Categorias
Aconteceu Brasil Destaque Notícias Política Saúde

Bruno Covas morre aos 41 anos vítima de câncer

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), morreu às 8h20 deste domingo (16) aos 41 anos, em São Paulo, informou a prefeitura, em nota. Desde 2019, ele lutava contra um câncer no sistema digestivo com metástase nos ossos e no fígado. Deixa o filho Tomás, de 15 anos.

De acordo com o comunicado, Covas morreu “em decorrência de um câncer da transição esôfago gástrica, com metástase ao diagnóstico, e suas complicações após longo período de tratamento.”

O corpo de Bruno Covas será velado no Edifício Matarazzo, sede da Prefeitura de São Paulo, às 13h. Somente familiares e amigos próximos devem participar de uma cerimônia restrita, para evitar aglomerações na pandemia. Após a cerimônia, um cortejo em carro aberto vai percorrer a região central da cidade, em trechos como o Viaduto do Chá e Rua da Consolação, até chegar na região da Avenida Paulista. O prefeito vai ser sepultado em sua cidade natal, Santos, no litoral paulista. A cerimônia será restrita aos familiares.

POLÊMICA RECENTE

Já se tratando do câncer, Bruno Covas foi muito criticado por estar entre os convidados da final da Copa Libertadores, no Maracanã, em janeiro. Santista declarado, Covas e mais cerca de 5 mil convidados assistiram ao vivo a vitória do Palmeiras sobre o Santos.

O prefeito, então na época, afirmou que aceitou o convite, mesmo sabendo da pandemia, porque queria passar este momento de lazer ao lado de seu filho. O Santos lamentou nas redes sociais a morte de Covas e postou foto dele com o seu filho.

 TRAJETÓRIA DE VIDA

Filho de Pedro Lopes e Renata Covas Lopes e pai do jovem Tomás Covas, Bruno nasceu em Santos, no litoral paulista, no dia 7 de abril de 1980, e foi advogado, economista e político brasileiro.

Mudou-se para a capital paulista em 1995 e, dois anos depois, filiou-se ao PSDB, seguindo os passos do avô, o ex-governador Mário Covas (1930-2001), sua grande inspiração e influência política . No partido, chegou a ser presidente estadual e nacional da Juventude do PSDB e ocupou cargos na Executiva Estadual.

Sua carreira política começou em 2004, quando se candidatou a vice-prefeito de sua cidade natal. Dois anos depois, foi eleito deputado estadual na Assembleia Legislativa de São Paulo e reeleito para o mesmo cargo e m 2010, com mais de 239 mil votos, sendo o mais votado daquele ano.

No ano seguinte, assumiu a Secretaria Estadual do Meio Ambiente no governo de Geraldo Alckmin, permanecendo no cargo até 2014, quando foi eleito deputado federal para o mandato 2015-2019.

Além de Bruno Covas, morreu neste domingo também a  atriz Eva Wilma vítima de câncer.

Categorias
Aconteceu Cultura Destaque

Atriz Eva Wilma morre aos 87 anos

Atriz estava internada para tratar um câncer no ovário em São Paulo, no Hospital Albert Einstein.

A atriz Eva Wilma morreu neste sábado (15) aos 87 anos. Ela enfrentava um câncer no ovário e estava internada no Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, desde o dia 15 de abril para tratamento de problemas cardíacos provenientes do tumor.

Um comunicado oficial, postado pela assessoria de imprensa da artista, detalhou a causa da morte de Eva. “Comunicamos que a atriz Eva Wilma acaba de falecer as 22h08, em função de um câncer de ovário disseminado, levando a insuficiência respiratória. Nossos profundos e sinceros sentimentos a todos os familiares, especialmente a John Herbert Buckup Jr. e Vivien Buckup”, disse, referindo-se aos filhos da atriz, frutos do casamento de Eva com John Herbert, morto em 2011. O segundo casamento de Eva Wilma foi com o também ator Carlos Zara e durou 23 anos.

Longe da TV desde 2019, quando viveu a personagem Drª Petra na novela “O Tempo não Para“, da TV Globo, um ano antes Eva Wilma interpretou Dora, no filme “Minha mãe, minha filha”. Nos palcos, suas duas últimas peças foram apresentadas em 2018: “Quarta-feira, sem falta, lá em casa” e o show “Casos e Canções”, que protagonizou ao lado do filho John Hebert Jr.