Categorias
Beleza Notícias do Jornal

Grávidas podem pintar os cabelos?

 

Por Claudia Mastrange

Gravidez requer cuidados e atenção especial à saúde da mãe e do bebê. Uma dúvida comum das mulheres diz respeito aos cabelos, usos de tinturas e se é possível fazer luzes e alisamento dos fios, por exemplo. “Durante o primeiro trimestre da gestação não é recomendado que a grávida faça luzes ou pinte o cabelo, pois não há estudos que indiquem que é seguro”, afirma a dermatologista  Regislaine Miquelin,  membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.

Como não há estudos conclusivos sobre o assunto, a utilização desses produtos não é recomendada durante a fase gestacional.

“O contato dessas substâncias químicas com o couro cabeludo pode fazer com que elas sejam absorvidas e levadas à circulação sanguínea da mãe e, assim, serem tóxicas e prejudicais ao feto, já que muitas delas são compostas por amônia e metais pesados”, detalha a médica.

E quanto às técnicas de alisamento dos fios?  “Alisamento capilar com formol e amônia está totalmente fora de cogitação. O formol está proibido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e não pode ser mais usado em cosméticos. Ele é altamente tóxico, podendo atrapalhar o desenvolvimento do bebê causando má formação, baixa de peso, entre outras anomalias. O uso do formol e seus derivados pode estar mascarado por diferentes nomes: escovas inteligente, marroquina, egípcia, de chocolate, selagem, “botox” capilar, entre outras. Por isso fique atento ao cheiro forte do produto”, alerta Regislaine.

A dermatologista Regislaine faz algumas observações sobre o assunto Foto: Divulgação

Ela alerta para os cuidados na hora de comprar produtos para tratar os cabelos.

“Os nomes das substâncias utilizadas em produtos alisantes são descritos nos rótulos de forma padronizada. Fique atento às embalagens de alisantes, shampoos e outros cosméticos com a função de ‘domar as madeixas’. Verifique o status atual da substância junto à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)”, diz.

Para saber se o produto é registrado na (Anvisa), acesse o endereço: https://consultas.anvisa.gov.br/

Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar

Água dura e seus efeitos nos cabelos

Se você já sentiu que, não importa o quanto hidrate o cabelo, ele não reage, ou a hidratação não dura até a próxima lavagem, a água dura pode ser a culpada.

Algo acontece quando você sai de férias, principalmente se sua viagem for para regiões diferentes do planeta: seu cabelo muda! Já percebeu? Mas como isso acontece, se você continua usando os mesmos produtos? Há algo na água.

O excesso de calcário na água, assim como acontece na maioria dos países europeus, pode causar estragos na pele e no cabelo.

Do eczema exacerbado aos cabelos opacos e ‘sem vida’, a água dura pode ser a culpada por uma infinidade de problemas de beleza.

Mas o que é água dura?

É a qualidade mineral que afeta a dureza. A presença de calcário e giz deixa depósitos de cálcio e magnésio. Por outro lado, a água macia é praticamente livre de minerais ─ como a chuva que cai, por exemplo.

Alguns são os sinais reveladores da água dura: o sabão não ensaboa o suficiente; suas roupas parecem ásperas ao toque; um aumento de resíduos nas torneiras; e uma espécie de ‘filme’ nas portas do chuveiro ou banheiras.

Como a água dura afeta seu cabelo?

Se você está lutando contra um couro cabeludo escamoso e irritado e cabelos sem brilho e sem vida, o seu banho diário pode ser o culpado. Seu couro cabeludo é apenas pele ─ ele precisa de tanta hidratação quanto o resto do corpo. As pessoas geralmente condicionam os comprimentos de seus cabelos, mas o couro cabeludo não recebe o mesmo alimento, o que faz a secura realmente algo comum. Além disso, a porosidade do cabelo e a barreira física que ele cria no couro cabeludo significam que a água dura fica ‘presa’ um pouco, deixando minerais lá.

A água dura pode irritar até o couro cabeludo mais oleoso. Mesmo que você acha que tem cabelos muito finos que precisam ser lavados diariamente para evitar a aparência oleosa, a água dura pode secar o couro cabeludo até o ponto em que fica desidratado e ainda mais oleoso. Da mesma forma, se o seu couro cabeludo já estiver ligeiramente seco, a água dura poderá ressecá-lo ainda mais e causar descamação. Água dura também corrói a elasticidade do cabelo e deixa o cabelo muito áspero, pois levanta a cutícula.

A melhor opção para reverter o dano, é usar uma máscara própria para o couro cabeludo semanalmente. Para ajudar a remover quaisquer vestígios minerais, usar um xampu suave e depois termine com um tônico de couro cabeludo para hidratar e acalmar.

Se você deseja suavizar a água permanentemente e proteger toda a sua casa, recomendo que um profissional encaixe em um sistema de filtragem onde a água entra em sua residência, o que talvez seja muito oneroso. Por outro lado, existem algumas opções de solução rápida, como a instalação de filtros de água de carvão ativado diretamente sob uma torneira ou dentro do chuveiro.

Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar

Tipos de shampoo: você conhece quais são?

O shampoo não é apenas responsável pela limpeza dos fios e do couro cabelo. Ele é extremamente importante na preparação do cabelo para receber o tratamento feito pela máscara, além de já conter ativos de tratamento, passando a ser o primeiro passo para cuidados dos fios.

Basicamente existem quatro tipos de shampoos, que são divididos de acordo com a sua textura e benefício: os transparentes, os leitosos, os perolados e os anti-resíduos.

O shampoo transparente é translúcido e tem a função de limpar os fios com mais eficiência, sendo uma ótima escolha para cabelos oleosos ou para quem tem apenas o couro cabeludo oleoso. Como ele tem um poder de limpeza maior, talvez em alguns casos ele também desbote um pouco a cor dos fios para quem usa tonalizantes.

O shampoo leitoso ou cremoso, apesar de se parecer um pouco com o perolado, é totalmente opaco e sem qualquer brilho em sua textura. Ele é uma excelente escolha para os cabelos muito ressecados e danificados por químicas ácidas ou alcalinas ou por excesso de uso de ferramentas térmicas devido ao seu poder de hidratação. É contraindicado para cabelos oleosos.

O mais comum, o shampoo perolado, é indicado para todos os tipos de cabelo e pode ser usado diariamente. É um meio termo entre transparente e leitoso. Esse tipo de shampoo consegue oferecer uma boa limpeza e hidratar levemente os fios!

O shampoo anti-resíduos é mais ‘limpante’ e tem a função de remover com mais eficiência os resíduos que permanecem nos fios e no couro cabeludo, sendo um produto mais alcalino do que os outros shampoos, fazendo com que haja uma dilatação maior das cutículas da fibra capilar. É em razão desta dilatação que é possível haver uma limpeza profunda do cabelo, eliminando resíduos de produtos no cabelo, oleosidade e poluição, deixando os fios totalmente limpos. É importante usar esse tipo de shampoo antes do tratamento de reconstrução, pois os ativos terão maior penetração na fibra após uma limpeza eficaz.

O mercado oferece uma infinidade de shampoos de boa qualidade, de preços variados e de propostas diversas. O uso de shampoos em forma de ‘rodízio’ é uma boa opção para que os cabelos obtenham o máximo de benefícios que cada tipo pode oferecer.

Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar

Os benefícios do silicone nos produtos capilares

O silicone utilizado pela indústria cosmética é um grande aliado para embelezamento dos cabelos. Ele é um mineral, polímero composto por cadeias de oxigênio e silício resistente a altas temperaturas, presente nas composições de inúmeros produtos, e por sua capacidade de resistência ao calor, ele é mais comumente utilizado como um protetor dos fios.

O silicone forma uma película protetora nos fios, capaz de protegê-los dos danos da penteabilidade diária, do calor do secador, da prancha, do babyliss, dos raios UV causados pelo sol e de agressões externas. Além disso, ele sela as pontas e deixa os fios mais controlados, com menos frizz e mais brilho, disfarçando pontas duplas e melhorando o aspecto das pontas como um todo.

Os shampoos deixaram de ser somente um processo de simples limpeza, para se tornarem uma parte fundamental do tratamento, entrando em sinergia com os demais produtos de beleza capilar. Os silicones por sua vez, possuem grande importância no shampoo, conferindo maleabilidade, maciez e penteabilidade aos fios, mesmo antes do uso do condicionador, auxiliando o cabelo devido à capacidade de formar “um filme” ao redor da fibra.

Diversos tipos de silicones nobres estão presentes também nos condicionadores, máscaras de tratamentos, finalizadores em creme, em óleo ou em spray. O uso de silicones diferenciados, como amodimeticones especiais de formação de filme, proporcionam benefícios extras de proteção térmica e de cor para cabelos tingidos. Os polímeros híbridos de silicone, para definição de cachos e redução de frizz, que mantêm aspecto natural e até resinas de silicone, para proteção de tratamentos com tinturas.

Apesar de trazer tantos benefícios, o silicone não ‘trata’ efetivamente o cabelo, pois ele é protetor e embelezador e não um ativo hidratante ou nutritivo. Por isso, não pode substituir o tratamento capilar promovido pelas máscaras de tratamento.  Inobstante os benefícios irrefutáveis do silicone nos produtos capilares, seu uso deve ser combinado com outros ativos de qualidade, que estão presentes nos diversos produtos capilares disponíveis no mercado.