Categorias
Arte Destaque Esporte Notícias Rio

Como proteger os pequenos na web?

Psicóloga alerta para exposição de crianças nas mídias e redes sociais e os comentários de haters.

Você percebe que seu pequeno é talentoso e as pessoas aconselham que essa habilidade seja desenvolvida. E, de repente, seu filho está em

Foto : Divulgação

muitos cursos, workshops, oficinas e isso com apenas 4, 5 anos. Além disso, a exposição na mídia e nas redes sociais o transformaram em uma mini celebridade. Será que tantas atividades são encaradas com prazer? Mesmo pensando em garantir um bom futuro, seria esse o melhor caminho para garantir boas oportunidades? E essa fama precoce, como deve ser administrada?

Essas perguntas, com certeza, são questionamentos frequentes de pais de crianças com talentos para a arte, esporte e cultura. E muitos acabam sendo vítimas de comentários maldosos dos famosos haters que não poupam nem mesmo os pequenos.

Um bom exemplo foi o que aconteceu recentemente com Elisa de Freitas, de apenas 4 anos, apelidada carinhosamente de “Minnie”. Com

Foto : Divulgação

a conquista da medalha de prata pela skatista Rayssa Leal, a “fadinha”, nos jogos olímpicos de Tóquio, a pequena Elisa ganhou os holofotes como uma promessa para o esporte. A menina chama atenção pelo desempenho de suas manobras. Elisa foi notícia em jornais, portais, rádios e tvs e conquistou seguidores nas redes sociais. Mas, além de admiradores e incentivadores, a menina também foi vítima de comentários racistas e de críticas aos pais pela exposição.

Os pais contam que Elisa começou a se interessar pelo skate aos 2 anos de idade. Aos 3, já demonstrava habilidade e coragem para fazer manobras.

Elisa ama andar de skate. É uma diversão – garante a mãe Leidiane.

Mesmo assim, foram inúmeros os comentários de que eles não deveriam expor a filha. Críticas e até mesmo insinuações maldosas.

Foto : Divulgação

Para a psicóloga e analista comportamental Simone Rosa é preciso que os pais fiquem atentos a algumas questões para evitar problemas emocionais para as crianças. De acordo com ela, a primeira coisa que deve ser analisada é se o sonho é realmente da criança.

Os pais costumam projetar seus próprios sonhos nos filhos. Mas é preciso saber o limite. Essa atividade da criança tem que ser encarada de forma lúdica. Se acertar tudo bem, se falhar tudo certo também. Não colocar como algo competitivo demais, mas como uma grande diversão. Simone acredita que a postura dos pais de Elisa é acertada.

Desenvolver o talento da criança, mas sempre respeitando o limite e deixando um tempo para as brincadeiras com outras crianças.

O ideal é que se incentive a criança naquilo que ela tem habilidade, mas entendendo que ela tem limite e jamais ultrapassá-lo – ressalta.

Com relação à exposição pública e as inevitáveis críticas, é preciso muita conversa e proteção.

Como a criança ainda não atingiu a maturidade para essas questões mais adultas, ela precisa ser preservada. Mesmo assim, como é possível que isso, de alguma forma, chegue até ela, seja até mesmo através de um coleguinha, é preciso muita conversa para que nada disso atinja a sua autoestima e se transforme em um possível problema emocional  – conclui.

Categorias
Destaque TV & Famosos

Entrada de Marcos Mion na Globo repercute nas redes sociais

*Por Giovanna Fraguito

A contratação do apresentador Marcos Mion pela Rede Globo foi festejada nas redes socais e gerou uma série de memes no Twitter.

A felicidade do apresentador pela contratação na TV Globo contagiou fãs e espectadores. A estreia na tela da emissora foi na sexta-feira, dia 13/08, no “Encontro com Fátima Bernardes”. A apresentadora, que guiou a nova estrela em um tour pelos Estúdios Globo, também se divertiu com as reações emocionadas.

“Espero um dia ficar tão feliz num emprego como o Mion na Rede Globo”, disse um dos seguidores, ao mostrar as fotos que Mion tem compartilhado. “Sem dúvidas, o Mion é o único brasileiro feliz na face da terra”, brincou outra internauta.

Nas redes sociais, Marcos Mion tem compartilhado todos os momentos no novo emprego e não escondeu que está muito feliz.

“Assim, muito obrigado por todo o carinho. Não vou ficar fingindo costume não. Tenho 23 anos de carreira extremamente bem sucedidos, mas eu estou surtado de felicidade e vou demonstrar até porque que sirva de inspiração para todo que tenham fé, objetivo, um sonho. O sonho é possível”, disse.

Categorias
Brasil Cultura

Talokudo – Humorista do Rio Grande do Norte é sucesso nas redes sociais

Com mais de três milhões de seguidores, o humorista Talokudo, 30 anos, nascido em Mossoró, Rio Grande do Norte, é hoje um fenômeno nas redes sociais, graças aos seus personagens, suas paródias e vídeos com imensa repercussão. Recentemente, o seu vídeo ´Aniversário de Ketley´ ficou em primeiro lugar entre os mais assistidos no YouTube e o que surpreende a todos é que na mesma gravação, ele interpreta vários personagens ao mesmo tempo.

“O meu humor é aquele que o público se identifica com aquela situação que está vendo”, conta ele, que estreou nesse mês de março, em Mossoró, o stand-up “Consultório da comédia”, mas precisou ser paralisado por conta do aumento dos casos de coronavírus. Dentro desse projeto, ele criou o espaço Open Mic, para dar oportunidade a novos humoristas. Durante a pandemia, para alegrar os seus seguidores, diante de tanta tristeza, criou personagens como as hilárias Dona Jacinta, Katia, Jéssica, Ketley, entre outros, que estouraram nas redes sociais, alguns chegando a dez milhões de visualizações.

Crédito – Zenden Silva

Seu talento artístico começou ainda na escola. “Participei de algumas peças teatrais e mesmo sem cunho humorístico, elas viravam uma comédia quando eu começava a falar meus textos e a interpretar. Alguns anos depois, um amigo apareceu com uma câmera tekpix e daí, surgiram os primeiros vídeos imitando cantores, gravando danças, etc… Para deixar registrado, postava em um canal no YouTube”, relembra Talokudo, que, na adolescência, também participou de apresentações musicais em bares de sua cidade, além de integrar parte de um grupo de capoeira.

Em 2006, aos 16 anos, deixou um pouco de lado a diversão, e começou a trabalhar como motoboy em um petshop. Não deixou os vídeos de lado, mas sem a dedicação de antes por conta de trabalhar de nove a dez horas por dia. Neste mesmo ano, recebeu uma proposta de uma empresa do Canadá para associar seu canal ao grupo.  “Eles tinham o intuito de colocar anúncios publicitários em meus vídeos. Não tive dúvidas de que ali era uma forma de trabalhar com o que eu realmente amava fazer: comédia. Larguei a moto e me foquei mais nos vídeos”, enfatizou. Com a mudança e o investimento, Talokudo chegou a atingir mais de 10 milhões de visualizações no Facebook e um milhão no YouTube com a versão cômica do clipe da música “Porque homem não chora”, do cantor Pablo do Arrocha.

O auge veio de 2016 para 2017, período em que suas paródias bombaram na internet, e veio o convite para participar do quadro ‘Canjica Show’, do programa ‘Legendários’, na Record TV, apresentado por Marcos Mion. “Foi um divisor de águas em minha vida. A primeira oportunidade de mostrar o meu trabalho em rede nacional, e também uma superação dos meus limites, força e coragem, pois dias antes de ir até São Paulo, peguei a doença chikungunya, que deixa todas as articulações do nosso corpo doloridas. Eram dores fortes, ao ponto de você não conseguir nem andar direito, sem falar na dor de baixo dos pés, a cada pisada no chão, mas eu não podia me deixar vencer ali, já que a minha apresentação era uma performance musical que exigia dança, voz, e muita condição física. Então, tomei alguns medicamentos e viajei em busca de realizar um dos meus sonhos. Durante a participação, não lembrei das dores, do cansaço, só cantei minha paródia e conquistei todos os jurados, recebendo a aprovação de todos eles!”, conta ele, que ganhou nota máxima na atração, assim como aconteceu, no ano passado, durante a pandemia no ´Gonga la Gonga´, do `Caldeirão do Huck´, na TV Globo,

Um ano depois, quando abriu o show do humorista Lucas Veloso, filho do falecido Shaolin, Talokudo decidiu lançar o seu stand-up. Fez participações em teatros e eventos, alguns shows solos e outros com presenças de renomados humoristas, como Renan da Resenha.

Em 2019, se juntou ao músico Dan Ventura, líder da Banda Bonde do Maluco, e lançaram o hit “Tutorial do quadradinho”, que ensina a como tirar a calcinha da bunda sem usar as mãos. “Aqui no Brasil, todos os anos são escolhidos os hits do carnaval. Então, pensei em criar uma música divertida e dançante para ser uma das favoritas e foi bastante tocada aqui pela nossa região”, comemora.

Além do sucesso nas redes sociais e em suas apresentações, Talokudo planeja lançar um aplicativo para seus fãs. “Esse projeto é para o meu público infantil. O app será com a minha personagem Ketley, feita para as crianças cuidarem dela, dar banho, comidinha, trocar de roupa e brincar com alguns minijogos”, completa.

Redes sociais Talokudo:
Tik Tok – @talokudo
Instagram – @talokudo
YouTube – https://www.youtube.com/channel/UCQ8a1n0D1PjI8fxR1AxHKRQ
Facebook -@talokudo

Categorias
Aisha Raquel Ali | Tecnologia Diário do Rio Nossa Ideia é Notícias Notícias do Jornal Tecnologia

O Instagram e suas novidades

Não é novidade que umas das redes sociais mais utilizadas no mundo é o Instagram. E, depois de alguns escândalos envolvendo os Apps de Marc Zuckerberg, parece que teremos novidades animadoras em uma de nossas mídias queridinhas.

Visualização de likes – Desde 2019, rede social passou a ocultar quantidade de ‘likes’ nas postagens; somente o dono do perfil tinha acesso ao total. Agora, ver essa informação nos seus posts e nos de outras pessoas será opcional.

De acordo com a rede social, “uma parcela das pessoas poderá decidir qual a melhor opção” entre três disponíveis:

1. Não visualizar o número de curtidas em publicações de outras pessoas (que é a regra atual);

2. Desativar a contagem para suas próprias publicações;

3. Manter a experiência original, exibindo o número total de curtidas em ambos.

Instagram Lite – Versão mais leve do Instagram para Android chega ao Brasil nesta semana. O Instagram Lite, como é chamado, ocupa somente 2 MB na memória do smartphone e promete consumir menos internet. O app tradicional tem cerca de 30 MB ao ser baixado – ou 93% maior.

O Instagram apontou que 23% das pessoas na América do Sul se conectam na internet utilizando redes 2G, que são muito mais lentas do que a internet 4G.

Conteúdos sobre tratamentos sem comprovação científica – Facebook e Instagram terão novos alertas com selos em conteúdos sobre tratamentos sem comprovação científica. Os novos rótulos chegarão às redes sociais nas próximas semanas, utilizando como fonte a Organização Mundial da Saúde (OMS) com o seguinte comunicado: “Alguns tratamentos COVID-19 não aprovados podem causar danos graves”.

Usuários poderão solicitar remoção de conteúdos para Comitê de Supervisão – Usuários do Instagram poderão pedir ao conselho de supervisão independente da empresa a revisão de conteúdos deixados nas plataformas. Anteriormente, apenas o comitê podia fazer esse tipo de solicitação.

Estamos vendo o trabalho árduo dos administradores por uma comunidade mais inclusiva. Esperemos por novidades.

Aisha Raquel Ali
Webdesigner, assessoria em social media e marketing
aisha.raquel@jornaldr1.com.br

Categorias
Notícias do Jornal Tendências

Estilo de sobra para arrasar nas redes sociais

 

As redes sociais são ótimas alternativas para ganhar visibilidade criando conteúdos para se relacionar com os amigos e com o público em geral. O grande chamariz são os vídeos , com seu conteúdo criativo e visual apurado. Eles se tornaram a grande chave para o sucesso nessas plataformas.

E para impactar os seguidores, além da criatividade nas postagens, um look perfeito e com personalidade também faz a diferença, ainda mais entre a garotada.

Jacque Schreiber, coordenadora de estilo da BrandilliTêxtil dá cinco dicas com truques e detalhes para a turma que quer arrasar nos vídeos das redes sociais.

Foto: Peças Coleção Verão 2020 Brandilli, Young Class e Extreme

 

Cuidado com as listras

Se você não quiser causar ilusão de ótica, evite roupas com listras, ou as use com cautela. Conhecido como “efeito moiré”, esse tipo de roupa pode acabar criando essa impressão estranha aos olhos e confundir quem assiste, até mesmo tirando o principal foco do conteúdo criado. Uma boa alternativa são peças com detalhes nessa estampa. Você pode optar por peças mais lisas sem medo, ou também apostar em florais ou opções divertidas e interativas.

Evite cores que combinam com o cenário

Se a  ideia é fazer do look seja um dos destaques do vídeo, preste atenção ao cenário em volta antes de escolher o que irá usar. Se está em local ao ar livre com muito verde, evite um look com o verde no mesmo tomo. O ideal é sempre procurar um contraste, uma peça mais clara em um fundo mais escuro e vice-versa.

Seja ousado e crie seu próprio estilo

Estar atento às tendências faz toda a diferença. Mas, é preciso ter estilo próprio. Seja ele mais clássico e tradicional, esportivo, romântico ou moderno. Nesta estação, estão em alta peças tie-dye, estampas florais, geométricas, animal print, entre outros. Opções que combinam entre si e também com as cores em evidência no momento.

Foto: Peças Coleção Verão 2020 Brandilli, Young Class e Extreme

Fique de olho nas cores da estação

Cada estação tem as suas cores de destaque. Em 2021 os queridinhos são tons que inspiram a capacidade de invenção e a criatividade. São versões de azul, amarelo, verde, rosa, vermelho e, é claro, o neon. Tudo isso pode ser somado a muito brilho, strass, apliques e bordados que trazem originalidade.

Por: Cláudia Mastrange

Categorias
Destaque Notícias

Brasil perde 4,6 milhões de leitores em quatro anos

O Brasil perdeu, nos últimos quatro anos, mais de 4,6 milhões de leitores, segundo dados da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil. De 2015 para 2019, a porcentagem de leitores no Brasil caiu de 56% para 52%. Já os não leitores, ou seja, brasileiros com mais de 5 anos que não leram nenhum livro, nem mesmo em parte, nos últimos três meses, representam 48% da população, o equivalente a cerca de 93 milhões de um total de 193 milhões de brasileiros.

As maiores quedas no percentual de leitores foram observadas entre as pessoas com ensino superior – passando de 82% em 2015 para 68% em 2019 -, e entre os mais ricos. Na classe A, o percentual de leitores passou de 76% para 67%.

O brasileiro lê, em média,  cinco livros por ano, sendo aproximadamente 2,4 livros lidos apenas em parte e, 2,5, inteiros. A Bíblia é apontada como o tipo de livro mais lido pelos entrevistados e também como o mais marcante.

Esta é a 5ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada pelo Instituto Pró Livro em parceria com o Itaú Cultural.

Foram feitas 8.076 entrevistas em 208 municípios entre outubro de 2019 e janeiro de 2020. A coleta de dados foi encomendada ao Ibope Inteligência. A pesquisa foi feita antes da pandemia do novo coronavírus, não refletindo, portanto, os impactos da emergência sanitária na leitura no país.

Internet e redes sociais

De acordo com a coordenadora da pesquisa, Zoara Failla, a internet e as redes sociais são razões para a queda no percentual de leitores, sobretudo entre as camadas mais ricas e com ensino superior.

“[Essas pessoas] estão usando o seu tempo livre, não para a leitura de literatura, para a leitura pelo prazer, mas estão usando o tempo livre nas redes sociais”, diz.

“A gente nota que a principal dificuldade apontada é tempo para leitura e o tempo que sobra está sendo usado nas redes sociais”, completa.

O estudo mostra que 82% dos leitores gostariam de ter lido mais. Quase a metade (47%) diz que não o fez por falta de tempo. Entre os não leitores, 34% alegaram falta de tempo e 28% disseram que não leram porque não gostam. Esse percentual é 5% entre os leitores.

A internet e o WhatsApp ganharam espaço entre as atividades preferidas no tempo livre entre todos os entrevistados, leitores e não leitores. Em 2015, ao todo, 47% disseram usar a internet no tempo livre. Esse percentual aumentou para 66% em 2019. Já o uso do WhatsApp passou de 43% para 62%.

Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca

Teatro em casa para crianças

Disponibilizada gratuitamente nas redes sociais do Centro Cultural Light, entre os dias 9 e 15 de maio, a peça teatral retrata uma pane num videogame, onde os componentes ganham vida. O jogo “Splash” tem como objetivo ajudar uma Gota a encontrar outras iguais a ela para formar um rio. A encenação apresenta o tema da busca da felicidade de forma lúdica. A pane do jogo é consequência da crise existencial dos personagens. Eles começam a se questionar sobre suas convicções, seus desejos e percebem que têm escolha, algo impensável até então.

Alguma semelhança com o nosso momento atual? Confira você mesmo nas redes sociais do @centroculturallight) – Facebook e Instagram.

Sobre o espetáculo:

Um aparelho de videogame está em pane. Seus componentes, por algum motivo desconhecido, não funcionam mais como programado. Isso nunca havia acontecido. A pane foi tão grande que esses componentes ganham vida e resolvem descobrir o que aconteceu. Nessa busca, eles se deparam com o jogo que eles mesmos operavam. Trata-se do jogo Splash, cujo objetivo é ajudar uma Gota a encontrar outras iguais a ela para formarem um rio. Então eles resolvem ajudar esse ser virtual a cumprir seu objetivo para que tudo volte ao normal.

A encenação apresenta o tema da busca da felicidade de uma maneira lúdica e divertida. Os cinco personagens estão em crise existencial: a pane do jogo foi consequência dessa insatisfação, dessa incompletude de cada ser. E eles começaram a se questionar sobre suas convicções, seus desejos e perceberam que tinham escolha, algo impensável até então. De forma análoga, essas situações e sensações são experimentadas também por crianças, principalmente quando começam a se perceber como indivíduos no mundo.

Para esses dilemas, não existe uma solução ou fórmula: cada ser humano precisa mergulhar dentro de si para encontrar as possíveis respostas. Da mesma forma, no espetáculo as questões são levantadas e não se resolvem. Na narrativa dos componentes e no percurso da gota eles se transformam, experimentam e voltam ao ponto de partida. Mas essa volta não é a mesma, pois eles não são mais os mesmos. Foram transformados pelo percurso, pela reflexão que toda aquela situação gerou. Mais que respostas, são as perguntas que os moveram, que os transformaram.

Esse espetáculo da República Ativa de Teatro é resultado do projeto “A Parte Que Falta”.

FICHA TÉCNICA 

Direção: Rodrigo Palmieri

Dramaturgia: Vivi Gonçalves

Elenco: Fernanda Oliveira, Leandro Ivo, Thelma Luz, Thiago Ubaldo e Vivi Gonçalves

Direção de Vídeo, Jogos e Animações: Pri Argoud

Direção Musical, Trilha Sonora e Sound Designer: André Grynwask

Iluminação: Rodrigo Palmieri

Cenário e Arte Gráfica: Leandro Ivo

Figurinos: Thelma Luz

Fotos: Cacá Bernardes Vídeo: Bruta Flor

Produção: Fulano’s Produções Artísticas

Créditos: Cia República Ativa |Redes sociais: www.republicaativa.com.br Facebook.com/RepublicaAtiva
Parceria: Kommitment Produções Artísticas
Duraçāo: 50 min
Livre para todos as idades
Faixa etária: A partir dos 5 anos.
É proibida a reprodução total ou parcial do espetáculo sem autorização.