Categorias
Cultura Rio

Sucesso leva Leila Maria fazer novo show no Teatro Rival Refit 

 

 

 

Lançamento do single “Nosso Jazz”, dia 30/4, nas plataformas digitais
Transmitida diretamente do  Rival Refit  no último sábado (24/04), a live da cantora e compositora Leila Maria, revelada nacionalmente no The Voice+, foi um estrondoso sucesso. Com mais de  6.300 visualizações, o show  já é um dos recordistas  do “Abrindo Portas,  projeto criado pela equipe do tradicional teatro carioca. E o êxito foi tamanho que uma nova apresentação já foi agendada para o dia 22 de maio, às 19:30h.

Crédito: Marcello Castelo

Leila Maria, que encantou o país com suas performances no The Voice+, também está em fase de lançamento do single “Nosso Jazz”, música composta por Rodrigo Braga e Rodrigo Lampreia – com quem a cantora divide a faixa que estará nas plataformas digitais a partir do dia 30/4. Apesar do ineditismo, a canção foi gravada por Leila e Lampreia há mais de uma década.

Leila  ganhou essa notoriedade depois de uma trajetória de cerca de trinta anos pelos palcos, casas noturnas mundo afora e muita batalha. Foram  cinco singles, cinco álbuns (um deles, “Leila Maria canta Billie Holliday in Rio”, ganhou o Prêmio da Música Brasileira na categoria “Melhor álbum de língua estrangeira”) e inúmeras participações em festivais de jazz,  gravações com artistas famosos como Ed Motta, e espetáculos ao lado de grandes orquestras e ícones como o maestro Paulo Moura.

Conhecida pelos improvisos e divisões rítmicas, advindos das influências jazzísticas e discos trazidos pelo pai que era da Marinha Mercante, Leila cresceu admirando as grandes divas do gênero. “- Eu cantava jazz, MPB, bossa numa época em que das cantoras negras,  esperava-se que cantassem samba”, diz a artista. Apesar  disso, nos anos 80, os jornais começaram a contemplá-la com excelentes críticas e Leila Maria passou a ter um público cativo que a acompanhava durante temporadas pelos teatros e casas noturnas do Rio. Hoje esse público cresceu muito e a intérprete ganhou fãs inclusive famosos. Fato que pode ser constatado em suas redes sociais,  atualmente com milhares de seguidores (quase 25 mil no Instagram).

Categorias
Destaque Entrevistas Notícias do Jornal

Na trilha do sucesso: entrevista com o cantor Gustavo Tibí

 

O cantor Gustavo Tibí é um dos grandes sucessos do momento no Brasil. Ele participou da mais recente edição do reality musical da Globo, “The Voice Brasil”, em que o vitorioso na grande final foi Victor Alves. Mas à despeito do programa, Tibí já tem acumulado grandes conquistas. Ele compôs a música “O problema é que você sabe”, sucesso da banda Onze20, que já conta com mais de 1 milhão de visualizações no Youtube, além de ter feito parte da banda Jamz, finalista do programa “Superstar”, da Rede Globo, em 2014.

Agora em carreira solo, Tibí vem lançando músicas autorais. Ele que já conta com seu primeiro álbum solo intitulado “Quase Pop”, um disco pop com influências do R&B, Blues e soul, com nove faixas, sendo sete delas compostas por ele mesmo e duas em parceria com o amigo Cassiano Andrade. Entrevistamos o cantor, que falou um pouco de sua carreira e trajetória na música.

 

DIÁRIO DO RIO A paixão pela música é algo que sempre esteve na sua vida. Qual a sensação de poder viver da música? 

 

GUSTAVO TIBÍ – Desde criança eu digo que gostaria de ser músico. Então eu me sinto muito privilegiado em poder estar vivendo o meu sonho e acima de tudo, amar a minha profissão.

 

DIÁRIO DO RIO Você teve bastante sucesso com a banda Jamz, participando do programa da Globo “Superstar”, indicações ao Grammy Latino, entre outras conquistas. Como foi viver todos esses momentos?

 

GUSTAVO TIBÍ – Eu amo a sensação de ser reconhecido pelo meu trabalho, ganhar prêmios, mas nada se compara ao contato que temos com os fãs. É muito bom ouvir as histórias que eles contam e de como a sua música os ajudaram em algum momento. É uma sensação que não tem preço.

 

DIÁRIO DO RIO  O The Voice é um programa que abre oportunidades para cantores e músicos de todo o Brasil. Você consegue descrever como foi participar dessa temporada do reality musical?

 

GUSTAVO TIBÍ – Me sinto muito honrado de ter chegado até as quartas de final desse programa que eu tanto admiro. Fiquei muito feliz com toda a repercussão que a minha participação gerou e agora estou focado para aproveitar as oportunidades que estão surgindo.

 

DIÁRIO DO RIO Quais são as suas referências na música?

 

GUSTAVO TIBÍ – As minhas maiores referências são: Ray Charles, Stevie Wonder, Djavan, Beatles e Gabriel, O pensador.

 

DIÁRIO DO RIO Além de cantor e músico, você já chegou a atuar algumas vezes. Você pensa em trabalhar como ator também?

 

GUSTAVO TIBÍ – Penso muito! Eu gosto muito de atuar e eu quero muito colocar esse plano para 2021.

 

DIÁRIO DO RIO Sobre o seu primeiro álbum solo, “Quase Pop”, como tem sido o feedback do público? E como foi para você ter seu trabalho solo sendo reconhecido?

 

GUSTAVO TIBÍ – O primeiro álbum na vida de um artista é muito especial, já que é um compilado de tudo que ele compôs até o momento. Não tem nada melhor do que saber que as suas músicas fazem parte da trilha sonora da vida das pessoas. Agora, por conta do The Voice, muita gente tem me enviado mensagens de apoio e perguntar sobre o segundo álbum. Isso me deixa tão feliz e realizado.

 

DIÁRIO DO RIO Quais são os planos e projetos futuros para a sua carreira?

 

GUSTAVO TIBÍ –  O que eu posso revelar no momento é que ano que vem lançarei muitas coisas inéditas e eu estou muito ansioso para conseguir viajar pelo Brasil levando o meu som e conhecendo novas histórias.

Por: Luhan Alves- Com supervisão de Claudia Mastrange 

Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca Colunas

Mira Callado faz apresentação no Rival

A cantora e compositora carioca Mira Callado apresenta-se no Teatro Rival, no próximo dia 26 de dezembro (quinta-feira), às 19h30. Ela vai mostrar canções próprias – como “Hoje é teu dia” e “Mentira” – e interpretar clássicos da MPB, além de sucessos pop e da black music.

Mira Callado participou da primeira edição do “The Voice Brasil”, programa da TV Globo, em 2012. Ela integrou o time de Carlinhos Brown, com quem dividiu o palco na final do reality show interpretando “Mas que nada”, de Jorge Ben Jor, acompanhados de ninguém mais, ninguém menos do que o maestro e pianista Sérgio Mendes.

Um pouco mais sobre Mira Callado

Filha de músico e compositor, Mira é publicitária e começou a cantar profissionalmente aos 24 anos em bares e casas de show. Passeando por diversos gêneros musicais, participou de várias bandas de estilos diferentes, mas gosta mesmo é de sambalanço e MPB.

Tornou-se conhecida nacionalmente ao fazer parte do “The Voice Brasil”, em 2012, conquistando, de cara, os jurados ao cantar “Mania de você”, sucesso de Rita Lee.  Apesar de ter sido integrante do time de Carlinhos Brown, Mira arrancou elogios de todos os técnicos por sua versatilidade e suas versões repaginadas, totalmente diferentes dos originais. Não à toa, teve uma das maiores torcidas da primeira edição do reality show brasileiro.

Após o “The Voice Brasil”, começou a fazer seus próprios shows com seu repertório, algumas releituras de músicas cantadas no programa e outros hits, cantando com grandes nomes nacionais e colegas ex-participantes do reality. Apresentou-se, inclusive, no Teatro Rival em 2013.

Em 2015, lançou o álbum “Meu vício” com canções de sua autoria e a faixa “Linda rosa”, composta por Umberto Tavares e Jefferson Júnior, sempre muito pedida pelo público em seus shows.

Serviço

Teatro Rival – Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Centro/Cinelândia – Rio de Janeiro. Data: 26 de dezembro (quinta-feira). Horário: 19h30. Abertura da casa: 18h. Ingressos: R$50,00 (inteira) R$25,00 (lista amiga) Venda antecipada pela Eventim – http://bit.ly/TeatroRival_Ingressos2GIaEKp Bilheteria: Terça a Sexta das 13h às 21h | Sábados e Feriados das 16h às 22h Censura: 18 anos. https://www.teatrorival.com.br/ . Informações: (21) 2240-9796. Capacidade: 350 pessoas. Metrô/VLT: Estação Cinelândia.

*Meia entrada: Estudante, Idosos, Professores da Rede Pública e Assinantes O Globo