Categorias
Cultura Destaque Música

Podcast do Mano Brown, Mano a Mano, recebe Lula e outras personalidades

*Por Giovanna Fraguito

“Mano a Mano” é o nome do podcast do rapper Mano Brown, líder dos Racionais MC ‘s, que estreou no dia 26 de agosto na plataforma Spotify Brasil, na categoria sociedade e cultura. Tendo colaboração histórica por meio da música para a formação da identidade preta, agora Brown ganhou mais um espaço, trazendo temas variados que prometem muita reflexão e cultura.

De acordo com a própria descrição: “Mano Brown vem para ampliar a visão e o debate trazendo diversidade de ideias e pensamentos com profundidade e respeito. Se prepare para ouvir assuntos importantes, interessantes, relatos inéditos e controversos com convidados amados ou odiados – você decide!”.

A convidada de estreia do podcast foi a cantora e rapper Karol Conká, destaque da última edição do programa Big Brother Brasil pelo recorde de rejeição do público. Durante o programa de podcast, Brown abordou a participação polêmica de Karol em uma conversa que durou cerca de uma hora.

Já o segundo episódio contou com a presença do médico Drauzio Varella, em uma conversa de quase duas horas, compartilharam vivências e assuntos que foram desde infância, estudos, trabalho, até saúde e sociedade. Uma curiosidade do papo é que foi a primeira vez que os dois se viram pessoalmente.

O terceiro episódio do podcast “Mano a Mano” recebeu o ex-presidente Lula e chegou a ficar no 3º em alta nos assuntos mais falados do Twitter durante a madrugada. “Memórias, inquietações pessoais e coletivas, dão o tom dessa conversa que olha pro passado para ressignificar o presente e projetar o futuro”, segundo a descrição.

Outros nomes foram confirmados para as próximas conversas, como o pastor Henrique Vieira, o técnico de futebol Vanderlei Luxemburgo e o político Fernando Holiday. Ao todo serão 16 episódios, com lançamentos semanais, sempre às quintas. O podcast é uma produção Original SpotifyBR e é possível ouvi-lo de forma gratuita.

Categorias
Brasil Fica a Dica Mulher

Mara Luquet media série que destaca inclusão das mulheres no mercado financeiro

Com apresentação da jornalista e escritora, a série de 3 episódios do podcast “Papo Na Nuvem” traz convidadas dos setores de tech e finanças para debater o papel da mulher no setor e soluções financeiras focadas no público feminino
Para celebrar o mês da mulher, a Zoop, fintech líder em tecnologia para serviços financeiros, convidou a jornalista Mara Luquet, fundadora do canal MyNews, apontado pelo Google como benchmark de jornalismo na plataforma, para mediar uma série de três episódios de seu podcast, o “Papo na Nuvem”. No especial denominado “Mulheres”, a jornalista recebe convidadas dos setores de tecnologia e serviços financeiros, para debater o papel das profissionais nestes segmentos e destacar soluções financeiras criadas para atender demandas do público feminino. O primeiro episódio já está no ar e os demais serão publicados nesta semana, até 12 de março, nas principais plataformas de áudio e em vídeo no canal da Zoop no Youtube .

Em cada episódio, Luquet recebe duas profissionais com destaque por suas atuações no mercado financeiro, abordando o papel da mulher neste mercado e destacando soluções financeiras focadas no público feminino. As participantes são Aline Fróes, cofundadora do Vai na Web; Ana Leoni, superintendente de Educação Financeira na ANBIMA; Carolina Cavenaghi, cofundadora do Fin4She; Fernanda Ribeiro, cofundadora da Conta Black; Lorena Louisy, CEO do TPM Bank; e Mellissa Penteado, CEO do Bancoin.

Fonte: Reprodução

Mara Luquet ressalta a importância do debate sobre o espaço para as mulheres que atuam no mercado financeiro, historicamente dominado, setor ainda predominantemente masculino. “Isso não é só uma questão no Brasil, o mercado financeiro é um mercado muito masculino. Há muitos homens em postos chaves, e mesmo no Brasil ainda vemos poucas mulheres como gestoras – há mais do que já teve no passado, quando eu comecei a cobrir nesse mercado era bem menos, está avançando. E vemos isso no mundo inteiro”.

A proposta da série é destacar o protagonismo das mulheres na transformação e democratização do setor de serviços financeiros, que vem crescendo no Brasil nos últimos anos. “O objetivo desta campanha é reunir profissionais bem sucedidas e empreendedoras para debater a inserção profissional da mulher no mercado financeiro, bem como destacar novas soluções financeiras pensadas para atender demandas específicas do público feminino”, afirma Patrícia Esteves, VP de Marketing da Zoop.

O primeiro episódio reuniu as executivas Lorena Louisy, CEO do TPM Bank, e Mellissa Penteado, CEO do Bancoin, para apresentar serviços financeiros criados especificamente para mulheres. As convidadas comentam as oportunidades e desafios vistos ao tirarem do papel soluções e serviços de pagamento focados em atender demandas femininas. A conversa já pode ser ouvida nas principais plataformas de áudio, clique aqui.
Os dois outros episódios, com lançamento agendado para os dias 10 e 12 de março, abordarão outras perspectivas sobre a inclusão e participação das mulheres nos mercados de finanças e tecnologia. O segundo conteúdo, com a participação da Aline Fróes, cofundadora do Vai na Web, e da Fernanda Ribeiro, cofundadora da Conta Black, trará para o centro da discussão a inclusão de desbancarizados para serviços financeiros, grupo do qual ainda fazem parte uma grande quantidade de mulheres.

O último episódio será focado em carreira no mercado financeiro, ao reunir duas mulheres que diariamente trabalham para quebrar as barreiras do setor e atrair outras profissionais para o segmento: Ana Leoni, superintendente de Educação Financeira na ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), e Carolina Cavenaghi, cofundadora do Fin4She, iniciativa que promove a inclusão de mais mulheres no mercado de trabalho da área. As duas especialistas contaram sobre suas trajetórias e detalharam como as iniciativas lideradas por elas estão apresentando o mercado para as mulheres mais jovens e despertando o interesse delas em ocuparem esses espaços.
Categorias
Destaque TV & Famosos

Participantes do BBB21 vão ser anunciados

 

A espera de muitos fãs do Big Brother Brasil para saber os nomes dos participantes da edição de 2021 termina nesta terça-feira (19). De acordo com a produção do programa, a lista de participantes, que se dividirão entre os times Pipoca e Camarote, será divulgada ao longo de todo o dia na programação da TV Globo.

O “BBB21” estreia no dia 25 de janeiro e vai ter 100 dias de duração. Tiago Leifert comanda por mais um ano o reality show. O programa repete a fórmula que fez sucesso em 2020, onde reuniu anônimos e famosos, divididos entre os times da Pipoca e do Camarote.

As provas bate-e-volta e de resistência, além do big fone, da divisão da casa entre vip e xepa e o líder com o poder do “não”, seguem como parte da atração. Nesta edição, os confinados contarão com o aplicativo de paquera “Flecha”. Além do flerte ao vivo, os participantes do “BBB21” poderão contar com uma ajudinha virtual para demonstrar interesse entre eles. Nele, eles poderão declarar o interesse uns nos outros e, caso o interesse seja mútuo, os confinados ficam sabendo do “match” e têm a chance de levar a história afetiva adiante.

O aplicativo será uma das ferramentas do #FeedBBB, que é a rede social dos participantes. A plataforma vai contar também com o “Podcast do Líder”, no qual o participante com poder da semana gravará conteúdos exclusivos em áudio na plataforma. O podcast ficará disponível somente para o público.

Categorias
Cultura Destaque

Conheça mais um pouco sobre o projeto “Movimento Ocupa Fazenda Engenho Novo”

 

O “Movimento Ocupa Fazenda do Engenho Novo” é uma ação popular voltada para o resgate histórico, humanitário e cultural deste que é, inegavelmente, um dos maiores monumentos material e imaterial da história de São Gonçalo. A Fazenda do Engenho Novo está localizada no bairro de Monjolos, cidade de São Gonçalo, Estado do Rio de Janeiro, cujo acesso se dá a partir da Rodovia Amaral Peixoto (RJ-104), seguindo pela Estrada José de Souza Porto, Largo da Ideia e Estrada Rio Frio.

Também nomeada como Fazenda Engenho Novo Retiro e Fazenda do Serrado ao longo do tempo, esse espaço, contendo as ruínas em estilo de casa rural dos séculos XVII e XVIII, foi tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Artístico e Cultural (INEPAC) em 1998. O local é conhecido como lote 32, e em 1993 teve suas terras desapropriadas pelo Instituto de Terras e Cartografia do Estado do Rio de Janeiro (ITERJ), órgão do Governo do Estado, dando origem ao Assentamento Rural Fazenda Engenho Novo.

O “Movimento Ocupa” tem como objetivo construir uma nova identidade para a cidade de São Gonçalo, transformando ruínas em relíquias, histórias esquecidas em memórias vivas, lembranças da cultura passada em atividades culturais de grande diversidade e interesse, enfim, realizar resgates em vários segmentos, tanto materiais quanto imateriais, essenciais para a preservação da memória. Desde setembro de 2019 as atividades educativas e sociais estão acontecendo no espaço da Fazenda Engenho Novo. A idealizadora do projeto, Daniele Gonçalves, comenta um pouco sobre a sensação de participar do Movimento.

“A sensação é da certeza de estar no caminho certo em relação a nossa historia/ancestralidade na construção da historia de São Gonçalo”

Com a crise sanitária as tarefas de pesquisa estão funcionando de maneira remota. Nesse momento, nosso objetivo central é desenvolver parcerias com as agências de fomento para transformar o espaço em local de conhecimento, tornando-o útil para a comunidade gonçalense. Dessa forma, a Fazenda Engenho Novo proporcionará cursos de capacitação nas modalidades Ead e presencial para a comunidade em diversos níveis. Em termos econômicos, a reconstrução e criação do museu atrairão muitos turistas para São Gonçalo, e aumentará a demanda de serviços e vendas de produtos na região de Monjolos e arredores. O funcionamento do espaço revitalizado possibilitará a oferta de emprego e crescimento para os comerciantes residentes. Daniele falou um pouco também sobre os projetos para este ano.

“A ideia para este ano é nos instrumentalizar em relação a Fazenda, oferecendo cursos online sobre a história da Fazenda e após a vacina atuar de maneira presencial no espaço,  oferecendo visitas guiadas e futuramente cursos para a comunidade local”

Atualmente, a Fazenda Engenho Novo, apesar de catalogada e tombada como patrimônio cultural brasileiro está abandonada e necessita urgentemente de uma intervenção em sua estrutura material. O projeto “Museu Histórico e Cultural da Fazenda Engenho Novo” tem o propósito de preservar a cultura histórica material e imaterial na cidade de São Gonçalo. A ação do “Movimento Ocupa” consiste na revitalização do espaço com a oferta de práticas educacionais para os moradores da comunidade, estudantes, e turistas. Com a revitalização da Fazenda Engenho Novo a população gonçalense terá os seguintes benefícios:

  • Aproximação dos alunos, professores e a comunidade em geral da história da fazenda e dos pesquisadores, auxiliando-os na construção da história oral e da memória local.
  • Visitas guiadas gratuitas as ruínas da Fazenda, destinada aos estudantes das redes públicas estaduais e municipais da cidade de São Gonçalo e região.
  • Promover de fato o turismo em São Gonçalo com visitas mediadas ao público em geral, trazendo a construção sociohistórica da cidade de São Gonçalo e as conexões com a diáspora africana.
  • Recuperar a história do local para além da história do Barão Belarmino Ricardo de Siqueira, visando colocar em destaque os sujeitos da história que foram esquecidos das narrativas oficiais e ressaltar a importância de se recuperar, uma vez que todos têm direito de usufruir de um meio ambiente cultural.
  • Resgatar a história e formação da população gonçalense no sentido de realizar a educação das relações étnico-raciais.
  • Investigar e resgatar junto aos sitiantes e antigos donos da fazenda, possíveis objetos históricos que fizeram parte do local para um futuro acervo do museu.
O Movimento Ocupa Fazenda Engenho Novo conta com um Podcast no Spotify Foto: Reprodução

O “Movimento Ocupa” tem o incentivo da UNEGRO e de coletivos organizados dentro do município de São Gonçalo, assim como o apoio dos residentes locais de Monjolos. As atividades serão realizadas por um grupo de moradores de São Gonçalo. Os integrantes do “Movimento Ocupa Fazenda Novo” possuem vasta experiência em educação museal, pesquisa e ações sócio assistenciais, além disso, todos são residentes do município de São Gonçalo, unânimes na consciência da importância da construção do museu para o acesso e desenvolvimento da cultura histórica da cidade.

Categorias
Cultura Destaque Rio

Artistas criam peças radiofônicas inspiradas em histórias dos mais de 40 teatros que existiram no entorno da Praça Tiradentes 

Foi durante uma conversa em um bar na Lapa que os atores Alex Teixeira e Clarisse Zarvos descobriram alguns interesses em comum, entre eles a curiosidade por lugares abandonados e um fascínio por causos do Rio de Janeiro. Da pergunta “Já parou pra pensar na quantidade de teatros que existiam no Centro e que não fazemos ideia de onde ficavam?” para um mergulho intensivo em livros e sites antigos foi um pulo. 

Assim nasceu o projeto Teatro ao Redor, um podcast com peças radiofônicas criadas pelos artistas a partir de registros, entrevistas e memórias sobre salas de espetáculo ao redor de praças. Na série de estreia — com cinco episódios — eles viajam no espaço e no tempo para contar a história de teatros da Praça Tiradentes. Entre o século XIX e os dias atuais, a região abrigou mais de 40 teatros. Do São Luiz ao Teatro Real São João, passando pelo Teatro Brazilian Garden, Moulin Rouge e o Teatro Maison Moderne, que abrigava peças, roda-gigante, tiro-ao alvo, balões, fotografia, bola ao cesto, pinball e até uma jaula com leões. 

— Descobrimos uma diversidade incrível de histórias sobre a cena brasileira nesses últimos dois séculos. Eu já sabia que o Centro da cidade tinha uma importante tradição teatral, não apenas ligada às salas de espetáculos, como também ao teatro de rua, mas depois que começamos a buscar essas memórias antigas e atuais, as narrativas foram se multiplicando — comenta Clarisse Zarvos, que além de fazer parte do elenco de vozes, assina com Alex Teixeira o roteiro e a direção do podcast.  

Os episódios influenciados por teatralidades do real, radio-drama e teatro épico tratam de temas como a origem da Praça Tiradentes, a demolição de salas de espetáculo, teatro de revista, os remanescentes teatros Carlos Gomes e João Caetano, cafés-concerto, salões de bilhar, incêndios de teatros, os teatros que viram cinema, e os cinemas que viram teatro, arte pública e performances que questionam as estátuas da praça. 

— Buscamos com essa proposta de teatro sonoro remediar a abstinência do palco e da rua em meio a quarentena, e ao mesmo tempo em que falamos do passado, percorremos estratégias para reinventar outros futuros no pós-pandemia — destaca o ator Alex Teixeira. 

O podcast Teatro ao Redor vai ao ar aos sábados, às 10h, através da plataforma Spotify. 

Ficha Técnica:

Texto, direção e vozes: Alex Teixeira e Clarisse Zarvos 

Edição de som: Clarisse Zarvos 

Participação: Jane Di Castro  

Design: Alessandra Teixeira 

Realização: Teatro ao Redor, Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro e Fundo Estadual de Cultura

Serviço

Teatro ao Redor: 

#1 Tiradentes: Construção e Demolição

#2 Tiradentes: João Caetano e Carlos Gomes

#3 Tiradentes: O teatro, o fantástico e o entorno inebriado

#4 Tiradentes: É fogo! 

#5 Tiradentes: Século 021

Spotify: http://bit.ly/TeatroAoRedor 

Informaçoes: https://instagram.com/TeatroAoRedor