Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Notícias do Jornal Saúde

Hemorio conclui parte de estudos que usam sangue com anticorpos para tratar covid-19

O Hemorio concluiu parte dos estudos para utilização do plasma convalescente no tratamento de pessoas com covid-19. Dados preliminares apontam que a técnica é eficiente nos pacientes em estágios iniciais de infecção, ao neutralizar o vírus. Até o momento, mais de 300 pessoas fizeram transfusão com plasmas doados no instituto, seja no âmbito de estudos clínicos ou em utilização compassiva (utilização em tratamento humanitário sem ser em um projeto de pesquisa).

O procedimento consiste em infundir o plasma, parte do sangue que contém anticorpos colhido de pacientes curados, em pacientes com Covid-19. O diretor do Hemorio, Luiz Amorim, explica que cada plasma coletado pode fornecer tratamento para até três pessoas. O plasma doado pelos pacientes curados fica na unidade e é distribuído mediante solicitação dos hospitais que tratam casos de covid-19.

“A expectativa é que haja melhora da evolução da doença e redução da mortalidade nos pacientes que recebam a terapia, desde não seja feita em fase avançada da doença, além de os riscos serem praticamente zero. Vamos continuar as pesquisas para tentar identificar os grupos nos quais o plasma estaria mais indicado”, disse Amorim.

Categorias
Destaque Rio

Hemorio faz campanha em busca de jovens doadores de sangue

No Hemorio, o percentual de doadores de sangue na faixa etária de 16 a 18 anos não chega a 0,1% do total. Na faixa de 18 a 25 anos, o número sobe para cerca de 10%, destacou Amorim.

Segundo o médico, o objetivo da campanha é mostrar aos jovens que eles são bem-vindos ao Hemorio, que, neste momento, precisa da doação de sangue deles para atender as pessoas que estão internadas.

Os voluntários com idade a partir de 16 anos podem doar sangue com o consentimento dos pais ou responsáveis legais. Para isso, devem imprimir formulário próprio encontrado no site do Hemorio e, após a assinatura dos pais ou responsáveis, podem se dirigir à sede do instituto, na Rua Frei Caneca, 8, centro da cidade, durante todos os dias da semana, incluindo feriados, no horário das 7h às 18h.

Vinculado à Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, o Hemorio só fecha no dia 1º de janeiro.

Pandemia

Com a pandemia, as doações caíram, em média, 10% no período de 16 de março, quando foi decretada a quarentena por causa da pandemia do novo coronavírus, até o dia 20 de setembro, na comparação com igual período de 2019. A doação de sangue pode ser feita por pessoas que tenham de 16 a 69 anos de idade, que pesem, no mínimo, 50 quilos e estejam bem de saúde.

Todos os doadores devem apresentar documento de identidade oficial com foto. Não é necessário estar em jejum, bastando apenas evitar comer alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes.

Categorias
Rio

Bondinho Pão de Açúcar firma parceria com Hemorio

Da Redação

Para ressaltar a importância e urgência em reverter o triste cenário de queda nos estoques de sangue da cidade do Rio de Janeiro em meio à pandemia da covid-19, e para lembrar o Junho Vermelho ─ campanha de conscientização sobre o ato de doar sangue ─, o Bondinho Pão de Açúcar fez uma parceria com o Hemorio. Funciona assim: o parque oferecerá 60% de desconto no valor do bilhete a todos que doarem sangue em um dos pontos de coleta oficial do instituto durante a campanha. Além disso, presenteará com uma cortesia todos os enfermeiros e técnicos de enfermagem da instituição, que somam 500 profissionais.

O desconto será sobre o valor do bilhete regular do Bondinho Pão de Açúcar, não sendo cumulativo com outros descontos, e será válido apenas para quem adquirir o bilhete na bilheteria do Parque, quando da reabertura, até o dia 20 de dezembro. Basta apresentar o comprovante de doação junto ao Hemorio, datado do período da campanha, e documento oficial original com foto.

A campanha começou em 1º de junho e vai até 31 de agosto. A iniciativa soma esforços no estímulo à doação de sangue, já que os estoques sofreram uma grave redução de 40% desde o início da pandemia. E para receber os doadores, o Hemorio estabeleceu um protocolo especial de atendimento, visando à segurança de doadores e colaboradores durante a coleta, com cadeiras de doação espaçadas, disponibilização de antissépticos para as mãos e intensificação na higienização das superfícies e instrumentos.

No dia 13 de junho, o Bondinho será um ponto de coleta do Hemorio voltado aos moradores da Urca e bairros do entorno. Os doadores deverão se inscrever previamente, fazendo o agendamento por horário, a fim de evitar aglomerações. As inscrições para as doações de sangue no Bondinho, no Centro de Recepção de Visitantes do parque, devem ser realizadas por horário em http://doity.com.br/doacao-de-sangue-no-bondinho.

Para esclarecimento quanto aos requisitos básicos para doação de sangue, o interessado deverá acessar o site do Hemorio (www.hemorio.rj.gov.br/) ou ligar para o Disque-Sangue (0800-2820708).

Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca

Não deixe que o coronavírus quebre essa corrente do bem

Diante da necessidade de manter os estoques e a rede abastecida de sangue, o Ministério da Saúde alerta que os estoques do Hemorio tiveram uma baixa após o anúncio da pandemia do coronavírus. É importante manter uma quantidade mínima diária, visto que a cidade neste momento, registra muitos óbitos.

Pessoas com anemias crônicas, acidentes que causam hemorragias, complicações decorrentes da dengue, febre amarela, tratamento de câncer e outras doenças graves, continuam ocorrendo. Ou seja, o consumo de sangue é diário e contínuo. Vamos ajudar!

Informações:

Hemorio

Endereço: Rua Frei Caneca 8 – Centro – RJ

Telefone: (21) 2332-8611

Categorias
Rio

Hemorio: pandemia afeta doação de sangue

Por Franciane Miranda

O isolamento social provocado pela pandemia do coronavírus refletiu de forma negativa na doação de sangue. O número de doadores no Hemorio teve uma queda de 50% e, no Estado, a redução foi ainda maior, com baixa de 70% na quantidade de bolsas coletadas. Para os estoques voltarem a subir, a instituição iniciou, no dia 1º de abril, uma ação em parceria com grandes condomínios do Rio, chamada de ‘Hemorio em Casa’. A estratégia busca facilitar a participação da população evitando que os doadores saiam de casa.

A instituição informou que toda a estrutura necessária para coleta é instalada pela equipe. O local escolhido são os salões de festa dos condomínios com média de 500 moradores e que preenchem os requisitos para doação. As pessoas que estão aptas para doar fazem um cadastro e depois retornam ao seu apartamento para evitar aglomerações. Quando tudo está pronto, são chamados via WhatsApp ou interfone para realizar a coleta. Todos estes cuidados estão sendo tomados para proteção dos doadores. O Hemorio também destaca que o procedimento é totalmente seguro e não existe risco do doador contrair o coronavírus ao doar sangue.

Os síndicos que tenham interesse em apoiar este ato solidário e administram condomínios que preenchem os requisitos, podem entrar em contato por e-mail ─ coleta.condominio@hemorio.rj.gov.br.

Se as ações implantadas não chegarem ao seu condomínio, mas você deseja doar, tome todas as precações e ajude. As pessoas que estão saudáveis e não fazem parte do grupo de risco podem sair de casa para ajudar a salvar vidas. Sair para doar é tão importante quanto realizar atividades básicas, como ir ao supermercado ou farmácia. Neste momento não apenas os médicos estão com esta missão: você também pode fazer a diferença, pois uma bolsa de sangue pode socorrer várias pessoas.

O Hemorio faz um apelo à sociedade e contam com a colaboração de todos os fluminenses. Não espere para doar apenas se um parente estiver precisando, faça isso sempre! Se você já doa aproveite para compartilhar com o máximo de amigos possíveis e, assim, possa inspirar outras pessoas a salvarem vidas.

Ato nobre e seguro

Para aumentar o número de doadores e ampliar a captação de sangue, o Hemorio conta com postos de coleta em diversos outros municípios do Estado e fez outras ações em parceria com Forças Armadas, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Guarda Municipal em seus respectivos quartéis e batalhões.

De acordo com a instituição, são necessárias 300 bolsas de sangue diárias para manter seus estoques regulares; Atualmente ela possui capacidade para atender todos os dias 500 doadores, em média. Conforme informações no site do Hemorio, o sangue coletado é compartilhado com mais de 200 unidades da rede pública hospitalar e conveniados junto ao Sistema Único de Saúde (SUS). Ele é usado, sobretudo, em grandes emergências que envolvem acidentes graves, seja por armas, trânsito, cirurgias, hemorragias agudas e muitas outras.

Doar sangue, além de um ato nobre, é totalmente seguro. Você passa antes por uma análise médica para avaliar o seu quadro clínico. Além de todo este cuidado, o material usado no processo é de uso individual, estéril e descartado após procedimento. Outra boa notícia: o seu organismo repõe todo o sangue no mesmo dia. A dica é ingerir muito líquido como suco ou água. Após doar o sangue, a primeira recomendação é descansar por, no máximo, 10 minutos. Lembre-se de até o dia seguinte não fazer esforço físico com o braço que foi usado para retirar o sangue.

Em meio a pandemia, o Hemorio informou que reforçou a segurança, restringindo as caravanas. Em suas unidades foi reduzida a quantidade de pessoas no salão de doadores, além de aumentar a fiscalização, com o objetivo de identificar possíveis casos com potencial de transmissão do vírus.

Para mais detalhes de como doar consulte o Disque Sangue, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 7h às 17h. Ou ainda através do número 0800 282 0708. Os endereços podem ser acessados no site do Hemorio ─ www.hemorio.rj.gov.br.

Hemorio informa sobre quem não pode doar…
• Quem teve Covid-19 fica inapto por 90 dias após a cura.
• Quem teve a forma grave da doença fica inapto por um ano após a cura.
• Quem teve contato com casos suspeitos ou confirmados fica inapto por 30 dias após a cessação do contato.
• Quem retornou de viagem internacional, vindo de qualquer país, fica inapto por 30 dias a partir do dia da chegada ao Brasil.
• Quem teve contato domiciliar com casos suspeitos ou confirmados fica inapto por 30 dias após a cessação do contato.

… e também quem pode
• Ter entre 16 e 60 anos e até 69 caso já sejam doadores de sangue.
• Pesar no mínimo 50 kg.
• Estar bem de saúde.
• Portar um documento de identidade oficial com foto. Jovens com 16 e 17 anos precisam de autorização dos pais ou responsáveis legais.
• Não é necessário estar em jejum, apenas evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação, e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes.