Categorias
Culinária Saúde

Nutróloga dá dicas de prevenção a Covid-19 e aumento da imunidade

A pandemia da covid-19 mudou o mundo e as formas de nos relacionarmos. Os cuidados com a higienização pessoal e com os ambientes precisam ser reforçados a todo o momento, principalmente quando se trata do convívio em espaços coletivos. Mas, além disso, cuidar da nossa imunidade é algo muito importante e essencial.

A Dra. Fernanda Cortez, Médica Nutróloga reservou algumas dicas extras para aumentar a imunidade e ajudar com a recuperação da covid 19:

A imunidade, também conhecida como Sistema Imunológico, é o processo de proteção do nosso corpo. É através dela que somos capazes de eliminar moléculas instáveis como os radicais livres, causadores de doenças e inflamações. Quando estamos com baixa imunidade tendemos a ficar fracos, com dores de cabeça e mais suscetíveis a pegar doenças, principalmente as virais como gripe e viroses.

A queda do desempenho do sistema imunológico é causada principalmente pela má alimentação, um dos principais pilares da nossa saúde. A falta de ingestão de água, vitaminas, nutrientes e antioxidantes, atrelados ao sedentarismo, estresse e a má qualidade do sono, geram inflamações em nossos corpos, causando doenças e problemas intestinais como a disbiose, que é a proliferação desequilibrada das bactérias ruins do nosso intestino, que geram a constipação ou diarreia.

Para melhorar nossa saúde, aumentar a nossa imunidade e nos prevenir de doenças, o ideal é buscar ajuda de um médico especialista, para que possa ser realizado exames que apontem quais são as deficiências do organismo de cada paciente e realizar uma suplementação específica para a sua necessidade. Ainda assim, hábitos que trazem benefícios à saúde devem fazer parte de nossas rotinas, como a prática de atividade física, mesmo que dentro de casa, investir em técnicas para melhorar o nosso sono, como meditação, por exemplo, e evitar o consumo em excesso de café, açúcares, glúten, lactose e frituras que são alimentos que atrapalham na absolvição das vitaminas minerais e antioxidantes.

A ingestão de cúrcuma, castanhas, laranja, limão e abacate, que são alimentos ricos em anti-inflamatórios e antioxidantes é importantíssima, além do consumo de legumes e folhas de cor verde escuro. Também é interessante investir no shot da imunidade todos os dias pela manhã ainda em jejum. O shot consiste na junção de ¼ de água, 3 gotas de própolis, meio limão e uma colher de café de cúrcuma em pó – comenta a médica.

E por último e não menos importante, dar bastante atenção à vitamina D e Zinco. Estudos realizados recentemente indicaram que a Vitamina D e o Zinco são grandes aliados no combate e prevenção ao coronavírus. A vitamina D tem um grande impacto na saúde, e pacientes com maior nível possuem menos chances de ser contaminado pelo vírus ou tem uma recuperação mais rápida. Tomar sol por cinco minutos e/ou suplementar com comprimido ajuda a regular o nível de insulina, previne a osteoporose, tumores, depressão, ansiedade.

Os estudos mais recentes já apontam também que o Zinco teria um efeito protetor na proliferação do COVID nas células humanas, ou seja, baixos níveis de Zinco levam a sintomas mais graves porque leva à uma inflamação maior no corpo.  Neste momento é indispensável tornar mais rápida a recuperação dos pacientes, sobretudo, porque não há leitos tanto na rede pública como na rede privada de saúde. Os níveis melhores de Zinco ajudam na sobrevida da doença, diminui a inflamação, faz com que você tenha sintomas mais leves e melhoram muito a resposta inflamatória do paciente.

Até o momento há uma compreensão de que o Zinco é um elemento fundamental para controlar a produção de radicais livres e sua deficiência eleva o risco de infecções e complicações secundárias, provoca a redução da cicatrização de feridas e torna mais vulneráveis os danos celulares da resposta de fase aguda. O mineral também é essencial para que os órgãos reprodutivos masculinos e femininos funcionem de forma saudável, pois favorece a complementação da meiose e cria blastocistos de boa qualidade.

A Dra. Fernanda reforça que a suplementação dessas vitaminas tanto de maneira oral, endovenosa ou intramuscular (mediante acompanhamento médico) é válida e pode ser feita através da soroterapia, que funciona muito bem, mas alerta que nada substitui a boa alimentação acompanhada de outras práticas de prevenção e vida saudável como: atividades físicas, uso de máscara e álcool gel.

Categorias
Flávio Soares | Corpo e Ação

Engordou na quarentena?

O mundo mudou, a vida mudou, a sua rotina mudou e você engordou… Mas, calma! Será que você só não está comendo melhor?

Agora você tem tempo, pode cozinhar, escolher o que é melhor e mais saudável, colocando no cardápio alimentos que aumentam a sua imunidade, adicionando os verdinhos, tirando os congelados, os embutidos, não tem mais o happy hour, pode dormir mais, você desacelerou com tudo isso e o aumento de peso é bem comum.

Ganhar peso pode ser uma forma de defesa do corpo e a tendência é que você volte ao peso anterior com a adaptação à situação e retorno à normalidade.

Então, a culpa pode ser deixada de lado para comer com prazer, para nutrir-se e aproveitar as refeições. Assim, você vai comer de tudo e ter mais bem-estar e saúde.

Por outro lado, é bem verdade que vivemos dias complicados, onde um misto de sentimentos têm nos dominado e, por muitas vezes, nos faz comer muito mais do que deveríamos. E o pior é quando passamos a comer o que não comíamos antes, aqueles alimentos que, com a ajuda da nossa rotina, conseguíamos escapar deles, tipo os doces, os biscoitos, os sucos, refrigerantes e o grande vilão que vem trazendo graves complicações, não só para o aumento do peso, mas também para a saúde: o alto consumo de bebidas alcoólicas.

Segundo Renata Brasil, presidente da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas (Abead), em entrevista à Agência Brasil, o aumento do consumo de álcool durante o período de isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus é preocupante.

Portanto, deixarei aqui algumas dicas para que você fique bem com seu corpo e mente: não faça uma dieta radical; beba muita água; crie rotina; inclua atividade física; cuide da suas emoções; e respeite o seu corpo.

Categorias
Sérgio Vieira | Entre Colunas

Peixe, o futuro alimentar na próxima década (parte 2)

A desburocratização e a otimização do comércio exterior têm sido prioridades para o país em 2020, com a aplicação e a criação de novas políticas que facilitem a realização de negócios. O comércio exterior está otimista para o ano de 2020. A tecnologia é a grande aliada para a modernização e simplificação dos processos.

A Receita Federal vem estabelecendo regras e diminuindo cada vez mais a burocracia. Em 2020 isso virá com mais velocidade ainda. Por exemplo a Du-e, substitui uma série de documentos que outrora deveriam ser entregues pelos exportadores. Outras mudanças no comércio exterior brasileiro em 2020, além da introdução dos Incoterms 2020, são: a consolidação do Portal Único do Comércio Exterior e a aplicação do Novo Processo de Importação, previsto para iniciar já no começo de 2020.

Adotar sistemas inteligentes de gestão que sejam capazes de automatizar a parte fiscal e tributária muda a forma das empresas de fazer negócios. Devolvendo a produtividade, sobrando mais tempo para pensar em inovação e estratégias ainda mais lucrativas, a redução do Custo Brasil é uma grande preocupação e meta para 2020, uma vez que impacta fortemente na competitividade brasileira. Com isso, a série de reformas que o país tem iniciado tem como meta melhorar em dez posições sua colocação no ranking global de competitividade, do Fórum Econômico Mundial, em que o país atualmente ocupa o 78º lugar.

A revista americana FEEDFOOD destaca o Brasil sobre a expectativa no aumento do comércio de pescado. “O Brasil deve conquistar posição de liderança no mercado global”, diz a publicação. Bem planejada, sólida e pronta para crescer, a aquicultura no Brasil deve atingir novos mercados e aumentar o consumo local.

O otimismo se destaca significativamente. O Brasil tem o que é preciso para sustentar esse aumento de produção. Possui água, recursos, área, infraestrutura e logística. Não pode dar errado. A Indústria brasileira na produção de camarão aumentou 16,88% em 2019, em comparação com 2018, cuja produção foi toda destinada ao mercado interno. Os produtores brasileiros estimam que retornarão ao mercado internacional em 2020.

A oferta interna limitada se manifesta em importações com US$ 1,318 bilhão em 2017, na exportação o país faturou pouco menos US$ 150 milhões em 2017, sendo os Estados Unidos o principal destino.

De acordo com o empresário José Luis Insua, especialista em produtos pesqueiro no mercado nacional e importado, ressalta um extraordinário otimismo na ampliação do consumo interno brasileiro e exportações, desde que os incentivos e reformas sugeridas entrem logo em pratica, uma vez que o controle e padrão de qualidade já colocam hoje o Brasil em posição de destaque.

Sérgio Vieira – Engenheiro e jornalista – MTb 38648RJ

sergio.vieira@diariodorio.com.br

Categorias
Fernanda Haddock Lobo | Comer Bem

Sobrecoxas de frango ao curry

INGREDIENTES

1 kg de sobrecoxa de frango.
5 dentes de alhos picados.
1 cebola picada.
½ lata de tomate pelado.
Sumo de 1 limão.
Sal e pimenta-do-reino a gosto.
200 ml de leite de coco.
1 colher (sopa) de curry.
Cheiro verde a gosto.
Azeite para refogar.

MODO DE PREPARO

Em uma tigela coloque as sobrecoxas e tempere com alho, sal, pimenta-do-reino e limão.
Deixe marinar por duas horas na geladeira.
Em seguida, numa panela, aqueça o azeite e refogue a cebola até que fique transparente.
Adicione as sobrecoxas de frango e deixe ficarem douradas.
Acrescente o tomate pelado, pimenta, leite de coco e o curry.
Tampe e deixe cozinhar em fogo baixo por, aproximadamente, 30 minutos.
Assim que estiver pronto, desligue o fogo e acrescente o cheiro verde picado.

@fernandahlobo