Categorias
Brasil Destaque Notícias Rio Saúde

Rio de Janeiro vacina idosos com terceira dose contra covid-19 nesta segunda

Da Agência Brasil

Idosos de 95 anos ou mais começarão a ser imunizados com a terceira dose de vacina contra a covid-19 a partir desta segunda-feira (13). O calendário foi divulgado neste domingo (12) pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Calendário

Na segunda-feira (13), é a vez das pessoas com 95 anos ou mais. Na terça-feira, serão vacinados quem tem 94 anos ou mais, seguindo consecutivamente até sábado (18), com a imunização de pessoas com 90 anos ou mais.

A dose de reforço será aplicada aos idosos que receberam a segunda dose há pelo menos três meses. Gestantes, puérperas, lactantes e pessoas com deficiência com 12 anos ou mais, e jovens com 23 anos ou mais também podem se vacinar, preferencialmente no período da tarde.

Adolescentes

As unidades continuam aplicando a segunda dose conforme a data estipulada no comprovante da primeira. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), para a retomada da vacinação dos adolescentes é aguardada a entrega de mais doses pelo Ministério da Saúde, o que está previsto para ocorrer até terça-feira (14), sendo possível retomar este calendário na quarta-feira (15).

Categorias
Brasil Destaque Notícias Rio Saúde

Estudo diz que vacinados com CoronaVac têm 74% menos chance de morte

Da Agência Brasil

Com dados de 60 milhões de brasileiros vacinados entre 18 de janeiro e 30 de junho, estudo avaliou a efetividade das vacinas CoronaVac e AstraZeneca para prevenir casos graves de covid-19, hospitalizações, admissão em UTIs e mortes. No caso da vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan, a CoronaVac, com o esquema vacinal completo, a pessoa imunizada tem 74% menos risco de morte. Com a AstraZeneca, o percentual é acima de 90%

A autoria do trabalho, publicado na plataforma medRxiv e ainda em processo de revisão, é de pesquisadores das universidades federais da Bahia e de Ouro Preto, da Universidade de Brasília (UnB), da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e da London School of Hygiene & Tropical Medicine e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Considerando todas as faixas etárias dos vacinados, entre os que tomaram duas doses da CoronaVac, 54,2% apresentaram risco menor de infecção pelo novo coronavírus, 72,6% menos risco de hospitalização, 74,2% menos risco de admissão na UTI, e 74% menos risco de morte. Para quem tomou apenas uma dose, o risco de infecção caiu pela metade, além disso, o estudo apontou 26,5% menos risco de hospitalização, 28,1% menos risco de admissão em UTI e 29,4% menos risco de morte.

Com a AstraZeneca, os que completaram a imunização com duas doses apresentaram 70% menos risco de infecção, 86,8% menos risco de internação, 88,1% menos risco de admissão na UTI e 90,2% menos risco de morte. Entre os que tomaram uma dose, foi observado um risco 32,7% menor de infecção, risco de hospitalização caiu pela metade, 53,6% menos risco de admissão em UTI e 49,3% menos risco de morte.

Os pesquisadores destacam que o levantamento é importante não apenas pelo grande número de pessoas analisadas, mas porque se trata do primeiro levantamento nacional para verificar a efetividade vacinal. Esse dado é diferente da eficácia vacinal, que se dá em um ambiente de condições controladas e ideais.

Análise por idade

O estudo aponta uma efetividade semelhante para as duas vacinas em todas as faixas etárias, com exceção das pessoas com 90 anos ou mais. Com a CoronaVac, para pessoas com 60 anos ou mais, a redução no risco de hospitalização ficou em 84,2%, admissão em UTI em 80,8% e 76,5% menos risco de morte por covid-19 para pessoas com esquema de vacinação completo. Estratificando a faixa de pessoas com 90 ou mais, a efetividade é menor, pois a redução no risco de hospitalização, admissão em UTI e morte foi de 32,7%, 37,2% e 35,4%, respectivamente.

No caso da AstraZeneca, com as duas doses para pessoas com 60 anos ou mais, a redução no risco de hospitalização chegou a 94,2%, admissão em UTI a 95,5% e o risco de morte por covid-19 ficou 93,3% menor. Na faixa com 90 anos ou mais, os percentuais caíram para 54,9%, 39,7% e 70,5%, respectivamente.

Os cientistas concluíram, portanto, que pessoas com idade acima de 90 anos podem se beneficiar com uma terceira dose de reforço, mas apontam a necessidade de comprovação científica dessa tese.

Nesta semana, o Ministério da Saúde informou que iniciará, na segunda quinzena de setembro, a aplicação da dose de reforço da vacina contra a covid-19 a “todos os indivíduos imunossuprimidos após 28 dias da segunda dose e para as pessoas acima de 70 anos vacinados há 6 meses”.

Metodologia

Foram vacinadas, entre janeiro e junho deste ano, 21,9 milhões (36,2%) de pessoas com a CoronaVac e 38,6 milhões (63,8%) com a AstraZeneca, totalizando 60,5 milhões de vacinados. Cerca de 44% desse total, 26,8 milhões de pessoas, tinham 60 anos ou mais. Nesse sentido, os principais resultados dizem respeito à redução de hospitalizações, admissões em UTI e mortes especificamente para essa faixa de idade.

Os pesquisadores confrontaram os dados dos vacinados com dados hospitalares nacionais, obtidos no Sistema de Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe). De acordo com o estudo, o sistema é utilizado como fonte para análises epidemiológicas por reunir os casos notificados de hospitalizações e mortes causadas por vírus respiratórios, como o novo coronavírus e o vírus da gripe.

Categorias
Destaque Diário do Rio Saúde

Prefeitura do Rio de Janeiro anuncia vacinação para adolescentes

Por Agência Brasil

A prefeitura do Rio de Janeiro anunciou hoje (18) o início da vacinação contra a covid-19 para adolescentes a partir da próxima semana. O calendário seguirá escalonado e com três dias para cada idade: segunda-feira, terça-feira e quarta-feira para quem tiver 17 anos de idade; quinta-feira, sexta-feira e sábado para os com 16 anos

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a vacina usada será a da Pfizer, única liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para essa faixa etária.

No ato da vacinação é preciso apresentar documento de identidade original com foto, número do CPF e, se possível, a caderneta de vacinação.

Especificamente para os adolescentes com deficiência não haverá escalonamento e a partir dos 12 anos de idade eles já podem se vacinar de segunda-feira em diante. As pessoas nessa condição, adultos ou adolescentes, devem apresentar laudo médico ou outros documentos que comprovem a deficiência.

 

Categorias
Cidade Destaque Diário do Rio Saúde

Decreto torna obrigatória a vacinação contra a Covid-19 de servidores municipais

Por Prefeitura do Rio de Janeiro

Em decreto publicado na edição do Diário Oficial do Município desta quarta-feira (18/08), o prefeito Eduardo Paes determina que a vacinação contra a Covid-19 é obrigatória para todos os servidores e empregados públicos municipais, assim como para os prestadores de serviços contratados pelos órgãos e entidades da Administração Pública Municipal, direta e indireta. De acordo com o texto, a recusa, sem justa causa, em submeter-se à vacinação caracteriza falta disciplinar, passível das sanções dispostas na Lei nº 94, de 14 de março de 1979 e no Decreto-lei n° 5.452, de 1º de maio de 1943.

A Subsecretaria de Gente e Gestão Compartilhada, da Secretaria Municipal de Fazenda e Planejamento, editará normas complementares para execução das disposições do decreto nº 49.286.

Categorias
Brasil Destaque Saúde

País atinge 50 milhões de pessoas com vacinação completa contra covid

Da Agência Brasil

O Ministério da Saúde informou, hoje (17), que mais de 50 milhões de pessoas já tomaram as duas doses ou a vacina de dose única contra a covid-19, o que representa 31,9% da população acima de 18 anos de idade com a imunização completa contra a doença.

O andamento da vacinação pode ser conferido na plataforma LocalizaSUS, atualizada diariamente.

De acordo com os dados da base nacional do Programa Nacional de Imunizações (PNI), 49.062.641 pessoas completaram o ciclo vacinal. Além delas, 2.089.449 também já tomaram as duas doses ou dose única, conforme informado pelas secretarias estaduais de Saúde, mas que ainda aguardam registro na base do PNI. O total, então, chega a 51.152.090 pessoas imunizadas.

O Ministério da Saúde reforça aos brasileiros que ainda não completaram o ciclo vacinal que procurem uma unidade de saúde para a segunda dose. Para que as vacinas atinjam a efetividade esperada, é necessário tomar as duas doses – ou a dose única, no caso da vacina da Janssen.

A orientação é que a segunda dose seja aplicada no período recomendado, de 12 semanas para as vacinas da Pfizer/BioNTech e da Astrazeneca/Fiocruz e de quatro semanas para a CoronaVac/Butantan. No entanto, mesmo para quem perdeu o prazo, a orientação é procurar um posto de vacinação para completar o ciclo vacinal.

A meta do governo é imunizar toda a população adulta com duas doses até o fim do ano. De acordo com os registro no PNI e nos painéis das secretarias estaduais, o Brasil já aplicou mais de 168 milhões de doses, no total, sendo que mais de 70% da população (117 milhões de pessoas) acima de 18 anos de idade já está com a primeira dose no braço.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, o andamento da vacinação vem refletindo na redução no número de casos, óbitos e internações pela doença. Na última semana, todos os estados e o Distrito Federal registraram taxa de ocupação de leitos covid-19 abaixo de 80%. “É a primeira vez no ano que o Brasil atinge esse índice, reforçando a importância da imunização para acabar com o caráter pandêmico no país”, disse a pasta.

 

 

Categorias
Destaque Diário do Rio Saúde

Câmara de Vereadores passa a ser um novo ponto de vacinação contra a Covid-19

Por Prefeitura do Rio de Janeiro

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) inaugurou nesta segunda-feira (16/08) o novo ponto de vacinação (PV) para reforçar a campanha contra a covid-19, desta vez no Palácio Pedro Ernesto, sede da Câmara de Vereadores. O novo PV funcionará de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Nesta segunda-feira, o calendário contempla as pessoas de 22 anos, preferencialmente mulheres pela manhã e homens no período da tarde. Também podem se vacinar maiores de 30 anos, pessoas com deficiência, gestantes, puérperas e lactantes. Até o final da semana, a SMS espera concluir a vacinação para o público a partir de 18 anos.

Mais informações sobre o calendário de vacinação do município estão disponíveis em coronavirus.rio/vacina.

Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Rio Saúde

Prefeitura inaugura ponto de vacinação na quadra da União da Ilha

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em parceria com a Subprefeitura das Ilhas, inaugurou nesta quinta-feira (05)  um novo ponto de vacinação (PV), para reforçar a campanha contra a Covid-19, desta vez na quadra da escola de samba União da Ilha do Governador.

O novo PV funcionará de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e se soma aos cerca de 280 pontos de vacinação disponibilizados pela Prefeitura em toda a cidade.

Nesta quinta-feira, o calendário contempla as pessoas de 29 anos, preferencialmente as mulheres pela manhã e os homens no período da tarde. Nesta semana também está sendo feita repescagem exclusivamente para pessoas com deficiência, gestantes, puérperas e pessoas com 50 anos ou mais.

Quem tem de 49 anos para baixo e perdeu sua data de vacinação deverá aguardar a repescagem para essa faixa etária, que ocorrerá entre os dias 19 e 21 de agosto.

“A  vacina representa a esperança de voltar à normalidade, de salvar milhões de vidas e de ver que a ciência é o direcionamento para o desenvolvimento de todos os países. Ter tomado a segunda dose é uma sensação de felicidade e, ao mesmo tempo, de tristeza por aqueles que não conseguiram tomar a vacina no tempo justo para salvar suas próprias vidas”, disse Lizeth Jaramillo, pesquisadora da UFRJ.

Categorias
Destaque Notícias Rio Saúde

Rio retoma aplicação da primeira dose contra covid-19 na quarta

Da Agência Brasil

A cidade do Rio de Janeiro irá retomar na quarta-feira (28) a vacinação contra a covid-19, conforme anunciou na tarde de hoje (26), pelo Twitter, o prefeito Eduardo Paes. A expectativa da prefeitura é que todos os cariocas acima de 18 anos sejam vacinados nas próximas três semanas. A aplicação da primeira dose da vacina está suspensa desde sexta-feira (23), por falta de estoques do imunizante.

“Na quarta retomamos a vacinação e vamos manter as idades previstas para essa semana. Se não houver mais falhas na entrega, nas próximas três semanas teremos todos – TODOS – os cariocas acima de 18 anos devidamente imunizados com a primeira dose! Bora distribuir acelerado!”, diz Paes. A expectativa era que a vacinação fosse retomada nesta quinta (29), mas o prefeito anunciou que isso será possível já na quarta-feira.

Segundo calendário publicado na rede social, na quarta serão imunizados, pela manhã mulheres e, à tarde, homens, de 34 anos. Na quinta (29), mulheres de 33 anos e, à tarde, repescagem para aqueles com 34 anos ou mais. Na sexta (30), homens com 33 anos e à tarde, repescagem para aqueles com 33 anos ou mais. No sábado (31), a imunização segue para aqueles com 33 anos ou mais.

A retomada do calendário de vacinação será possível porque o Ministério da Saúde comprometeu-se a enviar novos lotes de vacina a partir desta segunda-feira. Também pelo Twitter, a pasta informou que enviará 10,2 milhões de doses do imunizante para todos os estados e para o Distrito Federal.

Paes ressalta ainda que apesar da suspensão da primeira dose, a segunda dose foi aplicada hoje e será efetuada também normalmente nesta terça-feira (27) no Rio.

Categorias
Destaque Notícias Rio Saúde

Rio: governo vacinará toda população da Ilha Grande contra covid-19

Da Agência Brasil

Toda a população da Ilha Grande, na costa verde do Rio, será vacinada contra a covid-19. A ação foi anunciada nesta terça-feira (6) pela Secretaria de Estado de Saúde e visa a imunização dos cerca de 2.500 moradores do local.

Segundo a secretaria, serão vacinados todos os moradores com mais de 18 anos de idade, em parceria com a prefeitura de Angra dos Reis. A vacinação será acompanhada de um estudo epidemiológico para monitorar a resposta imunológica da imunização em massa.

A vacina escolhida para o experimento é a Jansen, que prevê dose única para a imunização completa. A ação será realizada neste sábado (10), entre as 9h30 e as 15h30.

Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Rio Saúde

Uerj estuda eficácia de vacinas em pessoas imunizadas no posto da instituição

Uma pesquisa realizada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) busca entender como o organismo de pessoas vacinadas com os imunizantes AstraZeneca e CoronaVac produz defesas, principalmente linfócitos específicos, com maior efetividade para destruir ou inativar o Sars-CoV-2 e suas variantes.

Os voluntários são recrutados entre as pessoas que chegam para receber a primeira dose da vacina, no posto montado no campus da Universidade, localizado no Maracanã.

Depois de imunizados, eles passam pela coleta de sangue, que ocorre a poucos passos de distância, dentro da Capela Ecumênica, com todos os protocolos de segurança. Os participantes respondem ainda às perguntas do estudo, conduzido pela médica Isabel Bouzas, do Centro de Apoio à Pesquisa no Complexo de Saúde da Uerj (CAPCS), sob coordenação do professor Luís Cristovão de Moraes Sobrino Pôrto, do Instituto de Biologia Roberto Alcântara Gomes (IBRAG).

O monitoramento é feito em várias fases, iniciando no momento da vacinação e prosseguindo pelos meses seguintes.

“As amostras coletadas no ato da vacina ficam armazenadas para testagem comparativa com as da segunda dose, que completa o ciclo de imunização. Assim poderemos definir melhor em qual grupo populacional, por sexo e faixa etária, a vacina foi efetiva, A primeira e a segunda doses estimulam o sistema imunológico; pode haver variações individuais, em função das características genéticas ou de infecções prévias de cada pessoa. Nosso consenso é que valores mais altos de defesa podem ser encontrados entre 30 e 60 dias após exposição total aos antígenos. Neste estudo, optamos por comparar após 30, 90, 180 e 360 dias”, explica Luís Cristovão.

Até o momento, mais de 1.800 pessoas já colaboraram com o estudo. Muitos voluntários, entendendo a importância e o propósito da pesquisa, estimulam amigos e conhecidos a aderirem.

Banco de dados inédito

A pesquisa gera um conjunto de ações de grande relevância para a Uerj, principalmente em relação aos dados científicos produzidos.

“É que estarão disponíveis também para o acesso de outros cientistas e, a partir deles, será possível continuar ampliando os resultados com todas as informações das diferentes respostas imunológicas ocorridas com os participantes”, afirma Isabel Bouzas.

“O diferencial significativo desta pesquisa é buscar respostas imunológicas das vacinas em grupos populacionais por período superior a seis meses, o que não foi feito em outros estudos”, diz o pesquisador Luís Cristóvão.

A pesquisa deixará ainda como legados a construção de bases de dados e de um biorrepositório para futuras investigações.

Por isso, a participação de quem vai tomar a primeira dose da vacina na Uerj é fundamental, segundo a instituição. Além de se proteger contra a Covid-19, o voluntário contribui para a ciência e a produção de conhecimentos que podem ajudar a salvar muitas vidas.

O posto de vacinação da Uerj funciona em frente à Concha Acústica Marielle Franco, das 9h às 15h, de segunda a sexta-feira, seguindo o calendário da Prefeitura do Rio.