Categorias
Cultura Destaque Entrevistas Música Música Notícias do Jornal Sociedade TV & Famosos

Lia Clark: “Sempre sonhei em ter clipes e músicas, mas nunca imaginei que seria possível.”

*Por Fabiana Santoro

A cantora Lia Clark conversou com o JornalDR1 sobre novas músicas e desafios de artistas LGBTI+ no mundo musical.

A funkeira é um dos grandes nomes de representantes LGBTI+ na indústria. Por ser considerada a primeira drag queen do universo do funk brasileiro, Lia foi classificada pela imprensa como uma pioneira do segmento no país.

Sendo seu último álbum lançado em 2018, a artista lançou duas músicas em 2021 e revelou ao JornalDR1 o que podemos esperar dos próximos trabalhos. Confira a entrevista completa:

Lia Clark. Foto: Divulgação

JornalDR1 – Onde começou sua paixão pela música? Você imaginaria que chegaria onde está hoje?

Lia Clark – Minha paixão veio da infância, assistia TOP TVZ e MTV BRASIL todos os dias com a minha irmã! Sempre sonhei em ter clipes e músicas, mas nunca imaginei que seria possível. Tudo que eu vivo é um sonho, nunca imaginei que poderia ser uma drag queen funkeira, atingir tantas pessoas e viver disso.

JornalDR1 – Muitas vezes percebemos o boicote de algumas plataformas em cima de artistas LGBTI+. Não apenas de plataformas, como em geral em decorrência do preconceito. Como você enxerga a luta da comunidade LGBTI+ dentro do mundo do musical? 

Lia Clark – Eu acho que essa luta tem muitos recortes, porém, todos nós sofremos boicote por sermos artistas LGBTQIA+. Eu, além disso, sou funkeira, então o babado é mais embaixo. Eu acho que somos a geração da revolução, estamos aqui pra fazer essa mudança e lutar contra esse preconceito.

JornalDR1 – Você acabou de lançar uma nova música “Sentadinha Macia”. Como foi a produção do videoclipe? Por conta da pandemia, alguma ideia foi deixada de lado?

Lia Clark – Foi super tranquila! Acho que foi o clipe mais tranquilo que já fiz ahahah. Eu gostaria de ter tido muito mais coisas nele, pois, é uma das minhas músicas preferidas… porém, devido a pandemia tá muito difícil investir pesado em grandes produções.

JornalDR1 – Além de “Sentadinha Macia”, você também lançou “Eu Viciei” com a incrível e talentosa Pocah. Durante o período de isolamento, como você imagina que a música é importante para as pessoas?

Lia Clark – Acho que todas as artes foram muito importantes para as pessoas nesse momento difícil, digo isso como pessoa que consome e pessoa que faz arte. O lançamento de músicas me ajudou MUITO durante a quarentena e tenho certeza que aconteceu isso com diversas pessoas.

JornalDR1 – “A nova era chegou!”, foi algo que você disse quando lançou sua música com a Pocah. O sucessor de “É da pista” está a caminho?

Lia Clark – Com certeza! Está em produção e já temos 2 singles na pista. Espero que saia ainda esse ano!

As músicas de Lia Clark está disponíveis em todas as plataformas digitais.

Categorias
Diário do Rio Entrevistas Música Notícias do Jornal

Fernando Pennafort fala da carreira e de canção escrita antes da pandemia que retrata atualidade

“Vem pra ficar, a certeza de uma nova era. Já vamos crer nesse novo mundo à nossa espera. É, somos nós que seguimos sempre em frente. É porque nós vamos ter um mundo diferente”. A música “Mundo Diferente”, escrita e cantada pelo cantor carioca Fernando Pennafort, começou a ser escrita há alguns anos e finalizada uma semana antes da pandemia do Coronavírus.

A canção tem muito a ver com o momento atual e difícil que estamos passando, mas se engana quem pensa que a letra foi escrita pelo artista agora durante a quarentena. Ele colocou as letras no papel antes da pandemia, como se já previsse o que estava por vir.

“Já estava com a letra toda pronta quando vi que era uma mensagem positiva e perfeita para o momento”, explicou o artista. A música está disponível nas principais plataformas de streaming e tem videoclipe lançado no canal oficial do carioca no Youtube.

Nascido no Rio de Janeiro, Fernando Pennafort de destaca pela voz marcante. O carioca carrega em sua essência o rock dos anos 60 e 70 e tem perfil multifuncional. “Compor é meu forte”, relata o cantor, que também toca guitarra e violão e já conta com 7 lançamentos em sua carreira, que variam entre álbuns e um EP, lançado no ano de 2016.

“São projetos que me fortalecem como pessoa e artista, cada um com um significado e importância diferente na minha trajetória. Começamos em 2001 e não paramos mais”, diz.

Fernando Pennafort bateu um papo com o Jornal DR1 para falar um pouco sobre a carreira artística, sobre sua relação com a música e também sobre seus projetos futuros. Confira.

JORNAL DR1 – Como nasceu a paixão pela música?

PENNAFORT – Acho que foi ouvindo os Beatles, aos 6 anos.

JORNAL DR1 – Mesmo nascido no Rio, foi em Brasília que desenvolveu sua carreira artística como músico e compositor, não é? Quando e por que se mudou pra Brasília?

PENNAFORT – Foi em Brasília que eu comecei mesmo. Me mudei aos 19 anos, depois que uma Faculdade não deu certo e os meus pais moravam aqui.

JORNAL DR1 – Você carrega em sua essência o rock dos anos 60 e 70. Tem ídolos na música? Quem são suas inspirações?

PENNAFORT – Tinha ídolos quando era bem novo. Hoje, tenho artistas que gosto (risos). Minhas inspirações variam. Nem sei bem o que pego na minha bagagem para tocar ou compor.

JORNAL DR1 – Além de cantor, você também é compositor e toca guitarra e violão?

PENNAFORT – Sim, vou botar nessa ordem…Compositor que toca e canta.

JORNAL DR1 – A sua música “Mundo Diferente” retrata bem o momento difícil que todos estamos passando, mas a letra foi escrita antes da pandemia. Você já estava prevendo o que viria?

PENNAFORT – Deve ter sido premonição (risos). Essa letra se encaixa perfeitamente como um alento para essa situação do mundo.

JORNAL DR1 – Como tem sido o trabalho agora na pandemia?

PENNAFORT – Um tanto produtivo. A gente sai menos e foca mais no trabalho.

JORNAL DR1 – Já são quantos trabalhos feitos na carreira?

PENNAFORT – Não sei a conta certa, mas acho que são uns 10.

JORNAL DR1 – E quais os próximos planos? Já tem algum projeto em mente para depois da pandemia?

PENNAFORT – Os próximos planos são lançar novas músicas e um clipe. Acho que é melhor ninguém contar com o fim da pandemia para realizar um projeto.

Categorias
Cultura Rio

NOVA PRODUTORA CULTURAL TRÁS JOVENS ARTISTAS DA ZONA NORTE

 

 

Hoje sexta-feira (25) oficialmente a BELFORT PRODUÇÕES apresenta sua equipe para os próximos espetáculos.

Foto: Reprodução

A frente da nova produtora cultural temos o jovem artista Isaac Belfort, como produtor geral. Com apenas 19 anos tem um longo currículo artístico, desde muito cedo começou seu caminho no Núcleo de Artes Grécia até o ano de 2016, onde fez vários espetáculos como “O Gato de Botas” entre outros títulos. Durante sua trajetória no Núcleo fez cursos de dança (ballet, contemporâneo e jazz) e canto. Foi assistente de produção na DelRio produções, por um curto período. A partir de 2018 ele assinou seus primeiros trabalhos como produtor geral dos espetáculo “O Monstro do Sertão de Notre Dame”, “O Rei Leão” no mesmo ano assinou como produtor e um dos curadores do Festival de Inverno CCSP, na zona norte do Rio. Em 2019 Isaac assina sua primeira direção no musical infantil “Criando Asas”, onde é também é ator e produtor do espetáculo. Foi produtor e ator do espetáculo “Aladdin e a lâmpada mágica” em Outubro de 2019. Trabalhou como Coreógrafo da comissão de frente da G.R.E.S Chatuba de Mesquita, dando pontapé no mundo do carnaval carioca.
Atualmente, Isaac Belfort é produtor geral da Belfort Produções e coordenador da Oficina de Artes Paulo Benjamin de Oliveira (Paulo da Portela), ao lado da rainha de bateria da Portela, Bianca Monteiro.

Ao lado de Isaac o time de profissionais escolhidos para compor sua produtora conta com Gabriel Barbosa (Produtor Executivo) também coordenador da Oficina de Artes Paulo da Portela, Layla Santos (Marketing), Nakiska Muniz (Direção musical), Manuel Neto (Logística), Rebeca Bittencourt (autora) e o jovem carnavalesco da G.R.E.S Em Cima da Hora Alex Carvalho (Diretor criativo). A equipe promete muitos lançamentos para 2022 e alguns ainda para o segundo semestre deste ano.

Para mais informações sigam o perfil da produtora nas redes sociais: @belfortproducoes

Categorias
Cultura Música TV & Famosos

Taylor Swift anuncia data de lançamento da regravação do álbum Red

*Por Fabiana Santoro

Taylor Swift anunciou em suas redes sociais, o próximo álbum que será regravado na versão “Taylor´s Version”. RED seu álbum de 2012, será relançado em 19 de novembro deste ano.

No anúncio, Taylor revelou que, no relançamento, os fãs poderão ouvir além das 22 músicas, mais 8 músicas inéditas que estarão presentes, sendo no total 30 músicas na ”Taylor Version”. A cantora também fez questão de incluir a versão original – que possui 10 minutos – da canção ”All Too Well”, uma das mais queridas e pedidas pelos fãs.

Capa de RED. (Foto: Reprodução Twitter)

Em seu post a artista escreveu:

“Musicalmente e liricamente, o Red é como uma pessoa que teve o seu coração quebrado. Ele é uma bagunça, um mosaico fraturado de sentimentos que, de alguma forma, se encaixaram no final. Feliz, livre, confuso, solitário, devastado, eufórico, selvagem, e torturado por memórias do passado. Como se estivesse experimentando vidas diferentes, eu fui até o estúdio e brinquei com sons e colaboradores diversos. Eu não sei se foi porque coloquei meus pensamentos no álbum, ou porque ouvi milhares de vocês cantando as letras de volta para mim em solidariedade apaixonada, ou se foi simplesmente o tempo, mas eu me curei pelo caminho”, declarou Taylor Swift.

Categorias
Fica a Dica Música Rio

Franco-Brasileiro promove tradicional Festival da Música neste sábado

Foto: Divulgação

Os 24 idosos que vivem na casa de repouso Bela Flor, no Andaraí, vão ter um presente neste sábado, a partir das 15h. A entidade vai exibir o projeto Festa da Música (Fête de La Musique), promovido pelo Franco-Brasileiro e transmitido pelo Youtube do colégio.

A apresentação ficará por conta da professora Heloisa Helena Azevedo, coordenadora de Francês da escola, e da aluna Sophia Dahmouche, da 2ª Série do Ensino Médio. Por conta da pandemia, o evento promovido pelo Franco será virtual.

Esta é uma tradição francesa que trouxemos para o colégio há mais

Foto: Divulgação

de 20 anos. Inicialmente eram apenas músicas francesas. Mas o conceito foi mudando, há algum tempo temos alguns gêneros, mas sempre priorizando o francês. Sempre tentamos trazer músicas francesas atuais, porque sabemos que agrada mais ao nosso público jovem. Ao mesmo tempo, a gente nunca esquece das canções clássicas, que agradam aos responsáveis – explica Heloisa.

A Festa da Música é uma verdadeira celebração à cultura francesa.

Além dos alunos, recebemos nossos professores que são músicos e cantores. Teremos professores e seus filhos cantando, temos uma banda com esses meninos. Quanto aos instrumentos, o violão, piano e a guitarra são, normalmente, os preferidos dos alunos – conta a coordenadora de Francês e organizadora do evento.

O link para acompanhar a Festa da Música é este: https://www.youtube.com/channel/UCquX2i8JG0dK3pFgSz5pF1w

Categorias
Cultura Mundo Notícias

Mundo Diferente: carioca Fernando Pennafort fala de música escrita antes da pandemia que retrata atualidade

Uma música que começou a ser escrita há alguns anos e finalizada uma semana antes da Pandemia Mundial do Coronavírus, tem muito a ver com o momento atual. Escrita por Fernando Pennafort, “Mundo Diferente” retrata bem o momento difícil que todos estamos passando, mas se engana quem pensa que a letra foi escrita durante a quarentena.

“Já estava com a letra toda pronta quando vi que era uma mensagem positiva e perfeita para o momento”, explica o artista.

A música está disponível nas principais plataformas de streaming e tem videoclipe lançado no Youtube.

Nascido no Rio de Janeiro e com voz marcante, o carioca carrega em sua essência o rock dos anos 60 e 70.

Inclusive, como bom amante do gênero musical, considera a banda Beatles uma verdadeira inspiração. Mesmo nascido na cidade maravilhosa, foi em Brasília que desenvolveu sua carreira artística como músico e compositor.

“Compor é meu forte”, relata o artista que também toca guitarra e violão e já conta com 7 lançamentos em sua carreira, que variam entre álbuns e um EP lançado em 2016.

“São projetos que me fortalecem como pessoa e artista, cada um com um significado e importância diferente na minha trajetória. Começamos em 2001 e não paramos mais”, finaliza Fernando.

Categorias
Brasil Cultura Música

DJ Lud Prado é uma das sensações do mercado de música eletrônica

Uma das DJs femininas mais solicitadas do Brasil, Lud Prado domina as pistas de música eletrônica desde 2016. Amante do gênero, desde os 16 anos, quando ainda curtia as baladas teens, começou a se interessar por trocar a pista pelo palco. “Nessa época, tomei coragem de fazer o curso de DJ, vi que não era um bicho de sete cabeças como eu pensava, e me encontrei”, diz ela, que nasceu na cidade paulista de São José dos Campos, sempre trabalhou com moda, teve confecção de roupas, mas foi na música que resolveu trilhar o seu caminho.

Tocando do deep ao house, Lud foi considerada a revelação de 2019, pela revista Djane Mag Brasil. Em sua carreira, tocou nos principais clubes da elite paulista e em festas de famosos, como nos aniversários do apresentador Rodrigo Faro e do sertanejo Fernando Zor, parceiro de Sorocaba. Além disso, foi um dos destaques do camarote King, na Avenida Marquês de Sapucaí, no Rio, no desfile das campeãs, em 2019 e 2020.

A DJ produziu músicas que estouraram nas pistas, entre elas ´Giving up on love´, lançada com Blackout, ´Just like that´, em parceria com Mary Mesk, ´Alla Turca´, além da autoral ´Tô Solteira´, que lançou ao lado de Lu Archilla e Cris Proença. “Nesse período, decidi produzir com um vocal mais funkzinho no eletrônico que estava em alta e deu super certo”, relembra Lud Prado, que promete mais um lançamento até o final de julho.

Categorias
Cultura Fica a Dica Música

Dupla Fabricio & Henrique lança música com Japinha Conde

 

 

A dupla sertaneja Fabricio & Henrique acaba de lançar o seu mais novo trabalho. Estourado em todas as plataformas digitais, o clipe de “Adeus mundo cruel”, conta com a participação da cantora Japinha Conde, vocalista da banda Conde do Forró, e tem cerca de 700 mil visualizações no YouTube e o mesmo número de streams no Spotify.

Foto: Reprodução

“Amor Volta, Amor Volta! Se não eu vou beber leite com manga, eu vou chupar Mentos com Coca-Cola, cometo uma loucura se você não volta!” é daqueles refrões impossíveis de tirar da cabeça. “A música está dando o que falar e já é a mais baixada da nossa playlist”, diz Fabrício.

“Japinha é uma grande artista e amamos nossa parceria. Estamos com uma grande expectativa para esse trabalho”, afirma Henrique.

Os cantores Fabricio & Henrique já se conhecem há muito tempo, mas nunca tinham pensado em formar uma dupla, até que em 2019, por ideia de um amigo em comum, decidiram se juntar e iniciaram a carreira em alto estilo, apadrinhados pelo sertanejo Marrone, parceiro de Bruno. A estreia foi com a gravação do DVD ´Relógio de Saudade´, em janeiro de 2020, em Goiânia, berço do sertanejo, onde ambos nasceram.

Antes de brilhar no mundo da música, Fabrício trabalhou em várias áreas. Começou cedo, aos nove anos, como engraxate, não desistiu e virou um conceituado empresário do ramo da moda e da construção civil, em Goiás. Já Henrique sempre trilhou o caminho musical. Conhecido no meio como Ronny, ele foi a primeira voz da extinta dupla Ronny e Max, que durou por 14 anos e teve destaque no cenário sertanejo.

Além de Marrone e Japinha, a dupla também fez parceria com as irmãs Maiara e Maraísa, na canção “Pra Quê Namorar?”. O clipe foi visto por quase um milhão e trezentas mil pessoas.

Categorias
Cultura Destaque Diário do Rio Notícias Rio

Cidade das Artes recebe jovens músicos de periferia para 1º grande evento presencial

No próximo sábado (05/06), às 18h, sessenta músicos da Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro (OSJRJ) irão interpretar repertório do tcheco Dvorak e do brasileiro Camargo Guarnieri, na Grande Sala da Cidade das Artes, em única apresentação. O ponto alto do espetáculo será Sinfonia em mi menor n. 9, de Antonin Dvorak, com temática baseada no Novo Mundo e em sintonia com o atual momento do planeta, impactado por uma pandemia. A regência será de Tobias Volkmann.

A OSJRJ foi criada em 2014, fruto do programa Ação Social pela Música do Brasil, e é composta por jovens talentos com idade entre 15 e 26 anos e, em sua maioria, residentes de comunidades do Rio como Complexo do Alemão, Morro dos Macacos, Babilônia e Morro da Providência, de cidades da Baixada Fluminense e do município de São Gonçalo. Alguns desses músicos já se apresentaram recentemente em concertos na Alemanha, Holanda, Suíça e nos Estados Unidos e muitos são as primeiras pessoas de suas famílias a fazerem um curso superior em universidades como a UniRio e a UFRJ.

A participação desses jovens na orquestra é fundamental para seu desenvolvimento tanto profissional quanto pessoal. Neste processo de aprendizagem, os alunos da ASMB adquirem disciplina, concentração, capacidade de trabalho em equipe, respeito e paixão pela arte. Como resultado, muitos desses adolescentes ganham autoestima e confiança para enfrentar os desafios da vida adulta e aceitar desafios no mercado de trabalho. O objetivo da OSJRJ é dar suporte aos jovens músicos, aperfeiçoando a prática orquestral e incentivando o ingresso em cursos superiores e de profissionalização.

Na apresentação da Cidade das Artes, Tobias Volkmann estará à frente dos jovens músicos. Ele já esteve como convidado em mais de 30 orquestras na Europa, Estados Unidos e América do Sul, foi Maestro Titular da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio. Como parte indispensável de sua atuação artística, dedica-se à Ação Social Pela Música no Brasil. Dirige regularmente concertos da Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro e acompanha o desenvolvimento de seus músicos.

REPERTÓRIO

Antonín Dvořák (1841 – 1904)

Sinfonia em mi menor nº 9, Novo Mundo (1893)

I. Adagio, Allegro molto

II. Largo

III. Molto vivace

IV. Allegro con fuoco

 Mozart Camargo Guarnieri (1907 – 1993)

Dança brasileira (1928)

SERVIÇO

DATA: 05/06, SÁBADO, ÀS 18 HORAS – Única apresentação

DURAÇÃO: 60 MINUTOS ( SEM INTERVALO)

CLASSIFICAÇÃO: LIVRE

INGRESSOS – MEIA: R$ 20 E INTEIRA R$ 40

VENDAS PELO SYMPLA

ESTACIONAMENTO GRÁTIS

REGRAS ANTI-COVID – Uso obrigatório de máscara em todos os espaços do teatro; aferição de temperatura na entrada; capacidade reduzida de publico a 40%, distanciamento necessário, desinfecção e limpeza de todas as áreas

Categorias
Cinema Música Séries TV & Famosos

Universal confirma cinebiografia de Cher, comandada pelos mesmos produtores de Mamma Mia!

*Por Fabiana Santoro

Pelas redes sociais a cantora Cher, um dos maiores nomes da música, confirmou que ganhará uma cinebiografia pela Universal. A produção será escrita por Eric Roth, de Nasce Uma Estrela, e produzida por Judy Craymer e Gary Goetzman, de Mamma Mia!.

Cher em 1988 com o Oscar de Melhor Atriz. (Foto: Divulgação)

Ao longo de sua carreira, Cher recebeu inúmeras homenagens e prêmios por seu trabalho, a cantora se tornou sucesso mundial ao lado de Sonny Bono. Os dois participavam da TV nos anos 1970, poucos anos antes de Cher seguir carreira solo. A atriz e cantora já foi vencedora dos maiores prêmios da música e do cinema como Oscar, Globo de Ouro, Emmy, Festival do Cannes e Grammy. 

O filme ainda não possui previsão de lançamento.