Categorias
Brasil Destaque Notícias Saúde

Ministério da Saúde autoriza 212 leitos de suporte ventilatório

Da Agência Brasil

O Ministério da Saúde autorizou mais 212 leitos de suporte ventilatório pulmonar para 13 Unidades da Federação. Serão investidos R$ 3 milhões no custeio parcial dessas estruturas, que ocorrem por meio de pagamentos mensais.

Os leitos foram autorizados para o Distrito Federal e para os estados do Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo.

Leitos de suporte ventilatório são aqueles utilizados em pacientes que ainda não evoluíram para um quadro grave, que demande a transferência para leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Os leitos foram autorizados para diferentes modalidades de unidades de saúde como hospitais de grande e pequeno portes, pronto-socorro e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Até o momento, foram autorizados 3,3 mil leitos de suporte ventilatório pulmonar. Com a nova modalidade de apoio financeiro dada pelo Ministério da Saúde, o governo federal arca com parte das despesas, com pagamentos mensais.

Categorias
Destaque Notícias Política Rio Saúde

Secretaria de Estado de Saúde amplia leitos para tratamento de Covid-19

Em menos de um mês, o Estado do Rio passou a contar com mais 736 leitos para tratamento da Covid-19. O objetivo da abertura dessas vagas é ampliar o atendimento neste momento em que o Rio de Janeiro atravessa a terceira onda de casos de coronavírus. Os números foram apresentados na tarde desta terça-feira (13), durante coletiva do secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Chaves. As vagas foram abertas nas redes federal (293), estadual (280) e municipais (163).

Além da ampliação, Chaves falou ainda sobre a redução de 32% nos últimos sete dias nas solicitações de internação para casos de Covid-19. A queda também ocorreu na fila de espera, que recuou 31%.

“Temos trabalhado diariamente para ampliar o número de leitos e tornar mais eficaz o processo para internação dos pacientes. Este é um trabalho conjunto do Estado com o Ministério da Saúde e municípios, que recebem recursos para manter esses leitos. É uma força-tarefa para enfrentarmos este momento. Além disso, estamos vendo uma redução nas solicitações por internações e na fila de espera”, afirma o secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Chaves.

Ao todo, o Estado do Rio conta com mais de 3.550 leitos (1.580 de enfermaria e 1.970 de UTI) específicos para tratamento da Covid. Todos estão disponíveis na rede pública de Saúde (estadual, federal e municipais) e são gerenciados pelo Sistema Estadual de Regulação. Além desses, o Estado do Rio tem ainda outros 355 leitos de UTI e 1.239 de enfermaria, que não foram inseridos pelos municípios na Regulação Unificada, criada por decreto no início deste ano.

“É necessário destacar que o quantitativo de leitos pode ter pequenas oscilações devido a restrições momentâneas. Além disso, o número de pacientes na fila de espera e de solicitações de leitos é flutuante”, explica Luciane Vellasques, coordenadora de Informações em Saúde, da Subsecretaria de Vigilância em Saúde.

Agora, a secretaria trabalha para diminuir o tempo de espera entre a disponibilização de leito e a chegada do paciente na unidade. Para o secretário, esse é um dos principais desafios de agora e pode ser decisivo no tipo de atendimento que a pessoa vai receber.

“Temos visto demora de até oito horas para que um paciente chegue ao hospital mesmo após a liberação do leito. Isso pode significar o agravamento do quadro do paciente. O foco agora é diminuir esse tempo em articulação com as prefeituras e unidades de saúde”, destaca Chaves.

Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Saúde

Com 710 pessoas aguardando por vagas, Rio bate novo recorde por fila de leitos de covid-19

Da Agência Brasil

Pelo sexto dia consecutivo o estado do Rio de Janeiro registrou recorde na fila de espera por leitos de covid-19. O último dado da Secretaria estadual de Saúde indicou que há 710 pessoas aguardando uma vaga. Na véspera eram 678 pacientes e há dez dias, em 18 de março, 278. O pico foi registrado no dia 9 de maio do ano passado, quando 510 pessoas estavam na fila.

Para os leitos de enfermaria, 279 pacientes aguardam uma vaga, enquanto ontem eram 255. Há dez dias 113 pessoas estavam nesta condição. A maior quantidade de pessoas na fila por um leito de enfermaria da doença atingiu 819, no dia 7 de maio do ano passado.

No estado, 11 municípios (Belford Roxo, Bom Jesus do Itabapoana, Itaguaí, Itaperuna, Miguel Pereira, Nova Friburgo, Paraíba do Sul, Rio Bonito, Sapucaia, Teresópolis e Três Rios) estão com 100% de ocupação dos leitos de UTI. Outros cinco (Iguaba Grande, Miracema, Quissamã, Rio das Ostras e Saquarema) estão com mais de 100% de leitos ocupados. Na capital o índice  atinge  95%.

Vacinação

O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, prometeu anunciar hoje (29) um calendário unificado de vacinação para todos os municípios do estado. Na capital, a Secretaria Municipal de Saúde reforçou o atendimento nos postos de imunização e partir de hoje, os locais de drive-thru no Sambódromo, na região central do Rio e no Engenhão, no Engenho de Dentro, zona norte, que já vinham funcionando aos sábados, passarão a receber a população também de segunda a sexta-feira, das 9h às 15h, como já acontece no Parque Olímpico, na Barra, zona oeste.

Além desses postos, o drive-thru da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, no Maracanã, zona norte, funciona nesta semana até a quinta-feira (1º) aplicando a segunda dose para quem tomou a primeira no local.

Hoje também a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) inaugurou um novo posto de vacinação no Hotel Fairmont Copacabana, na zona sul. Nesta segunda estão sendo vacinadas pessoas com 71 anos, mulheres entre 8h e 13h e os homens das 13h às 17h. O novo ponto de vacinação funcionará de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. “Atualmente, a Secretaria Municipal de Saúde tem 250 pontos de vacinação na cidade e nessa semana está ganhando três novos pontos. A parceria com o Hotel Fairmont, ontem no Jóquei Clube e amanhã no Palácio da Justiça em uma parceria com o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro”, informou.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, disse que a vacinação atingiu 10% da população carioca e que nessa semana conforme o calendário todas as pessoas com mais de 70 anos na cidade do Rio de Janeiro vão receber o imunizante. “A meta no início deste mês de abril é que a gente consiga vacinar todas as pessoas com mais de 60 anos”, explicou.

Quem se dirigir aos postos para receber a vacina deve levar documento de identidade, número do CPF e, se possível, a caderneta de vacinação. Para a segunda dose, levar também o comprovante de vacinação da primeira dose.

Conforme os dados atualizados pela SMS hoje até as 13h45, na cidade do Rio, 641.269 pessoas receberam a primeira dose, o que corresponde a 9,5% da população do município. Já na segunda dose foram imunizadas 216.066. O total atingiu 857.335 pessoas imunizadas entre primeira e segunda dose.

Segundo as últimas informações atualizadas ontem, o município do Rio tem 223.716 casos confirmados de covid-19, o dado anterior era de 222.709. Do total, 20.109 pessoas perderam a vida, sendo que o número anterior era de 20.092. Os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave chegaram a 46.346, na véspera eram 46.296.

Foto: Arquivo/Governo do RJ

Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias

Rio tem maior ocupação de leitos de UTI desde o início da pandemia

Da Agência Brasil

A cidade do Rio de Janeiro atingiu o maior número de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde o início da pandemia de covid-19, há um ano. Segundo dados divulgados hoje (26) pela prefeitura, 663 pacientes com covid estão internados em leitos de tratamento intensivo.

“É o momento mais grave da pandemia. As pessoas estão internadas de forma grave. Cresceu muito o número de leitos, mas também cresceu muito o total de pessoas internadas e as pessoas precisando de leitos de CTI [Centro de Tratamento Intensivo]. A mortalidade de um leito de CTI é de, no mínimo, 40%. Muitas pessoas estão adoecendo e adoecendo de forma bastante grave”, disse o secretário municipal de saúde, Daniel Soranz.

Hoje, o Rio tem 705 leitos operacionais, com a capacidade de agregar mais 121 unidades ao sistema, chegando a 826. Segundo o prefeito Eduardo Paes, o feriadão de dez dias com medidas restritivas, que ele chamou de “retiro prolongado” ou “recesso forçado”, visa reduzir as internações em UTI.

“Temos uma cidade com 6,7 milhões [de habitantes]. Cada pessoa que, nesses dez dias de retiro prolongado, se preservar, não ter contato com muita gente e não aglomerar, é uma pessoa a menos que tem chance de pegar a doença e parar num leito de UTI. Temos mais leitos hoje do que jamais tivemos em qualquer momento. Mas isso tem um limite. Mesmo se abrindo os leitos federais ainda disponíveis no Rio e o município chegando em sua capacidade máxima, tem sempre o teto. E esse teto a gente não quer que seja ultrapassado. Por isso, a gente pede essa parada de dez dias”, disse o prefeito.

A média de novas internações, incluindo UTIs e enfermarias, chegou a 170 por dia, um patamar muito próximo do pico de internações no ano passado. “Tínhamos uma média de 30 a 40 solicitações de internações por dia e passamos a mais de 150, chegando num pico, por dois dias, de 170. Cresceu muito e de maneira muito rápida como aconteceu em São Paulo, Minas e Rio Grande do Sul”, explicou Soranz.

O secretário municipal de Saúde disse que, por enquanto, não há falta de kit de intubação no Rio. Ele disse que se mantém em constante comunicação com o Ministério da Saúde para receber novas remessas. Estimou que hoje mais de 80% dos casos de covid-19 na cidade são provocados pela variante P.1, descoberta no Amazonas, que se propaga de forma mais rápida.

Vacinação

A cidade do Rio de Janeiro já vacinou 578 mil pessoas, o que representa 36,3% da população com mais de 60 anos. Também já divulgou um calendário para vacinar idosos com 66 anos ou mais até 10 de abril. Hoje, por exemplo, estão sendo imunizadas mulheres com 72 anos. Amanhã, será a vez dos homens de 72 anos.

O prefeito Eduardo Paes afirmou que, se as vacinas continuarem chegando ao município, a previsão é vacinar toda a população idosa, acima de 60 anos, até 22 de abril, mantendo-se uma média de dois dias de vacinação para cada idade. “Quando a gente chegar nas pessoas com 60 anos ou mais, todas elas vacinadas, a gente pode flexibilizar muito [as medidas restritivas]”.

A cidade também está se preparando para ampliar os locais de vacinação. Paes afirmou que deve conversar hoje com o Ministério da Defesa para pedir ajuda das Forças Armadas no esforço de imunização.

Categorias
Destaque Diário do Rio Notícias Rio

Covid-19: 18 cidades do Rio não têm mais vagas para leitos de UTI

Da Agência Brasil

Um painel da Secretaria Estadual de Saúde indica que 18 municípios do estado do Rio de Janeiro estão com 100% de ocupação em seus leitos de tratamento intensivo (UTI) para covid-19. Entre as cidades com UTIs lotadas, figuram algumas com considerável número de leitos, como Petrópolis (77 leitos), Vassouras (50), Bom Jesus do Itabapoana (45) e Teresópolis (23).

Há ainda municípios grandes que estão com mais de 90% dos leitos de covid-19 ocupados, como Volta Redonda, que tem 158 leitos e está com ocupação de 91%, e Duque de Caxias: 110 leitos e taxa de ocupação de 95%.

Os dados são da Secretaria Estadual de Saúde e se referem a informações prestadas entre 17 e 22 de março.

Ocupação

No Rio de Janeiro, capital, segundo informações de ontem (22), 83% de seus 744 leitos de UTI para covid-19 estão ocupados.

Em todo o estado, 493 pacientes aguardam vagas em leitos de UTI, segundo dados de ontem da Secretaria Estadual de Saúde.

Sete dos 92 municípios do estado estão com risco muito alto para a covid-19: Itaguaí, Mesquita, Nilópolis, Belford Roxo e Duque de Caxias. Outras 39 cidades estão com risco alto, entre elas, a capital – Rio.

Categorias
Rio

Justiça do Rio dá prazo para que leitos comecem a funcionar

A Justiça do Rio de Janeiro aumentou para cinco dias o prazo para que a prefeitura da capital e o governo do estado liberem todos os leitos livres existentes nas redes estadual ou municipal para atender os pacientes com covid-19.

Decisão anterior, que saiu no plantão judiciário do dia 9 deste mês, atendendo pedido do Ministério Público e da Defensoria Pública, tinha fixado em 48 horas o prazo para cumprimento da liminar e determinado multa diária de R$ 10 mil para o governo do estado e a prefeitura, em caso de descumprimento.

Antes de analisar os pedidos de efeito suspensivo nos recursos interpostos pelo município e pelo estado, o colegiado da 25ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça, seguiu o voto da relatora, Isabela Pessanha Chagas, e decidiu intimar as partes envolvidas no processo para, no prazo de três dias, apresentarem os esclarecimentos necessários.

“Trata-se de caso extremamente complexo, que envolve questões sociais, bem como questões públicas de saúde, em momento crítico de uma pandemia mundial sem precedentes, razão pela qual são necessários mais elementos e esclarecimentos para análise da possibilidade de concessão do efeito suspensivo”, destacou a relatora Isabela Pessanha.

Por enquanto, continua em vigor o prazo de 10 dias para que o estado, o município, o Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas) e o Rio Saúde desbloqueiem e coloquem em operação todos os leitos destinados a Síndrome Respiratória Aguda Grave dos hospitais de campanha do Riocentro e do Maracanã. Os leitos deverão ser estruturados para receber os pacientes da covid-19.

Em caso de descumprimento também está prevista multa diária no valor de R$ 10 mil para cada um dos réus.

Respostas

Em nota, a secretaria municipal da Saúde diz que não há leitos livres na rede municipal e que, por isso, vai recorrer da decisão. “Os leitos que aparecem como ‘livres’ na plataforma da regulação estão em unidades especializadas, como maternidades, psiquiátricas e pediátricas — e não podem ser usados para covid-19.”

Segundo a secretaria, desde o início da pandemia, foram abertos 722 leitos para tratamento da covid-19, 249 deles neste mês. A nota acrescenta que, com a chegada de 306 respiradores e outros insumos, em até 10 dias, o hospital de campanha do Riocentro e o Ronaldo Gazolla, em Acari, estarão em funcionamento pleno.

Também em nota, a Secretaria estadual de Saúde informa que, até o momento, 1.129 leitos foram abertos em todo o estado, dos quais 972 em hospitais de referência para o tratamento de coronavírus, 437 em unidades de terapia intensiva (UTIs) e 535 em enfermarias.

O comunicado informa que também existem 157 leitos, dos quais 100 de UTI, para tratamento da covid-19 em áreas isoladas de outras unidades estaduais. Além disso, há 30unidades de pronto atendimento (UPAs) espalhadas pelo estado, sendo 16 na capital.

Com informações da Agência Brasil