Categorias
Brasil Destaque Notícias Saúde

Brasil registra 13,4 mil novos casos de covid-19 em 24h

O número de infecções diárias pelo novo coronavírus volta a aumentar no Brasil. Nos últimos sete dias esse dado mais do que triplicou. A última quinta-feira (23) mostrava um número de casos diários de 3,6 mil. Segundo boletim do Ministério da Saúde (MS) divulgado hoje (30), foram 13.405 casos registrados de ontem para hoje. O número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus desde o início da pandemia chegou a 22.277.239.

Já o total de mortes causadas pela covid-19 não tem crescido na mesma proporção e chegou a 618.984, com 167 óbitos entre ontem e hoje. Ainda há 2.828 mortes em investigação, mas esses dados ainda estão passíveis de atualização. Os dados de mortes em investigação ocorrem por haver casos em que o paciente morreu, mas a investigação da causa demanda exames posteriores.

Até o momento, segundo os dados oficiais, 21.582.700 pessoas haviam se recuperado da doença.

Segundo o balanço fornecido pelas Secretarias Estaduais de Saúde, o estado com mais mortes por covid-19 é São Paulo, com 155.186 registros. Em seguida, aparece o Rio de Janeiro (69.459), Minas Gerais (56.655), Paraná (40.887) e Rio Grande do Sul (36.441).

Os estados com menos óbitos pela doença são Acre (1.851), Amapá (2.021), Roraima (2.078), Tocantins (3.939) e Sergipe (6.057).

Já as unidades da federação com mais casos registrados são São Paulo (4,4 milhões), Minas Gerais (2,2 milhões) e Paraná (1,5 milhão). Os estados com menos casos são Acre (88,3 mil), Amapá (126,9 mil) e Roraima (128,7 mil).

 

Agência Brasil

Categorias
Brasil Destaque Notícias Saúde

Ministério confirma cinco casos da variante Ômicron no Brasil

Nesta quinta-feira (2), o Ministério da Saúde confirmou cinco casos da variante Ômicron no Brasil, sendo três em São Paulo e dois no Distrito Federal. São quatro homens e uma mulher, todos vacinados contra a covid-19. Eles estão isolados e pelo menos um apresenta sintomas leves. A maioria está assintomática.

De acordo com a pasta, há ainda oito casos da variante em investigação no país, sendo um em Minas Gerais, um no Rio de Janeiro e seis no Distrito Federal.

Hoje, temos uma situação sanitária bem mais equilibrada, mas lidamos com a imprevisibilidade biológica desse vírus, que sofre mutações. A vigilância em saúde está atenta e atuante pra que essas variantes sejam identificadas e pra que se avalie o potencial dessa variante complicar o cenário pandêmico”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

 

Fonte: Agência Brasil

Categorias
Brasil Ciência Saúde

HIV: Brasil tem 694 mil pessoas em terapia antirretroviral

Neste quarta-feira (1º), Dia Mundial de Luta contra a Aids., o Ministério da Saúde revelou os números que representam pessoas diagnosticadas com HIV no país.

No Brasil, 694 mil pessoas estão em tratamento contra o HIV. Apenas neste ano, 45 mil novos pacientes iniciaram a chamada terapia antirretroviral. Segundo a pesquisa, os números representam cobertura de 81% das pessoas diagnosticadas com HIV no país. Do total de pacientes em tratamento, 95% já não transmitem o vírus por via sexual por terem atingido carga viral suprimida.

“Segundo especialistas, ainda que se observe um arrefecimento, a situação ainda preocupa, visto que os registros de óbitos pela doença continuam”, alertou o ministério. Em 2020, foram 10.417 mortes por aids contra 10.687 no ano anterior – uma queda de apenas 2,52%.

Também hoje, o Ministério da Saúde lançou a campanha Prevenir é Sempre a Melhor Escolha. A proposta é conscientizar sobre a importância da prevenção do HIV e atuar fortemente no diagnóstico e no tratamento, sobretudo entre os mais jovens.

Em toda a série histórica, o Brasil registrou 381.793 casos notificados do vírus. Desses, 69,8% foram em pessoas do sexo masculino e 30,2% do sexo feminino. Mais de 50% dos casos atingem homens e mulheres de 20 a 34 anos.

Além disso, foram notificados 7,8 mil casos de HIV em gestantes, o que representa uma taxa de detecção de 2,7 casos para cada mil nascidos vivos, com aumento de 30,3% na taxa de detecção em dez anos. Ao todo, o país registrou 32.701 casos de HIV no ano passado contra 43.312 em 2019 – uma redução de 10.611 casos.

Fonte: Agência Brasil

Categorias
Brasil Destaque Economia Notícias Política Rio Saúde

Paes sanciona Lei de prioridade a pessoas com deficiência para vacinas

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM) sancionou o projeto de lei que inclui pessoas com deficiência (PCD’s) entre os grupos que têm prioridade na hora da vacinação contra a Covid-19. O projeto pedia a alteração do calendário do Município, para que incluísse a classe na hora de vacinar, com prioridade.

Desta forma, a partir do dia 24 de abril, quando inicia-se a fase de pessoas com 60 anos, os PCD’s entrarão com essa prioridade na fila para se imunizar. A projeto foi do vereador Mario RIbeiro, que preside também a Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara Municipal, através da criação da PL 89/2021.

“Sabemos o quanto esse grupo é de risco. Essas pessoas não têm, muitas vezes a condição de se prevenir. Não tem condição de usar máscara, não consegue controlar o uso das mãos, muitas delas com doenças e comorbidades. Se pegar o coronavírus, tem muitas chances de pegar a parte mais severa da doença. Por isso, a necessidade desse projeto”, afirmou Ribeiro.

A Lei foi publicada no Diário Oficial do Município na edição de quinta-feira (8) e agora as partes todas se reúnem para determinar a melhor maneira de alterar o calendário para a entrada de PCD’s com prioridade até a data de 24 de abril

Categorias
Brasil Destaque Notícias Política Saúde Social

Covid-19: governo anuncia distribuição de mais 4,4 milhões de vacinas

Da Agência Brasil

O Ministério da Saúde informou que, a partir de hoje (8), entregará mais um lote de vacinas da covid-19 a todas unidades federativas para reforço da campanha de imunização. Acrescentou que 4,4 milhões de doses serão entregues “de forma proporcional e igualitária”.

Desse total, 2 milhões serão de vacinas da CoronaVac produzidas pelo Instituto Butantan, e 2,4 milhões serão da AstraZeneca/Oxford, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Todas essas doses foram produzidas no Brasil com matéria-prima importada.

“As doses serão destinadas para vacinação de trabalhadores da saúde, idosos entre 65 e 74 anos, forças de segurança e salvamento e Forças Armadas que atuam na linha de frente do combate à pandemia”, informou, por meio de nota, o Ministério da Saúde.

Parte das vacinas será destinada para a primeira dose dos agentes das forças de segurança e salvamento, Forças Armadas e idosos entre 65 e 69 anos.

As demais vacinas têm como destino a segunda dose a ser aplicada em trabalhadores da saúde e idosos entre 70 e 74 anos, de forma a garantir a aplicação conforme o tempo recomendado de cada imunizante (quatro semanas para a vacina do Butantan e 12 semanas para as doses da Fiocruz).

Categorias
Destaque Saúde

Ministério da Saúde confirma segundo caso de coronavírus no Brasil

Foi confirmado o segundo caso do novo coronavírus no país. O Ministério da Saúde (MS) informou , via Twitter,  na tarde deste sábado (29) que o paciente infectado também é de São Paulo e esteve na Itália, ou seja, é um caso importado, como o primeiro divulgado. De acordo com a pasta, não há evidencias de circulação do vírus em território nacional. Até o momento, o Ministério da Saúde (MS) informa que 182 casos suspeitos de coronavírus são monitorados no Brasil.

Mais cedo, o ministério informou também hoje que vai alterar o fluxo de notificação dos casos suspeitos do novo coronavírus, a partir da próxima segunda-feira (2). Com a mudança, a pasta vai deixar de centralizar as informações e passar a considerar integralmente os dados repassados pelos gestores locais. Antes, cada notificação era reanalisada pela equipe do ministério. “A ação de descentralização da consolidação dos casos busca dar agilidade de resposta à doença”, disse o MS.

Segundo o ministério, o novo fluxo foi acordado com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS). A pasta informou ainda que as equipes dos ministérios vem treinando os estados, ao longo das últimas semanas, para consolidar os dados sobre notificação de casos suspeitos.

“A partir de agora as secretarias estaduais ficarão responsáveis por fazer a análise dos seus casos. Depois enviarão os dados mais refinados para o Ministério da Saúde”, explicou o secretário-executivo do ministério, João Gabbardo.

Procedimento similar já foi adotado em relação aos laboratórios para realizarem os exames para coronavírus. Inicialmente, o diagnóstico era realizado apenas pela Fiocruz, no Rio de Janeiro.

Funcionários usam máscaras no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio

Atualmente, também são considerados laboratórios de referência nacional: Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, o Instituto Evandro Chagas (IEC), no Pará e o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) de Goiás, em Goiânia. Esses laboratórios já capacitados irão ajudar no esforço nacional de ampliação da capacidade laboratorial dos demais Lacens nos estados.

Informações e fotos: A.Br.

Categorias
Brasil Destaque

Confirmado o primeiro caso do novo coronavírus no Brasil

O Ministério da Saúde confirmou, hoje (26), o primeiro caso de um brasileiro infectado pelo novo coronavírus (Covid-19). O doente é um homem de 61 anos, morador da cidade de São Paulo, que esteve na região da Lombardia, no norte da Itália, entre os dias 9 e 21 de fevereiro. Ao retornar da viagem, na última sexta-feira (21), o paciente apresentou os sinais e sintomas compatíveis com a doença (febre, tosse seca, dor de garganta e coriza).

Atendido no Hospital Israelita Albert Einstein na segunda-feira (24), o homem foi submetido a exames clínicos que apontaram a suspeita de infecção pelo vírus. Com resultados preliminares realizados pela unidade de saúde e de acordo com o Plano de Contingência Nacional, o hospital enviou a amostra para o laboratório de referência nacional, Instituto Adolfo Lutz, para contraprova.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, confirma a primeira morte pelo novo coronavírus no Brasil (Foto A.Br)

“Agora é que vamos ver como este vírus vai se comportar em um país tropical, durante o verão”, disse hoje o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.“Como vai ser o padrão de comportamento deste vírus, que é novo e tanto pode manter o mesmo padrão de comportamento de transmissão que apresentou no hemisfério Norte, onde, nesta época, está fazendo frio”, disse o ministro.

Em nota, o hospital afirma que o paciente encontra-se em bom estado clínico e sem necessidade de internação, permanecendo em isolamento respiratório domiciliar pelos próximos 14 dias. “A equipe médica segue monitorando-o ativamente, assim como as pessoas que tiveram contato próximo com ele”, informou o Albert Einstein.

As autoridades italianas notificaram 12 óbitos, o que levou o governo brasileiro a incluir a Itália entre os países onde a doença está se espalhando e há risco de infecção. O Irã confirmou mais quatro mortes por infecção do Covid-19, subindo para 139 o número de infectados, entre eles o Ministro da Saúde do país. Grécia e Argélia acabam de entrar na rota do novo vírus, confirmando os primeiros casos de contágio. A França confirmou, também nesta quarta (26), a primeira morte.

De acordo com o Ministério da Saúde, no mundo, já foram registrados mais de 80,2 mil casos do coronavírus (dados da OMS – Organização Mundial da Saúde) em 34 países. Foram registradas 2,7 mil mortes causadas pela doença, sendo que os casos mais graves são aqueles que afetam pessoas com mais de 60 anos.

No momento, há 20 casos suspeitos da doença no país. Outros 59 casos suspeitos foram descartados.

Com informações e foto da A.Br.