Categorias
Destaque Esportes Notícias Rio

Em primeiro jogo da semifinal, Fluminense empata com Portuguesa na Ilha

Da Redação

O Fluminense não conseguiu abrir vantagem no primeiro jogo da semifinal do Campeonato Carioca, diante da Portuguesa, na Arena da Ilha do Governador. Em jogo equilibrado, as equipes saíram de campo com o 1 a 1, que acabou sendo melhor para o Tricolor carioca.

De olho no confronto de quinta-feira (6), diante do Junior de Barranquilla, na Colômbia, pela Copa Libertadores, o Flu começou com uma equipe totalmente reserva o confronto. Em boa fase na competição, a Portuguesa se aproveitou e abriu o marcador ainda no primeiro tempo, com o destaque Chay.

No segundo tempo, Roger Machado precisou fazer algumas mudanças e o Tricolor pressionou até conseguir um pênalti, convertido pelo uruguaio Abel Hernández. Com o resultado, o Fluminense pode até empatar no Maracanã no próximo fim de semana, que confirma a vaga na decisão do Estadual, provavelmente reeditando o confronto da última edição, diante do Flamengo.

Categorias
Destaque Esportes Notícias Rio

Pedro marca três vezes e coloca o Flamengo a um passo da final do Carioca

Da Redação

O Flamengo não tomou conhecimento do Volta Redonda e está praticamente classificado para a final do Campeonato Carioca e vai em busca do tricampeonato. Jogando em Volta Redonda, o Rubro-Negro aplicou 3 a 0 e pode até perder pela mesma diferença de gols no próximo final de semana, no Maracanã, para confirmar a classificação.

O grande destaque da partida foi Pedro. O atacante marcou os três gols da vitória, sendo o terceiro com o peito, após um passe magistral de Arrascaeta. Michael e Vitinho foram outros grandes destaque da equipe.

O Flamengo já volta a campo nesta terça-feira, mas pela Copa Libetadores. O adversário será a LDU, do Equador, em Quito. Uma vitória praticamente sacramenta também a classificação do Fla para as oitavas de final, pois chegará a nove pontos em três partidas, abrindo pelo menos cinco pontos de vantagem para o segundo colocado, que hoje é a própria LDU, mas pode ser alcançada pelo Unión La Calera, do Chile, em caso de vitória diante do Vélez Sarsfield, da Argentina

Categorias
Destaque Esportes

Flamengo e Vasco se enfrentam em jogo decisivo pelo Brasileirão

 

O Clássico dos Milhões sempre foi tomado pela disputa, tensão e clima decisivo. E nesta quinta-feira (04), às 21h, no Maracanã, não será diferente. Flamengo e Vasco se enfrentam pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para a equipe rubro-negra, em segundo lugar com 61 pontos, o jogo vale para continuar na cola do líder, que é o Internacional, na luta pelo título. Já para o Vasco, os três pontos são importantes para se distanciar da zona de rebaixamento.

No lado do Flamengo, a mudança em relação ao jogo contra o Sport, fica por conta de Hugo Souza no lugar de Diego Alves, que novamente teve uma lesão na coxa direita e será desfalque. Gerson, que teve um entorse no pé direito, é dúvida. Há, no entanto, otimismo sobre sua presença. O volante foi relacionado para o clássico. No geral, o time deve ser o mesmo que vem jogando sob o comando de Rogério Ceni.

O volante Gerson é dúvida para o clássico contra o Vasco Foto: Alexandre Vidal/CRF

 

Provável Escalação: Hugo Souza, Isla, Arão, Gustavo Henrique e Filipe Luís; Diego, Gerson (Pepê ou Gomes), Everton Ribeiro, Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol.

Pendurados: Gabigol, Diego, Gustavo Henrique, João Lucas, João Gomes e Rogério Ceni.

 

Já no lado vascaíno, o desfalque fica por conta do zagueiro e capitão da equipe, Leandro Castán, que foi expulso na última partida diante do Bahia. Ricardo Graça começa entre os titulares. Outra alteração que Luxemburgo indicou no time é a entrada de Gabriel Pec na vaga de Talles Magno. O atacante trabalhou como titular no treino de terça.

Gabriel Pec deve começar a partida como titular Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

 

Provável Escalação: Fernando Miguel, Léo Matos, Marcelo Alves, Ricardo Graça, Henrique; Bruno Gomes, Léo Gil, Benítez, Pikachu, Pec e Cano.

Pendurados: Benítez, Gabriel Pec, Léo Matos, Ricardo e Yago Pikachu.

Arbitragem

Árbitro: Raphael Claus(Fifa/SP)

Árbitro Assistente 1: Danilo Ricardo Simon Manis (Fifa/SP)

Árbitro Assistente 2: Alex Ang Ribeiro (SP)

VAR: Jose Claudio Rocha Filho (SP)

 

Retrospecto do Confronto

Os números recentes favorecem o Flamengo, que não perde para seu rival há 16 jogos: sete vitórias e nove empates. A última vitória do Vasco foi no Carioca de 2016. Em 2020, o Rubro-Negro venceu as duas partidas: 1 a 0 pelo Carioca (quando atuou com reservas) e 2 a 1 no Brasileirão, em São Januário, de virada.

A sequência atual de 16 jogos sem derrota é a maior do Flamengo na história do Clássico dos Milhões. Antes dela, o Rubro-Negro teve outras três séries invictas de 11 jogos: entre 1941 e 1943, entre 1971 e 1973 e entre 2012 e 2015. Do lado vascaíno, a maior série invicta é de 20 jogos entre 1945 e 1951

Considerando apenas o Campeonato Brasileiro, o Flamengo não perde para o Vasco desde 2015. Desde então, foram 3 vitórias e 4 empates. Na história da competição, desde 1967, quando se enfrentaram pela primeira vez ainda no antigo Torneio Roberto Gomes Pedrosa, a vantagem é do Flamengo. Em 63 jogos, foram 22 vitórias do Rubro-Negro, 23 empates e 18 vitórias do Vasco.

No retrospecto geral, o domínio no clássico também é do Flamengo. Em 411 jogos, foram 156 vitórias do Flamengo, 137 do Vasco e 119 empates (contando jogos amistosos). Apenas em jogos oficiais são 326 partidas com 124 vitórias do Flamengo, 100 empates e 102 vitórias do Vasco.

 

Disputa pela artilharia

Outro detalhe interessante deste clássico é igualdade dos artilheiros da equipe. Cano, Gabigol e Pedro estão com 23 gols na temporada. O camisa 9 do Flamengo jogou 38 vezes (35 como titular) das 65 partidas rubro-negras, enquanto Pedro atuou em 49 (24 vezes como reserva). Desfalque em apenas 10 partidas das 56 partidas do Vasco na temporada, Cano foi titular nos 46 jogos que disputou.

Foto: Ge.com

Onde Assistir

A partida terá transmissão do Premiere para todo país.

 

Por: Luhan Alves

Categorias
Destaque Esportes

Opinião: Botafogo tem uma missão quase impossível no Campeonato Brasileiro

 

Mais um jogo ruim, mais uma derrota, mais próximo do seu terceiro rebaixamento o Botafogo está ficando. Após a derrota, em casa, para o Athletico-PR, na última quarta (6), o alvinegro carioca vê sua situação se complicar cada vez mais. Faltando 10 rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro, o Glorioso precisa de pelo menos sete vitórias para tentar escapar da zona da degola.

A missão do Botafogo é bem difícil, mesmo com chances matemáticas de escapar do rebaixamento. Uma das coisas que se percebe nas partidas do Glorioso é que o psicológico dos jogadores está bem abalado. O time até entra em campo com disposição e vontade de vencer a partida, mas basta sair atrás do placar que a tensão e os erros aparecem dentro de campo.

Mais uma derrota do Botafogo dentro de casa no Campeonato Brasileiro Foto: Luhan Alves

O treinador do Botafogo, Eduardo Barroca, encontra enormes dificuldades de fazer o time jogar bem e vencer as partidas. Nos 4 jogos que comandou o alvinegro carioca, conquistou apenas uma vitória e teve três derrotas. A cada jogo que passa, a equipe alvinegra comete os mesmos erros. Na parte defensiva, deixa muitos espaços, principalmente pelo lado direito e recompõe muito mal. E na parte ofensiva, falta mais qualidade na criação, eficiência nas finalizações, quando consegue romper a linha defensiva do adversário e mais aproximação dos jogadores do sistema ofensivo.

A equipe alvinegra vai precisar tirar forças de onde não tem para conseguir um milagre na luta contra o rebaixamento. A próxima missão é um clássico contra o Vasco, no próximo domingo (10), em São Januário, às 20h30. Confronto direto na briga para sair da zona da degola. O que resta para o torcedor do Botafogo é acreditar até o último momento.

Por: Luhan Alves 

Categorias
Destaque Esportes

Fluminense enfrenta Atlético-GO de olho no G4 do Brasileirão

 

O Fluminense vai reencontrar seu algoz na eliminação da Copa do Brasil esse ano. O Tricolor e o Atlético-GO se enfrentam nesta quarta-feira (16), em Goiânia, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. As duas equipes vão se enfrentar pela quarta vez em 2020. Até agora foram uma vitória para cada lado, pela Copa do Brasil, e um empate no primeiro turno do Brasileirão. A partida desta noite será no estádio Antônio Accioly, às 21h30.

O Tricolor vem de um empate amargo contra o Vasco e com uma invencibilidade de quatro jogos. A vitória será muito importante para o destino do Fluminense no campeonato, já que a equipe carioca está disputando uma vaga para a Libertadores do ano que vem. Esse será o segundo jogo de Marcão após a saída de Odair Hellmann.

A tendência é que Marcão não faça muitas mudanças, até por ter tido só um dia para treinar a equipe após o empate com o Vasco. Do time que jogou no clássico, a mudança vai ficar apenas por conta de Wellington Silva, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Fred e Caio Paulista são os mais cotados para a vaga. Se o camisa 9 for escolhido, Marcos Paulo vai para ponta.

Marcos Paulo é um dos destaques do Fluminense Foto: Mailson Santana/FFC

Provável Escalação: Marcos Felipe, Igor Julião, Matheus Ferraz e Luccas Claro e Egídio; Hudson, Yuri Lima e Michel Araújo; Marcos Paulo, Nenê e Fred(Caio Paulista). Técnico: Marcão

O Atlético-GO vem de uma vitória fora de casa contra o Ceará, chegando aos 31 pontos e pulando para a 12ª posição. Agora, a equipe goiana tenta melhorar seu rendimento como mandante. Das sete vitórias do Dragão na Série A, só duas foram em casa. O desfalque fica por conta do volante Willian Maranhão, que está suspenso. Pereira surge como o nome mais cotado para assumir a vaga, tendo em vista que Matheus Vargas (suspensão) e Rithely (lesão) também são desfalques. Baralhas corre por fora. No ataque, há dúvida entre Danilo Gomes e Gustavo Ferrareis.

Provável Escalação: Jean, Dudu, João Victor, Éder e Nicolas; Pereira, Marlon Freitas e Chico; Danilo Gomes(Ferrareis), Janderson e Zé Roberto. Técnico: Marcelo Cabo

Bom retrospecto

O Fluminense conta com um retrospecto favorável como visitante diante do Atlético-GO. De acordo com dados do site “Fluzao.info”, foram 10 partidas em Goiânia, com sete vitórias tricolores, um empate e apenas duas derrotas, sendo quatro jogos no Estádio Olímpico Pedro Ludovico e seis no Serra Dourada.

Arbitragem

Árbitro: Rodrigo Dalonso Ferreira (SC)

Assistente 1: Thiaggo Americano Labes

Assistente 2: Éder Alexandre (SC)

Árbitro de vídeo: Heber Roberto Lopes (SC)

Transmissão

Globo (com narração de Gustavo Villani e comentários de Júnior e Roger Flores) e Premiere (com narração de Jader Rocha e comentários de Pedrinho e PVC);

 

Categorias
Destaque Esportes

Botafogo e Vasco: apenas dias de luta

Botafogo e Vasco vivem as mesmas situações complicadas no atual momento. Ambos se encontram na zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro, péssimas condições financeiras, dívidas constantes, problemas políticos e pressão da torcida. Esses aspectos acabam aos poucos destruindo esses dois grandes clubes. A tradição e a história não se apagam, mas os vexames mancham cada vez mais todo o histórico desses times.

Perigo do Rebaixamento

O Vasco é o 17° colocado com 24 pontos, 6 vitórias, 6 empates e 11 derrotas, uma campanha muito ruim e que faz ligar o sinal de alerta em relação ao rebaixamento, que seria o 4° em sua história. Para tentar sair dessa situação, o time precisa minimamente se organizar dentro de campo e unir forças para evitar mais um vexame para o clube. Não é hora mais de invenções e insistências em jogadores que não estão entregando absolutamente nada para a equipe. É preciso colocar os mais capacitados, para formar um time mais equilibrado e competitivo.

A união do elenco vascaíno será fundamental para tentar evitar o rebaixamento Foto: Lucas Bubols

Já a situação do Botafogo é um pouco mais complicada. O alvinegro carioca vem de uma sequência de 5 derrotas consecutivas, a última vitória no Campeonato Brasileiro foi há quase dois meses, diante do Sport, na Ilha do Retiro. No geral, o Glorioso tem 20 pontos, venceu apenas 3 vezes, empatou 11 e perdeu 9. Uma das piores campanhas da história do clube, que vive um momento bem complicado no âmbito político, refletindo diretamente no campo. O time tem suas limitações, mas não é uma equipe horrorosa para estar na penúltima colocação.

O japonês Honda prometeu união do grupo para tirar o Botafogo dessa situação Foto: Vitor Silva/ BFR

Problemas financeiros

O Botafogo é o clube com uma das maiores dívidas do futebol brasileiro. A sequência de gestões muito ruins atrapalha demais a saúde financeira da instituição. Em grave crise financeira e à espera da S/A, o alvinegro sobrevive de socorros frequentes para manter o mínimo funcionamento de suas atividades. Além de empréstimos para quitar contas básicas, como água e luz, o Glorioso por vezes não consegue bancar a realização de jogos tanto da base quanto do profissional. Os dois principais fatores para essa sobrevivência são a antecipação das receitas de TV e a venda do atacante Luis Henrique ao Olympique de Marselha, que gerou R$ 25 milhões em parcelas.

A situação do Vasco se encontra um pouco melhor, porém não é nada espetacular. Na última semana, o presidente Alexandre Campello apresentou o balancete do terceiro trimestre do clube. Em ano de pandemia, sem público e arrecadações com bilheteria e venda de jogos (orçados inicialmente em R$ 20 milhões), o resultado parcial tem R$ 33,9 milhões em valores de jogadores. Em 2019, foram R$ 7 milhões registrados em vendas. O Cruzmaltino esperava vender Talles Magno, mas a queda de desempenho do jogador afetou nas baixas propostas que o Gigante da Colina recebeu.

O orçamento do Vasco para 2020 previa arrecadação bem superior a do último ano (R$ 208 milhões). A diretoria colocou no orçamento R$ 324 milhões de receitas bruta, com R$ 310 milhões líquida. Até o fechamento do terceiro trimestre, esses valores chegaram a R$ 124,6 milhões, bem distante do estimado. Mas, com a questão da pandemia e os clubes brasileiros ficaram isentos de cobranças do Profut e do ato trabalhista, dois parcelamentos de longas dívidas. Com isso, o Cruzmaltino teve um alívio nas contas. Com R$ 119,8 milhões de despesas e R$ 124,6 de receitas, o clube registrou superávit de cerca de R$ 5 milhões.

Pressão da torcida

Os torcedores dos dois clubes estão bastante decepcionados com a situação ruim que ambos vivem. E mesmo sem a presença de público nos estádios, a cobrança da torcida é forte. Na última quarta (2), membros de organizadas do Vasco foram ao CT do Almirante, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio de Janeiro, para protestar contra o time. O volante Fellipe Bastos foi um dos jogadores que desceu do carro para conversar com os líderes do manifesto.

https://twitter.com/Colina_Informa/status/1334186820670730245

No Botafogo, os protestos foram intensos nos últimos dias. Na última terça, ameaças de morte foram pichadas nos muros do estádio e da sede de General Severiano, o que fez a diretoria alvinegra registrar boletim de ocorrência na polícia. E na última quinta-feira, um grupo de aproximadamente 20 líderes de torcidas organizadas do alvinegro foi recebido no Nilton Santos para uma reunião com o gerente de futebol Túlio Lustosa. A pauta foi sobre os resultados ruins do time no Brasileirão. Os torcedores pediram detalhes da situação do clube que só ouviram pela imprensa. Como o episódio de Honda, que reclamou do clube em rede social. Eles também cobraram mais esforço e desempenho dos jogadores na reta final do campeonato.

Muro do Estádio Nilton Santos com ameaça de morte Foto: Reprodução

Futuro de Botafogo e Vasco

O que se espera dos dois clubes do RJ é que não só se salvem do rebaixamento como se reestruturem para voltar a brigar por coisas maiores nos campeonatos que disputarem. Botafogo e Vasco são gigantes do futebol brasileiro que precisam voltar aos seus dias de glória.

Por: Luhan Alves

Leia Também: Opinião: o Gigante da Colina precisa acordar