Categorias
atriz Destaque Famosos TV & Famosos

Vera Fischer encanta os fãs com sua excelente forma física

A atriz Vera Fischer sempre se destacou na TV pelo seu talento e também por sua beleza. E aos 69 anos, ela continua brilhando por aí. Na tarde desta quarta-feira, a atriz postou uma foto no seu instagram com a barriga de fora. “De volta pro closet… ainda não passou meu povo. Os desenhos no espelho são do little Gabriel. Se cuidem, please. Carinho enorme. Dessa sua Vera”, legendou a atriz, que deixou os fãs encantados com sua excelente forma física.

Longe da TV desde 2019, atualmente ela pode ser vista na reprise de O Clone, onde interpreta Yvete, Vera também tem investido na área de empreendedora do mercado digital e parte do dinheiro arrecadado com as vendas vai para uma instituição que busca amenizar os impactos da Covid-19.

Sempre ativa nas redes sociais, Vera também usa seus canais para dar dicas de filmes, peças de teatro, séries e livros. Numa entrevista, ela revelou que já indicava bem antes da pandemia. “Sempre dei essas dicas, comecei bem antes da pandemia. Comecei a lidar com os meus fãs, responder e interagir. Está sendo muito importante para mim e para eles também”.

Categorias
Destaque Famosos TV & Famosos

Fabiula Nascimento faz exercício exibindo barrigão de seis meses

Grávida de seis meses dos gêmeos Roque e Raul, Fabiula Nascimento postou uma foto em sua rede social fazendo exercícios e se preparando para a hora do parto.“Abre espaço, aconchega, celebra”, escreveu a atriz na legenda.

Aos 43 anos, a atriz vem celebrando cada fase dessa nova etapa. Recentemente, ela deu uma entrevista para a revista Crescer e revelou que a gestação foi muito planejada, mas não aconteceu de forma natural. “Tentamos de forma natural por um ano, mas não rolou. Depois de alguns exames, resolvemos fazer Fertilização In Vitro, já que eu tinha óvulos congelados desde 2016. Na segunda tentativa, os meninos vieram”, revelou Fabiula, que é casada com o também ator Emilio Dantas.

Os fãs do casal vibram com cada novidade da gravidez. Recentemente, Fabiula publicou uma foto de biquíni exibindo o barrigão. “Vivíssima, vibrando amor e luz. Obrigada pelas mensagens, vídeos e afeto enviados por todos os meios. Abundância de saúde física, mental e emocional para a humanidade. Peixinhos nadando”, comemorou.

Categorias
Aconteceu atriz Destaque

“Gratidão senhor pelo livramento”

Esse agradecimento é de Elizangela, que passou por um susto esse fim de semana. A atriz, que está no ar na reprise de Império, levou um escorregão em sua casa e teve que ir para o hospital. Na queda, ela caiu de rosto no chão e fraturou os dois antebraços. Sempre simpática, Elizangela usou suas redes sociais para falar com os fãs. “Oi gente, vocês estão vendo né, estou de asas quebradas, acredita? Levei um tombo de bobeira aqui em casa e tive fratura nos dois antebraços. Estou bem, mas vou ficar um tempo out para me cuidar”, explicou a atriz, que ainda agradeceu a Deus pelo livramento.

Categorias
atriz Destaque Famosos

Nascida para brilhar

Alanis Guillen é atualmente um dos nomes mais falados na mídia. Também não é para menos. A paulista, de 23 anos, foi a escolhida para interpretar Juma Marruá, no remake de Pantanal, que estreia em 2022, na Rede Globo. Personagem, aliás, que consagrou  Cristiana Oliveira, como uma das melhores atrizes da sua geração, na novela de Benedito Ruy Barbosa, e exibida em 1990, na extinta Rede Manchete.

Desde que conquistou o papel, Alanis vem mergulhando de corpo e alma na construção da personagem. Ela fez um estudo profundo, mudou alguns hábitos para ficar mais parecida com uma selvagem, começou a praticar Kung Fu, equitação, prosódia. Também começou a tomar sol sem biquíni para não ficar com a marca, já que Juma

usa roupas que mostram muito o corpo. Além disso, Além disso, a atriz intensificou a malhação.

Ser protagonista não é nenhuma novidade para Alanis. Em 2019, ela saiu da casa dos pais e foi em busca do seu futuro. Fez o teste para Malhação -Toda Forma de Amor e arrebatou a personagem principal da história. Rita, uma mulher forte, corajosa, determinada e otimista, logo conquistou o Brasil. O casal, que formou com Filipe, personagem de Pedro Novaes, também ganhou o coração de muita gente.

Nascida em Santo André, no ABC Paulista, Alanis Guillen começou sua carreira na infância, participando de comerciais. Na adolescência,  continuou investindo nas artes, fez  cursos de teatro, dança e alguns anos após se formou em artes cênicas.  Talentosa, Alanis está escrevendo seu nome na dramaturgia.

Categorias
atriz Destaque Rio TV & Famosos

A atriz Letícia Braga se prepara para viver mais uma personagem desafiadora

Ela só tem 16 anos, mas tem um currículo digno dos atores mais experientes da TV. Letícia Braga estreou na dramaturgia aos oito anos de idade, interpretando a fase jovem de Rosália, na novela Dona Xepa, em seguida fez  A Regra do Jogo, a série Justiça, ficou em terceiro lugar na Dancinha dos Famosos e dos nove aos 15 anos, interpretou a detetive Sol, da série DPA (Detetives do Prédio Azul), no canal Gloob, que virou febre entre a criançada.

Talentosa e focada, Letícia também já mostrou a que veio na telona. Protagonizou o filme A Menina Índigo, fez uma médium em Codificação Espírita, três filmes do DPA e se prepara para mais um desafio na telona. Em Meninas Não Choram, ela viverá uma adolescente com leucemia.

E não para por aí! Além de atriz, Letícia também é escritora e lançou dois livros. Nesse bate-papo com o jornal DR1, Leticia Braga falou da carreira, dos novos desafios, da adolescência, família e da pandemia.

 

Jornal DR1- Depois de vestir a capa vermelha por cinco anos, em 2019, você se despediu da Sol. Foi muito difícil se despedir da personagem?

LB- Foi difícil sim! Nós sempre soubemos que esse dia iria chegar. Afinal, eu mesma entrei substituindo a Letícia Pedro, que fez a Detetive Mila na história. Só que deixar uma personagem tão marcante e importante, deu tristeza sim! Mas acho que tudo acontece na hora certa. É hora de novos projetos e de crescer mais como atriz.

 

Jornal DR1- Quais lições você aprendeu com a Sol?

LB- Alegria, generosidade, confiança!

 

Jornal DR1- Como foi a transição de criança para adolescente?

LB- Nada fácil, ainda mais durante uma pandemia! Logo no momento em que eu achava que ganharia a liberdade, faria muitas coisas, teria muitos amigos, ficamos presos e isolados.

 

Jornal DR1- Qual é o lado bom e o ruim da adolescência?

LB- Acho que não tem lado ruim! É um processo, uma fase. E a gente tem que viver com intensidade cada uma delas. Vivi minha infância muito bem e até quando pude. Agora a adolescência, do jeito que dá.

 

Jornal DR1- Em A Menina Índigo, você interpretou a Sofia, uma menina que via o mundo diferente, de uma forma mais colorida. Como você vê o mundo atual?

 

LB- O mundo andou meio nublado, cinza. Muito sofrimento, mas acho que agora as coisas estão melhorando. De pouquinho em pouquinho uma cor vem chegando e em algum momento teremos um arco-íris nos fazendo sorrir.

 

Jornal DR1- Como foi a composição da Sofia?

LB- Muito natural. Eu já era espírita e esse universo já me era familiar. Como eu não tinha muito experiência, o Wagner de Assis, meu diretor, ia me ajudando cena a cena.

 

Jornal DR1-  A Sofia se reaproxima do pai quando ele é chamado na escola. Como é a sua relação com a sua família?

LB- Muito boa! Atualmente meus pais são separados, mas isso é de boa. Minha mãe já casou de novo e o meu padrasto tem uma filha que virou nossa irmã. Meu pai namora e ela é muito legal comigo. Estou rodeada de pessoas que amo.

 

Jornal DR1- Você escreveu dois livros. Do que eles falam?

LB- O primeiro é o Cabelinhos de Anjo, uma história que inventei numa noite deitada com a minha mãe. Ele fala de como uma menina de cabelos cacheados volta a se amar.

E o segundo, O Que Eu Vou ser Quando Crescer, conta o meu processo de brincadeiras que me levaram a descobrir que eu queria mesmo era ser atriz.

 

Jornal DR1- Como é a sua relação com as crianças?

LB- Maravilhosa, amo crianças! Tenho paciência e adoro apertar. E elas sempre me retribuem com mais carinho ainda.

 

Jornal Dr1- No filme Meninas Não Choram, você vai interpretar uma jovem com leucemia. Como está sendo a preparação da personagem?

LB- Estou assistindo alguns filmes sobre o tema. Já visitei a ala de oncologia pediátrica da Santa Casa de Santos e da Casa Ronald MCdonalds. Conheço um pouco dessa realidade. No mais, ainda estou esperando minha diretora, Vivi Jundi, ler comigo o roteiro para combinarmos a composição da personagem.

 

Jornal DR1- Você vai ter que raspar a cabeça? Está preparada?

LB- Ainda não sei! Hoje em dia existem muitas técnicas e maquiagem para fingir que está com a cabeça raspada, mas se tiver que raspar, tô dentro! Meu corpo é meu instrumento de trabalho. Ele está a serviço da minha arte, das minhas personagens. Vou raspar o cabelo para mostrar de mentira o que tantas pessoas vivem de verdade. Como poderei me importar com isso?

 

Jornal DR1- O que você aprendeu na pandemia? Para você teve algum lado positivo?

LB- No começo, até estava gostando, porque fazia muito tempo que eu não tinha tanto tempo livre! Depois passei a detestar o EAD! Depois aceitei! Depois foi horrível! Me sentia muito confusa com tudo. A falta de leitos, as pessoas que não se conscientizam com os cuidados, com a vacina, isso me deixou ansiosa. Procurei ajuda e graças a Deus, hoje tudo está mais fácil.

 

Jornal DR1- Quais são os seus planos para o futuro?

LB- Aprendi que o futuro nem sempre pode ser planejado. Tem muita coisa que não está no nosso controle, que muda a nossa vida. Então não tenho feito muitos planos. Tenho desejos: de fazer uma novela inteira na Globo, fazer uma série de algum streaming e passar no mundo todo, fazer minha festa de aniversário com todo mundo se abraçando e feliz. De estar com quem amo e me ama.

Categorias
atriz Destaque Notícias premiação Rio

Atrizes são premiadas no Rio pela excelência de suas atuações

As atrizes Evelyn Montesano e Mariza Marchetti foram premiadas na noite desse domingo (5), em um evento que ocorreu na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Na premiação, realizada pela EP Produções e Eventos, atualmente sob

Foto: Gabriel Rangel

o comando de Tatiane Berlitz, e que há 32 anos homenageia grandes talentos, Evelyn, que pode ser vista na reprise da novela “Pega Pega”, na Rede Globo, e Mariza, que além de atriz irá estrear em breve como apresentadora do programa “Planeta Pet”, na Record News, foram homenageadas pela excelência de suas atuações em diversas novelas na Rede Globo e Record TV e por suas relevantes contribuições ao cenário artístico nacional. Evelyn Montesano recebeu o prêmio “Destaque Personalidade” e Mariza Marchetti o “Êxito Profissional”.

Devido à pandemia, o evento foi realizado com número reduzido de pessoas e seguindo todos os protocolos de segurança.

Sobre ter sido premiada como “Destaque Personalidade”, Evelyn Montesano comentou:

Ganhar esse prêmio foi uma grande honra e alegria! É muito gratificante ver o meu trabalho sendo reconhecido dessa forma. Muito obrigada à Tatiane Berlitz pela nomeação. Estar naquele palco e receber os aplausos e o carinho das pessoas não tem preço!

Já Mariza Marchetti salientou:

Fico honrada em fazer parte desse evento tão especial e principalmente pelo reconhecimento do meu trabalho como atriz.

Foto: Gabriel Rangel

Recentemente, tive o prazer em estar simultaneamente nas reprises das novelas “Flor do Caribe” (Rede Globo), “Escrava Mãe” e “O Rico e Lázaro” (Record TV). Também estou muito feliz com esse meu momento atual como apresentadora do “Planeta Pet”, junto com os animais. É uma fase nova, motivadora e desafiadora pra mim ao lado dos bichinhos que tanto amo desde criança – completou Mariza Marchetti, premiada com o troféu “Êxito Profissional”.

Categorias
Cultura Destaque

Atriz e Jornalista Renata Samek escreve livro ‘A Arte da Metamorfose’

 

 

A atriz, jornalista e apresentadora Renata Samek, que atuou na novela “Chamas da Vida”, da Rede Record, se prepara para fazer sua  estreia na literatura.  “A arte da metamorfose”, é o primeiro livro da atriz, que deve ser lançado até 2023. “Falo sobre mudanças, metas, sonhos, fé e minhas experiências, que podem ser encaixadas em qualquer profissão. Não é um livro de autoajuda, mas tem conteúdo de superação e motivação”, conta a mineira, que também tem planos para retornar ao teatro, assim que a pandemia passar. “Quero muito fazer uma turnê pelo país com o espetáculo de minha autoria, “Até que um like nos separe!”, que já estava pronto para estrear, mas por conta de tudo o que aconteceu, foi preciso adiar”, revela ela, que também é autora da peça “V.I.R.S.A – Viciados em redes sociais anônimos”, além de curtas como: Pra falar de amor e Clips  e, do documentário “Misturando ficção e realidade – O método Fátima Toledo de preparação de atores”.

Multifacetada, em abril de 2020, em plena pandemia, Renata decidiu investir no seu próprio negócio, e se tornou empresária criando a marca de moda praia, Shields.

Como atriz, atuou em peças como  “Disney – A Magia do Sonhar”, “Invent, faça diferente”, “Bullying”, “Cinderela” e “Viciados em redes sociais”. Sempre envolvida com o mundo das artes, principalmente com teatro e dança. A mineira também exibiu a sua beleza nas passarelas e esteve em diversas campanhas publicitárias no Brasil e em Portugal.

Formada em jornalismo, apresentou o programa semanal “Super Vale”, ao vivo, na afiliada da Rede Record, de Minas Gerais, onde ficou por três anos, e o “Interligados”, em 2019, na InterTV dos Vales, afiliada da Rede Globo. Desde setembro do ano passado, apresenta um programa de beleza, nas redes sociais da marca de cosméticos, Maison Visage. Além disso, é garota propaganda da empresa provedora de internet, Giganet.

Categorias
Aconteceu Cultura Destaque

Atriz Eva Wilma morre aos 87 anos

Atriz estava internada para tratar um câncer no ovário em São Paulo, no Hospital Albert Einstein.

A atriz Eva Wilma morreu neste sábado (15) aos 87 anos. Ela enfrentava um câncer no ovário e estava internada no Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, desde o dia 15 de abril para tratamento de problemas cardíacos provenientes do tumor.

Um comunicado oficial, postado pela assessoria de imprensa da artista, detalhou a causa da morte de Eva. “Comunicamos que a atriz Eva Wilma acaba de falecer as 22h08, em função de um câncer de ovário disseminado, levando a insuficiência respiratória. Nossos profundos e sinceros sentimentos a todos os familiares, especialmente a John Herbert Buckup Jr. e Vivien Buckup”, disse, referindo-se aos filhos da atriz, frutos do casamento de Eva com John Herbert, morto em 2011. O segundo casamento de Eva Wilma foi com o também ator Carlos Zara e durou 23 anos.

Longe da TV desde 2019, quando viveu a personagem Drª Petra na novela “O Tempo não Para“, da TV Globo, um ano antes Eva Wilma interpretou Dora, no filme “Minha mãe, minha filha”. Nos palcos, suas duas últimas peças foram apresentadas em 2018: “Quarta-feira, sem falta, lá em casa” e o show “Casos e Canções”, que protagonizou ao lado do filho John Hebert Jr.

Categorias
Cultura Entrevistas Notícias Notícias do Jornal Novelas

Andrea Avancini fala de novo curso e protocolos contra Covid-19 em Gênesis: “Testes de seis em seis dias”

Por Alan Alves

Atriz, diretora e produtora, com 38 anos de carreira, Andrea Avancini, no ar como Yarin da novela Gênesis, da TV Record, também tem uma trajetória de sucesso de 25 anos como mentora de atores. Ela lançou agora em 2021 seu método de atuação “O Salto do Ator”, em uma plataforma digital on-line.

Uma das profissionais mais respeitadas do mercado e professora da CAL e da Agência Cintra, duas das escolas de atores mais importantes do país, Andrea desenvolveu sua metodologia ao longo de quase quatro décadas de trabalho nas maiores emissoras de televisão do país. E já são mais de 13 mil alunos formados.

Consagrada por performances marcantes e conhecida por sua habilidade técnica na construção de personagens complexas e conflituosas, já soma mais de 30 novelas e minisséries, mais de 100 produções teatrais, curtas-metragens e festivais promovidos e possui ainda no currículo diversos prêmios, entre eles dois Troféus Nelson Rodrigues.

Andrea conversou com o Jornal DR1 esta semana em uma live, e você confere a seguir alguns trechos da entrevista:

JORNAL DR1 – Já são mais de 30 novelas e minisséries. Qual foi o trabalho mais desafiador?

ANDREA – Cada novo trabalho é um desafio. Mas trabalhos que me desafiaram de uma forma potente foram Xica da Silva, do Walcyr, que eu fazia uma mulher selvagem, completamente fora da curva, fora da linha, do normal. Foi um grande presente do Walcyr, porque é uma personagem que surge uma vez na vida. Outro presente do Walcyr foi Delfina, na Padroeira. Era uma portuguesa e eu tive que aprender a falar o sotaque português perfeito, porque quem ia contracenar comigo na primeira cena era o Antônio Marques, grande ator português, nível Fernanda Montenegro lá em Portugal.

JORNAL DR1 – Como tem sido o trabalho na pandemia?

ANDREA – A gente estava gravando Amor Sem Igual e paramos, acho que seis meses, de março a setembro, alguma coisa assim. E voltamos com todos os protocolos. Quarenta e duas páginas de protocolos. Mudou a quantidade de cenas que a gente grava por dia: eram 25 a 30 cenas e passaram para 15, 10, para pode ter todo esse cuidado. Eu gravo nas quintas-feiras e, agora, com o novo protocolo da Record, a gente vai fazer testes de seis em seis dias, um dia antes de gravar, para poder garantir que os atores estão seguros. As cenas são sem muita aproximação, que foi o que a gente fez em Amor Sem Igual também, nada de comida em cena, e cada um leva seu copo.

JORNAL DR1 – Antes da Yarin, você fez a Zenaide em ‘Amor Sem Igual’. Como incorporar personagens assim tão diferentes?

ANDREA – O meu curso está exatamente explicado como buscar as diversas camadas da personagem. Eu vejo atores que estão começando que acham que é só pegar o texto, decorar e foi. O autor traz para a gente no texto, o primeiro nível de informações, e é através da palavra que a personagem diz. Mas ele traz muito mais informações através do subtexto, daquilo que a personagem não diz, mas que a personagem pensa. Não sou eu, a Andrea Avancini, em cena; é sempre a personagem em cena. E, para a gente entender essa personagem, é muito estudo, muitas referências, muita pesquisa. O mundo é visto através do olhar da personagem, sentindo, vendo, se relacionando com o mundo, com os outros personagens. É assim que a gente consegue criar personagens profundas.

JORNAL DR1 – Como concilia o trabalho como atriz e como professora?

ANDREA – Uma coisa complementa a outra. Eu trago tudo que aprendo no set até hoje para a sala de aula. No meu curso, eu consegui colocar dez fundamentos, numa didática mesmo, para o ator poder entender como construir a personagem, como encontrar o DNA da personagem, como trabalhar a emoção, como se comportar no set, como ser um ator dirigível. É um orgulho poder dividir, partilhar essa experiência com tantos alunos, muitos deles fazendo sucesso aí, como Rodrigo Andrade, Marcela Barroso, Ricky Tavares, Juliana Xavier, DJ Amorim, que tá fazendo “Bom Dia Verônica”, Rafael Zulu, Daniel Torres.

JORNAL DR1 – Qualquer um pode se tornar bom ator ou atriz ou é preciso dom também?

ANDREA – Eu tenho visto as duas coisas. Tem atores que nascem com o dom, tem facilidade como ator, várias virtudes, mas não tem aquela força de vontade. E a nossa profissão é 90% esforço, 90% estudo. Claro que quando você tem o dom, tem um talento, junto com o estudo, você consegue se destacar de uma forma extraordinária. Mas eu vejo, por experiência, que tem muitos atores por aí que começam, pezinho por pezinho, e chegam lá, e chegam muito longe, surpreendentemente, por força de vontade, por estudo, por ter o entendimento de que é preciso estudar, por entender o que precisa melhorar.

JORNAL DR1 – Quais os próximos projetos?

ANDREA – Estou ainda gravando a novela e, logo, logo, tem mais um outro projeto vindo, que eu ainda não posso falar. Tem projeto de cinema também, que a gente deu uma parada porque, com a pandemia, não tem como a gente fazer, mas estou lançado um próximo curta, que gravei em Marrocos, quando a gente foi fazer Jezabel. Está em fase de finalização, com a Juliana Xavier, com a Brendha Haddad, Fabinho Scalon e o Victor Sparapane. Devo lançar ano que vem. E estou muito focada nessa preparação de atores, agora mais em internet também, e abrir novas frentes.

Você pode conferir a entrevista completa com a atriz Andrea Avancini no Instagram e no Youtube do Jornal DR1.

Categorias
Entrevistas Notícias do Jornal TV & Famosos

“Antes de amar ao outro, a gente tem que se amar”

 

Nada como focar na carreira para deixar pra trás um amor que não deu certo. Depois de um fim de relacionamento conturbado com o cantor Nego do Borel, que foi parar na delegacia e ganhou  destaque na imprensa, de note a sul, a atriz e influenciadora digital Duda Reis mostra que segue – e muito bem – uma nova vida.  Em live realizada com a atriz e cantora Dulce María, a eterna Roberta, de Rebelde, sobre beleza, a artista brasileira, que é a nova embaixadora da fLash Sérum para cílios, destacou seu foco atual: investir na carreira e na beleza.

A atriz, que em 2019 participou de Malhação – Toda Forma de Amar, planeja fazer teatro e cinema e comemora nova etapa da vida e novo endereço, já que comprou  apartamento, em São Paulo, onde atualmente mora. Em entrevista ao DR1, Duda fala sobre maturidade nesta nova fase e dos cuidados para manter a beleza em dia.

 DR1 – Quais são os seus cuidados de beleza?

Duda  Reis –  Um dos meus cuidados é beber água, isso é a vida! E nunca durmo com maquiagem. Uso água micelar e adoro passar um hidratante em gel no corpo e sempre uso protetor solar, até porque sou uma pessoa diurna. E ainda durmo oito horas por dia porque esse sono da beleza faz muita diferencia. E desde conheci a @olharfLash não parei mais de usar o produto, que já faz parte da minha rotina de beleza. Não é porque sou a embaixadora da marca: mas usá-lo todos os dias faz toda a diferença. Eu percebi quanta falta eu sentia em ter cílios longos, fortes e volumosos. E eu gosto muito da marca porque tem um propósito de vida: o produto é vegano, cluetly free e não testado em animais, acho isso muito importante porque sou vegetariana.

DR1 – Você segue uma rotina de skincare com a pele?

Duda  Reis – Sempre! Uso sabonete em gel e lavo bem o meu rosto; e passo creme na região dos olhos para combater a olheira – não sei se acontece com vocês, mas eu coloco muito creme, adoro deixar o produto penetrar na pele. E uso todos os dias o fLash Sérum para ficar com bastante volume nos cílios. Deixo secar por 2 minutos e pronto!

DR1 – É vaidosa com o quesito maquiagem? Que parte do rosto gosta de destacar?

Duda Reis- Eu sou uma menina muito natural e sempre mostro nos meus vídeos as minhas rotinas de maquiagem – que são coisas básicas, do dia, amo! O olho e a boca são as partes mais importantes, as que eu me preocupo em mostrar uma boa aparência. Minha mãe é dermatologista, então cuidado, beleza, são coisas que fico ligada, até porque a minha mãe sempre esta em cima de mim (risos).

DR1 –  Na bolsa de maquiagem, o que não pode faltar?

Duda Reis – Protetor solar, hidratante de lábios e, claro, o sérum fLash.

DR1 Quais são os cuidados com o corpo para se manter em forma? Dieta e muitos exercícios?

Duda Reis- Eu sou vegetariana! A minha dieta é muito saudável, tenho uma dieta sem excessos. E não diria que faço muitos exercícios, porém me faz feliz iniciar o meu dia bem cedo e com atividade física. Sentir a serotonina batendo no corpo, sabe?

DR1 Qual o seu pecado da gula?

Duda Reis- Eu não diria gula, mas uma furadinha na dieta: adoro pizza e não resisto a um brigadeiro.

DR1 Você é um exemplo de padrão de beleza para muitas meninas. Como se sente com esse rótulo? Incomoda ser cobrada para estar sempre bonita, bem, com o corpo em forma?

Duda Reis- Fico lisonjeada com essa pergunta;  ser um exemplo de padrão de beleza no Brasil… A beleza interior reflete no exterior. Para mim, o mais importante é saber que todas nós somos lindas e maravilhosas. O importante é a gente estar de bem com a gente mesmo! Antes de amar ao outro, a gente tem que se amar! Eu tenho gratidão pelo que tenho e isso me faz ter ao meu lado, na minha vida, pessoas que gostam tanto de mim, como os meus fãs – que não são apenas as mulheres, os homens também me seguem e mostram tanto carinho por mim… Isso é uma energia para a vida.

DR1 – Você disse que o ano de 2020 foi pesado e que amadureceu bastante. Quem é a Duda Reis hoje?

Duda Reis – A Duda é uma menina que tem sonhos muito grandes, é batalhadora e tem um coração gigante, mesmo sendo muito nova… O mais importante é que a Duda sabe aonde quer chegar!  Sou uma menina muito feliz, vivendo a vida que sempre desejou.

Foto: Divulgação