Categorias
Cinema Cultura Destaque Notícias do Jornal Séries Sociedade TV & Famosos

Coringa: sequência do filme está em desenvolvimento pela DC, estrelando Joaquin Phoenix

*Por Fabiana Santoro

O filme que rendeu a primeira estatueta do Oscar de Melhor Ator à Joaquin Phoenix, ganhará mais uma produção pela DC. Através de uma matéria especial, o The Hollywood Reporter confirmou nesta quarta-feira (5), a sequência de ‘Coringa‘ estrelado por Joaquin Phoenix. 

Recentemente, o jornal Daily Mirror afirmou que Joaquin Phoenix estava negociando um contrato de US$ 50 milhões (cerca de R$ 268 milhões na cotação atual) para interpretar o personagem em mais dois filmes.

Se isso acontecer, a DCEU consagra ‘Coringa’ como a mais nova franquia do estúdio e provavelmente uma das mais lucrativas, visto que o primeiro filme arrecadou US$1 bilhão nas bilheterias.

“Até o momento, todos os filmes e séries, com a exceção de The Batman de Matt Reeves – protagonizado por Robert Pattinson, que está programado para ser lançado em março -, a série derivada da HBO Max Gotham PD e Coringa e sua sequência, farão parte do mesmo universo.”, revela The Hollywood Reporter.

Joaquin Phoenix como Coringa. (Foto: Reprodução DC)

A fonte afirma que os roteiros das duas sequências já estão sendo escritos e Joaquin Phoenix está “bastante engajado” com a produção e que o plano da Warner Bros é lançar os filmes em 2023 e 2025.

Categorias
Mônica Freitas | Ética e Cidadania

‘Democracia em Vertigem’, entre a ficção e os fatos

Indiciado ao Oscar de melhor documentário, o filme Democracia em Vertigem foi, de certa forma, colocado em cheque pela Secretária Especial de Comunicação Social da Presidência da República (3/02). Em entrevista ao canal de televisão americano PSB, a diretora do documentário, Petra Costa, fez declarações aparentemente contundentes que causaram certo frisson nos bastidores da política brasileira. Algumas de suas declarações, tais como o aumento das taxas de pessoas mortas por intervenção policial militar e civil, no Rio de Janeiro, e a savanização da Amazônia no atual governo, foram consideradas falsas, muito embora, dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e um artigo publicado recentemente pela revista Science Advances tenham corroborado as informações dadas por Petra Costa.

Uma das maiores conquistas democráticas diz respeito à liberdade de expressão sem quaisquer restrições por conta de diferenças de ideias e opiniões. Isso constitui um direito fundamental, conquistado pela Constituição Federal de 1988, e forma um pilar do Estado Democrático sem o qual se corre o risco de autoritarismo. Por vezes acontece que, mesmo que não haja censura explícita sobre determinados conteúdos informacionais veiculados pela mídia, pode ocorrer certo tipo de intimidação, por aqueles que detêm o poder, com relação a declarações de cunho mais crítico.

Ainda que não haja concordância de termos, há sempre a possibilidade de acolhimento reflexivo daquilo que foi apontado como disfuncional ou antiambientalista no programa do governo. Diante disso, podemos dizer, em defesa da cidadã em questão, que ela estava tão somente no exercício de seu direito de tornar públicos problemas que podem vir a se tornar uma ameaça para segurança e bem estar de todos nós. Portanto, qualquer que seja a direção partidária na disputa, suas declarações deveriam ser ponderadas em favor de um bom governo.

Foto:Pixabay

Mônica de Freitas, bacharel em Letras, professora de Inglês e mestre em Filosofia (PR2 – 55697)
profmonica_highlevel@yahoo.com.br