Categorias
Esportes Fica a Dica Social

Quilômetros percorridos em atividades do dia a dia se transformam em apoio financeiro para ONGs

 

 

App promove cultura de doação e impacta positivamente o terceiro setor

Em meio a tantas dificuldades que o Brasil vem passando e o crescimento da fome e da miséria devido a pandemia, ações de solidariedade se multiplicaram em todo o país. Diversas redes foram construídas para captar recursos, combater a crise sanitária e econômica e ajudar famílias em situações de vulnerabilidade.

De acordo com dados do monitor da Associação Brasileira dos Captadores de Recursos (ABCR), o número de doações chegou a R$6 bilhões no início da pandemia. Porém, a média mensal vem diminuindo. Em junho de 2020, a arrecadação ficou 88% abaixo do que foi registrado em maio.

Aromeiazero doou 21 bicicletas através da”Bike Parada Não Rola” para duas aldeias indígenas. Foto: Reprodução

Pensando em contribuir com as Organizações Não Governamentais (ONGs), os empresários André Kok e Saulo Marchi lançaram em fevereiro de 2021, o Km Solidário. Trata-se de um aplicativo gratuito cujo objetivo é desenvolver a cultura de doação, transformando quilômetros percorridos nas atividades do dia a dia em apoio financeiro para mais de 10 ONGs cadastradas.

O  Aromeiazero é uma delas. O Instituto promove mudanças no modo de vida das pessoas, combate a desigualdade social e torna  as cidades mais verdes e resilientes através de projetos relacionados à bicicleta. O apoio financeiro desta e de outras campanhas colaboram com as ações desenvolvidas pelo Aro.

O desafio é grande, mas é muito bonito o que a gente se propôs. Temos que dar 3 voltas ao mundo pedalando, todo mês, para bater nossa meta de arrecadação. Parece impossível, mas com a ajuda de cada um, rola – explica Murilo Casagrande, sócio fundador e diretor do Aromeiazero.

Os interessados em contribuir com o Instituto, precisam fazer download do app no celular, escolher o Aromeiazero e o tipo de atividade que vão realizar e clicar em concluir ao finalizar. A partir daí, as distâncias percorridas em bike, caminhada, natação ou corrida são convertidas em doações financeiras. Vale informar que nada é cobrado do usuário, todo o dinheiro vem por meio dos patrocínios e anúncios existentes dentro do aplicativo. Caso queira ajudar, mas não pode praticar exercícios é possível doar um valor no próprio app. As doações podem ser por cartão de crédito, boleto ou pix.

O aplicativo está disponível em Android e IOS e ocupa menos espaço no celular do que um vídeo de dois minutos. Além disso, pode ser sincronizado com FitBit, Garmin, Polar, Strava ou Apple Saúde. Para quem já tem histórico de resultados e rankings nesses programas, não precisa se preocupar, nenhuma informação será perdida. Para saber mais, confira a página do Km Solidário no site do Aro: http://bit.ly/kmsolidario.

Sobre o Aro

O Instituto Aromeiazero é uma organização sem fins lucrativos que utiliza a bicicleta para reduzir as desigualdades sociais e contribuir para tornar as cidades mais resilientes. Os projetos contam com patrocínio de empresas e pessoas físicas, além de leis de incentivo, sendo grande parte das ações em periferias e comunidades vulneráveis. Desde 2011, as iniciativas do Aro promovem uma visão integral da bicicleta, potencializando expressões culturais e artísticas, geração de renda e hábitos de vida saudáveis. Para saber mais informações, entre em contato:

Assessoria de Imprensa

E-mail: imprensa@aromeiazero.org.br

Whatsapp: (21) 981832288

Redes Sociais

Instagram: Aromeiazero

Facebook: Aromeiazero

Youtube: Aromeiazero

 

Categorias
Brasil Esportes

Quais esportes podemos praticar ou devemos evitar na pandemia?

Coordenador de Educação Física do CEL, Bruno Senna diz que natação é uma das modalidades recomendáveis

Há pouco mais de um ano, o mundo todo se deparou diante de uma inimiga até então desconhecida: a Covid-19. Desde então, o novo normal trouxe protocolos até então impensáveis para a população ao redor do planeta. E para quem pratica atividade esportiva, existe alguma restrição, em tempos de pandemia?

O coordenador de Educação Física das quatro unidades do Colégio CEL Intercultural School, no Rio, Bruno Senna alerta para os cuidados que se deve ter ao praticar esportes nos tempos atuais:

 

Uso de máscara é aconselhável na prática de atividades físicas na pandemia. Crédito: Divulgação/CEL

A prática tem e deve ser realizada diariamente, se possível. Sempre com a supervisão de um profissional habilitado. Caso não haja a possibilidade de ter essa ajuda, indico as atividades leves e moderadas. Cuidados com a higiene (sempre lavar as mãos com água e sabão ou o uso de álcool em gel), uso de máscaras e uma alimentação saudável.
Senna acrescenta que devem ser praticadas, na pandemia, modalidades que envolvam o uso do corpo em sua totalidade, sempre com a precaução de evitar espaços cheios e aglomerações.

Corrida, natação e esportes com raquetes
Exemplos?

Corrida, natação e esportes com raquetes são indicados nesse momento. Sempre com a preocupação de utilizar espaços abertos.
O coordenador de Educação Física do CEL também alerta sobre quais práticas esportivas deve-se evitar nos tempos atuais. Os esportes coletivos devem ser evitados devido ao alto índice de contágio, até pelo fato de os participantes não estarem sendo testados regularmente. Os atletas de alto rendimento são testados semanalmente, o que não ocorre no nosso dia a dia.

E o uso de máscara durante o exercício físico, é aconselhável?

Sim. Vários estudos foram apresentados no ano passado, no qual foi comprovado que o uso de máscaras durante a prática de exercícios físicos não causa danos à saúde.

Qual tipo de máscara?

O ideal é usar as cirúrgicas ou de pano. Sempre lembrando que é importante o cuidado na hora de colocar e retirar. E, se a máscara ficar úmida, recomenda-se trocá-las imediatamente.

Categorias
Flávio Soares | Corpo e Ação

Não fique parado: exercitando na quarentena

Já sabemos que a atividade física traz grandes benefícios para a nossa saúde, mas nunca nos preocupamos tanto com ela quanto agora. A importância de pulmões limpos, com a imunidade alta, com os bons índices do HDL, da obesidade, etc.

Mas como controlar isso agora? E pior: como melhorar isso sem poder sair de casa?

Fazendo exercícios em casa, os aparelhos e as esteiras ficaram nas academias, mas graças à criatividade e a boa vontade de inúmeros professores de Educação Física, nossas redes sociais estão recheadas de excelentes profissionais dando diversas dicas e aulas ao vivo em diversas modalidades, com diferentes estímulos e materiais a serem usados. A sensação de bem-estar após um treino de jump sem cama elástica pode ser sentida. E a imensa ansiedade que estamos vivendo pode ser diminuída com uma boa aula de zumba. Isso sem falar daquela contração máxima dos músculos depois de um set de hipertrofia. Todos esses benefícios podem ser alcançados com essas aulas online.

São inúmeros os benefícios da prática de exercícios em casa durante essa quarentena. Dentre eles estão: a diminuição do apetite; a melhora do humor; a perda de gordura (emagrecimento); o enrijecimento dos músculos; coordenação motora mais desenvolvida; a melhora da imunidade; e o retardo do envelhecimento. Sem contar a probabilidade de quadros de depressão, mas por liberarmos a serotonina ─ hormônio conhecido como molécula da felicidade ─ durante a atividade, essa probabilidade também diminui. Além disso, quando temos consciência de que estamos nos tratando melhor, damos mais um passo em direção à auto-satisfação.

Então, a dica de quarentena aqui da nossa coluna é: se movimente, não fique parado!
Categorias
Flávio Soares | Corpo e Ação

Atividade física aumenta sua imunidade

Apesar do momento critico em que vivemos por conta do coronavírus, falaremos sobre um tema muito interessante: a importância da atividade física para o aumento da imunidade. Não só pelo vírus, mas também pelo grande aumento de epidemias, bactérias e de doenças causadas por baixa imunidade, cada vez mais agressivas. 

Já deixando bem claro que a prática de exercícios físicos não será fator determinante para que isso não venha acontecer, mas sim como um suporte para que o organismo se comporte melhor a um eventual contágio. Pois, certamente um sistema imunológico fortalecido proporcionará defesas de maneira mais rápida e eficaz contra qualquer quadro de infecção.

 A melhor resposta para o aumento da imunidade vem da prática de exercícios físicos, de forma e carga moderada. Podemos mesmo ver um consenso dos autores de artigos científicos sobre essa intensidade. Tal melhora vem do aumento dos linfócitos, células chamadas de ‘natural killers’. Eles atuam diretamente no sistema inato −conjunto de formas de imunidade que nasce com cada indivíduo −, com a função de destruir células infectadas por vírus ou tumorais  

Contribuindo para a proteção do organismo – onde a atividade física terá um papel primordial – está perda ou manutenção do peso corporal. Isso serve para se obter bons níveis de colesterol e para a diminuição do estresse, já que esse tem sido um dos principais fatores para o surgimento de novas doenças. 

Não existe a melhor modalidade física a ser feita, nem mesmo a mais eficiente. O importante é se exercitar continuamente. E, para que essa prática lhe traga melhores benefícios, faça a que lhe der prazer, mesmo sem sair de casa.