque conhecem a China como a palma da mão (muitas vezes melhor do que os próprios chineses). Na minha experiência, a China não é melhor nem pior do que a Europa ou a América: é apenas diferente… E, muitas vezes, muito diferente. Um normal diferente? Um novo normal? Ao mesmo tempo, às vezes também são notavelmente semelhantes. Inesperadamente semelhante. Afinal, no final das contas, somos todos pessoas, não somos?

A inovação também é produto de pessoas, pelo menos por enquanto. Por esse motivo, dedicarei muito mais atenção neste livro aos motivos e transformações causados pelas empresas e consumidores chineses do que aos impulsionados pelo governo chinês. Sei que, como resultado, uma série de questões importantes não serão discutidas em profundidade, como direitos humanos, controle do Estado, expansionismo ou espionagem. Embora esses tópicos sejam todos relevantes e as perguntas necessárias devam ser feitas, na minha opinião é a urgência da China de inovar que nós, no Ocidente, devemos levar mais a sério, já que isso representa a maior ameaça clara e presente para nossa economia e nosso caminho da vida.

Trecho do livro: O Novo Normal da China
Contato e informações sobre as palestras de Pascal Coppens: +55(84) 999833497

Categorias
Cultura

Lançamento do livro “Emprego Certo” acontece nesta quinta-feira (28)

Livro dá dicas na prática para conseguir “trabalho dos sonhos”

 

O livro “Emprego Certo” é um verdadeiro guia para quem deseja escalar novos patamares na carreira e conquistar o tão desejado “emprego dos sonhos”. A obra do especialista em Recursos Humanos e ceo da Employability, Claudio Riccioppo prepara todo um caminho com técnicas e conselhos que o acompanham em sua experiência de mais de 20 anos em recolocação de pessoas no mercado de trabalho, para que o candidato possa ter uma ascensão profissional e conquistar as melhores vagas.

Para o autor, o novo emprego dos sonhos é consequência de uma boa empregabilidade: “Se os resultados que você pretende alcançar na conquista de um novo projeto profissional não estão acontecendo, tenha certeza que será de suma importância investir tempo em ferramentas”. Emprego Certo ensina às pessoas o que elas podem fazer de diferente para se destacar frente aos inúmeros concorrentes.

“A maioria das pessoas em busca de recolocação se limitam às ferramentas tradicionais do processo, ou seja caminham pelo mesmo trajeto de busca por um novo emprego: ficam a cadastrar o seu currículo na internet em todos os sites de vagas e se dispõe somente ao botão enviar currículo, achando que se candidatando com quantidade terão mais chances de serem escolhidos. Isso é um grande erro! Neste livro, irei lhe orientar como sair do caminho comum e conseguir ter acesso direto aos recrutadores, criando com estes um relacionamento que possa lhe permitir ser mais que uma folha rígida de papel em suas mãos”, explica.

 

Em 10 capítulos, o livro aborda temas como: direcionamento de carreira, definição, elaboração curricular, entrevistas de emprego, conceitos básicos de negociação salarial, simulação de entrevista, LinkedIn, Job Hunting, Professional Branding e apresenta dicas valiosas de planejamento de carreira. Além disso, a obra também busca trabalhar no candidato elementos emocionais, como o medo e incentiva os leitores a ter confiança e partir para a ação! Emprego Certo ainda deixa indagações para fazer o público refletir e decidir qual caminho trilhar.

 

Sobre Claudio Riccioppo de Moraes

É mercadólogo e especialista em Apoio à Recolocação de Executivos e Profissionais, com centenas de empresas parceiras a nível nacional, já recebeu diversos prêmios do seu setor como Top Quality e Executivo de RH do ano. Possui quase 20 anos no mercado de Recursos Humanos com milhares de Clientes satisfeitos, diversos artigos e matérias publicadas em dezenas de sites, jornais, rádios, revistas especializadas e Tv´s.

 

Lançamento do Livro

Autor: Claudio Riccioppo de Moraes

Data: 28/01/2021 às 20h

Link do lançamento online: Instagram @seu.sucesso.profissional

Link para compra: https://www.autografia.com.br/produto/emprego-certo/

Editora: Autografia

 

Categorias
Cultura Destaque

ROSA, FAMA E METAMORFOSE: ENSAIOS PARA A POTÊNCIA HUMANA CRIATIVA

Produzido pela editora InMediares e organizado pela Doutora em Educação Adriana Doyle Portugal, “Rosa, Fama e Metamorfose: ensaios para a potência humana criativa” é uma coletânea de 26 textos escritos por Eduardo Alves de Carvalho e publicados pelo Observatório das Favelas, em formato de artigos, entre 2017 e 2018. Na ocasião, Eduardo era diretor na instituição, situada no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. A cabeça pensa onde os pés pisam: os textos são contribuições ao pensamento de quem está antenado nos giros globais mas em ação no seu bairro, escola, sindicato, comunidade. Em um dos textos, o autor articula Guerra e Paz de Tolstói com a figura da revolucionária socialista Rosa Luxemburgo, para alertar dos perigos da estética da guerra – do desejo de supressão e extermínio do outro, que permeavam as organizações políticas de seu tempo – “Repetir os erros do passado hoje, pode ser fatal”, pontua. O autor propõe em todo o livro a radicalização o processo de democratização, de constituição do comum, do diálogo e de convivência com a diversidade, tendo a democracia como estratégia fundamental.   Os textos são uma reflexão profunda e de grande relevância no contexto atual.

Como bem definiu Adriana Doyle: “Em tempos de retrocessos, a democracia se torna um valor necessário, pois é a garantia da existência das organizações da sociedade civil e de sua convivência histórica e social dentro da pluriversidade política, cultural, estética e, sobretudo, humana. Ampliar e aprofundar a democracia é tarefa central como suporte estrutural da nossa existência organizada e coletiva”. Na visão de Adriana, “os ensaios de Edu indicam também um caminho possível e necessário, o de um tripé sem o qual será muito difícil avançarmos: organizar, formar e agir”, enumera a educadora.

 

Foto: Divulgação

A ideia de reunir em um livro os ensaios escritos por Eduardo nasceu da vontade do autor de aguçar nas pessoas o desejo de saciar a sede de saber: “No momento atual em que vivemos, a leitura não tem sido um convite e o conhecimento parece não despertar energia de desejo nas pessoas. A imagem que predomina em meus olhos e sentidos é a de que vivemos em uma grande festa na qual a ignorância e a mentira são os principais personagens e dançam de mãos dadas. E é nesse contexto que surge este livro que substitui momentaneamente o computador de bolso, chamado de celular, entre sua mão e sua cabeça, ao menos por alguns minutos”, pontua o autor. Para Eduardo, a obra “é uma pequena e singela colaboração, com o objetivo de contribuir para pôr fim a essa festa aterrorizante e ampliar o estímulo para que, no palco principal da vida, esteja a potência humana criativa”.

O autor também falou sobre a expectativa com relação à obra: “Quero expressar ainda o meu desejo de que estas palavras estimulem a leitura e movimentem a energia para nossos desafios coletivos e contemporâneos, assim como agradecer a todos que me leem e que fazem parte desta história. Que todas nós, pessoas do nosso tempo, que estamos no mesmo barco e mesmo mar, compreendendo de modo diverso seus símbolos e significados, sejamos inundados pelo respeito à diversidade e construamos a mais intensa convivência, com amor, carinho e aprendizado com as diferenças”, deseja Eduardo.

Escrita apena em Português, a obra já está disponível para venda na página da editora Inmediares e da AmazonO livro também poderá ser adquirido durante o evento virtual – com o autógrafo do autor.

 

Eduardo Alves de Carvalho

Poeta, cientista social pela UFRJ, cursou Ciências Econômicas, na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ. Com 16 anos, Eduardo já era secretário de juventude do Partido dos Trabalhadores – PT. Posteriormente, atuou como secretário de formação política do partido, junto aos diretórios municipal, estadual e nacional, sendo também da secretaria nacional. Foi da Teologia da Libertação e atuou na Juventude Operária Católica e em Pastorais. Em Brasília, foi assessor do Sindicato do Servidores Públicos Federais – SINDSEP-DF, por dois anos, e assessor da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal – CONDSEF, por onze anos. Foi assessor do vereador Adilson Pires em seu primeiro mandato no Rio de Janeiro e foi chefe de gabinete do deputado estadual Marcelo Freixo, por seis anos. Foi coordenador da Escola Popular de Comunicação Crítica – ESPOCC e, nos tempos de produção destes ensaios, foi diretor do Observatório de Favelas, situado no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, atuando no Instituto Maria e João Aleixo – IMJA. Atualmente, Eduardo é coordenador pedagógico do projeto de formação política do Instituto Pensamentos e Ações para a Democracia – IPAD. A publicação de um livro de Eduardo, neste momento de sua vida, possui um valor simbólico imensurável. Sua trajetória brilhante e profundamente ética como intelectual orgânico da periferia e, sobretudo, na vida política, torna este livro um marco de sua trajetória, ainda viva, potente e criativa, apesar do contexto pessoal e das dificuldades que enfrenta diariamente por problemas de saúde.

Por Adriana Portugal

Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca Destaque

Editora Laszlo lança livro que ensina o caminho para envelhecer com saúde

Envelhecer com saúde é o desejo da maioria das pessoas e cuidar da alimentação é um dos meios para se ter uma vida longeva e ativa. Com o passar do tempo, o corpo começa a nos mostrar que a energia dos 20 e poucos anos ficou para trás, é quando dores e um ou outro problema de saúde surgem com mais frequência. Mas muito dos males que acometem às pessoas com o passar dos anos podem ser evitados com a mudança de hábitos e estilo de vida.

Conhecer as respostas do corpo através do que oferecemos para ele – seja pela alimentação ou do próprio meio em que se vive – pode evitar 90% das doenças e sinais de envelhecimento ao qual estamos sujeitos a vivenciar. É esse o tema do lançamento da Editora Laszlo, “Mais jovem pelos seus genes”, da autora Sara Gottfried. O título aborda os efeitos da epigenética e o quanto a saúde e o bem-estar podem andar juntos com a maturidade a partir do nosso investimento em autocuidado.

Cientista, pesquisadora, palestrante, professora de yoga e médica ginecologista formada em Harvard, Sara Gottfried tem mais de 25 anos de experiência. É autora de livros que frequentemente ocupam as listas dos mais vendidos do The New York Times e da Amazon.

Foto: Divulgação

A obra apresenta um programa de sete semanas, composto de um conjunto de propostas relacionadas à alimentação, ao sono, ao movimento, ao relaxamento, à exposição, ao descanso e ao pensamento. Depois desse período, o protocolo “Mais Jovem” funciona de forma contínua para manter as células se dividindo para sustentar os mecanismos de reparo do DNA e para reduzir suas chances de uma doença degenerativa, por exemplo. “Ao longo da vida, as influências mais profundas para a sua saúde, vitalidade e funcionamento não serão os médicos que você visita, os remédios e as cirurgias e outras terapias as quais você recorre. As influências mais profundas serão os efeitos cumulativos das decisões que você toma a respeito da sua dieta e estilo de vida na expressão de seus genes”, define o nutricionista genético Jeffrey Bland, que assina uma das citações do livro.