Categorias
Brasil Destaque Notícias

MP de Minas Gerais abre inquérito para investigar tragédia em Capitólio

Da Agência Brasil

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) anunciou a abertura de um inquérito civil para apurar a conduta do município de Capitólio (MG) na tragédia que levou 10 pessoas à morte. O episódio ocorreu no último sábado (8) após o deslizamento de uma rocha do cânion do Lago de Furnas, uma das principais atrações turísticas da região. 

O bloco de pedra despencou por volta de 12h30 no local onde estavam lanchas que transportavam dezenas de turistas. Logo depois do ocorrido, imagens gravadas por quem estava em embarcações menos afetadas se disseminaram pelas redes sociais.

De acordo com o MPMG, será apurado se a prefeitura cumpriu obrigações de identificação, mapeamento e fiscalização das áreas de risco. Os promotores também querem saber se a população estava suficientemente informada sobre os riscos dessas áreas. Será o terceiro inquérito aberto. Outra investigação já está em andamento pela Marinha, responsável por fiscalizar a navegação e estabelecer o ordenamento da orla nos cursos d ́água. Responsabilidades serão apuradas ainda pela Polícia Civil, que pretende recorrer ao auxílio de peritos em geologia.

Segundo o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, todos os mortos estavam em uma única lancha, embora mais uma tenha afundado e outras duas também tenham sido fortemente atingidas pelo impacto da rocha no lago. Vídeos que se disseminaram pela internet mostraram o ponto de vista de outras embarcações que, mesmo um pouco mais distantes, foram afetadas pela enxurrada de água que se formou, mas conseguiram deixar o local. Além dos mortos, pelo menos 24 vítimas precisaram de socorro em unidades de saúde, algumas com fraturas e escoriações.

Assim como em boa parte do estado de Minas Gerais, um alto volume de chuvas vem sendo registrado nas últimas semanas em Capitólio, localizado a cerca de 290 quilômetros de Belo Horizonte. Cerca de duas horas antes da tragédia, a Defesa Civil de Minas Gerais chegou a emitir um alerta de cabeça d’água (forte enxurrada em rios provocada por chuvas) para a região. Os passeios turísticos, no entanto, foram mantidos.

O prefeito da cidade Paulo Sérgio de Oliveira diz que o desprendimento de um bloco de grande porte é um acontecimento inédito e que uma lei municipal de 2019 disciplina o turismo no cânion, proibindo banhos na área de circulação das lanchas e limitando a 40 o número de embarcações que podem permanecer por até 30 minutos na área. Ontem, uma reunião entre as prefeituras de Capitólio e da vizinha São José da Barra foi realizada para discutir medidas voltadas para reforçar a segurança do turismo no Lago de Furnas.

A empresa Furnas Centrais Elétricas, que é controlada pela Eletrobras, divulgou nota lamentando o ocorrido e informando que apenas usa a água do lago para gerar energia elétrica. “Compete ao poder público a gestão dos demais usos múltiplos do reservatório”, sustenta a empresa, referindo-se ao controle das atividades turísticas na região.

Categorias
Brasil Destaque Notícias

Encontrados dois últimos corpos de vítimas de tragédia em Capitólio

Da Agência Brasil

Fragmentos de corpos das duas últimas vítimas desaparecidas no desmoronamento de um bloco de pedras no lago de Furnas, em Capitólio (MG), foram encontrados agora à tarde, informou o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais. Segundo a corporação, a tragédia deixou um saldo de dez mortos e pelo menos 32 feridos.

O oitavo corpo havia sido resgatado de manhã. Os corpos e fragmentos foram levados para o Instituto Médico Legal de Passos (MG), onde estão sendo identificados com a ajuda de papiloscopistas enviados pela Superintendência da Polícia Federal em Belo Horizonte.

Apesar de todas as vítimas terem sido localizadas, as buscas continuam para localizar mais pedaços de corpos e para verificar a possibilidade de que turistas solitários tenham desaparecido. Os trabalhos recomeçaram às 5h de hoje (9) e envolvem cerca de 50 pessoas, entre bombeiros e militares da Marinha. Ao todo, 11 mergulhadores do Corpo de Bombeiros atuam na operação.

A Marinha do Brasil emprega sete embarcações – quatro lanchas e três motos aquáticas. Ao todo, 30 militares trabalham: 20 no local do desastre e 10 no centro de coordenação montado no município de São João Batista do Glória, perto de Capitólio.

As operações haviam sido interrompidas às 19h de ontem (8) por falta de visibilidade. O desabamento ocorreu por volta das 12h30 desse sábado, quando um grande bloco de pedra se desprendeu do cânion do Lago de Furnas e caiu sobre pelo menos três lanchas. Duas embarcações afundaram.

Em relação aos feridos, a maioria sofreu ferimentos leves, mas pelo menos duas pessoas tiveram fraturas expostas e passaram por cirurgias em hospitais da região. Vídeos nas redes sociais mostraram o momento do desabamento, no principal ponto turístico do passeio de lancha, com duas cachoeiras na entrada do cânion.

Categorias
Brasil Destaque Notícias Rio

Barco naufraga na costa do Rio e deixa três mortos

Da Agência Brasil

O naufrágio de um barco na costa do Rio de Janeiro deixou três pessoas mortas. O acidente, segundo o corpo de bombeiros do estado, foi na manhã desta segunda-feira (1º), próximo à Praia das Gêmeas, em Rio das Ostras, na Região dos Lagos.

O barco pesqueiro teria se chocado com uma pedra e submergido a 1,5 quilômetro (km) da costa, de acordo com a corporação. Mais de 40 militares dos quartéis de Rio das Ostras, Macaé, Campos dos Goytacazes, Cabo Frio e do Grupamento de Busca e Salvamento (GBS) foram mobilizados, com apoio de motos aquáticas, botes e quadriciclos.

Ainda segundo o corpo de bombeiros, 13 pessoas foram resgatadas. Dessas, dez tripulantes foram socorridos e encaminhados com vida para a unidade de pronto atendimento (UPA) de Rio das Ostras. Três óbitos foram confirmados.

As buscas só foram encerradas após a varredura da embarcação pelos mergulhadores dos bombeiros, para garantir que não houvesse mais vítimas. As circunstâncias do naufrágio ainda serão determinadas.

Categorias
Brasil Destaque Notícias

Técnica de enfermagem é 262ª vítima identificada após desastre em Brumadinho (MG)

Da Agência Brasil

Mais uma vítima do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG) foi identificada pelo Instituto Médico Legal (IML) vinculado à Polícia Civil de Minas Gerais. Trata-se da técnica de enfermagem Angelita Cristiane Freitas de Assis. Funcionária da mineradora, ela perdeu sua vida aos 37 anos, deixando o marido e dois filhos.

O desastre ocorreu em janeiro de 2019 e, além da gerar impactos ambientais e socioeconômicos em diversas cidades, causou 270 mortes. Passados mais de dois anos e oito meses, ainda faltam encontrar corpos de oito vítimas. Os bombeiros prosseguem com as buscas.

Os restos mortais de Angelita foram encontrados no dia 5 de agosto. O processo de identificação foi conduzido pelo setor de Antropologia Forense do IML. Devido ao tempo que se passou desde a tragédia, as condições em que os corpos são encontradas nem sempre possibilitam um processo de reconhecimento célere.

Segundo nota divulgada pela Polícia Civil, foram realizadas inúmeras repetições do exame de DNA e contraprovas para se obter um laudo conclusivo. “Os procedimentos para a identificação envolveram três fases principais: a perícia no local do encontro do segmento; as análises no IML, para estimativa da idade, sexo e ancestralidade da vítima; e, por fim, os exames de DNA, conduzidos pela equipe do Instituto de Criminalística”, acrescenta o texto.

No último sábado (2), os bombeiros localizaram mais um corpo em Brumadinho. Ainda não se sabe, no entanto, se ele pertence a alguma das oito vítimas ainda não localizadas. “Todos os métodos para identificação estão sendo empregados”, informa a Polícia Civil.  Para facilitar o trabalho e torná-lo mais eficiente, foi construído um banco de dados sobre os desaparecidos, com base em entrevistas com familiares, histórico de exames clínicos e outras informações.

O Corpo de Bombeiros destacou a parceria com a Polícia Civil. “No mês em que se completam mil dias de empenho, a maior operação de busca e salvamento do mundo ultrapassa também um novo patamar: 97% das vítimas já foram localizadas e identificadas. Graças à sinergia do trabalho ininterrupto e estratégico dos órgãos de segurança pública comprometidos com a dignidade e respeito aos envolvidos na tragédia, mais uma família enlutada pode ter um pouco de sua tristeza diminuída”, informou em nota.

Devido às restrições decorrentes da pandemia da covid-19, os trabalhos dos bombeiros chegaram a ser interrompidos duas vezes. A primeira paralisação ocorreu de março a agosto do ano passado. Posteriormente, em 17 de março deste ano, houve uma nova suspensão. A retomada ocorreu no dia 12 de maio e, desde então, as buscas prosseguem sem novas paralisações.

Os esforços são acompanhados de perto pela Associação dos Familiares de Vítimas e Atingidos do Rompimento da Barragem da Mina Córrego do Feijão (Avabrum), criada pelos familiares dos mortos na tragédia. Em todos os meses, no dia 25, é promovido um encontro em frente letreiro de Brumadinho, na entrada da cidade. A entidade contabiliza 272 mortes na tragédia porque inclui na conta os bebês de duas vítimas que estavam grávidas.

Categorias
Brasil Destaque Notícias

Polícia Civil e Cenipa investigam acidente aéreo em Piracicaba

Da Agência Brasil

Investigadores da polícia civil e do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) apuram as causas do acidente aéreo que matou sete pessoas na terça-feira (14) em Piracicaba, no interior paulista.

De acordo com o Cenipa, integrantes do Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa IV) estiveram no local para identificar indícios, fotografar cenas, coletar partes da aeronave para análise, ouvir relatos de testemunhas e reunir documentos.

“Não existe um tempo previsto para essa atividade ocorrer”, apontou o Cenipa em nota. O órgão informou ainda que o objetivo da investigação é evitar que acidentes semelhantes ocorram.

“A conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os fatores contribuintes”, acrescenta a nota.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que o caso foi apresentado ao 5º Distrito Policial de Piracicaba e que foram solicitados exames periciais ao Instituto de Criminalística e Instituto Médico Legal (IML). A ocorrência foi registrada como sinistro em transporte aéreo.

O acidente

O empresário Celso Silveira Mello Filho, a esposa Maria Luiza Meneghel e os três filhos do casal (Celso, Fernando e Camila) estão entre as vítimas da queda do avião. Também morreram o piloto Celso Elias Carloni e o copiloto Giovani Gulo. As informações foram confirmadas pela empresa Cosan, da qual Mello Filho era acionista.

A aeronave executiva de pequeno porte, modelo King Air 360, caiu em uma área de vegetação em Piracicaba por volta das 8h30 e provocou um incêndio no local.

Além de acionista da Cosan, Mello Filho era irmão do presidente do Conselho de Administração da companhia, Rubens Ometto Silveira Mello. O grupo Cosan atua nos setores de agronegócio, distribuição de combustíveis e de gás natural e de lubrificantes e logística.

Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Rio

Rio: Prédio desaba em Rio das Pedras e pai e filha de 2 anos morrem

Com informações da Agência Brasil

Um prédio desabou na madrugada desta quinta-feira (3) na comunidade de Rio das Pedras, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, e um homem de 30 anos e a filha dele, uma criança de 2, morreram. O desabamento, que também deixou outras pessoas feridas, entre elas a mãe da criança, ocorreu na Avenida da Areinha, próximo à Rua das Uvas, entre 3h e 3h20, segundo relato de moradores.

Segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social, ainda durante a madrugada, foram resgatadas três pessoas com vida: Nataniela de Souza Gomes, 28 anos, Antônia Tatiana Conrado de Souza, 38 anos, e Jonas Rodrigues de Souza, de 29 anos. Eles foram encaminhadas ao Hospital Municipal Lourenço Jorge.

Já pela manhã, por volta de 9h20, uma mulher identificada como Kiara Abreu, 27 anos, também foi resgatada com vida dos escombros e encaminhada ao Hospital Municipal Miguel Couto. Cerca de uma hora depois, os bombeiros informaram sobre o resgate do corpo da criança, que era filha da Kiara. E pouco depois das 12h, os bombeiros resgataram também sem vida Natan de Souza Gomes, de 30 anos, pai da menina e companheiro de Kiara.

Foto: Divulgação/Centro de Operações do RioAo chegarem ao local, os bombeiros também tiveram que combater chamas que atingiam os destroços. Mais de 100 bombeiros da Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Alto da Boa Vista foram mobilizados.

Não há informações sobre o que causou o colapso da estrutura e nem se o prédio era regular. O desabamento atingiu três edificações que ficam em frente ao prédio e uma que fica ao lado dele. Os imóveis vizinhos, segundo os bombeiros, correm risco também de desabar.

Em abril de 2019, dois prédios irregulares desabaram na comunidade vizinha da Muzema, deixando 24 mortos.

Desabamento ocorreu na Avenida da Areinha, próximo à Rua das Uvas. (Foto: Reprodução/TV Globo)